Ginástica cerebral



cerebro melhorado
Recebi este texto por e-mail. Não sei se as técnicas ensinadas funcionam.

Como potencializar a memória e aumentar a agilidade mental

A rotina é um veneno para o cérebro. Assim como o
sedentarismo torna o corpo indolente, o excesso de previsibilidade
subutiliza o poder do córtex cerebral de formar novas associações.
Tudo o que é inusitado estimula a comunicação entre os neurônios. Essa
é a base da Neuróbica, criada pelos cientistas Lawrence Katz e Manning
Rubin e detalhada no livro Mantenha o Seu Cérebro Vivo (Editora
Sextante). Exercícios curiosos ensinados por Dominic O’Brien, oito
vezes vencedor do Campeonato Mundial de Memorização, são o destaque da
obra Aprenda a Usar a Memória (Publifolha).

A seguir, uma seleção de 20 dicas.

Despertar diferente
Mude a estação de rádio que o acorda todas as
manhãs. Tome banho de olhos fechados. Escove os dentes com a outra
mão. Circuitos sensoriais e motores normalmente pouco utilizados serão
ativados.

Concentração nos estudos
Na hora de estudar, não tente aprender tudo ao
mesmo tempo. Concentre-se em um tema e faça um resumo das atividades
antes de se dedicar a outra matéria. Evite estudar 15 minutos de
Química e meia hora de Português, por exemplo. Para as ”decorebas”,
como os elementos da tabela periódica, frases associativas ajudam.

Sexo temperado
Pode apelar para óleos perfumados, bebidas
geladas, músicas. Parece bom demais para ser verdade, mas sexo
prazeroso e surpreendente mantém o cérebro vivo.

De volta ao passado
Desperte lembranças do colégio com a ajuda de
fotos e cadernos. Use a imaginação e entre na escola, sinta o cheiro
da cantina. Com a mente livre, uma lembrança ”puxa” a outra. Você se
surpreenderá recordando fatos que julgava esquecidos.

Seja sociável
Compre jornal em uma banca diferente, abasteça o
carro em outro posto de gasolina, acene para crianças. Quando parecer
seguro, puxe conversa com desconhecidos. Vá ao teatro, ao cinema e
relembre as cenas e as emoções que elas lhe trouxeram. Discuta o filme
ou a peça com os amigos. Procure sair freqüentemente com os colegas
apenas para bater-papo. A mente precisa de uma vida cheia de
estímulos.

Leitura eficiente
Quando o texto que você precisa ler na escola ou
no trabalho parece desinteressante, algumas estratégias podem ajudar.
Faça uma lista de perguntas cujas respostas quer encontrar no texto.
Preste muita atenção às frases que resumem a idéia central de cada
parágrafo. Descubra a coerência dos argumentos. Por último, tente
desenhar um mapa mental com as idéias principais do texto. Isso ajuda
a organizar o raciocínio.

Quebrando rotinas
Resista a seguir o mesmo caminho todos os dias.
Invente rotas alternativas para chegar ao trabalho. Quando possível,
entregue a direção do carro a alguém de confiança e siga no banco
traseiro. A perspectiva da viagem é totalmente diferente.

Rosto familiar
Quem tem dificuldade de lembrar nomes e
fisionomias pode tentar o seguinte exercício com a ajuda de um amigo.
No mínimo, serve de passatempo em um dia chuvoso na praia. Cada um
deve recortar dez fotos de rostos desconhecidos de jornais ou revistas
e escrever o nome atrás da imagem. Troque as imagens com o colega e
estude uma a uma antes de ler os nomes. Depois associe as primeiras
impressões que a fisionomia lhe traz a seus respectivos nomes. Coloque
as fotos de lado e, depois de 15 minutos, um amigo testa o outro para
ver de quantos nomes se lembraram.

Muita calma nessa hora
O nervosismo e a ansiedade são os maiores
causadores dos famosos ”brancos”. Você pode praticar exercícios de
meditação quando os nervos atrapalharem alguma lembrança. Escolha um
ambiente calmo e deite-se de costas, largando o corpo. Respire devagar
e profundamente pelas narinas. Concentre-se e imagine uma luz branca e
brilhante que acompanha seus movimentos de respiração. Treine uma vez
por dia.

Férias neuróbicas
Viaje para lugares desconhecidos e evite grupos
de excursão. Ande de ônibus, experimente a comida e as diversões
locais, saia de carro sem um plano definido. A novidade é a essência
das boas férias e do vigor cerebral.

Imagens distorcidas
Você pode treinar a memória na hora de montar a
lista de compras. Imagine uma maçã com todos os detalhes – cores,
defeitos, tamanho. Agora modifique sua maçã com alguns exageros –
torne-a gigantesca, por exemplo. Faça isso com cinco itens no começo e
com toda a lista no futuro.

Intervalo…
Respire, tome uma água, mas lembre-se de voltar
para terminar de ler…

Pausas para o cafezinho
São chances preciosas de relaxamento mental e
interação social. Prefira almoçar fora do prédio da empresa e convide
os amigos. Mas evite os chatos e as companhias estressantes.

Festim para os sentidos

Freqüente a feira livre com alma de explorador.
Invente refeições com produtos cujo aspecto lhe pareça agradável.
Visite mercados étnicos e prove novos cheiros e sabores. Eles
acrescentam acordes na sinfonia de sua atividade cerebral.

Reconstituindo o dia
Antes de dormir, procure relembrar tudo o que
aconteceu durante seu dia, reconstituindo cenas e diálogos com
detalhes e na ordem em que ocorreram. Com o tempo, os detalhes vêm à
mente com mais facilidade

Corpo e mente sarados
Troque a esteira da academia pela corrida nas
ruas. Andar, correr ou pedalar numa trilha ou calçada abre a mente
para experiências multissensoriais com o imprevisto de cada esquina.

Novidades à mesa
Uma vez por mês, experimente pratos que sejam uma
total novidade para você. Acompanhe a refeição com a música do país
correspondente para acrescentar uma dimensão auditiva às sensações do
paladar.

Nutrientes vitais
Comer bem é fundamental para garantir o bom
funcionamento das células que atuam na aquisição da memória. Consuma
muita água, sódio, cálcio e magnésio, presentes nos alimentos.
Cápsulas de fósforo, diferentemente da crença popular, não melhoram a
memória.

Sono restaurador
Para a memória, uma soneca de 50 minutos pode ter
o efeito de uma noite bem dormida. É durante a fase dos sonhos que as
informações adquiridas se instalam no cérebro, ”liberando espaço”
para novos aprendizados. O ideal, para quem estuda muito, é intercalar
duas horas de estudo com uma soneca de uma hora. Mais valem dez
minutos de estudo a cada dia do que cem minutos em um único dia.

Revirando a mesa
Troque objetos e mude-os de lugar em sua mesa de
trabalho. Incorpore um pouco de ”desordem” a sua rotina. Quando
possível, altere o horário de reuniões e da realização das tarefas.

Praticar sempre
O cérebro pode ser comparado a um músculo que, se
não for usado, atrofia. Vale tudo: desde as tradicionais palavras
cruzadas até criar o hábito de anotar os sonhos logo ao acordar, com
todos os detalhes possíveis. Aos poucos, a história escrita vai ficar
cada vez mais completa.

Não sei a fonte exata deste texto. No mail indicava ser uma matéria da revista Época. Alguém confirma?
Não concordei com a ‘decoreba’ da tabela periódica. :-(



35 comentários

  1. Mariéle v. jul 2, 2006
  2. Lorena Martinez jul 30, 2006
  3. Eduardu set 28, 2006
  4. Luci out 25, 2006
  5. Eve dez 25, 2006
  6. Mandy jan 12, 2007
  7. Van Persie jan 20, 2007
  8. Jéssica Romano mar 27, 2007
  9. Jéssica Romano mar 27, 2007
  10. claudia abr 5, 2007
  11. Lorena abr 17, 2007
  12. wellington abr 25, 2007
  13. wask mai 9, 2007
  14. jadir mai 26, 2007
  15. luuh mai 31, 2007
  16. Euzice Bessa jul 19, 2007
  17. Edson Sakomura nov 30, 2007
  18. Anônimo jan 2, 2008
  19. blackão jan 10, 2008
  20. bruno fev 15, 2008
  21. Ana jul 13, 2008
  22. fanny jul 17, 2008
  23. Fernando set 19, 2008
  24. Hell Back jan 5, 2009
  25. R.Fonseca fev 15, 2009
  26. Dominique Walter mar 20, 2009
  27. CLARA jul 29, 2009
  28. Márcia ago 27, 2009
  29. Carlos Alberto Lopes nov 10, 2009
  30. Elias Pavan dez 28, 2009
  31. milena kelly jul 6, 2010
  32. sAy jul 29, 2010
  33. haroldo ago 23, 2011
  34. nubia set 7, 2013

Escreva um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *