SUBJECT: Discussão Teoria das Cordas
FROM: "swfarias" <swfarias@hotlink.com.br>
TO: "Ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 27/02/2000 11:35

Ola pessoal, sou novo no grupo e gostaria de saber mais sobre a discussão
sobre a teoria das supercordas

[]'s - |Farias|


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]




SUBJECT: Viagens no tempo
FROM: "swfarias" <swfarias@hotlink.com.br>
TO: "Ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 28/02/2000 03:31

Ola pessoal

Estava lendo Terça sobre tempo\viagens no tempo gostaria de saber a opiniao de vocês sobre viagens no tempo.

Ja li em varios livros que um físico teórico chamado Kip Thorn provou pela teoria da relatividade que viagens no tempo são possíveis e que uma forma de voltar no tempo seria usar os buracos de minhocas. Thorn pensou em viagens no tempo quando o cosmólogo Carl Sagan o perguntou se seria possível fazer viagens curtas para longas distancias, da Terra a estrala Vega. A partir do buraco de minhoca, Sagan escreveu o seu romance Contato. Ja Hawking usou o Buracos de Minhoca para entrarmos em contato com universos paralelos.

Esse lance de viagens no tempo depende da opinião de cada um. O físico teórico mais famoso da atualidade, Stephen Hawking, não acredita em viagens no tempo. Tem até uma frase bem famosa do Hawking falando sobre viagens no tempo que é assim:

"A melhor prova de que a na vegação no tempo não é possivel é o fato de ainda não termos sido invadidos por massas de turistas vindos do futuro" Stephen Hawking

Será mesmo? Pararem para pensar na consequencia da volta do passado, vamos supor que eu volte no passado e mate meu avô, o que aconteceria com meu pai, minha irmã e comigo? Desapareceríamos? Quem ja viu "De volta para o futuro" ve uma situacao parecida, em que o personagem volta no tempo e sua mae se apaixona por ele, e assim ela trairia seu pai e eles nao se casariam e nao gerariam o personagem.

Espero respostas,
[]'s |Farias|

"Pessoas como nós, que acreditam em física, sabem que a distinção entre passado, presente e futuro não passam de uma ilusão teimosamente persistente" Einstein


DICA DE LEITURA: HIPERESPAÇO, Michio Kaku (Livro muito bom falando de Supercordas, Dimensoes Extras, Relatividade, Teoria Quantica, Buracos Negros, Viagens no tempo...)


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Viagens no tempo
FROM: "swfarias" <swfarias@hotlink.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/02/2000 15:26

{{{Nota do administrador da Ciencialist: Para os novatos na lista aviso que o
debate sobre Teoria das Supercordas com Nathan Berkovits estah acontecendo
simultaneamente com todos debates (espontaneos) entre os integrantes da lista>
Se voce quer participar *somente* do assunto Supercordas eh soh ajustar seu
leitor de mails para receber somente mensagens com o 'marcador' [supercordas] .
ok? }}}





Ae chara blz? Por incrivel que pareca meu nome e sergio farias :PP

Cara eu particulamente acredito em viagens no tempo atraves de buracos de minhoca. Como vc disse ainda nao e possivel viajar no tempo, mas como mensionei esse Kip Thorn provou pelas equacoes de einstein permitem viagem no tempo. O livro "Hiperspaco" tem um capitulo falando so sobre viagens no tempo, e fala desse Kip Thorn tbm e como ele comprovou, vai em uma livraria e lê o capitulo. Ele e pequeno tem 20 pags ok? Bom vo indo... se der eu faco uma maquina do tempo e reescrevo o email ta bom? :PPP

ps.: Eu acredito na existencia do tempo, para mim e impossivel a nao existencia dele, embora tenho amigos como vc que nao acreditam no tempo, tenho ate uma frase de einsten sobre isso:

"Pessoas como nós, que acreditam em física, sabem que a distinção entre passado, presente e futuro não passam de uma ilusão teimosamente persistente" Albert Einstein

[]'s, |Farias|





[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]




SUBJECT: Re: [ciencialist] Fw: Regulamentacao da profissao de astrologo
FROM: "Celso Galli Coimbra" <c.galli@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 25/08/2000 16:12

Preliminarmente,


vamos deixar claro que o Estado
não _"entende por ciência"_ coisa alguma,
ele apenas proíbe o cerceamento do conhecimento
científico, de pensamento e crença, e deixa
às comunidades que se "consideram"
científicas a liberdade de discutirem
o assunto.


Isso é uma _questão de ordem_, quando
aparecem _indignados_ protestando sem honesidade
de argumentação no que se refere a
questões de FATO.


[]'s

Celso Galli Coimbra


----- Original Message -----
From: "Daniel Leal Freire" <daniellf@highway.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Friday, August 23, 2002 8:44 PM
Subject: [ciencialist] Fw: Regulamentacao da profissao de astrologo


Sei que esse assunto já gerou muita polêmica aqui, nao gostaria que houvesse
mais discussao sobre o assunto mas acho interessante que os companheiros da
lista .

[ ]´s
Daniel Leal Freire

PS: Por favor, depois de ler a resposta do Senador, nao discutam mais por
aqui.


----- Original Message -----
From: "Sen. Artur da Távola" <tavola@senador.senado.gov.br>
To: "'Daniel Leal Freire'" <daniellf@highway.com.br>
Sent: Friday, August 23, 2002 4:37 PM
Subject: RES: Regulamentacao da profissao de astrologo


Prezado Daniel:

Em atenção à sua comunicação, remeto-lhe cópia de resposta enviada a uma
ilustre professora da Bahia, que igualmente não compreendeu as saneadoras
disposições do projeto apresentado.

Fraternalmente,
Artur da Távola



-----Mensagem original-----
De: Daniel Leal Freire [mailto:daniellf@highway.com.br]
Enviada em: sábado, 22 de junho de 2002 23:06
Para: tavola@senado.gov.br
Assunto: Regulamentacao da profissao de astrologo


Senador Artur da Távola,

Gostaria de manifestar minha indignacao sobre o Projeto de Lei do
Senado n. 43 de 2002 que regulamenta a profissão de astrólogo. Gostaria se
fazer alguns comentários a cerca das justificativas. Criar um currículo
mínimo requer que Universidades queiram isso, e faço uma pergunta ao senhor
sobre isso: qual estabelecimento SÉRIO de ensino superior, com tradição na
pesquisa CIENTÍFICA, irá criar um curso de Astrologia? E se as
Universidades públicas de ensino superior criassem, tenho certeza que seria
por determinação e não por vontade da Universidade.

A Astrologia não tem nenhum embasamento. Estabelecer um parecer
sobre uma pessoa baseado na posição dos astros no dia e hora de seu
nascimento é um completo absurdo, e a partir disto realizar um julgamento é
tao preconceituoso quanto julgar com relação ao tom de pele. A aprovação
desta lei seria um enorme retrocesso no que o estado entende por Ciência.

Peço que consulte pessoas da comonidade científica e também da
pseudo-ciência Astrologia.

Atenciosamente

Daniel Leal Freire







---

File has not been scanned

Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.381 / Virus Database: 214 - Release Date: 2/8/2002


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



##### ##### #####
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html







SUBJECT: Re: Stephen Wolfram: uma nova ciencia...?
FROM: "holanda_lb" <holanda-lb@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 28/04/2002 00:27

Olá Alberto, e demais membros da lista.

Como vão as coisas por aqui Alberto, muita polêmica? rs...

Sobre o que você disse em seu email anterior, tenho só uma coisa a
acrescentar, a relatividade de Einstein, no contexto de campos, propôs
não apenas uma velocidade limite para todos, como disse que ela seria
menor ou igual a c, sendo c a velocidade da luz. Assim, a velocidade
de propagação do campo gravitacional segundo a relatividade de
Einstein seria, no máximo, igual a da luz.
Essa foi uma sacada que Einstein teve, e Newton não poderia, devido
aos resultados experimentais que Newton não dispôs em sua época: a de
que a velocidade limite seria da luz. Nada do Universo poderia viajar
mais rápido.
Certa vez, em conversa que tive contigo, acho que você me disse que a
velocidade da luz não seria a velocidade limite e se poderia obter
velocidades maiores, dentro da "relatividade de Mesquita". É isso
mesmo? Como vai o estudo seu a esse respeito?


Abraços,
Leandro.



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Stephen Wolfram: uma nova ciencia...?
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 28/04/2002 05:13

----- Original Message -----
From: "holanda_lb"
Sent: Sunday, April 28, 2002 12:27 AM
Subject: [ciencialist] Re: Stephen Wolfram: uma nova ciencia...?


Olê, olê, olê, Olá Leandro.

> Como vão as coisas por aqui Alberto, muita polêmica? rs...

Nem tanto.

> Sobre o que você disse em seu email anterior, tenho só uma coisa a
> acrescentar, a relatividade de Einstein, no contexto de campos, propôs
> não apenas uma velocidade limite para todos, como disse que ela seria
> menor ou igual a c, sendo c a velocidade da luz. Assim, a velocidade
> de propagação do campo gravitacional segundo a relatividade de
> Einstein seria, no máximo, igual a da luz.
> Essa foi uma sacada que Einstein teve, e Newton não poderia, devido
> aos resultados experimentais que Newton não dispôs em sua época: a de
> que a velocidade limite seria da luz. Nada do Universo poderia viajar
> mais rápido.

Eu diria que Newton jamais teria dado essa sacada e certamente teria
encontrado uma saída não estratosférica para os problemas que estavam
preocupando os físicos do final do século XIX. A luz não tem nada a ver com
isso. O problema está no modelo mecânico aceito na época e que, de maneira
errada, foi interpretado como um modelo que deveria dar certo em todos os
casos. Já disse: Existe uma física newtoniana escrita nos Principia e na
Óptica de Newton, além de outros artigos dispersos. E existe um modelo
mecânico newtoniano válido para condições restritas conforme foi deixado
claro pelo próprio Newton. O problema é que os físicos do final do século
XIX, com algumas exceções importantes (Maxwell e Boltzmann são os principais
a encabeçarem a lista desta exceções) desconheciam a física newtoniana e
tentaram valorizar o modelo mecânico. E cairam no erro do prefaciador do
Princípia, um tal de Roger Cotes que em 1717 escreveu algumas bobagens. Isso
aconteceu na época que o Newton era o Presidente da Casa da Moeda Britânica
e não tinha tempo para se preocupar com coisas bobas como a ciência ;-).
Esse prefácio, frente ao Principia, é uma piada. E até hoje a grande maioria
dos físicos aceita essa piada como verdadeira, pensando tratar-se de um
resumo da física newtoniana. E depois da leitura do prefácio, contentam-se
com o "resumo" e não lêem mais nada e ficam por aí dizendo bobagens, como
aquele tal do Harpaz que citei em mensagem anterior. Bobagens como esta já
ouvi "bilhares de vezes" em quase todos os auditórios que compareci para
assistir palestras de física ministradas por "eminentes" físicos
brasileiros; e já li outro "bilhar de vezes" em "revistas de respeito", como
aquelas que esses "bilhares" de físicos ficam insistindo como local para que
eu publique minhas idéias, a fim de que eles possam avaliar o meu trabalho.
Ora, se eu conseguisse convencer os "donos da ciência" a que publicassem
minhas "heresias" eu não precisaria da opinião dos papagaios cultos do
terceiro mundo. Por outro lado, publicar nessas "respeitosas" revistas não é
muito fácil, mas também não é tão difícil: É suficiente aprender a
papaguear. Os editores, por razões políticas (política acadêmica), aceitam
papagueadas desde que isso não vá contra os dogmas centrais (regulamentados
pelos donos da ciência), não caracterize o plágio e não ultrapasse um certo
limite (algo em torno de 10 a 50% do espaço útil, a depender da revista).

> Certa vez, em conversa que tive contigo, acho que você me disse que a
> velocidade da luz não seria a velocidade limite e se poderia obter
> velocidades maiores, dentro da "relatividade de Mesquita". É isso
> mesmo? Como vai o estudo seu a esse respeito?

Não existe "relatividade de Mesquita" e sim relatividade de Galileu. Minha
contribuição a esse respeito é quase nula. Uma pequena contribuição minha
pode ser encontrada em "O espaço curvo euclidiano e a relatividade
galileana", que está em
http://ecientificocultural.com/Relat/espaco_curvo01.htm

Via de regra, estudo campos gerados por partículas elementares e procuro
verificar as compatibilidades do efeito desses campos com a relatividade de
Galileu. Até o momento não necessitei "postular" nada relativo à velocidade
da luz. A luz não é nenhuma entidade estratosférica e pode perfeitamente ser
concebida dentro de um modelo 100% clássico. Obviamente, este modelo está
inserido em uma física clássica e não em um particular modelo clássico e/ou
na física de Roger Cotes, um ilustre desconhecido.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Desaparecimento
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 28/04/2002 14:51

Não sei o que aconteceu. Desde o dia 26 de abril de 2002 que não estou recebendo mensagens da lista. Alguém podia dar uma opinião sobre o que possa ter acontecido?

Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Desaparecimento
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 28/04/2002 15:13

Nao encontrei nada de errado em sua conta. Uma solucao eh ler as
mensagens pelo site
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/messages

enquanto o problema continuar. :-/

Ateh
Luis Brudna - administrador da Ciencialist


--- Em ciencialist@y..., "Marco Aurelio" <clave@s...> escreveu
> Não sei o que aconteceu. Desde o dia 26 de abril de 2002 que não
estou recebendo mensagens da lista. Alguém podia dar uma opinião
sobre o que possa ter acontecido?
>
> Marco A. Andrade
> clave@s...




SUBJECT: Re: [ciencialist] Desaparecimento
FROM: "Terezinha Costa" <terezinhac@bridge.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 28/04/2002 15:27

Uma das possibilidades é você ter, inadvertidamente, bloqueado a recepção
das mensagens provenientes desse endereço. Se você usa o Outlook, sugiro ir
ao Menu e checar em: Ferramentas/Regras para Mensagens/Lista de remetentes
bloqueados.
Terezinha

----- Original Message -----
From: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Sunday, April 28, 2002 2:51 PM
Subject: [ciencialist] Desaparecimento


Não sei o que aconteceu. Desde o dia 26 de abril de 2002 que não estou
recebendo mensagens da lista. Alguém podia dar uma opinião sobre o que possa
ter acontecido?

Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Aspartame
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 28/04/2002 17:57

Oi,

O que vocês acham do artigo abaixo sobre o aspartame?

[]s
Manuel Bulcão
___________________
Conferência Mundial do Meio-Ambiente e Fundação Esclerose Múltipla em rota de colisão com a Monsanto

Artigo escrito pela Dra. Mancy Marckle

"Passei alguns dias falando na CONFERÊNCIA MUNDIAL DE MEIO AMBIENTE a respeito do ASPARTAME, conhecido com Nutrasweet, Equal e Spoonful. Eles anunciaram que existia uma epidemia de esclerose múltipla e lúpus sistêmico, e não entendiam que toxina estava fazendo com que essas doenças assolassem os Estados Unidos tão rapidamente. Eu expliquei que eu estava lá para falar exatamente sobre este assunto.
Quando a temperatura do ASPARTAME excede 30º C, o álcool contido no ASPARTAME se converte em formaldeído e daí para ácido fórmico, que provoca acidose metabólica (o ácido fórmico é o veneno das formigas).

A toxidade do metanol imita a esclerose múltipla e as pessoas recebem diagnóstico errado de esclerose múltipla. A esclerose múltipla não se constitui em sentença de morte, mas a toxidade do metanol sim. No caso do lúpus sistêmico estamos percebendo que é quase tão grave quanto a esclerose múltipla, especialmente em usuários de DIET COKE e DIET PEPSI.

Não é para menos, considerada a toxidade do metanol ... (As vítimas geralmente bebem de 3 a 4 latas destes refrigerantes por dia, ou mais). Nos casos de lúpus sistêmico causado pelo ASPARTAME, a vítima geralmente não sabe que o ASPARTAME é causa de sua doença e continua com seu uso, agravando o lúpus a um grau tão intenso que algumas vezes ameaça a vida.

Quando interrompemos o uso do ASPARTAME, as pessoas que tinham lúpus ficam assintomáticas. Infelizmente, não podemos reverter essa doença. Por outro lado, nos casos diagnosticados como esclerose múltipla (quando, na realidade, a doença é devida ä toxidade do metanol) a maioria dos sintomas desaparece. Nós temos visto casos em que a visão retornou e mesmo a audição foi recuperada. Isso também se aplica aos casos de o existe nenhuma razão para se utilizar esse produto. NÃO É UM PRODUTO DIETÉTICO! Os anais do Congresso dizem: ele faz você desejar carboidratos e, em conseqüência, engordar. Dr. Roberts viu que quando interrompeu o uso de ASPARTAME a perda de peso foi de 9,5 Kg por pessoa.
O formaldeído se armazena nas cédulas adiposas, principalmente nos quadris e coxas. O ASPARTAME é especialmente mortal para os diabéticos.

Todos os médicos sabem o que o metanol causaria num diabético. Muitos médicos acreditam que seus pacientes têm retinopatia, quando de fato, o mal é causado pelo ASPARTAME.

O ASPARTAME mantém o açúcar sangüíneo fora de controle, fazendo com que muitos pacientes entrem em coma. Infelizmente, muitos morreram. Pessoas nos contaram na Conferência do Colégio Americano de Medicina que tinham parentes que mudaram de sacarina para o ASPARTAME e agora eventualmente entram em coma. Seus médicos não conseguem controlar os níveis de glicemia.
Os pacientes têm perda de memória pelo fato de que o ácido aspártico e a fenilalanina são neurotóxicos sem os outros aminoácidos encontrados nas proteínas. Eles atravessam a barreira hemato-encefálica e causam deterioração nos neurônios.

Dr. Russel Blaylock, neurocirurgião, diz: Os ingredientes estimulam os neurônios até a morte causando dano cerebral em vários níveis. Dr. Blaylock escreveu um livro intitulado: "Excitotoxinas: O Gosto que Mata". (Health Press, 1-800-643-2665).

O Dr. H. J. Roberts, especialista diabético e perito mundial em envenenamento pelo ASPARTAME, escreveu um livro intitulado: "DEFESA CONTRA A DOENÇA DE ALZHEIMER" (1-800-814-8900). Dr. Roberts mostra como o envenenamento pelo ASPARTAME está relacionado à doença de Alzheimer. E realmente está.

Mulheres de 30 anos estão sendo internadas com Alzheimer. Dr. Blaylock e Dr. Roberts estão escrevendo uma carta-posição com alguns casos relatados e vão colocá-la na Internet. De acordo com a conferência do Colégio Americano de Medicina, nós estamos falando de uma praga de doenças neurológicas causada por esse veneno mortal. Dr. Roberts descobriu o que aconteceu quando o ASPARTAME foi vendido pela primeira vez.

Ele disse que seus pacientes diabéticos apresentaram perda de memória, confusão e severa perda de visão. Na Conferência do Colégio Americano de Medicina, os médicos admitiram que não sabiam. Eles estavam procurando saber por que ataques tinham aumentado tanto (a fenilalanina do ASPARTAME diminui o limiar para a convulsão e depleta a serotonina, o que causa psicose maníaco depressiva, ataque de pânico, fúria e violência).

Antes da Conferência, eu recebi um fax da Noruega, pedindo um possível antídoto para esse veneno, porque a pessoa estava sentindo esses tantos problemas no seu País. Esse veneno, agora, está disponível em muitos países.
Felizmente, tivemos embaixadores e palestrantes na Conferência que se engajaram nesta luta.

PEDIMOS QUE VOCÊ SE ENGAJE TAMBÉM.
Imprima este artigo e avise todas as pessoas que você conhece.

Tire tudo o que contém aspartame do armário. Envie para nós sua história.

Eu asseguro que a Monsanto, criadora do ASPARTAME, sabe como ele é mortal.
Ela financia a Associação Americana de Diabetes, a Associação Americana de Dietética, o Congresso e a Conferência do Colégio Americano de Medicina.

O New York Times, em 15 de Novembro de 1996, publicou artigo a respeito de como a Associação Americana de Dietética recebe dinheiro da indústria alimentícia para endossar seus produtos. Por isso, eles não podem criticar ou falar a respeito de sua ligação com a MONSANTO.

A que ponto chega isso? Às raias da perversidade. Dissemos a uma mãe cujo filho estava usando NutraSweet que ela deveria interromper o uso do produto. A criança estava tendo convulsões diárias. A mãe telefonou para o médico, que telefonou para a Associação. E a Associação disse ao médico para não interromper o uso de NutraSweet. Estamos ainda tentando convencer a mãe que o ASPARTAME está causando as convulsões. Toda vez que interrompemos o uso do ASPARTAME, as convulsões cessam. Se o bebê morrer, sabemos de quem é a culpa, e contra quem lutamos.
Existem 92 sintomas documentados de ASPARTAME, do coma à morte. A maioria deles é neurológica, porque o ASPARTAME destrói o sistema nervoso.

A doença do ASPARTAME é parcialmente a causa da síndrome "Tempestade No Deserto". A queimação na língua e os outros sintomas discutidos em mais de 60 casos podem estar diretamente relacionados ao consumo de produtos contendo ASPARTAME. Milhares de latas de bebidas diet foram enviadas para as tropas do "Tempestade no Deserto". (Lembre-se que o calor pode liberar o metanol do ASPARTAME a 30º C.) As bebidas dietéticas foram expoStas ao sol de 45º C no deserto árabe, por semanas. Homens e mulheres de serviço bebiam isso o dia todo. Todos os sintomas deles eram semelhantes ao envenenamento por ASPARTAME.

Dr. Roberts diz que o consumo do ASPARTAME na época da concepção pode causar defeitos no feto. A FENILALANINA se concentra na placenta causando retardo mental, de acordo com o Dr. Louis Elsas, Professor de Genética Pediátrica na Universidade de Emory. Em testes de laboratório, animais desenvolvem tumores cerebrais (a fenilalanina tem um subproduto o DXP, agente causador de tumores cerebrais).
Quando o Dr. Espisto estava falando, um neurocirurgião da platéia disse:
- Encontra-se, de fato, um teor elevado de ASPARTAME nos tumores cerebrais removidos.
A STÉVIA, um adoçante natural, NÃO É UM ADITIVO, e ajuda no metabolismo do açúcar: seria ideal para os diabéticos e foi aprovada, agora, como suplemento dietético pelo FDA. Durante anos, o FDA adiou essa aprovaçÃo por causa da sua lealdade à MONSANTO."


(O texto acima foi corrigido por Nivaldo Alves Soares e Josealdo Tonholo -
Depto. Química/CCEN - Universidade Federal de Alagoas) - Campus A. C. - Simões - Tabuleiro do Martins 57.072-970 - Maceió - AL - Brasil - Fone/fax: (082) 214-1389)






[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Mensagem fantasma (era Re: Stephen Wolfram: uma nova ciencia...?)
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 28/04/2002 21:00

Recebi de volta duas mensagens que havia postado sobre Newton e a
casa da moeda, informando que não fora possível a "entrega" das
mesmas. O estranho é que continuo vendo fragmentos das mesmas na
página inicial da "ciencialist", como no trecho abaixo:

"Abr 28 Re: Stephen Wolfram: uma nova ciencia...? - Alberto
Mesquita Filho
Olá Terezinha! Eu imaginei ter postado uma resposta ontem, mas
não "

O trecho é da minha mensagem, que nunca foi postada. Observei isso em
casa e no trabalho, então o problema não é no meu computador. Deve
ter ocorrido alguma lambança no cache do servidor.

[]'s

André Baptista


--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
escreveu
> Na página inicial do grupo
> (http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/)
>
> A mensagem do Takata apareceu associada ao resumo de uma mensagem
que
> eu enviei anteontem, sobre Newton, mas que nunca apareceu na
lista...
> Aliás, minhas duas últimas mensagens não apareceram. Pelo menos não
> no arquivo on-line.
>
>
>
>
>
> --- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> > A New Kind of Science - Stephen Wolfram
> > http://www.wolframscience.com/
> > http://www.amazon.com/exec/obidos/tg/stores/detail/-
> > /books/1579550088/reviews/ref=pd_sim_books/002-3555606-4439207
> >
> > Ou uma nova pretensao?
> >
> > []s,
> >
> > Roberto Takata



SUBJECT: Re: Newton na Casa da Moeda
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 28/04/2002 21:36

Bem, tentando postar essa resposta pela terceira vez...

Na tradução em português de "A Vida de Isaac Newton" de Richard
Westfall, consta que Newton assumiu como superintendente em 1695,
sendo promovido a diretor em 1699.

[]'s

André

--- Em ciencialist@y..., "Eduardo Torres" <eftf@g...> escreveu
> No Brasil de hoje, Diretor da Casa da Moeda.
>
> Abs,
> Eduardo Torres
>
>
> ----- Original Message -----
> From: "Terezinha Costa" <terezinhac@b...>
> To: <ciencialist@y...>
> Sent: Tuesday, April 23, 2002 3:18 PM
> Subject: [ciencialist] Newton na Casa da Moeda
>
>
> Isaac Newton was Warden and later Master of the Mint from 1695 to
his death.
> Alguém saberia me dizer como se chamam em português esses cargos
que Newton
> ocupou, de 1695 até morrer?
>
> Obrigada
>
> Terezinha
>
>
>
>
>
> Terezinha Costa
> Jornalista
> Tel. e fax: (21) 2242-0478
> e-mail: terezinhac@b...
>
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@y...
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html



SUBJECT: O Lado Escuro da Lua / Paródia: Medicina Holística para PCs
FROM: "airsmither" <airdown@ig.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 00:57

Acabei escrevendo um texto meio pretensioso, envolvendo vários temas:

- "O Lado Escuro da Lua, a Grande Coincidência Cósmica e uma
Explicação Heterodoxa"
http://www.ceticismoaberto.kit.net/darkside.htm

e gostaria de saber se há algum(ns) erro(s)... Se alguém puder
conferir seria ótimo, as correções podem vir para a lista mesmo já
que seriam on-topic.

Na atualização de hoje também incluí a tradução de uma paródia:

- Medicina Holística para Computadores
http://www.ceticismoaberto.kit.net/pcholistico.htm

Abraço a todos,

MK
http://www.ceticismoaberto.kit.net



SUBJECT: Re: Aspartame
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 08:33

--- Em ciencialist@y..., Manuel Bulcão <manuelbulcao@u...> escreveu
> O que vocês acham do artigo abaixo sobre o aspartame?

Esse e' mais um mito q. nunca vai morrer.

> Quando a temperatura do ASPARTAME excede 30º C, o álcool contido no
> ASPARTAME se converte em formaldeído e daí para ácido fórmico, que
> provoca acidose metabólica (o ácido fórmico é o veneno das
> formigas).

Tto qto o alcool contido nas cervejas, remedios homeopaticos,
vodca, acucar comum, suco de laranja, sorvete, doces em geral,
pao, vinho, conhaque, espumantes...

http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/13854
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/3747
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/1185

(Meu Deus, isso em apenas uma unica lista de discussao. Devemos ter
um agente infiltrado da Kaos ou os seguidores do Illuminati ou o
pessoal da LevStevia querendo acabar com a concorrencia...)


> A toxidade do metanol imita a esclerose múltipla e as pessoas
> recebem diagnóstico errado de esclerose múltipla. A esclerose
> múltipla não se constitui em sentença de morte, mas a toxidade do
> metanol sim. No caso do lúpus sistêmico estamos percebendo que é
> quase tão grave quanto a esclerose múltipla, especialmente em
> usuários de DIET COKE e DIET PEPSI.
>
> Não é para menos, considerada a toxidade do metanol ... (As vítimas
> geralmente bebem de 3 a 4 latas destes refrigerantes por dia, ou
> mais). Nos casos de lúpus sistêmico causado pelo ASPARTAME, a
> vítima geralmente não sabe que o ASPARTAME é causa de sua doença e
> continua com seu uso, agravando o lúpus a um grau tão intenso que
> algumas vezes ameaça a vida.

Bem, vejamos. O perodixo de hidrogenio presente na agua q bebemos e'
uma das substancias mais ativas q. se conhece. Ele e' um dos
principais componentes dos chamados radicais livres. O peroxido de
hidrogenio se forma espontaneamente em diversas reacoes em meio
aquoso, incluindo por meio de fotoativacao de moleculas de agua. Ele
ataca qq substancia organica em nosso corpo provocando reacoes de
oxidacao q. pode causar desde inativacao de enzimas ate' alteracoes
geneticas q. provocam cancer de toda sorte. So' pode ser uma
conspiracao das empresas de agua mineral e das estacoes de tratamento
de agua q. deve financiar por baixo do pano a campanha de tomarmos
*três* litros de agua por dia! Sabemos o poder q. a Perrier exerce
sobre os meios de comunicacao. E o pior e' a versao carbonatada da
agua e as gaseificadas: o acido carbonico e' enganosamente tido como
um acido inofensivo, mas e' um dos principais componentes acidos da
chuva-acida!

Sabemos tbm da toxicidade do cloro adicionada 'a nossa agua. Isso sem
falar do fluor.

Sal tbm faz um mal danado ao organismo. Ha' casos bem documentados de
hipertensao cronica piorada pela ingestao de sal e diversos casos de
infarto relacionado ao consumo de sal. E isso em estudos clinicos
extensivos -- coisa q. nao existe ainda no caso do aspartame.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Direito de morrer
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 08:40

--- Em ciencialist@y..., "Fabiano Reis" <fab.reis@t...> escreveu
> Os médicos afirmaram que a paciente tem somente 1% de
> possibilidade de melhorar sua condição.

Um porcento? E' mais do q. muita gente aqui tem de
perspectiva de melhoria...

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Animais nobres ?
FROM: TARCISIO BORGES <tbs97@fisica.ufpr.br>
TO: ciencialist <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/04/2002 10:09

On Fri, 26 Apr 2002, Luiz Ferraz Netto wrote:
> Dúvida/Sugestão: por que alguns animais tem sangue azul?

Se eu não me engano é porque o oxidante do sangue é o cobre e não o
ferro. Mas deixo isso para um biólogo.


> por que o leite derrama e agua nao?

Porque o leite possui gordura, proteínas e água. Quando se esquenta o
leite as partículas de gordura se chocam e se juntam e sendo mais leve que
a água sobem e ficam na superfície impedindo a evaporação da água, quando
a água ferve ela não tem por onde escapar e derrama.


>qual a diferença entre light e diet?

Light - tem gosto ruim.
Diet - é pior ainda.

[]s
TARCISIO BORGES
tbs97@fisica.ufpr.br
Seja responsável, vote nulo.
One Ring to rule them all



SUBJECT: Re: [ciencialist] O Lado Escuro da Lua / Paródia: Medicina Holística para PCs
FROM: TARCISIO BORGES <tbs97@fisica.ufpr.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 10:35

On Mon, 29 Apr 2002, airsmither wrote:
> Acabei escrevendo um texto meio pretensioso, envolvendo vários temas:
>
> - "O Lado Escuro da Lua, a Grande Coincidência Cósmica e uma
> Explicação Heterodoxa"
> http://www.ceticismoaberto.kit.net/darkside.htm

Não li o texto ainda mas a esplicação da Lua ter sempre o mesmo lado
voltado para a Terra é que o seu centro de massa não está no centro da
esfera (que nem mesmo é esférica). Vou ler o texto para ver se encontro
esta resposta lá :)

[]s
TARCISIO BORGES
tbs97@fisica.ufpr.br
Seja responsável, vote nulo.
One Ring to rule them all



SUBJECT: Re: Animais nobres ?
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 11:00

--- Em ciencialist@y..., TARCISIO BORGES <tbs97@f...> escreveu
> On Fri, 26 Apr 2002, Luiz Ferraz Netto wrote:
> > Dúvida/Sugestão: por que alguns animais tem sangue azul?
>
> Se eu não me engano é porque o oxidante do sangue é o cobre e não o
> ferro. Mas deixo isso para um biólogo.

Bem, biologos nao entendem nada de quimica.
Na verdade, a cor dada pela hemocianina -- pigmento
respiratorio de alguns invertebrados como os crustaceos --
e' mais para esverdeada (pelo menos e' o q. meus
olhos detetam -- embora os links abaixo falem em
ser mais azulado) qdo o cobre se encontra em um estado
oxidado. (Dentro do organismo, o pigmento ira' se encontrar
em um estado reduzido normalmente, dada a baixa tensao
de oxigenio.)

A cor mais azulada normalmente e' do sangue com
hemoglobina reduzida -- individuos cianoticos, por
exemplo.

http://nas.cl.uh.edu/novotny/aph3.htm
http://www.bi.iup.edu/principles/lecture/classnotes/physiology/bloodou
t.html

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: O Lado Escuro da Lua / Paródia: Medicina Holística para PCs
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 11:04

mas a Lua nem sequer existe.

http://www.reptiles.org/~madrev/Moon/The-Mad-Revisionist.htm

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Newton na Casa da Moeda
FROM: "Terezinha Costa" <terezinhac@bridge.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/04/2002 11:05

Oi André,
obrigada por seu empenho em me responder, apesar da resistência do servidor
;-)) Vejo, por sua resposta, que o tradutor que me precedeu optou por usar
palavras contemporâneas para definir os cargos que Newton ocupou. Eu achava
que provavelmente haveria algum termo mais antigo, algo como "reitor" ou
"guardião". Mas, nesse caso, vou acompanhar a tradução que você indicou.
Muito obrigada
Terezinha
----- Original Message -----
From: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Sunday, April 28, 2002 9:36 PM
Subject: [ciencialist] Re: Newton na Casa da Moeda


Bem, tentando postar essa resposta pela terceira vez...

Na tradução em português de "A Vida de Isaac Newton" de Richard
Westfall, consta que Newton assumiu como superintendente em 1695,
sendo promovido a diretor em 1699.

[]'s

André

--- Em ciencialist@y..., "Eduardo Torres" <eftf@g...> escreveu
> No Brasil de hoje, Diretor da Casa da Moeda.
>
> Abs,
> Eduardo Torres
>
>
> ----- Original Message -----
> From: "Terezinha Costa" <terezinhac@b...>
> To: <ciencialist@y...>
> Sent: Tuesday, April 23, 2002 3:18 PM
> Subject: [ciencialist] Newton na Casa da Moeda
>
>
> Isaac Newton was Warden and later Master of the Mint from 1695 to
his death.
> Alguém saberia me dizer como se chamam em português esses cargos
que Newton
> ocupou, de 1695 até morrer?
>
> Obrigada
>
> Terezinha
>
>
>
>
>
> Terezinha Costa
> Jornalista
> Tel. e fax: (21) 2242-0478
> e-mail: terezinhac@b...
>
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@y...
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: [ciencialist] O Lado Escuro da Lua / Paródia: Medicina Holística para PCs
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/04/2002 12:46

Oi Air (vulgo Roberto:-)),

gostei bastante do texto, no contexto do STR.

Tenho algo sobre o tema (e sugiro uma leitura) em:
http://www.feiradeciencias.com.br/sala19/texto39.asp
"Estudando as marés".
Há uma outra boa 'coincidência' que pode ser acrescentada no texto em questão: a força de atração do Sol e da Lua, sobre a Terra, têm mesma ordem de grandeza. Fs/t = 0,5.Fl/t.

[]'
Léo
============
-----Mensagem Original-----
De: "airsmither" <airdown@ig.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: segunda-feira, 29 de abril de 2002 00:57
Assunto: [ciencialist] O Lado Escuro da Lua / Paródia: Medicina Holística para PCs


Acabei escrevendo um texto meio pretensioso, envolvendo vários temas:

- "O Lado Escuro da Lua, a Grande Coincidência Cósmica e uma
Explicação Heterodoxa"
http://www.ceticismoaberto.kit.net/darkside.htm

e gostaria de saber se há algum(ns) erro(s)... Se alguém puder
conferir seria ótimo, as correções podem vir para a lista mesmo já
que seriam on-topic.

Na atualização de hoje também incluí a tradução de uma paródia:

- Medicina Holística para Computadores
http://www.ceticismoaberto.kit.net/pcholistico.htm

Abraço a todos,

MK
http://www.ceticismoaberto.kit.net


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Capacitor de fluxo?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/04/2002 12:59

Alguém sabe o que é isso? Capacitor de fluxo? Carros para competição sonora? Nossa! como estou por fora!
[]'
Léo
============
-----Mensagem Original-----
De: jcjrjoe@ligbr.com.br
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: segunda-feira, 29 de abril de 2002 09:56
Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.

E-mail: jcjrjoe@ligbr.com.br
Nome: Junior
Cidade: Juiz de Fora
UF: MG
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Hobbista
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala dos links
Dúvida/Sugestão: O Que é um capacitor de Fluxo usado em carros para competicao sonora? Qual sua funçao ?


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Status Quo
FROM: "Fernando" <fsa@canbrasnet.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/04/2002 13:48

Alguém aqui poderia me dizer o que significa a palavra ou as palavras "Status Quo". Já vi escrito em vários lugares, mas ainda não sei o que significa.


---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.330 / Virus Database: 184 - Release Date: 28/02/02


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: RE: [ciencialist] Status Quo
FROM: "Jose Colucci Jr. \(Home\)" <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/04/2002 14:32

>Fernando: Alguém aqui poderia me dizer o que significa a palavra ou as
palavras "Status Quo". Já vi escrito em vários lugares, mas ainda não
sei o que significa.<

"Status quo" é uma expressão em latim que significa "o estado atual do
assunto, negócio ou questão" ou "o estado em que se achava anteriormente
a questão". Alguns exemplos ajudam a aclarar:

O futebol sempre foi incentivado pelas elites por oferecer um
escape para as tensões sociais, ajudando, assim, a manter o status quo.

Os esforços do Arcebispo de Boston para acobertar as aventuras
sexuais de seus membros visavam preservar o status quo da Igreja
Católica.

Consideraremos como posições, ou atitudes, de esquerda as que
propõem mudanças, de direita as que defendam a manutenção do status quo
ou a volta ao status quo ante. (Alberto Torres)

"...a manutenção do status quo do sistema das Nações Unidas,
utilizando parte do mecanismo da Corte para fortalecer o poder dos cinco
Estados com assento permanente no Conselho de Segurança." (Tarciso Dal
Maso Jardim)

Um profissional criativo é um questionador permanente do status
quo.





SUBJECT: Re: Capacitor de fluxo?
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 14:44

Eu conheco um q. foi utilizado em um De Lorean.

O piloto de testes se chamava Marty McFly.
Projetado por um certo Dr. Emmett Brown (nao o
von Braun).

Mas nao era exatamente pra competicao sonora.

Mais detalhes em:

http://www.bttf.com/
http://www.bttf.com/futurefeatures/19991221.htm

[]s,

Roberto Takata

--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Alguém sabe o que é isso? Capacitor de fluxo? Carros para
competição sonora? Nossa! como estou por fora!
> []'
> Léo
> ============
> -----Mensagem Original-----
> De: jcjrjoe@l...
> Para: leo@b...
> Enviada em: segunda-feira, 29 de abril de 2002 09:56
> Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.
>
> E-mail: jcjrjoe@l...
> Nome: Junior
> Cidade: Juiz de Fora
> UF: MG
> Nível de Escolaridade: Universitário
> Profissão: Hobbista
> Sala de Dúvida/Sugestão: Sala dos links
> Dúvida/Sugestão: O Que é um capacitor de Fluxo usado em carros para
competicao sonora? Qual sua funçao ?




SUBJECT: Re: [ciencialist] Status Quo
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/04/2002 14:48

----- Original Message -----
From: "Fernando"
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, April 29, 2002 1:48 PM
Subject: [ciencialist] Status Quo


> Alguém aqui poderia me dizer o que significa a palavra ou as palavras
> "Status Quo". Já vi escrito em vários lugares, mas ainda não sei o que
> significa.

Do latim:
1. status = situação, estado.
2. quo = onde (Quo vadis? = Onde vai?)

"status quo ante" = "status quo" = "o estado antes (existente)", ou ainda,
"o estado (ou a situação) no qual estávamos" ou onde estávamos e que, *se
mantido*, o estado onde permaneceremos.

Exemplos:

1) Manter o "status quo" = Manter o estado existente ou atual = Deixar como
está.

2) Os físicos modernos empenham-se excessivamente na manutenção do "status
quo". Não obstante, um dia eles acordarão e perceberão que a sua física
passou e que gnomos não existem a não ser em seus sonhos. ;-)

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm




SUBJECT: RE: [ciencialist] Capacitor de fluxo?
FROM: "Jose Colucci Jr. \(Home\)" <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 29/04/2002 14:52

>Léo: Alguém sabe o que é isso? Capacitor de fluxo? Carros para
competição sonora? Nossa! como estou por fora!<

Imagino que "Capacitor de Fluxo" seja a tradução de "stiffening
capacitor". Trata-se de um capacitor eletrolítico de valor alto --
alguns milhares de microfarads, chegando a 1 Farad (maior em tamanho do
que uma lata de cerveja) --, colocado em paralelo com a alimentação do
amplificador de áudio. Serve para suprir a corrente de pico durante os
transientes e manter a tensão de alimentação constante, já que os
amplificadores de automóvel funcionam com 12 VCC, e a corrente drenada é
alta e pode resultar em queda na tensão de alimentação devido à
resistência dos cabos e a resistência interna da bateria. Em teoria
melhora os graves. Na prática, bem, na prática é um assunto para outro
e-mail. O que falta aos admiradores do chamado "high-end audio" é um
pouco de ceticismo, ouvidos e conhecimento científico.

Colucci



SUBJECT: RN: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 14:57

Aumenta número de casos de autismo diagnosticados nos EUA
(Revista Time)
http://www.uol.com.br/time/ult640u133.shl


"Há não muito tempo, o autismo era considerado comparativamente raro,
afetando apenas 1 em cada 10 mil pessoas. Mas recentes estudos
sugerem que até 1 em cada 150 crianças com dez anos ou menos podem
ser afetadas pelo autismo ou desordens relacionadas - um total de
cerca de 300 mil crianças somente nos Estados Unidos. Se incluir os
adultos, segundo a Autism Society of America (Sociedade de Autismo da
América), mais de um milhão de pessoas nos Estados Unidos sofrem de
uma das desordens autistas (também conhecidas como desordens
abrangentes do desenvolvimento). O problema é cinco vezes mais comum
que a síndrome de Down e três vezes mais comum que a diabete juvenil."




SUBJECT: Re: [ciencialist] RN: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: Nicolau Werneck <nwerneck@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 17:44

> Aumenta número de casos de autismo diagnosticados
> nos EUA (Revista Time)

Eu apostaria que tem mais a ver com um maior interesse
no assunto, alargamento da abrangência do termo
"autismo", e conseqüente aumento no número de
constatações da síndrome, do que um real aumento da
incidência da própria... Estou errado?

++Nicolawn



_______________________________________________________________________
Yahoo! Encontros
O lugar certo para você encontrar aquela pessoa que falta na sua vida. Cadastre-se hoje mesmo!
http://br.encontros.yahoo.com/


SUBJECT: Bem-vindos
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 29/04/2002 21:38

Nos ultimos dois dias entraram mais de 20 pessoas para a lista
devido a um atraso no cadastro.

Todos sao bem-vindos.

Se alguem desejar fazer alguma apresentacao, fique a vontade.

Ateh mais
Luis Brudna - administrador da Ciencialist




SUBJECT: RES: [ciencialist] Sufixo dos instrumentos de medida
FROM: "Wellington" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 00:34

Realmente, fui precipitado. :)
Havia esquecido desses "pequenos detalhes".

[ ]'s
Wellington
fis02140@feg.unesp.br

-----Mensagem original-----
De: Luiz Ferraz Netto [mailto:leo@barretos.com.br]
Enviada em: quarta-feira, 24 de abril de 2002 15:36
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Assunto: Re: [ciencialist] Sufixo dos instrumentos de medida




| Olá Luiz,
|
| E quanto ao micrômetro (instrumento para medir pequenas distâncias)? Como
| vê, termina em "ômetro", mas faz uma medição direta.
|
| [ ]'s
| Wellington Nogueira
| Física - UNESP

Ola Well,
a medição de pequenas distâncias lineares pelo micrômetro não é direta; está
relacionada com a rotação de um parafuso micrométrico. Em 'correspondência'
a "tantos graus de rotação" tem-se uma "translação de tanto". É essa
correspondência que torna a medição indireta. A cada passo do parafuso
(afastamento linear) faz-se corresponder um giro de 360° na manga.
Via de regra o passo tem extensão 1 mm.
Noto que, se vc não se utilizar das marcações angulares na gola da manga e
apenas se utilizar do afastamento linear, realmente o aparelho faria uma
medição direta ... e não prestaria para nada, pois não permitiria avaliar as
frações do milímetro.
É mesmo "micrômetro"! E dele deriva o esferômetro, para medida indireta do
raio de curvatura de espelhos esféricos (e posteriormente da distância
focal).

[]'
Léo



&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: RE: [ciencialist] RN: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 00:36

>Nicolau Werneck: Eu apostaria que tem mais a ver com um maior interesse
no assunto, alargamento da abrangência do termo "autismo", e conseqüente
aumento no número de constatações da síndrome, do que um real aumento da
incidência da própria... Estou errado?<

Um artigo da revista Wired (ver link) afirmou que há uma incidência
acima do normal de autismo e síndrome de Asperger (frequentemente
diagnosticada como autismo, mas diferente deste) nos filhos de pessoas
com inclinação analítica e matemática. Crianças autistas são muito
comuns no Vale do Silício, polo de alta tecnologia na Califórnia.

Embora seja certo que há uma predisposição genética para o autismo, há
controvérsias quanto ao que parece ser uma incidência aumentada em
tempos recentes. As hipóteses variam desde melhor diagnóstico a fatores
ambientais, vacinas, alimentos industrializados e poluição industrial.

Colucci


The Geek Syndrome:
http://www.wired.com/wired/archive/9.12/aspergers.html





SUBJECT: Fwd: Re: Deus Ex Machina
FROM: Luiz Eduardo Carvalho <luizeduardo@alternex.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 30/04/2002 10:10


> > >Ja que tu ta gastando o latim, me ajuda aqui...
> >
> > E pra Deus ex-machina... que explicação voce pode dar?





>Olá, Luiz Eduardo
>
>Infelizmente nenhuma. O "status quo" é moleza, pois é muito usado em
>inúmeras situações. Mas o "Deus ex-machina" eu nunca ouvi e não sou
>"latinista juramentado" nem linguista. Aliás, nos dias atuais nem padre fala
>latim. Na minha juventude o latim era uma língua morta, porém ficava exposta
>por aí, e tínhamos aulas de latim no curso secundário; mas hoje o latim já
>foi enterrado.
>
>Sinto muito :-(
>
>[ ]´s
>Alberto
>http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: TAKATA... Ex Machina
FROM: Luiz Eduardo Carvalho <luizeduardo@alternex.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 30/04/2002 10:30

At 14:28 30/04/02 +0000, you wrote:
>--- Em ciencialist@y..., Luiz Eduardo Carvalho <luizeduardo@a...> > >
> > E pra Deus ex-machina... que explicação voce pode dar?
>
>Literalmente: Deus por meio de uma maquina.
>
>No teatro grego antigo, muitas vezes, um ator
>representando uma divindade descia ao palco
>suspenso por cordas manipuladas por um mecanismo
>de alavancas e polias. Essa personagem acabava
>resolvendo a trama complicada com seus poderes
>divinos.
>
>Atualmente essa expressao representa solucoes
>milagrosas -- aplicada especialmente em
>tramas dramaticas ou cinematograficas, qdo
>o autor complica tto o enredo q. nao consegue
>mais resolver de modo q. nao apele a poderes
>sobrenaturais, eventos inacreditaveis ou
>coisas afins. Mas pode ser utilizada tbm como
>'a setima cavalaria', um evento salvando alguem de uma
>enrascada q. se arrasta por algum
>tempo quase q. por milagre.
>
>[]s,
>
>Roberto Takata


MANDOU BEM, TAKATA.
EU SABIA QUE ERA MAIS OU MENOS ISSO.
MAS NAO COM TANTA CLAREZA.
PARABENS.
VOCE TEM NAO SO CONHECIMENTO...
ABRAÇO,
L.E.


SUBJECT: RES: [ciencialist] Bem-vindos
FROM: "Wellington" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 10:55

Eu já enviei uma mensagem, apesar de já estar cadastrado há alguns dias.
Estou mais lendo do que escrevendo.
Entrei este ano em Física. Uma coisa que chamou a minha atenção aqui, foi o
fato da Física Moderna ser tão "combatida", o que acho saudável
(questionamentos).
Na verdade estou louco para entrar nesse assunto na faculdade, mas por
enquanto estou estudando bem a clássica. Mas com certeza ficarei mais atento
quando chegar essa hora.

[ ]'s
Wellington
fis02140@feg.unesp.br

-----Mensagem original-----
De: brudna [mailto:lrb@iq.ufrgs.br]
Enviada em: segunda-feira, 29 de abril de 2002 21:38
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Assunto: [ciencialist] Bem-vindos


Nos ultimos dois dias entraram mais de 20 pessoas para a lista
devido a um atraso no cadastro.

Todos sao bem-vindos.

Se alguem desejar fazer alguma apresentacao, fique a vontade.

Ateh mais
Luis Brudna - administrador da Ciencialist



&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: Fwd: Re: Deus Ex Machina
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 30/04/2002 12:16

Essas garatujices podem ser conferidas no
sitio do Dicionario Michaelis:

http://www.uol.com.br/michaelis/expressoes.htm

Ou em Sua Língua do professor Cláudio Moreno:

http://www.terra.com.br/sualingua/

Alem de outros.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Fwd: Re: Deus Ex Machina
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 30/04/2002 12:24

Essas garatujices podem ser conferidas no
sitio do Dicionario Michaelis:

http://www.uol.com.br/michaelis/expressoes.htm

Ou em Sua Língua do professor Cláudio Moreno:

http://www.terra.com.br/sualingua/

Alem de outros.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: RN: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 30/04/2002 12:47

--- Em ciencialist@y..., "Jose Colucci Jr." <j.colucci@r...> escreveu
> Um artigo da revista Wired (ver link) afirmou que há uma incidência
> acima do normal de autismo e síndrome de Asperger (frequentemente
> diagnosticada como autismo, mas diferente deste) nos filhos de
pessoas
> com inclinação analítica e matemática.

É possível que carreiras em computação e matemática sirvam de refúgio
para pessoas com um "asperger" leve - uma certa inabilidade e
indisposição social. Essas pessoas tenderiam a ter filhos com formas
mais agudas da síndrome. Então não necessariamente o "asperger" está
ligado à inclinação matemática - pessoas talentosas em matemática
podem muito bem optar por uma carreira em administração, direito ou
qualquer outra - mas as carreiras em computação e matemática (e
outras atividades como xadrez e decifragem de hieróglifos) tenderiam
a concentrar as pessoas com talento matemático combinado com
inabilidade social.

Crianças autistas são muito
> comuns no Vale do Silício, polo de alta tecnologia na Califórnia.
>
> Embora seja certo que há uma predisposição genética para o autismo,

> controvérsias quanto ao que parece ser uma incidência aumentada em
> tempos recentes. As hipóteses variam desde melhor diagnóstico a
fatores
> ambientais, vacinas, alimentos industrializados e poluição
industrial.
>

Segundo o artigo da Time, 60% dos gemêos idênticos em que um é
autista o outro também é. E em 75% dos idênticos em que um é autista
o outro tem alguma deficiencia relacionada, ainda que branda. Isso
siginifica que 25% escapam completamente, mesmo possuíndo todos os
genes - o desafio é descobrir porquê.


[]´s

André






SUBJECT: Re: RN: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 30/04/2002 13:05

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> Segundo o artigo da Time, 60% dos gemêos idênticos em que um é
> autista o outro também é. E em 75% dos idênticos em que um é
> autista o outro tem alguma deficiencia relacionada, ainda que
> branda. Isso siginifica que 25% escapam completamente, mesmo
> possuíndo todos os genes - o desafio é descobrir porquê.

Esses dados assim nao quer dizer muita coisa.
Se 60% dos irmaos q. nao sao gemeos tbm compartilhassem
a tendencia ao autismo, os genes teriam pouco a ver
com isso.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Newton na Casa da Moeda
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 30/04/2002 14:35

--- Em ciencialist@y..., "Terezinha Costa" <terezinhac@b...> escreveu
> Oi André,
> obrigada por seu empenho em me responder, apesar da resistência do
servidor
> ;-)) Vejo, por sua resposta, que o tradutor que me precedeu optou
por usar
> palavras contemporâneas para definir os cargos que Newton ocupou.

Disponha, Terezinha ;-))

Pelo que eu entendi você está traduzindo a mesma obra? Ou outra
biografia de Newton?

[]´s

André



Eu achava
> que provavelmente haveria algum termo mais antigo, algo
como "reitor" ou
> "guardião". Mas, nesse caso, vou acompanhar a tradução que você
indicou.
> Muito obrigada
> Terezinha
> ----- Original Message -----
> From: "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> To: <ciencialist@y...>
> Sent: Sunday, April 28, 2002 9:36 PM
> Subject: [ciencialist] Re: Newton na Casa da Moeda
>
>
> Bem, tentando postar essa resposta pela terceira vez...
>
> Na tradução em português de "A Vida de Isaac Newton" de Richard
> Westfall, consta que Newton assumiu como superintendente em 1695,
> sendo promovido a diretor em 1699.
>
> []'s
>
> André
>
> --- Em ciencialist@y..., "Eduardo Torres" <eftf@g...> escreveu
> > No Brasil de hoje, Diretor da Casa da Moeda.
> >
> > Abs,
> > Eduardo Torres
> >
> >
> > ----- Original Message -----
> > From: "Terezinha Costa" <terezinhac@b...>
> > To: <ciencialist@y...>
> > Sent: Tuesday, April 23, 2002 3:18 PM
> > Subject: [ciencialist] Newton na Casa da Moeda
> >
> >
> > Isaac Newton was Warden and later Master of the Mint from 1695 to
> his death.
> > Alguém saberia me dizer como se chamam em português esses cargos
> que Newton
> > ocupou, de 1695 até morrer?
> >
> > Obrigada
> >
> > Terezinha
> >
> >
> >
> >
> >
> > Terezinha Costa
> > Jornalista
> > Tel. e fax: (21) 2242-0478
> > e-mail: terezinhac@b...
> >
> >
> >
> > [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
> >
> >
> > &&& --- &&&
> > VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> > http://www.ciencialist.hpg.com.br
> > Para sair da lista envie um mail para
> > ciencialist-unsubscribe@y...
> > &&& --- &&&
> >
> > Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> > http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@y...
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html



SUBJECT: Re: [ciencialist] Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 16:02

----- Original Message -----
From: "Wellington"
Sent: Tuesday, April 30, 2002 10:55 AM
Subject: RES: [ciencialist] Bem-vindos

> Eu já enviei uma mensagem, apesar de já estar cadastrado há alguns dias.

Bem vindo ao Paraíso Perdido.

> Estou mais lendo do que escrevendo.
> Entrei este ano em Física. Uma coisa que chamou a minha atenção aqui, foi
> o fato da Física Moderna ser tão "combatida", o que acho saudável
> (questionamentos).

Cuidado com esse "saudável", do contrário mandá-lo-ão para a fogueira logo
logo. ;-))

Eu diria que a Física Moderna aqui é mais defendida do que combatida, mas
esse é um ponto de vista pessoal. Aliás, o que aconteceu há cerca de 1 ou 2
anos foi que eu comecei a divulgar as minhas idéias na Ciencialist (e também
no uol.ciencia) e a galera julgou que eu estava indo contra a física moderna
(o que, por tabela, não deixa de ser uma meia verdade). E a galera começou a
dizer que as minhas idéias "não podiam" ser verdadeiras porque iam contra a
física moderna. Ora, e eu com isso? A partir dessa ilogicidade aqui
observada (defesa da física moderna no lugar de críticas às minhas idéias)
fui obrigado a dizer o que penso dessa física moderna e não deu outra.

Não estou aqui para agradar os físicos modernos e sim para mostrar que eles
podem estar errados, e não tenho dúvidas de que estão errados, apesar de
possuirem um modelo que *algumas vezes* dá certo "sem que saibam onde,
quando e nem porquê". E como você está começando a estudar física,
prepare-se pois será exatamente a sua geração a mais afetada pela revolução
que vem por aí. E prepare-se para mostrar para os seus professores que ou
eles de alguma maneira se tocam, passando então a questionar os dogmas que
engoliram em sua juventude acadêmica e a procurar por outras saídas, ou
eles serão engolidos pelo maremoto que se aproxima. Não digo que eu estou
certo. Repito sim que eles estão totalmente errados, e isso é o que se vê no
dia-a-dia, basta acompanhar a evolução da física nos últimos 10 anos. Diria
que eles estão tentando fazer massagem cardíaca em um cadáver.

> Na verdade estou louco para entrar nesse assunto na faculdade, mas por
> enquanto estou estudando bem a clássica. Mas com certeza ficarei mais
> atento quando chegar essa hora.

Cuidado apenas com a lavagem cerebral. Via de regra ela começa justamente em
meio ao estudo da física clássica. Tome muito cuidado quando qualquer de
seus professores disser que a física clássica não funciona em determinadas
condições. Tente perceber o que é que eles estão chamando por física
clássica e verifique que trata-se de um "modelo clássico" proposto para
funcionar em condições específicas. E estava em voga entre os físicos do
século XIX (com algumas exceções importantes, como Maxwell e Boltzmann
dentre outros) que esse modelo (a incluir a ação à distância não
intermediada por nada) deveria funcionar sempre (por exemplo, para
partículas elementares e/ou a elevadas velocidades). Sem dúvida, esse modelo
não consegue explicar coisas que Newton já previra que poderia acontecer,
caso não tomassem certos cuidados. Não digo que o modelo está errado mas que
as três leis de Newton ou deveriam ser escritas de outra forma ou então não
serem interpretadas ao pé da letra. Nesta nova maneira de escrever talvez
fosse interessante incluir uma quarta lei a justificar o observado "efeito
retardado dos campos" (ação e reação não concomitantes para corpos não em
contato), o que é normalmente feito em eletromagnetismo mas não em
gravitação e no estudo de campos em geral.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Newton na Casa da Moeda
FROM: "Terezinha Costa" <terezinhac@bridge.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 17:01

Na verdade, estou traduzindo um livro sobre livro sobre história econômica.
Newton só aparece incidentalmente.
Abs.
Terezinha
----- Original Message -----
From: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Tuesday, April 30, 2002 2:35 PM
Subject: [ciencialist] Re: Newton na Casa da Moeda


--- Em ciencialist@y..., "Terezinha Costa" <terezinhac@b...> escreveu
> Oi André,
> obrigada por seu empenho em me responder, apesar da resistência do
servidor
> ;-)) Vejo, por sua resposta, que o tradutor que me precedeu optou
por usar
> palavras contemporâneas para definir os cargos que Newton ocupou.

Disponha, Terezinha ;-))

Pelo que eu entendi você está traduzindo a mesma obra? Ou outra
biografia de Newton?

[]´s

André



Eu achava
> que provavelmente haveria algum termo mais antigo, algo
como "reitor" ou
> "guardião". Mas, nesse caso, vou acompanhar a tradução que você
indicou.
> Muito obrigada
> Terezinha
> ----- Original Message -----
> From: "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> To: <ciencialist@y...>
> Sent: Sunday, April 28, 2002 9:36 PM
> Subject: [ciencialist] Re: Newton na Casa da Moeda
>
>
> Bem, tentando postar essa resposta pela terceira vez...
>
> Na tradução em português de "A Vida de Isaac Newton" de Richard
> Westfall, consta que Newton assumiu como superintendente em 1695,
> sendo promovido a diretor em 1699.
>
> []'s
>
> André
>
> --- Em ciencialist@y..., "Eduardo Torres" <eftf@g...> escreveu
> > No Brasil de hoje, Diretor da Casa da Moeda.
> >
> > Abs,
> > Eduardo Torres
> >
> >
> > ----- Original Message -----
> > From: "Terezinha Costa" <terezinhac@b...>
> > To: <ciencialist@y...>
> > Sent: Tuesday, April 23, 2002 3:18 PM
> > Subject: [ciencialist] Newton na Casa da Moeda
> >
> >
> > Isaac Newton was Warden and later Master of the Mint from 1695 to
> his death.
> > Alguém saberia me dizer como se chamam em português esses cargos
> que Newton
> > ocupou, de 1695 até morrer?
> >
> > Obrigada
> >
> > Terezinha
> >
> >
> >
> >
> >
> > Terezinha Costa
> > Jornalista
> > Tel. e fax: (21) 2242-0478
> > e-mail: terezinhac@b...
> >
> >
> >
> > [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
> >
> >
> > &&& --- &&&
> > VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> > http://www.ciencialist.hpg.com.br
> > Para sair da lista envie um mail para
> > ciencialist-unsubscribe@y...
> > &&& --- &&&
> >
> > Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> > http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@y...
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 30/04/2002 17:02

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> Eu diria que a Física Moderna aqui é mais defendida do que
> combatida, mas esse é um ponto de vista pessoal.

Bem, tem vc e o Taborda. Entre os q. defendem estao
o Borges e o Colucci. Acho q. deu empate.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: "Novas teorias"
FROM: "Luis Roberto Brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 17:32

Falando em "teorias novas" ai vai uma
http://www.quimica.matrix.com.br/artigos/colaboracoes/josecarlos/index.html

Eu soh li o inicio.. achei meio estranha. :)

O texto completo estah em
http://www.qmcweb.kit.net/download/tgbfq.zip

Quando tiver tempo leio mais.

Se alguem tiver paciencia de ler... pode passar um resumo aqui pra lista.
:)

Ateh
Luis Brudna

----- Original Message -----
From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Tuesday, April 30, 2002 4:02 PM
Subject: Re: [ciencialist] Bem-vindos


> ----- Original Message -----
> From: "Wellington"
> Sent: Tuesday, April 30, 2002 10:55 AM
> Subject: RES: [ciencialist] Bem-vindos
>
> > Eu já enviei uma mensagem, apesar de já estar cadastrado há alguns dias.
>
> Bem vindo ao Paraíso Perdido.
>
> > Estou mais lendo do que escrevendo.
> > Entrei este ano em Física. Uma coisa que chamou a minha atenção aqui,
foi
> > o fato da Física Moderna ser tão "combatida", o que acho saudável
> > (questionamentos).




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 21:15

----- Original Message -----
From: "rmtakata"
Sent: Tuesday, April 30, 2002 5:02 PM
Subject: [ciencialist] Re: Bem-vindos


"Alberto Mesquita Filho"
> > Eu diria que a Física Moderna aqui é mais defendida do que
> > combatida, mas esse é um ponto de vista pessoal.

> Bem, tem vc e o Taborda. Entre os q. defendem estao
> o Borges e o Colucci. Acho q. deu empate.

Olá, Takata

Como disse na mensagem anterior, estava me referindo à história de 1 a 2
anos de Ciencialist ("o que aconteceu há cerca de 1 ou 2 anos foi que eu
comecei a divulgar as minhas idéias na Ciencialist..."). O Sergio Taborda
surgiu bem depois disso e nunca me pareceu que ele fosse um físico a
combater a física moderna e/ou a defender a física clássica. Simplesmente
ele tem uma versão própria de física moderna, mas isso é o que mais existe
por aí. Aliás, excetuando-se alguns dogmas comuns, não existe um físico
moderno que pense de maneira sequer semelhante à de qualquer outro (essa é
outra característica de uma teoria que está caminhando para um fim
inexorável - eles não conseguem sequer chegar ao consenso). O Colucci também
surgiu há pouco tempo na Ciencialist e não me parece ser um defensor
fanático da física moderna. Lembro-me de um de seus posicionamentos:
"Algumas observações, mais para provocar o questionamento, de um não físico"
(msg 13525). E acho que até mesmo o Borges, se bem que ele tenha tentado me
colocar em xeque algumas vezes, poderia ser enquadrado entre os defensores
ferrenhos da física moderna.

É possível que os defensores a que me referi não estejam mais por aqui
(aliás, o Holanda, pelo visto, está retornando), mas creio que a contagem, a
meu ver, daria uns 10x1 (e esse 1 certamente não é o Taborda), mesmo sem
contar o Borges e o Colucci pelos motivos apontados. Se duvida, é só
pesquisar nas cerca de 14000 mensagens postadas. ;-) Por outro lado, quando
falei em galera ("a galera julgou que eu estava indo contra a física
moderna") não estava me referindo apenas aos físicos. Mesmo porque, se for
considerar apenas os físicos não poderei sequer computar o meu voto. Se
considerarmos os não físicos e, entre todos, os defensores moderados da
física moderna ou clássica, (e nesse caso poderia talvez incluir o Colucci
ou o Borges) talvez a contagem chegasse nos 20x1, talvez 20x3.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Desaparecimento
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 21:48

In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br> wrote

"Nao encontrei nada de errado em sua conta."

Muito obrigado pela amabilidade de sua resposta. Felizmente o assunto já
está arrumado e esclarecido. Foi uma falha regional de yahoo, que depois
avisou e se desculpou pelas molestias. A sorte é que o sangue não chegou ao
rio. Tudo bem.

[ ]s

Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar




SUBJECT: RE: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 30/04/2002 23:40

>Alberto Mesquita Filho: Aliás, excetuando-se alguns dogmas comuns, não
existe um físico moderno que pense de maneira sequer semelhante à de
qualquer outro (essa é outra característica de uma teoria que está
caminhando para um fim inexorável - eles não conseguem sequer chegar ao
consenso). O Colucci também surgiu há pouco tempo na Ciencialist e não
me parece ser um defensor fanático da física moderna.<

Alberto,

Embora não endosse completamente as suas opiniões sobre a física
moderna, eu vejo mérito nelas. Não tenho o conhecimento mínimo para
decidir de um lado ou de outro com base em teorias específicas, mas numa
coisa concordo com você: a física contemporânea atravessa uma séria
crise. Mesmo o leigo, quando vê os esforços desesperados dos físicos
para resolver o problema dos infinitos (na quantização dos campos
gravitacionais, por exemplo) através de renormalização e outras
bruxarias matemáticas, não pode deixar de perguntar se não estão
decorando a suíte de um prédio prestes a ruir. O livro de Brian Greene
("The Elegant Universe") deixa claro essa dificuldade, para quem o leu
nas entrelinhas. A dificuldade de entender as ferramentas da física
contemporânea é de tal ordem que sobra pouca energia, àqueles que se
dispõem a fazê-lo, de questionar o modelo.

O que eu acho, porém, é que a solução não é a volta à física newtoniana,
ou mesmo a uma versão reformada desta. Minha base para essa afirmação é
metodológica. A física, ou, generalizando, a ciência, não dá a mínima
para as dificuldades que possamos ter em aceitar uma idéia. Se o modelo
apresenta coerência interna, explica os fenômenos observados e apresenta
poder preditivo, ele é válido ainda que ofenda a nossa intuição.
Intuição é importante, mas muda com o Zeitgeist. Não vejo no modelo
newtoniano qualquer outra vantagem além de ser palatável ao intelecto
humano.

Uma coisa me chamou a atenção em sua mensagem, quando você diz: "Nesta
nova maneira de escrever [as leis de Newton] talvez fosse interessante
incluir uma quarta lei a justificar o observado "efeito retardado dos
campos" (ação e reação não concomitantes para corpos não em contato)". A
proposta me parece um pouco precipitada no caso da gravitação, essencial
para Newton. Não há prova de que existam ondas gravitacionais e de que
tenham velocidade finita. Aqui é onde você vai achar o maior divisão
entre os físicos contemporâneos. Uma turma anda atrás da famosa
partícula sem massa de spin-2, o gráviton; a outra acha que a gravidade
é um efeito da curvatura do espaço, e não depende da troca de
partículas. Por essa última teoria, tudo é gravidade. Você tem algo
escrito sobre essa sua proposta?

Você tem sido um debatedor perspicaz e ao mesmo tempo elegante. Continue
botando minhoca na cabeça da moçada. Afinal, como dizia Nelson
Rodrigues, toda a unanimidade é burra.

Um abraço,
Colucci





SUBJECT: Re: [ciencialist] RN: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 00:22

In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
wrote:
"Embora seja certo que há uma predisposição genética para o autismo, há
controvérsias quanto ao que parece ser uma incidência aumentada em
tempos recentes. As hipóteses variam desde melhor diagnóstico a fatores
ambientais, vacinas, alimentos industrializados e poluição industrial."

José,

Não sei porque as pessoas não falam de uma das classes de autismo que se
chama psicogênico, que existe e foi estudado profundamente por uma
pesquisadora britânica chamada Frances Tustin, que, entre tantas coisas que
descobriu sobre o autismo psicogênico, estabeleceu normas e procedimentos
para o diagnóstico diferencial entre este e os demais autismos de origens
orgânica e genética. Escreveu varios livros sobre a psicoterapia do autismo
psicogênico e sobre o que ela chamou de barreiras autistas em pacientes
neuróticos. Esta senhora postulou que, em algumas pessoas exite uma especie
de "cápsula autista" de tipo psicogênico que não danifica a personalidade
como um todo.

Descobri numa paciente minha uma dessas "cápsulas" e o tratamento chegou a
bom termo com remissão sintomática. O sintoma básico era fechar-se no
banheiro e ficar buscando espinhas profundas para eliminá-las. O problema é
que esta pessoa podia estar entre oito e dez horas no banheiro sem se dar
conta da passagem do tempo.

Se alguem fizer bons estudos epidemiológicos poderá inclusive determinar os
fatores predisponentes culturais e existenciais que incidem no aumento da
ocorrencia de autismo.

[ ]s

Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar




SUBJECT: Re: [ciencialist] RN: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 00:45

In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Nicolau Werneck" <nwerneck@yahoo.com.br>
wrote:

> ... , alargamento da abrangência do termo
> "autismo", e conseqüente aumento no número de
> constatações da síndrome, do que um real aumento da
> incidência da própria... Estou errado?

Nicolau,

Creio que Vc. não está tão errado. Algo do que Vc. disse, deve haver, mas
não esqueça que os métodos diagnósticos estão melhorando. Muitos casos que
não eram conhecidos, se tornaram mais faceis de evidenciar. Talvez o
melhoramento da precisão no diagnóstico tenha produzido uma falsa impressão
de aumento do número de casos.

Por outro lado, um dos tipos de autismo é o denominado autismo psicogênico
que bem poderia haver aumentado por um aumento dos fatores desencadeantes
culturais.

[ ]s

Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar




SUBJECT: Re: [ciencialist] Desaparecimento
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 01:06

In ciencialist@yahoogrupos.com.br, Terezinha Costa"
<terezinhac@bridge.com.br> wrote:

> Uma das possibilidades é você ter, inadvertidamente, bloqueado a recepção
> das mensagens provenientes desse endereço.

Terezinha,

Muito obrigado pelo seu interesse. Fiz o que Vc. sugeriu e o que outras
pessoas da lista também sugeriram. Encontrei outros erros, mas felizmente
tudo se esclareceu quando yahoo mandou uma mensagem regional dizendo que
tinha havido falhas e pedia desculpas pela interrupção temporaria da
recepção de mails. Tudo voltou à normalidade e agora estou com 835 mensagens
para ler.

[ ]s
Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar





SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 04:37

----- Original Message -----
From: "Jose Colucci Jr."
Sent: Tuesday, April 30, 2002 11:40 PM
Subject: RE: [ciencialist] Re: Bem-vindos

> O que eu acho, porém, é que a solução não é a volta à física newtoniana,
> ou mesmo a uma versão reformada desta. Minha base para essa afirmação é
> metodológica. A física, ou, generalizando, a ciência, não dá a mínima
> para as dificuldades que possamos ter em aceitar uma idéia. Se o modelo
> apresenta coerência interna, explica os fenômenos observados e apresenta
> poder preditivo, ele é válido ainda que ofenda a nossa intuição.

Concordo em termos, e supondo que este seja o único modelo a explicar os
fenômenos observados. Não obstante, havendo dois modelos, a evolução para a
escolha do mais apropriado é inexorável (seleção natural). A física moderna
já deu o que tinha que dar e somente não foi substituída por outra porque a
grande maioria dos físicos ainda não visualizou uma outra saída. Do
contrário, o modelo já teria sido abandonado, assim como o modelo dos
epiciclos que também funciona até hoje. E eu lhe digo que o modelo
newtoniano responde a todas as dúvidas que assombraram os físicos do final
do século XIX. É suficiente abandonar o dogma de Cotes (ação instantânea a
distância) e o decreto de Lorentz (suposição de que o modelo de fluidos
elétricos explicaria a física de partículas elementares). Nem o dogma de
Cotes nem o decreto de Lorentz são pressupostos firmados pela física
newtoniana. O mesmo não posso dizer com relação a muitas das versões da
física moderna. Por exemplo: elimine o decreto de Lorentz e não restará
pedra sobre pedra da física do século XX.

> Uma coisa me chamou a atenção em sua mensagem, quando você diz: "Nesta
> nova maneira de escrever [as leis de Newton] talvez fosse interessante
> incluir uma quarta lei a justificar o observado "efeito retardado dos
> campos" (ação e reação não concomitantes para corpos não em contato)". A
> proposta me parece um pouco precipitada no caso da gravitação, essencial
> para Newton.

Comento alguma coisa em:
O Espaço Curvo Euclidiano e a Relatividade Galileana:
http://ecientificocultural.com/Relat/espaco_curvo01.htm

e também em http://ecientificocultural.com/ECC2/Dialogos/ME/me32.htm . Neste
caso o assunto está embaralhado em várias mensagens (Ciencialist) e as
mensagens relacionadas ao tema gravitação são indicadas seqüencialmente no
rodapé (com links para as mesmas).

Não é muito mas é o que tenho no momento.

> Não há prova de que existam ondas gravitacionais e de que
> tenham velocidade finita.

Classicamente falando diria que não há a necessidade da existência de
"ondas" gravitacionais. Sob o ponto de vista moderno não digo nada, pois nem
os físicos modernos sabem o significado físico daquilo que chamam "onda".
Quanto à velocidade da comunicação, também poderia dizer que não há nenhuma
prova de que seja infinita. O que existem são fenômenos observados que podem
ou não serem explicados assumindo-se uma ou outra hipótese. Durante muito
tempo afirmou-se gratuitamente que a física clássica não explicaria certos
fenômenos. Hoje estou afirmando que ela explica todas as impossibilidades
descritas pelos físicos do final do século XIX e início do século XX.
Agradeceria muito se algum físico conseguisse demonstrar incoerências nas
minhas explicações, mas parece que eles estão mais preocupados em que eu
explique a possível existência de táquions, o efeito Casimir, o vácuo
quântico, os condensados de bósons, as dimensões paralelas, a curvatura do
espaço, a origem da matéria a partir do nada (matéria + antimatéria), etc.
Não só não disponho de tempo para explicar tudo isso como também não é do
meu estilo estudar temas esotéricos, se bem que vez por outra esbarre com
explicações clássicas a contraporem-se a esses efeitos gnomológicos.

> Aqui é onde você vai achar o maior divisão
> entre os físicos contemporâneos. Uma turma anda atrás da famosa
> partícula sem massa de spin-2, o gráviton; a outra acha que a gravidade
> é um efeito da curvatura do espaço, e não depende da troca de
> partículas. Por essa última teoria, tudo é gravidade. Você tem algo
> escrito sobre essa sua proposta?

Vide acima.

> Você tem sido um debatedor perspicaz e ao mesmo tempo elegante. Continue
> botando minhoca na cabeça da moçada.

;-) Valeu.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Ciencia e arte
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 07:04


Há quem diga que todo cientista *teorizador* carrega um artista dentro de
si, ou que a intuição voltada para a ciência confunde-se, sob certos
aspectos, com a intuição voltada para a arte. Einstein, por exemplo, tocava
violino (já ouvi dizerem que era um péssimo violinista, mas pelo menos
tocava); Planck tocava piano; Feynmann tocava bongô; Mário Schemberg pintava
quadros; Jourdain fazia poesias; Leonardo da Vinci... fazia ciência; e por
aí vai.

A maioria dos que me conhecem parece não valorizar muito o meu lado
científico. Quem sabe gostem do meu lado artístico. Convido-os então a lerem
o meu romance "Chamberland e o Paraíso Perdido", que está na versão uol do
Espaço Científico Cultural, em http://sites.uol.com.br/albmesq/
Lembro que romance é ficção e qualquer semelhança com pessoas ou fatos da
vida real é mera coincidência.

Comentários serão bem-vindos. Correções idem.

Apenas para dar água na boca dos que gostam de romance, deixo abaixo o
prólogo.

[ ]´s
Alberto
Espaço Científico Cultural
Versão ecientificocultural: http://ecientificocultural.com/indice.htm
Versão uol: http://sites.uol.com.br/albmesq/
É possível da home page de um ir para o outro e vice-versa.


¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤
¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

PRÓLOGO

DESVENDADO O SUSPENSE, a platéia murchou! Tratava-se de
uma conferência sobre Chamberland, mundo recém descoberto e envolto por
muitos mistérios.

Terra de infinitos contrastes, Chamberland poderia ter
sido o paraíso terrestre: aí tudo abundava. O equilíbrio de excessos
permitiria a convivência pacífica do espírito clássico com o barroco ou com
o romântico. Comunistas e capitalistas, aí, dar-se-iam as mãos: entenderiam
que poder é riqueza e riqueza é poder. -- "Tenho, logo posso, e vice-versa,
logo existo." -- Disse o orador.

Quanta eloqüência! E quão sábio e venturoso era aquele
povo! Como e porque se esconderam na história?

-- "Apenas um senão" -- disse o mestre em momento
estudado: -- "onde tudo abunda, nada pode faltar, nem mesmo a ignorância". E
assim era! Havia um lado mau em Chamberland: animais selvagens punham em
risco a integridade física dos bons cidadãos. Nada tão grave, posto que os
animais não têm, logo não podem e vice-versa, logo não existem. Um mar
cultural os separava. Mas os dias eram quase todos do caçador.

Por alguns instantes perdi-me em pensamentos. Ora, a nossa
civilização já enfrentou problema semelhante e venceu. O que os impedia de
exterminarem os animais selvagens? Porque um povo tão evoluído não... Não!

Não escutei as últimas palavras do mestre, mas sinto que
ouvi. Pois que os pensamentos se dissiparam, deixando em seu lugar um eco:

Chamberland é a Terra, 1988, e os selvagens somos nós!

¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤
¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤



SUBJECT: Re: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 11:45

Olá Marco Aurélio e lista,

Marco: Não sei porque as pessoas não falam de uma das classes de autismo que
se chama psicogênico, que existe e foi estudado profundamente por uma
pesquisadora britânica chamada Frances Tustin, que, entre tantas coisas que
descobriu sobre o autismo psicogênico, estabeleceu normas e procedimentos
para o diagnóstico diferencial entre este e os demais autismos de origens
orgânica e genética.

Manuel: O fato de que, conforme o artigo da revista Time, em 40% dos gêmeos
idênticos em que um é autista o outro não é, este fato endossa a tese de que
existem causas diferentes (genéticas, orgânicas e psicológicas) cujo efeito
é o comportamento autístico. Essas causas podem ou não se combinar, isto é,
coexistirem. Em outros termos, doenças diferentes podem apresentar sintomas
idênticos, como o comportamento autístico.

Penso que, em alguns casos, uma combinação de genes recessivos determina
necessariamente o comportamento autístico (conheço vários casais que tiveram
mais de um filho autista entre outros absolutamente normais e saudáveis), ao
passo que, em outros casos, os genes determinam apenas uma predisposição ao
autismo: na presença de alguns fatores extra-genéticos, o autismo se
desenvolve; na ausência desses fatores, a criança não se tornará autista,
embora amiúde virá a apresentar um temperamento acentuadamente
esquizotímico. (a esquizotimia é um comportamento não patológico cujas
características são maior ou menor grau de interiorização, timidez, reações
inapropriadas às situações e tendência ao idealismo.)

Já comentei aqui nesta lista que tenho um filho autista. Meu pai costuma
dizer que o Ulisses (meu filho) sou eu piorado. De fato, comecei a falar
muito tarde, quase aos três anos de idade, apresento até hoje uma forte
tendência ao isolamento (morro de inveja desses etólogos malucos que
permanecem anos embrenhados na mata, na mais completa solidão, estudando o
comportamento de macacos, preguiças, etc.), além do que, como os autistas,
também apresento um forte impulso para a repetição. Para vocês terem uma
idéia, o livro de Adolfo S. Vazquez "Filosofia da Práxis", um calhamaço de
500 páginas, eu o li cinco vezes; "Angústia", de Graciliano Ramos, oito
vezes, e, atualmente, estou lendo pela quarta vez o livro "O Que Aconteceu
na História, de V. Gordon Childe.

Deve haver mesmo um autismo psicogênico, só não concordo com alguns
"psicologismos", como o do psicanalista Bruno Bettelheim, que não via para o
autismo outras causas a não ser as psicológicas, como uma forte rejeição da
criança pela mãe ainda na fase de lactação. Bettelheim chega mesmo a
comparar o ambiente familiar das crianças autistas aos campos da morte
nazistas. Esse tipo de interpretação psicologista do autismo infantil é
temerário, haja vista que, ao incutir terrível sentimento de culpa nos pais,
pode fazer com que estes também adoeçam. A propósito, foi somente após e
logo após meu filho ter sido diagnosticado como autista que se manifestou em
mim a doença de crohn, além de artrite, vasculites, dermatoses e dores
neuropáticas. Pode ser apenas uma coincidência, mas talvez não seja.

Abraços,
Manuel Bulcão



SUBJECT: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "holanda_lb" <holanda-lb@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 01/05/2002 16:08

Olá a todos,
Olá Alberto e Jose Colucci Jr.,

Desculpem pela demora na resposta. Como demorei, tentarei responder a
vários mensagens apenas nesta.

Alberto:
Eu diria que Newton jamais teria dado essa sacada e certamente teria
encontrado uma saída não estratosférica para os problemas que estavam
preocupando os físicos do final do século XIX.


Leandro:
Para mim, é estatrosférica a saída que diz: objetos podem viajar a
uma velocidade maior que da luz, pois isto implica em existência de
massas imaginárias! (ou seja, massas que não pertençam ao conjunto dos
números Reais!) e objetos viajando ao passado. Ora, isso é
estratosférico e a Física Moderna proíbe tais coisas (é claro, isso
dentro das transformações de Lorentz).


Leandro: 
Certa vez, em conversa que tive contigo, acho que você me disse que a
velocidade da luz não seria a velocidade limite e se poderia obter
velocidades maiores, dentro da "relatividade de Mesquita". É isso
mesmo?


Alberto:
Não existe "relatividade de Mesquita" e sim relatividade de Galileu.
Minha contribuição a esse respeito é quase nula.


Leandro:
Assim como você Alberto, outros buscaram alternativas para a
Relatividade de Einstein. Como eu disse a você, certa vez fiz parte de
um grupo que tentou isso. Nós sabíamos que as experiências de 100 anos
atrás teriam que ser passíveis de outra explicação (se a Relatividade
de Einstein estivesse errada). Sabíamos igualmente que pouco
adiantaria explicar outros efeitos antes de sequer explicar os
experimentos que deram origem à Relatividade de Einstein.
Tentamos ressucitar o modelo do éter (que a Relatividade de Einstein
matou). Nós preferimos, diferente de você, ficar com a descrição
ondulatória da luz. O problema foi que até hoje não conseguimos
encontrar solução para a experiência de Michelson-Morley (acho que
tirando um professor que fazia parte do grupo e eu, ninguém mais do
grupo se ocupa com essas questões).
Mas, voltando à sacada de Einstein, ele propôs que:

I - As leis da Física são as mesmas em todos os referenciais
inerciais. Não existe qualquer referencial inercial preferencial.

II - A velocidade da luz a mesma em todos os referenciais inerciais.

Igualmente a Einstein, Poincaré pensou num novo tipo de dinâmica e
esta seria caracterizada, entre outras coisas, nenhuma velocidade
poderia ser maior que a da luz.

Como esses dois postulados apenas, Einstein conseguiu obter as
transformações de Lorentz (Lorentz as obteve apenas da experiência de
Michelson-Morley mas não deu a elas uma interpretação física). As
transformações de Galileu, por sua vez, não deixam invariantes as leis
de Maxwell. Assim, pelas transformações de Galileu as leis da
eletrodinâmica não seriam as mesmas em referenciais inerciais!
Pelo que entendi, sua meta tem sido alterar as equações de Maxwell
para que as transformações de Galileu continuem invariantes a todos os
referencias inerciais quer para leis da mecânica quer para as leis do
eletromagnetismo. Vamos ver se nós aqui da lista podemos dar a nossa
contribuição (ou mostrar que essa meta é impossível de ser alcançada,
se esse for o caso).


Jose Colucci Jr.:
Alberto,
Embora não endosse completamente as suas opiniões sobre a física
moderna, eu vejo mérito nelas. Não tenho o conhecimento mínimo para
decidir de um lado ou de outro com base em teorias específicas, mas
numa coisa concordo com você: a física contemporânea atravessa uma
séria crise. Mesmo o leigo, quando vê os esforços desesperados dos
físicos para resolver o problema dos infinitos (na quantização dos
campos gravitacionais, por exemplo) através de renormalização e outras
bruxarias matemáticas, não pode deixar de perguntar se não estão
decorando a suíte de um prédio prestes a ruir. O livro de Brian Greene
("The Elegant Universe") deixa claro essa dificuldade, para quem o leu
nas entrelinhas. A dificuldade de entender as ferramentas da física
contemporânea é de tal ordem que sobra pouca energia, àqueles que se
dispõem a fazê-lo, de questionar o modelo.


Leandro:
Jose, já eu aprecio o questionamento do Alberto por outro motivo.
Penso que o Alberto poderia estar certo, porém, ainda não entendo suas
motivações além da questão estética. Mas, nesse meio tempo que andei
conversando com ele, percebi a importância da questão estética de uma
teoria.
Sobre os possíveis problemas da renormalização, não sei quanto a
você, mas eu não acho que a Física, Química ou Engenharias sejam
Matemática Aplicada. As áreas das Exatas, de maneira alguma, se
dividem em Matemática Pura e Matemática Aplicada. Existem exemplos, de
quando a Física, por exemplo, esteve na vanguarda da Matemática.
Newton, por exemplo, criou, em paralelo a Leibnitz, o Cálculo. Quando
Feynmann criou a eletrodinâmica quânticaQED, também abriu o camiho
para descobertas na Matemática.
E nos dias de hoje? A teoria das Supercordas está fazendo a
Matemática evoluir.
Assim, a história nos mostra que não podemos descartar teorias só
porque não estão dentro do formalismo matemático da época. Afinal, a
Matemática tem muito a descobrir.


Alberto:

Durante muito tempo afirmou-se gratuitamente que a física clássica
não explicaria certos fenômenos. Hoje estou afirmando que ela explica
todas as impossibilidades descritas pelos físicos do final do século
XIX e início do século XX. Agradeceria muito se algum físico
conseguisse demonstrar incoerências nas minhas explicações, mas parece
que eles estão mais preocupados em que eu explique a possível
existência de táquions, o efeito Casimir, o vácuo quântico, os
condensados de bósons, as dimensões paralelas, a curvatura do espaço,
a origem da matéria a partir do nada (matéria + antimatéria), etc.


Leandro:
Alberto, de minha parte, eu gostaria de ver como as transformações de
Galileu deixam as equações de Maxwell invariantes. Se você não sabe
exatamente como, mas quer testar algumas hipóteses, acho que sempre
existirão físicos para lhe ajudar. Agora, se sua hipótese é de que as
equações de Maxwell não são adequadas para descrever os fenômenos do
eletromagnetismo clássico e quer testar outras hipóteses, também lhe
digo que encontrará físicos para lhe ajudar.
Assim, encontrará físicos dispostos a te ajudar e não são todos os
que querem mostrar aonde suas hipóteses jazem (ainda que o motivo
disto pode não ser o de que as suas hipóteses estejam erradas).


Abraços
Leandro.



SUBJECT: Um pedido à lista
FROM: Prof. José Carlos <profjc@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 16:53

Olá à todos,

Agradeço imensamente qualquer sugestão bibliográfica (livros e artigos, ou
mesmo sites, em qualquer língua) abordando os temas:
- massa
- tempo
- espaço
bem como a evolução desses conceitos ao longo da história e, em particular,
de newton até a atualidade.

Abraços,

____________________
Prof. José Carlos (JC)
profjc@terra.com.br
ICQ 11734153
____________________




SUBJECT: Re: [ciencialist] Um pedido à lista
FROM: Prof. José Carlos <profjc@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 17:49

Obrigado Silvio.

Vou guardar suas sugestões para a posteridade :)))

Abraços,

____________________
Prof. José Carlos (JC)
profjc@terra.com.br
ICQ 11734153
____________________


----- Original Message -----
From: "Silvio Cordeiro" <scf@escelsa.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Thursday, May 02, 2002 5:25 PM
Subject: Re: [ciencialist] Um pedido à lista


> Caro prof.:
> massa: www.pasteis.com
> tempo: www.vai chover.com.br
> espaço: www.mst.com.br.
> livros:
> massa: Cozinha maravilhosa da Sueli
> tempo: no tempo das diligências, by J. Ford
> espaço: como fazer foguetes para explorar o cosmos.
>
> silvio.
> -
> ---- Original Message -----
> From: "Prof. José Carlos" <profjc@terra.com.br>
> To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Sent: Wednesday, May 01, 2002 4:53 PM
> Subject: [ciencialist] Um pedido à lista
>
>
> Olá à todos,
>
> Agradeço imensamente qualquer sugestão bibliográfica (livros e artigos, ou
> mesmo sites, em qualquer língua) abordando os temas:
> - massa
> - tempo
> - espaço
> bem como a evolução desses conceitos ao longo da história e, em
particular,
> de newton até a atualidade.
>
> Abraços,
>
> ____________________
> Prof. José Carlos (JC)
> profjc@terra.com.br
> ICQ 11734153
> ____________________
>
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 19:15

----- Original Message -----
From: "holanda_lb"
Sent: Wednesday, May 01, 2002 4:08 PM
Subject: [ciencialist] Alberto Mesquita X Albert Einstein

Olá, Leandro

> Leandro:
> Para mim, é estatrosférica a saída que diz: objetos podem viajar a
> uma velocidade maior que da luz, pois isto implica em existência de
> massas imaginárias! (ou seja, massas que não pertençam ao conjunto dos
> números Reais!) e objetos viajando ao passado. Ora, isso é
> estratosférico e a Física Moderna proíbe tais coisas (é claro, isso
> dentro das transformações de Lorentz).

Eu diria que existe uma certa falácia lógica neste argumento. E a falácia é
extremamente elementar: Admite-se que a relatividade é a única saída para
depois se comprovar que a relatividade é a única saída. Ou seja, estamos
andando em círculo e não comprovando nada a não ser aquilo que queremos
comprovar. Se você quiser falsear uma hipótese, é condição essencial que
você primeiramente aceite a suposição de que essa hipótese possa estar
errada.

Porque viajando a velocidades maiores do que a da luz deveríamos esperar a
existência de incongruências? Simplesmente porque estamos assumindo "a
priori" que é impossível viajar a velocidades maiores do que a da luz?
Conclusão: estamos afirmando que não podemos fazer aquilo que por hipótese
não queremos que seja feito. Mas a natureza não obedece aos nossos
caprichos, logo nenhuma dessas considerações sobre a ultrapassagem da
velocidade da luz resistem a uma crítica a não se apoiar na dogmatização de
conceitos.

Pense por exemplo na velocidade do som e imagine que você ouviu uma
orquestra e gostou tanto que gostaria de ouví-la novamente. Supondo algumas
idealidades de pensamento, poderíamos imaginar a possibilidade de viajarmos
numa velocidade superior à do som e, após alguns minutos de viagem,
voltarmos ao repouso. Qual o sentido do que estamos agora a ouvir? Sim,
este som foi produzido no passado mas... Significa isso uma inversão do
tempo? Por acaso viajamos para o passado? Certamente não. Mas esse é
exatamente o raciocínio que, no caso da luz, seria utilizado por um
relativista moderno quando expressa o argumento que você apresentou acima.
Esse raciocínio é válido tão somente no âmbito da relatividade moderna
porque neste terreno fixou-se anteriormente essa impossibilidade. Do
contrário, se pensarmos na luz como um objeto comum e do mesmo tipo do som,
ou de qualquer outro agente a se propagar, seja ondulatório, seja
corpuscular, jamais concluiremos nada do tipo da inversão temporal e muito
menos na existência de massas imaginárias ou outros gnomos criados pelos
físicos modernos.

É incrível que os físicos modernos não tenham se dado conta dessa
ilogicidade. Parece-me que a imensa maioria dos físicos relativistas leram
Einstein e não entenderam Einstein. Ou, a exemplo do que fazem com a física
newtoniana, leram um Einstein deturpado por terceiros. Pois Einstein jamais
cometeu erros dessa natureza. Ele conhecia perfeitamente as implicações
decorrentes de seus postulados, bem como sabia que tais raciocínios, a
sugerirem tais falácias, seriam válidos SE, MAS SOMENTE SE, seus postulados
fossem verdadeiros.

Há quem afirme que se viajássemos por um certo tempo acima da velocidade da
luz e logo após voltássemos ao repouso, enxergar-nos-íamos chegando. Essa
afirmação é duplamente absurda. Para um físico relativista seria absurdo
ultrapassar a velocidade da luz. Logo, até mesmo para um relativista não
haveria o retorno ao passado. Já para um físico clássico não seria absurda a
viagem mas sim o retorno ao passado. Pergunto: a física clássica prevê este
absurdo, o de enxergar-se chegando? Não, não e não. Para um físico clássico,
e em especial, um físico newtoniano, a velocidade da luz depende da
velocidade da fonte. Logo, enquanto a fonte estiver a uma velocidade maior
do que c, a luz também retratará essa dependência, logo a velocidade da luz
não é constante (essa constância não é clássica e sim relativista). Logo, a
luz emitida pela fonte jamais retornará à fonte a menos que encontre pelo
caminho um espelho. Logo, jamais nos enxergaremos chegando pela física
clássica.

Em teoria "clássica" você pode se enxergar no passado sim, basta pensar na
analogia feita acima com o som e com a orquestra tocando. O que você não
pode é recuperar TODAS as imagens da viagem que efetuou enquanto estava
tentando observar o seu passado. Mesmo porque, durante essa viagem a
velocidade da luz por você emitida não é igual a c e, portanto, essa luz
emitida durante a viagem estará sempre fugindo de você.

> Leandro:
> Certa vez, em conversa que tive contigo, acho que você me disse que a
> velocidade da luz não seria a velocidade limite e se poderia obter
> velocidades maiores, dentro da "relatividade de Mesquita". É isso
> mesmo?

Creio que a resposta está implícida no que disse acima.

> Alberto:
> Não existe "relatividade de Mesquita" e sim relatividade de Galileu.
> Minha contribuição a esse respeito é quase nula.

> Leandro:
> Assim como você Alberto, outros buscaram alternativas para a
> Relatividade de Einstein.

Pois eu não estou a procura de alternativa nenhuma. A relatividade de
Galileu me satisfaz plenamente. O problema, a meu ver, não reside na
relatividade mas no encontro de respostas para fenômenos aparentemente
estranhos, onde parece haver uma incompatibilidade entre o modelo mecânico
newtoniano e o modelo eletromagnético de Maxwell-Lorentz (especialmente nas
modificações introduzidas por Lorentz). Aliás, isso está bem claro no livro
de Einstein e Infeld. Os autores deixam bem claro que Einstein, em trabalhos
anteriores, fez uma OPÇÃO a respeito. E foi graças a essa opção que ele
*sentiu-se obrigado* a modificar a relatividade. Pouquíssimos entenderam
esse sacrifício, mas Einstein jamais escondeu cartas nas mangas, como alguns
gostam de afirmar. Hoje é perfeitamente possível perceber que esse
sacrifício é totalmente desnecessário, pois é perfeitamente possível
explicar-se tudo o que não tinha explicação na época através de um
raciocínio 100% clássico.

Mas porque deveríamos abandonar esse sacrifício se, *em alguns casos*, ele
tem se mostrado produtivo? Simplesmente porque ele deu origem a uma física
totalmente fragmentada em pedaços que não se encaixam e, como tem sido
demonstrado teoricamente, jamais irão se encaixar. E graças a esse
sacrifício temos hoje uma comunidade de físicos que está insatisfeita
consigo mesma, e isso nota-se nas entrelinhas de tudo o que publicam. Porque
então insistem em morar num prédio que todos sabem estar condenado e prestes
a ruir? Masoquismo? Marasmo?

> Como eu disse a você, certa vez fiz parte de
> um grupo que tentou isso. Nós sabíamos que as experiências de 100 anos
> atrás teriam que ser passíveis de outra explicação (se a Relatividade
> de Einstein estivesse errada). Sabíamos igualmente que pouco
> adiantaria explicar outros efeitos antes de sequer explicar os
> experimentos que deram origem à Relatividade de Einstein.
> Tentamos ressucitar o modelo do éter (que a Relatividade de Einstein
> matou). Nós preferimos, diferente de você, ficar com a descrição
> ondulatória da luz.

Pois o problema reside justamente aí. A luz não é ondulatória mas também não
é *apenas* corpuscular. A luz é formada de corpúsculos e de campo
eletromagnético transmutando-se no espaço. Corpúsculo não é campo e campo
não é material nem energético. Pode parecer esquisito mas a meu ver não
existe outra saída. Pode parecer esquisito mas nada que se compare aos
gnomos quantum-relativistas.

> O problema foi que até hoje não conseguimos
> encontrar solução para a experiência de Michelson-Morley (acho que
> tirando um professor que fazia parte do grupo e eu, ninguém mais do
> grupo se ocupa com essas questões).

Parabéns a você e a esse professor. Meus pêsames aos demais.

> Mas, voltando à sacada de Einstein, ele propôs que:
> I - As leis da Física são as mesmas em todos os referenciais
> inerciais. Não existe qualquer referencial inercial preferencial.
> II - A velocidade da luz a mesma em todos os referenciais inerciais.
> Igualmente a Einstein, Poincaré pensou num novo tipo de dinâmica e
> esta seria caracterizada, entre outras coisas, nenhuma velocidade
> poderia ser maior que a da luz.
> Como esses dois postulados apenas, Einstein conseguiu obter as
> transformações de Lorentz (Lorentz as obteve apenas da experiência de
> Michelson-Morley mas não deu a elas uma interpretação física). As
> transformações de Galileu, por sua vez, não deixam invariantes as leis
> de Maxwell. Assim, pelas transformações de Galileu as leis da
> eletrodinâmica não seriam as mesmas em referenciais inerciais!
> Pelo que entendi, sua meta tem sido alterar as equações de Maxwell
> para que as transformações de Galileu continuem invariantes a todos os
> referencias inerciais quer para leis da mecânica quer para as leis do
> eletromagnetismo.

Deixemos Maxwell em paz. Sua teoria é perfeita e válida para as condições em
que foi proposta: objetos macroscópicos. Assim como a mecânica dos fluidos.
Ninguém abandonou a equação de Navier Stokes após descobrir a natureza
molecular da água e dos demais fluidos. Não há porque abandonarmos o
eletromagnetismo dos fluidos de Maxwell pelo fato de termos descoberto que
os elétrons são partículas. O que precisamos é criar um eletromagnetismo que
funcione nesse território e que se acople com o restante da física, o que a
física quântica evidentemente não faz. Precisamos de uma evolução de tipo
semelhante àquele feito com a teoria cinética dos gases. E já que você quer
me homenagear de alguma forma, permito, com ressalvas, que chame a minha
teoria, exposta em "A equação do elétron e o eletromagnetismo", por "o
eletromagnetismo de Mesquita" :-)) pois aí realmente eu estou tentando fazer
uma contribuição pessoal. Se bem que isso seja totalmente desnecessário e
acredito mesmo que improdutivo.

> Vamos ver se nós aqui da lista podemos dar a nossa
> contribuição (ou mostrar que essa meta é impossível de ser alcançada,
> se esse for o caso).

É isso aí. Mais uma vez parabéns pelo bom senso implícito em suas
observações.

> Alberto:
> Durante muito tempo afirmou-se gratuitamente que a física clássica
> não explicaria certos fenômenos. Hoje estou afirmando que ela explica
> todas as impossibilidades descritas pelos físicos do final do século
> XIX e início do século XX. Agradeceria muito se algum físico
> conseguisse demonstrar incoerências nas minhas explicações, mas parece
> que eles estão mais preocupados em que eu explique a possível
> existência de táquions, o efeito Casimir, o vácuo quântico, os
> condensados de bósons, as dimensões paralelas, a curvatura do espaço,
> a origem da matéria a partir do nada (matéria + antimatéria), etc.

> Leandro:
> Alberto, de minha parte, eu gostaria de ver como as transformações de
> Galileu deixam as equações de Maxwell invariantes. Se você não sabe
> exatamente como, mas quer testar algumas hipóteses, acho que sempre
> existirão físicos para lhe ajudar. Agora, se sua hipótese é de que as
> equações de Maxwell não são adequadas para descrever os fenômenos do
> eletromagnetismo clássico e quer testar outras hipóteses, também lhe
> digo que encontrará físicos para lhe ajudar.
> Assim, encontrará físicos dispostos a te ajudar e não são todos os
> que querem mostrar aonde suas hipóteses jazem (ainda que o motivo
> disto pode não ser o de que as suas hipóteses estejam erradas).

Como espero ter deixado claro acima, existem duas maneiras de se encarar
o eletromagnetismo. Uma delas (o eletromagnetismo de Maxwell) dá certo para
os objetos e fenômenos do nosso dia a dia, situações em que podemos
considerar a existência de um fluido elétrico em repouso (carga elétrica) ou
a correr num fio condutor (corrente elétrica). Outra seria tentarmos
decifrar a natureza estrutural dos componentes desse aparente fluido, e que
hoje sabemos serem partículas elementares (elétrons e prótons). Essa
estrutura deve responder por todos os fenômenos e até mesmo pelo
eletromagnetismo macroscópico.

O que não se pode é assumir verdades parciais. Por exemplo, a física
quântica foi criada para justificar falácias da teoria de Maxwell observadas
no microcosmo. Ou seja, procurou-se construir equações a responderem por
fenômenos onde a teoria de Maxwell não dava certo, não porque estivesse
errada, mas porque estava sendo aplicada em condições onde ela poderia não
funcionar (ninguém provou até hoje que um elétron tem uma natureza
estrutural idêntica a de uma carga elétrica coulombiana ou de um elemento de
volume de Biot-Savart). No século XX, e em meio à construção da física
quântica, descobriu-se outras incongruências entre a teoria de Maxwell e a
idéia de elétron partícula, como por exemplo o spin. O que significaria o
spin para Maxwell? Eu disse Maxwell e não o que pensam os quânticos (se é
que eles pensam alguma coisa a respeito e que faça sentido). Uma carga
girando tem spin? Certamente não. Uma carga girando, do ponto de vista da
teoria de Maxwell pode, quando muito, ser pensada como algo da natureza de
uma corrente elétrica, mas jamais como algo do tipo dos fenômenos que
levaram os quânticos a caracterizarem o spin. Ou seja, existem
incongruências bilaterais. Tanto não se chega da teoria de Maxwell na teoria
quântica como, também, não se chega da teoria quântica na teoria de Maxwell.
Por mais que se diga o contrário, elas são teorias incompatíveis entre si.
Alguns dizem que a teoria quântica veio para salvar a teoria de Maxwell.
Ora, isso é brincadeira. Quando muito ela salva equações, mas deturpa o
significado das variáveis.

Já com a "equação do elétron" eu posso chegar nas equações de Maxwell (o
inverso não é verdadeiro, pois a teoria de Maxwell é válida para condições
restritas, ou seja, para fenômenos macroscópicos). E nem preciso me
preocupar em verificar se ou "como as transformações de Galileu deixam as
equações de Maxwell invariantes", pois essas equações são secundárias à
minha teoria e válidas apenas para cargas e correntes elétricas, mas não
para partículas elementares. Por outro lado, a minha equação eletromagnética
(que é única, mas a partir dela pode-se chegar às quatro de Maxwell)
compatibiliza-se totalmente com a relatividade de Galileu e, por tabela, com
a mecânica newtoniana. Quando afirmo que a equação eletromagnética pode ser
apenas uma, obviamente estou deixando clara a existência de princípios a
atuarem nos bastidores e a responderem por fenômenos do tipo potenciais
retardados etc. Ou seja, eu necessito de um embasamento físico, mas não
matemático. Não há também porque conservar os dogmas da física moderna, como
aquele apontado no início da mensagem (invariância da velocidade da luz).

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: A Farsa de Thomaz Green Morton
FROM: "Fabiano Reis" <fab.reis@terra.com.br>
TO: Ciência List <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, Acrópolis <acropolis@yahoogrupos.com.br>
DATE: 01/05/2002 23:01

UM RELATO COMPLETO:
SETE DIAS NA CASA DE THOMAZ GREEN MORTON

Por Luiz Petry

"Há um princípio que é uma barreira a toda informação, que é uma refutação
de qualquer argumento e não pode deixar de manter um homem na ignorância
perpétua: o princípio consiste em depreciar antes de investigar".
Herbert Spencer

Gosto dessa epígrafe. A proposição de não depreciar antes de investigar
estava firme na minha cabeça naquela manhã de julho de 1994 quando embarquei
num carro de reportagem rumo a Pouso Alegre, no Sul de Minas, a cidade do
badalado paranormal Thomaz Green Morton, um homem a quem se atribuíam
poderes milagrosos. Dizia-se que ele entortava talheres como Uri Geller,
produzia explosões luminosas, transmutava papel em metal, materializava
objetos, exsudava perfumes, e, diante de platéias embasbacadas, operava seus
prodígios em qualquer mesa de bar, no meio de um jantar ou de uma rodada de
cerveja, rindo e fumando seu cigarrinho de palha, como se nada de anormal
estivesse acontecendo.

Partimos para uma viagem de sete horas sem a mínima garantia de que
conseguiríamos a reportagem. Primeiro, porque é inútil marcar qualquer
compromisso com Thomaz Green Morton, ele não costuma honrá-los. Segundo,
porque ele é quem decide, no momento em que realiza seu show, se a câmera
pode ou não ser ligada. E por último, o obstáculo mais crucial: haveria
show? Seria esse homem capaz de produzir fenômenos paranormais? Existem
fenômenos paranormais?

Certo, não depreciar antes de investigar parece um pensamento sensato. Mas
quem escreveu isso, o filósofo inglês Herbert Spencer (1820-1903), era
materialista, agnóstico, cientista com inclinações positivistas, partidário
da teoria evolucionista de Darwin e autor da célebre expressão
"sobrevivência do mais apto". Um homem dessa estatura intelectual
desperdiçaria seu tempo precioso com Thomaz Green Morton? Acredito que não.

Mas o fato é que nós estávamos a caminho de Pouso Alegre: a produtora Denise
Franco, que num encontro anterior conquistara a simpatia do paranormal
(caberia a ela "abrir as portas" da chácara do esquivo Thomaz à equipe), o
jornalista americano Gary Richman, convidado a nos acompanhar por causa de
suas pesquisas de 13 anos com Thomaz, e autor de um ótimo livro sobre ele
("O Milagre do Rá", Gary Richman e Lee Pulos, Editora Record, 1994), e ainda
o cinegrafista aventureiro Acyr Fillus e o técnico Júlio César Moraes.

Durante a viagem, repassamos nossas informações sobre TGM: chamado de "guru
das estrelas" em colunas de jornais, atraíra gente famosa com suas
demonstrações bizarras. Era um para-superstar: circulou pelos bastidores do
Rock in Rio em 1985, freqüentou festas chiques, e ganhou fama na TV durante
apresentações da cantora Baby Consuelo (hoje Baby do Brasil), que subia ao
palco literalmente coberta de talheres entortados por Thomaz e exortava os
auditórios a gritar "Rá!", a exclamação com que Thomaz saúda as pessoas e
que, para ele, significa energia positiva. (Hoje Baby é evangélica;
afastou-se de Thomaz, assim como outros artistas que formavam seu séquito).

Chegamos a Pouso Alegre e o pior dos prognósticos desabou sobre nós: não
havia ninguém na chácara de Thomaz. Ficamos de plantão diante da porta por
duas horas. Nada. Fomos para o hotel e começamos a discutir o que fazer.
Voltar? Jamais. Ficar? E se o homem, ainda que previamente avisado da nossa
ida, simplesmente não aparecesse? Thomaz costuma fazer isso. Desaparece no
meio de uma conversa e reaparece dias depois, contando que esteve em
Afron-V - segundo ele, o planeta habitado pelos seres luminosos que o
acompanham e provocam os fenômenos paranormais.

Estávamos nessa discussão quando um estafeta do hotel diz que Thomaz Green
Morton telefonou para a recepção e nos esperava numa churrascaria da cidade.
Corremos para lá e, finalmente, conheci o homem do Rá. Primeira impressão: o
homem gosta de perfume. Depois de abraçá-lo, meu casaco ficou impregnado de
uma essência de jasmim que perdurou por meses e sobreviveu a dois ou três
passeios na lavanderia. "Essência energética", explicou Thomaz. Segunda
impressão: o homem não tinha qualquer traço de guru, asceta, sábio ou beato.
Estava promovendo uma farra monumental naquele restaurante, cercado à mesa
pelo habitual séquito, e contava suas histórias mirabolantes aos brados.

A produtora Denise Franco tinha me advertido: não era uma boa estratégia
pedir que Thomaz produzisse um fenômeno, pelo menos não num primeiro
contato, não antes de ganhar sua confiança. Vi-me na patética situação de
grudar os olhos num indivíduo, durante horas, à espera de que algo
espetacular acontecesse. Finalmente, quando o restaurante fechava as portas
e todos se levantavam para sair, ele fez algo inesperado: tirou uma garrafa
de vinho de uma prateleira e arremessou-a, com força, em direção à parede.
Durante os três segundos em que a garrafa descreveu um arco no ar pensei
"agora, sim, algo espetacular vai acontecer... essa garrafa vai levitar...
desaparecer em pleno vôo... vai para Afron-V...".

A garrafa se espatifou no chão, esparramando vinho para todos os lados,
sujando a parede e duas mesas. Thomaz soltou uma forte gargalhada. Eu não
disse nada, ainda que tivesse a nítida impressão de que algo no show dera
errado.

A farra prosseguiu de madrugada, na chácara do paranormal, sem que nada de
anormal acontecesse. Thomaz entortou dois garfos segurando-os pelo cabo.
Observei aquilo com espanto, mas esse efeito é facilmente obtido por
mágicos, através de uma combinação de destreza manual e força muscular.
Voltamos para o hotel, já de manhã, desanimados: se aquilo era Thomaz Green
Morton, nossa reportagem subira no telhado.

Mas no dia seguinte a coisa esquentou. Depois de horas de conversa na
chácara, Thomaz disse que daria um presente a minhas filhas. Pegou um
punhado de moedas que estavam sobre uma mesa e mandou que eu as segurasse na
mão direita. Tive tempo de observá-las: eram de um quarto de dólar, normais,
intactas. Pediu que eu fechasse a mão, estendeu a dele, espalmada, em
direção à minha, a uns três metros de distância, e gritou algo como "neste
momento, essas moedas estão sendo energizadas, como um presente ao novo
rámigo Petry! Rá!!!" Bem, não senti nada se movendo na mão, e acreditei que
o show falhara. Mas quando separei os dedos quatro moedas estavam entortadas
e uma quinta moeda ainda se movia, fechando-se como um anel, na palma da
minha mão. Thomaz também entortou um garfo na mão de Denise - nessa ocasião,
a tampa de vidro do relógio dela estourou, e os ponteiros pararam.

A partir desse momento, Thomaz Green Morton sentiu-se mais confiante e
permitiu que finalmente ligássemos nossa câmera. Levou-nos ao que chama de
sala de energização e o cinegrafista Acyr Fillus registrou várias luzes
coloridas que estouravam em volta dele, como flashes. Vi pela janela outras
luzes aparecerem no céu, do tamanho de bolas de tênis e de diversas cores.
Thomaz disse que eram seres de luz, e cada uma delas tinha um nome: a branca
era Kriptus, a vermelha, Bio, a verde, Xilz e por aí vai...

Saímos para jantar e no restaurante Thomaz produziu mais luzes, entortou
talheres (estes na mão dele) e fez uma essência perfumada exsudar das pontas
dos dedos. Pedi que arregaçasse as mangas, mas não encontrei qualquer tubo
ou coisa semelhante: o perfume parecia brotar dos poros dos dedos. Não sou
especialista em mágica, mas sei que é possível tornar as coisas mais
difíceis a um mágico se ele tiver que agir sobre um objeto que não passou
por suas mãos. Fui até a cozinha, peguei uma garrafa de vinagre lacrada,
voltei à mesa e pedi que Thomaz usasse seus alardeados poderes de
transmutação. Ele repetiu o gesto de estender a mão e gritar "Rá!" em
direção à garrafa - sem tocá-la. Imediatamente, o líquido começou a mudar de
cor, tornou-se amarelado, e quando abri o vidro todos na mesa sentiram o
forte cheiro de perfume que exalava do que há pouco era vinagre. (Quando
voltei ao Rio, pedi um exame do líquido à Escola Técnica Federal de Química,
e o laudo apontou a presença de vinagre e substâncias usadas em perfumaria.)

Passamos os dois dias seguintes num jogo de gato-e-rato com Thomaz: ficávamo
s de plantão na chácara dele durante horas (ele costuma sumir, lembra?), e
quando aparecia tínhamos que segui-lo aonde lhe desse na telha: bares,
boates, casas de amigos. Ele também passava muito tempo "energizando"
doentes, que pagavam bom preço pelo serviço. Estávamos lá quando o dono de
uma mineradora, agradecido, enviou-lhe como presente um carro Opala zero
quilômetro. Thomaz é requisitado como "curador" por gente famosa e rica, que
prefere manter-se no anonimato. Vive disso. Quando sobrava algum tempo para
nós, muitas vezes Thomaz preferia contar detalhadamente seus feitos a
demonstrá-los. Repete com entusiasmo a história de como surgiram seus
poderes: no dia em que completou 12 anos, pescava num lago conhecido como
Faisqueira, em Pouso Alegre, quando um raio atingiu a ponta do caniço. Conta
que, com o impacto, levitou por vários minutos e ouviu uma voz que lhe
dizia: a partir de agora, você terá poderes inexplicáveis.

Thomaz é um sujeito divertido e gozador: numa tarde, empurrou a produtora
Denise Franco na piscina, completamente vestida. Depois, talvez para
desculpar-se, convidou-nos a uma sauna. Foi algo, digamos, exótico. Aqueceu
as pedras (pelos meios convencionais) e derramou sobre elas uma essência de
eucalipto que pingava de suas mãos (o homem estava de sunga, onde poderia
esconder o raio do perfume, que escorria caudalosamente dos dedos?).

Uma tarde, passei num mercado de Pouso Alegre e comprei um saco de açúcar
cristal. Levei-o, debaixo do braço, até a casa de Thomaz. Pedi que ele
repetisse o efeito da transmutação. Gritou de novo o "Rá", sem tocar no
açúcar (minha intenção, novamente, era dificultar as coisas para ele). Em
poucos segundos, o açúcar - ainda dentro do saco fechado - mudou de cor e de
textura, tornou-se um pó fino amarelado. Thomaz disse que aquilo era um bom
remédio para relaxar. Provamos uma pitada; a coisa tinha mesmo cheiro e
gosto de remédio. Meia hora depois, estávamos sonolentos, como se tivéssemos
ingerido uma dose pesada de ansiolítico.

Imaginei se aquilo teria alguma relação com o fato de Thomaz ter trabalhado
como farmacêutico. Mas como poderia ter posto alguma substância naquele saco
que eu comprei e estava fechado? Cumplicidade de alguém naquele mercado na
cidade? Era uma possibilidade remota. Sugestão, hipnose? Não sei. Mas o tal
produto amarelado era poderoso: logo depois de prová-lo, Gary Richman foi
dormir num dos quartos da chácara. Era uma sexta-feira. Dormiu o sábado
inteiro. Domingo de manhã, preocupado, fui despertá-lo. E foi um custo
convencê-lo de que dormira mais de 40 horas. ("Hoje é sábado", insistia, no
seu português carregado no inglês).

O problema é que Thomaz parecia "funcionar" melhor com a câmera desligada.
Tínhamos algumas imagens de luzes, substâncias transmutadas, metais
entortados, mas não estávamos satisfeitos. Conhecíamos relatos de façanhas
mais portentosas atribuídas ao homem do Rá. Na última noite antes de voltar
ao Rio, convencemos Thomaz a sentar diante de uma montanha de talheres e
moedas, com a câmera ligada, sem interrupção. Permanecemos com ele assim
durante quatro horas. Queríamos ao menos uma simples imagem de algo se
entortando ali, em close, longe das mãos dele. Nada aconteceu. O homem
travou.

Retornamos com uma reportagem, que rendeu 25 minutos no ar. Pusemos
depoimentos do finado maestro Tom Jobim, do cirurgião Ivo Pintanguy, do
professor Muniz Sodré, da jornalista Hildegard Angel, e outras
personalidades que presenciaram os fenômenos de Thomaz Green Morton.
(Hildegard conta que, certa vez, ao receber a visita do paranormal, os
talheres que estavam nas gavetas de sua casa se entortaram. Ela guarda até
hoje essas relíquias). Quem se dispuser a pesquisar a meia dúzia de livros
que foram escritos sobre TGM vai encontrar dezenas de depoimentos ainda mais
bizarros: pessoas juram que o viram transformar um ovo comprado no mercado
em pinto, em questão de minutos (o livro de Gary Richman mostra uma
seqüência fotográfica disso). Que ele é capaz de fazer objetos levitarem.
Que já foi visto em dois lugares ao mesmo tempo.

Escrevo este relato no dia 11 de abril de 2002. Na noite de ontem,
entrevistei o casal de atores Paloma Duarte e Marcos Winter, que há um ano
freqüentam, como amigos, a casa de Thomaz em Pouso Alegre. Eles têm uma
coleção de talheres entortados pelo homem do Rá. Contam que esses metais
foram deformados diante de seus olhos, sobre uma mesa, longe das mãos de
Thomaz. "Se eu não tivesse visto jamais acreditaria numa coisa dessas",
disse Paloma.

Thomaz Green Morton me telefonou esta semana para dizer que aceita o desafio
de James Randy, o homem que oferece US$ 1 milhão a quem provar que é
paranormal.

Vai ser Fantástico!

Para saber mais sobre o desafio paranormal: www.randi.org e
www.thomazgreenmorton.org.

Fonte:
http://redeglobo.globo.com/cgi-bin/fantastico/mont_materia.pl?controle=1623






SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 00:15

Meu bom piloto de tormenta Manuel

Depois do que Vc. contou, sinto uma simpatia ainda maior por Vc. Tive então
uma fantasia em que me imaginava Vc. pilotando um barco no meio de uma
enorme tempestade. O Bruno Bettelheim teve uma grande influencia positiva no
tratamento dos autistas psicogênicos.

Bruno foi um grande depressivo que dependia afetiva e totalmente de sua
mulher. Quando esta faleceu o velho perdeu a razão de viver. Fez da vida da
filha um inferno e se suicidou numa instituição geriátrica. Eu não creio nem
no título de seu livro ( A Fortaleza Vazia). Frances Tustin provou que
nenhum autista é uma fortaleza vazia.

A grande dificuldade é que são pessoas diferente da maioria dos seres
humanos. Têm uma vida interior intensa e o vazio é só aparencia. A diferença
está no modo de comunicação, que não segue os padrões comuns. Sofrem por não
ser adaptaveis e fazem sofrer porque são queridos e não sabem registrar as
mensagens dos outros do modo convencional.

Todos sabemos que quase sempre sofremos mais quando nossos filhos são
vítimas de alguma coisa. Muitas vezes me disseram que preferiam sofrer eles,
os pais, antes que lhes toque aos filhos o sofrimento. Penso que o Crohn, a
artrite, as vasculites, as dermatoses e as dores neuropáticas não são puras
coincidencias.

Não creio que certas coisas sejam casualidade, ainda que pareçam. Agüentar
o peso de um diagnóstico de um filho autista e pensar que é uma condição
para o resto da vida, com toda a mitologia que se construiu ao redor dela,
não é pouca coisa.

Não gostei da piada de seu pai. Se deixamos os preconceitos de lado, é
possível que seu filho tenha muitas coisas suas e outras que podem até ser
melhores. Só que não podem ser detectadas facilmente. Creio que os que mais
se culpam por ter filhos diferentes (não piores) são os pais. É uma culpa
que não serve para nada. Depois, que ainda haja gente com diplomas aumente a
acusação desde uma sociedade cheia de normas crueis, é dose prá elefante.

Os melancólicos com Bettelheim sentem muita satisfação quando encontran
culpados que não sejam os sujeitos. É tão fácil pensar que somos uma "tabula
rasa". Esquecer-se que a sujetividade se constroi a partir de si mesmo. É
lógico que se recebe influencia externa. O grande mérito de Kant foi dizer
que é certo que tudo o que entra no espírito é a través dos sentidos, salvo
o espírito. Quando nascemos já temos uma pequena (mas não nula)
subjetividade. Não somos fantoches construidos por outros.

O grande psiquiatra infantil americano chamado Leo Kanner escreveu um livro
cujo título é "Em Defeza dos Pais". Foi decisivo no combate a esta praga
pseudo-científica que consiste em culpar aos pais pelos transtornos dos
filhos.

Imaginem os listeiros um manual de psicopatologia infanto-juvenil resumindo
todas as dificuldades para encontrar as causa dos transtornos numa só
expressão. Seria mais opu menos assim: Etiologia = pais. A grande
comodidade. Os psicoterapeutas estariam livres da responsabilidade de
encontrar causas reais e esariam contente e cômodos.

Se ser pais é causa de tanta doença, só porque ocorrem nos filhos, a
paternidade e maternidade são piores coisas que AIDS. É um absurdo.

Diga a seu pai que não se sinta decepcionado pelo neto. Que tente aceitá-lo
e renucie a compreendê-lo.É muito freqüente descobrir que se pode
compreender algo de alguem quando se renuncia à batalha da compreenção.
Nossas proprias regras de guerra obstruem a entrada das mensagens do outro.

Pode-se amar sem comprender. Se podemos aceitar animais, os filhos não são
menos aceitaveis.

Seus padecimentos não são poucos. O intestino é sempre a oficina de trabalho
dos lutos. Espero que esta mensagem chegue a todos como uma posição
responsável ante certas condições humanas, como o autismo, a cor negra da
pele, a eleição homosexual, as mal formações em geral. As que não são
totalmente entendidas são as que mais desafiam nossa ética.

Que Vc. siga pilotando até que o tempo melhore.
Um grande abraço
[ ]s

Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar

> Olá Marco Aurélio e lista,
>
> Marco: Não sei porque as pessoas não falam de uma das classes de autismo
que
> se chama psicogênico, que existe e foi estudado profundamente por uma
> pesquisadora britânica chamada Frances Tustin, que, entre tantas coisas
que
> descobriu sobre o autismo psicogênico, estabeleceu normas e procedimentos
> para o diagnóstico diferencial entre este e os demais autismos de origens
> orgânica e genética.
>
> Manuel: O fato de que, conforme o artigo da revista Time, em 40% dos
gêmeos
> idênticos em que um é autista o outro não é, este fato endossa a tese de
que
> existem causas diferentes (genéticas, orgânicas e psicológicas) cujo
efeito
> é o comportamento autístico. Essas causas podem ou não se combinar, isto
é,
> coexistirem. Em outros termos, doenças diferentes podem apresentar
sintomas
> idênticos, como o comportamento autístico.
>
> Penso que, em alguns casos, uma combinação de genes recessivos determina
> necessariamente o comportamento autístico (conheço vários casais que
tiveram
> mais de um filho autista entre outros absolutamente normais e saudáveis),
ao
> passo que, em outros casos, os genes determinam apenas uma predisposição
ao
> autismo: na presença de alguns fatores extra-genéticos, o autismo se
> desenvolve; na ausência desses fatores, a criança não se tornará autista,
> embora amiúde virá a apresentar um temperamento acentuadamente
> esquizotímico. (a esquizotimia é um comportamento não patológico cujas
> características são maior ou menor grau de interiorização, timidez,
reações
> inapropriadas às situações e tendência ao idealismo.)
>
> Já comentei aqui nesta lista que tenho um filho autista. Meu pai costuma
> dizer que o Ulisses (meu filho) sou eu piorado. De fato, comecei a falar
> muito tarde, quase aos três anos de idade, apresento até hoje uma forte
> tendência ao isolamento (morro de inveja desses etólogos malucos que
> permanecem anos embrenhados na mata, na mais completa solidão, estudando o
> comportamento de macacos, preguiças, etc.), além do que, como os autistas,
> também apresento um forte impulso para a repetição. Para vocês terem uma
> idéia, o livro de Adolfo S. Vazquez "Filosofia da Práxis", um calhamaço de
> 500 páginas, eu o li cinco vezes; "Angústia", de Graciliano Ramos, oito
> vezes, e, atualmente, estou lendo pela quarta vez o livro "O Que Aconteceu
> na História, de V. Gordon Childe.
>
> Deve haver mesmo um autismo psicogênico, só não concordo com alguns
> "psicologismos", como o do psicanalista Bruno Bettelheim, que não via para
o
> autismo outras causas a não ser as psicológicas, como uma forte rejeição
da
> criança pela mãe ainda na fase de lactação. Bettelheim chega mesmo a
> comparar o ambiente familiar das crianças autistas aos campos da morte
> nazistas. Esse tipo de interpretação psicologista do autismo infantil é
> temerário, haja vista que, ao incutir terrível sentimento de culpa nos
pais,
> pode fazer com que estes também adoeçam. A propósito, foi somente após e
> logo após meu filho ter sido diagnosticado como autista que se manifestou
em
> mim a doença de Pode ser apenas uma coincidência, mas talvez não seja.
>
> Abraços,
> Manuel Bulcão
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>



SUBJECT: Re: Um pedido à lista
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 09:33

Tem:

"Uma breve história do tempo" de Stephen Hawkins
"O universo em uma casca de noz" idem.
"O universo elegante" de Brian Greene.
"A dança do universo" de Marcelo Gleiser
"O fim da Terra e do céu" idem.

http://aventuradasparticulas.ift.unesp.br/
http://www.sciam.com/1998/0298issue/0298duff.html
http://plato.stanford.edu/entries/spacetime-holearg/

http://encarta.msn.com/find/Concise.asp?z=1&pg=2&ti=761561386

Isso como livros e artigos de divulgacao.

[]s,

Roberto Takata

--- Em ciencialist@y..., Prof. José Carlos <profjc@t...> escreveu
> Olá à todos,
>
> Agradeço imensamente qualquer sugestão bibliográfica (livros e
artigos, ou
> mesmo sites, em qualquer língua) abordando os temas:
> - massa
> - tempo
> - espaço
> bem como a evolução desses conceitos ao longo da história e, em
particular,
> de newton até a atualidade.
>
> Abraços,
>
> ____________________
> Prof. José Carlos (JC)
> profjc@t...
> ICQ 11734153
> ____________________



SUBJECT: RE: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: TARCISIO BORGES <tbs97@fisica.ufpr.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 11:04

Caro Alberto

Faço minhas as palavras do Colucci, principalmente o primeiro e segundo
parágrafo(s). Concordo que no princípio era mais agerrido e determinado
talvez até pela minha falta de experiência e por achar que vc não tinha
razão, embora então soubesse que eu poderia estar errado, de defender de
forma tão agressiva suas idéias.

Ainda acho, mas nem tanto, que vc não tem razão e que sua teoria ainda não
mostrou a que veio :) mas sua insistência me tem mostrado que efetivamente
nada sabemos e embora acredite que vc não esteja certo :) sei que ninguém
está.

Já foi dito na lista que não existem paradoxos físicos, existem sim
paradoxos teóricos. O fenômeno está lá, o que gera a incompreensão é a
nossa limitação do que conhecemos do mundo. Talvez nunca saibamos o que
seja um elétron ou um fóton e como eles efetivamente se comportam, talvez
a civilização acabe antes de conseguirmos manipular energias tão altas. A
ciência passará por evoluções e revoluções muitas vezes ainda, enquanto
estivermos insatisfeitos com o que temos.

[]s
TARCISIO BORGES
tbs97@fisica.ufpr.br
Seja responsável, vote nulo.
One Ring to rule them all

On Tue, 30 Apr 2002, Jose Colucci Jr. wrote:
> Embora não endosse completamente as suas opiniões sobre a física
> moderna, eu vejo mérito nelas. Não tenho o conhecimento mínimo para
> decidir de um lado ou de outro com base em teorias específicas, mas numa
> coisa concordo com você: a física contemporânea atravessa uma séria
> crise. Mesmo o leigo, quando vê os esforços desesperados dos físicos
> para resolver o problema dos infinitos (na quantização dos campos
> gravitacionais, por exemplo) através de renormalização e outras
> bruxarias matemáticas, não pode deixar de perguntar se não estão
> decorando a suíte de um prédio prestes a ruir. O livro de Brian Greene
> ("The Elegant Universe") deixa claro essa dificuldade, para quem o leu
> nas entrelinhas. A dificuldade de entender as ferramentas da física
> contemporânea é de tal ordem que sobra pouca energia, àqueles que se
> dispõem a fazê-lo, de questionar o modelo.
>
> O que eu acho, porém, é que a solução não é a volta à física newtoniana,
> ou mesmo a uma versão reformada desta. Minha base para essa afirmação é
> metodológica. A física, ou, generalizando, a ciência, não dá a mínima
> para as dificuldades que possamos ter em aceitar uma idéia. Se o modelo
> apresenta coerência interna, explica os fenômenos observados e apresenta
> poder preditivo, ele é válido ainda que ofenda a nossa intuição.
> Intuição é importante, mas muda com o Zeitgeist. Não vejo no modelo
> newtoniano qualquer outra vantagem além de ser palatável ao intelecto
> humano.
>
> Uma coisa me chamou a atenção em sua mensagem, quando você diz: "Nesta
> nova maneira de escrever [as leis de Newton] talvez fosse interessante
> incluir uma quarta lei a justificar o observado "efeito retardado dos
> campos" (ação e reação não concomitantes para corpos não em contato)". A
> proposta me parece um pouco precipitada no caso da gravitação, essencial
> para Newton. Não há prova de que existam ondas gravitacionais e de que
> tenham velocidade finita. Aqui é onde você vai achar o maior divisão
> entre os físicos contemporâneos. Uma turma anda atrás da famosa
> partícula sem massa de spin-2, o gráviton; a outra acha que a gravidade
> é um efeito da curvatura do espaço, e não depende da troca de
> partículas. Por essa última teoria, tudo é gravidade. Você tem algo
> escrito sobre essa sua proposta?
>
> Você tem sido um debatedor perspicaz e ao mesmo tempo elegante. Continue
> botando minhoca na cabeça da moçada. Afinal, como dizia Nelson
> Rodrigues, toda a unanimidade é burra.
>
> Um abraço,
> Colucci



SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 11:07

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> Como disse na mensagem anterior, estava me referindo à história de
> 1 a 2 anos de Ciencialist ("o que aconteceu há cerca de 1 ou 2 anos
> foi que eu comecei a divulgar as minhas idéias na Ciencialist...").

Bem, entao temos q. incluir o Itamar Itxe e o Claudio Abreu.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 11:25

Olá Alberto,

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" escreveu:

> Agradeceria muito se algum físico conseguisse demonstrar
incoerências nas
> minhas explicações, mas parece que eles estão mais preocupados em
que eu
> explique a possível existência de táquions, o efeito Casimir, o
vácuo
> quântico, os condensados de bósons, as dimensões paralelas, a
curvatura do
> espaço, a origem da matéria a partir do nada (matéria +
antimatéria), etc

Você já publicou suas idéias em algum jornal / revista especializado?

[]´s

André




SUBJECT: RES: [ciencialist] Re: Um pedido à lista
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'ciencialist@yahoogrupos.com.br'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 11:31

Também:
"Os Três Últimos Minutos" de Paul Davies

> -----Mensagem original-----
> De: rmtakata [mailto:rmtakata@altavista.net]
> Enviada em: quinta-feira, 2 de maio de 2002 09:33
> Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Assunto: [ciencialist] Re: Um pedido à lista
>
>
> Tem:
>
> "Uma breve história do tempo" de Stephen Hawkins
> "O universo em uma casca de noz" idem.
> "O universo elegante" de Brian Greene.
> "A dança do universo" de Marcelo Gleiser
> "O fim da Terra e do céu" idem.
>
> http://aventuradasparticulas.ift.unesp.br/
> http://www.sciam.com/1998/0298issue/0298duff.html
> http://plato.stanford.edu/entries/spacetime-holearg/
>
> http://encarta.msn.com/find/Concise.asp?z=1&pg=2&ti=761561386
>
> Isso como livros e artigos de divulgacao.
>
> []s,
>
> Roberto Takata
>
> --- Em ciencialist@y..., Prof. José Carlos <profjc@t...> escreveu
> > Olá à todos,
> >
> > Agradeço imensamente qualquer sugestão bibliográfica (livros e
> artigos, ou
> > mesmo sites, em qualquer língua) abordando os temas:
> > - massa
> > - tempo
> > - espaço
> > bem como a evolução desses conceitos ao longo da história e, em
> particular,
> > de newton até a atualidade.
> >
> > Abraços,
> >
> > ____________________
> > Prof. José Carlos (JC)
> > profjc@t...
> > ICQ 11734153
> > ____________________
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 11:37

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
escreveu
>
> Há quem diga que todo cientista *teorizador* carrega um artista
dentro de
> si, ou que a intuição voltada para a ciência confunde-se, sob certos
> aspectos, com a intuição voltada para a arte. Einstein, por
exemplo, tocava
> violino (já ouvi dizerem que era um péssimo violinista, mas pelo
menos
> tocava); Planck tocava piano; Feynmann tocava bongô; Mário
Schemberg pintava
> quadros; Jourdain fazia poesias; Leonardo da Vinci... fazia
ciência; e por
> aí vai.


Falta verificar se os artistas de um modo geral tem talento para a
ciência. Não disponho de dados confiáveis sobre o assunto, mas aposto
todos os meus tostões como não. A propósito, saiu uma reportagem na
veja dessa semana sobre o papelão que alguns artistas deram no "show
do milhão" deixando de responder ou errando algumas perguntas
ridículas.

Segundo li, Einstein tocava um violino razoável. Parece haver uma
resistência geral a se admitir que uma pessoa com algum talento
excepcional possa ser também razoavelmente boa em outra área.


[]´s

André Baptista





SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
FROM: TARCISIO BORGES <tbs97@fisica.ufpr.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 11:43

On Thu, 2 May 2002, andrediasbaptista wrote:
> Segundo li, Einstein tocava um violino razoável. Parece haver uma
> resistência geral a se admitir que uma pessoa com algum talento
> excepcional possa ser também razoavelmente boa em outra área.

Dentro do curso de física da UFPR existe um número razoável de músicos e
artistas amadores e profissionais de diversas áreas.

Tenho observado que músicos de um modo geral não diferem da média da
população em conhecimento científico.

PS: já estudei alguns anos de violino e toquei em orquestra.

[]s
TARCISIO BORGES
tbs97@fisica.ufpr.br
Seja responsável, vote nulo.
One Ring to rule them all



SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 12:02

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> Agradeceria muito se algum físico conseguisse demonstrar
> incoerências nas minhas explicações

Nao e' uma incoerencia, mas as "informacoes" mesquitianas
apresentam propriedades surpreendentes -- interagem com a
materia sem transmitir energia, embora altere a quantidade
de movimento da particula; possuem velocidades variaveis q.
se casam exatamente com o tempo necessario para serem
lancadas e alcancarem as particulas a tempo de interagirem
com elas do outro lado de uma fenda; viajam a velocidades
maiores do q. c: o q. tecnicamente permitiria transportar
informacoes ao longo do tempo nos dois sentidos -- uma
particula interferir com ela mesma antes mesmo de existir,
p.e.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 12:09

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> A propósito, saiu uma reportagem na veja dessa semana sobre o
> papelão que alguns artistas deram no "show do milhão" deixando de
> responder ou errando algumas perguntas ridículas.

Estao atirando pedras e esquecendo do proprio
telhado de vidro. Suspeito q. jornalistas
nao se sairiam muito melhor.

Atenuantes para os artistas (e os respondentes
em geral): a maioria possui uma baixa
escolaridade e ha' o fator nervosismo q.
conta muito.

> Parece haver uma resistência geral a se admitir que uma pessoa com
> algum talento excepcional possa ser também razoavelmente boa em
> outra área.

Talento necessita ser cultivado para se
tornar uma habilidade. E isso demanda tempo.
Dado q. tempo e' um recurso finito na
vida das pessoas, em media, nao se espera
mesmo q. alguem possa ser multi-habilidoso.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 12:13

Olá Manuel, Marcos e pessoal:

--- Em ciencialist@y..., Manuel Bulcão <manuelbulcao@u...> escreveu:

na presença de alguns fatores extra-genéticos, o autismo se
> desenvolve; na ausência desses fatores, a criança não se tornará
autista, embora amiúde virá a apresentar um temperamento
acentuadamente esquizotímico. (a esquizotimia é um comportamento não
patológico cujas características são maior ou menor grau de
interiorização, timidez, reações inapropriadas às situações e
tendência ao idealismo.)

Existe uma forma branda de autismo conhecida como "síndrome de
Asperger". (Não sei se seria a mesma coisa que a esquizotimia).


>
> Já comentei aqui nesta lista que tenho um filho autista. Meu pai
costuma
> dizer que o Ulisses (meu filho) sou eu piorado. De fato, comecei a
falar
> muito tarde, quase aos três anos de idade, apresento até hoje uma
forte
> tendência ao isolamento (morro de inveja desses etólogos malucos que
> permanecem anos embrenhados na mata, na mais completa solidão,
estudando o
> comportamento de macacos, preguiças, etc.), além do que, como os
autistas,
> também apresento um forte impulso para a repetição. Para vocês
terem uma
> idéia, o livro de Adolfo S. Vazquez "Filosofia da Práxis", um
calhamaço de
> 500 páginas, eu o li cinco vezes; "Angústia", de Graciliano Ramos,
oito
> vezes, e, atualmente, estou lendo pela quarta vez o livro "O Que
Aconteceu
> na História, de V. Gordon Childe.


A primeira vista você poderia ser tentado a se classificar como
portador de Asperger, assim como muitas pessoas com tendencia a
solidão/isolamento. Mas me parece que mesmo na sua forma branda
(Asperger), o autismo é uma coisa muito mais séria. É uma
incapacidade biológica de empatia e comunicação emocional (entender
os sentimentos dos outros). É interessante, por exemplo, a crônica de
Oliver Sacks sobre Temple Grandin, uma portadora de Asperger que
conseguiu se tornar muito bem sucedida em sua área profissional
(projetos de estábulos e outras instalações para cavalos e bois, se
não me engano). Ela desenvolveu uma "máquina de abraço" para suprir
suas carências afetivas, já que é incapaz de abraçar um ser humano.
Os seres humanos são para ela criaturas estranhas e imprevisíveis;
ela se sente como um "antropologista em marte" (Esse é o título do
livro de Sacks); Tudo o conhecimento que ela tem sobre o comportamento
humano foi adquirido de forma indireta - através de livros e
explicações teóricas. Em suma, o ser humano é para ela um objeto a
mais na paisagem, porém um objeto complicado e com o qual ela tem que
aprender a conviver. Esse é um exemplo de um caso de síndrome de
asperger, uma forma "branda" de autismo. Percebe-se que é uma coisa
muito mais profunda do que apenas um trauma ou uma fuga psicológica.
Minha opinião é que o "autismo psicogênico" deva ser um termo
impróprio para outros distúrbios mentais que resultam em isolamento e
fechamento em si mesmo. Aliás esses sintomas são muito comuns em
portadores das mais variadas doenças mentais, tanto por causa do
distúrbio em si, quanto pelo fato de ser mais confortável para o
portador do distúrbio levar uma vida isolada, longe dos olhos ( e
portanto da avaliação crítica) dos outros.

Bem desculpem-me se me meti numa seara que não é minha, mas isso é um
fardo que os psicanalistas e psicólogos tem que aprender a enfrentar
(o próprio Freud teria se lamentado sobre isso numa carta a Einstein,
chamando-o de sortudo por que em sua área não tinha que deparar todo
dia com palpiteiros e pretensos entendidos). De psicologia e futebol,
todos têm seu palpite para dar :-)

[]´s

André Baptista







SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 12:26

--- Em ciencialist@y..., TARCISIO BORGES <tbs97@f...> escreveu
> Dentro do curso de física da UFPR existe um número razoável de
músicos e
> artistas amadores e profissionais de diversas áreas.
>
> Tenho observado que músicos de um modo geral não diferem da média da
> população em conhecimento científico.
>
> PS: já estudei alguns anos de violino e toquei em orquestra.
>


Parece haver um senso estético comum na apreciação da matemática e da
música clássica. Já música pop / rock´n roll / bate -estaca ... argh
Provavelmente se obervará uma correlação negativa entre os
praticantes dessas modalidades artísticas e o conhecimento científico
(possivelmente o consumo excessivo de cannabis sativa bloquerá a
formação das conexões cerebrais necessárias) :-)

[]
´s

André



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
FROM: TARCISIO BORGES <tbs97@fisica.ufpr.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 12:47

On Thu, 2 May 2002, andrediasbaptista wrote:
> (possivelmente o consumo excessivo de cannabis sativa bloquerá a
> formação das conexões cerebrais necessárias) :-)

Mas há também o consumo excessivo de ervas finas dentro das universidades,
falta-me dedos para contar os colegas que fumam regularmente, além dos que
dão apenas um teco. E eu estou falando apenas de THC.

[]s
TARCISIO BORGES
tbs97@fisica.ufpr.br
Seja responsável, vote nulo.
One Ring to rule them all



SUBJECT: Re: [ciencialist] Lancamentos Bienal
FROM: "Zaratustra" <zaratustra@gaz.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 12:48


A Edusp em coedicao com a Imprensa Oficial
lança na Bienal do Livro de S. Paulo uma
traducao do "Principia Matematica" de um
certo Newton.

Quando esse livro vai estar disponivel ? Se já estiver disponivel, aonde posso compra-lo ?

Abraço.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: o truque era ter continuado a ler...
FROM: "Sandro Silva" <anhangah@hotmail.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 13:03


> Data: Thu, 25 Apr 2002 12:49:01 -0000
> De: "evoluindo" <rcordeiro@writeme.com>
> Assunto: Re: Truquezinho anti-virus
>
>Mas será que isso funciona?
>
>Os micros pessoais não enviam o e-mail direto ao servidor do
>destinatário, e sim ao servidor de e-mail do provedor para que este
>encaminhe a mensagem. Por isso, nem o Outlook, nem o worm têm
>condições de saber se um endereço é falso ou não. Eles apenas enviam
>a mensagem para o provedor, que por sua vez vai tentar enviá-la ao
>destinatário. Se o endereço for falso, quem vai receber uma mensagem
>de erro é o provedor, que só então vai retornar um aviso ao remetente.
>
>Também acho improvável que o vírus aguarde o retorno de uma mensagem
>(que pode não vir nunca) para enviar outra para o endereço seguinte
>da lista. Ele não precisa fazer isso, nem seria algo útil à
>propagação, e ainda tornaria o código do vírus mais complicado e
>extenso. Esses worms costumam ter seu próprio cliente SMTP para
>enviar as mensagens. Mas para receber um retorno teriam que ter
>também um cliente POP3, e alguma inteligência para entender um e-mail
>de erro enviado pelo provedor, que pode vir em diversos formatos e
>idiomas diferentes. E também não há nenhuma garantia de que o POP3 do
>Outlook não pegaria essa mensagem primeiro. Muito complicado, mesmo
>para um vírus moderno.
>
>Entre o envio e a resposta (que pode demorar dependendo da
>programação e da carga do servidor), é possível que o worm envie
>mensagens para vários contatos. Por isso, a melhor solução ainda
>continua sendo evitar a infecção. Atualizar o Internet
>Explorer/Outlook para a versão 6 (que fecha a falha explorada pelo
>vírus Klez e outros) e ter um anti-vírus atualizado na máquina.
>
>Ou abandonar o Windows.
>
>[]s
>Ronaldo
>
>
>--- Em ciencialist@y..., "Villem" <neville@c...> escreveu
> > Oi amigos:
> > Estou repassando por considerar ser do interesse de todos. Grande
>abraço a
> > todos.
> > Neville
> > ______________________________________________
> >
> > Como você deve saber, quando um vírus worm entra no seu
>computador,
> > vai direto para o seu caderno de endereços e se auto-envia para
>todo mundo
> > que está em sua lista, infectando assim seus amigos e colegas de
>trabalho.
> >
> > Este truque não vai remover o vírus de seu computador, mas
>impedirá que
> > ele use seu caderno de endereços para se espalhar por toda parte,
>e ainda
> > alertará você sobre o fato do worm ter entrando no seu sistema.
> > Eis o que fazer:
> >
> > - Abra seu caderno de endereços e clique em "novo contato"
>como se
> > estivesse realmente adicionando um novo endereço na sua lista.
> >
> > - Na janela onde você digitaria o nome, digite !000 Worm
>Alert ( ponto
> > de exclamação, seguido por três zeros, etc.).
> >
> > - Na janela abaixo, onde deve digitar o novo endereço de e-
>mail, tecle
> > um falso endereço como, p.e., wormalert@x...
> >
> > - Então finalize a operação teclando acrescentar, enter ou
>salvar.
> >
> > Agora entenda como o truque funciona:
> >
> > O "nome" !000 será automáticamente colocado no topo de seu
>caderno de
> > endereços como sendo o primeiro da lista.
> > É por lá que o worm vai começar seu esforço de seu auto-enviar
>para todos
> > os seus amigos e colegas.
> > Mas quando ele tentar se auto-enviar para !000, isso será
>impossível por
> > ser um endereço falso e inexistente.
> > Se a primeira tentativa falhar, o worm não irá adiante e os
>endereços de
> > seus contatos não serão infectados.
> >
> > Há outra vantagem i9mportante: Como o e-mail não pode ser
>enviado, você
> > será notificado disto na sua caixa de entrada quase que
>imediatamente e,
> > portanto, se você receber um e-mail avisando que o a mensagem
>endereçada a
> > Worm Alert não pode ser enviada, saberá que tem um vírus worm em
>seu
> > sistema.
> >
> > Daí poderá tomar todas as providências para se livrar da praga.
> > ------------------------------------------------------------------
>--
>


_________________________________________________________________
Chegou o novo MSN Explorer. Instale já. É gratuito:
http://explorer.msn.com.br



SUBJECT: Re: Lancamentos Bienal
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 13:27

--- Em ciencialist@y..., "Zaratustra" <zaratustra@g...> escreveu
> Quando esse livro vai estar disponivel ? Se já estiver disponivel,
> aonde posso compra-lo ?

Ou na Bienal ou nas melhores casas do ramo (daqui a pouco).

http://www.usp.br/edusp/

http://www.bienaldolivro.com.br/

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 13:56

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> Já música pop / rock´n roll / bate -estaca ... argh
> Provavelmente se obervará uma correlação negativa entre os
> praticantes dessas modalidades artísticas e o conhecimento
> científico

Entao meu conhecimento cientifico deve tender a
zero. :-( (Mas a minha esperanca e' q. o termo
'praticantes' nao se estenda aos apreciadores...
ou q. por nao gostar de techno diminua em um terco
a minha 'inguinoranssa'.)

Os paleontologos pelo menos sao apreciadores do
bom e velho roquenrol: Lucy, uma das mais famosas
ancestrais nossas, foi batizada sob o embalo da
musica dos Beatles; Masiakasaurus knopfleri, um
teropode bizarro, sob a inspiracao dos Dire Straits.

E tem algumas experiencias bem interessantes de
cruzamento entre pop e ciencia:

http://www.britneyspears.ac/lasers.htm
http://www.mchawking.com/

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 14:20

--- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > Já música pop / rock´n roll / bate -estaca ... argh
> > Provavelmente se obervará uma correlação negativa entre os
> > praticantes dessas modalidades artísticas e o conhecimento
> > científico
>
> Entao meu conhecimento cientifico deve tender a
> zero. :-( (Mas a minha esperanca e' q. o termo
> 'praticantes' nao se estenda aos apreciadores...
> ou q. por nao gostar de techno diminua em um terco
> a minha 'inguinoranssa'.)

Não se estende aos apreciadores. Em meu acervo particular constam
diversos espécimes desse negócio chamado "rock". Também tem um pouco
de "axé" e até "forró". Trata-se de música para as partes baixas -
então ter ou não cérebro não afeta muito a apreciação. Consta que num
experimento ainda não publicado foi removido o sistema nervoso
central de uma dançarina de axé, e não só ela continuou rebolando ao
som da música como seu desempenho aumentou sensivelmente. :-). Mas
falando sério, veja como a apreciação de genêros musicais mais
populares está relacionada a ingestão de drogas que inibem o
raciocínio.

[]´s

André






SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 14:43

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> falando sério, veja como a apreciação de genêros musicais mais
> populares está relacionada a ingestão de drogas que inibem o
> raciocínio.

Popular onde? Em Mato Grosso, no Acre, no Rio Grande do Sul, em Sao
Paulo, no Rio de Janeiro, na Bahia, em Pernambuco, em Quirguistao, em
Cuba, na Tanzania ou na Laponia?

[]s,

Roberto Takata





SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 14:54

--- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > falando sério, veja como a apreciação de genêros musicais mais
> > populares está relacionada a ingestão de drogas que inibem o
> > raciocínio.
>
> Popular onde? Em Mato Grosso, no Acre, no Rio Grande do Sul, em Sao
> Paulo, no Rio de Janeiro, na Bahia, em Pernambuco, em Quirguistao,
em
> Cuba, na Tanzania ou na Laponia?
>
> []s,
>
> Roberto Takata


Em toda parte. A música popular, de maneira geral, é fundada numa
melodia repetitiva e num ritmo monótono que favorece a indução de
estados de transe. O efeito é melhor conseguido quando se combina com
o consumo de álcool ou outras drogas relaxantes ou indutoras de
delírios. Isso se aplica ao batuque dos índios, ao rock, ao reggae,
ao forró, etc.

[]´s

André Baptista



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 15:15

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> Em toda parte. A música popular, de maneira geral, é fundada numa
> melodia repetitiva e num ritmo monótono que favorece a indução de
> estados de transe.

A nona sinfonia de Beethoven nao e' repetitiva em
suas quatro notas? Tam-tam-tam-tam.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Livro é cultura
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 15:20

A propósito da Bienal, selecionei alguns títulos de lançamentos que
parecem promissores.

Astrologia e terrorismo
Curso de Preparação para Evangelizador Infanto-Juvenil
Evangelização Infanto-Juvenil
Mediumnidad (lançamento em espanhol)
Tiradentes Missionario
Bruxaria Natural "Uma escola de Magia"
Caldeirão da Bruxa
Segredos da Bruxa
Tudo sobre aromaterapia
A dieta dos grupos sangüíneos
Mapa dos Chakras
Rios de Chi
Deus, a força que cura!
Homossexuais e a Ética Cristã
Bíblia de estudo da mulher
Jesus de jeans
O poder da profecia positiva
Bruxaria Corporativa
Bruxaria - Teoria de Prática
Todas as Deusas do mundo
A natureza espiritual e carnal do homem segundo o livro gênesis
Destino Final: O Que a Bíblia reserva sobre o Céu
A magia do eu posso/Vozes no jardim
Dancas Circulares Sagradas-Uma Proposta de Educação e Cura
A espiritualidade do eneagrama
A terapia do jogo de areia

http://www.bienaldolivro.com.br/frm_lancamentos.asp#

[]´s

André Baptista









SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 15:31

--- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > Em toda parte. A música popular, de maneira geral, é fundada numa
> > melodia repetitiva e num ritmo monótono que favorece a indução de
> > estados de transe.
>
> A nona sinfonia de Beethoven nao e' repetitiva em
> suas quatro notas? Tam-tam-tam-tam.
>

Acho que você se refere a introdução da Quinta? A música clássica não
se baseia na melodia e não no ritmo. O "tam-tam-tam-tam" da quinta
sinfonia é uma espécie de tema, que se repete algumas vezes mas
sempre com variações criativas. Da mesma forma o quarto movimento da
nona sinfonia se baseia na repetição de um tema, o famoso "ode a
alegria", mas sempre com variações.


[]´s

André





SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 15:35

--- Em ciencialist@y..., TARCISIO BORGES <tbs97@f...> escreveu
> On Thu, 2 May 2002, andrediasbaptista wrote:
> > (possivelmente o consumo excessivo de cannabis sativa bloquerá a
> > formação das conexões cerebrais necessárias) :-)
>
> Mas há também o consumo excessivo de ervas finas dentro das
universidades,
> falta-me dedos para contar os colegas que fumam regularmente, além
dos que
> dão apenas um teco. E eu estou falando apenas de THC.
>

Bom, cada um livre para fumar o que quiser... o triste é saber que os
impostos que eu pago estão financiando os estudos (ou a falta de)
desse pessoal. (E também os tratamentos com reabilitação nos
hospitais, os prejuízos decorrentes de acidentes, etc, etc)

[]´s

André Baptista






SUBJECT: Re: Um pedido à lista
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 15:42

A melhor biografia de Newton, "Never at Rest" de Richard Westfall,
discute em profundidade os conceitos e a origem da mecânica
newtoniana. "A vida de Isaac Newton" é uma versão popular da mesma
obra, mas ainda assim tem alguma discussão conceitual.

[]´s

André Baptista


--- Em ciencialist@y..., Prof. José Carlos <profjc@t...> escreveu
> Olá à todos,
>
> Agradeço imensamente qualquer sugestão bibliográfica (livros e
artigos, ou
> mesmo sites, em qualquer língua) abordando os temas:
> - massa
> - tempo
> - espaço
> bem como a evolução desses conceitos ao longo da história e, em
particular,
> de newton até a atualidade.
>
> Abraços,
>
> ____________________
> Prof. José Carlos (JC)
> profjc@t...
> ICQ 11734153
> ____________________



SUBJECT: RES: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'ciencialist@yahoogrupos.com.br'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 15:43

> -----Mensagem original-----
> De: rmtakata [mailto:rmtakata@altavista.net]
>
> --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > Em toda parte. A música popular, de maneira geral, é fundada numa
> > melodia repetitiva e num ritmo monótono que favorece a indução de
> > estados de transe.
>
> A nona sinfonia de Beethoven nao e' repetitiva em
> suas quatro notas? Tam-tam-tam-tam.

É mais que repetitivo. Até o tam-tam-tam-tam é uma repetição
sol-sol-sol-mi bemol uma terça abaixo e depois repete fa-fa-fa-ré.

O cara não é só um gênio, como tirou um sarro daqueles músicos
que despejam mil-e-trocentas notas no pentagrama.

Ele conseguiu produzir uma obra prima com apenas duas notas, sendo
que a primeira se reprete 3 vezes.

Vixxxxx

Alexandre Medeiros


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Livro é cultura
FROM: "Luis Roberto Brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 15:47

Astrologia e terrorismo

**Solucao... impedir Júpiter de avancar pela segunda casa de Saturno, a
esquerda de quem entra.

Curso de Preparação para Evangelizador Infanto-Juvenil

**Lembrei do "Manual do Agente do Dizimo" (existe mesmo)

Evangelização Infanto-Juvenil
Mediumnidad (lançamento em espanhol)
Tiradentes Missionario
Bruxaria Natural "Uma escola de Magia"

**Existe bruxaria artificial?

Caldeirão da Bruxa
Segredos da Bruxa
Tudo sobre aromaterapia

**Indo direto ao assunto ..."Fedores que curam".

A dieta dos grupos sangüíneos

**Dieta da Lua (revelando o segredo... soh pode comer quando tem eclipse)

Mapa dos Chakras

**Em seguida lancamentos de Mapas de sitios, fazendas...

Rios de Chi

**Rios de Chi Chi (edicao ampliada)

Deus, a força que cura!
Homossexuais e a Ética Cristã

**Serah que falam do Levítico 20,13 - "Se um homem se deitar com um homem,
como
se deita com uma mulher, ele deve ser morto, o seu sangue deve ser
derramado". ??

Bíblia de estudo da mulher
Jesus de jeans

**Outro livro importante eh ... "Moral de cuecas"

O poder da profecia positiva
Bruxaria Corporativa
Bruxaria - Teoria de Prática
Todas as Deusas do mundo
A natureza espiritual e carnal do homem segundo o livro gênesis
Destino Final: O Que a Bíblia reserva sobre o Céu
A magia do eu posso/Vozes no jardim
Dancas Circulares Sagradas-Uma Proposta de Educação e Cura
A espiritualidade do eneagrama
A terapia do jogo de areia

**Prefiro a "Terapia do Joelhaco"

http://www.bienaldolivro.com.br/frm_lancamentos.asp#

[]´s

André Baptista


Ateh
Luis Brudna - espirito de porco

http://www.humornaciencia.cjb.net




SUBJECT: Re: A Farsa de Thomaz Green Morton
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 16:03

--- Em ciencialist@y..., "Fabiano Reis" <fab.reis@t...> escreveu
> UM RELATO COMPLETO:
> SETE DIAS NA CASA DE THOMAZ GREEN MORTON
>


Cadê a farsa? Só encontrei rasgação de seda nesse texto.
Impressionante não são os poderes paranormais, mas o "lobby" que esse
sujeito verde tem.

[]´s

André Baptista



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 16:10

----- Original Message -----
From: "andrediasbaptista"
Sent: Thursday, May 02, 2002 11:25 AM
Subject: [ciencialist] Re: Bem-vindos

> Você já publicou suas idéias em algum jornal / revista especializado?

Não. Apenas em livros, no meu website e na revista multidisciplinar da USJT
da qual sou editor e, portanto, sob esse aspecto "não vale" ;-). No passado
já tentei publicar idéias inovadoras em revistas nacionais mas percebi que
existe uma certa predisposição para a negação de tudo o que seja novidade.
Tenho outros artigos publicados (principalmente em medicina) mas sempre dou
um jeito de driblar o policiamento dos editores (o que na realidade é uma
tarefa relativamete fácil, se bem que via de regra não muito condizente com
a ética a ser obedecida pelo cientista). Quando falo em Inquisição dos
Tempos Modernos não estou brincando. A inquisição existe de fato e você só
conseguirá publicar aquilo que não vá contra os dogmas aceitos pelos donos
da ciência, qualquer que seja a área. Existe até mesmo uma "filosofia" a
justificar essa inquisição, a "filosofia" de Thomas Khun, bastante
reverenciada nos meios acadêmicos.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: RES: Ciencia e arte
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'ciencialist@yahoogrupos.com.br'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 16:16

> De: Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de [mailto:alxmpub@uol.com.br]

> > --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > > Em toda parte. A música popular, de maneira geral, é fundada numa
> > > melodia repetitiva e num ritmo monótono que favorece a indução de
> > > estados de transe.
> >
> > A nona sinfonia de Beethoven nao e' repetitiva em
> > suas quatro notas? Tam-tam-tam-tam.
>
> É mais que repetitivo. Até o tam-tam-tam-tam é uma repetição
> sol-sol-sol-mi bemol uma terça abaixo e depois repete fa-fa-fa-ré.

Ups! Estou me referindo à Quinta. Falha minha e do Takata (Putz!
Estamos perdidos, o Takata também erra).

Alexandre Medeiros


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 16:17

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> Acho que você se refere a introdução da Quinta?

Eso, eso, eso.

> se baseia na melodia e não no ritmo. O "tam-tam-tam-tam" da quinta
> sinfonia é uma espécie de tema, que se repete algumas vezes mas
> sempre com variações criativas.

Repeticoes no entanto.

Acho q. Desmond Morris e' quem defende a tese de q.
a vocacao artistica humana e' a historia da
variacao do tema.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 16:20

----- Original Message -----
From: "andrediasbaptista"
Sent: Thursday, May 02, 2002 11:37 AM
Subject: [ciencialist] Re: Ciencia e arte

Olá André

Vou responder à minha maneira, se bem que a essência do que pretendo aqui
colocar já tenha sido apresentada com bastante propriedade pelo Takata, na
msg 14301.

> Falta verificar se os artistas de um modo geral tem talento para a
> ciência.

Acredito que talento é algo que deva ser cultivado, não basta tê-lo. Via de
regra a família e/ou a escola destrói talentos natos por motivos de cunho
social.

O que pretendi dizer é que deve haver uma correlação positiva entre a
intuição que leva à criação artística e a intuição que leva à criação
científica. Dois aspectos, devem ser levados em consideração:

1) A intuição não é valorizada por todos os cientistas. Costumo fazer uma
distinção entre o que chamo cientista teorizador e o que se costuma chamar
nas academias por cientista "teórico". Teorizador é aquele que produz
teorias e normalmente gosta de atividades experimentais e até mesmo as
pratica, sempre que pode (há exceções, por ex. Einstein). "Teórico" é aquele
que *estuda* teorias dos outros e via de regra detesta o laboratório e com
freqüência vive de picuinhas com os cientistas experimentais. Para a maioria
dos "teóricos", e pelo que tenho ouvido em suas próprias palestras, a
intuição é secundária ou pouco importante. Quanto ao cientista puramente
experimental deixo a eles dizer se a intuição é ou não importante para suas
práticas e/ou produção de conhecimentos científicos. Não obstante, quero
crer que Faraday tenha sido um experimentador altamente intuitivo, chegando
mesmo a produzir excelentes teorias.

2) A grande maioria dos cientistas não se preocupa ou não tem tempo ou,
ainda, oportunidade para desenvolver seu potencial artístico. O mesmo deve
ocorrer com os artistas. Logo, espera-se que qualquer hipótese a respeito, e
a ser corroborada ou falseada, deva passar por um estudo estatístico muito
bem feito e a levar em conta inúmeros fatores. Apenas citei, na msg
anterior, alguns exemplos sugestivos, mas nada a confirmar ou a negar esta
ou aquela hipótese.

> Não disponho de dados confiáveis sobre o assunto, mas aposto
> todos os meus tostões como não. A propósito, saiu uma reportagem na
> veja dessa semana sobre o papelão que alguns artistas deram no "show
> do milhão" deixando de responder ou errando algumas perguntas
> ridículas.

Não li a reportagem mas assisti parte do programa. Decepcionante. Não digo
que aqueles artistas não tivessem aptidão para a ciência. Digo que
pareceram-me analfabetos totais. Quero crer que num curso sério de nível
superior e voltado para a arte muitos, dentre esses "artistas", seriam
reprovados. Aliás, a crise, não apenas educacional mas também de
criatividade, atingiu todos os setores da sociedade. Embora não seja muito
fã do Jô Soares, noto que os músicos de seu programa pertencem a um nível
totalmente diferente. Estes sim, são artistas de fato, além de demonstrarem
possuir uma cultura geral acima da média, o que seria necessário para não
darem vexame no "show do milhão", a meu ver um programa excessivamente
"brega".

> Segundo li, Einstein tocava um violino razoável. Parece haver uma
> resistência geral a se admitir que uma pessoa com algum talento
> excepcional possa ser também razoavelmente boa em outra área.

Espero ter deixado claro o que penso a respeito: educação, disposição,
tempo, regras sociais, oportunidade etc. Tudo isso, de alguma forma,
influencia o talento ou "potencial" para alguma atividade.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: [ciencialist] Um pedido à lista
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 16:29

----- Original Message -----
From: "Prof. José Carlos"
Sent: Wednesday, May 01, 2002 4:53 PM
Subject: [ciencialist] Um pedido à lista


LACEY, H.M., 1972, A linguagem do espaço e do tempo, Ed. Perspectiva S.A.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm


> Agradeço imensamente qualquer sugestão bibliográfica (livros e artigos, ou
> mesmo sites, em qualquer língua) abordando os temas:
> - massa
> - tempo
> - espaço
> bem como a evolução desses conceitos ao longo da história e, em
particular,
> de newton até a atualidade.




SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 16:40

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> A inquisição existe de fato e você só
> conseguirá publicar aquilo que não vá contra os dogmas aceitos
> pelos donos da ciência, qualquer que seja a área.

Sei nao... Na Nature ja' publicaram artigos do
Benveniste sobre homeopatia.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: RES: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'ciencialist@yahoogrupos.com.br'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 17:03

> -----Mensagem original-----
> De: rmtakata [mailto:rmtakata@altavista.net]
>
> --- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> > A inquisição existe de fato e você só
> > conseguirá publicar aquilo que não vá contra os dogmas aceitos
> > pelos donos da ciência, qualquer que seja a área.
>
> Sei nao... Na Nature ja' publicaram artigos do
> Benveniste sobre homeopatia.

Acho que essa propositura não invalidada a do Mesquita, uma
vez que os homeopatas também se passam por donos da ciência
por força do lobby.

Alexandre Medeiros


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 17:18

Olá Alberto e pessoal

Muito tem se escrito sobre ciência e arte. À ciência parece
interessar o "glamour" da arte, e à arte a "respeitabilidade" da
ciência. Isso acabou gerando muita especulação e muito non-sense, com
as tentativas, por exemplo, de se associar a arte moderna à física
moderna. Essas associações em geral se baseiam no desconhecimento do
que é realmente a ciência e particularmente a física. Um dos erros
mais comuns é se confundir a Relatividade com Relativismo, p.e. Já
por parte dos cientistas as vezes também parece haver uma forçação de
barra, quando se tenta em textos de divulgação bem intencionados
falar em "poesia da natureza", etc. De minha parte acho que
reconhecer que a arte não têm nada a ver com ciência não é um
demérito para nenhuma das duas. Essa desvinculação não implica de
maneira nenhuma em se considerar a ciência uma atividade fria e sem
criatividade. Pelo contrário, a ciência é uma atividade extremamente
criativa, e nesse processo criativo usa muitíssimo a intuição.
Observar e descrever a natureza simplesmente não é fazer ciência. A
transformação da simples observação numa teoria científica é uma
atividade altamente criativa, não sendo possível reduzí-la a um mero
algoritmo observação-indução. A arte originalmente buscava
simplesmente agradar ao senso estético (hoje em dia não sei mais
exatamente o que a arte busca - alguns críticos dizem que arte boa é
aquela que choca e perturba - eu hem? como se o bin laden, o sharon e
o pcc já não me perturbassem o suficiente). Já na ciência a estética
é incidental - se agrada ótimo, mas o importante é que funcione. Acho
meio forçação de barra, por exemplo, dizer que uma teoria que prevê
10 ou 11 dimensões seja altamente estética (como as supercordas)
embora seu conceito fundamental seja teoricamente estético (a
supersimetria).

Em suma, a ciência é única atividade humana progressiva, enquanto a
arte é circular. Na verdade, observando-se as pinturas fantásticas da
caverna de Lascaux pode-se dizer que o senso estético da humanidade
pouco progrediu nos últimos 35.000 anos (talvez tenha regredido).
Quer se tornar um artista respeitado atualmente? Bajule os ricos e
famosos, faça um tipo, seduza uma "Marchand" da alta sociedade. Pose
de alternativo e cabeça e produza rabiscos irreconhecíveis. Mas o
mais importante, cobre muito caro por cada "obra", porque se é caro é
bom.

Fico por aqui

[]´s

André Baptista - atrasado para buscar as crianças na escola.



SUBJECT: Re: [ciencialist] Um pedido à lista
FROM: "Silvio Cordeiro" <scf@escelsa.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/05/2002 17:25

Caro prof.:
massa: www.pasteis.com
tempo: www.vai chover.com.br
espaço: www.mst.com.br.
livros:
massa: Cozinha maravilhosa da Sueli
tempo: no tempo das diligências, by J. Ford
espaço: como fazer foguetes para explorar o cosmos.

silvio.
-
---- Original Message -----
From: "Prof. José Carlos" <profjc@terra.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Wednesday, May 01, 2002 4:53 PM
Subject: [ciencialist] Um pedido à lista


Olá à todos,

Agradeço imensamente qualquer sugestão bibliográfica (livros e artigos, ou
mesmo sites, em qualquer língua) abordando os temas:
- massa
- tempo
- espaço
bem como a evolução desses conceitos ao longo da história e, em particular,
de newton até a atualidade.

Abraços,

____________________
Prof. José Carlos (JC)
profjc@terra.com.br
ICQ 11734153
____________________



&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: RES: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 17:30

--- Em ciencialist@y..., "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
> Acho que essa propositura não invalidada a do Mesquita, uma
> vez que os homeopatas também se passam por donos da ciência
> por força do lobby.

So' q. homeopatia, por eqto, vai contra os fundamentos da
ciencia. Tto e' q. o artigo foi publicado com ressalvas e
motivou posterior investigacao das condicoes em q. os resultados
foram obtidos -- uma comissao enviada pela revista encontrou
diversos problemas: q. foram creditadas a uma das assistentes
de Benveniste (um dos modos de nunca errar: arranje um
bode expiatorio).

Mas ha' outros exemplos: experimentos relatando a obtencao de
ondas com velocidades superluminais (e sem a interpretacao
de velocidade de grupos de ondas), a Associacao Aamericana
de Parapsicologia faz parte da AAAS, a interpretacao de Bohm
e' bem divergente da interpretacao quantica da realidade e
de diversos experimentos - no entanto continuam gerando
trabalhos publicados, ate' Rupert Sheldrake e seus campos
morficos encontram guarida nas publicacoes (bem, meio deslocado
do mainstream, mas ainda emplacam artigos em revistas indexadas).

A vida dos outsiders nao e' facil, mas eles ainda encontram
espaco.

Algumas possibilidades de se publicar artigos contestadores:

* Ganhe um premio Nobel. Vc passa a ter as costas quentes e
pode publicar a bobagem q. quiser na revista em q. quiser:
Francis Crick pôde ser levado a serio em sua teoria de q.
seriamos fruto de experimentos alienigenas.

* Entre na National Academy of Science. Vc passa a ter o
direito de publicar sem revisao previa no PNAS.

* Escolha alguma revista mais obscura. De preferencia
publique em alemao.

* Faça amizade com algum figurao da area. Deixe ele
de porre e faça com q. ele concorde em ser o
co-autor do artigo.

* Tenha dados bem consistentes q. falseie a teoria
vigente.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: O moderador
FROM: "Rodrigo" <digodf@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 17:54

Favor retirar meu e-mail desta litsa de discursão...
Obrigado.
Rodrigo.


__________________________________________________________________________
Quer ter seu próprio endereço na Internet?
Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados.
DomíniosBOL - http://dominios.bol.com.br




SUBJECT: Re: [ciencialist] O moderador
FROM: "Polyelton Lima" <o_proprio@hotmail.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/05/2002 18:45


>Favor retirar meu e-mail desta litsa de discursão...
>Obrigado.
Polyelton

_________________________________________________________________
O MSN Photos é o modo mais fácil de compartilhar e imprimir suas fotos:
http://photos.msn.com/support/worldwide.aspx



SUBJECT: Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "sergiotaborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 09:48


> Mas, voltando à sacada de Einstein, ele propôs que:
>
> I - As leis da Física são as mesmas em todos os referenciais
> inerciais. Não existe qualquer referencial inercial preferencial.
>
> II - A velocidade da luz a mesma em todos os referenciais
inerciais.
>
> Igualmente a Einstein, Poincaré pensou num novo tipo de
dinâmica e
> esta seria caracterizada, entre outras coisas, nenhuma velocidade
> poderia ser maior que a da luz.

Como é que de I e II se conclui isto ?

I é bem aceite desde Galileu, e II é uma evidencia face à definição
de velocidade da luz no vazio.
A menos que haja um erro em deduzir esta afirmação de I e II, não ha
volta a dar a esta questão.


[]

Sérgio Taborda




SUBJECT: Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "sergiotaborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 10:38


> Pense por exemplo na velocidade do som

(...)

> Para um físico clássico, e em especial, um físico newtoniano, a
velocidade da luz depende da velocidade da fonte. Logo, enquanto a
fonte estiver a uma velocidade maior
> do que c, a luz também retratará essa dependência, logo a
velocidade da luz
> não é constante (essa constância não é clássica e sim relativista).

A velocidade do som à semelhança da velocidade da luz, depende do
meio, e não da velocidade da fonte. A velocidade máxima (unica)
possivel é fixada pelo meio.
A unica variável possivel é a frequencia, essa sim, a variar com a
velocidade da fonte.
Não-relativisticamente, nem a velocidade do som nem da luz, têm
dependencia com a velocidade da fonte. Portanto, não vejo como se
enquadre a sua critica dizendo que a independencia da velocidade é
algo inventado pelos relatistas.
É um facto experimental. Não é imaginação de ninguem.

Ninguem mediria a velocidade de uma ambulância pela velocidade do seu
som, mas sim pela diferença da frequencia do som.

s = lambda f0

lambda é a distancia entre dois pontos com igual amplitude.
f0 é a frequencia original do som. (como seria medida em repouso)
s é a velocidade do som, caracteristica do meio.

Lamdba é uma distancia caracteristica do som emitido e não varia pq
f0 e s são constantes num dado meio. Note-se a importancia de s ser
constante.

lambda =s / f0

Em movimento ela terá o mesmo lambda pq ele apenas depende da
frequencia emitida e do meio.
Contudo f será diferente pois f está relacionado com o tempo
(periodo) que cabe num lambda.Por outras palavras f depende do tempo
que o sinal demora a precorrer a distancia lambda

lambda f=(s + v) (composição de velocidades de galileu)

substituindo temos:

s f /f0 = s+ v <=> (*)
f/f0 = 1 + v/s <=>

(f - f0) / f0 = v/s

Que é a formula para o efeito Doppler.
A qual é obtida SE a composição de velocidade de Galileu é
verdadeira e SÓ SE a velocidade do som no meio é Constante.

O mesmo se pode fazer para a luz com s=c.

não vejo onde esteja a necessidade de relatividade nisto, e não vejo
como podes afirmar que a constancia da velocidade da luz vá contra os
principios classicos.
Não vejo como podes aceitar algo que vai contra a experiencia.

[]

Sérgio Taborda

(*)
Para aqueles que estão pensando que se s=c , c+v é maior que a
velocidade da luz e portanto uma violação clara das leis da
relatividade, a vossa atenção para que esta velocidade é de fase e
não de grupo. A velocidade de fase é sempre maior ou igual que a da
luz/som, pq a velocidade de grupo é sempre menor ou igual a ela:

Vfase*Vgrupo=c²

Donde não ha violação nenhuma de nenhuma lei de nenhuma teoria.





SUBJECT: Re: [ciencialist] Um pedido à lista
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/05/2002 10:54

Ai estão os melhores exemplos para os três conceitos:

"Vou guardar suas sugestões para a posteridade :)))"

"Vou" - refere-se a vc - massa
"guardas suas sugestões" - refere-se a espaço para tal - espaço
"para a posteridade" - refere-se a tempo - tempo

Léo
PS: Voltando do rancho após um autêntico "jejum de dados". A quantidade de informações é tanta que devemos dar, a nós mesmos, tempo para assentá-las. Recomendo a todos que dêm a si algo como 'ao meu rancho', tanto quanto possível.
===============




SUBJECT: Re: Livro é cultura
FROM: "sergiotaborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 11:09


> **Solucao... impedir Júpiter de avancar pela segunda casa de
Saturno, a
> esquerda de quem entra.

Não existe tal coisa como a "segunda casa de Saturno"

> Bruxaria Natural "Uma escola de Magia"
>
> **Existe bruxaria artificial?

Sim. Existe uma corrente que alia a tecnologia moderna à prática de
Magia. Não sei promenores, mas existe.

[]

Sérgio Taborda



SUBJECT: Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 11:18

--- Em ciencialist@y..., "sergiotaborda" <sergiotaborda@n...> escreveu
>
> A velocidade do som à semelhança da velocidade da luz, depende do
> meio, e não da velocidade da fonte. A velocidade máxima (unica)
> possivel é fixada pelo meio.


Mas a diferença fundamental é que a velocidade do som medida por um
observador depende da velocidade do observador em relação ao meio de
propagação (no caso o ar), enquanto que a medida da velocidade da luz
será igual para qualquer observador.


>
> não vejo onde esteja a necessidade de relatividade nisto, e não
vejo
> como podes afirmar que a constancia da velocidade da luz vá contra
os
> principios classicos.
> Não vejo como podes aceitar algo que vai contra a experiencia.
>

Vai contra os príncipios clássicos porque a medida da velocidade da
luz independe da velocidade do observador. Porque implica na
dilatação do tempo e na contração do espaço. Daí pode-se deduzir que
E = MC2. Desafio você a deduzir a equivalencia entre massa e energia
usando a mecânica clássica.

[]´s

André baptista




SUBJECT: Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "sergiotaborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 12:22


> > A velocidade do som à semelhança da velocidade da luz, depende do
> > meio, e não da velocidade da fonte. A velocidade máxima (unica)
> > possivel é fixada pelo meio.
>
>
> Mas a diferença fundamental é que a velocidade do som medida por um
> observador depende da velocidade do observador em relação ao meio
de
> propagação

Porquê?
A velocidade do som depende da densidade do meio ( dos coeficientes
de poisson e de Young, se bem me lembro, que tb são caracteristicos
do meio), o meio é o mesmo para todos os observadores seja qual for a
velocidade do observador, seja qual for a origem do referencial. A
densidade é uma propriedade intensiva.
Assim sendo não ha razão nenhuma para que a velocidade seja diferente.

Não ha qq diferença entre o som e a luz neste aspecto.
Ambas dependem de propriedades do meio e não do referencial.

(propriedades intensivas são sempre as mesmas em qq referencial)

> > não vejo onde esteja a necessidade de relatividade nisto, e não
> vejo
> > como podes afirmar que a constancia da velocidade da luz vá
contra
> os
> > principios classicos.
> > Não vejo como podes aceitar algo que vai contra a experiencia.
> >
>
> Vai contra os príncipios clássicos porque a medida da velocidade da
> luz independe da velocidade do observador.

Não vai contra os principios classicos que a vel seja independente do
observador. Em vez de "velocidade da luz" pense em permeabilidade
magnética e permitividade electrica.
E agora pense como é que no vazio essas quantidades dependem da
velocidade dos observadores.
Não dependem. São constantes que dependem apenas do meio.
Então se não dependem, a velocidade da luz que é calculada co inverso
da raiz quadrada do produto dessas quantidades, tb não depende.

Não ha qq violação dos principios classicos.
Além disso a experiencia mostra que assim é.

>Porque implica na dilatação do tempo e na contração do espaço.
>Daí pode-se deduzir que
> E = MC2. Desafio você a deduzir a equivalencia entre massa e
energia
> usando a mecânica clássica.

Concerteza.
Das equações de Maxwell (que são classicas) você deduz que E=pc
e vc sabe classicamente que p=mv. Para a luz q se desloca a v=c,
temos p=mc.

Então E= pc=(mc)c = mc².

Nenhuma hipotese extra foi feita. Isto é puramente clássico.


[]

Sérgio Taborda



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/05/2002 13:40

Taborda (aquele que me intitula como místico científico ... e dá ótimas sugestões) e todos,

Para o som, a função que permite a obtenção da freqüência aparente percebida pelo observador, inclui uma parcela devida ao movimento do meio (ar) em relação ao solo.
Eis a expressão geral:

f(aparente) = f(real).(vsom + var - vobs)/(vsom +var -vfonte)

Tudo isso pode ser visto na bíblia científica, tb conhecida como Imperdível, em :
http://www.feiradeciencias.com.br/sala10/10_T02.asp

[]'
Léo
=========
-----Mensagem Original-----
De: "sergiotaborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: sexta-feira, 3 de maio de 2002 12:22
Assunto: [ciencialist] Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein



> > A velocidade do som à semelhança da velocidade da luz, depende do
> > meio, e não da velocidade da fonte. A velocidade máxima (unica)
> > possivel é fixada pelo meio.
>
>
> Mas a diferença fundamental é que a velocidade do som medida por um
> observador depende da velocidade do observador em relação ao meio
de
> propagação

Porquê?
A velocidade do som depende da densidade do meio ( dos coeficientes
de poisson e de Young, se bem me lembro, que tb são caracteristicos
do meio), o meio é o mesmo para todos os observadores seja qual for a
velocidade do observador, seja qual for a origem do referencial. A
densidade é uma propriedade intensiva.
Assim sendo não ha razão nenhuma para que a velocidade seja diferente.

Não ha qq diferença entre o som e a luz neste aspecto.
Ambas dependem de propriedades do meio e não do referencial.

(propriedades intensivas são sempre as mesmas em qq referencial)

> > não vejo onde esteja a necessidade de relatividade nisto, e não
> vejo
> > como podes afirmar que a constancia da velocidade da luz vá
contra
> os
> > principios classicos.
> > Não vejo como podes aceitar algo que vai contra a experiencia.
> >
>
> Vai contra os príncipios clássicos porque a medida da velocidade da
> luz independe da velocidade do observador.

Não vai contra os principios classicos que a vel seja independente do
observador. Em vez de "velocidade da luz" pense em permeabilidade
magnética e permitividade electrica.
E agora pense como é que no vazio essas quantidades dependem da
velocidade dos observadores.
Não dependem. São constantes que dependem apenas do meio.
Então se não dependem, a velocidade da luz que é calculada co inverso
da raiz quadrada do produto dessas quantidades, tb não depende.

Não ha qq violação dos principios classicos.
Além disso a experiencia mostra que assim é.

>Porque implica na dilatação do tempo e na contração do espaço.
>Daí pode-se deduzir que
> E = MC2. Desafio você a deduzir a equivalencia entre massa e
energia
> usando a mecânica clássica.

Concerteza.
Das equações de Maxwell (que são classicas) você deduz que E=pc
e vc sabe classicamente que p=mv. Para a luz q se desloca a v=c,
temos p=mc.

Então E= pc=(mc)c = mc².

Nenhuma hipotese extra foi feita. Isto é puramente clássico.


[]

Sérgio Taborda


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: Livro é cultura
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 13:56

> **Solucao... impedir Júpiter de avancar pela segunda casa de
Saturno, a
> esquerda de quem entra.

Não existe tal coisa como a "segunda casa de Saturno"

##Nao pretendia ser astrologicamente correto.

> Bruxaria Natural "Uma escola de Magia"
>
> **Existe bruxaria artificial?

Sim. Existe uma corrente que alia a tecnologia moderna à prática de
Magia. Não sei promenores, mas existe.

Sérgio Taborda


##Fico cada vez mais abismado com a capacidade inventiva dos
misticos-pseudo-seilah-oque, estava lendo algo sobre Vastu (um feng
shui
indiano) na versao em ingles do Dicionario Cetico, e pensei... "ainda
bem
que parece que isso nao existe no Brasil"... engano meu! Ontem vi na
livraria uma obra muito colorida, papel de alta qualidade, sobre este
assunto. Continha informacoes valiosas do tipo "as cercas propiciam
uma boa
energia". :)

Ateh
Luis Brudna





SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
FROM: TARCISIO BORGES <tbs97@fisica.ufpr.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 14:01

On Thu, 2 May 2002, andrediasbaptista wrote:
> > Mas há também o consumo excessivo de ervas finas dentro das
> universidades, > falta-me dedos para contar os colegas que fumam
> regularmente, além dos que > dão apenas um teco. E eu estou falando
> apenas de THC. >
>
> Bom, cada um livre para fumar o que quiser... o triste é saber que os
> impostos que eu pago estão financiando os estudos (ou a falta de)
> desse pessoal.

Não fique triste. Metade destes são extremamente competentes. Steve Jobs e
Wozniak (Apple Computer) eram assíduos consumidores do cigarro
verde-amarelo. Os que criaram o IBM-PC eram chegados apenas na
água-que-passarinho-não-bebe.


> (E também os tratamentos com reabilitação nos
> hospitais, os prejuízos decorrentes de acidentes, etc, etc)

Neste caso se trata de saúde pública que, assim como a educação, é dever
de um estado democrático.


[]s
TARCISIO BORGES
tbs97@fisica.ufpr.br
Seja responsável, vote nulo.
One Ring to rule them all



SUBJECT: Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 14:12

--- Em ciencialist@y..., "sergiotaborda" <sergiotaborda@n...> escreveu
>
> > > A velocidade do som à semelhança da velocidade da luz, depende
do
> > > meio, e não da velocidade da fonte. A velocidade máxima (unica)
> > > possivel é fixada pelo meio.
> >
> >
> > Mas a diferença fundamental é que a velocidade do som medida por
um
> > observador depende da velocidade do observador em relação ao meio
> de
> > propagação
>
> Porquê?
> A velocidade do som depende da densidade do meio ( dos coeficientes
> de poisson e de Young, se bem me lembro, que tb são caracteristicos
> do meio), o meio é o mesmo para todos os observadores seja qual for
a
> velocidade do observador, seja qual for a origem do referencial. A
> densidade é uma propriedade intensiva.
> Assim sendo não ha razão nenhuma para que a velocidade seja
diferente.
> Não ha qq diferença entre o som e a luz neste aspecto.
> Ambas dependem de propriedades do meio e não do referencial.


Você está fazendo confusão. A velociade de uma onda mecânica definida
em função das propriedades elásticas e da densidade do meio é uma
constante apenas para referenciais imóveis em relação às moléculas do
meio. Para qualquer outro referencial a velocidade calculada depende
da velocidade relativa do referencial em relação ao meio de
propagação. Por exemplo, para um surfista a onda está imóvel!! Agora
vá surfar numa onda de luz. Por mais que você reme, nunca vai
conseguir "emparelhar" e "pegar" a onda. Mesmo que você reme
furiosamente, vai constatar que as ondas passam com você na mesma
velocidade de quando estava parado.


>
> (propriedades intensivas são sempre as mesmas em qq referencial)
>
> > > não vejo onde esteja a necessidade de relatividade nisto, e não
> > vejo
> > > como podes afirmar que a constancia da velocidade da luz vá
> contra
> > os
> > > principios classicos.
> > > Não vejo como podes aceitar algo que vai contra a experiencia.
> > >
> >
> > Vai contra os príncipios clássicos porque a medida da velocidade
da
> > luz independe da velocidade do observador.
>
> Não vai contra os principios classicos que a vel seja independente
do
> observador. Em vez de "velocidade da luz" pense em permeabilidade
> magnética e permitividade electrica.
> E agora pense como é que no vazio essas quantidades dependem da
> velocidade dos observadores.
> Não dependem. São constantes que dependem apenas do meio.
> Então se não dependem, a velocidade da luz que é calculada co
inverso
> da raiz quadrada do produto dessas quantidades, tb não depende.
>
> Não ha qq violação dos principios classicos.
> Além disso a experiencia mostra que assim é.

Mais uma vez, você está se referindo apenas ao caso especial de um
referencial imóvel em relação ao meio.


>
> >Porque implica na dilatação do tempo e na contração do espaço.
> >Daí pode-se deduzir que
> > E = MC2. Desafio você a deduzir a equivalencia entre massa e
> energia
> > usando a mecânica clássica.
>
> Concerteza.
> Das equações de Maxwell (que são classicas) você deduz que E=pc
> e vc sabe classicamente que p=mv. Para a luz q se desloca a v=c,
> temos p=mc.
>
> Então E= pc=(mc)c = mc².


Eu escrevi *mecânica* clássica. A mecânica clássica é incompatível
com a teoria eletromagnética de Maxwell - aliás, foi para resolver
essa incompatibilidade que surgiu a teoria da relatividade.


[]´s

André Baptista






SUBJECT: RES: [ciencialist] Re: Livro é cultura
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'ciencialist@yahoogrupos.com.br'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/05/2002 14:15

> De: brudna [mailto:lrb@iq.ufrgs.br]
> assunto. Continha informacoes valiosas do tipo "as cercas propiciam
> uma boa energia". :)

Desde que eletrificadas.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/05/2002 14:35

----- Original Message -----
From: "sergiotaborda"
Sent: Friday, May 03, 2002 10:38 AM
Subject: [ciencialist] Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein


> A velocidade do som à semelhança da velocidade da luz, depende do
> meio, e não da velocidade da fonte. (...)

Tenho impressão que estamos falando sobre coisas totalmente distintas e as
minhas observações não implicam nas suas respostas. Antes que a thread se
transforme em outro "samba do crioulo doido" ;-), prefiro parar por aqui.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 14:54

--- Em ciencialist@y..., TARCISIO BORGES <tbs97@f...> escreveu
> On Thu, 2 May 2002, andrediasbaptista wrote:
> > > Mas há também o consumo excessivo de ervas finas dentro das
> > universidades, > falta-me dedos para contar os colegas que fumam
> > regularmente, além dos que > dão apenas um teco. E eu estou
falando
> > apenas de THC. >
> >
> > Bom, cada um livre para fumar o que quiser... o triste é saber
que os
> > impostos que eu pago estão financiando os estudos (ou a falta
de)
> > desse pessoal.
>
> Não fique triste. Metade destes são extremamente competentes.

Metade dos estudantes universitários que fumam maconha são
extremamente competentes? Em que? É difícil imaginar que metade de
qualquer agrupamento humano seja extremamente competente em qualquer
coisa. De qualquer modo deve ser alguma atividade que não requer
muito reflexo ou capacidade de concentração, já que a canabis
sabidamente reduz essas qualidades (além de provavelmente causar
danos de longo prazo ao cérebro).


Steve Jobs e
> Wozniak (Apple Computer) eram assíduos consumidores do cigarro
> verde-amarelo. Os que criaram o IBM-PC eram chegados apenas na
> água-que-passarinho-não-bebe.

Só faltou você mencionar que Hitler era antitabagista para a falácia
ficar completa. Seu argumento parece sugerir que o fato de fumar
maconha não impede uma pessoa de ser produtiva e bem sucedida - só
que sua amostragem ao invés de abranger todos os consumidores,
abrange apenas uma pequena fração deles - justamente os que se
tornaram bem sucedidos.

>
>
> > (E também os tratamentos com reabilitação nos
> > hospitais, os prejuízos decorrentes de acidentes, etc, etc)
>
> Neste caso se trata de saúde pública que, assim como a educação, é
dever
> de um estado democrático.


"Dever de um estado democrático" é um palavrório vazio. não resolve o
problema. Todos sabemos que os recursos são escassos e sempre devem
ser empregados da maneira mais racional e produtiva possível. Só no
mundo fantasioso dos juristas é que o estado democrático tem "deveres
absolutos" e deve cumpri-los de qualquer maneira, sem perguntar de
onde vem os recursos. O dinheiro empregado na reabilitação de
drogados bem poderia estar sendo utilizado na educação e na
alimentação de crianças pobres. Enfim, o cobertor é curto e não dá
para o estado cumprir todas as suas "obrigações", apenas alocar os
recursos da maneira mais justa possível. É muito fácil se eximir de
qualquer responsabilidade dizendo que tal coisa é "dever de um estado
democrático". Fácil e completamente inócuo. Podemos ficar repetindo
esse palavrório por um milhão de anos que nunca vamos ter uma
democracia de verdade.

[]´s

André





SUBJECT: Globalizacao
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'ciencialist@yahoogrupos.com.br'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/05/2002 15:00

Nunca deixei de pensar numa solução para a
questão da globalização e seus efeitos nefastos
sobre os países em desenvolvimento.

É fato notório que a globalização que os Estados
Unidos (America, como eles gostam de se chamar em
detrimento da outra América que eles julgam ser o
quintal de casa) desejam para a América Latina com
o famigerado ALCA. O ALCA, para quem não sabe, pode
ser resumido numa frase: "um acordo no qual eles
entram com a guilhotina e nós com a cabeça" (acho
que quem disse isso foi o Aloísio Mercadante) ou
para ser bem pornográfico "eles entram com o p* e
nóis com a b*" (não! não foi o Nelson Rodrigues
quem disse isso!).

O ALCA é suicídio econômico para a América Latina: os
produtos deles entram no mercado comum sem taxas
aduaneiras ou com taxas "amigáveis" enquanto nossos
produtos continuam sendo taxados (aço, p.ex.) de tal
forma que não pode competir com o mercado interno
deles. Ou de uma forma maquiada, um determinado produto
agrícola é obrigado a permacer em "quarentena" antes
de entrar no mercado, e, obviamente, o período de
quarentena é o suficiente para deterioração.

Além disso, também é notório que exportar produtos
industrializados é muito mais lucrativo do que
exportar produtos agrícolas ou minério "in natura".
Um exemplo: o Brasil exporta toneladas de minério
de ferro para o Japão que, por sua vez, exporta para
o Brasil, aço industrializado na forma de automóveis
e outros bens. Imaginem a diferença na balança
comercial, de um produto (aço) que nos é devolvido
com enorme valor agregado! Ultimamente, o Brasil
tem exportado menos minério "in natura" e mais na
forma de laminados de aço (valor agregado pela
siderurgia) e mesmo assim a desproporcionalidade na
qual "compramos de volta" o bem industrializado
continua alta.

Imaginem um hemisfério sul amplamente industrializado
que além da auto-suficiêcia industrial e tecnológica,
tenha uma produção agrícola muitíssimo superior à do
hemisfério norte em razão da localização geográfica
privilegiada. Faria estremecer de terror os poderosos
do norte.

Pergunto: que interesse "eles lá de cima" tem em
melhorar a situação de "nóis daqui de baixo"?

Todo mundo sabe que um país agrícola é, de longe, muito
mais pobre que um país industrializado. A melhor
forma de ajudar seria exigir um equilíbrio comercial
entre os países.

Uma solução seria estabelecer um poder supranacional
controlado por representantes de todos os países
com poder de voto igual para todos, cujos objetivos
são:

1. Instituir embargos;
2. Instituir leis trabalhistas universais com previsão
de sanção;
3. Quebrar monopólios;
4. Fragmentar o poder, pois o poder homogêneo leva
inexoravelmente ao abuso.

Mas depois do que a "America" fez com o Bustani da
OPAQ nenhuma organização supranacional terá mais isenção
ou credibilidade. Mesmo a ONU corre risco de se
transformar em fantoche.

Alexandre Medeiros


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 15:06

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> onde vem os recursos. O dinheiro empregado na reabilitação de
> drogados bem poderia estar sendo utilizado na educação e na
> alimentação de crianças pobres.

O recurso empregado na ampliacao da internet bem q.
poderia ser empregado na educacao e alimentacao de
criancas pobres.

O recurso empregado nos projetos genomas bem q.
poderia ser empregado na educacao e alimentacao de
criancas pobres.

O recurso empregado nas bolachas do cafezinho do
Itamaraty bem q. poderia ser empregado na educacao
e alimentacao de criancas pobres.

O recurso empregado nas embaixadas brasileiras e
outras missoes na ONU bem q. poderia ser utilizado
na educacao e alimentacao de criancas pobres.

O recurso da recuperacao de drogados nao vem dos
recursos da educacao e alimentacao de criancas
pobres. Nao sao os programas de recuperacao de
dependentes quimicos q. drenam as verbas sociais.
(Combatendo a corrupcao teremos melhores resultados --
segundo um estudo da GV o ganho per capita com
a corrupacao reduzida 'a metade seria de
U$ 5.000 por ano.)

Nao inventemos escolhas de Sofia.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: Sérgio Taborda <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/05/2002 16:02


>> Não ha qq diferença entre o som e a luz neste aspecto.
>> Ambas dependem de propriedades do meio e não do referencial.


>Você está fazendo confusão. A velociade de uma onda mecânica definida
>em função das propriedades elásticas e da densidade do meio é uma
>constante apenas para referenciais imóveis em relação às moléculas do
>meio.

Se queres comparar a luz com o som, terás de comparar com o meio em repouso.
Se o ar se mover o som chega mais depressa, só que no caso da luz esse "ar"
não se move, nunca.

O ponto era comparar a luz com o som, para que fosse claro pq é classico
admitir que a velocidade da luz é uma constante que depende do meio e
portanto não depende do observador.

> > > não vejo onde esteja a necessidade de relatividade nisto, e não
> > vejo
> > > como podes afirmar que a constancia da velocidade da luz vá
> contra
> > os
> > > principios classicos.
> > > Não vejo como podes aceitar algo que vai contra a experiencia.
> > >
> >
> > Vai contra os príncipios clássicos porque a medida da velocidade
da
> > luz independe da velocidade do observador.
>
> Não vai contra os principios classicos que a vel seja independente
do
> observador. Em vez de "velocidade da luz" pense em permeabilidade
> magnética e permitividade electrica.
> E agora pense como é que no vazio essas quantidades dependem da
> velocidade dos observadores.
> Não dependem. São constantes que dependem apenas do meio.
> Então se não dependem, a velocidade da luz que é calculada co
inverso
> da raiz quadrada do produto dessas quantidades, tb não depende.
>
> Não ha qq violação dos principios classicos.
> Além disso a experiencia mostra que assim é.

>Mais uma vez, você está se referindo apenas ao caso especial de um
>referencial imóvel em relação ao meio.

Não.
A permeabilidade e a permitividade são constantes. (normalmente chamadas
epslon_zero e miu_zero) e independentes da velocidade do observador.
Esteja-se a mover, ou não, c será sempre o mesmo.
Isto é um facto e é puramente classico. Que relatividade é que existe nesta
constactação de facto ?

> >Desafio você a deduzir a equivalencia entre massa e energia
> > usando a mecânica clássica.
>
>> Concerteza.
>> Das equações de Maxwell (que são classicas) você deduz que E=pc
>> e vc sabe classicamente que p=mv. Para a luz q se desloca a v=c,
>> temos p=mc.
>>
>> Então E= pc=(mc)c = mc².

>Eu escrevi *mecânica* clássica. A mecânica clássica é incompatível
>com a teoria eletromagnética de Maxwell - aliás, foi para resolver
>essa incompatibilidade que surgiu a teoria da relatividade.

O que supostamente é incompativel com as eq de Maxwell é a Relatividade
Classica. x' =x - vt
A Relatividade é apenas uma das partes da Mecânica.

p=mv é uma equação geral da mecanica , válida em qq teoria.
Por outro lado, classicamente, as eq de Maxwell descreviam a Mecânica de um
Meio Continuo chamado aether.
Portanto E=pc e p=mc são duas conclusões classicas da mecânica. Uma , da
mecanica dos fluidos electromagnéticos (*) e outra a eq geral do momento
linear.

[]

Sérgio Taborda


* Eu já sei que o Alberto não gosta deste termo, mas historicamente é assim.
No tempo de Maxwell as equações representavam equações de um meio
continuo.Todas as formulações de Maxwell são clássicas. Não podes portanto
afirmar que Maxwell fazia Relatividade quando isso ainda estava por ser
inventado. A eq dele são puramente classicas. Portanto, as conclusões
derivadas unicamente delas, tb o serão.
Maxwell demonstrou até que neste meio, não poderiam existir ondas
longitudinais, razão que justificou pq as eq de Navier-Stokes não eram
aplicaveis a este meio (q era algo que preocupava os cientistas nessa
altura) e pq esse meio era visto como especial.
Este meio foi batizado de Aether.



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 16:09

--- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> O recurso da recuperacao de drogados nao vem dos
> recursos da educacao e alimentacao de criancas
> pobres. Nao sao os programas de recuperacao de
> dependentes quimicos q. drenam as verbas sociais.
> (Combatendo a corrupcao teremos melhores resultados --
> segundo um estudo da GV o ganho per capita com
> a corrupacao reduzida 'a metade seria de
> U$ 5.000 por ano.)
>
> Nao inventemos escolhas de Sofia.
>

A menos que você prove que:

a) Os recursos são ilimitados; ou
b) Uma mesma unidade de recurso financeiro pode ser alocada em duas
finalidades distintas (milagre da multiplicação do pães)

a menos que um dos dois seja verdadeiro, para cada real que entre
haverá uma escolha de sofia. Ou vai para X ou Y ou Z.

Ok, não são os programas de recuperação de dependentes químicos que
drenam *todas* as verbas sociais. Eu não escrevi isso. Mas drenam
alguma verba (a não ser que os recursos surjam por geração expontânea)
Não acho que os dependentes químicos devam ser abandonados a própria
sorte; porém também não acho que devemos ignorar o problema e os
prejuízos causados aos próprios consumidores e a sociedade,
simplesmente porque é "uma obrigação do estado democrático" tratá-los
e recuperá-los. Seria mais ou menos como não se importar em jogar
lixo na rua, simplesmente porque a limpeza pública é uma obrigação do
estado.

Finalmente é você quem propôs uma escolha de sofia: ou se combate a
corrupção ou o uso de drogas. Deve-se combater os dois, alocando-se
os recursos disponíveis da melhor forma.

[]´s

André Baptista



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Alberto Mesquita X Albert Einstein
FROM: Sérgio Taborda <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/05/2002 16:10



>Taborda (aquele que me intitula como místico científico ... e dá ótimas
sugestões) e todos,

?? ME intitulo o quê ?
Diz antes, que me intitulas TU.

>Para o som, a função que permite a obtenção da freqüência aparente
percebida pelo observador, >inclui uma parcela devida ao movimento do meio
(ar) em relação ao solo.

Pois, como eu já respondia ao André, a comparação era limitada até onde se
pode fazer a analogia com a luz. O que implica em meios parados.

Seja como for , isso é irelevante para a aceitação classica da invariancia
da velocidade da luz.

[]

Sérgio Taborda



SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 16:31

--- Em ciencialist@y..., "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
<alxmpub@u...> escreveu
> Nunca deixei de pensar numa solução para a
> questão da globalização e seus efeitos nefastos
> sobre os países em desenvolvimento.

A globalização não é obrigatória. existem vários países que provam
que é possível sobreviver sem a globalização, como por exemplo Cuba,
Coréia do Norte, o Afeganistão da era teleban, etc. Historicamente,
temos o Japão, completamente isolado do resto do mundo até meados do
séc XIX. Dificilmente podemos dizer que a globalização foi ruim para
o Japão, já que o mesmo saltou do passado medieval para se tornar uma
potência industrial em duas gerações. Outro exemplo é a China,
isolada até 1980 - quando se abriu e passou a crescer quase dez
porcento ao ano.

>
> É fato notório que a globalização que os Estados
> Unidos (America, como eles gostam de se chamar em
> detrimento da outra América que eles julgam ser o
> quintal de casa) desejam para a América Latina com
> o famigerado ALCA. O ALCA, para quem não sabe, pode
> ser resumido numa frase: "um acordo no qual eles
> entram com a guilhotina e nós com a cabeça" (acho
> que quem disse isso foi o Aloísio Mercadante) ou
> para ser bem pornográfico "eles entram com o p* e
> nóis com a b*" (não! não foi o Nelson Rodrigues
> quem disse isso!).

ALCA = Acordo de Livre Comércio das Américas.
ACORDO = uma adesão consentida de duas ou mais partes a um conjunto
de regras pré-estabelecidas. Cada parte deve ver apenas o próprio
interesse; o acordo só é firmado se atender ao interesse de todos.
Conclusão, os acordos firmados são sempre bons para as partes, a não
ser que uma das partes seja estúpida.


>
> O ALCA é suicídio econômico para a América Latina: os
> produtos deles entram no mercado comum sem taxas
> aduaneiras ou com taxas "amigáveis" enquanto nossos
> produtos continuam sendo taxados (aço, p.ex.) de tal
> forma que não pode competir com o mercado interno
> deles. Ou de uma forma maquiada, um determinado produto
> agrícola é obrigado a permacer em "quarentena" antes
> de entrar no mercado, e, obviamente, o período de
> quarentena é o suficiente para deterioração.
>
> Além disso, também é notório que exportar produtos
> industrializados é muito mais lucrativo do que
> exportar produtos agrícolas ou minério "in natura".
> Um exemplo: o Brasil exporta toneladas de minério
> de ferro para o Japão que, por sua vez, exporta para
> o Brasil, aço industrializado na forma de automóveis
> e outros bens. Imaginem a diferença na balança
> comercial, de um produto (aço) que nos é devolvido
> com enorme valor agregado! Ultimamente, o Brasil
> tem exportado menos minério "in natura" e mais na
> forma de laminados de aço (valor agregado pela
> siderurgia) e mesmo assim a desproporcionalidade na
> qual "compramos de volta" o bem industrializado
> continua alta.
>
> Imaginem um hemisfério sul amplamente industrializado
> que além da auto-suficiêcia industrial e tecnológica,
> tenha uma produção agrícola muitíssimo superior à do
> hemisfério norte em razão da localização geográfica
> privilegiada. Faria estremecer de terror os poderosos
> do norte.
>
> Pergunto: que interesse "eles lá de cima" tem em
> melhorar a situação de "nóis daqui de baixo"?

Nenhum. Isso e óbvio. A questão que interessa é: nós temos interesse
em melhorar a nossa situação?

>
> Todo mundo sabe que um país agrícola é, de longe, muito
> mais pobre que um país industrializado. A melhor
> forma de ajudar seria exigir um equilíbrio comercial
> entre os países.

Ou então o páis agrícola se tornar um país industrializado (será que
os países já nascem industrializados?)


>
> Uma solução seria estabelecer um poder supranacional
> controlado por representantes de todos os países
> com poder de voto igual para todos, cujos objetivos
> são:
>

obviamente esse poder supranacional deveria estar suportado por um
exército supracional capaz de impor suas decisões pela força se
preciso (a força é a base última de todo poder real). Em suma, um
governo mundial. Isso me dá calafrios, pois a única maneira que posso
visualizar tal governo num futuro próximo seria através um império
mundial americano *de fato*.



> 1. Instituir embargos;
> 2. Instituir leis trabalhistas universais com previsão
> de sanção;
> 3. Quebrar monopólios;
> 4. Fragmentar o poder, pois o poder homogêneo leva
> inexoravelmente ao abuso.
>
> Mas depois do que a "America" fez com o Bustani da
> OPAQ nenhuma organização supranacional terá mais isenção
> ou credibilidade. Mesmo a ONU corre risco de se
> transformar em fantoche.
>

A não ser que essa organização mundial se chame "governo dos estados
unidos da américa"

[]´s

André Baptista





SUBJECT: RES: [ciencialist] Re: Globalizacao
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'ciencialist@yahoogrupos.com.br'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/05/2002 17:41

> -----Mensagem original-----
> De: andrediasbaptista [mailto:andrebaptista@uol.com.br]
>
> ACORDO = uma adesão consentida de duas ou mais partes a um conjunto
> de regras pré-estabelecidas. Cada parte deve ver apenas o próprio
> interesse; o acordo só é firmado se atender ao interesse de todos.
> Conclusão, os acordos firmados são sempre bons para as partes, a não
> ser que uma das partes seja estúpida.

O que vc tem a dizer do acordo entre a Alemanha (derrotada) e
os vencedores da I Guerra Mundial? Que belo acordo, hein?

Alexandre Medeiros



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 17:41

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> A menos que você prove que:
>
> a) Os recursos são ilimitados; ou
> b) Uma mesma unidade de recurso financeiro pode ser alocada em duas
> finalidades distintas (milagre da multiplicação do pães)

Nao adianta eu economizar em educacao para combater
a criminalidade -- a estruturacao orcamentaria e'
tal q. nao posso simplesmente tirar de um ponto para
colocar em outro livremente. Bem, sempre o governo da'
um jeitinho de fazer isso, mas a transferencia direta
de recursos de arrecadacao de um fim para outro e'
limitada: cada fonte tem uma destinacao em lei (i.e.,
apenas por hipotese no caso brasileiro).

Bem, tem a festa do fundo social de emergencia q. os
governos FFHH criaram para financiar algumas farras
administrativas...

> a menos que um dos dois seja verdadeiro, para cada real que entre
> haverá uma escolha de sofia. Ou vai para X ou Y ou Z.

A escolha de Sofia se caracteriza por: "Ou vc faz X ou vc faz X.
Bem, pode fazer Y, mas isso nao e' uma opcao real."

> Não acho que os dependentes químicos devam ser abandonados a
> própria sorte; porém também não acho que devemos ignorar o problema
> e os prejuízos causados aos próprios consumidores e a sociedade

Exatamente e' uma guerra de diversas frentes. Combate-se o
narcotrafico, a cultura de consumo de drogas e recupera-se os
dependentes. Ao mesmo tempo em q. se investe em educacao, saude,
emprego, etc. Os recursos sao finitos, mas nao quer dizer q.
sejam pequenos.

Assim, como se eu tiver um milhao de dolares, os recursos continuam
sendo finitos, mas eu viveria muito bem o resto de minha vida, e' bem
diferente de caracteriza'-lo como um cobertor curto. E' um cobertor
finito, mas bem maior do q. isso. A questao e' q. tem uns friorentos
q. enrolam seu proprios pes com duzentas camadas de cobertor e deixam
o resto com apenas uma pontinha.

> Finalmente é você quem propôs uma escolha de sofia: ou se combate a
> corrupção ou o uso de drogas.

Eu nao propus ou isso ou aquilo. Justamente apontei -- como boa
parte das pessoas apontam -- um ponto de enrolamento desnecessario do
cobertor. A proposta e' exatamente combater a corrupcao de modo q. se
permita recuperar os dependentes sem tirar da educacao e saude dos
pobres e fazer muitas outras coisas.

Boa parte dos presidenciaveis falam em reducao de juros dos titulos
publicos tbm. Nao entendo disso. Tem gente q. fala q. a curto prazo
e' inviavel. (Nao q. eu entenda de combate 'a corrupcao e recuperacao
de drogados tampouco...)

O PIB brasileiro esta' na casa dos US$ 500 bi. 33% vai para os
cofres do governo como tributos. Sao cerca de US$ 166 bi rateado
entre municipios, estados e governo federal -- so' de orcamento
federal temos R$ 308 bi, nao e' nem de longe pouca coisa. Claro,
nao e' um EUA, uma Suiça... mas da' pra tocar programas de
recuperacao de quimiodependentes e investir em educacao e saude.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 17:43

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> ACORDO = uma adesão consentida de duas ou mais partes a um conjunto
> de regras pré-estabelecidas. Cada parte deve ver apenas o próprio
> interesse; o acordo só é firmado se atender ao interesse de todos.
> Conclusão, os acordos firmados são sempre bons para as partes, a
> não ser que uma das partes seja estúpida.

Isso em uma situacao de isopotencia.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 20:18

--- Em ciencialist@y..., "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
<alxmpub@u...> escreveu
> > -----Mensagem original-----
> > De: andrediasbaptista [mailto:andrebaptista@u...]
> >
> > ACORDO = uma adesão consentida de duas ou mais partes a um
conjunto
> > de regras pré-estabelecidas. Cada parte deve ver apenas o próprio
> > interesse; o acordo só é firmado se atender ao interesse de
todos.
> > Conclusão, os acordos firmados são sempre bons para as partes, a
não
> > ser que uma das partes seja estúpida.
>
> O que vc tem a dizer do acordo entre a Alemanha (derrotada) e
> os vencedores da I Guerra Mundial? Que belo acordo, hein?
>

A Alemanha foi derrotada e perdeu, pelo menos temporariamente, sua
soberania. Numa situação dessas é normal que a parte vencedora
imponha os termos do acordo. Mesmo assim há quem questione e diga que
os líderes alemães poderiam ter negociado termos melhores para aquela
rendição. Estou falando de um acordo normal em tempos de paz entre
países soberanos e independentes.

[]´s

André Baptista



SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 20:40

--- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > ACORDO = uma adesão consentida de duas ou mais partes a um
conjunto
> > de regras pré-estabelecidas. Cada parte deve ver apenas o próprio
> > interesse; o acordo só é firmado se atender ao interesse de
todos.
> > Conclusão, os acordos firmados são sempre bons para as partes, a
> > não ser que uma das partes seja estúpida.
>
> Isso em uma situacao de isopotencia.
>

Assim nunca chegamos a lugar nenhum. Parece mais um argumento para
abrir mão da responsabilidade de decidirmos nosso futuro. A opção do
acordo existe. Podemos aceitar ou não. Aceitando ou não existem prós
e contras e provavelmente os EUA continuarão ricos e nós pobres. Se
aceitarmos podemos nos beneficiar um pouco porém correndo o risco de
beneficiar os EUA de forma desproporcional. Isso pode parecer
ultrajante, então temos a opção de não negociar - o que nos causará
um pequeno prejuízo porém um prejuízo maior aos americanos. Talvez
seja essa a melhor opção, afinal. Não sei. É um grande dilema. Somos
loucos pelo mercado americano, achamos tremendamente injusto que eles
não liberem seu mercado para os charutos cubanos, por exemplo. Mas se
abrirmos ele irão lucrar muito mais, porque tem muito mais coisas
para vender. Talvez eles tivessem a obrigação moral de só comprar
nossos produtos agrícolas, sem querer empurrar seus produtos em
troca, mas o mundo não funciona assim.

Quanto à questão das barreiras comerciais, gostaria de ter dados
confiáveis. Gostaria de acreditar que nossas tarifas são mais baixas
que a deles mas como isso explicaria o fato que o preço de produtos
eletronicos e automóveis custam o dobro para o consumidor final aqui
no Brasil?

[]´s

André




SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "evoluindo" <rcordeiro@writeme.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/05/2002 23:26

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
escreveu
> --- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> > --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > > ACORDO = uma adesão consentida de duas ou mais partes a um
> conjunto
> > > de regras pré-estabelecidas. Cada parte deve ver apenas o
próprio
> > > interesse; o acordo só é firmado se atender ao interesse de
> todos.
> > > Conclusão, os acordos firmados são sempre bons para as partes,
a
> > > não ser que uma das partes seja estúpida.
> >
> > Isso em uma situacao de isopotencia.
> >
>
> Assim nunca chegamos a lugar nenhum. Parece mais um argumento para
> abrir mão da responsabilidade de decidirmos nosso futuro. A opção
do
> acordo existe. Podemos aceitar ou não.
...

Só uma observação. Repare como você fala do Brasil na primeira pessoa
do plural. "chegamos", "decidirmos", "podemos". Seria fantástico se
na prática as coisas fossem assim mesmo! O problema é que "nós",
agora me referindo a eu ou você, nunca decidimos nada na prática.
Quem toma as decisões é essa massa disforme e indefinida que está no
poder.

Eu mudaria a frase de "a não ser que uma das partes seja estúpida"
para "a não ser que uma das partes receba a propina adequada".

[]s
Ronaldo



SUBJECT: TRAFICO DE ORGAOS VITAIS EM MINAS GERAIS
FROM: "Celso Galli Coimbra" <c.galli@terra.com.br>
TO: <politica-br@yahoogrupos.com.br>, <Direitos_Humanos@yahoogrupos.com.br>, <Constitucional_Brasil@yahoogrupos.com.br>, <Artigos_Juridicos@yahoogrupos.com.br>, <direito_Saude@yahoogrupos.com.br>, <Direito_Trabalhista@yahoogrupos.com.br>
CC: <pucrs-direito@yahoogrupos.com.br>, <polemica@yahoogrupos.com.br>, <infancia-eca@yahoogroups.com>, <faroljuridico@yahoogroups.com>, <estudantes-de-direito@yahoogrupos.com.br>, <direitobrasil@grupos.com.br>, <cpgd_ufsc@yahoogrupos.com.br>, <civil@grupos.com.br>, <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, <biodireitopucrs@yahoogroups.com>, <attac-sp@yahoogroups.com>, <amazonas@yahoogrupos.com.br>, <advogado@yahoogrupos.com.br>
DATE: 04/05/2002 02:36

A TRAGÉDIA E A FARSADireito_Saúde e Bioética -- 04.05.2002
_______________________________

REVISTA CARTA CAPITAL
número 188

http://www.geocities.com/transplante2001/cartacapital.htm


SEU PAÍS -- TRANSPLANTES


O LOCAL DA MORTE.
Paulinho Pavesi morreu aos 10 anos na Santa Casa
de Poços de Caldas. Quatro médicos que o atenderam
foram indiciados em inquérito.


_____________________

A TRAGÉDIA E A FARSA
_____________________


Investigações sobre caso de menino morto
há dois anos revelam uma enxurrada de ilegalidades
em Poços de Caldas.



POR FLÁVIO LOBO E RODRIGO HAIDAR
(Colaborou Carolina Arantes).



PAULO VERONESI PAVESI, O Paulinho, tinha 10 anos
quando caiu de uma altura de 10 metros, enquanto brincava
no playground do prédio onde morava, e sofreu traumatismo
craniano. No dia seguinte ao acidente, após serem
informados pelos médicos de que seu filho poderia
estar morto, faltando apenas os exames de morte encefálica
para a confirmação, os pais decidiram doar
seus órgãos para transplante.



A princípio, o caso ocorrido em abril de 2000 parecia
apenas mais uma tragédia familiar. 0 quadro mudou d
e figura pouco tempo depois, quando Paulo Pavesi,
pai de Paulinho, questionou a conta do Hospital Pedro
Sanches, local onde seu filho foi atendido depois
do acidente, por considerá-la superfaturada.
Desde então, Pavesi um analista de sistemas de 34 anos,
fez - por meio de um obstinado esforço pessoal -
uma série de descobertas.



Hoje, dois anos após a morte do filho, o fio puxado
por Pavesi trouxe à tona uma estarrecedora quantidade
de falhas, contradições e irregularidades cometidas
pelos médicos do Hospital Pedro Sanches e da Santa
Casa de Misericórdia, ambos em Poços de Caldas (MG),
no atendimento ao seu filho e nos procedimentos
de retirada e transplante dos órgãos.
Muitas dessas irregularidades, descobriu-se depois,
não se limitavam ao caso de Paulinho.



A equipe médica local era habilitada somente
para fazer transplantes de rins, mas atuava como
uma central, decidindo para onde os órgãos seriam
enviados sem ter autorização para tanto.
Além disso, removia córneas
irregularmente.



Segundo o deputado federal Carlos Mosconi (PSDB-MG),
médico e membro do corpo clínico dos dois hospitais
envolvidos no caso do menino, já foram realizados mais
de 200 transplantes na Santa Casa, quase todos pagos
pelo Sistema único de Saúde. E de acordo com dados
do próprio SUS, entre janeiro de 2ooo e abril de 2002,
0 SUS repassou mais de R$ 2,6 milhões para
procedimentos relacionados a transplantes
em Poços de Caldas.



O inquérito policial que investigou o caso de Paulinho,
concluido há um mês, indiciou quatro medicos nos artigos
14 e 16 da Lei no 9.343/97, a lei de transplantes:
o nefrologista Álvaro lanhez, o oftalmologista Odilon
Trefligio e os urologistas Celso Scafi e Cláudio
Roberto Fernandes.



"Foram constatadas diversas irregularidades,
como a participação do dr. Álvaro lanhez no diagnóstico
de morte encefálica do garoto", afirma o delegado
da Polícia Federal Célio jacinto dos Santos,
responsável pelo inquérito e por outras seis investigações,
todas originadas do caso de Paulinho, que envolvem
a Santa Casa de Poços de Caldas
(leia entrevista "CÉLIO JACINTO DOS SANTOS").




Ianhez é o chefe da equipe de transplantes da Santa Casa
e coordenador da central MG Sul Transplantes,
cuja legalidade é questionada. Tanto a lei de transplantes
como a Resolução 1.480/97, do Conselho Federal de Medicina
(CFM) - que estabelece os critérios para o diagnóstico
de morte encefálica (cessamento irreversível de todas
as funções cerebrais) -, são claras ao determinar
que o paciente deve ser submetido ao exame
por médicos que não façam parte da equipe
de transplantes.




Ainda vivo, Paulinho foi tratado não como um paciente
com alguma possibilidade de recuperação
- mesmo remota -, mas como doador de órgãos
(leia o quadro "PACIENTE VIVO TRATADO COMO DOADOR").



0 advogado dos médicos, Luís Fernando Quinteiro,
afirma que Ianhez apenas acompanhou o diagnóstico
e não interferiu em sua realização. Segundo o delegado,
no entanto, a conduta do médico excedeu
o legalmente cabível.



Ainda no inquérito que apurou as irregularidades
cometidas no caso de Paulinho, o delegado acusa
a equipe pela falta da necropsia e da assinatura da mãe
no termo de autorização de doação, pela utilização
de formulários indevidos na constatação da morte
encefálica e de encaminhar indevidamente
as córneas extraídas do menino para o Instituto
Penido Burnier, em Campinas (SP).



Quinteiro assegura que um protocolo firmado entre
a 25a Delegacia Regional de Saúde Pública e a Santa
Casa isenta o hospital da realização da necropsia.
Mas "um protocolo firmado entre duas instituições
locais não pode contrariar a legislação federal,
que exige o procedimento",
como diz o delegado da PF.



Quanto aos formulários utilizados no diagnóstico
de morte encefálica, o advogado diz que continham
"todos os critérios clínicos e radiológicos recomendados
pelo CFM". já o delegado afirma que "os documentos
do inquérito mostram que os formulários utilizados
por eles omitiam questões fundamentais
para a aplicação do diagnóstico".



0 ponto mais polêmico do indiciamento é o envio
indevido das córneas de Paulinho para Campinas.
A central estadual teria de ser acionada para retirar
os órgãos do garoto e, de fato, num primeiro momento,
ela foi. Consta do inquérito que no dia 20 de abril de 2000,
lanhez comunicou à central em Belo Horizonte, a MG
Transplantes, um possível doador de órgãos.
Mas depois, no dia 21, a central de BH fez duas ligações
para a Santa Casa tentando confirmar a busca dos órgãos,
e não obteve resposta.



Quinteiro justifica a ação do cliente dizendo
que ele tinha como objetivo o aproveitamento das córneas.
"Foi acionada a MG Transplantes que no dia tinha à disposição
apenas uma equipe para a retirada do fígado".
Mas, de acordo com o delegado, "a central não foi acionada
no dia 21, tanto que a equipe e a aeronave que estavam
de sobreaviso para a retirada do fígado foram dispensadas".
Ainda segundo Santos, "não foi um caso isolado.
A captação e destinação de córneas eram feitas
de forma totalmente irregular pela
equipe da Santa Casa".



A reportagem de CartaCapital procurou
o coordenador da MG Transplantes,
João Carlos Oliveira de Araújo, para que ele esclarecesse
essa e outras questões,
mas não obteve resposta.



Muitas outras falhas foram cometidas pelos médicos.
Há laudos com datas rasuradas e documentos referentes
a um mesmo procedimento com uma versão assinada
pelo médico responsável e outra sem assinatura alguma.
Existem laudos de exames solicitados
em 22 de abril de 2000 (veja acima a reprodução
do documento). O corpo de Paulinho foi liberado
para o velório na noite de 21 de abril.
No dia 22 foi sepultado.



Outro importante documento que causa estranheza
é o que descreve a cirurgia para a retirada de órgãos.
Nas anotações, o urologista Celso Scafi escreve "sem ME",
que significa sem morte encefálica.
À Polícia Federal, o médico disse que escreveu "com"
e que aquilo parece um "sem" porque sua letra seria
"muito feia". Consultado por CartaCapital, o perito Sebastião
Edson Cinelli comparou a descrição com outras anotações
feitas por Scafi no mesmo documento e garantiu que ali está
escrito "sem", e não "com", ME (veja a reprodução acima).
Se Paulinho estivesse mesmo sem morte encefálica,
estaríamos diante de um homicídio.



Um dos outros seis inquéritos criminais a cargo
do delegado Santos investiga a atuação da central
MG Sul Transplantes. Ela coordenava todas as ações
de notificação, captação e distribuição de órgãos
na região, mas segundo o delegado,
não tinha autorização para isso.



O advogado dos médicos enviou a CartaCapital
documentos da coordenadoria da MG Transplantes,
datados de 25 de agosto e 21 de setembro de 1998,
que atestariam a legalidade da central. Os documentos
são assinados por Estevam Aquino Viotti, supervisor,
e Herculano Mourão Salazar. Segundo o delegado,
"quem deve credenciar as centrais é o Ministério
da Saúde. Esse documento não legaliza a central
de Poços. A MG Transplantes trabalhava e trocava
correspondências com uma central ilegal".



Um relatório de auditoria realizada a pedido
do Ministério da Saúde em dezembro de 2000,
também motivado pelo caso de Paulinho, aponta
a ilegalidade: "A regional MG Sul Transplantes não
está legalizada por não possuir ato de sua instituição
e nem termo de cooperação".




"ESSE NÃO FOI UM CASO ISOLADO,
A CAPTAÇÃO E DESTINAÇÃO DE CÓRNEAS
ERAM FEITAS DE FORMA IRREGULAR NA
SANTA CASA, DIZ DELEGADO"




PACIENTE VIVO TRATADO COMO DOADOR

Especialistas questionam exames
e a remoção para a Santa Casa


Um dos pontos mais importantes para que um sistema
de transplantes de órgãos funcione com segurança
é a confiabilidade dos diagnósticos de morte encefálica.
No Brasil, esses critérios estão definidos em um protocolo
do Conselho Federal de Medicina (CFM).


0 protocolo indica os procedimentos a serem executados
antes que se possa afirmar, legalmente, que uma pessoa
está morta. O primeiro item determina que, se a causa
do coma puder estar relacionada à hipotermia
(baixa temperatura corporal) ou ao uso de drogas depressoras
do sistema nervoso central, o protocolo
não pode ser aplicado.



No caso de Paulinho Pavesi - de acordo com documentos
do inquérito policial e testemunhos dos médicos
que o atenderam - houve a administração de uma droga
depressora do sistema nervoso central, o Dormonid.
Entre as 21 horas do dia em que o menino sofreu
o acidente e as 5 horas da manhã seguinte,
o medicamento foi injetado em seu corpo
junto com soro glicosado.


Apesar disso, no meio da tarde do mesmo dia,
menos de 12 horas após o término de administração
do Dormonid, o protocolo de morte encefálica começou
a ser aplicado. Não tendo sido detectado nenhum sinal
de vida nos exames clínicos, por volta das 20 horas
passou-se à última etapa do protocolo, o exame
complementar". No caso de Paulinho foi feíta
urna angiografia cerebral.



Consultado, o CFM indicou o neurologista Solimar
Pinheiro da Silva para esclarecer as dúvidas.
Sobre a questão do Dormonid, o dr.Pinheiro da Silva
respondeu que, "No caso específico, me parece
um prazo extremamente seguro. O Dormonid tem
efeito fugaz". Mas especialistas consultados
por CartaCapital discordam.



"O protocolo não estabelece um período mínimo
entre a administração de drogas como o Dormonid
e a realização dos exames, portanto, se aplicado
com rigor, sim veta o diagnóstico de morte encefálica
no caso de pacientes que tenham sido medicados
com elas." Quem afirma isso é Luiz Alcídes Manreza,
professor da USP, diretor do serviço de neurologia
de emergência do Hospital das Clínicas de São Paulo
e membro das câmaras técnicas de morte encefálica
do CFM a do Conselho Regional de Medicina Manreza
foi o relator do documento em questão, o protocolo
de morte encefálica do CFM.


"Não conheço nenhum protocolo de morte encefálica
no mundo que exija um período inferior a 24 horas entre
a administração de drogas depressoras do sistema
nervoso central e os procedimentos para diagnóstico
de morte encefálica", diz Manreza.


0 chefe da UTI do Hospítal de Clínicas de Niterói,
Paulo Cesar Pereira de Souza, concorda com Manreza.
"Eu nem pensaria em iniciar o protocolo de morte
encefálica antes de 24 horas após a suspensão
de aplicação de qualquer droga depressora
do sistema nervoso central, incluindo o Dormonid",
assegura Souza.



Mesmo duvidosa, a aplicação do protocolo em Paulinho
no Hospital Pedro Sanches não detectou a morte
do menino, já que a angiografia mostrou fluxo
sanguíneo no cérebro. Mesmo vivo, Paulinho
foi transferido para a Santa Casa em razão
da instituição estar habílitada
para remover seus órgãos.


"Não vejo como justificar a transferêncla
de um paciente vivo com o único objetivo de levá-lo
para uma instituição autorizada a realizar a remoção
de seus órgãos para transplante", diz Lais Fieschi
Ferreira coordenadora da, UTI do Hospital
São Luiz em São Paulo.




VERBAS SUSPEITAS E "DOAÇÕES"

O delegado responsável pelo inquérito
conta o que descobriu


CartaCapital:
Ficou comprovado que o dr. Álvaro Ianhez
participou do diagnóstico de morte do Paulinho ?

Célio Jacinto dos Santos:
Participou. Se você for ao prontuário médico,
na anotação da enfermagem consta que: "0 dr. Álvaro,
por telefone, prescreve isso. 0 dr. Álvaro acompanhou
o menino e orientou sobre o atendimento".
Em vários momentos no Hospital Pedro Sanches,
os médicos assistentes eram meros coadjuvantes.
Ele não só atendeu como estava dentro da sala
no momento da primeira arteriografia. Na segunda,
ele olhou o início e estava lá no final.
Na retirada dos órgãos, ele deu orientações
aos médicos e fez a preparação desses órgãos.



CC:
E as córneas não poderiam ter ido para Campinas.
Deveriam ser encaminhadas à Central de Transplantes,
em Belo Horizonte, e distribuidas respeitando a lista única
de espera do Estado. Certo?


CJS:
É isso. Mas não só nesse caso,
com o em dezenas de outros aconteceu isso aí.
Havia até mesmo uma escala de clínicas
oftalmológicas captadoras de órgãos,
elaborada pela Santa Casa.


CC:
A Santa Casa mantinha uma central chamada
MG Sul Transplantes.


CJS:
Isso não faz parte desse inquérito,
mas o Ministério da Saúde é taxativo: "A central era ilegal".
E essa equipe da central não pode ter vínculo
com a equipe captadora. E lá, em Poços de Caldas,
elas se confundem. No início, a central funcionava
dentro do escritório do dr. Álvaro.
Ora, quem participa da captação não pode participar
da escolha de quem vai receber.
Você tem de ter clareza nos critérios, senão o médico
pode escolher qual a pessoa que vai receber o órgão
e, logicamente, pode escolher
uma pessoa que tenha dinheiro.



CC:
A questão da central não faz parte desse inquérito
que resultou no indicíamento dos médicos que atenderam
Paulinho, mas de outro.
Quantos inquéritos foram abertos
a partir desse caso ?


CJS:
Seis. Três deles são de suspeita de cobrança dupla.
Cobrança do plano de saúde do receptor do órgão
e cobrança do SUS. Um investiga as doações feitas
por parentes dos transplantados, que não seriam
exatamente doações espontâneas. Doações de valores
altos, em um caso, foram de R$ 5 mil. Outro trata
da central de transplantes ilegal.
E, por último, estamos investigando o repasse
de verbas do SUS, cujos valores são altíssimos
e desproporcionais aos pagos a outras cidades
infinitamente maiores, para os transplantes
realizados em Poços de Caldas.




Há outro aspecto, surpreendente, sobre os
documentos da MG Transplantes apresentados
em defesa dos médicos. "0 atual coordenador
da MG Transplantes confessa que nesta data uma
das pessoas que assina esse documento já estava
morta. Por essas e outras irregularidades, ele vai ser
investigado por crime de usurpação de função pública
e de falsidade ideológica", revela o delegado.
Ou, quem sabe, a medicina esteja tão avançada
em Poços de Caldas que cadáveres sejam ressuscitados
para submeteremse a exames e assinar documentos.



Há pouco mais de um ano, o Ministério da Saúde
se pronunciou sobre o caso em reportagem do Fantástico,
da Rede Globo. Na época, conhecia-se apenas uma
pequena parte das irregularidades cometidas, mas
o Ministério condenou o fato de lanhez ter acompanhado
o diagnóstico de morte encefálica de Paulinho
e atestou a ilegalidade da central.



Logo após a reportagem, o deputado Carlos Mosconi
utilizou a tribunada Câmara para defender os médicos
da acusação. Em seu discurso, o deputado rechaçou
as afirmações do Ministério, mostrou documentos que
comprovariam a legalidade da central e afirmou: "Estou
sentindo enorme dificuldade em não pegar a caneta e
assinar o pedido de realização dessa CPI, a fim de limpar
deste País os corruptos". Mosconi se referia ao
requerimento de instalação da CPI da Corrupção,
que tanto afligia o governo federal
naquele momento.


Dois dias depois do discurso, nota assinada
pelo assessor especial do ministro da Saúde, Manuelito
P. Magalhães Júnior, e enviada ao deputado, lamenta
o ocorrido e faz um apelo ao diálogo: "Reitero, em
nome do ministro José Serra, a necessidade
de esclarecermos por definitivo este caso sem
nos curvarmos a sensacionalismos. ( ... )
Estamos confiantes de que o diálogo é a melhor
maneira de conduzirmos este assunto e não abalar
um relacionamento construído ao
longo de vários anos".



0 Ministério da Saúde se negou a comentar
o caso e não forneceu informações solicitadas por
CartaCapital. "A central funcionava de maneira irregular",
foi a única resposta da assessoria. Nem o Ministério,
nem a MG Transplantes informaram o período
de funcionamento da central e quando
ela foi desativada.



Há pouco mais de um mês, o procurador José Jairo Gomes
propôs uma ação de improbidade administrativa contra
o coordenador da MG Transplantes, o atual e o ex-secretário
de Saúde Municipal, e mais dois
funcionários da área.


No dia 24 de abril, o diretor da Santa Casa de Misericórdia
cometeu suicídio. Especula-se que o motivo possa ter sido
a dívida de R$ 3 milhões descoberto no hospital após a
sua morte. Em seguida, o Ministério Público denunciou o
atual secretário de Saúde, dois ex-secretários e um ex prefeito
da cidade também por improbidade administrativa.

================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA
E TRANSPLANTES DE ORGAOS VITAIS:
================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva*
de baixo custo ja seria suficiente
para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis,
com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *antecipadas*
para fins de retirada
de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===





---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.351 / Virus Database: 197 - Release Date: 20/4/2002




SUBJECT: Aniversário da Soc. da Terra Redonda - 3 Anos
FROM: "Sociedade da Terra Redonda" <strbrasil@hotmail.com>
TO: Lista@strbrasil.com.br
DATE: 04/05/2002 03:05

Prezados,

Hoje a Sociedade da Terra Redonda completa o seu terceiro ano de sucesso!
Para comemorar, publicamos diversos textos novos. Criamos uma nova seção na
Área Scientia, chamada Física 2000. Neste mês iniciaremos o quarto debate da
STR, com o tema escolhido pela votação on line: Big Bang. Obrigado pelo
apoio e pela participação. A STR é feita para vocês!

Atenciosamente,
Leo Vines e Equipe da Sociedade da Terra Redonda
"Porque concluir é melhor que acreditar."

*Novidades de Aniversário*
Física 2000
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000
Fato e Fantasia - Capítulo 16 "Meu Lança-Dúvidas Embutido" de Isaac Asimov
- http://www.strbrasil.com.br/Str/fato.htm
A Solução 10% de Barry Beyerstein
- http://www.strbrasil.com.br/Str/solucao.htm
Uma Análise Ecológica do Suposto Dilúvio de Mário Vicente Caputo
- http://www.strbrasil.com.br/Atheos/diluvio.htm
O Que É Um Livre-Pensador? de Dan Barker
- http://www.strbrasil.com.br/Atheos/livre-pensador.htm
Um Universo Velho: Como os Astrônomos Conhecem a Vasta Escala de Tempo
Cósmica
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/velho.htm
Guia de Falácias Lógicas do Stephen
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/falacias2.htm
Substituindo Partes do Corpo de Renato Zamora Flores
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/corpo.htm
Terapia Gênica: Princípios de Nance Beyer Nardi
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/genica.htm
Richard Feynman Fala Sobre Ensinar de Richard P. Feynman
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/ensinar.htm
O Meme Egoísta de Richard Dawkins
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/egoista.htm
Que a Força Esteja com Você!
- http://www.strbrasil.com.br/Humor/jedi.htm
Raios-X
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/xray
Teoria Eletromagnética
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/waves_particles
Mecânica Quântica
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/quantumzone
Fazendo Raios-X
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/xray/making_xrays.htm
Bremsstrahlung
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/xray/making_xrays2.htm
Emissão de Camada-K
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/xray/making_xrays3.htm
Absorção de Raios-X
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/xray/xray_abs1.htm
Pontos Claros e Escuros
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/xray/xray_abs2.htm
Segurança com Raios-X
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/xray/xray_abs3.htm
Raios-X e o DNA
- http://www.strbrasil.com.br/Scientia/2000/xray/xray_abs4.htm

---

Esta mensagem foi enviada pois você se registrou como Membro (
http://www.strbrasil.com.br/Membros ) da Sociedade da Terra Redonda ou faz
parte das principais listas de ateísmo, ceticismo e ciência na língua
portuguesa. Caso não queira mais receber informações diretamente por e-mail,
envie mensagem para Str@strbrasil.com.br com o título "Remover do Boletim".
Pedimos desculpas aos cadastrados em mais de uma lista pelas mensagens
duplicadas.

_________________________________________________________________
Una-se ao maior serviço de email do mundo: o MSN Hotmail.
http://www.hotmail.com



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 04/05/2002 04:28

----- Original Message -----
From: "rmtakata"
Sent: Thursday, May 02, 2002 12:02 PM
Subject: [ciencialist] Re: Bem-vindos

> --- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho"
> > Agradeceria muito se algum físico conseguisse demonstrar
> > incoerências nas minhas explicações

> Nao e' uma incoerencia, mas as "informacoes" mesquitianas
> apresentam propriedades surpreendentes -- interagem com a
> materia sem transmitir energia, (...)

Isso não é verdade. Mensagens que escrevi recentemente (vide 13497 e
seguintes, que podem ser lidas a partir de
http://ecientificocultural.com/ECC2/artigos/energia.htm ) retratam
exatamente o contrário. Pelo visto você não entendeu ou não quer entender os
meus argumentos.

> (...) embora altere a quantidade
> de movimento da particula; possuem velocidades variaveis q.
> se casam exatamente com o tempo necessario para serem
> lancadas e alcancarem as particulas a tempo de interagirem
> com elas do outro lado de uma fenda;

Diria que ou você está brincando ou entrando para o terreno das deturpações
ideológicas. No primeiro caso, talvez eu mereça. No segundo diria que isso
não é postura a ser adotada por um cientista sério. Está mais no gênero de
postura a ser adotada por um torcedor fanático de futebol.

> viajam a velocidades
> maiores do q. c: o q. tecnicamente permitiria transportar
> informacoes ao longo do tempo nos dois sentidos -- uma
> particula interferir com ela mesma antes mesmo de existir,
> p.e.

Realmente você não entendeu nada do que discutimos e/ou está querendo tirar
o sarro. Ou você bebeu demais no dia 4, o que seria tolerável, ou,
sinceramente, não temos mais o que conversar a respeito.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos - ERRATA
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 04/05/2002 04:38

----- Original Message -----
From: "Alberto Mesquita Filho"
Sent: Saturday, May 04, 2002 4:28 AM
Subject: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos


> > viajam a velocidades
> > maiores do q. c: o q. tecnicamente permitiria transportar
> > informacoes ao longo do tempo nos dois sentidos -- uma
> > particula interferir com ela mesma antes mesmo de existir,
> > p.e.

> Realmente você não entendeu nada do que discutimos e/ou está querendo
tirar
> o sarro. Ou você bebeu demais no dia 4, o que seria tolerável, ou,
> sinceramente, não temos mais o que conversar a respeito.

Corrigindo:

Onde se lê dia 4 leia-se dia 2. Do contrário eu estaria "interferindo com a
mensagem antes mesmo dela existir" ;-)

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 05/05/2002 00:59

In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "andrediasbaptista"
<andrebaptista@uol.com.br> wrote:

Percebe-se que é uma coisa muito mais profunda do que apenas um trauma ou
uma fuga psicológica. Minha opinião é que o "autismo psicogênico" deva ser
um termo impróprio para outros distúrbios mentais que resultam em isolamento
e fechamento em si mesmo.

André

Ninguém afirma que o autismo psicogênico é apenas (esta palavra é
preconceituosa) um trauma psicológico. Às vezes falar em psicológico parece
palavrão ou superficialidade. Um trauma é uma coisa muito séria. E uma das
situações mais difíceis de enfrentar numa psicoterapia. E o pior da coisa,
para as pessoas que desvalorizam os tratamentos psicológicos, é que não há
outra forma de tratar (pelo menos até hoje).

Um trauma psicológico, por exemplo, pode ter sido uma otite purulenta que
haja produzido uma dor fortíssima que não tenha sido percebida pelos
clínicos, ficando a crinça exposta à tortura durante muito tempo. É muito
comum uma dor maior do que aparelho psiquico de um bebê. O grau de
introversão pode ter sido grande a ponto de permanecer imune a qualquer
força evolutiva ontológica. O autismo não é nem será jamais um trauma, como
você diz. Poderia, eventualmente, ser conseqüência deste trauma. Isto não
significa que possa ser coisa leve.

Outra coisa: que é isso de "fuga psicológica". Um autismo não é nem será
jamais uma fuga. Se você considera que psicológicamente uma gripe é uma
fuga... Ou que, tirar rapidamente a mão de uma chapa quente é uma fuga,
estou de acordo. No entanto creio que a palavra fuga só complicaria a
psicopatologia.

O diagnóstico de autismo é fundamentalmente sindrômico. Chega-se à genética
por descarte. Se algo não é tóxico, nem traumático, nem conseqüência de um
tumor, nem tampouco infeccioso e não se consegue detectar uma causa
psicológica, só pode ser genético (embora não se tenha noticia de nenhum gem
de autismo). Se o diagnóstico é sindrômico, poderíamos dizer que se algo tem
penas como galinha, canta como galinha, põe ovo como galinha, voa pouco como
galinha, tem bico, cisca no quintal, fica choca e depois cuida dos
pintinhos...só pode ser galinha.

O autismo é uma síndrome, embora possa ter diferentes origens.

Também gostaria de saber o que você quer dizer com "uma coisa muito mais
profunda". Significa mais consistente ? mais verdadeira ? menos fútil ?
Quanto mde esta profundidade ? Não sei se a ignorancia de certos dados
tornam um assunto "mais profundo". Será que uma etiologia biológica é "mais
profunda" que uma psicológica ? Nesse caso, a causa é menos complexa desde
certa perspetiva. É nada mais que um problema tecnológico. Complexidade
tecnológica é maior profundidade? Um problema de personalidade pode ser mais
profundo que outro ? Qual o criterio? Se uma neurose produz mais sofrimento
que um autismo, esta seria mais profunda?

Como se quantifica a dose de autismo? Como seriam os mais "brandos" ? Os que
incomodam menos?

Creio que as coisas não são tão fáceis como aparentam.


Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar




SUBJECT: Trafico de Ogaos e Transplantes: Para onde vamos? Algumas perguntas
FROM: "Celso Galli Coimbra" <c.galli@terra.com.br>
TO: <politica-br@yahoogrupos.com.br>, <faroljuridico@yahoogroups.com>, <Direitos_Humanos@yahoogrupos.com.br>, <Direito_Trabalhista@yahoogrupos.com.br>, <Constitucional_Brasil@yahoogrupos.com.br>, <Artigos_Juridicos@yahoogrupos.com.br>, <advogado@yahoogrupos.com.br>
CC: <policia-livre@grupos.com.br>, <penal@grupos.com.br>, <Justica@yahoogrupos.com.br>, <judiciariofederal@yahoogroups.com>, <infancia-eca@yahoogroups.com>, <ibap-biodireito@yahoogroups.com>, <forum-social@yahoogroups.com>, <estudantes-de-direito@yahoogroups.com>, <direito-penal@yahoogroups.com>, <direitobrasil@grupos.com.br>, <direito_ufrj@yahoogrupos.com.br>, <cpgd_ufsc@yahoogrupos.com.br>, <consumidor_insatisfeito@grupos.com.br>, <civil@grupos.com.br>, <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, <attac-sp@yahoogroups.com>, <RedePraxis@yahoogrupos.com.br>
DATE: 05/05/2002 19:24

Direito_Saúde e Bioética -- 05.05.2002
_______________________________


PARA ONDE VAMOS ? ALGUMAS PERGUNTAS

Claudia Viegas*




Num processo em que as pessoas não sabem
exatamente o que se passa no interior de um hospital
quando um parente ou amigo seu estão fragilizados,
nas mãos de médicos, como garantir que a informação
repassada pelos médicos responsáveis pela
administração desta situação seja verossímil
e clara para as pessoas (familiares/amigos) que
acompanham essas vítimas?



Como pode um médico fazer trapaça com a vida
dos outros, mentir, falsificar laudos, dispor de partes
de outro ser humano a seu bel prazer e negociar essas
partes como se fossem peças de um computador
ou de um automóvel?



Como podem as autoridades não
fazerem nada diante disto?
Por que não se quebra o sigilo bancário de médicos,
anestesistas e outros profissionais que atuam
com este tipo de procedimento?
(Certamente eles devem ter um caixa 2,3,4,...n...,
em algum lugar do mundo, em algum paraíso fiscal.)



Assim como se rastreou a sucessão de procedimentos
de má-fé que resultaram na morte de um menino de 10 anos,
e pior, no desmonte de sua integridade física,
por que não se rastreia a ponta final dessa indústria,
a "expedição" da linha de montagem, ou seja, quem recebe
os órgãos, como vivem essas pessoas, quanto pagaram
pelo "serviço", com que qualidade vivem?



Quanto tempo será ainda necessário para que médicos,
jornalistas, formadores de opinião, enfim, pessoas que
estão entre uma "minoria pensante" aceitem discutir
abertamente o problema, sem fingir que não têm nada
a ver com isto, sem fazer de conta que estão imunes
à possibilidade de um desmanche seu
ou de seu familiar?


Ou será que essas pessoas se acham intocáveis
pela possibilidade de depararem
com uma situação dessas?

________________________________

* Cláudia Viegas é Jornalista

======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA
E TRANSPLANTES DE ORGAOS VITAIS:
======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *antecipadas*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
ENVIAR mensagem para o grupo use o endereço:
direito_saude@yahoogroups.com
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===




---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.351 / Virus Database: 197 - Release Date: 19/4/2002


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 06/05/2002 09:13

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> Assim nunca chegamos a lugar nenhum.

Acho q. vamos menos longe ainda se nao
reconhecermos q. ha' uma assimetria muito
grande de poder.

(Onde escrevi isopotencia, leia-se
equiponderacao.)

> Quanto à questão das barreiras comerciais, gostaria de ter dados
> confiáveis.

http://www.mdic.gov.br/doc/secex/deint/codir/Eua.pdf
http://www.usitc.gov/
http://www.state.gov/www/issues/economic/trade_reports/1999/brazil.htm
l

> Gostaria de acreditar que nossas tarifas são mais baixas
> que a deles mas como isso explicaria o fato que o preço de produtos
> eletronicos e automóveis custam o dobro para o consumidor final
> aqui no Brasil?

Entre outras possiveis: os nossos produtos custam o triplo por la'.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 06/05/2002 09:27

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> > Nao e' uma incoerencia, mas as "informacoes" mesquitianas
> > apresentam propriedades surpreendentes -- interagem com a
> > materia sem transmitir energia, (...)
>
> Isso não é verdade. Mensagens que escrevi recentemente (vide 13497 e
> seguintes, que podem ser lidas a partir de
> http://ecientificocultural.com/ECC2/artigos/energia.htm ) retratam
> exatamente o contrário. Pelo visto você não entendeu ou não quer
> entender os meus argumentos.

Pode ser q. eu nao tenha entendido. Mas eu me baseei em suas
postagens:

"Para o caso em consideração, voltamos ao ponto de partida:
Experimentalmente, e também teoricamente, está mais do que comprovado
que *determinadas* "radiações" eletromagnéticas não se acompanham
de "reação de radiação". De duas uma: ou essa "radiação" não contém
energia ou precisaremos redefinir o conceito de energia. No primeiro
caso diria que o que estamos chamando de "radiação" nada mais é senão
informação pura e com conteúdo energético e material nulo a se
propagar por um espaço euclidiano às custas de uma inércia imaterial.
No segundo caso fico no aguardo da nova definição de energia para
proceder algum comentário."
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/13924

(Entre outras.)

> > (...) embora altere a quantidade
> > de movimento da particula; possuem velocidades variaveis q.
> > se casam exatamente com o tempo necessario para serem
> > lancadas e alcancarem as particulas a tempo de interagirem
> > com elas do outro lado de uma fenda;
>
> Diria que ou você está brincando ou entrando para o terreno das
> deturpações ideológicas.

Brincando eu estou sempre. Deturpacao ideologica, jamais
voluntariamente. Mas sao as propriedades consequentes q. eu
vejo das "informacoes", segundo o seu modelo para a observacao
daqueles padroes ao se passarem fotons e eletrons atraves
de fendas.

> > viajam a velocidades
> > maiores do q. c: o q. tecnicamente permitiria transportar
> > informacoes ao longo do tempo nos dois sentidos -- uma
> > particula interferir com ela mesma antes mesmo de existir,
> > p.e.
>
> Realmente você não entendeu nada do que discutimos e/ou está
> querendo tirar o sarro.

Talvez seja as duas coisas. E mais uma terceira -- embora eu nao
tenha bebido nem do dia 2, nem no dia 4. Mas para a explicacao do
resultado dos experimentos EPR, essa informacao teria q. viajar a
velocidades maiores do q. "c".

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Entenderam?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 10:26



E-mail: gigirujo@ig.com.br
Nome: Regiane Calixto da Silva de Araujo
Cidade: Santo André
UF: SP
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 10
Dúvida/Sugestão: Por favor envie tudo a respeito de decibéis,estou com dúvida em um exercício que se segue:d=20t-t²,que refere-se ao horario de intervalo de uma escola e os decibéis é comparado ao pouso de um helicóptero.Aguardo resposta.Obrigada

=======
[]'
Léo
=======


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 06/05/2002 10:53

--- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > Assim nunca chegamos a lugar nenhum.
>
> Acho q. vamos menos longe ainda se nao
> reconhecermos q. ha' uma assimetria muito
> grande de poder.
>
> (Onde escrevi isopotencia, leia-se
> equiponderacao.)

Reconheço que há assimetria, isso é um fato. Eu disse que não vamos
muito longe se ficarmos eternamente alguma solução divina, ou se
ficarmos eternamente culpando essa assimetria pelas decisões
desastradas de nossos governantes, por nossa pobreza, pois aí caimos
num ciclo vicioso sem saída: somos pobres porque há assimetria, há
assimetria porque somos pobres.


>
> > Quanto à questão das barreiras comerciais, gostaria de ter dados
> > confiáveis.
>
> http://www.mdic.gov.br/doc/secex/deint/codir/Eua.pdf
> http://www.usitc.gov/
>
http://www.state.gov/www/issues/economic/trade_reports/1999/brazil.htm
> l
>
> > Gostaria de acreditar que nossas tarifas são mais baixas
> > que a deles mas como isso explicaria o fato que o preço de
produtos
> > eletronicos e automóveis custam o dobro para o consumidor final
> > aqui no Brasil?
>
> Entre outras possiveis: os nossos produtos custam o triplo por la'.
>

Deixe-me ser mais claro: produtos de qualquer terceiro país custam
mais barato lá, como máquinas fotográficas e automóveis do Japão, por
exemplo. Uma Pentax K1000 sai por uns U$200,00 lá, por R$1000,00
(U$400,00) aqui. Um Honda Civic por uns U$10.000,00 lá, por
U$20.000,00.


[]´s

André








SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 06/05/2002 11:02

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> ficarmos eternamente culpando essa assimetria pelas decisões
> desastradas de nossos governantes, por nossa pobreza, pois aí

Mas alguem propos isso aqui?

> Deixe-me ser mais claro: produtos de qualquer terceiro país custam
> mais barato lá, como máquinas fotográficas e automóveis do Japão,
> por exemplo. Uma Pentax K1000 sai por uns U$200,00 lá, por
> R$1000,00 (U$400,00) aqui. Um Honda Civic por uns U$10.000,00 lá,
> por U$20.000,00.

Uma parte seguramente pela carga tributaria incidente --
isso explica em boa medida porq. mesmo os carros fabricados
aqui mesmo apresentam relacao semelhante - no pais custa
xis dolares, em outro lugar custa x/2 dolares.

(O Civic e' de fabricacao nacional -- la' pras
bandas de Sumare'-SP.)

[]s,

Roberto Takata





SUBJECT: Re: Globalizacao
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 06/05/2002 11:08

--- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> Uma parte seguramente pela carga tributaria incidente --

Carga tributaria incidente sobre todas as
transacoes comerciais no país. O q. eleva
o preco das mercadorias nacionais e
diminui sua competitividade.

Claro q. falando assim pode parecer q.
eu acho q. as barreiras do pais sao
justas. Nao acho q. sejam. Mas tbm
nao acho q. sejam justas as barreiras
dos demais paises. (Mas o q. eu acho
ou deixo de achar nao e' nem um pouco
relevante. E graças a Deus nao interferem
na economia mundial nem na do país --
eu seria seguramente um desastre como
ministro da economia.)

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 06/05/2002 11:34

"andrediasbaptista"
>
> Percebe-se que é uma coisa muito mais profunda do que apenas um
trauma ou
> uma fuga psicológica. Minha opinião é que o "autismo psicogênico"
deva ser
> um termo impróprio para outros distúrbios mentais que resultam em
isolamento
> e fechamento em si mesmo.

"Marco Aurelio"
> Ninguém afirma que o autismo psicogênico é apenas (esta palavra é
> preconceituosa) um trauma psicológico. Às vezes falar em
psicológico parece
> palavrão ou superficialidade. Um trauma é uma coisa muito séria. E
uma das
> situações mais difíceis de enfrentar numa psicoterapia. E o pior da
coisa,
> para as pessoas que desvalorizam os tratamentos psicológicos, é que
não há
> outra forma de tratar (pelo menos até hoje).

Não estou minimizando ou negando a existência de traumas e outros
distúrbios psicológicos. Mas se o problema mental decorre, por
exemplo, de uma má-formação cerebral, ou de um trauma mecânico que
destrua ou seccione uma porção do tecido cerebral, então acho que
podemos falar numa origem mais "profunda", embora reconheço que esse
talvez seja apenas um adjetivo tolo, do ponto de vista prático. O
importante é distinguir a causa psicológica da física, não importando
qualificar qual é mais profunda.

>
> Um trauma psicológico, por exemplo, pode ter sido uma otite
purulenta que
> haja produzido uma dor fortíssima que não tenha sido percebida pelos
> clínicos, ficando a crinça exposta à tortura durante muito tempo. É
muito
> comum uma dor maior do que aparelho psiquico de um bebê. O grau de
> introversão pode ter sido grande a ponto de permanecer imune a
qualquer
> força evolutiva ontológica.

Uma otite grave e crônica não pode afetar fisicamente o cérebro?


O autismo não é nem será jamais um trauma, como
> você diz. Poderia, eventualmente, ser conseqüência deste trauma.
Isto não
> significa que possa ser coisa leve.
>
> Outra coisa: que é isso de "fuga psicológica". Um autismo não é nem
será
> jamais uma fuga. Se você considera que psicológicamente uma gripe é
uma
> fuga... Ou que, tirar rapidamente a mão de uma chapa quente é uma
fuga,
> estou de acordo. No entanto creio que a palavra fuga só complicaria
a
> psicopatologia.

Mas há vinte, trinta anos atrás havia essa idéia de que o autismo era
uma espécie de fuga, de auto-reclusão voluntária. De que os pais
poderiam ser culpados, pela maneira como tratavam os filhos. Isso
deve ter causado um sofrimento inútil em muitos pais, além da perda
de tempo em tratamentos que buscavam romper uma suposta "barreira"
psicológica do autista, quando os dados hoje parecem indicar que esta
barreira está no cérebro.


>
> O diagnóstico de autismo é fundamentalmente sindrômico. Chega-se à
genética
> por descarte. Se algo não é tóxico, nem traumático, nem
conseqüência de um
> tumor, nem tampouco infeccioso e não se consegue detectar uma causa
> psicológica, só pode ser genético (embora não se tenha noticia de
nenhum gem
> de autismo). Se o diagnóstico é sindrômico, poderíamos dizer que se
algo tem
> penas como galinha, canta como galinha, põe ovo como galinha, voa
pouco como
> galinha, tem bico, cisca no quintal, fica choca e depois cuida dos
> pintinhos...só pode ser galinha.
>
> O autismo é uma síndrome, embora possa ter diferentes origens.

Ok, mas os dados apontam para um forte componente genético. Mas, mais
importante que ser genético, os dados apontam para uma causa física -
o cérebro dos autistas seria diferente. Essa diferença não
necessariamente é genética - pode ser causada por doença ou lesão.

>
> Também gostaria de saber o que você quer dizer com "uma coisa muito
mais
> profunda". Significa mais consistente ? mais verdadeira ? menos
fútil ?
> Quanto mde esta profundidade ? Não sei se a ignorancia de certos
dados
> tornam um assunto "mais profundo". Será que uma etiologia biológica
é "mais
> profunda" que uma psicológica ?

Como já respondi acima, é um adjetivo inútil do ponto de vista
prático.


Nesse caso, a causa é menos complexa desde
> certa perspetiva. É nada mais que um problema tecnológico.
Complexidade
> tecnológica é maior profundidade? Um problema de personalidade pode
ser mais
> profundo que outro ? Qual o criterio? Se uma neurose produz mais
sofrimento
> que um autismo, esta seria mais profunda?
>
> Como se quantifica a dose de autismo? Como seriam os
mais "brandos" ? Os que
> incomodam menos?
>

Imagino que os autistas sejam classificados numa hierarquia de auto-
suficiência. Quanto maior a independência, menor o grau do
autismo. "Síndrome de Asperger" parece ser a designação de um autismo
brando.

> Creio que as coisas não são tão fáceis como aparentam.
>
>

E essa dicotomia físico versus psicológico cada vez mais parece
falsa, a medida que se descobre que o uso corrente do cérebro
modifica diariamente sua estrutura. Traumas psicológicos prolongados
talvez possam causar danos significativos e permanentes no cérebro. A
questão é saber se a terapia psicológica poderia reverter esse dano
estrutural ou se seria mais eficiente partir para a intervenção
direta (química ou cirúrgica).
A medida que aumenta nosso conhecimento e nossa tecnologia a
tendência é a intervenção direta se tornar mais precisa e eficiente -
até alcançarmos o "admirável mundo novo" onde haverá uma pílula, ou
uma cirurgia da felicidade. Claro que numa sociedade democrática
deverá sempre haver a opção por uma vida natural, com todos os seus
transtornos e sofrimentos naturais. Para mim particularmente, é
revoltante a idéia da "felicidade vendida em pílulas" - defendo a
definição de um novo critério de felicidade que exclua essa
possilidade. A felicidade deve ser algo mais profundo (essa
palavrinha que não siginifica nada!)


[]´s

André Baptista



SUBJECT: Re: [ciencialist] Entenderam?
FROM: Prof. José Carlos <profjc@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 14:04

Ué, você não entendeu Léo?

Manda tudo pra menina! :)))

Abraços,

____________________
Prof. José Carlos (JC)
profjc@terra.com.br
ICQ 11734153
____________________


----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
To: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, May 06, 2002 10:26 AM
Subject: [ciencialist] Entenderam?




E-mail: gigirujo@ig.com.br
Nome: Regiane Calixto da Silva de Araujo
Cidade: Santo André
UF: SP
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 10
Dúvida/Sugestão: Por favor envie tudo a respeito de decibéis,estou com
dúvida em um exercício que se segue:d=20t-t²,que refere-se ao horario de
intervalo de uma escola e os decibéis é comparado ao pouso de um
helicóptero.Aguardo resposta.Obrigada

=======
[]'
Léo
=======


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: Re: Entenderam?
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 06/05/2002 14:15

A resposta e' igual a THC.

Mutcho doido!

Ou os decibeis da sala estavam acima do
nivel recomendado pela OMS e a pobre aluna
nao pode ouvir todo o exercicio por
causa do helicopter pousando no patio da
escola durante o intervalo da aula.

[]s,

Roberto Takata

> ----- Original Message -----
> From: "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...>

> Nome: Regiane Calixto da Silva de Araujo
> Dúvida/Sugestão: Por favor envie tudo a respeito de decibéis,estou
> com dúvida em um exercício que se segue:d=20t-t²,que refere-se ao
> horario de intervalo de uma escola e os decibéis é comparado ao
> pouso de um helicóptero.Aguardo resposta.Obrigada




SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 06/05/2002 15:37

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> Não *conter* energia não é sinônimo de *não transmitir* energia.
> Apesar de defender a física clássica, isso não significa que
> retornei ao século XIX. Vivemos na era das informações. Por
> exemplo, hoje transferi por telefone 1000 reais de minha conta
> bancária A para a conta bancária B. Ou seja, o dinheiro foi
> transferido mas a informação em si não contém dinheiro algum,
> apenas informação.

A informacao nao contem dinheiro algum e nao transmite dinheiro:
os 1.000 reais fisicos q. estavam em sua conta, nao sao transferidos
para a conte em q. vc credita -- o q. e' transferido sao 'creditos'
e 'creditos' e' uma informacao. Se vc marcar dez notas de 100 reais,
deposita'-lo em sua conta e pedir q. esses mil reais sejam
transferidos para a conta de outrem, essa pessoa nao recebera' essas
notas marcadas. (Na verdade se vc sacar o dinheiro de sua conta, tbm
pouco provavelmente ira' receber essas notas de volta.)

(E essa transmissao de informacao so' decorre em funcao de
transmissao de energia.)

> Em outras palavras: a informação não contém energia mas transmite
> energia.

Podemos dizer q. a transmissao de energia contem a informacao.

> > Mas para a explicacao do
> > resultado dos experimentos EPR, essa informacao teria q. viajar a
> > velocidades maiores do q. "c".
>
> Essa é uma visão ligeiramente deturpada das idéias de Einstein, o
> principal autor da experiência EPR.

Na verdade nem e' a visao de Einstein. Na visao de Einstein o
paradoxo se resolve nao alegando uma informacao q. viaje a
mais do q. c; mas assumindo q. as particulas possuem um estado
definido o tempo todo, um estado ignorado por nos.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 18:01

----- Original Message -----
From: "rmtakata"
Sent: Monday, May 06, 2002 3:37 PM
Subject: [ciencialist] Re: Bem-vindos

Quero crer que a dúvida em si tenha sido sanada e a essência do processo, da
maneira como o concebo, tenha enfim sido comunicada. Não espero que ninguém
aceite o que digo, mas também que não digam que eu disse o que não disse. O
mais, se o que é transmitido existe ou se é de natureza virtual, isso talvez
caiba num colóquio sobre retórica. O importante dentro de minha teoria é
perceber que a informação em si não contém energia, mas tanto o objeto que
emite a informação quanto o que a recebe, têm as suas energias alteradas em
quantidades tais a satisfazerem, no decorrer do tempo, a conservação da
energia. E quero crer que para a física experimental é isso o que interessa,
mesmo porque ninguém mede "diretamente" a energia.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Tem mergulhador por aqui?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 19:52


E-mail: tete85m@yahoo.com.br
Nome: Maria Tereza
Cidade: Belo Horizonte
UF:
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 07
Dúvida/Sugestão: Os mergulhadores normalmente usam cilindros de ar comprimidos para atividades chamados Aqualung. Como funciona a válvula de demanda?
=================
[]'
Léo



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Tem geologo por aqui?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 19:53


E-mail: ana-mauricio@clix.pt
Nome: Ana RAquel
Cidade: Lisboa
UF:
Nível de Escolaridade: Básico/Fundamental
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 08
Dúvida/Sugestão: Quanto tempo leva a transformação de Lenhite em antracite? Que tipo de carvão é o lapis e que percentagem de carbono tem? Obrigada
========
[]'
Léo
========


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Tem 'malhadores' por aqui?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 19:55


E-mail: danielbareno@bol.com.br
Nome: Daniel Bareno Marques
Cidade: São Paulo
UF: SP
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 01
Dúvida/Sugestão: O que é o martelamento em conformação mecânica?
========
[]'
Léo
========


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: E essa?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 20:32


E-mail: luycarlo@zipmail.com.br
Nome: Luis Carlos
Cidade: Campinas
UF: SP
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Hobbista
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 01
Dúvida/Sugestão: Minha duvida é uma duvida de principiante a algum tempo li, que o universo esta a 220km/s. Eu quero entender isso melhor,sera possivel me ajudar nessa duvida? Obrigado..


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Ajudem-me a decifrar
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:04


E-mail: danrro@zipmail.com.br
Nome: daniel
Cidade: amambai
UF: ms
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 02
Dúvida/Sugestão: Professor Luiz, o senhor esta de parabéns pela esta sala, dedicada somente a ciência. O conteudo dela será de grande valia para o meu mini curso, sobre Água. Contudo, gostaria de saber o que influência, quando a água em seu estado de vapor, a mesma sobe e não fica concentrada no solo. Atenciosamente Daniel


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Filtros
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:06

É preciso filtrar!

[]'
Léo
================

E-mail: soualine@ig.com.br
Nome: Aline Cristina
Cidade: São Paulo
UF: SP
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala dos links
Dúvida/Sugestão: Meu nome é Aline, sou uma estudante do curso de Química e estou efetuando um trabalho de laboratório e gostaria de solicitar a ajuda de vocês. Estou procurando 5 exemplos de filtrações que podem ser efetuadas com filtros comuns, é somente o nome das substâncias, mas não estou encontrando, se puderem me ajudar eu agradeço. Atenciosamente, Aline


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Eh ... quando chega universitario ... complica!
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:07

O que é uma máquina (simples) desenvolvida?
[]'
Léo
============
E-mail: antonioc@itautec-philco.com.br
Nome: Antonio Carlos
Cidade: Manaus
UF: am
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 01
Dúvida/Sugestão: Como posso calcular o rendimento médio p/ máquinas (simples) desenvolvidas?


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Perdeu o capacete!
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:14

Putz grila! Lá no espaço, um astronauta perder o capacete e ser um tanto distraído não?
Será que ele explodiria antes de congelar ? A cabeça explode primeiro? :-))))))
E a Gravitação Universal? Tb explode? :-)))

Eu sofro!


[]'
Léo
===========

E-mail: tlc.carvalho@bol.com.br
Nome: Tânia Letícia
Cidade: Brasília
UF: DF
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 08
Dúvida/Sugestão: Professor, gostaria por favor, que me respondesse esta pergunta: Gravitação Universal - Um astronauta no espaço põe a roupa de proteção e sai da nave preso por uma corda para fazer a manutenção da nave. De repente ele perde o capacete. O que acontece com ele?


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Eu sofro! .... riam!
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:15


E-mail: elvinhopaz@bol.com.br
Nome: Elvio Paz
Cidade: Fortaleza
UF: CE
Nível de Escolaridade: Básico/Fundamental
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 08
Dúvida/Sugestão: Queria saber como faço uma garrafa térmica com poucos materiais e fácil


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Dois em um ... do mesmo consulente
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:18

E-mail: fk007@ibest.com.br
Nome: Luvbre Luigh
Cidade: São Paulo
UF: SP
Nível de Escolaridade: Básico/Fundamental
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 01
Dúvida/Sugestão: Prof. é possível alguma coisa atingir a velocidade da luz se não a propria luz? é verdade que se alguma massa atingir a velocidade da luz ela vira luz?
===================


E-mail: fk007@ibest.com.br
Nome: Luvbre Luigh
Cidade: São Paulo
UF: SP
Nível de Escolaridade: Básico/Fundamental
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 01
Dúvida/Sugestão: Prof. poderia me dizer o que é a teoria da relatividade restrita?, e a teoria da relatividade geral?, oque elas tem a ver com o nosso mundo? qual sua importancia?
========================


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:25

----- Original Message -----
From: "rmtakata"
Sent: Monday, May 06, 2002 5:27 AM
Subject: [ciencialist] Re: Bem-vindos


> > > Nao e' uma incoerencia, mas as "informacoes" mesquitianas
> > > apresentam propriedades surpreendentes -- interagem com a
> > > materia sem transmitir energia, (...)

> > Isso não é verdade. Mensagens que escrevi recentemente (vide 13497 e
> > seguintes, que podem ser lidas a partir de
> > http://ecientificocultural.com/ECC2/artigos/energia.htm ) retratam
> > exatamente o contrário. Pelo visto você não entendeu ou não quer
> > entender os meus argumentos.

> Pode ser q. eu nao tenha entendido. Mas eu me baseei em suas
> postagens:

> "Para o caso em consideração, voltamos ao ponto de partida:
> Experimentalmente, e também teoricamente, está mais do que comprovado
> que *determinadas* "radiações" eletromagnéticas não se acompanham
> de "reação de radiação". De duas uma: ou essa "radiação" não contém
> energia ou precisaremos redefinir o conceito de energia. No primeiro
> caso diria que o que estamos chamando de "radiação" nada mais é senão
> informação pura e com conteúdo energético e material nulo a se
> propagar por um espaço euclidiano às custas de uma inércia imaterial.
> No segundo caso fico no aguardo da nova definição de energia para
> proceder algum comentário."
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/13924

Não *conter* energia não é sinônimo de *não transmitir* energia. Apesar de
defender a física clássica, isso não significa que retornei ao século XIX.
Vivemos na era das informações. Por exemplo, hoje transferi por telefone
1000 reais de minha conta bancária A para a conta bancária B. Ou seja, o
dinheiro foi transferido mas a informação em si não contém dinheiro algum,
apenas informação.

Em outras palavras: a informação não contém energia mas transmite energia.
Energia é algo que se conserva num dado num dado universo mas não deixa de
ser um construto útil e a relacionar-se com as propriedades da matéria.

> Mas para a explicacao do
> resultado dos experimentos EPR, essa informacao teria q. viajar a
> velocidades maiores do q. "c".

Essa é uma visão ligeiramente deturpada das idéias de Einstein, o principal
autor da experiência EPR.

[ ]'s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: um 'pecado'.
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:26

O problema mais grave dele é a eletrônica. Não tem a mínima idéia das corrente associadas ao movimento do cone ... e quer colocar um diodo! Que idéia ... o som vai voltar e danificar algum aparelho .... pode?

[]'
Léo
PS: E o moderador não pode nem reclamar de minhas mensagens ... pois são altamente científicas. Ha ha ha .......
===========


E-mail: cabrajac@hotmail.com
Nome: Fabio
Cidade: Sao Paulo
UF: SP
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Eletrônico
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 15
Dúvida/Sugestão: Estou com um problema grave :( Quero conectar meu CD Player do carro e meu Radio Amador, para que usem os mesmo alto-falantes. Que tipo de diodo deveria usar conectado ao alto-falante para que impessa do som voltar e danificar um dos aparelhos? Sei que os diodos mantem a corrente em uma so direcao - eles seriam ideais - mais nao sei quais deveria usar. Por favor me ajude. Obrigado


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Vamos DETONAR ...... sofre Lo!
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:30

Nesse final de semana que passei lá no rancho vieram 378 pedidos de consulentes. Já dispachei 67!

Por hoje chega.

[]'
Léo
============

E-mail: Talis_almeida@bol.com.br
Nome: Talis Almeida
Cidade: Uberaba
UF: MG
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 01
Dúvida/Sugestão: Queria saber se o senhor tem alguma idéia para fazermos uma feira de ciências lá na escola. Nós queriamos algo de quimíca ou física e queriamos DETONAR alguns indivíduos concorrentes da mesma sala que formam complôs contra cinco ou seis. Qual tema o senhor sugeri????


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 21:51


De: "Alberto Mesquita Filho"

| E quero crer que para a física experimental é isso o que interessa,
| mesmo porque ninguém mede "diretamente" a energia.

Assim como ninguém 'mede diretamente' enorme quantidade de grandezas da física, sem dúvida, a maioria.
Só para constar ...
A informação em si não é um 'pacote de energia'? Um pulso? Se ela não transportar nada de energia como poderá afetar algum sistema mudando seu estado?
No exemplo da informação que transfere o $$ de uma conta para outra há um pulso elétrico ou magnético envolvido na alteração ou estado de algum 'bit'. Ou não????

[]'
Léo
============



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 22:42

----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto"
Sent: Monday, May 06, 2002 9:51 PM
Subject: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos

> A informação em si não é um 'pacote de energia'? Um pulso?

Um pacote de energia pode transmitir algum tipo de informação, mas a
recíproca não é obrigatoriamente verdadeira.

> Se ela não transportar nada de energia como poderá afetar algum sistema
> mudando seu estado?

Boa pergunta. Na falta de uma resposta melhor, reproduzo abaixo um trecho de
meu trabalho "A equação do elétron e o eletromagnetismo" (Comentários sobre
H-2).

> No exemplo da informação que transfere o $$ de uma conta para outra há um
> pulso elétrico ou magnético envolvido na alteração ou estado de algum
> 'bit'. Ou não????

Sim, mas esse pulso não tem nada a ver com a quantidade de $$ transferidos.
Um único fóton seria suficiente para que o Bil Gates transferisse toda a sua
fortuna dos EUA para Passárgada. E a participação do fóton seria meramente
no sentido de informar e não de transmitir $$. Acho mesmo que nem haveria a
necessidade do fóton, seria suficiente a emissão de uma informação pura, do
"tipo" da gravitacional e/ou daquela que não foi levada em consideração pelo
Heisenberg quando formulou seu famoso princípio da incerteza. ;-)

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm


¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤

2.4. Comentários sobre H-2:
(de "A equação do elétron e o eletromagnetismo")

(...) Há, no entanto, aspectos inerentes a H-2 que são importantes
para o desenvolvimento da teoria e cuja análise, em minha opinião, ainda que
longa, não deve ser postergada. Filosofemos, pois, um pouco.

O que são informações eletromagnéticas? Qual é a sua natureza física?
A resposta não é fácil mas arriscar-me-ei a dizer que qualquer semelhança
com o que se convencionou chamar variáveis escondidas da física moderna pode
não representar mera coincidência.

A física clássica é redutível a conceitos fundamentais como espaço,
tempo, matéria e movimento. As informações escapam a este reducionismo: são
autóctones, ainda que fluam, posto que são emitidas (H-2). O termo fluxo é
abrangente mas pode sempre ser relacionado a alguma coisa que flui ou corre
através de uma fronteira real ou imaginária: uma corrente de água, uma
rajada de metralhadora, o som, a luz, a lava de um vulcão... ou mesmo a
humanidade que flui através da história. Os antigos associaram-no ao
movimento, ao tempo, à dinâmica, à evolução. Para Heráclito, o Obscuro, o
fluxo era essencial à existência [8]; Aristóteles associou o fluxo a uma
causa: o ato à potência; e Epicuro fundiu o atomismo de Demócrito ao
aleatorismo de Heráclito e ao causalismo de Aristóteles para concluir que a
mortalidade decorre da imortalidade: a forma permanece embora a substância
mude [9].

Na física de campos surge um conceito novo: o fluxo sem matéria.
Real ou imaginário, concreto ou abstrato, a verdade é que existindo um
campo, algo flui. Atravessa o vácuo, permeia as moléculas, dilui-se e não
respeita o infinito. Não necessita de um meio para se propagar. Com efeito,
o éter não existe. Sua sede é o espaço; sua existência é o campo; sua
natureza é o nada.

Um campo pode se modificar e, assim fazendo, transporta energia; e
um campo estacionário pode ser imaginado como energia localizada no espaço.
Mas energia, mesmo a potencial, é algo que flui, posto que age! Como é
possível alguma coisa se localizar e fluir ao mesmo tempo? Existe,
realmente, uma dualidade intrínseca ao conceito de campo; dualidade esta que
poderia ser resolvida admitindo-se um éter de energia, sede de alguma coisa
imaterial que se propaga e que se manifesta localmente como energia:
materializa-se ao ser observada, para utilizar uma expressão que seria do
agrado de um físico realista do nosso século, sem ser totalmente contrária à
interpretação ortodoxa da física quântica. Vejamos o pensamento de um grande
cientista e filósofo da ciência.

"É inconcebível que a matéria bruta inanimada possa, sem a
mediação de alguma coisa, que não é material, atuar sobre, e afetar
outra matérria sem contato mútuo, como deve ser, se a gravitação no
sentido de Epicuro for essencial e inerente a ela. E esta á uma razão
pela qual desejo não me seja atribuída a gravidade inata. Que a
gravitação seja inata, inerente e essencial à matéria, de modo que um
corpo possa atuar sobre outro a distância, através do vácuo, sem a
mediação de mais nenhuma coisa, pela qual e através da qual sua ação e
sua força fosse transportada de um até outro, é para mim absurdo tão
grande, que acredito que homem algum que tenha em questões filosóficas
competente faculdade de pensar, possa cair nele. A gravidade deve ser
causada por um agente que atua constantemente, de acordo com certas
leis; mas deixo à consideração de meus leitores se este agente é
material ou imaterial." Newton [10]

Com estas palavras Newton posiciona-se frente ao que viria a ser
chamado campo, optando por uma teoria de emissão. Mas emissão de quê? De
alguma coisa imaterial?

O problema levantado por Newton ainda não foi solucionado. Se esta
alguma coisa que não é matéria e não é energia, mas que exerce um efeito,
existe ou não, "deixo à consideração de meus leitores". Existindo ou não,
desde que vamos por vezes nos referir a ela, deve ser batizada.: alguma
coisa é pouco mais que joão-ninguém. Coerentemente com sua ação, chama-lá-ei
informação: eletromagnética, gravitacional, etc.

É importante, em física, saber distinguir certos conceitos
aparentados. É clássica a confusão do principiante em termodinâmica entre
calor e temperatura. Como é comum se pensar que o que flui num campo de
velocidades é a velocidade. Raciocinando em termos de campo podemos
conceituar o calor como a entidade que flui em um campo de temperaturas. O
campo de velocidades é um pouco mais complexo; ou, quem sabe, um pouco
melhor conhecido. Aí, o que flui pode ser encarado sob vários prismas: vazão
ou volume de fluido que atravessa uma superfície na unidade de tempo; massa
correspondente ao volume assinalado; quantidade de matéria, idem, expressa
sob a forma de número de partículas elementares. Para cada prisma um valor,
um número diferente que retrata a mesma coisa. Além do prisma podemos variar
a óptica e pensar no que flui não no sentido da corrente mas em virtude do
grau de liberdade e da coesão entre as moléculas de fluido. Assim sendo
temos um fluxo de momento propagando-se perpendicularmente a sua própria
direção: é um fluxo gerando outro fluxo ou, melhor dizendo, é um campo
tensorial gerando um campo vetorial.

O que flui num campo de temperaturas é chamado calor; o que flui
num campo de velocidades pode ser chamado vazão e/ou momento; o que flui num
campo eletromagnético chamarei informação eletromagnética. A informação
eletromagnética pode existir ou não; existindo, pode ser importante ou não.
Existindo ou não, o importante é perceber que o campo eletromagnético
estacionário não se propaga, assim como calor não é temperatura.
Conseqüentemente, a informação a que me refiro não é uma onda
eletromagnética, embora uma onda eletromagnética transmita informação.

¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤¤



SUBJECT: Sobre a questão da água em seu estado de vapor!
FROM: "Daniel Carlos" <cumullosnimbos@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 06/05/2002 23:53

Não sei se entendi bem seu questionamento, porém se for isso espero que
ajude:
Um importante processo é o de convecção térmica que é conseqüência do
balanço positivo de radiação. Em síntese, pode-se dizer que a água
armazenada em uma superfície qualquer, seja o solo ou um lago... é aquecida
evapora e começa um de ascenção ou processo convectivo.Que é adiabático(sem
troca de energia com o meio) podendo ser seco ou saturado(vai depender da
quantidade de umidade que o ar carrega), a parcela de ar poderá atingir o
nível de condensação por elevação (NCL), onde este ar condensa(podendo
ocorrer formação de nuvens ou não, que vai depender da instabilidade da
parcela de ar) e nesta mudança de fase ocorre liberação de calor latente na
atmosfera, que é um importante processo na dinâmica da atmosfera (não é o
mais importante).
----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
To: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, May 06, 2002 9:04 PM
Subject: [ciencialist] Ajudem-me a decifrar


Quer ter seu próprio endereço na Internet?
Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados.
DomíniosBOL - http://dominios.bol.com.br






E-mail: danrro@zipmail.com.br
Nome: daniel
Cidade: amambai
UF: ms
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 02
Dúvida/Sugestão: Professor Luiz, o senhor esta de parabéns pela esta sala,
dedicada somente a ciência. O conteudo dela será de grande valia para o meu
mini curso, sobre Água. Contudo, gostaria de saber o que influência, quando
a água em seu estado de vapor, a mesma sobe e não fica concentrada no solo.
Atenciosamente Daniel


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: RE: [ciencialist] Tem mergulhador por aqui?
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/05/2002 00:06

"Maria Tereza (via Léo): Os mergulhadores normalmente usam cilindros de
ar comprimidos para atividades chamados Aqualung. Como funciona a
válvula de demanda?"

Aqualung é marca registrada. Os aparelhos de mergulho autônomo são mais
conhecidos em inglês como SCUBA (Self Contained Underwater Breathing
Apparatus).

A válvula de demanda possibilita ao mergulhador respirar debaixo d'água
pela boca como se estivesse na superfície. Possui dois estágios:

1. O primeiro estágio fica junto das garrafas de ar. A pressão do ar das
garrafas trabalha contra uma mola para fechar a válvula do primeiro
estágio. A pressão do ar nas garrafas é contrabalançada pela força da
mola e da pressão no exterior (mangueiras). Assim, a válvula permanece
fechada até que o mergulhador inale.

2. O segundo estágio fica junto do bocal de respiração. Ao inalar, o
mergulhador faz cair a pressão no interior do bocal. Um diafragma
conectado a uma alavanca se move e abre o segundo estágio da válvula de
demanda, deixando entrar ar.

O ar sai das mangueiras para o bocal, e dali para a boca e pulmões do
mergulhador. Ao fazer isso, cria-se baixa pressão nas mangueiras,
fazendo abrir a válvula do primeiro estágio. O ar sai enquanto houver
demanda, isto é, enquanto o mergulhador estiver inalando. Quando o
mergulhador para de inalar, as mangueiras se enchem de ar e o sistema
entra novamente em equilíbrio.

Se não houver demanda, não haverá fluxo de ar. Daí o nome da válvula.


Colucci

(que não mergulha nas águas cristalinas de Ubatuba desde 1988)




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
FROM: "Daniel Carlos" <cumullosnimbos@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
CC: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/05/2002 00:08

----- Original Message -----
From: Daniel Carlos

Sent: Sunday, May 05, 2002 3:22 PM
Subject: Ciência e Arte.


Bem, infelizmente não tenho conhecimento, nem tão pouco percebo esta
correlação entre ciência e música clássica ou qualquer outro estilo que
transmita uma pseudo inteligência. Porém, acho certa incoerência da sua
parte ao frisar que em seu acervo de músicas vc possui até "forró"(dando a
este estilo popularmente brasileiro uma conotação chula) , o quê vc quis
dizer com isso, será que o mesmo não tem relevância e importância cultural
para o povo brasileiro?
Sei que está fora do assunto, mas é só por curiosidade.
----- Original Message -----
From: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Thursday, May 02, 2002 2:20 PM
Subject: [ciencialist] Re: Ciencia e arte


Quer ter seu próprio endereço na Internet?
Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados.
DomíniosBOL - http://dominios.bol.com.br





--- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > Já música pop / rock´n roll / bate -estaca ... argh
> > Provavelmente se obervará uma correlação negativa entre os
> > praticantes dessas modalidades artísticas e o conhecimento
> > científico
>
> Entao meu conhecimento cientifico deve tender a
> zero. :-( (Mas a minha esperanca e' q. o termo
> 'praticantes' nao se estenda aos apreciadores...
> ou q. por nao gostar de techno diminua em um terco
> a minha 'inguinoranssa'.)

Não se estende aos apreciadores. Em meu acervo particular constam
diversos espécimes desse negócio chamado "rock". Também tem um pouco
de "axé" e até "forró". Trata-se de música para as partes baixas -
então ter ou não cérebro não afeta muito a apreciação. Consta que num
experimento ainda não publicado foi removido o sistema nervoso
central de uma dançarina de axé, e não só ela continuou rebolando ao
som da música como seu desempenho aumentou sensivelmente. :-). Mas
falando sério, veja como a apreciação de genêros musicais mais
populares está relacionada a ingestão de drogas que inibem o
raciocínio.

[]´s

André





&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: RE: [ciencialist] Eu sofro! .... riam!
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/05/2002 00:18

>Elvio Paz (via Léo): Queria saber como faço uma garrafa térmica com
poucos materiais e fácil<

As garrafas térmicas comerciais mantém a temperatura dos líquidos nela
colocados por evitarem a troca de calor com o ambiente de três maneiras:

CONDUÇÃO: Cria-se vácuo entre as paredes duplas da garrafa térmica,
evitando-se a condução de calor. A condução de calor precisa de um meio
material.

RADIAÇÃO: Aplica-se uma camada espelhada às paredes para refletir as
ondas de calor (radiação infravermelha)

CONVECÇÃO: Exige um meio sólido ou líquido para se dar. O vácuo entre as
paredes da garrafa impede a convecção.

Para um fim didático, você pode fabricar uma garrafa térmica que use os
mesmos princípios de maneira diferente:

CONDUÇÃO: pode ser diminuida colocando-se dois recipientes de vidro um
dentro do outro com uma camada de material mau condutor de calor entre
eles. Maus condutores de calor são: lã, isopor, pedaços de papel picado
bem compactado, etc.

RADIAÇÃO: pode ser diminuida embrulhando-se o reservatório de vidro
interno em papel de alumínio, que reflete o infravermelho. Melhor ainda
seria usar uma folha de cobre fina.

CONVECÇÃO: O próprio material de isolamento térmico, se for bem
compactado, impedirá a convecção. Boa parte dos isolantes térmicos (lã,
isopor) tem a propriedade de aprisionar quantidades pequenas de ar,
impedindo a livre convecção. Para ter certeza de que não haverá
convecção, sele a junção superior entre os dois recipientes de vidro com
cola.

A eficiência não é sequer comparável à das garrafas comerciais, mas a
finalidade aqui é ilustrar o princípio envolvido na construção das
garrafas térmicas.

Colucci




SUBJECT: Re: [ciencialist] Tem mergulhador por aqui?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/05/2002 08:17

Valeu. Agradecemos (pois eu tb nunca vi um equipo desses de perto; nem mergulho equipado)
[]'
Léo
PS: Pensava tb que agualung fosse o nome do equipo.
=========
-----Mensagem Original-----
De: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: terça-feira, 7 de maio de 2002 00:06
Assunto: RE: [ciencialist] Tem mergulhador por aqui?


"Maria Tereza (via Léo): Os mergulhadores normalmente usam cilindros de
ar comprimidos para atividades chamados Aqualung. Como funciona a
válvula de demanda?"

Aqualung é marca registrada. Os aparelhos de mergulho autônomo são mais
conhecidos em inglês como SCUBA (Self Contained Underwater Breathing
Apparatus).

A válvula de demanda possibilita ao mergulhador respirar debaixo d'água
pela boca como se estivesse na superfície. Possui dois estágios:

1. O primeiro estágio fica junto das garrafas de ar. A pressão do ar das
garrafas trabalha contra uma mola para fechar a válvula do primeiro
estágio. A pressão do ar nas garrafas é contrabalançada pela força da
mola e da pressão no exterior (mangueiras). Assim, a válvula permanece
fechada até que o mergulhador inale.

2. O segundo estágio fica junto do bocal de respiração. Ao inalar, o
mergulhador faz cair a pressão no interior do bocal. Um diafragma
conectado a uma alavanca se move e abre o segundo estágio da válvula de
demanda, deixando entrar ar.

O ar sai das mangueiras para o bocal, e dali para a boca e pulmões do
mergulhador. Ao fazer isso, cria-se baixa pressão nas mangueiras,
fazendo abrir a válvula do primeiro estágio. O ar sai enquanto houver
demanda, isto é, enquanto o mergulhador estiver inalando. Quando o
mergulhador para de inalar, as mangueiras se enchem de ar e o sistema
entra novamente em equilíbrio.

Se não houver demanda, não haverá fluxo de ar. Daí o nome da válvula.


Colucci

(que não mergulha nas águas cristalinas de Ubatuba desde 1988)



&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
CC: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/05/2002 08:31

Como todos o sabem sou radicalmente contra o 'roquinrol'. Em minhas lições de Ondas e Acústica utilizo-me disso como exemplo de ruído e ainda recomendo ao leitor a não participar dessa experiência de ouví-lo por ser altamente danoso ás ligações sinápticas.
Quando eu ocupar o cargo de presidente do Brasil essa será a primeira MP: proibir a entrada no país de toda e qualquer coisa relacionada a esse ruído. A segunda MP será proibir às irradiações de OEM (TVs e Broadcasting) dessa informação inócua. Uma informação *que consome muita energia* e é prejudicial a saúde.

[]'
Léo
PS: ' ` / \ | ... para ser usado onde deveria (crase, acento etc.)
=============
-----Mensagem Original-----
De: "Daniel Carlos" <cumullosnimbos@bol.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Cc: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: terça-feira, 7 de maio de 2002 00:08
Assunto: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte


| ----- Original Message -----
| From: Daniel Carlos
|
| Sent: Sunday, May 05, 2002 3:22 PM
| Subject: Ciência e Arte.
|
|
| Bem, infelizmente não tenho conhecimento, nem tão pouco percebo esta
| correlação entre ciência e música clássica ou qualquer outro estilo que
| transmita uma pseudo inteligência. Porém, acho certa incoerência da sua
| parte ao frisar que em seu acervo de músicas vc possui até "forró"(dando a
| este estilo popularmente brasileiro uma conotação chula) , o quê vc quis
| dizer com isso, será que o mesmo não tem relevância e importância cultural
| para o povo brasileiro?
| Sei que está fora do assunto, mas é só por curiosidade.
| ----- Original Message -----
| From: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
| To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
| Sent: Thursday, May 02, 2002 2:20 PM
| Subject: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
|
|
| Quer ter seu próprio endereço na Internet?
| Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados.
| DomíniosBOL - http://dominios.bol.com.br
|
|
|
|
|
| --- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
| > --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
| > > Já música pop / rock´n roll / bate -estaca ... argh
| > > Provavelmente se obervará uma correlação negativa entre os
| > > praticantes dessas modalidades artísticas e o conhecimento
| > > científico
| >
| > Entao meu conhecimento cientifico deve tender a
| > zero. :-( (Mas a minha esperanca e' q. o termo
| > 'praticantes' nao se estenda aos apreciadores...
| > ou q. por nao gostar de techno diminua em um terco
| > a minha 'inguinoranssa'.)
|
| Não se estende aos apreciadores. Em meu acervo particular constam
| diversos espécimes desse negócio chamado "rock". Também tem um pouco
| de "axé" e até "forró". Trata-se de música para as partes baixas -
| então ter ou não cérebro não afeta muito a apreciação. Consta que num
| experimento ainda não publicado foi removido o sistema nervoso
| central de uma dançarina de axé, e não só ela continuou rebolando ao
| som da música como seu desempenho aumentou sensivelmente. :-). Mas
| falando sério, veja como a apreciação de genêros musicais mais
| populares está relacionada a ingestão de drogas que inibem o
| raciocínio.
|
| []´s
|
| André
|
|
|
|
|
| &&& --- &&&
| VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
| http://www.ciencialist.hpg.com.br
| Para sair da lista envie um mail para
| ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
| &&& --- &&&
|
| Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
| http://br.yahoo.com/info/utos.html
|
|
|
|
|
| &&& --- &&&
| VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
| http://www.ciencialist.hpg.com.br
| Para sair da lista envie um mail para
| ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
| &&& --- &&&
|
| Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
|
|



SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/05/2002 09:59

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> energia. E quero crer que para a física experimental é isso o que
> interessa, mesmo porque ninguém mede "diretamente" a energia.

Nem as "informações". Ou se medem?

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/05/2002 10:13

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> Um pacote de energia pode transmitir algum tipo de informação, mas a
> recíproca não é obrigatoriamente verdadeira.

Informacao transmite ou nao energia?

> Sim, mas esse pulso não tem nada a ver com a quantidade de $$
> transferidos.

Mas nao ha' transferencia de dinheiro... O q. ha' e'
transferencia de informacao, de energia.

[]s,

Roberto Takata




SUBJECT: RE: [ciencialist] Tem mergulhador por aqui?
FROM: "monge_ateu" <monge_ateu@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/05/2002 12:51

Existe uma coleção de 3 volumes (Ed. Abril?), da década de 1980, chamada
"Como Funciona", muito interessante, que explica o funcionamento do
"Aqualung", entre outras coisas (acho que, naquele tempo, só havia essa
marca de SCUBA / válvula para mergulho).
--
Monge Ateu


-----Original Message-----
From: Jose Colucci Jr. [mailto:j.colucci@rcn.com]
Sent: Tuesday, May 07, 2002 00:06
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: RE: [ciencialist] Tem mergulhador por aqui?


"Maria Tereza (via Léo): Os mergulhadores normalmente usam cilindros de
ar comprimidos para atividades chamados Aqualung. Como funciona a
válvula de demanda?"

Aqualung é marca registrada. Os aparelhos de mergulho autônomo são mais
conhecidos em inglês como SCUBA (Self Contained Underwater Breathing
Apparatus).

A válvula de demanda possibilita ao mergulhador respirar debaixo d'água
pela boca como se estivesse na superfície. Possui dois estágios:

1. O primeiro estágio fica junto das garrafas de ar. A pressão do ar das
garrafas trabalha contra uma mola para fechar a válvula do primeiro
estágio. A pressão do ar nas garrafas é contrabalançada pela força da
mola e da pressão no exterior (mangueiras). Assim, a válvula permanece
fechada até que o mergulhador inale.

2. O segundo estágio fica junto do bocal de respiração. Ao inalar, o
mergulhador faz cair a pressão no interior do bocal. Um diafragma
conectado a uma alavanca se move e abre o segundo estágio da válvula de
demanda, deixando entrar ar.

O ar sai das mangueiras para o bocal, e dali para a boca e pulmões do
mergulhador. Ao fazer isso, cria-se baixa pressão nas mangueiras,
fazendo abrir a válvula do primeiro estágio. O ar sai enquanto houver
demanda, isto é, enquanto o mergulhador estiver inalando. Quando o
mergulhador para de inalar, as mangueiras se enchem de ar e o sistema
entra novamente em equilíbrio.

Se não houver demanda, não haverá fluxo de ar. Daí o nome da válvula.


Colucci



SUBJECT: Re: [ciencialist] Tem mergulhador por aqui?
FROM: "Jamil Orlandelli" <orlandel@ig.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/05/2002 14:33





Valeu. Agradecemos (pois eu tb nunca vi um equipo desses de perto; nem
mergulho equipado)
[]'
Léo
PS: Pensava tb que agualung fosse o nome do equipo.


O nome Aqualung ( lung = pulmão) se referia mesmo ao equipamento
quando foi desenvolvido pelo engenheiro françês Emile Gagnan e o
explorador e mergulhador Jacques Yves Cousteau durante a II guerra
mundial . Este o patenteou com este nome.
O nome SCUBA ( Self-Contained Underwater Breathing Apparatus)
que usamos presentemente foi dado pelos ingleses à invenção de
Cousteau posteriormente.
A válvula reguladora do aparelho inventada por Emile Gagnan não era
para esta finalidade (mergulho autônomo) mas para ser usada em tanques
de gás dos automóveis devido à falta de gasolina (no fim da guerra).Daí
apareceu Cousteau procurando exatamente este tipo de válvula para
a sua idéia de um equipamento de respiração autônoma. O resultado
foi o aqualung.
Este equipamento foi utilizado já no final da guerra no desarme de minas
explosivas submarinas nos portos franceses.O primeiro aqualung
era pesadíssimo (quase 100 quilos!!). Os atuais scubas de aluminio
pesam em torno de 17 quilos quando com recarga.

Fonte: Cousteau, uma biografia por Axel Madsen , Edit.Campus.


>Colucci
>(que não mergulha nas águas cristalinas de Ubatuba desde 1988)


Cristalinas sim , mas já nem tanto.

Jamil Orlandelli (" mergulheiro" de fim de semana)




SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/05/2002 14:46

Olá Daniel

Se tenho discos de forró é óbvio que não considero esse um gênero
chulo ou de algum modo inferior (embora o bom forró se destaque pelo
linguajar bem chulo :) ). O termo "até forró" foi colocado por ser
esse um estilo um tanto "fora de moda" mesmo entre as camadas
populares, que parecem preferir pagode, música sertaneja e axé. E os
grupos de forró que fazem sucesso atualmente praticam um forró um
tanto descaracterizado na minha opinião. Parece mais axé do que forró.
Bom mesmo era o forró tradicional.

[]´s

André


--- Em ciencialist@y..., "Daniel Carlos" <cumullosnimbos@b...>
escreveu
> ----- Original Message -----
> From: Daniel Carlos
>
> Sent: Sunday, May 05, 2002 3:22 PM
> Subject: Ciência e Arte.
>
>
> Bem, infelizmente não tenho conhecimento, nem tão pouco percebo esta
> correlação entre ciência e música clássica ou qualquer outro estilo
que
> transmita uma pseudo inteligência. Porém, acho certa incoerência da
sua
> parte ao frisar que em seu acervo de músicas vc possui
até "forró"(dando a
> este estilo popularmente brasileiro uma conotação chula) , o quê vc
quis
> dizer com isso, será que o mesmo não tem relevância e importância
cultural
> para o povo brasileiro?
> Sei que está fora do assunto, mas é só por curiosidade.
> ----- Original Message -----
> From: "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> To: <ciencialist@y...>
> Sent: Thursday, May 02, 2002 2:20 PM
> Subject: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
>
>
> Quer ter seu próprio endereço na Internet?
> Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados.
> DomíniosBOL - http://dominios.bol.com.br
>
>
>
>
>
> --- Em ciencialist@y..., "rmtakata" <rmtakata@a...> escreveu
> > --- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> > > Já música pop / rock´n roll / bate -estaca ... argh
> > > Provavelmente se obervará uma correlação negativa entre os
> > > praticantes dessas modalidades artísticas e o conhecimento
> > > científico
> >
> > Entao meu conhecimento cientifico deve tender a
> > zero. :-( (Mas a minha esperanca e' q. o termo
> > 'praticantes' nao se estenda aos apreciadores...
> > ou q. por nao gostar de techno diminua em um terco
> > a minha 'inguinoranssa'.)
>
> Não se estende aos apreciadores. Em meu acervo particular constam
> diversos espécimes desse negócio chamado "rock". Também tem um pouco
> de "axé" e até "forró". Trata-se de música para as partes baixas -
> então ter ou não cérebro não afeta muito a apreciação. Consta que
num
> experimento ainda não publicado foi removido o sistema nervoso
> central de uma dançarina de axé, e não só ela continuou rebolando ao
> som da música como seu desempenho aumentou sensivelmente. :-). Mas
> falando sério, veja como a apreciação de genêros musicais mais
> populares está relacionada a ingestão de drogas que inibem o
> raciocínio.
>
> []´s
>
> André
>
>
>
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@y...
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html



SUBJECT: RN: Como o FBI espionava Einstein
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/05/2002 17:01

DENNIS OVERBYE - NY Times

"Por quase 20 anos, o FBI e outras agências o espionaram, se guiando
por suspeitas tão perturbadoras como uma indicação de que tinha sido
espião russo em Berlim; tão vagas quanto o temor provocado pelo seu
apoio aos direitos civis, ao pacifismo e a causas socialistas; tão
patéticas quanto as alegações de que ele estava trabalhando em um
raio mortal ou que estava liderando uma conspiração comunista para
tomar Hollywood."

http://www.uol.com.br/times/nytimes/ult574u1319.shl (assinantes UOL)

http://www.nytimes.com/2002/05/07/science/physical/07EINS.html (em
inglês - é preciso se cadastrar)

http://foia.fbi.gov/einstein.htm (Arquivos do FBI)

[]´s

André Baptista





SUBJECT: Fw: Sobre a questão da água em seu estado de vapor!
FROM: "Daniel Carlos" <cumullosnimbos@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>>
DATE: 07/05/2002 22:07


----- Original Message -----
From: "Daniel Carlos" <cumullosnimbos@bol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, May 06, 2002 11:53 PM
Subject: Sobre a questão da água em seu estado de vapor!


> Não sei se entendi bem seu questionamento, porém se for isso espero que
> ajude:
> Um importante processo é o de convecção térmica que é conseqüência do
> balanço positivo de radiação. Em síntese, pode-se dizer que a água
> armazenada em uma superfície qualquer, seja o solo ou um lago... é
aquecida
> evapora e começa um de ascenção ou processo convectivo.Que é
adiabático(sem
> troca de energia com o meio) podendo ser seco ou saturado(vai depender da
> quantidade de umidade que o ar carrega), a parcela de ar poderá atingir o
> nível de condensação por elevação (NCL), onde este ar condensa(podendo
> ocorrer formação de nuvens ou não, que vai depender da instabilidade da
> parcela de ar) e nesta mudança de fase ocorre liberação de calor latente
na
> atmosfera, que é um importante processo na dinâmica da atmosfera (não é o
> mais importante).
> ----- Original Message -----
> From: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
> To: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Sent: Monday, May 06, 2002 9:04 PM
> Subject: [ciencialist] Ajudem-me a decifrar
>
>
> Quer ter seu próprio endereço na Internet?
> Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados.
> DomíniosBOL - http://dominios.bol.com.br
>
>
>
>
>
>
> E-mail: danrro@zipmail.com.br
> Nome: daniel
> Cidade: amambai
> UF: ms
> Nível de Escolaridade: Universitário
> Profissão: Estudante
> Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 02
> Dúvida/Sugestão: Professor Luiz, o senhor esta de parabéns pela esta sala,
> dedicada somente a ciência. O conteudo dela será de grande valia para o
meu
> mini curso, sobre Água. Contudo, gostaria de saber o que influência,
quando
> a água em seu estado de vapor, a mesma sobe e não fica concentrada no
solo.
> Atenciosamente Daniel
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Aumenta no. de casos de Autismo
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 00:22

In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "andrediasbaptista"
<andrebaptista@uol.com.br> wrote:

>"... Mas se o problema mental decorre, por exemplo, de uma má-formação
>cerebral, ou de um trauma mecânico que destrua ou seccione uma porção >do
tecido cerebral, então acho que podemos falar numa origem mais >"profunda",
embora reconheço que esse talvez seja apenas um adjetivo tolo, >do ponto de
vista prático. O importante é distinguir a causa psicológica da >física, não
importando qualificar qual é mais profunda."

André,

Se o problema decorre de mal-formação ou trauma mecânico, não é psicológico.
Se alguém tenta tratar um autismo orgânico como se fosse psicológico,
fracassa. Muito simples. Não entendo porque afirmar tão enfaticamente em que
devemos distinguir um autismo de outro. Em qualquer terapia, o diagnóstico
diferencial é fundamental (vale para qualquer especialidade médica). Quem
não faz isso é mal intencionado ou burro.

Você também perguntou:

>Uma otite grave e crônica não pode afetar fisicamente o cérebro?

Respondo: Pode afetar e no caso de que afete, o autismo não é psicogênico. É
muito simples responder. Também pode não afetar. Nesse caso há autismo
psicogênico. Vai responder ao tratamento como qualquer autismo psicogênico.
Não vejo dificuldade na argumentação. Tratar como orgânico algo psicogênico
é tão estúpido como fazer o contrario.

Além disso Vc disse:

>Mas há vinte, trinta anos atrás havia essa idéia de que o autismo era
>uma espécie de fuga, de auto-reclusão voluntária.

Há vinte ou trinta anos era outra coisa. O mesmo aconteceu com muitos outros
tratamentos que se mostraram inúteis. Enquanto não se descobre coisas novas,
sofre-se em vão.
As barreiras psicológicas e as não psicológicas estão todas no cérebro. A
única diferença é que, pelo menos em certos casos de autismo psicogênico, se
logram resultados mais alentadores. As terapias orgânicas ainda estão
atrazadas. Evidentemente haverá progressos. É só esperar.

Vc. diz que os dados apontam às causas genéticas. É claro. Se o autosmo é de
origem genética, a causa é genética. Uma obviedade ululante. Quando as
pessoas falam de causas genéticas, não se referem a todos os casos de
autismo. Se assim aparecer num informe, é simplesmente, mentira.

Vc. acrescenta:
>Imagino que os autistas sejam classificados numa hierarquia de auto-
>suficiência.

Como Vc. diz, é pura imaginação. Não é um raciocinio incorreto. Só que não é
verdadeiro. A coisa é bastante mais complexa.

E também:

>"E essa dicotomia físico versus psicológico cada vez mais parece
>falsa, ..."

Também Vc. tem parte da razão. Na verdade o que se afirma no mundo dos
padecimentos humanos é que é falso é o pretendido dualismo "mente-corpo" e
não causa psicológica versus física. Psicológica é a mesma coisa que física.
Não existe um espírito imaterial. No entanto quando a gente quer tratar
funções, não pode confundir, por exemplo, a função digestiva com a função
cardiovascular. Experimente tratar um infarto com remédio contra gases ...
Quando se fala em psiquismo, a gente se refere a um aparelho psíquico que
realiza uma função, como o aparelho digestivo realiza a função de digerir.
Nada mais.

Outra coisa que Vc diz:

>A questão é saber se a terapia psicológica poderia reverter esse dano
>estrutural ou se seria mais eficiente partir para a intervenção
>direta (química ou cirúrgica).

Vc. tem toda razão, mas o principio ético do "primum non nocere" segue
válido. Se o tratamento psicológico oferece menos risco par o paciente, este
será o escolhido. Se, além disso, funciona, nem se pensa em cirurgia.
Ninguém esccolhe um tratamento em função de um ato de fé. Quando falo em ato
de fé, também falo da fé negativa. Algo assim como "creio firmemente que os
tratamentos psicológicos não servem, quero ser submetido a um tratamento
cirúrgico, sem importar os riscos". Isto é puro fundamentalismo.

A intervenção psicológica afeta a produção e captação de neuro
transmissores. Se Vc. estuda com total dedicação, vai encontrar que a
química do cérebro se altera até mesmo quando largamos um flato ou rimos de
uma piada. Isto de que só pílulas e cortes mudam as reações fisico-químicas
do cérebro é um argumento infantil.

Foram medidas captações de neuro-transmissores e se encontraram que se
alteravam profundamente quando as pessoas recebiam noticias más. A única
coisa que mudava era que elas só haviam recebido uma noticia. Só com a
noticia se armava uma grande transformação na química cerebral. Isto se pode
medir. O cérebro tem esta capacidade de alterar-se com informação. Se isto
pode ser feito, é bemvindo. Por enquanto é menos arriscado que uma cirurgia
ou uma droga que possua efeitos colaterais inconvenientes (sempre existe
algum). Evidentemente sempre é o diagnóstico que vai indicar a intervenção.
Nada mais.

[]´s


Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 06:57

----- Original Message -----
From: "rmtakata"
Sent: Tuesday, May 07, 2002 10:13 AM
Subject: [ciencialist] Re: Bem-vindos

Alberto:
> > Um pacote de energia pode transmitir algum tipo de informação, mas a
> > recíproca não é obrigatoriamente verdadeira.

Takata:
> Informacao transmite ou nao energia?

Alberto:
> > Sim, mas esse pulso não tem nada a ver com a quantidade de $$
> > transferidos.

Takata:
> Mas nao ha' transferencia de dinheiro... O q. ha' e'
> transferencia de informacao, de energia.

Vou responder em ordem inversa.

Quero crer que você "não se tocou" que eu estava fazendo uma analogia.
Analogia não é identidade. No campo analógico assinalado $$ *faz o papel da
energia* mas evidentemente não é energia. O problema é que o Léo entrou
paralelamente com o aspecto energia associado à informação da transferência
de dinheiro e eu tentei mostrar que sequer essa energia seria importante e
poderia mesmo ser nula (utilizando um raciocínio clássico e a opor-se àquele
apresentado por Heisenberg quanto à incerteza).

Quanto a se informação transmite ou não energia, parece-me haver aqui uma
ligeira confusão interpretativa. Creio que você está pensando em "agente
responsável pela transferência" como "agente que transporta" ou
"transportador". Quem transporta alguma coisa, certamente deve possuir
temporariamente essa alguma coisa. Nunca disse porém que a informação a que
me refiro seria transportadora de energia. Pelo contrário, já disse que
considero-a com conteúdo energético nulo, logo ela não transporta energia.
Não obstante, acho possível que a informação faça, por exemplo, com que a
energia de uma partícula (a partícula que originou a informação) seja
transferida para outra partícula (a partícula que recebeu a informação),
mesmo que essa energia não esteja de posse do agente responsável pelo
transporte da informação. E foi nesse sentido que fiz a analogia com a
transferência de dinheiro de uma conta corrente para outra. A transferência
não necessita do transporte do dinheiro e não obstante o saldo do favorecido
aumenta e ele pode dispor desse dinheiro como bem entender e a hora que
quiser.

Quero crer que o efeito incomodativo, e a ir contra o "senso comum",
relaciona-se a não instantâneidade da ação e reação. Mas isso já foi
descoberto não ocorrer há muito tempo, antes mesmo do advento da física
moderna. E nem por isso os físicos da época abandonaram a física clássica.
Qualquer um que estude antenas poderá confirmar o que estou dizendo. Perceba
que eu disse antena, e o que é antena senão algo situado na seara das
informações. Ação e reação somente são instantaneamente idênticas, mas de
sentidos contrários, em situações de equilíbrio ou de estado estacionário.
Essa é uma verdade conhecida por qualquer físico, se bem que a maioria não
se dê conta do significado que jaz por trás dessa verdade e muito menos de
sua possível generalidade.

Respondendo agora à pergunta: "A informação transmite ou não energia?"

Depende do significado que se pretenda dar à palavra "transmitir". Se tiver
o sentido de transportar, obviamente não, pois a informação não transporta
*obrigatoriamente* a energia, segundo a minha maneira de interpretar a
conservação clássica de energia. Por outro lado, a transferência é efetuada
pela informação e, se se pretender dar à palavra transmitir o significado de
contabilizar uma transferência, então sim. Ou seja, a informação transmite
energia no sentido em que ela é o agente processador da transferência, ainda
que não transporte *obrigatoriamente* essa energia. Enfatizei o
"obrigatoriamente" para chamar a atenção que existem informações de conteúdo
energético não nulo e não apenas em física mas também, e principalmente, no
nosso dia-a-dia.

Em outra mensagem você pergunta se a informação é medida diretamente e eu
respondo: Ela sequer é visualizada diretamente. Temos apenas testemunhos de
sua existência e os principais são os campos gravitacional e
eletromagnético. Digo apenas que a informação, ao lado de espaço, tempo e
matéria, pode ser encarada como um essencial natural e, sob esse aspecto, é
muito mais importante do que a energia, um mero constructo a facilitar a
resolução de problemas específicos. A informação presta-se como um essencial
e a energia como um artifício útil, nada mais do que isso. Negue a
existência da informação e você sentirá a necessidade de colocar outro
essencial no lugar, e obviamente não será a energia. Os físicos do século
XIX colocaram o aether, Einstein entortou o espaço e conservou
implicitamente a idéia de aether, além de suas variáveis escondidas; os
físicos quânticos criaram o "vácuo quântico" associado a outros gnomos, e
por aí vai. Que existe alguma coisa estranha aos nossos sentidos, ninguém
conseguiu até hoje negar. Então, se temos obrigatoriamente que aceitar
alguma coisa estranha, o que de mais simples poderia haver que não o que
chamo por informação e que, rigorosamente falando, não é uma entidade que eu
defini, apenas nomeei. Pois Newton já se referiu a essa informação com
outros nomes: espírito da matéria, vibrações emanadas pelos corpos
materiais, alguma coisa de natureza imaterial, apenas para citar os mais
freqüentes; e deixou claro que abominava o aether e que se o aether não
existe, algo deve ocupar o seu lugar para que a física clássica faça sentido
e/ou responda pelo que é observado.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Fw: curto-circuito
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 10:13

Essa realmente não sei a resposta. Quem se habilita?

[]'
Léo
=========
-----Mensagem Original-----
De: biblioteca palmela
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 06:11
Assunto: curto-circuito


Exmo. Sr.
Venho por este meio pedir-lhe a resposta a uma questão, se possível claro.
Em que data (dia e mês) se transmitiu o primeiro curto-circuito.
Com os melhores cumprimentos,
Isabel


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Fw: curto-circuito
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/05/2002 10:57

Curto-circuito natural: a primeira vez que caiu um raio
Produzido pelo homem: a primeira vez que um ser humano encostou dois
metais diferentes

Local e data ignorado. Testemunhas todas mortas.

[]´s

André


--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Essa realmente não sei a resposta. Quem se habilita?
>
> []'
> Léo
> =========
> -----Mensagem Original-----
> De: biblioteca palmela
> Para: leo@b...
> Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 06:11
> Assunto: curto-circuito
>
>
> Exmo. Sr.
> Venho por este meio pedir-lhe a resposta a uma questão, se possível
claro.
> Em que data (dia e mês) se transmitiu o primeiro curto-circuito.
> Com os melhores cumprimentos,
> Isabel
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Tem algum escrivao da armada de Caminha por ai?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 12:45

[]'
Léo
=========
-----Mensagem Original-----
De: map-coelho@bol.com.br
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 03:24
Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.





E-mail: map-coelho@bol.com.br
Nome: Maria Alice Pimenta Coelho
Cidade: Maringá
UF: PR
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Professor
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala dos links
Dúvida/Sugestão: Sou Calígrafa e Professora. Gostaria de obter informações sobre TINTAS (possiveis de se criar), tipo Nankim (p/ uso em canetas tinteiros ou Bico de Pena), nas cores OURO (dou- rado) e PRATA. A SCHEAFER tem tinta Nankim OURO (amarelo envelhecido e não dá tonalidade de DOURA- DO). A ACRILEX tem DOURADO e PRATA( o prata é bom, mas a DOURADO (ouro) deixa fila- mentos prateados após secagem. PEDIRIA A GENTILEZA DE ME INFORMAR SE HÁ MANEIRAS DE SE "CRIAR" TINTA DOURA- DA PARA CANETAS TINTEIRO. E QUE MATERIAL UTILIZARIA PARA OBTER A TINTA DOURADA (tipo Nankim).


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Levitron ... Colucci.
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 13:01

Com a anuência (será que se refere a tratadores de anús?) dos demais, essa vai para o Colucci.

Tenho grande interesse em possuir (? ...tá... sei que é 'apertado'!) um Levitron, brinquedinho que não existe á venda no Brasil. Será possível enviar-me um ai dos estates?
Despezas? Sem problemas, poderei vender uma de minhas casas e tudo bem, basta mandar coordenadas do seu banco, número da conta (e senha). :-))
Desse brinquedinho só conheço a teoria (e está na minha Sala 13 - item 36).

[]'
Léo
============




SUBJECT: Fw: Lemuria
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 14:03

Olá lemurianos! Onde estão?

[]'
Léo
============
-----Mensagem Original-----
De: Diretoria - SIMESP
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 13:17


meu nome é Solange e estou interessada em livros (em português) sobre o Continente da LEMÚRIA. Poderia indicá-los para mim ? De preferência com nome do autor e editora.

Obrigada.


Solange G. Ferreira


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "aespeschit" <toni@iconet.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/05/2002 14:27

Léo,

Vc já viu estes links?
1)
http://www.innovatoys.com/Merchant2/merchant.mv?
Screen=CTGY&Store_Code=1&Category_Code=Levi

2)
www.levitron.com

[]'s
Toni

--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Com a anuência (será que se refere a tratadores de anús?) dos
demais, essa vai para o Colucci.
>
> Tenho grande interesse em possuir (? ...tá... sei que
é 'apertado'!) um Levitron, brinquedinho que não existe á venda no
Brasil. Será possível enviar-me um ai dos estates?
> Despezas? Sem problemas, poderei vender uma de minhas casas e tudo
bem, basta mandar coordenadas do seu banco, número da conta (e
senha). :-))
> Desse brinquedinho só conheço a teoria (e está na minha Sala 13 -
item 36).
>
> []'
> Léo
> ============



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 14:28

Mensagem reenviada após 8 horas

----- Original Message -----
From: "rmtakata"
Sent: Tuesday, May 07, 2002 10:13 AM
Subject: [ciencialist] Re: Bem-vindos

Alberto:
> > Um pacote de energia pode transmitir algum tipo de informação, mas a
> > recíproca não é obrigatoriamente verdadeira.

Takata:
> Informacao transmite ou nao energia?

Alberto:
> > Sim, mas esse pulso não tem nada a ver com a quantidade de $$
> > transferidos.

Takata:
> Mas nao ha' transferencia de dinheiro... O q. ha' e'
> transferencia de informacao, de energia.

Vou responder em ordem inversa.

Quero crer que você "não se tocou" que eu estava fazendo uma analogia.
Analogia não é identidade. No campo analógico assinalado $$ *faz o papel da
energia* mas evidentemente não é energia. O problema é que o Léo entrou
paralelamente com o aspecto energia associado à informação da transferência
de dinheiro e eu tentei mostrar que sequer essa energia seria importante e
poderia mesmo ser nula (utilizando um raciocínio clássico e a opor-se àquele
apresentado por Heisenberg quanto à incerteza).

Quanto a se informação transmite ou não energia, parece-me haver aqui uma
ligeira confusão interpretativa. Creio que você está pensando em "agente
responsável pela transferência" como "agente que transporta" ou
"transportador". Quem transporta alguma coisa, certamente deve possuir
temporariamente essa alguma coisa. Nunca disse porém que a informação a que
me refiro seria transportadora de energia. Pelo contrário, já disse que
considero-a com conteúdo energético nulo, logo ela não transporta energia.
Não obstante, acho possível que a informação faça, por exemplo, com que a
energia de uma partícula (a partícula que originou a informação) seja
transferida para outra partícula (a partícula que recebeu a informação),
mesmo que essa energia não esteja de posse do agente responsável pelo
transporte da informação. E foi nesse sentido que fiz a analogia com a
transferência de dinheiro de uma conta corrente para outra. A transferência

não necessita do transporte do dinheiro e não obstante o saldo do favorecido
aumenta e ele pode dispor desse dinheiro como bem entender e a hora que
quiser.

Quero crer que o efeito incomodativo, e a ir contra o "senso comum",
relaciona-se a não instantâneidade da ação e reação. Mas isso já foi
descoberto não ocorrer há muito tempo, antes mesmo do advento da física
moderna. E nem por isso os físicos da época abandonaram a física clássica.
Qualquer um que estude antenas poderá confirmar o que estou dizendo. Perceba
que eu disse antena, e o que é antena senão algo situado na seara das
informações. Ação e reação somente são instantaneamente idênticas, mas de
sentidos contrários, em situações de equilíbrio ou de estado estacionário.
Essa é uma verdade conhecida por qualquer físico, se bem que a maioria não
se dê conta do significado que jaz por trás dessa verdade e muito menos de
sua possível generalidade.

Respondendo agora à pergunta: "A informação transmite ou não energia?"

Depende do significado que se pretenda dar à palavra "transmitir". Se tiver
o sentido de transportar, obviamente não, pois a informação não transporta
*obrigatoriamente* a energia, segundo a minha maneira de interpretar a
conservação clássica de energia. Por outro lado, a transferência é efetuada
pela informação e, se se pretender dar à palavra transmitir o significado de
contabilizar uma transferência, então sim. Ou seja, a informação transmite
energia no sentido em que ela é o agente processador da transferência, ainda
que não transporte *obrigatoriamente* essa energia. Enfatizei o
"obrigatoriamente" para chamar a atenção que existem informações de conteúdo
energético não nulo e não apenas em física mas também, e principalmente, no
nosso dia-a-dia.

Em outra mensagem você pergunta se a informação é medida diretamente e eu
respondo: Ela sequer é visualizada diretamente. Temos apenas testemunhos de
sua existência e os principais são os campos gravitacional e
eletromagnético. Digo apenas que a informação, ao lado de espaço, tempo e
matéria, pode ser encarada como um essencial natural e, sob esse aspecto, é
muito mais importante do que a energia, um mero constructo a facilitar a
resolução de problemas específicos. A informação presta-se como um essencial
e a energia como um artifício útil, nada mais do que isso. Negue a
existência da informação e você sentirá a necessidade de colocar outro
essencial no lugar, e obviamente não será a energia. Os físicos do século
XIX colocaram o aether, Einstein entortou o espaço e conservou
implicitamente a idéia de aether, além de suas variáveis escondidas; os
físicos quânticos criaram o "vácuo quântico" associado a outros gnomos, e
por aí vai. Que existe alguma coisa estranha aos nossos sentidos, ninguém
conseguiu até hoje negar. Então, se temos obrigatoriamente que aceitar
alguma coisa estranha, o que de mais simples poderia haver que não o que
chamo por informação e que, rigorosamente falando, não é uma entidade que eu
defini, apenas nomeei. Pois Newton já se referiu a essa informação com
outros nomes: espírito da matéria, vibrações emanadas pelos corpos
materiais, alguma coisa de natureza imaterial, apenas para citar os mais
freqüentes; e deixou claro que abominava o aether e que se o aether não
existe, algo deve ocupar o seu lugar para que a física clássica faça sentido
e/ou responda pelo que é observado.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/05/2002 14:47

Olá Leo

Dei uma pesquisada e o brinquedo sai lá por 30,00 a 35,00 dólares
conforme o modelo. Você pode comprar de uma loja na internet, mas aí
vai ter que pagar 60% de imposto quando chegar. Porém se for uma
remessa de pessoa física para pessoa física, está isento de qualquer
imposto até U$50,00. Uma sugestão possível é comprar num leilão como
o E-Bay, de uma pessoa física. Eu fiz algumas compras no E-bay e
fiquei satisfeito. É possível mandar pagamento para pessoa física via
cartão de crédito, por exemplo através do paypal.com. Só que você tem
que incluir no preço o frete, que deve sair pelo menos uns U$25,00.

Tem um também um treco mais sofisticado chamado Perpetuator por
U$63,00

http://www.innovatoys.com/Merchant2/merchant.mv?
Screen=CTGY&Store_Code=1&Category_Code=Levi

Confesso que também fiquei interessado.

[]´s

André baptista


--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Com a anuência (será que se refere a tratadores de anús?) dos
demais, essa vai para o Colucci.
>
> Tenho grande interesse em possuir (? ...tá... sei que
é 'apertado'!) um Levitron, brinquedinho que não existe á venda no
Brasil. Será possível enviar-me um ai dos estates?
> Despezas? Sem problemas, poderei vender uma de minhas casas e tudo
bem, basta mandar coordenadas do seu banco, número da conta (e
senha). :-))
> Desse brinquedinho só conheço a teoria (e está na minha Sala 13 -
item 36).
>
> []'
> Léo
> ============



SUBJECT: Conselho Medico
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'Ciencialist (br)'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 15:04

Amigos,

Estou plenamente ciente que este não é o veículo apropriado para se
dar conselhos ou consultas médicas, mas estou muitíssimo angustiado
com o estado de saúde de minha filhinha de 6 meses. O pediatra dela
não parece muito preocupado, logo preciso urgentemente de uma segunda
opinião.

Amanhã, dia 09/05, quinta-feira, estará completando uma semana que
ela está com gripe. Mas ao invés de dar sinais de melhora ela está
cada vez mais abatida. Não está se alimentando, a febre não cede com
medicamentos, não sorri e não dorme bem.

Para a febre estou dando dipirona e paracetamol alternadamente de 4 em
4 horas.
Também está tomando Descongex de 8 em 8hs e Nirulid de 12 em 12hs.

Por favor, preciso de uma opinião sobre o tratamento.

Obrigado,

Alexandre Medeiros


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 15:19

Olá André,
como Vo agradeço a atenção.
Realmente estou a muito tempo interessado nesse Levitron (ou seu irmão mais novo, o Perpetuator, cuja 'foto' já tenho). Há na construção desse brinquedinho um equilíbrio/distribuição de massas muito crítico, dificil de se fazer aqui no meu laboratório (não tanto pelo super-ímã, tenho vários exemplares deles, que obtive lá no IPT-USP). É um experimento de levitação empolgante!
Sem dúvida a melhor maneira de obtê-lo é ALGUÉM comprá-lo ai nos estates (deve ter em todas as lojas de brinquedos!) e enviá-lo como correspondência registrada (acredito que o peso não deve chegar os 300 gf). Faço a transferência bancária do $$ (e, segundo o Alberto, não gastarei nenhuma energia nessa informação ao banco :-)).
Vou me informar aqui no meu banco (Caixa) qual o procedimento para enviar tal fortuna aos estates. Para minhas contas na Suécia e Cayman já sei que é moleza!

Aquele abraço,

Léo
====================

Olá Leo

Dei uma pesquisada e o brinquedo sai lá por 30,00 a 35,00 dólares
conforme o modelo. Você pode comprar de uma loja na internet, mas aí
vai ter que pagar 60% de imposto quando chegar. Porém se for uma
remessa de pessoa física para pessoa física, está isento de qualquer
imposto até U$50,00. Uma sugestão possível é comprar num leilão como
o E-Bay, de uma pessoa física. Eu fiz algumas compras no E-bay e
fiquei satisfeito. É possível mandar pagamento para pessoa física via
cartão de crédito, por exemplo através do paypal.com. Só que você tem
que incluir no preço o frete, que deve sair pelo menos uns U$25,00.

Tem um também um treco mais sofisticado chamado Perpetuator por
U$63,00

http://www.innovatoys.com/Merchant2/merchant.mv?
Screen=CTGY&Store_Code=1&Category_Code=Levi

Confesso que também fiquei interessado.

[]´s

André baptista


--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Com a anuência (será que se refere a tratadores de anús?) dos
demais, essa vai para o Colucci.
>
> Tenho grande interesse em possuir (? ...tá... sei que
é 'apertado'!) um Levitron, brinquedinho que não existe á venda no
Brasil. Será possível enviar-me um ai dos estates?
> Despezas? Sem problemas, poderei vender uma de minhas casas e tudo
bem, basta mandar coordenadas do seu banco, número da conta (e
senha). :-))
> Desse brinquedinho só conheço a teoria (e está na minha Sala 13 -
item 36).
>
> []'
> Léo
> ============


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: Conselho Medico
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/05/2002 15:21

Alexandre, se você estiver em São Paulo ou próximo:

Dr. Franciso Dutra Rodrigues, tel 011-3266-8227

É pediatra dos meus filhos e foi muito rápido em diagnosticar uma
doença rara em minha filha, a "síndrome de kawasaki" o que evitou que
ela tivesse possíveis sequelas futuras (pela descrição não é
certamente o que sua filha tem).

um abraço e muita saúde para sua filhinha

André


--- Em ciencialist@y..., "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
<alxmpub@u...> escreveu
> Amigos,
>
> Estou plenamente ciente que este não é o veículo apropriado para se
> dar conselhos ou consultas médicas, mas estou muitíssimo angustiado
> com o estado de saúde de minha filhinha de 6 meses. O pediatra dela
> não parece muito preocupado, logo preciso urgentemente de uma
segunda
> opinião.
>
> Amanhã, dia 09/05, quinta-feira, estará completando uma semana que
> ela está com gripe. Mas ao invés de dar sinais de melhora ela está
> cada vez mais abatida. Não está se alimentando, a febre não cede com
> medicamentos, não sorri e não dorme bem.
>
> Para a febre estou dando dipirona e paracetamol alternadamente de 4
em
> 4 horas.
> Também está tomando Descongex de 8 em 8hs e Nirulid de 12 em 12hs.
>
> Por favor, preciso de uma opinião sobre o tratamento.
>
> Obrigado,
>
> Alexandre Medeiros
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/05/2002 15:33

--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Olá André,
> como Vo agradeço a atenção.
> Realmente estou a muito tempo interessado nesse Levitron (ou seu
irmão mais novo, o Perpetuator, cuja 'foto' já tenho). Há na
construção desse brinquedinho um equilíbrio/distribuição de massas
muito crítico, dificil de se fazer aqui no meu laboratório (não tanto
pelo super-ímã, tenho vários exemplares deles, que obtive lá no IPT-
USP). É um experimento de levitação empolgante!
> Sem dúvida a melhor maneira de obtê-lo é ALGUÉM comprá-lo ai nos
estates (deve ter em todas as lojas de brinquedos!) e enviá-lo como
correspondência registrada (acredito que o peso não deve chegar os
300 gf). Faço a transferência bancária do $$ (e, segundo o Alberto,
não gastarei nenhuma energia nessa informação ao banco :-)).
> Vou me informar aqui no meu banco (Caixa) qual o procedimento para
enviar tal fortuna aos estates. Para minhas contas na Suécia e Cayman
já sei que é moleza!
>

Olá Leo,

Veja este anúncio no Ebay:

http://cgi.ebay.com/ws/eBayISAPI.dll?ViewItem&item=1728987202

O preço atual deste leilão está em U$10,00 fora o frete. Você pode
enviar uma mensagem perguntando o preço do frete. Pesa 3 libras.
Esclareça que a remessa deve ser pessoa física para pessoa física.
Certamente o meio mais fácil de enviar dinheiro é via paypal ou algum
serviço similar - basta você e o vendedor se cadastrarem em
paypal.com. Eles cobram apenas U$1,00 por transação de taxa. Pergunte
o preço de remessa ao exterior no banco, deve ser muito maior (pelo
menos no BB é). Só compensa mesmo para altas quantias.

um abraço,

André






SUBJECT: Re: Fw: Lemuria
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/05/2002 16:46

--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Olá lemurianos! Onde estão?

Ao lado dos habitantes de Atlântida.
Trata-se de mais um continente lendário.

Teria existido conectando Madgascar ao
sudeste asiático.

Para alguns espíritas teriam migrado
(feito a passagem) para um outro mundo,
mais evoluído. (Não me perguntem o
q. significa evolução nesse contexto.)

Nao existe nenhum indicio geologico da
existencia pregressa de tal regiao.

Ha' um livro em Portugues a respeito:

Atlântida e Lemuria: Continente Desconhecido
de W. SCOTT-ELLIOT. Ed Pensamento. 137 pag.

http://www.submarino.com.br/books_productdetails.asp?
Query=ProductPage&ProdTypeId=1&ProdId=7673&ST=SE

Na FNAC sai por volta de R$ 8,30.

http://www.fnac.com.br/conteudo_fixo/ficha.asp?cod=X16248
(O titulo e' ligeiramente diferente... nao sei se
se trata da mesma obra.)

Desconheco o conteudo.

[]s,

Roberto Takata

> ============
> -----Mensagem Original-----
> De: Diretoria - SIMESP
> Para: leo@b...
> Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 13:17
>
>
> meu nome é Solange e estou interessada em livros (em português)
sobre o Continente da LEMÚRIA. Poderia indicá-los para mim ? De
preferência com nome do autor e editora.
>
> Obrigada.
>
>
> Solange G. Ferreira
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 17:15

----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto"
Sent: Tuesday, May 07, 2002 8:31 AM
Subject: Re: [ciencialist] Re: Ciencia e arte

> Como todos o sabem sou radicalmente contra o 'roquinrol'.

Eu diria que não se fabricam mais roquinróis como antigamente, nos anos
dourados.

> Em minhas lições de Ondas e Acústica utilizo-me disso como exemplo de
> ruído e ainda recomendo ao leitor a não participar dessa experiência de
> ouví-lo por ser altamente danoso ás ligações sinápticas.

Aí eu já sou obrigado a concordar contigo, se bem que não seja nada que não
possa ser contrabalançado com um genuíno "cuba libre", especialmente se
ambos (o roquinrol e o cuba) pertencerem a safra dos anos dourados.

> Quando eu ocupar o cargo de presidente do Brasil essa será a primeira MP:
> proibir a entrada no país de toda e qualquer coisa relacionada a esse
> ruído.

Já estava na hora da Ciencialist lançar um candidato. Tô contigo e não abro.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/05/2002 18:14

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> Analogia não é identidade. No campo analógico assinalado $$ *faz o
> papel da energia* mas evidentemente não é energia.

So' q. a analogia nao parece se aplicar.

Nao sendo nada sutil, seria como falar q.
e' possivel enviar elefante por fax porq.
e' possivel enviar texto por esse meio.

> de dinheiro e eu tentei mostrar que sequer essa energia seria
> importante e poderia mesmo ser nula

Mas isso nao foi demonstrado.

> Quero crer que o efeito incomodativo, e a ir contra o "senso comum",
> relaciona-se a não instantâneidade da ação e reação.

Por mim isso nao e' problema. O problema e' algo transmitir energia
tendo conteudo energetico nulo. Seria mais simples imaginar q. a
energia pulou de um lado a outro sem um agente intermediario q. nao o
porta. Alias, os experimentos de EPR -- nao o gedanke, mas os
experimentos mesmo -- mostram q. se ha' transferencia de informacao,
ela teria q. ter velocidade maior do q. c em diversos casos.

Nao seria melhor ressuscitar o eter?

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: RE: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 20:42

>Léo: Realmente estou a muito tempo interessado nesse Levitron (ou seu
irmão mais novo, o Perpetuator, cuja 'foto' já tenho). Há na construção
desse brinquedinho um equilíbrio/ distribuição de massas muito crítico,
dificil de se fazer aqui no meu laboratório (não tanto pelo super-ímã,
tenho vários exemplares deles, que obtive lá no IPT-USP). É um
experimento de levitação empolgante!<

Respondi em PVT, mas acho que você não recebeu. Pode escolher o tal do
Levitron pela Internet que no resto nós damos um jeito. Se você não se
incomodar em esperar posso até levá-lo pessoalmente, pois vou para o
Brasil em agosto.

Colucci

PS: Me ensina esse truque de transmitir informação sem energia. Só para
enviar esta mensagem gastei vários "quanta" :)





SUBJECT: Re: Ciencia e arte
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/05/2002 21:36


> From: "Luiz Ferraz Netto"
> > Quando eu ocupar o cargo de presidente do Brasil essa será a
primeira MP:
> > proibir a entrada no país de toda e qualquer coisa relacionada a
esse
> > ruído.

"Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...> escreveu
>
> Já estava na hora da Ciencialist lançar um candidato. Tô contigo e
não abro.
>

OK, Vamos lançar o PCC para presidente... "Partido dos Coroas da
Ciencialist" :-)))) (Na brincadeira... mentalmente eu sou muito mais
velho que os dois juntos)

[]'s

André




SUBJECT: Re: [ciencialist] Conselho Medico
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/05/2002 23:57

In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
<alxmpub@uol.com.br> wrote:

"... estou muitíssimo angustiado com o estado de saúde de minha filhinha de
6 meses. [...] Não está se alimentando, a febre não cede com medicamentos,
não sorri e não dorme bem."

Alexandre

Embora não seja pediatra, sou médico. Os mestres antigos diziam que as
angustias dos pais não são tontas. Sinto-me na obrigação de apresentar
alguns conselhos práticos. Espero que sejam aproveitaveis.

1. As gripes atuais são bastante malignas. Produzem certos sintomas
neurológicos (na maioria benignos) que derrubam o ânimo de qualquer
paciente.

2. As crianças afetadas sofrem muito. Uma das características das reações
infantis é a rapidez. Evoluem para um estado grave rapidamente, mas também,
quando bem atendidas e a gravidade permite, se curam também rapidamente.

3.Você deve prestar atenção em dois parâmetros para avaliar clinicamente sua
filhinha: o peso e o estado de hidratação.

4.Voce deve controlar se ela perde peso (se não come, deve estar perdendo).
Se isso acontecer, você tem o direito de exigir do seu pediatra qual o
limite de perda toleravel, a partir do qual deveria ser internada.

5.Deve ver se existe desidratação e em que grau (olhos fundos, pele seca,
pele facil de preguear, etc. são sinais positivos). Deve também exigir
contas dessa condição, do pediatra.

6.A evolução dos estados gripais são geralmente favoráveis. Os vírus não há
muito como combatê-los. A gente dá um bom suporte biológico (alimentação e
hidratação parenterais) e a criança geralmente reage bem. Seu sistema
imunológico atua adecuadamente. O importante é que não deve desnutrir-se nem
desidratar-se.

7. Em caso de desnutrição e/ou desidratação, não hesite em interná-la. Com
um bom suporte alimentar e hídrico, ademais de muito carinho (a mãe deve
manter-se sempre perto dela), sua filhinha terá muitas condições de vencer a
batalha.

Espero que ao receber esta mensagem, ela já esteja melhor e Vc. nem precise
pensar mais nela.

Um grande abraço. Não deixe de dar noticias, porque estamos já involucrados
com seu problema.
[ ]s






SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Bem-vindos
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/05/2002 01:56

----- Original Message -----
From: "rmtakata"
Sent: Wednesday, May 08, 2002 6:14 PM
Subject: [ciencialist] Re: Bem-vindos

> > Analogia não é identidade. No campo analógico assinalado $$ *faz o
> > papel da energia* mas evidentemente não é energia.

> So' q. a analogia nao parece se aplicar.

> Nao sendo nada sutil, seria como falar q.
> e' possivel enviar elefante por fax porq.
> e' possivel enviar texto por esse meio.

Você não está sendo sutil. Você está demonstrando que não quer dialogar. Não
sei o que aconteceu com o Takata que conheci na Ciencialist durante anos.
Que aconteceu? Por acaso você teve um ano atribulado? Por acaso você
defendeu alguma tese e julga-se agora dono do mundo? Você estaria
trabalhando em alguma equipe clonadora e não está satisfeito com o que faz?
Ou quem sabe tenha finalmente lido Nietzche e acreditou no que leu? Então dá
um tempo, tira umas férias que isso passa.

No início tentei dar um desconto, e continuei na minha; depois respondi a
altura sem encerrar o diálogo em definitivo; aceitei retornar à discussão e
agora você me vem com essa! Enviar um elefante por fax! Era o que faltava.
Passar bem.

Sem mágoa e sem rancores dou-me por vencido. Receba então como prêmio o
elefante que anexei a esta mensagem. Eu estava guardando para uma competição
com o Jocax mas não só ele desapareceu como nos dias atuais você ganharia
dele de 10×0.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: RE: [ciencialist] Conselho Medico
FROM: "monge_ateu" <monge_ateu@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/05/2002 03:56

Alexandre:

Diga onde está, assim alguém pode recomendar um profissional de sua
cidade, se conhecer algum de confiança.

Os quadros virais são de maior "toxemia", ou seja, as crianças ficam
mais abatidas, do que em quadros de infecções bacterianas restritas,
mas, em face da "excelência profissional" de muitos médicos, acho
importante, preliminarmente, tentar descartar uma infecção bacteriana,
com o velho e bom exame físico e anamnese: boca, garganta, ouvidos,
pulmões, pele, vulva e uretra, catarro, urina, fezes...

É claro: qualquer médico ou pediatra que for atendê-la vai querer saber
da história toda, desde o início, e fazer um bom exame físico, pra
começar.
--
Monge Ateu, MD


-----Original Message-----
From: Marco Aurelio [mailto:clave@speedy.com.ar]
Sent: Wednesday, May 08, 2002 23:58
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: Re: [ciencialist] Conselho Medico


In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral
de" <alxmpub@uol.com.br> wrote:

"... estou muitíssimo angustiado com o estado de saúde de minha filhinha
de 6 meses. [...] Não está se alimentando, a febre não cede com
medicamentos, não sorri e não dorme bem."

Alexandre

Embora não seja pediatra, sou médico. Os mestres antigos diziam que as
angustias dos pais não são tontas. Sinto-me na obrigação de apresentar
alguns conselhos práticos. Espero que sejam aproveitaveis.

1. As gripes atuais são bastante malignas. Produzem certos sintomas
neurológicos (na maioria benignos) que derrubam o ânimo de qualquer
paciente.

2. As crianças afetadas sofrem muito. Uma das características das
reações infantis é a rapidez. Evoluem para um estado grave rapidamente,
mas também, quando bem atendidas e a gravidade permite, se curam também
rapidamente.

3.Você deve prestar atenção em dois parâmetros para avaliar clinicamente
sua
filhinha: o peso e o estado de hidratação.

4.Voce deve controlar se ela perde peso (se não come, deve estar
perdendo). Se isso acontecer, você tem o direito de exigir do seu
pediatra qual o limite de perda toleravel, a partir do qual deveria ser
internada.

5.Deve ver se existe desidratação e em que grau (olhos fundos, pele
seca, pele facil de preguear, etc. são sinais positivos). Deve também
exigir contas dessa condição, do pediatra.

6.A evolução dos estados gripais são geralmente favoráveis. Os vírus não
há muito como combatê-los. A gente dá um bom suporte biológico
(alimentação e hidratação parenterais) e a criança geralmente reage bem.
Seu sistema imunológico atua adecuadamente. O importante é que não deve
desnutrir-se nem desidratar-se.

7. Em caso de desnutrição e/ou desidratação, não hesite em interná-la.
Com um bom suporte alimentar e hídrico, ademais de muito carinho (a mãe
deve manter-se sempre perto dela), sua filhinha terá muitas condições de
vencer a batalha.

Espero que ao receber esta mensagem, ela já esteja melhor e Vc. nem
precise pensar mais nela.

Um grande abraço. Não deixe de dar noticias, porque estamos já
involucrados com seu problema. [ ]s



SUBJECT: RES: Conselho Medico
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'ciencialist@yahoogrupos.com.br'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/05/2002 09:00

André, Marco Aurélio e Monge Ateu,

Obrigado pelas informações. Marcarei uma
consulta com o Dr. Francisco, indicado pelo
André, se o quadro da minha filha se agravar.

De ontem para cá ela só tomou dipirona uma vez
e a temperatura durante a noite e madrugada
oscilou entre 36,5 e 37,2.

Ela fez inalação e está espelindo um pouco de
catarro junto com a tosse. A respiração dela,
embora esteja um pouco acelerada, não tem aqueles
ruídos típicos de pulmão "carregado".

Ela está tomando só o NAN1, mas de pouco em pouco.
Não apresenta sinais de desidratação e não
apresenta sinais de outras infecções (ouvido,
garganta, etc.)

Também dorme a maior parte do tempo.

Considero o quadro menos grave que antes.

Eu e minha mulher estamos de olho.

Obrigado pela força,

Alexandre Medeiros

> -----Mensagem original-----
> De: andrediasbaptista [mailto:andrebaptista@uol.com.br]
> Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 15:21
> Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Assunto: [ciencialist] Re: Conselho Medico
>
>
> Alexandre, se você estiver em São Paulo ou próximo:
>
> Dr. Franciso Dutra Rodrigues, tel 011-3266-8227
>
> É pediatra dos meus filhos e foi muito rápido em diagnosticar uma
> doença rara em minha filha, a "síndrome de kawasaki" o que evitou que
> ela tivesse possíveis sequelas futuras (pela descrição não é
> certamente o que sua filha tem).
>
> um abraço e muita saúde para sua filhinha
>
> André
>
>
> --- Em ciencialist@y..., "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
> <alxmpub@u...> escreveu
> > Amigos,
> >
> > Estou plenamente ciente que este não é o veículo apropriado para se
> > dar conselhos ou consultas médicas, mas estou muitíssimo angustiado
> > com o estado de saúde de minha filhinha de 6 meses. O pediatra dela
> > não parece muito preocupado, logo preciso urgentemente de uma
> segunda
> > opinião.
> >
> > Amanhã, dia 09/05, quinta-feira, estará completando uma semana que
> > ela está com gripe. Mas ao invés de dar sinais de melhora ela está
> > cada vez mais abatida. Não está se alimentando, a febre não cede com
> > medicamentos, não sorri e não dorme bem.
> >
> > Para a febre estou dando dipirona e paracetamol alternadamente de 4
> em
> > 4 horas.
> > Também está tomando Descongex de 8 em 8hs e Nirulid de 12 em 12hs.
> >
> > Por favor, preciso de uma opinião sobre o tratamento.
> >
> > Obrigado,
> >
> > Alexandre Medeiros
> >
> >
> > [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Bem-vindos
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/05/2002 09:02

--- Em ciencialist@y..., "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@u...>
> Você não está sendo sutil.

Ô, Alberto. Nao fique chateado, nao.

Peco desculpas publicas por tudo.

Mas maldade sua com o Jocax falando q.
eu perco de apenas 10x0 dele...

[Dono da verdade eu? Nao tenho nem a
escritura do meu apartamento...]

[]s,

Roberto Takata




SUBJECT: RE: [ciencialist] RES: Conselho Medico
FROM: "monge_ateu" <monge_ateu@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/05/2002 10:26

Se ela já completou 6 meses, precisa mudar para o leite NAN2.
--
Monge Ateu

-----Original Message-----
From: Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de [mailto:alxmpub@uol.com.br]

Sent: Thursday, May 09, 2002 09:01
To: 'ciencialist@yahoogrupos.com.br'
Subject: [ciencialist] RES: Conselho Medico

Ela está tomando só o NAN1, mas de pouco em pouco.
Não apresenta sinais de desidratação e não
apresenta sinais de outras infecções (ouvido,
garganta, etc.)



SUBJECT: Ciencia e arte - respeito ao rudo
FROM: Nicolau Werneck <nwerneck@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br, danelectro666@yahoo.com, carina@fisica.ufpr.br
DATE: 09/05/2002 10:58

> > Como todos o sabem sou radicalmente contra o
> > 'roquinrol'.
Já que o assunto finalmente ficou completamente fora
do escopo da lista, permitam-me corrigir a injustiça
de que apenas um lado da contenda se manifeste. Sou
roqueiro desde criancinha, e recomendo-o para qualquer
ser vivo.

> > Em minhas lições de Ondas e Acústica utilizo-me
> > disso como exemplo de ruído e ainda recomendo ao
> >leitor a não participar dessa experiência de
> > ouví-lo por ser altamente danoso ás ligações
> > sinápticas.

Eu jamais recomendaria a qualquer pessoa submeter-se a
qualquer som acima de 80dBA por tempos prolongados.
Ouvir rock não exige tal façanha... E nem mesmo é
preciso fazer isso apra que a confusão mental
característica de alguns rocks se manifeste.

...Gostaria que o senhor delineasse que ruído é esse,
afinal, que o rock and roll representa? É branco?
Será que a música dos jovens não possui a menor
auto-correlação? será que é desprovido de rítimo,
rima, ou refrão? Será que não tem a menor estrutura, e
é tão estatisticamente perfeito (uma glória em
estética estatística), que é impossível detectarem-se
diferenças entre os rock and rolls de diversos
artistas?

Eu defendo com fervor meus artistas do ruído
preferidos. Guitar Wolf, Atari Teenage Riot, Le tigre,
MetallicA, Jimi Hendrix e The Mummies são grandes
artistas, por mais que boa parte de suas músicias
preguem justamente que "grandes artistas" são em geral
pessoas que não sabem se divertir.

Será que o ruído dessas pessoas é completamente
branco? Será que eles não podem nem mesmo fazer uma
pequena translação no domínio da freqüência com seus
instrumentos, para que por mais que estranhos que
sejam seus timbres, não possam transmitir algum
sinal? será que não podem nem mesmo fazer arte na
variação de amplitude? nem mesmo num nível digital de
"ligado e desligado"!?

não é tão simples assim gerar-se ruído. Pessoas,
grandes artistas, dedicam suas vidas a criar
distorções para instrumentos musicais. Para atingir um
certo ruído perfeito (aqui estamos todo o tempo
falando ainda de ruído no timbre, não nas estruturas
das músicas).

...E o mais importante quanto a escutar rock: aprenda
a dançar. Um admirável filósofo alemão disse: "Jamais
acreditadria num apreciador de música que não soubesse
dançar".

> > Quando eu ocupar o cargo de presidente do Brasil
> > essa será a primeira MP: proibir a entrada no
> > país de toda e qualquer coisa relacionada a esse
> > ruído.
Entendo e respeito nosso colega, pois sei o quanto dói
receber críticas a frases escritas bem-humoradamente
como essa...

Permita-me apenas citar que um presidente punk honesto
jamais vetaria qualquer arte. Um bom presidente punk,
pra começar, não lancaria MPs, e se lançasse, seria
para se certificar que nenhum tipo de música sofreria
jamais a menor censura ou repreensão. Assegurar-se-ia
de que os minimalistas e dodecafônicos estão sendo
tratados com o mesmo respeito que os românticos que os
criticaram, e os compositores barrocos que os
criticaram antes. Daria o mesmo respeito também a
poetas concretos e a arcadistas.

É claro que existem lá os punks que colocam seu
hard-core acima de qquer coisa, mas em geral o
espírito do rock é o mais inclusivo jamais visto na
história da música.


Para terminar, gostaria de citar o trabalho de Richard
Voss, que na década de 70 mediu a "ruidosidade" de
várias estações de rádio, e constatou que tanto a
música clássica quanto o rock and roll, quanto vários
outros tipos de música que vc pode citar, todos se
comportam como um sinal de ruído cuja potência decai
de forma inversamente proporcional ao aumento da
freqüência, o que é a característica de um ruído
"rosa".

Voss também sujeitou vários ouvintes a músicas geradas
por computador a partir de ruídos branco, rosa e
browniano aplicados à freqüência e duração das notas,
e o resultado interessante é que o ruído browniano é
muito monótono, e o ruído branco não faz o menor
sentido. O ruído rosa, ao contrário é interessante e
envolvente. Será que essa música gerada por computador
a partir de um algorítimo tão simples era erudita ou
era rock?? Onde está a diferença, afinal? Será que é
só colcoar um overdrive e algum eco na saída desse
sinal (simples manipulações que não transformariam
ainda a música em ruído no ponto de vista do timbre) é
o suficiente pra transformar Beethoven em Beatles?



Enfim, o rock já é criticado a muito tempo, e os
roqueiros realmente não se importam mais, porque NÓS
vamos enterrar os intolerantes (nós, os roqueiros que
não morrerem de overdose aos 23 anos). Espero, porém,
ter defendido o ruído acima de tudo. Ruído não é algo
simples. Não é um mero sinal que deve ser subtraído de
seu sistema. Ruídos apresentam diferentes
caracteríticas. Ruído pode conter alguma coisa, alguma
informação. Pode até mesmo ser arte, e aliás, conforme
avançamos em nossos estudo vemos cada vez mais que a
arte está mais próxima do ruído do que de qualquer
coisa.

grato pela atenção dispensada a este humilde membro da
geração a jato...

++N1c01au





_______________________________________________________________________
Yahoo! Encontros
O lugar certo para você encontrar aquela pessoa que falta na sua vida. Cadastre-se hoje mesmo!
http://br.encontros.yahoo.com/


SUBJECT: Fw: Barreira acstica ... plantadores de arvores.
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/05/2002 12:18

[]'
Léo
========
-----Mensagem Original-----
De: Jonas Vitti
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: quarta-feira, 27 de março de 2002 06:49
Assunto: Barreira acústica


Boa Noite!
Por favor, gostaria de saber se existe algum material ou literatura, sobre o efeito do plantio de árvores, na redução de ruído. Tenho a intenção de fazer um plantio ao redor da empresa onde trabalho, porém gostaria de algo que pudesse dar um subsídio, em prever quanto será a redução do ruído.
Desde já, agradeço pela atenção
Jonas Vitti


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/05/2002 12:41

Olá Colucci,

espero até agosto sem problema, afinal, já fiquei 60 anos sem ter esse brinquedinho e mais alguns meses não vai matar ninguém:-) (espero!)
Entretanto, ao comprá-lo, por gentileza, abra o pacote e teste o funcionamento do aparelho na própria loja pois, se eu não conseguir fazê-lo funcionar pelo menos terei a informação de que vc viu o bichinho levitar! Pergunte ao vendedor se o aparelho terá algum enjôo ao viajar de avião (em outras palavras, será que o aparelho está projetado para funcionar apenas no hemisfério norte?).
O cuidado procede pois, uma vez lá no CPT do Objetivo, compramos uma leva de bússolas 'estrangeiras' e o equilíbrio da agulha havia sido feito para a declinação magnética local de modo que, ao tentar usá-las em São Paulo, a agulha ficava raspando no fundo da caixa ... inoperante! Veja se há alguma advertência na caixa do Levitron para algum desses fatores adversos ao funcionamento em outro lugar (hemisfério, declinação, inclinação, povo atrasado, influência da Lua etc.)
Quando vc chegar ao Brasil ... $$$

aquele abraço,

Léo
PS: Ao Takata. Grato pelas colaborações.
===================================
============
-----Mensagem Original-----
De: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 20:42
Assunto: RE: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.


>Léo: Realmente estou a muito tempo interessado nesse Levitron (ou seu
irmão mais novo, o Perpetuator, cuja 'foto' já tenho). Há na construção
desse brinquedinho um equilíbrio/ distribuição de massas muito crítico,
dificil de se fazer aqui no meu laboratório (não tanto pelo super-ímã,
tenho vários exemplares deles, que obtive lá no IPT-USP). É um
experimento de levitação empolgante!<

Respondi em PVT, mas acho que você não recebeu. Pode escolher o tal do
Levitron pela Internet que no resto nós damos um jeito. Se você não se
incomodar em esperar posso até levá-lo pessoalmente, pois vou para o
Brasil em agosto.

Colucci

PS: Me ensina esse truque de transmitir informação sem energia. Só para
enviar esta mensagem gastei vários "quanta" :)




&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
FROM: piggeru.maligno@zipmail.com.br
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/05/2002 14:29


Olá a todos,

Esta é a minha primeira mensagem e eu gostaria de saber:

Segundo o texto:
"The 'antigravity' force that repels the top from the base is magnetism.
Both the top and the heavy slab inside the base box are magnetized, but
oppositely. Think of the base magnet with its north pole pointing up, and
the top as a magnet with its north pole pointing down (fig 1). The principle
is that two similar poles (e.g., two norths) repel and that two similar
poles attract, with forces that are stronger when the poles are closer.
There are four magnetic forces on the top: on its north pole, repulsion
from the base's north and attraction from the base's south, and on its south
pole, attraction from the base's north and repulsion from the base's south.
Because of the way the forces depend on distance, the north-north repulsion
dominates, and the top is magnetically repelled. It hangs where this upward
repulsion balances the downward force of gravity, that is, at the point
of equilibrium where the total force is zero. "
O que faz o levitron flutuar é exatamente , o mesmo principio empregado
nos trens-bala, ou seja, a repulsão entre polos iguais? Sendo assim, perdoem-me
a ignorancia, isso pode ser feito em casa, não? Desculpem-me esta indevidade
vontade do "cientista de fundo de quintal", porém tenho 14 anos e gostaria
de saber se posso produzir um desse aqui na mina casa!

Cordialmente,


Gustavo T. Alckmin


-- Mensagem original --

>Olá Colucci,
>
>espero até agosto sem problema, afinal, já fiquei 60 anos sem ter esse
brinquedinho
>e mais alguns meses não vai matar ninguém:-) (espero!)
>Entretanto, ao comprá-lo, por gentileza, abra o pacote e teste o funcionamento
>do aparelho na própria loja pois, se eu não conseguir fazê-lo funcionar
pelo
>menos terei a informação de que vc viu o bichinho levitar! Pergunte ao
vendedor
>se o aparelho terá algum enjôo ao viajar de avião (em outras palavras,
será
>que o aparelho está projetado para funcionar apenas no hemisfério norte?).
>O cuidado procede pois, uma vez lá no CPT do Objetivo, compramos uma leva
>de bússolas 'estrangeiras' e o equilíbrio da agulha havia sido feito para
>a declinação magnética local de modo que, ao tentar usá-las em São Paulo,
>a agulha ficava raspando no fundo da caixa ... inoperante! Veja se há alguma
>advertência na caixa do Levitron para algum desses fatores adversos ao
funcionamento
>em outro lugar (hemisfério, declinação, inclinação, povo atrasado, influência
>da Lua etc.)
>Quando vc chegar ao Brasil ... $$$
>
>aquele abraço,
>
>Léo
>PS: Ao Takata. Grato pelas colaborações.
>===================================
>============
>-----Mensagem Original-----
>De: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
>Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
>Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 20:42
>Assunto: RE: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
>
>
>>Léo: Realmente estou a muito tempo interessado nesse Levitron (ou seu
>irmão mais novo, o Perpetuator, cuja 'foto' já tenho). Há na construção
>desse brinquedinho um equilíbrio/ distribuição de massas muito crítico,
>dificil de se fazer aqui no meu laboratório (não tanto pelo super-ímã,
>tenho vários exemplares deles, que obtive lá no IPT-USP). É um
>experimento de levitação empolgante!<
>
>Respondi em PVT, mas acho que você não recebeu. Pode escolher o tal do
>Levitron pela Internet que no resto nós damos um jeito. Se você não se
>incomodar em esperar posso até levá-lo pessoalmente, pois vou para o
>Brasil em agosto.
>
>Colucci
>
>PS: Me ensina esse truque de transmitir informação sem energia. Só para
>enviar esta mensagem gastei vários "quanta" :)
>
>
>
>
>&&& --- &&&
>VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
>http://www.ciencialist.hpg.com.br
>Para sair da lista envie um mail para
>ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
>&&& --- &&&
>
>Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
>
>
>&&& --- &&&
>VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
>http://www.ciencialist.hpg.com.br
>Para sair da lista envie um mail para
>ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
>&&& --- &&&
>
>Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
>



------------------------------------------
Use o melhor sistema de busca da Internet
Radar UOL - http://www.radaruol.com.br





SUBJECT: Re: [ciencialist] Fw: curto-circuito
FROM: "Silvio Cordeiro" <scf@escelsa.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/05/2002 14:35

Leo:
se a Bebel for cristã, ela pode ancorar a resposta no gênesis 1:3 = E disse deus:
haja luz, e houve luz.
Pode-se considerar esse clarão divino como um curto-circuito ou então, a quem
contestar, pedir pra provar que nao foi.

silvio, o exêgeta.

----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
To: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Wednesday, May 08, 2002 10:13 AM
Subject: [ciencialist] Fw: curto-circuito


Essa realmente não sei a resposta. Quem se habilita?

[]'
Léo
=========
-----Mensagem Original-----
De: biblioteca palmela
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 06:11
Assunto: curto-circuito


Exmo. Sr.
Venho por este meio pedir-lhe a resposta a uma questão, se possível claro.
Em que data (dia e mês) se transmitiu o primeiro curto-circuito.
Com os melhores cumprimentos,
Isabel




SUBJECT: Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/05/2002 15:54

Olá Gustavo,

--- Em ciencialist@y..., piggeru.maligno@z... escreveu
>
> O que faz o levitron flutuar é exatamente , o mesmo principio
empregado
> nos trens-bala, ou seja, a repulsão entre polos iguais?

Basicamente é isso mesmo.


Sendo assim, perdoem-me
> a ignorancia, isso pode ser feito em casa, não? Desculpem-me esta
indevidade
> vontade do "cientista de fundo de quintal", porém tenho 14 anos e
gostaria
> de saber se posso produzir um desse aqui na mina casa!


Todo mundo que já brincou com imãs deve ter tentado fazer isso alguma
vez, colocar um imã sobre o outro com os polos iguais um voltado para
o outro. Rapidamente se descobre que essa é um configuração
tremendamente instável, em outras palavras a força magnética faz com
que um dos imãs vire, e os dois terminam grudados pelos polos
contrários. Mesmo nesse levitron, segundo está explicado no site
levitron.com, a flutuação exige um balanço muito delicado do peso e
da velocidade de rotação do pião. Tudo isso para que se consiga uma
configuração razoavelmente estável, isto é, uma configuração onde o
pião fica flutuando no campo magnético por uns 30 segundos pelo menos.

Essa estabilidade é conseguida por alguma configuração do campo
magnético complicada, não basta colocar um imã em cima do outro.

Veja a mensagem do Leo onde ele próprio diz ter dificuldades para
reproduzir esse dispositivo em seu laboratório:

http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/14411

Não perca também o interessantíssimo site do Leo onde ele explica
esses e muitos outros experimentos e fenômenos:

http://www.feiradeciencias.com.br/sala13/13_36.asp

um abraço,

André Baptista








>
> Cordialmente,
>
>
> Gustavo T. Alckmin
>
>
> -- Mensagem original --
>
> >Olá Colucci,
> >
> >espero até agosto sem problema, afinal, já fiquei 60 anos sem ter
esse
> brinquedinho
> >e mais alguns meses não vai matar ninguém:-) (espero!)
> >Entretanto, ao comprá-lo, por gentileza, abra o pacote e teste o
funcionamento
> >do aparelho na própria loja pois, se eu não conseguir fazê-lo
funcionar
> pelo
> >menos terei a informação de que vc viu o bichinho levitar!
Pergunte ao
> vendedor
> >se o aparelho terá algum enjôo ao viajar de avião (em outras
palavras,
> será
> >que o aparelho está projetado para funcionar apenas no hemisfério
norte?).
> >O cuidado procede pois, uma vez lá no CPT do Objetivo, compramos
uma leva
> >de bússolas 'estrangeiras' e o equilíbrio da agulha havia sido
feito para
> >a declinação magnética local de modo que, ao tentar usá-las em São
Paulo,
> >a agulha ficava raspando no fundo da caixa ... inoperante! Veja se
há alguma
> >advertência na caixa do Levitron para algum desses fatores
adversos ao
> funcionamento
> >em outro lugar (hemisfério, declinação, inclinação, povo atrasado,
influência
> >da Lua etc.)
> >Quando vc chegar ao Brasil ... $$$
> >
> >aquele abraço,
> >
> >Léo
> >PS: Ao Takata. Grato pelas colaborações.
> >===================================
> >============
> >-----Mensagem Original-----
> >De: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@r...>
> >Para: <ciencialist@y...>
> >Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 20:42
> >Assunto: RE: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
> >
> >
> >>Léo: Realmente estou a muito tempo interessado nesse Levitron (ou
seu
> >irmão mais novo, o Perpetuator, cuja 'foto' já tenho). Há na
construção
> >desse brinquedinho um equilíbrio/ distribuição de massas muito
crítico,
> >dificil de se fazer aqui no meu laboratório (não tanto pelo super-
ímã,
> >tenho vários exemplares deles, que obtive lá no IPT-USP). É um
> >experimento de levitação empolgante!<
> >
> >Respondi em PVT, mas acho que você não recebeu. Pode escolher o
tal do
> >Levitron pela Internet que no resto nós damos um jeito. Se você
não se
> >incomodar em esperar posso até levá-lo pessoalmente, pois vou para
o
> >Brasil em agosto.
> >
> >Colucci
> >
> >PS: Me ensina esse truque de transmitir informação sem energia. Só
para
> >enviar esta mensagem gastei vários "quanta" :)
> >
> >
> >
> >
> >&&& --- &&&
> >VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> >http://www.ciencialist.hpg.com.br
> >Para sair da lista envie um mail para
> >ciencialist-unsubscribe@y...
> >&&& --- &&&
> >
> >Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
> >
> >
> >
> >
> >
> >&&& --- &&&
> >VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> >http://www.ciencialist.hpg.com.br
> >Para sair da lista envie um mail para
> >ciencialist-unsubscribe@y...
> >&&& --- &&&
> >
> >Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
> >
> >
> >
> >
>
>
>
> ------------------------------------------
> Use o melhor sistema de busca da Internet
> Radar UOL - http://www.radaruol.com.br



SUBJECT: Errata era :(Re: Levitron ... Colucci.)
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/05/2002 16:01

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...> >
> Essa estabilidade é conseguida por alguma configuração do campo
> magnético complicada, não basta colocar um imã em cima do outro.
>

Esqueça essa minha explicação e vá direto para a página do Leo (não
tem nenhuma "configuração do campo magnético complicada" - foi um mau
chute que eu dei)

http://www.feiradeciencias.com.br/sala13/13_36.asp


[]´s

André










SUBJECT: Re: Fw: Barreira acústica ... plantadores de arvores.
FROM: "sergiotaborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/05/2002 10:55


> Boa Noite!
> Por favor, gostaria de saber se existe algum material ou
literatura, sobre o efeito do plantio de árvores, na redução de
ruído. Tenho a intenção de fazer um plantio ao redor da empresa onde
trabalho, porém gostaria de algo que pudesse dar um subsídio, em
prever quanto será a redução do ruído.

Pela informação que tenho o efeito das arvores na redução do ruido é
fisicamente despresável.
O que acontece é que colocando arvores existe um efeito psicologico
de desvio de atenção. Não vendo as fontes de ruido os ouvidos não se
fixam nelas e aparentemente reduzem o efeito psicologicamente nefasto
do ruido.
Mas em termos de medição de potencia sonora, não ha qq efeito
importante.

[]

Sérgio Taborda



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
FROM: Antonio Ferrao <antonio_ferrao@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/05/2002 15:08


Prezados Colegas,
Eu comprei este brinquedo como um presente de natal para mim mesmo no natal de 1999, quando eu ainda morava na Austrlia, numa loja muito interessante e popular chamada "Australian Geographics". Esta loja est presente em muitas cidades Australianas e vende muitas coisas tpicas da Austrlia, como digeridoos, atersanatos, etc..., alm de muitas curiosidades cientficas.
Naquela poca, o brinquedo custou caro, mas eu realmente quis pagar para ver o que estava sendo mostrado na caixa.
Ansioso, como uma criana desbrulhando o presente de natal, e ao mesmo tempo escondendo a notinha da minha mulher para que ela no descobrisse a fortuna que eu paguei nisso, comecei a testar o brinquedo.
Eu fiquei quase a noite inteira tentando faz-lo funcionar. A cada tentativa, o "top" caia violentamente sobre a base, que possui um im fortssimo, parecendo que vai quebrar-se. Quando eu estava quase convencido de que tinha realmente jogado o meu dinheiro fora, o "top" flutuou por cerca de um minuto, levitando acima da base.
O problema que, para impulsionar o "top", que uma espcie de pio, voc deve utilizar os dedos, da mesma forma que voc faz quando gira um pio. Entretanto, ao impulsionar o pio para conseguir o movimento giratrio, dificilmente voc consegue mant-lo exatamente no centro, que onde o "equilbrio" perfeito acontece.
No dia seguinte, eu comprei na mesma loja uma espcie de motorzinho que se encaixa no "top", impulsionando-o. Utilizando-se este aparelho, fica muito mais fcil conseguirmos o equilbrio, mas mesmo assim difcil. preciso muita destreza, equilbrio e pacincia.
Mas o mais interessante que este aparelho quebrou um dos tabus da Fsica: De que seria impossvel manter um corpo equilibrado, sujeito s foras de campo (no caso, magntico e gravitacional), alm do efeito giroscpico.
Alm disso, este um bom exemplo de roubo de patentes (http://www.amasci.com/maglev/levtr1.html).
Um outro componente importante seria o "perpetuator". Este aparelho eu no tenho. Ele faria o top permanecer levitando por vrias horas...
Eu acho tambm um absurdo que isto e outras "curiosidades cientficas" no sejam vendidas ou mesmo fabricadas no Brasil. Com certeza temos muito mercado para isso. Uma dica para os empreededores: Que tal uma "Brazilian Geographics" ? Acho que o Brasil tem mais a oferecer do que a Austrlia no campo de artesanato e um mercado interno muito mais forte para curiosidades cientficas. Se algum topar, estou dentro.
[]'s
Antonio


andrediasbaptista <andrebaptista@uol.com.br> wrote: Ol Gustavo,

--- Em ciencialist@y..., piggeru.maligno@z... escreveu
>
> O que faz o levitron flutuar exatamente , o mesmo principio
empregado
> nos trens-bala, ou seja, a repulso entre polos iguais?

Basicamente isso mesmo.


Sendo assim, perdoem-me
> a ignorancia, isso pode ser feito em casa, no? Desculpem-me esta
indevidade
> vontade do "cientista de fundo de quintal", porm tenho 14 anos e
gostaria
> de saber se posso produzir um desse aqui na mina casa!


Todo mundo que j brincou com ims deve ter tentado fazer isso alguma
vez, colocar um im sobre o outro com os polos iguais um voltado para
o outro. Rapidamente se descobre que essa um configurao
tremendamente instvel, em outras palavras a fora magntica faz com
que um dos ims vire, e os dois terminam grudados pelos polos
contrrios. Mesmo nesse levitron, segundo est explicado no site
levitron.com, a flutuao exige um balano muito delicado do peso e
da velocidade de rotao do pio. Tudo isso para que se consiga uma
configurao razoavelmente estvel, isto , uma configurao onde o
pio fica flutuando no campo magntico por uns 30 segundos pelo menos.

Essa estabilidade conseguida por alguma configurao do campo
magntico complicada, no basta colocar um im em cima do outro.

Veja a mensagem do Leo onde ele prprio diz ter dificuldades para
reproduzir esse dispositivo em seu laboratrio:

http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/14411

No perca tambm o interessantssimo site do Leo onde ele explica
esses e muitos outros experimentos e fenmenos:

http://www.feiradeciencias.com.br/sala13/13_36.asp

um abrao,

Andr Baptista








>
> Cordialmente,
>
>
> Gustavo T. Alckmin
>
>
> -- Mensagem original --
>
> >Ol Colucci,
> >
> >espero at agosto sem problema, afinal, j fiquei 60 anos sem ter
esse
> brinquedinho
> >e mais alguns meses no vai matar ningum:-) (espero!)
> >Entretanto, ao compr-lo, por gentileza, abra o pacote e teste o
funcionamento
> >do aparelho na prpria loja pois, se eu no conseguir faz-lo
funcionar
> pelo
> >menos terei a informao de que vc viu o bichinho levitar!
Pergunte ao
> vendedor
> >se o aparelho ter algum enjo ao viajar de avio (em outras
palavras,
> ser
> >que o aparelho est projetado para funcionar apenas no hemisfrio
norte?).
> >O cuidado procede pois, uma vez l no CPT do Objetivo, compramos
uma leva
> >de bssolas 'estrangeiras' e o equilbrio da agulha havia sido
feito para
> >a declinao magntica local de modo que, ao tentar us-las em So
Paulo,
> >a agulha ficava raspando no fundo da caixa ... inoperante! Veja se
h alguma
> >advertncia na caixa do Levitron para algum desses fatores
adversos ao
> funcionamento
> >em outro lugar (hemisfrio, declinao, inclinao, povo atrasado,
influncia
> >da Lua etc.)
> >Quando vc chegar ao Brasil ... $$$
> >
> >aquele abrao,
> >
> >Lo
> >PS: Ao Takata. Grato pelas colaboraes.
> >===================================
> >============
> >-----Mensagem Original-----
> >De: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@r...>
> >Para: <ciencialist@y...>
> >Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 20:42
> >Assunto: RE: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
> >
> >
> >>Lo: Realmente estou a muito tempo interessado nesse Levitron (ou
seu
> >irmo mais novo, o Perpetuator, cuja 'foto' j tenho). H na
construo
> >desse brinquedinho um equilbrio/ distribuio de massas muito
crtico,
> >dificil de se fazer aqui no meu laboratrio (no tanto pelo super-
m,
> >tenho vrios exemplares deles, que obtive l no IPT-USP). um
> >experimento de levitao empolgante!<
> >
> >Respondi em PVT, mas acho que voc no recebeu. Pode escolher o
tal do
> >Levitron pela Internet que no resto ns damos um jeito. Se voc
no se
> >incomodar em esperar posso at lev-lo pessoalmente, pois vou para
o
> >Brasil em agosto.
> >
> >Colucci
> >
> >PS: Me ensina esse truque de transmitir informao sem energia. S
para
> >enviar esta mensagem gastei vrios "quanta" :)
> >
> >
> >
> >
> >&&& --- &&&
> >VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> >http://www.ciencialist.hpg.com.br
> >Para sair da lista envie um mail para
> >ciencialist-unsubscribe@y...
> >&&& --- &&&
> >
> >Seu uso do Yahoo! Grupos sujeito s regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
> >
> >
> >
> >
> >
> >&&& --- &&&
> >VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> >http://www.ciencialist.hpg.com.br
> >Para sair da lista envie um mail para
> >ciencialist-unsubscribe@y...
> >&&& --- &&&
> >
> >Seu uso do Yahoo! Grupos sujeito s regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
> >
> >
> >
> >
>
>
>
> ------------------------------------------
> Use o melhor sistema de busca da Internet
> Radar UOL - http://www.radaruol.com.br


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos sujeito aos Termos do Servio Yahoo!.



---------------------------------
Do You Yahoo!?
Yahoo! Shopping - Mother's Day is May 12th!

[As partes desta mensagem que no continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/05/2002 15:42

--- Em ciencialist@y..., Antonio Ferrao <antonio_ferrao@y...> escreveu
>
> Eu acho também um absurdo que isto e outras "curiosidades
científicas" não sejam vendidas ou mesmo fabricadas no Brasil. Com
certeza temos muito mercado para isso. Uma dica para os
empreededores: Que tal uma "Brazilian Geographics" ? Acho que o
Brasil tem mais a oferecer do que a Austrália no campo de artesanato
e um mercado interno muito mais forte para curiosidades científicas.
Se alguém topar, estou dentro.

Não sei se o Brasil tem um mercado maior, mas dado o tamanho da
população deveria ter um mercado pelo menos igual ao da Austrália. O
problema é que nossa cultura não estimula esse tipo de coisa. Acho
que grande parte da culpa é dos pais brasileiros, que não têm a menor
preocupação de transmitir o amor a ciência para seus filhos. Estou
falando, é claro, da classe média pra cima, que pode se dar ao luxo
desse tipo de preocupação. Embora seja um tanto cético eu sempre tive
interesse em fazer alguma coisa do tipo. E agora que tenho três
filhos, sinto falta de "brinquedos" e engenhocas desse tipo. Sou
cético porque a mentalidade brasileira é muito diferente da anglo-
saxã sobre o assunto. Os pais de classe média e alta daqui tem uma
mentalidade medíocre. Museu de ciências é uma coisa que quase não
existe por aqui, e quando existe é destinado quase que exclusivamente
a excursões escolares (aqui em Maceió, por exemplo, existe uma meia
dúzia de pequenos museus, inclusive um modesto "museu de história
natural" - só que nenhum deles abre fim de semana. Também o que
esperar de Alagoas, que é uma espécie de "Brasil" do Brasil).
Zoológicos, aquários, museus de história natural e ciência, são
considerados programas infantis, enquanto nos países anglo-saxãos
encontram-se muitos adultos passeando sozinhos nesses lugares. Enfim,
a mentalidade aqui é que ciência é apenas um a disciplina chata que
temos que engolir para passar no tal vestibular, mais uma burocracia
do caminho do sonhado diploma, aquele papelzinho que garante vários
privilégios, como prisão especial, acesso a empregos públicos, etc.

Mas achei interessante sua idéia da "Brazilian Geographics". Eu
também toparia participar de algum modo.

um abraço,

André Baptista



SUBJECT: Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/05/2002 18:12

--- Em ciencialist@y..., "andrediasbaptista" <andrebaptista@u...>
> Não sei se o Brasil tem um mercado maior, mas dado o tamanho da
> população deveria ter um mercado pelo menos igual ao da Austrália.

Colucci certa vez descreveu aqui (ou foi noutra
lista?) a ascencao e queda do Funbec -- q.
comercializava essas quinquilharias.

> interesse em fazer alguma coisa do tipo. E agora que tenho três
> filhos, sinto falta de "brinquedos" e engenhocas desse tipo.

Entao e' so' entrar no site do Professor Leo e montar vc mesmo
junto com seus filhos essas engenhocas -- e' ainda mais
divertido do q. comprar pronta. Algumas necessitam de
alguma habilidade em marcenaria e bricolagem, mas muitas
outras nao -- e sempre se pode buscar solucoes alternativas
criativas com materiais mais em conta e mais faceis de se
achar.

Com uma simples cartolina e quatro clipes da' pra
fazer um experimento surpreendente para as criancas:
monta-se uma caixa com a cartolina, poem-se agua e
coloca-se na boca de um fogao. O q. acontece se
acendermos o fogo? O papel queima e a agua derrama
ou a agua ferve dentro da caixa de papel sem q.
ele se queime? (Claro, avisar para as criancas
nao fazerem isso sozinhas...)

Ou algo mais divertido ainda: mostrar o processo de
caramelizacao -- um pouco de leite condensado,
chocolate, margarina e fogo, mexe-se um bocado e
voila: brigadeiros. Pode-se comer o experimento ao
final -- claro depende da habilidade do professor e
dos alunos em acertarem o ponto (mas e' dificil
errar numa receita de brigadeiros).

A ciencia nao esta' nas engenhocas, nao esta'
nos instrumentos. Ela esta' na observacao, no
processo de ver o mundo, no processo de descobrir
o mundo.

Claro q. robozinhos programaveis sao muito
divertidos e podem ser bem instrutivos, mas
nao e' a falta deles q. impede se falar em
computadores e mecanica -- basta um pedaco
de papel e lapis.

Como equilibrar um copo cheio de
cerveja sobre uma nota de um real apoiada
sobre dois outros copos vazios emborcado
sobre a mesa? Podemos apenas mostrar o
truque ou mostrar o truque e explicar o
q. esta' por detras -- e fazer a conexao
disso com, por exemplo, o formato das telhas
de zinco e amianto.

E' mais facil quebrar o ovo apertando suas
extremidades ou sua lateral? O q. isso tem
a ver com o modo como a galinha os incuba?
E o q. isso tem a ver com a construcao de
uma ponte em arco?

Como funciona uma garrafa termica? E o q.
isso tem a ver com a exploracao de Marte?

O q. bolhas de sabao tEm a ver com
favos de mel?

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: RE: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/05/2002 00:26

>Antonio Ferrao: Que tal uma "Brazilian Geographics" ? Acho que o Brasil
tem mais a oferecer do que a Austrália no campo de artesanato e um
mercado interno muito mais forte para curiosidades científicas. Se
alguém topar, estou dentro.<

>André Baptista: Mas achei interessante sua idéia da "Brazilian
Geographics". Eu também toparia participar de algum modo.<

>Takata: Colucci certa vez descreveu aqui (ou foi noutra lista?) a
ascencao e queda do Funbec -- q. comercializava essas quinquilharias.<


Se a experiência da Funbec com venda de kits e material para ensino de
ciências valer, é melhor pensar bem antes de abrir a "Brazilian
Geographics". Em 30 anos de atividade, e contando com 23 representantes
autorizados em todo o Brasil, a única época em que a Divisão de Ensino
de Ciências deu lucro foi durante o governo Maluf. Eu sei, eu sei, o
exemplo é péssimo, mas verdadeiro. Durante a campanha do "Trem da
Alegria", o governo estadual comprou muitos kits e aparelhos para doar
às escolas públicas estaduais durante as visitas que o ladr.., digo, o
ilustre governador fazia às cidades do interior paulista. Sabia-se que
esse material ficava abandonado por falta de treinamento dos
professores.

Durante o resto do tempo, o desenvolvimento de material para ensino de
ciências era subsiado pela Divisão de Equipamentos Médicos, já que a
Funbec era uma fundação privada sem fins lucrativos. A situação é bem
diferente nos EUA, Canadá e em alguns países da Europa, onde existe um
amplo mercado para kits educativos e material para ensino. Qualquer
cidade um pouco maior tem um museu, qualquer museu tem uma lojinha que
vende os tais kits. Estes também são vendidos em lojas de brinquedos,
aeroportos e afins. Toda a escola -- pública ou particular -- tem
laboratórios e compra material de ciências.

Para a idéia funcionar, no Brasil, só com apoio do estado e verbas
públicas.

Colucci




SUBJECT: Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/05/2002 00:55

E conversamos toda a noite, enquanto
A via láctea, como um pálio aberto,
Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
Inda as procuro pelo céu deserto.


Ou melhor... ver planetas. Ainda não perdi o senso. Só estou voltando de
uma "star-gazing party" promovida pelo Departamento de Astronomia da
Universidade Harvard. Aproveitando o alinhamento dos planetas neste ano,
o pessoal da universidade organizou uma série de observações planetárias
para leigos, em cooperação com os clubes de astronomia. Essa de hoje foi
num parque a cerca de 50 km de Boston, distante o suficiente de centros
urbanos para garantir um céu escuro. Um público de cerca de 200 pessoas,
formado por gente de todas as idades, reuniu-se para olhar o céu e
conversar com astrônomos profissionais e amadores.

Quando falo em amadores de astronomia, entendam amadores no contexto
americano. Eu, por exemplo, bati papo com um professor de ciências -- o
Léo daqui -- que tirou da carroceria da camionete o instrumento que
havia escolhido para a noite: um refletor dobsoniano com espelho de 20
polegadas (cerca de meio metro de diâmetro)! Fiz bem em não levar o
pequeno refrator Meade de 90 mm da minha filha.

Um telescópio grande não é necessariamente melhor do que um pequeno para
observações planetárias. Daqui do quintal de casa, com o Meade,
conseguimos ver os anéis de Saturno e as luas de Júpiter. Meu choque, ao
olhar para Júpiter com o monstro de 20 polegadas foi a quantidade de
estrelas atrás do planeta. Qualquer canto do céu para o qual se
apontasse aquele tubo de quase três metros de altura estava coalhado de
estrelas, tal a capacidade de concentrar luz dos grandes telescópios.

Minha filha voltou fascinada. Olhar o céu noturno com um telescópio é
uma experiência cujo impacto nem as fotos de alta resolução do Hubble
conseguem diminuir. Quem ainda não viu o alinhamento dos planetas ainda
tem tempo. Domingo será a melhor noite para isso. O próximo igual a
esse, só daqui a 70 anos.

Colucci




SUBJECT: Re: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "Wellington Nogueira" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/05/2002 13:53

Olhar estrelas é algo muito prazeroso. Mesmo não tendo um telescópio ou um
bom binóculo, quando o céu está limpo fico olhando por alguns minutos. Já
pensei em comprar algum instrumento de boa resolução, mas a falta de
informação técnica a respeito impede.
Se os apaixonados observadores puderem recomendar alguma especificação de
telescópio e/ou binóculo para quem quer se aprofundar nas observações das
estrelas, ficaria muito grato.

[ ]'s
Wellington

----- Original Message -----
From: Jose Colucci Jr. <j.colucci@rcn.com>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Saturday, May 11, 2002 12:55 AM
Subject: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!


> E conversamos toda a noite, enquanto
> A via láctea, como um pálio aberto,
> Cintila. E, ao vir do sol, saudoso e em pranto,
> Inda as procuro pelo céu deserto.
>
>
> Ou melhor... ver planetas. Ainda não perdi o senso. Só estou voltando de
> uma "star-gazing party" promovida pelo Departamento de Astronomia da
> Universidade Harvard. Aproveitando o alinhamento dos planetas neste ano,
> o pessoal da universidade organizou uma série de observações planetárias
> para leigos, em cooperação com os clubes de astronomia. Essa de hoje foi
> num parque a cerca de 50 km de Boston, distante o suficiente de centros
> urbanos para garantir um céu escuro. Um público de cerca de 200 pessoas,
> formado por gente de todas as idades, reuniu-se para olhar o céu e
> conversar com astrônomos profissionais e amadores.
>
> Quando falo em amadores de astronomia, entendam amadores no contexto
> americano. Eu, por exemplo, bati papo com um professor de ciências -- o
> Léo daqui -- que tirou da carroceria da camionete o instrumento que
> havia escolhido para a noite: um refletor dobsoniano com espelho de 20
> polegadas (cerca de meio metro de diâmetro)! Fiz bem em não levar o
> pequeno refrator Meade de 90 mm da minha filha.
>
> Um telescópio grande não é necessariamente melhor do que um pequeno para
> observações planetárias. Daqui do quintal de casa, com o Meade,
> conseguimos ver os anéis de Saturno e as luas de Júpiter. Meu choque, ao
> olhar para Júpiter com o monstro de 20 polegadas foi a quantidade de
> estrelas atrás do planeta. Qualquer canto do céu para o qual se
> apontasse aquele tubo de quase três metros de altura estava coalhado de
> estrelas, tal a capacidade de concentrar luz dos grandes telescópios.
>
> Minha filha voltou fascinada. Olhar o céu noturno com um telescópio é
> uma experiência cujo impacto nem as fotos de alta resolução do Hubble
> conseguem diminuir. Quem ainda não viu o alinhamento dos planetas ainda
> tem tempo. Domingo será a melhor noite para isso. O próximo igual a
> esse, só daqui a 70 anos.
>
> Colucci
>
>
>
> &&& --- &&&
> VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
> http://www.ciencialist.hpg.com.br
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> &&& --- &&&
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>



SUBJECT: RE: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "monge_ateu" <monge_ateu@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/05/2002 18:08

Binóculo 7 x 50, de preferência marca Zeiss. Você vai precisar apoiar o
binóculo numa quina de parede, poste ou carro, senão treme muito.

Luneta e telescópio, só depois. Limitam muito o campo, você não vai
gostar. A não ser que vc possa comprar um telescópio do tamanho daquele
do Monte Palomar. :-)
--
Monge Ateu


-----Original Message-----
From: Wellington Nogueira [mailto:oliveiraw@uol.com.br]
Sent: Saturday, May 11, 2002 13:53
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: Re: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!


Olhar estrelas é algo muito prazeroso. Mesmo não tendo um telescópio ou
um bom binóculo, quando o céu está limpo fico olhando por alguns
minutos. Já pensei em comprar algum instrumento de boa resolução, mas a
falta de informação técnica a respeito impede. Se os apaixonados
observadores puderem recomendar alguma especificação de telescópio e/ou
binóculo para quem quer se aprofundar nas observações das estrelas,
ficaria muito grato.



SUBJECT: RE: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "monge_ateu" <monge_ateu@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/05/2002 18:31

Leo:

Vc trocou mensagens com o Luciano ([DarkMan]) que, parece, se matou?

--
Monge Ateu, MD





SUBJECT: RE: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/05/2002 21:40

>Wellington Nogueira: Se os apaixonados observadores puderem recomendar
alguma especificação de telescópio e/ou binóculo para quem quer se
aprofundar nas observações das estrelas, ficaria muito grato.>


Wellington,

O fator que mais influencia a qualidade das observações astronômicas é o
local. Num bom local, com ar limpo e sem muita poluição luminosa, você
verá mais estrelas do que com o melhor telescópio num local inadequado.
Os gregos sabiam que Saturno tinha anéis muito antes da invenção do
telescópio.

Dizem os astrônomos que o melhor primeiro telescópio é um binóculo,
considerando que muitas constelações são grandes demais para serem
vistas com um telescópio. É preciso deitar na grama num dia de verão e
olhar o céu com um bom binóculo para entender. Um tamanho apropriado
para astronomia é 7x50. O primeiro número é o aumento e o segundo o
diâmetro da objetiva. Um número mais alto indica maior capacidade de
concentrar luz. Qualquer binóculo moderno de boa marca é muito superior
ao telescópio que Galileu usou para suas observações.

Achar um telescópio já é mais complicado. As pequenas lunetas
(refratores) vendidos nas lojas de óptica são inúteis. Um telescópio
refletor de tamanho adequado, com montagem equatorial, é caro demais. A
solução, se você está mesmo querendo encarar o hobby com seriedade, é
construir seu próprio telescópio (ver link).

Quando eu morava no Brasil tinha um sujeito em São Carlos (SP) que
fabricava espelhos para vender. Não era muito caro. Alguém da lista deve
saber onde conseguir espelhos no Brasil. Nos EUA, o custo das peças para
fabricar um telescópio refletor com espelho de 8 polegadas e montagem
dobsoniana é cerca de 400 dólares.

Uma alternativa interessante é a fotografia astronômica. Para isso basta
uma câmera de 35 mm mecânica. Tem que ser mecânica, daquelas da década
de 70 (Olympus OM-1, Nikkormat, Pentax). A bateria das câmeras modernas
não aguenta os longos tempos de exposição. Você precisa construir um
acessório chamado em inglês de "barn door tracker". Há vários websites
explicando como construí-lo. Não é necessário que seja motorizado. Já vi
fotos excelentes feitas com um modelo ajustável manualmente.

Só para você ver até onde pode chegar o fanatismo dos amadores
americanos, botei o link para o website de um deles abaixo.

Um abraço,

Colucci

Construindo telescópios (em português):
http://sites.uol.com.br/telescopios/colimacao.html

Building a dobsonian telescope
http://members.aol.com/sfsidewalk/cdobplans.htm

Building a barn door tracker
http://www.astronomyboy.com/barndoor/

Brian Lula (advanced amateur):
http://www.heavensgloryobservatory.com/






SUBJECT: Fw: Golpe de aríete
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/05/2002 18:47

Olá Homem das Bombas,
e o texto sobre o carneiro hidráulico? Já está passando da hora da tossagem!
Quantos carneiros (e de que raça) são necessários prender na alavanca que gira a roda d'água para puxar a água do rio com vazão de 100 m^3/min?

[]'
Léo
===============
-----Mensagem Original-----
De: "rfaquino" <rfaquino@bol.com.br>
Para: <leo@barretos.com.br>
Enviada em: domingo, 12 de maio de 2002 15:39
Assunto: Golpe de aríete


Olá Prof. Luiz Ferraz Netto, me chamo Reinaldo Freitas
Aquino e sou aluno de graduação do curso de Engenharia
Agrícola na Universidade Federal de Lavras. Atualmente
trabalho com iniciação cientifíca na parte de Hidraúlica
e estou montando um projeto relacionando a eficiência da
utilização de uma roda d'água juntamente com um
carneiro hidraulico. Vi sua pesquisa na pagina da feira
de ciências sobre "Golpe de aríete (carneiro
hidráulico)" e gostaria de saber se o prof. não teria ou
poderia indicar outras publicações sobre este assunto.
Desde já muito obrigado. Atenciosamente;

Reinaldo F. Aquino





__________________________________________________________________________
Quer ter seu próprio endereço na Internet?
Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados.
DomíniosBOL - http://dominios.bol.com.br





SUBJECT: Fw: Estimado senhor ter os direitos autorais de Feira de Cincias lhe impem grande responsabilidade
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/05/2002 18:56

Para todos!

[]'
Léo
==========
-----Mensagem Original-----
De: jcfc
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: domingo, 12 de maio de 2002 08:41
Assunto: Estimado senhor ter os direitos autorais de Feira de Ciências lhe impõem grande responsabilidade


Meu senhor eu consegui inéditas descobertas de Física e de Química.
Foram 45 dos meus 69 anos dedicados a trabalhos científicos.
O fato real é que consegui conhecimentos que possibilitaram que eu deduzisse a forma de ser dos núcleos dos elementos atômicos. Quando, em seguida montei esses núcleos, com pequenos pedaços de pita recobertos com cartolina.
ESTOU PRECISANDO DE SÓCIO PARA PRODUZIR E FORNECER ESSES MODELOS INTERNACIONALMENTE.
São os núcleos de isótopos estáveis dos elementos atômicos do H ao Pu. Ainda não tirei a patente a produção desses modelos.
A seguir o convite que estou a fazer aos cientistas brasileiros.

Eu conheço a admiração que os senhores têm pelo Einstein e pelas demais estrelas sagradas da Física.
Eu sinto muito. Contudo sou obrigado a enfrentar o senhor e os outros 300 000 físicos e cientistas do planeta Terra e lhes dizer que esse cientista cometeu erros conceituais, na Física, gravíssimos. Erros que estão a atrasar a Física, Química, Biologia, Biofísica, Bioquímica, Farmácia, Medicina, e as demais ciências, por mais de 60 anos.
Digo e provo.
Desenvolvi estudos, pesquisas, conhecimentos, descobertas, científicos que provam ser essa a realidade.
O senhores deviam ser mais cuidadosos em aceitar os conceitos científicos.
A seguir segue o convite que estou enviando aos cientistas brasileiros.
Já tem gente boa trabalhando no mutirão. Estão calados.
Nào fique para trás.
ESTIMADOS SENHORES
AS LIGAÇÕES QUÍMICAS ACONTECEM TAMBÉM MOTIVADAS POR EMISSÕES E ATRAÇÕES GRAVITACIONAIS DOS ELEMENTOS ATÔMICOS.
AS ATIVIDADES BIOQUÍMICAS ASSIM FICAM EXPLICADAS.
LEIA E CONHEÇA NOSSAS DESCOBERTAS. PARTICIPE
CONVITE PARA MUTIRÃO CIENTÍFICO

Objetiva a correção de errados conceitos básicos da Física e da Química, os quais estão a atrasar essas e as outras ciências por mais de 50 anos.



Ilustríssimo senhor

Por este e-mail o convidamos à participação do mutirão.

Vamos explicar.

Para que o senhor possa compreender o porque de um mutirão com esses objetivos antes tenho de lhe apresentar o trabalho de minha autoria e denominado de Teoria Geral Básica de Física e Química.

Para que o senhor se interesse, e se disponha a ler meu convite, a seguir, vou apresentar os temas, conceitos, e inéditas descobertas, as quais são apresentadas nessa obra.


INÉDITAS DESCOBERTAS AS QUAIS FAZEM PARTE DA CÓPIA DA SÍNTESE DA TEORIA GERAL BÁSICA DE FÍSICA E QUÍMICA - TGBFQ

Estes estudos apresentam a teoria da unificação a qual Einstein procurava pouco antes de sua morte.
Contrariando os prognósticos é uma teoria mecanicista. É apresentada e defendida com desenhos geométricos.

Aviso- Na cópia da síntese da TGBFQ temos muitos desenhos os quais atrasam a abertura das páginas. Tenha paciência. A síntese só tem 28 páginas. Não altere a configuração das páginas para não deslocar os desenhos dos correspondentes assuntos.



É IMPORTANTE lhe narrar que com estes estudos montamos os núcleos (de isótopos estáveis) dos elementos atômicos do H ao Pu. Quando posicionamos, segundo regras corretas, os prótons e nêutrons nos respectivos núcleos. Trabalho que fizemos em desenhos e em modelos.

Com esses modelos dos núcleos dos elementos atômicos iniciamos uma verdadeira QUÍMICA NUCLEAR.



Esta obra divide as ocorrências da existência em duas naturezas. Explica as bases da natureza material e apresenta a existência de fatos prefisicos.



SOBRE AS ONDAS ELETROMAGNÉTICAS. Importantíssimas novidades. Como nascem, do que são, porque são senoidais. Explica importantes diferenças existentes entre as irradiações que são denominadas de eletromagnéticas.

Explica que raios possuem constituições diferentes ,das ondas de luz, e etc....., Explica as diferenças. Abre novo caminho à ampla utilização.

Explica como ondas, e raios, são constituídas e geradas.



ENERGIA. Pela primeira vez é realizado um estudo que considera a existência de um sistema unitário de energia. Nesse estudo apresentamos o modelo da unidade desse sistema: como nasce; do que é constituído; suas atividades e faculdades físicas.

O valor da unidade do sistema de energia é o da constante de Planck.



PARTÍCULAS ATÔMICAS. Apresentamos os sistemas que combinados formam as partículas atômicas; as forças que agregam esses sistemas.

Apresentamos os modelos das partículas: do próton, do elétron, e do nêutron; como se desenvolvem as relações entre os prótons e os elétrons.

Explicamos as atividades que as diferentes partículas desenvolvem. Demonstramos em desenhos quais as diferenças entre um próton e um nêutron. Mostramos porque um nêutron se transforma em um próton um elétron, e um antineutrino.



GRAVIDADE. Ao explicarmos, as relações entre os elétrons e prótons, apresentamos as origens da força gravitacional.

Assim explicamos as origens e meios de propagação das forças gravitacionais quando estabelecemos as relações existentes entre a gravidade e o eletromagnetismo. Os senhores sabem que se trata de conhecimento muito procurado por Einstein.

Usando desses conhecimentos explicamos porque átomos de massas elevadas são gases e nobres; conhecimentos também usados para explicar porque determinadas moléculas constituídas de átomos sólidos são gases.



LIGAÇÕES QUÍMICAS. Rejeitamos por ser incompleto o atual conceito que explica as ligações químicas. Apresentamos nova e geral conceituação. Para as ligações químicas é suficiente uma única e simples explicação

Mostramos que nas ligações, além dos átomos compartilharem elétrons, elas acontecem em razão de relações gravitacionais. Relações nas quais os átomos segundo suas naturezas desenvolvem emissões e, ou, atrações de sistemas menores (os quais desenvolvem as forças gravitacionais).



VALÊNCIAS. Explicamos o porque das múltiplas valências de muitos dos elementos atômicos.



OS ÁTOMOS- Toda a obra, de forma geral, é inédita. Contudo com nossa simplicidade estamos a mostrar para os cientistas da Terra como são os átomos dos diferentes elementos atômicos.

Apresentamos do que são constituídos; seus núcleos; as partículas; as relações entre as partículas; as respectivas irradiações que erradamente generalizam como eletromagnéticas.

Apresentamos as emissões e atrações dos sistemas gravitacionais; apresentamos as forças que condicionam os fatos gravitacionais e eletromagnéticos.



Núcleos Atômicos- Na cópia da síntese que lhes enviamos apresentamos apenas alguns modelos. Contudo suficientes para que conheçam o acerto do trabalho.

Montamos com pequenos cubos representativos de prótons e nêutrons os modelos do H ao Pu os quais podem ser exibidos para os que se interessarem.



ESTUDOS ELETROSTÁTICOS. Apresentamos estudo sobre a água. Apresentamos as possíveis ligações dos átomos de 0 com os átomos de H na formação da molécula de água.

As gotas de água - pequenas pilhas. Esclarecemos como composições moleculares de água podem armazenar elétrons. Assim explicamos porque elas, nas nuvens, funcionam como pequenas pilhas. Acabamos com o mistério que ainda envolve as produções dos raios atmosféricos.



Apresentamos ligeira opinião sobre o uso da química à produção de geradores de eletricidade.

Esses estudos são abordados em uma síntese ZIP.A qual tem uns 260KB. Assim, neste e-mail, apenas lhe proporciono uma idéia da obra.



OBSERVAÇÕES: Como o senhor sabe a Física atual ainda não conseguiu compreender:

Como os prótons se juntam nos núcleos atômicos. Não tem os modelos desses núcleos.

Os cientistas não sabem que meios a força gravitacional usa para se propagar nem do que é constituída.

Não têm conhecimentos corretos sobre as ondas eletromagnéticas, e etc., etc..

Assim a física é uma ciência a qual ainda não conhece as bases da natureza a qual se dedica.



Por esse motivo o senhor deve estar surpreso.

De repente. Chega um e-mail lhe narrando que todas essas questões foram elucidadas.

Eu sei que não dá para o senhor acreditar.

Porém leia na integra este e-mail e depois a cópia Zip da síntese da TGBFQ que vamos lhe enviar e vai verificar que se trata de realidade.

É um trabalho que modifica alguns conceitos básicos dos fenômenos físicos e proporciona novas bases à química.

O fato é que vamos ter que fazer muitas alterações. Principalmente na Física Nuclear. Nessa área muitos conceitos e atividades devem ser revistos.



Foi por esse motivo que estes estudos ganharam o nome de TEORIA GERAL BÁSICA DE FÍSICA E DE QUÍMICA. As bases científicas da obra foram registradas em cartório de registro de títulos e documentos desde 1992.



É óbvio. Dada a importância destes estudos estamos enviando e-mails para muitíssimas universidades. Igualmente para catedráticos e pesquisadores, de física, química, biologia, e outras ciências.

Estes estudos merecem e vão me possibilitar ganhar o Nobel de Física e o de Química.

Assim deve ser porque possibilitam explicações gerais aos fenômenos físicos e químicos.

Eu pretendo repartir metade de minha futura premeação aos que comigo colaborarem.

Contudo só aceitarei colaborações no máximo até o final deste ano de 2002.

Como autor da teoria básica serei eu quem vai decidir quais serão os trabalhos que merecerão ser adicionados à TEORIA GERAL BÁSICA DE FÍSICA E DE QUÍMICA.



Mais informações sobre o assunto consultem meu e-mail.

Agora, em razão desta lista de itens que estou lhe apresentando, e que a teoria aborda; e depois quando tiver considerado a síntese da TGBFQ que vou lhe enviar: o senhor poderá decidir se deseja participar do mutirão.

Meu e-mail é jcfc@twister.com.br Meu telefone é 037 3351 3086.

Quando no e-mail deverá fornecer seus dados pessoais.



A SEGUIR VOU EXPLICAR.

Não sou conhecido, sou bem brasileiro (descendeste de espanhóis e portugueses os quais não possuem tradição de cientistas). Todavia consegui o que os das nações desenvolvidas gastando fortunas fabulosas, super bajulados, e outros não conseguiram. Na verdade a ciência não tem donos.

Antes de desprezar este convite se recorde que a teoria de Aristóteles segundo a qual o Universo era constituido de agua, fogo,terra, e ar,atrapalhou o progresso da ciência por milhares de anos.

O mesmo está acontecendo em razão de algumas deduções precipitadas de Einstein e dos físicos de sua época.

Não lhe dará muito trabalho ler os estudos. Depois ficará feliz por se livrar de conceitos errados..



Eu sei que os senhores sentir-se-ão agredidos. Na atualidade todos os profissionais dessas ciências consideram absurda e impossível a simples idéia de que alguém consiga fazer as descobertas que fiz.

O fato é que vai achar que eu sou um doido.... Assim, surpreso, vai pensar...!!! não acredito..esse homem é um mentiroso; ou então um bobalhão que pensa ter feito essas descobertas..não deve ter conseguido nada disso.. deve estar a apresentar um bando de tolices sem nexo.!!!

O senhor também vai me considerar pretensioso. Pensará.. "Quem esse sujeitinho pensa que é? "que idiota" "se acredita portador de conhecimentos capazes de corrigir os conceitos das estrelas sagradas da física".

Vou narrar como consegui esses resultados. Meu sucesso foi apenas porque segui desde o início caminhos diferentes dos demais milhares de cientistas. Só isso. Qualquer outro que tivesse trilhado o mesmo caminho teria feito as descobertas que fiz.



Por todos esses motivos é de bom alvitre que o senhor leia e considere este e-mail. Assim procedendo constatará que são conhecimentos os quais, além do mais, lhe serão úteis nas pesquisas, desenvolvimentos tecnológicos, e defesas de teses.

Eu sei que os profissionais estão cansados de lerem porcarias. Sei que ficará em dúvida quanto á atitude a tomar.

Estimado senhor este será o primeiro e-mail que lhe envio. Depois tentarei lhe remeter a cópia, zip, da síntese da TGBFQ.

Todavia sei que nem todos os correios recebem os 250KB da mensagem.

Nesse caso lhe enviarei apenas o convite com os temas que a teoria aborda.

Caso esteja nessa situação me envie um e-mail que possa receber a mensagem completa e eu lhe enviarei o restante da mensagem..



As ciências de forma geral estão à espera deste salto sobre paradigmas que estão a barrar o progresso científico.

Faz tempo os biólogos, estão por conhecer qual a natureza que aciona às cópias genéticas. Os médicos idem por conhecer o que faz um leucócito se encaminhar e fagocitar um vírus.

Todos esses problemas resultaram de algumas deduções simplórias de alguns físicos do passado.

É incrível como centenas de milhares de homens e mulheres inteligentíssimos ainda não se aperceberam das tolices que estão a engolir.

Nós precisamos de tecnologia para proporcionar vida digna e melhor para todos os terrestres.

Vamos construir uma civilização digna de seres humanos.

Estou à disposição. INCLUSIVE PARA DEBATES.

Abraços amigos. Atenciosamente. José Carlos Franco de Carvalho

Rua Israel Pinheiro 152 - Arcos - Minas Gerais - Tf. 3351 3086 - jcfc@twister.com.br



==============================



[]'

Léo









ACEITE NOSSO CONVITE


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/05/2002 23:12

Olá Welington, Colucci, e demais

Infelizmente terei que deixar a observação do alinhamento para daqui
a 70 anos. Talvez com um dieta rica em fibras e caminhadas diárias eu
chegue lá. :-) Já é domingo a noite e as crianças estão dormindo.
Moro num apartamento e só consigo ver um pequeno pedaço do céu, ao
sul. Mesmo assim, desse pequeno terraço e sem nenhum instrumento
podemos fazer algumas observações interessantes. A estação espacial
já passou por aqui e meu filho já consegue identificar o cruzeiro,
orion e o centauro.

Tudo isso deve mudar em breve, pois estou de mudança para o interior
de São Paulo. Quem sabe dará para montar uma oficina a la Leo, como
sugeriu o Takata, mas com certeza não faltará um telescópio para as
observações astronômicas. Meu pai tem um refrator de 10 ou 12
centímetros que está embolorando no sítio. É um instrumento de
qualidade, fabricado no EUA nos anos 40 ou 50. Bem melhor do que
essas porcarias que vendem nas lojas do Brasil - passe longe desses
instrumentos vendidos nas fototicas da vida, que prometem aumentos
mirabolantes em instrumentos pequenos. O aumento máximo real depende
do diâmetro do equipamento. Por exemplo, o refrator de meu pai tem um
aumento máximo de 200 X - produtivo apenas em dias muito bons, senão
a imagem fica embaçada. em geral é melhor usar um aumento menor do
que o máximo, para uma qualidade de imagem ótima. Já vi anunciarem
aumentos do 600 X em equipamentos metade do tamanho, e até já comprei
um, apenas para montar, testar e devolver à loja - o que se vê
através de um desses aparelhos é apenas um borrão enorme.

Quanto aos binóculos, tenho minhas ressalvas - podem ser frustantes
para quem não tem a mão firme. Mas com a mão firme, de preferencia
deitado no chão, dá prá ver as 4 luas galileanas de júpiter e o anel
de saturno. Esse eu vi deitado, com um binóculo 16 x 30, na serra
fina. Mas o 7 x 50 zeiss realmente é o mais indicado. Treme menos é
dá um céu vivo e brilhante, principalmente longe das cidades. Se for
partir para um telescópio é fundamental que o mesmo tenha montagem
equatorial para acompanhar a rotação da terra. Há muitos anos atrás,
mandei o refrator de meu pai para uma restauração completa num
sujeito de São Paulo, da vila olimpia ou itaim, um homem já de alguma
idade e que construia belos refletores de 20 cm artesanais com todo o
mecanismo equatorial. Infelizmente não lembro mais seu nome, nem se
está vivo. Inclusive ele restaurou todo o mecanismo equatorial e
entregou o aparelho com oculares novas.

Algumas observações formidáveis que já fiz, a olho nu: a lua vermelha
como um balão de são joão, durante um eclipse total da lua. Deve ser
a tal "lua sangrenta" da história. Impressionante. O saco de carvão
do cruzeiro do sul - vi muito poucas vezes, em especial numa noite
de julho sem lua no planalto de itatiaia - é uma região de poeira
interestelar que se nota apenas em noites muito escuras e estreladas.
Uma vez vi também uma mancha solar a olho nu, durante um por do sol,
há mais de 20 anos pelo menos. Mas não é uma prática muito saudável,
pode ferir a retina. O cometa Halle-Bopp nítido mesmo na noite super-
iluminada de Paris. A super-nova de shelton (era esse o nome?) que
durou um ano no final dos anos 80. Várias estrelas cadentes de
diversa cores e intensidades. (Mas nunca vi uma "chuva"). Maior
decepção: O cometa Haley, aguardado com tanta ansiedade na minha
infância.

Infelizmente quem mora nas grandes cidades vê cada vez menos o céu, e
esses relatos podem até parecer exagerados. Morar em São Paulo é
quase tão bom para observar o céu quanto morar no planeta Vênus. :-)

Por enquanto a sessão nostalgia fica por aqui

[]´s

André




SUBJECT: Re: Fw: Estimado senhor ter os direitos autorais de Feira de Ciências lhe impõem grande responsabilidade
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/05/2002 08:15

--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Para todos!

Nada novo sob o sol. Alias, e' o mesmo cara
q. pintou la' na QMCWeb conforme indicacao
do Brudna em outra mensagem:

http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/14276

Eu desejo boa sorte ao gajo.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Fw: Estimado senhor...
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 09:54

----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto"
To: "ciencialist"
Sent: Sunday, May 12, 2002 6:56 PM
Subject: [ciencialist] Fw: Estimado senhor ter os direitos autorais de Feira
de Ciências lhe impõem grande responsabilidade

> De: jcfc
> Para: "Luiz Ferraz Netto"
> Enviada em: domingo, 12 de maio de 2002 08:41
> Assunto: Estimado senhor ter os direitos autorais de Feira de Ciências lhe
> impõem grande responsabilidade

> Meu senhor eu consegui inéditas descobertas de Física e de Química.

Pô, a minha teoria nem chegou a emplacar e esses caras já vem com outras
heresias? Assim não vale. Retiro minhas bolinhas elementares de campo. ;-))

PS.: Esse cara pega pesado. Acho que o índice crackpot dele ganha do meu em
disparada.

Para quem não sabe o que é e/ou como calcular o índice crackpot (ou índice
de incredibilidade, segundo o Takata) de um cientista herege convido a que
visitem a página http://ecientificocultural.com/ECC2/Dialogos/pot.htm

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: [ciencialist] Fw: Golpe de aríete
FROM: "Mauro" <bombaspr@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 10:01

Olá Leo.


[...]e o texto sobre o carneiro hidráulico? Já está passando da hora da tossagem!



De fato houve um pequeno probleminha (uma falha minha, confesso) em enviar o e-mail. Mas postei para vc no dia 18/04 um artigo q a revista Globo Rural gentilmente me enviou pelo correio. Achei interessante a montagem simples do equipamento, principalmente por utilizar peças encontradas no mercado, por isso daria inclusive para se fazer projetos para feiras de ciências ;-)

Estou retransmitindo agora para seu end. particular (visto q na lista ñ se pode enviar anexo). Gostaria q confirmasse, porem, se o seu end. é leo@barretos.com.br .




Quantos carneiros (e de que raça) são necessários prender na alavanca que gira a roda d'água para puxar a água do rio com vazão de 100 m^3/min?



Hehe.. Mas se quiser saber alguma coisa de rodas poderá verificar em http://www.rochfer.com.br/ [em http://www.rochfer.com.br/manual.pdf encontrará os dados técnicos]. Caso necessite de mais alguma informação ñ hesite em pedir.



Agora, qto ao q o Reinaldo está pedindo, ou muito estou enganado, ou o q ele quer é montar um moto-contínuo (aliás, qual a diferença entre moto-contínuo e moto-perpétuo?), bem, sendo isso me recuso a perder meu tempo, pela enésima vez, diga-se de passagem.



Inté+

Mauro



===============
-----Mensagem Original-----
De: "rfaquino" <rfaquino@bol.com.br>
Para: <leo@barretos.com.br>
Enviada em: domingo, 12 de maio de 2002 15:39
Assunto: Golpe de aríete


Olá Prof. Luiz Ferraz Netto, me chamo Reinaldo Freitas
Aquino e sou aluno de graduação do curso de Engenharia
Agrícola na Universidade Federal de Lavras. Atualmente
trabalho com iniciação cientifíca na parte de Hidraúlica
e estou montando um projeto relacionando a eficiência da
utilização de uma roda d'água juntamente com um
carneiro hidraulico. Vi sua pesquisa na pagina da feira
de ciências sobre "Golpe de aríete (carneiro
hidráulico)" e gostaria de saber se o prof. não teria ou
poderia indicar outras publicações sobre este assunto.
Desde já muito obrigado. Atenciosamente;

Reinaldo F. Aquino





[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Fw: Golpe de aríete
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 12:02

Olá Mauro,

Não recebi esse seu anexo em 18/04!
Meu endereço é esse mesmo: leo@barretos.com.br

Fico no suspense.
[]'
Léo
=============
-----Mensagem Original-----
De: "Mauro" <bombaspr@uol.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: segunda-feira, 13 de maio de 2002 10:01
Assunto: Re: [ciencialist] Fw: Golpe de aríete


Olá Leo.


[...]e o texto sobre o carneiro hidráulico? Já está passando da hora da tossagem!



De fato houve um pequeno probleminha (uma falha minha, confesso) em enviar o e-mail. Mas postei para vc no dia 18/04 um artigo q a revista Globo Rural gentilmente me enviou pelo correio. Achei interessante a montagem simples do equipamento, principalmente por utilizar peças encontradas no mercado, por isso daria inclusive para se fazer projetos para feiras de ciências ;-)

Estou retransmitindo agora para seu end. particular (visto q na lista ñ se pode enviar anexo). Gostaria q confirmasse, porem, se o seu end. é leo@barretos.com.br .




Quantos carneiros (e de que raça) são necessários prender na alavanca que gira a roda d'água para puxar a água do rio com vazão de 100 m^3/min?



Hehe.. Mas se quiser saber alguma coisa de rodas poderá verificar em http://www.rochfer.com.br/ [em http://www.rochfer.com.br/manual.pdf encontrará os dados técnicos]. Caso necessite de mais alguma informação ñ hesite em pedir.



Agora, qto ao q o Reinaldo está pedindo, ou muito estou enganado, ou o q ele quer é montar um moto-contínuo (aliás, qual a diferença entre moto-contínuo e moto-perpétuo?), bem, sendo isso me recuso a perder meu tempo, pela enésima vez, diga-se de passagem.



Inté+

Mauro



===============
-----Mensagem Original-----
De: "rfaquino" <rfaquino@bol.com.br>
Para: <leo@barretos.com.br>
Enviada em: domingo, 12 de maio de 2002 15:39
Assunto: Golpe de aríete


Olá Prof. Luiz Ferraz Netto, me chamo Reinaldo Freitas
Aquino e sou aluno de graduação do curso de Engenharia
Agrícola na Universidade Federal de Lavras. Atualmente
trabalho com iniciação cientifíca na parte de Hidraúlica
e estou montando um projeto relacionando a eficiência da
utilização de uma roda d'água juntamente com um
carneiro hidraulico. Vi sua pesquisa na pagina da feira
de ciências sobre "Golpe de aríete (carneiro
hidráulico)" e gostaria de saber se o prof. não teria ou
poderia indicar outras publicações sobre este assunto.
Desde já muito obrigado. Atenciosamente;

Reinaldo F. Aquino





[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Fw: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 12:04

Por que não recebi essa mensagem na pasta do Ciencialist? Bolas!

[]'
Léo
=========
-----Mensagem Original-----
De: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quinta-feira, 9 de maio de 2002 12:41
Assunto: Re: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.


Olá Colucci,

espero até agosto sem problema, afinal, já fiquei 60 anos sem ter esse brinquedinho e mais alguns meses não vai matar ninguém:-) (espero!)
Entretanto, ao comprá-lo, por gentileza, abra o pacote e teste o funcionamento do aparelho na própria loja pois, se eu não conseguir fazê-lo funcionar pelo menos terei a informação de que vc viu o bichinho levitar! Pergunte ao vendedor se o aparelho terá algum enjôo ao viajar de avião (em outras palavras, será que o aparelho está projetado para funcionar apenas no hemisfério norte?).
O cuidado procede pois, uma vez lá no CPT do Objetivo, compramos uma leva de bússolas 'estrangeiras' e o equilíbrio da agulha havia sido feito para a declinação magnética local de modo que, ao tentar usá-las em São Paulo, a agulha ficava raspando no fundo da caixa ... inoperante! Veja se há alguma advertência na caixa do Levitron para algum desses fatores adversos ao funcionamento em outro lugar (hemisfério, declinação, inclinação, povo atrasado, influência da Lua etc.)
Quando vc chegar ao Brasil ... $$$

aquele abraço,

Léo
PS: Ao Takata. Grato pelas colaborações.
===================================
============
-----Mensagem Original-----
De: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quarta-feira, 8 de maio de 2002 20:42
Assunto: RE: [ciencialist] Re: Levitron ... Colucci.


>Léo: Realmente estou a muito tempo interessado nesse Levitron (ou seu
irmão mais novo, o Perpetuator, cuja 'foto' já tenho). Há na construção
desse brinquedinho um equilíbrio/ distribuição de massas muito crítico,
dificil de se fazer aqui no meu laboratório (não tanto pelo super-ímã,
tenho vários exemplares deles, que obtive lá no IPT-USP). É um
experimento de levitação empolgante!<

Respondi em PVT, mas acho que você não recebeu. Pode escolher o tal do
Levitron pela Internet que no resto nós damos um jeito. Se você não se
incomodar em esperar posso até levá-lo pessoalmente, pois vou para o
Brasil em agosto.

Colucci

PS: Me ensina esse truque de transmitir informação sem energia. Só para
enviar esta mensagem gastei vários "quanta" :)




&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: Re: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "Wellington Nogueira" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 13:18

Monge,

É, farei uma pesquisa sobre esse binóculo. Tenho que aproveitar o céu claro
do interior. :)
Obrigado.

[ ]'s
Wellington Nogueira - Física/Unesp
"Todo o conhecimento acadêmico deve ser usado para transformar a realidade"
Fidel Castro

----- Original Message -----
From: monge_ateu <monge_ateu@terra.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Saturday, May 11, 2002 6:08 PM
Subject: RE: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!


> Binóculo 7 x 50, de preferência marca Zeiss. Você vai precisar apoiar o
> binóculo numa quina de parede, poste ou carro, senão treme muito.
>
> Luneta e telescópio, só depois. Limitam muito o campo, você não vai
> gostar. A não ser que vc possa comprar um telescópio do tamanho daquele
> do Monte Palomar. :-)
> --
> Monge Ateu
>
>




SUBJECT: Re: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "Wellington Nogueira" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 13:30

Olá Colucci,

----- Original Message -----
From: Jose Colucci Jr. <j.colucci@rcn.com>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Saturday, May 11, 2002 9:40 PM
Subject: RE: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!


> >Wellington Nogueira: Se os apaixonados observadores puderem recomendar
> alguma especificação de telescópio e/ou binóculo para quem quer se
> aprofundar nas observações das estrelas, ficaria muito grato.>
>
>
> Wellington,
>
> O fator que mais influencia a qualidade das observações astronômicas é o
> local. Num bom local, com ar limpo e sem muita poluição luminosa, você
> verá mais estrelas do que com o melhor telescópio num local inadequado.
> Os gregos sabiam que Saturno tinha anéis muito antes da invenção do
> telescópio.

Nesse aspecto eu tenho vantagem. Aqui em Guaratinguetá, não temos poluição
luminosa. Certa vez, quando voltava de uma cidade rural que é vizinha daqui,
fiquei bobo de ver tamanha quantidade de estrelas.

>
> Dizem os astrônomos que o melhor primeiro telescópio é um binóculo,
> considerando que muitas constelações são grandes demais para serem
> vistas com um telescópio. É preciso deitar na grama num dia de verão e
> olhar o céu com um bom binóculo para entender. Um tamanho apropriado
> para astronomia é 7x50. O primeiro número é o aumento e o segundo o
> diâmetro da objetiva. Um número mais alto indica maior capacidade de
> concentrar luz. Qualquer binóculo moderno de boa marca é muito superior
> ao telescópio que Galileu usou para suas observações.

Legal. Parece que o binóculo é o que eu quero: algo não muito "avançado" e
"iniciante", mas que dê para ver satélites de outros planetas, a Lua e
outros astros próximos.

>
> Achar um telescópio já é mais complicado. As pequenas lunetas
> (refratores) vendidos nas lojas de óptica são inúteis. Um telescópio
> refletor de tamanho adequado, com montagem equatorial, é caro demais.

Já procurei nessas lojas de óptica e fotografia. Quase comprei... :P

> A solução, se você está mesmo querendo encarar o hobby com seriedade, é
> construir seu próprio telescópio (ver link).

Seria bem interessante. Vou dar uma olhada na net. Achei uma página
interessante: www.astronomos.com.br


> Quando eu morava no Brasil tinha um sujeito em São Carlos (SP) que
> fabricava espelhos para vender. Não era muito caro. Alguém da lista deve
> saber onde conseguir espelhos no Brasil. Nos EUA, o custo das peças para
> fabricar um telescópio refletor com espelho de 8 polegadas e montagem
> dobsoniana é cerca de 400 dólares.
>
> Uma alternativa interessante é a fotografia astronômica. Para isso basta
> uma câmera de 35 mm mecânica. Tem que ser mecânica, daquelas da década
> de 70 (Olympus OM-1, Nikkormat, Pentax). A bateria das câmeras modernas
> não aguenta os longos tempos de exposição. Você precisa construir um
> acessório chamado em inglês de "barn door tracker". Há vários websites
> explicando como construí-lo. Não é necessário que seja motorizado. Já vi
> fotos excelentes feitas com um modelo ajustável manualmente.
>
> Só para você ver até onde pode chegar o fanatismo dos amadores
> americanos, botei o link para o website de um deles abaixo.

Obrigado mesmo. :)

>
> Um abraço,
>
> Colucci
>
> Construindo telescópios (em português):
> http://sites.uol.com.br/telescopios/colimacao.html
>
> Building a dobsonian telescope
> http://members.aol.com/sfsidewalk/cdobplans.htm
>
> Building a barn door tracker
> http://www.astronomyboy.com/barndoor/
>
> Brian Lula (advanced amateur):
> http://www.heavensgloryobservatory.com/

[ ]'s
Wellington Nogueira - Física/Unesp
"Todo o conhecimento acadêmico deve ser usado para transformar a realidade"
Fidel Castro



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "Wellington Nogueira" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 13:42

Olá André,

Fiquei interessado nesse binóculo Zeiss 7x50, todos estão falando bem.
Provavelmente esse alinhamento eu só verei com os meus 89 anos..., mas não
tem importância, não estou com pressa mesmo. :)

Obrigado pelas dicas. Espero que em breve você volte a fazer suas
observações.

[ ]'s
Wellington Nogueira - Física/Unesp
"Todo o conhecimento acadêmico deve ser usado para transformar a realidade"
Fidel Castro


----- Original Message -----
From: andrediasbaptista <andrebaptista@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Sunday, May 12, 2002 11:12 PM
Subject: [ciencialist] Re: Ora (direis) ouvir estrelas!


> Olá Welington, Colucci, e demais
>

> Tudo isso deve mudar em breve, pois estou de mudança para o interior
> de São Paulo. Quem sabe dará para montar uma oficina a la Leo, como
> sugeriu o Takata, mas com certeza não faltará um telescópio para as
> observações astronômicas. Meu pai tem um refrator de 10 ou 12
> centímetros que está embolorando no sítio. É um instrumento de
> qualidade, fabricado no EUA nos anos 40 ou 50. Bem melhor do que
> essas porcarias que vendem nas lojas do Brasil - passe longe desses
> instrumentos vendidos nas fototicas da vida, que prometem aumentos
> mirabolantes em instrumentos pequenos. O aumento máximo real depende
> do diâmetro do equipamento. Por exemplo, o refrator de meu pai tem um
> aumento máximo de 200 X - produtivo apenas em dias muito bons, senão
> a imagem fica embaçada. em geral é melhor usar um aumento menor do
> que o máximo, para uma qualidade de imagem ótima. Já vi anunciarem
> aumentos do 600 X em equipamentos metade do tamanho, e até já comprei
> um, apenas para montar, testar e devolver à loja - o que se vê
> através de um desses aparelhos é apenas um borrão enorme.
>

> Quanto aos binóculos, tenho minhas ressalvas - podem ser frustantes
> para quem não tem a mão firme. Mas com a mão firme, de preferencia
> deitado no chão, dá prá ver as 4 luas galileanas de júpiter e o anel
> de saturno. Esse eu vi deitado, com um binóculo 16 x 30, na serra
> fina. Mas o 7 x 50 zeiss realmente é o mais indicado. Treme menos é
> dá um céu vivo e brilhante, principalmente longe das cidades. Se for
> partir para um telescópio é fundamental que o mesmo tenha montagem
> equatorial para acompanhar a rotação da terra.

> Infelizmente quem mora nas grandes cidades vê cada vez menos o céu, e
> esses relatos podem até parecer exagerados. Morar em São Paulo é
> quase tão bom para observar o céu quanto morar no planeta Vênus. :-)
>
> Por enquanto a sessão nostalgia fica por aqui
>
> []´s
>
> André
>




SUBJECT: Livro - Historia das Ciencias
FROM: "Wellington Nogueira" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 13:53

Olá Pessoal,

Vocês conhecem algum livro sobre a História das Ciências, de preferência
volume único? Estava procurando um livro que mostrasse os primeiros
filósofos naturais (início da física e outras ciências), depois a evolução
das idéias até chegarem aos dias de hoje.

Estava procurando no submarino, e vi este:

"História Ilustrada da Ciência: Oriente, Roma e Idade Média" COLIN A. RONAN
sendo este um dos quatro volumes. Conhecem? Existem melhores?

[ ]'s
Wellington Nogueira - Física/Unesp
"Todo o conhecimento acadêmico deve ser usado para transformar a realidade"
Fidel Castro





SUBJECT: Fw: arietes hidraulicos
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 14:13

Do Chile para o Léo ... e para 'apertar' o homem das bombas!
[]'
Léo
==============
-----Mensagem Original-----
De: "Leodan Moreno" <leodanmoreno@hotmail.com>
Para: <leo@barretos.com.br>
Enviada em: segunda-feira, 13 de maio de 2002 13:40


| soy estudiante de la Universidad Austral de Chile, quiero solicitar si es
| posible informacion de arietes hidraulicos. ya que en estos momentos estoy
| cursando una asignatura de proyectos mecánicos, en la cual debo proyector un
| ariete hidraulico que cumpla con las siguientes condiciones:
| altura de carga 1m
| altura de impulsion 25 m
| potencia util 0,75 kw
| mi mayor complejidad es como obtener rendimiento, ya que cuento solo con
| bibliografía antigua, cualquier informacion que pudiesen enviar se los
| agradecería enormemente.
|
| _________________________________________________________________
| MSN Photos es la manera más sencilla de compartir e imprimir sus fotos:
| http://photos.msn.com/support/worldwide.aspx
|



SUBJECT: Re: [ciencialist] Livro - Historia das Ciencias
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 14:38

----- Original Message -----
From: "Wellington Nogueira"
Sent: Monday, May 13, 2002 1:53 PM
Subject: [ciencialist] Livro - Historia das Ciencias

> Olá Pessoal,
> Vocês conhecem algum livro sobre a História das Ciências, de preferência
> volume único? Estava procurando um livro que mostrasse os primeiros
> filósofos naturais (início da física e outras ciências), depois a evolução
> das idéias até chegarem aos dias de hoje.

Se servir em inglês sugiro

A History of Science (txt) - Henry Smith Williams
· Volume 1: The beginnings of science
· Volume 2: The beginnings of modern science
· Volume 3: Modern development of the physical sciences
· Volume 4: Modern development of the chemical and biological
sciences

Você pode adquirir gratuitamente os quatro volumes (txt) em Project
Gutenberg: http://promo.net/pg/

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm



SUBJECT: Re: [ciencialist] Fw: arietes hidraulicos
FROM: "Mauro" <bombaspr@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 15:19

Léo.

Há algo de errado?
Eu lhe enviei o e-mail hj as 10:03. Vc ñ teria outro endereço para q eu possa tentar novamente?

Qto a dúvida abaixo vou *tentar* enviar outro prospecto para o leo@barretos.com.br com as devidas explicações.
Em todo caso, a proporção 1:25 ñ é recomendada, e na prática ñ funcionará.

Dependendo do fabricante do equipamento ele nem recomenda a instalação com queda inferior a 2m e proporções superiores a 1:8.

Os rendimentos são relacionados a queda/elevação.

Proporção Aproveitamento.
1:2 0,84
1:3 0,80
1:4 0,76
1:5 0,72
1:6 0,67
1:7 0,62
1:8 0,56
1:9 0,50
1:10 0,43


Inté+
Mauro
----- Original Message -----
From: Luiz Ferraz Netto
To: ciencialist
Sent: Monday, May 13, 2002 2:13 PM
Subject: [ciencialist] Fw: arietes hidraulicos


Do Chile para o Léo ... e para 'apertar' o homem das bombas!
[]'
Léo
==============
-----Mensagem Original-----
De: "Leodan Moreno" <leodanmoreno@hotmail.com>
Para: <leo@barretos.com.br>
Enviada em: segunda-feira, 13 de maio de 2002 13:40


| soy estudiante de la Universidad Austral de Chile, quiero solicitar si es
| posible informacion de arietes hidraulicos. ya que en estos momentos estoy
| cursando una asignatura de proyectos mecánicos, en la cual debo proyector un
| ariete hidraulico que cumpla con las siguientes condiciones:
| altura de carga 1m
| altura de impulsion 25 m
| potencia util 0,75 kw
| mi mayor complejidad es como obtener rendimiento, ya que cuento solo con
| bibliografía antigua, cualquier informacion que pudiesen enviar se los
| agradecería enormemente.
|
| _________________________________________________________________
| MSN Photos es la manera más sencilla de compartir e imprimir sus fotos:
| http://photos.msn.com/support/worldwide.aspx
|


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: RE: [ciencialist] Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/05/2002 22:41

>Monge Ateu: Binóculo 7 x 50, de preferência marca Zeiss. Você vai
precisar apoiar o binóculo numa quina de parede, poste ou carro, senão
treme muito.<

>Andre Dias Baptista: Quanto aos binóculos, tenho minhas ressalvas -
podem ser frustantes para quem não tem a mão firme. Mas com a mão firme,
de preferencia deitado no chão, dá prá ver as 4 luas galileanas de
júpiter e o anel de saturno. Esse eu vi deitado, com um binóculo 16 x
30, na serra fina. Mas o 7 x 50 zeiss realmente é o mais indicado. Treme
menos é dá um céu vivo e brilhante, principalmente longe das cidades.<

>Wellington Nogueira: Fiquei interessado nesse binóculo Zeiss 7x50,
todos estão falando bem. Provavelmente esse alinhamento eu só verei com
os meus 89 anos..., mas não tem importância, não estou com pressa mesmo.
:)<


Oi Wellington,

Tomarei a liberdade de discordar dos conselhos que você recebeu do Monge
Ateu e do Andre quanto à marca do binóculo. Sem dúvida os aparelhos
ópticos da Zeiss são de excelente qualidade, mas custam caro demais para
o amador. Seria como dizer que para aprender a tocar violino é preciso
comprar um instrumento italiano fabricado em Cremona. Uma espécie de
pedantismo tecnológico.

Possuo um binóculo Nikon, que custa a metade do preço do Zeiss, e duvido
que a maioria dos mortais consiga notar qualquer diferença. O último
número da revista Consumer's Report (a mais confiável, sem anunciantes)
testou várias marcas de binóculos de uso geral e gostou do Minolta
Activa 8x40 WP.FP, que custa 180 dólares.

Se você estiver com dinheiro fazendo cócegas no bolso, esqueça o Zeiss e
parta logo para o melhor: um binóculo especial para astronomia como um
Oberwerk 25/40x100mm ou um Takahashi. Arrange um tripé. O Oberwerk pesa
16 kg e o Takahashi não é muito mais leve.

O importante é comprar num lugar onde você possa testar as várias marcas
e comparar não só a performance óptica, mas o ajuste aos seus olhos. Há
uma grande variação entre as marcas quanto à adaptação ao formato de seu
rosto. Resista à tentação de comprar um binóculo de grande aumento (mais
do que 8x), já que são difíceis de segurar sem tremer, a não ser que
tenham estabilização ativa ($$$).

Um abraço,
Colucci


Choosing Binoculars for Stargazing
http://skyandtelescope.com/howto/scopes/article_256_1.asp




SUBJECT: Teste de empresa
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
CC: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/05/2002 09:53

Alguém se recorda das condições de contorno nesse teste? Parece-me que o consulente ouviu o galo cantar mas não sabe onde está.
[]'
Léo
============
-----Mensagem Original-----
De: eraclide@bol.com.br
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: terça-feira, 14 de maio de 2002 08:36
Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.





E-mail: eraclide@bol.com.br
Nome: Danilo de Oliveira
Cidade: Mauá
UF: SP
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 14
Dúvida/Sugestão: Caro Professor, Gostaria de obter a resposta para um teste lógico que fiz há muito tempo atrás e, que costuma cair no teste de algumas empresas. O esquema é o seguinte: temos um quarto fechado com uma lâmpada incandescente, cuja porta está trancada, e três interruptores A, B e C do lado de fora. A questão é qual dos interruptores acende a lâmpada? Não me lembro da resolução, mas sei que por uma questão de lógica e princípios elétricos de funcionamento da lâmpada e do interruptor, podemos determinar qual deles acenderá, visto que, só há uma resposta que não pode ser contestada. Agradeço muito pela atenção e aguardo retorno. Danilo


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Ora (direis) ouvir estrelas!
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/05/2002 10:31

--- Em ciencialist@y..., "Jose Colucci Jr." <j.colucci@r...> escreveu
>
> Tomarei a liberdade de discordar dos conselhos que você recebeu do
Monge
> Ateu e do Andre quanto à marca do binóculo. Sem dúvida os aparelhos
> ópticos da Zeiss são de excelente qualidade, mas custam caro demais
para
> o amador.

Tem toda a razão... Sei lá porque repeti a indicação do Zeiss, nunca
botei o olho num instrumento dessa marca. Tenho a impressão que até o
Nikon talvez seja mais caro demais. Existem outras marcas japonesas
que fabricam lentes muito boas, como Pentax e Canon, e em geral
custam menos que Nikon.

[]´s

André Baptista



SUBJECT: Re: Teste de empresa
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/05/2002 10:33

O gajo muda o interruptor A, espera alguns minutos.
Muda o interruptor A e muda o interruptor B logo
em seguida. E ai' entra no quarto.

Se a lampada estiver acesa e' o interruptor B
quem acende a lampada. Se ela estiver apagada,
mas aquecida e' o interruptor A. Se ela estiver
apagada e fria e' o interruptor C.

Claro, desde q. a lampada nao esteja queimada
e o circuito esteja em perfeitas condicoes.

Por q. esses exercicios de logica quase nunca tEm
uma aplicacao pratica?

[]s,

Roberto Takata

--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Alguém se recorda das condições de contorno nesse teste? Parece-me
que o consulente ouviu o galo cantar mas não sabe onde está.
> []'
> Léo
> ============
> -----Mensagem Original-----
> De: eraclide@b...
> Para: leo@b...
> Enviada em: terça-feira, 14 de maio de 2002 08:36
> Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.
>
>
>
>
>
> E-mail: eraclide@b...
> Nome: Danilo de Oliveira
> Cidade: Mauá
> UF: SP
> Nível de Escolaridade: Médio
> Profissão: Estudante
> Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 14
> Dúvida/Sugestão: Caro Professor, Gostaria de obter a resposta para
um teste lógico que fiz há muito tempo atrás e, que costuma cair no
teste de algumas empresas. O esquema é o seguinte: temos um quarto
fechado com uma lâmpada incandescente, cuja porta está trancada, e
três interruptores A, B e C do lado de fora. A questão é qual dos
interruptores acende a lâmpada? Não me lembro da resolução, mas sei
que por uma questão de lógica e princípios elétricos de funcionamento
da lâmpada e do interruptor, podemos determinar qual deles acenderá,
visto que, só há uma resposta que não pode ser contestada. Agradeço
muito pela atenção e aguardo retorno. Danilo
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Teste de empresa
FROM: "Daniel Leal Freire" <daniellf@highway.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/05/2002 13:35

E se for uma lampada que nao esquente?


--------------------------------
| Daniel Leal Freire
| Rio de Janeiro - Brasil
| http://www.geocities.com/dfreirebr/
| daniellf@highway.com.br
| "Imagination is more important than knowledge" Albert Einstein
----- Original Message -----
From: rmtakata
Sent: 5/14/2002 10:33:59 AM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: [ciencialist] Re: Teste de empresa

> O gajo muda o interruptor A, espera alguns minutos.
> Muda o interruptor A e muda o interruptor B logo
> em seguida. E ai' entra no quarto.
>
> Se a lampada estiver acesa e' o interruptor B
> quem acende a lampada. Se ela estiver apagada,
> mas aquecida e' o interruptor A. Se ela estiver
> apagada e fria e' o interruptor C.
>
> Claro, desde q. a lampada nao esteja queimada
> e o circuito esteja em perfeitas condicoes.
>
> Por q. esses exercicios de logica quase nunca tEm
> uma aplicacao pratica?
>
> []s,
>
> Roberto Takata
>




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Teste de empresa
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/05/2002 13:54

Bolas! Por que não recebi a mensagem original do Takata sobre esse Teste?
Que raios de problemas ocorrem?

[]'
Léo
=========
-----Mensagem Original-----
De: "Daniel Leal Freire" <daniellf@highway.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: terça-feira, 14 de maio de 2002 13:35
Assunto: Re: [ciencialist] Re: Teste de empresa


E se for uma lampada que nao esquente?


--------------------------------
| Daniel Leal Freire
| Rio de Janeiro - Brasil
| http://www.geocities.com/dfreirebr/
| daniellf@highway.com.br
| "Imagination is more important than knowledge" Albert Einstein
----- Original Message -----
From: rmtakata
Sent: 5/14/2002 10:33:59 AM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: [ciencialist] Re: Teste de empresa

> O gajo muda o interruptor A, espera alguns minutos.
> Muda o interruptor A e muda o interruptor B logo
> em seguida. E ai' entra no quarto.
>
> Se a lampada estiver acesa e' o interruptor B
> quem acende a lampada. Se ela estiver apagada,
> mas aquecida e' o interruptor A. Se ela estiver
> apagada e fria e' o interruptor C.
>
> Claro, desde q. a lampada nao esteja queimada
> e o circuito esteja em perfeitas condicoes.
>
> Por q. esses exercicios de logica quase nunca tEm
> uma aplicacao pratica?
>
> []s,
>
> Roberto Takata
>



&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: Teste de empresa
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/05/2002 14:50

--- Em ciencialist@y..., "Daniel Leal Freire" <daniellf@h...> escreveu
> E se for uma lampada que nao esquente?

O problema original fala em lampada comum - incandescente.

De todo modo, as lampadas esquentam -- as fluorescentes menos.
Ai' e' so' deixar bastante tempo acesa.

Mas nao se preocupe, dificilmente vc tera' q.
enfrentar uma questao dessa em sua vida como
algo pratico. Basta deixar a porta aberta e
ver se ha' uma claridade com um ou outro interruptor --
ou pedir para alguem gritar la' de dentro.

(Alguem pode obstar q. os interruptores
em geral ficam dentro de um recinto ou
perto da porta. Mas eu ja' vi construcoes
bizarras como a do enunciado do problema --
com interruptores bem distantes do local.)

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Sapato termico
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/05/2002 20:29

A pagina
http://www.humornaciencia.hpg.ig.com.br/invencoes/sapato.htm

deu origem a seguinte pergunta...

> seu mail (para contato) - karinaccavalcante@bol.com.br
> seus comentários - Bom eu me chamo Karina, gostaria que vcs
pudessem me escrever como que faz este SAPATO TÉRMICO, pois estou
fazendo um trabalho que precisamos inventar alguma coisa, então...
nós pensamos em tentar colocar em prática a idéia de vcs (sap
> ato témico).
> Bom espero resposta, o mais rápido possivel.
> grata;
> Karina
> 011.95261548


Alguem tem alguma sugestao?


Ateh
Luis Brudna






SUBJECT: Re: Sapato termico
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 15/05/2002 08:35

--- Em ciencialist@y..., "brudna" <lrb@i...> escreveu
> Alguem tem alguma sugestao?

Diga para ela nao utilizar o Freon(r) ou outros tipos de CFC
como gases refrigerantes. Talvez algum tipo de HFC q. nao seja
inflamavel...

E se vc disser algo assim: "Ola', Karina, muito obrigado
por seu interesse. Infelizmente nao podemos (ou nao posso)
ajuda'-la. O projeto do Sapato Termico e' apenas uma
brincadeira, ja' q. se trata de uma pagina de humor. De
todo modo, apenas implementar o projeto do Sapato Termico
nao seria exatamente uma *invencao*. Tenho certeza q.
vc e seus colegas irao bolar um projeto realmente original.
Torco para q. de tudo certo. A proposito, vc e' bonita?
Se for, eu posso ligar para o seu celular?"

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Fw: Transmissão de dados por ondas eletromagnéticas
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
CC: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 15/05/2002 09:00

Será que ele quer um Modem associado a um transmissor estabilizado a cristal?
[]'
Léo
========
-----Mensagem Original-----
De: "marcoantonio.nm" <marcoantonio.nm@bol.com.br>
Para: <leo@barretos.com.br>
Cc: <marcoantonio.nm@bol.com.br>
Enviada em: quarta-feira, 15 de maio de 2002 01:30
Assunto: Transmissão de dados por ondas eletromagnéticas




Gostaria saber de Vossa Senhoria lista de
instrumentos modernos que contenha recursos favoráveis e
essenciais composto por ondas eletromagnéticas que
favoreça com precisão o meu acesso a internet.
Convicto de que encontrarei o apoio necessário
nessa descoberta desejada e da sua valiosa colaboração,
desde já agradeço.
Atenciosamente,

Marco Antonio


__________________________________________________________________________
Quer ter seu próprio endereço na Internet?
Garanta já o seu e ainda ganhe cinco e-mails personalizados.
DomíniosBOL - http://dominios.bol.com.br





SUBJECT: Re: Fw: Transmissão de dados por ondas eletromagnéticas
FROM: "sergiotaborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 15/05/2002 10:29


> Enviada em: quarta-feira, 15 de maio de 2002 01:30
> Assunto: Transmissão de dados por ondas eletromagnéticas
>
> Gostaria saber de Vossa Senhoria lista de
> instrumentos modernos que contenha recursos favoráveis e
> essenciais composto por ondas eletromagnéticas que
> favoreça com precisão o meu acesso a internet.

Os sistemas WLAN (wireless LAN - transmitem dados por rádio) estão
dentro desta categoria ?
Supondo que estão eles podem primitir um acesso diferente à internet
mas não podem substituir, ainda, os sistemas comuns de acesso
(telefone e cabo). Servem para Intranets.

Se ele quer apenas uma lista de modems telefonicos, ele que visite
uma loja da especialidade.

(a mensagem escrita é de muito dificil compreensão. Afinal o que
significa "que contenha recursos favoráveis e essenciais composto
por ondas" e "favoreça com precisão" ? )

[]

Sérgio Taborda



SUBJECT: URGENTE - Entrevista sobre ateísmo
FROM: "Sociedade da Terra Redonda" <strbrasil@hotmail.com>
TO: Lista@strbrasil.com.br
CC: Lasir@yahoogroups.com, ateus-br@yahoogroups.com, ceticismoaberto@yahoogroups.com, CienciaCidadania@yahoogroups.com, ciencialist@yahoogrupos.com.br, despertar@yahoogroups.com, lidearc@yahoogroups.com, pensamento@yahoogroups.com, sbcr@yahoogroups.com, secularismo@yahoogroups.com
DATE: 15/05/2002 17:09

Prezados,

Preciso de pessoas no RJ que estejam dispostas a dar uma entrevista para
a Revista Veja sobre ateísmo. Enviem resposta para o endereço
Vines@strbrasil.com.br ou para os telefones (21) 2570-1812 e (21) 91168427.

Abraços,
Leo Vines, Presidente
Sociedade da Terra Redonda
http://www.strbrasil.com.br
"Porque concluir é melhor que acreditar."

_________________________________________________________________
Envie e receba emails com o Hotmail no seu dispositivo móvel:
http://mobile.msn.com



SUBJECT: "A mao q. afaga e' a mesma q. apedreja"?
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 16/05/2002 17:59

Dinossauros gigantes podem ter surgidos com ajuda de um
grande impacto de um bolido celeste segundo um
estudo publicado na revista Science: vol 296, p 1305,
informa o servico de noticias da New Scientist.

http://www.newscientist.com/news/news.jsp?id=ns99992290

Eqto a teoria vigente mais aceita para a extincao
dos dinossauros seria a de q. o impacto de um
meteoro gigante ou um cometa teria aberto caminho
para a diversificacao dos mamiferos, um estudo publicado na
revista Science sugere q. um impacto semelhante
teria aberto o caminho para a diversificacao dos
grandes carnivoros dinossauricos no fim do Triassico.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Morreu José Reis
FROM: Roberto Belisário <rbdiniz@terra.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 16/05/2002 20:30


http://200.177.98.79/jcemail/Detalhe.jsp?id=2311&JCemail=2035&JCdata=2002-05-16

JC e-mail 2035, de 16 de Maio de 2002. Morreu nesta quinta-feira José Reis
O cientista faleceu, às 11h, em SP
José Reis nasceu em 1907, no Rio, e já aos 17 anos receberia seu primeiro -
de muitos - prêmio, 'Pantheon', por ser um dos melhores alunos do Colégio
Pedro II. Em 25, ele entrava para a Faculdade Nacional de Medicina, na
cadeira de microbiologia. Cinco anos depois José Reis terminava o curso já
empregado como bacteriologista do Instituto Biológico.

Em 36, depois de um estágio no Instituto Rockfeller, nos EUA, José Reis
lança seu primeiro livro, 'Tratado de Ornipatologia', em colaboração com
Paulo Nóbrega e Annita Swenson Reis.

Em 41, ele participa da reorganização da Secretaria de Agricultura e desse
trabalho surge seu segundo livro, 'Rasgando Horizontes', desta vez em
parceria com C.B.Schmidt. Em 43 aceita o convite, feito pelo interventor
Fernando Costa, de dirigir o Depto. de Serviço Público do Estado de SP.

Em 47 inicia sua saga como divulgador da ciência - trabalho que nunca mais
deixaria de fazer - escrevendo nos jornais 'Folha da Noite' e 'Folha de SP'.

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência nasce em 1948 e, claro,
tinha José Reis como um dos propulsores. Além dele outros cientistas de
peso como Jorge Americano, Maurício Rocha e Silva, Paulo Sawaya, Gastão
Rosenfeld, José Ribeiro do Vale e F.J. Maffei. No ano seguinte funda e
torna-se editor da revista 'Ciência e Cultura'.

Em 1955, inicia participação na Revista 'Anhembi', com a coluna 'Ciência de
30 dias'. Em 58 aposenta-se no Instituto Biológico, recebendo o título de
Servidor Emérito. No mesmo ano funda, com José Nabantino Ramos e Clóvis
Queiroga, a Editora Instituição Brasileira de Difusão Cultural (Ibrasa),
onde lança, segundo ele, os 'livros-fermento, que tragam idéias novas e
provoquem debate'. Em 1962, assume a direção de redação 'Folha de SP', onde
fica até 67. Outra láurea ganha por José Reis foi, em 62, o Prêmio
Governador do Estado de SP de Jornalismo Científico.

A educação também era uma de suas preocupações e, em 1963, em reunião da
ONU em Genebra - sobre C&T - apresenta relatório sobre a posição da Ciência
no ensino.

Em 64 mais um prêmio: John R. Reitemeyer de jornalismo científico,
conferido pela 1a vez pela Sociedade Interamericana de Imprensa e pela
União Panamericana de Imprensa. Quatro anos depois publica, pela editora
Ibrasa, o livro 'Educação é Investimento', com prefácio de Alceu Amoroso Lima.

Em 1972, o cientista e jornalista volta a dirigir a Revista 'Ciência e
Cultura', da SBPC. Ele ainda receberia o prêmio Kalinga, da Unesco, e seu
nome seria instituído, pelo CNPq, como prêmio concedido aos divulgadores de
ciência, o já tradicional Prêmio José Reis de Divulgação Científica. Também
foi homenageado em 92 pela Universidade de SP dando nome, na Escola de
Comunicações e Artes, ao Núcleo José Reis de Divulgação Científica.

O presidente da Associação Brasileira de Divulgação Científica e
coordenador de divulgação do Núcleo José Reis de Divulgação Científica,
Crodowaldo Pavan, lamenta o falecimento do amigo e lutador: 'A sociedade
brasileira sofre uma grande perda. Perdemos a presença de um dos mais
notáveis representantes da intelectualidade brasileira, um cidadão exemplar
que acreditava na juventude e que com sucesso forneceu a ela as bases
culturais para ter uma vida intelectual positiva. José Reis é para nós um
imortal, pois nos deixa hoje, como pessoa viva, mas nos deixa também sua
contribuição intelectual, que sem dúvida é perene e vai continuar a
influenciar de forma positiva e ativa a formação da cultura brasileira. Ele
está conosco, vamos continuar usufruindo de seus ensinamentos e idéias,
pois isto nos dá a esperança para vivermos em um mundo melhor.'

O enterro de José Reis será nesta sexta-feira, dia 17, às 10h, no Cemitério
SP, em Pinheiros, na capital paulista. Crodowaldo Pavan estará
representando o presidente do CNPq, Esper Cavalheiro.



---------------------------------
Roberto Belisário Diniz
rbdiniz@terra.com.br
Revista Com Ciência - jornalismo científico
www.comciencia.br
Labjor - Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo
www.uniemp.br/labjor/
---------------------------------



SUBJECT: Re: Morreu José Reis
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 17/05/2002 08:26

Pô, Belisário,

como é q. vc dá uma notícia dessas assim? Sem
preparar a gente?

Mas, poxa, tudo o que sei dizer numa
horas dessas é: grande perda...

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Essa nao sei mesmo!
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
CC: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 17/05/2002 10:34

Pilheiros!
[]'
Léo
================
-----Mensagem Original-----
De: mario.ocd@inatel.br
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: sexta-feira, 17 de maio de 2002 10:26
Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.

E-mail: mario.ocd@inatel.br
Nome: Mario Olibeira Costa Dias
Cidade: Santa Rita do Sapucai
UF: MG
Nível de Escolaridade: Universitário
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 21
Dúvida/Sugestão: UAU! Que site hein! Sou do INATEL(Instituto Nacional de telecomunicações), estou fazendo um trabalho sobre a pilha de Daniel e gostaria de saber como calcular a vida util dessa pilha.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Essa nao sei mesmo!
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 17/05/2002 15:08

Com calculo estequiometrico corrigido pelo rendimento da
reacao?

[]s,

Roberto Takata

--- Em ciencialist@y..., "Luiz Ferraz Netto" <leo@b...> escreveu
> Pilheiros!
> []'
> Léo
> ================
> -----Mensagem Original-----
> Nome: Mario Olibeira Costa Dias
> Nível de Escolaridade: Universitário
> Profissão: Estudante
> Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 21
> Dúvida/Sugestão: UAU! Que site hein! Sou do INATEL(Instituto
Nacional de telecomunicações), estou fazendo um trabalho sobre a
pilha de Daniel e gostaria de saber como calcular a vida util dessa
pilha.




SUBJECT: Dica p/ administração das listas
FROM: Roberto Belisário <rbdiniz@terra.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br, Gen-Minas@yahoogroups.com, cidadaniabrasil@yahoogroups.com, papec@yahoogroups.com
DATE: 17/05/2002 21:09


Pessoal, algo que talvez ajude a administrar as listas do Yahoogroups.

No link "Membros", e, lá dentro, no link "Devolvendo mensagens"
(ou "bouncing", se for em inglês), aparece uma lista de e-mails bloqueados
por terem devolvido mensagens em demasia. Para desbloqueá-los, clicar em
"Editar" e, depois, em "unbounce".

Havia um bando de membros bloqueados nas minhas listas. Como o
sistema não envia nenhum aviso quando um e-mail é bloqueado, eu só soube
quando entrei nesse link.

Às vezes tentamos recolocar um membro que supostamente saiu da
lista por algum motivo, e não conseguimos. Uma das possíveis razões é que
ele não saiu, mas foi bloqueado pelo "bouncing".

Até,
Belisário


---------------------------------
Roberto Belisário Diniz
rbdiniz@terra.com.br
Revista Com Ciência - jornalismo científico
www.comciencia.br
Labjor - Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo
www.uniemp.br/labjor/
---------------------------------



SUBJECT: Re: Dica p/ administração das listas
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 18/05/2002 01:01

Valeu pela dica. Aqui na Ciencialist cuido isso desde a criaca, mas
foram poucas as vezes que alguem ´voltou dos mortos´ por lah :).

Vou dar uma olhada se tem alguem que eu possa ressucitar.

Ateh
Luis Brudna - administrador da Ciencialist



--- Em ciencialist@y..., Roberto Belisário <rbdiniz@t...> escreveu
>
> Pessoal, algo que talvez ajude a administrar as listas do
Yahoogroups.
>
> No link "Membros", e, lá dentro, no link "Devolvendo
mensagens"
> (ou "bouncing", se for em inglês), aparece uma lista de e-mails



SUBJECT: Scientific American em português
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 18/05/2002 20:43

http://www2.uol.com.br/sciam/

Trechos do editorial:

"
Como ocorre em outros países, também a edição brasileira de
Scientific American será mensal. O conteúdo da revista impressa
estará dividido em aproximadamente 70% de material estrangeiro,
traduzido da edição americana, e 30% de material nacional, produzidos
por nossa equipe de jornalistas e colaboradores. Na avaliação do
publisher brasileiro, essa proporção, ao menos inicialmente, atende
bem ao propósito de informar os leitores sobre os desenvolvimentos
mais importantes em escala internacional, complementado por pesquisas
de ponta feitas no país.

(...)
Como suporte e forma imediata de interação com seu público potencial,
Scientific American Brasil lança, agora, uma edição on-line. Neste
espaço, os leitores poderão tomar conhecimento de assuntos que vão do
estado da arte em cosmologia à pesquisa de ponta em medicina,
informática e novas tecnologias e aplicações, além de descobertas
que, como ocorre desde 1845, Scientific American noticia em primeira
mão.

Esperamos que o leitor desfrute do privilégio e prazer de acessar, em
português, o conteúdo da primeira e mais competente revista de
divulgação científica de todo o mundo"

[]´s

André Baptista




SUBJECT: TRAFICO DE ORGAOS: TRANSPLANTADORES ACUSADOS POR HOMICIDIO DOLOSO QUALIFICADO
FROM: "Celso Galli Coimbra" <c.galli@terra.com.br>
TO: <politica-br@yahoogrupos.com.br>, <policia-livre@grupos.com.br>, <penal@grupos.com.br>, <faroljuridico@yahoogroups.com>, <Direitos_Humanos@yahoogrupos.com.br>, <Direito_Trabalhista@yahoogrupos.com.br>, <Constitucional_Brasil@yahoogrupos.com.br>, <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, <Artigos_Juridicos@yahoogrupos.com.br>, <advogado@yahoogrupos.com.br>, <administrativo@grupos.com.br>, <direito_saude@yahoogrupos.com.br>
CC: <universitariosdireito@grupos.com.br>, <trabalho-infantil@grupos.com.br>, <socialismo-br@yahoogrupos.com.br>, <RedePraxis@yahoogrupos.com.br>, <pucrs-direito@yahoogrupos.com.br>, <polemica@yahoogrupos.com.br>, <mestrado_direito_pucrs@yahoogroups.com>, <Justica@yahoogrupos.com.br>, <infancia-eca@yahoogroups.com>, <ibap-biodireito@yahoogroups.com>, "Grupo IURIS" <iuris@grupos.com.br>, <forum-social@yahoogroups.com>, <federal@rudah.com.br>, <fdc_psicologia@grupos.com.br>, <estudantes-de-direito@yahoogroups.com>, <direito-penal@yahoogroups.com>, <direitoeco@egroups.com>, <direitobrasil@grupos.com.br>, <direito_ufrj@yahoogrupos.com.br>, <cpgd_ufsc@yahoogrupos.com.br>, "Conselho Federal de Medicina" <cfm@cfm.org.br>, <civil@grupos.com.br>, <cidadaniabrasil@yahoogrupos.com.br>, <biodireitopucrs@yahoogroups.com>, <biodireito@yahoogroups.com>, <attac-sp@yahoogroups.com>, <amazonas@yahoogrupos.com.br>, <tributario@grupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 11:28

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________

TRÁFICO DE ORGÃOS:
MÉDICOS TRANSPLANTADORES
DENUNCIADOS POR HOMICÍDIO DOLOSO QUALIFICADO
PELO MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL

-----

Ao final da reportagem abaixo estão os endereços
que levam aos textos onde a questão da morte
encefálica a serviço homicida dos transplantes de
órgãos vitais únicos é melhor esclarecida,
inclusive para leitores leigos na reportagem
de CIÊNCIA HOJE, de junho de 2000.

----

Os que tiverem interesse podem solicitar a
INTERPELAÇÃO JUDICIAL, que acusou os erros declaratórios
da Morte Encefálica na Resolução 1.480/97 do CFM,
existentes com o ÚNICO objetivo de beneficiar a
LUCRATIVA atividade transplantadora e homicida
de retirada de _ÓRGÃOS VITAIS ÚNICOS_
dos traumatizados encefálicos severos,
para o endereço c.galli@terra.com.br

----

ATÉ HOJE o Conselho Federal de Medicina
NÃO conseguiu responder a impugnação ali
apresentada e tem mantido sua obsoleta Resolução
1.480/97 para a declaração ANTECIPADA
da morte encefálica de milhares de brasileiros
anualmente.

---

O Conselho Federal de Medicina
também é responsável pelo que está acontecendo no Brasil
PORQUE estava interpelado judicialmente
( junto com a União ) a respeito DESDE
de 17 de setembro de 1997.

---

Em 05 de outubro de 1997 foi publicada
a primeira matéria sobre a primeira reação judicial
contra o que acontecia com o título
_"TRANSPLANTES COM VIVOS"_,
no Jornal do Brasil. Seguiram-se muitas
outras publicações desde então.

---

Um contingente expressivo de _"doadores"_
( na maioria muito jovens ) foram sendo ENGANADOS
pelas Autoridades Executivas brasileiras e por isso
perderam suas VIDAS, enquanto uma
minoria já estava se beneficiando do mais efetivo
socorro ao traumatismo encefálico
severo disponível.


O caso mais conhecido foi o de GERSON BRENNER,
tratado com hipotermia moderada pós-isquêmica
e coma induzido frente a um diagnóstico de traumatismo
encefálivo severo dos mais graves possíveis.


O problema vai ser conhecido e revisado por inteiro,
e não apenas parcialmente.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----


Morte em Minas Gerais
pode mudar lei do transplante




Sábado, 18 de maio de 2002, 03h51




A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado, oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução n.º 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).





A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul de Minas, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada. Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições.



José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos. Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia, obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes.





O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional. Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.





Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte. A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.






Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados. Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.



O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.





O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis. A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.



http://www.terra.com.br/cgi-bin/index_frame/noticias/brasil/2002/05/18/004.htm



=======================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=======================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: MAFIA DOS TRANSPLANTES COMECA A SER DENUNCIADA CRIMINALMENTE
FROM: "Celso Galli Coimbra" <c.galli@terra.com.br>
TO: <advogado@yahoogrupos.com.br>, <faroljuridico@yahoogrupos.com.br>, <politica-br@egroups.com>, <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, <Constitucional_Brasil@yahoogrupos.com.br>, <Direito_Trabalhista@yahoogrupos.com.br>, <Artigos_Juridicos@yahoogrupos.com.br>, <direitos_Humanosa@yahoogrupos.com.br>, <policia-livre@grupos.com.br>, <direito_saude@yahoogrupos.com.br>
CC: <civil@grupos.com.br>, <cfm@cfm.org.br>, <penal@grupos.com.br>, <direitobrasil@grupos.com.br>, <amazonas@yahoogrupos.com.br>, <RedePraxis@yahoogrupos.com.br>, <attac-sp@yahoogroups.com>, <cpgd_ufsc@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 12:48

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________



Deve-se examinar rigorosamente as responsabilidades das gestões
do Conselho Federal de Medicina que vêm sendo
coniventes com relação aos abusos
praticados na declaração de morte encefálica
no Brasil .



Suas responsabilidades estão PREVENIDAS
em Interpelação Judicial onde AINDA não enfrentaram
a comprovação dos erros
declaratórios questionados em Juízo,
passados mais de dois anos,
e suscitados pela primeira vez em 17 de setembro
de 1997.




O Tráfico de Órgãos existe em TODO o Brasil.
Está dentro da Medicina DEVIDO à liberalidade
declaratória de morte encefálica ensejada
pela Resolução 1.480/97
do Conselho Federal de Medicina.




Com cópia aberta para o Conselho Federal de Medicina.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----------------------------------------------

Hoje Em Dia - Minas

http://www.hojeemdia.com.br/hoje.cgi

BH - 18/05/2002

Morte em MG pode mudar lei do transplante


Jeanette Santos

REPÓRTER


A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado - oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais -, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução nº 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).



A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul do Estado, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada.



Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições. José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos.



Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia - obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes. O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional.



Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.



Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte.



A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.



Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados.



Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.
O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.



O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis.
A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.


____________________________________

SEIS INQUÉRITOS INVESTIGAM ESQUEMA
____________________________________



As circunstâncias da morte de Paulo Pavesi geraram outros seis inquéritos policiais, ainda em fase de investigação pela Polícia Federal. Um deles apura a aplicação irregular de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) na captação de órgãos e transplantes. Em 2000, o SUS de Poços de Caldas recebeu o repasse de R$ 1,3 milhão pela referente a realização de transplantes, mesma cifra repassada ao SUS de Belo Horizonte, onde são realizadas a maior parte deste tipo de procedimento no Estado.



A lista de beneficiados também é suspeita. Dos 200 transplantes realizados no município, muitos foram feitos em pacientes de outros estados, como Goiás. Há indícios de que, para receber as doações, muitos pacientes tiveram que desembolsar até R$ 5 mil pelo órgão para uma "Máfia dos Transplantes". O comércio de órgãos teria gerado lucro para algumas pessoas, muitas delas supostamente ligadas às secretarias municipal e estadual de Saúde, que estão sendo investigadas por enriquecimento ilícito.



Outro inquérito, em fase de conclusão, investiga o pagamento à Santa Casa, em duplicata pelo mesmo procedimento, por parte do SUS e de convênios. E, por último, há ainda o inquérito sobre a denúncia que provocou a queda da direção do MG Transplantes naquele ano. Ele apura a captação clandestina e destinação dos órgãos.




A morte de Paulo Pavesi provocou também a interdição do Hospital Pedro Sanches, onde ele recebeu os primeiros socorros. A instituição foi proibida de realizar cirurgias eletivas, procedimentos invasivos críticos, internações em UTI e atendimento hemoterápico. O escândalo abalou também a saúde financeira da Santa Casa de Misericórdia de Poços de Caldas, atolada em uma dívida de R$ 3,6 milhões.




Na trama, surgiu outro fato misterioso. No dia 14 de abril do mês passado, o diretor administrativo da instituição, Carlos Henrique Marcondes, 58 anos, foi encontrado baleado, dentro de seu próprio veículo, por volta de 7h30, quando seguia de casa para o trabalho. De acordo com informações da polícia de Poços de Caldas, o veículo estava parado em uma rua próxima à casa do diretor e o revólver 38, de sua propriedade, estava caído dentro do veículo.




A polícia acredita que ele tenha se suicidado. A instituição havia sido descredenciada do SUS dois meses antes e também estava impedida de realizar novos transplantes desde o final do ano passado. Carlos Marcondes era investigado por improbidade administrativa.



_______________________________

Defesa refuta acusação de homicídio
_______________________________



O advogado Luiz Carlos Abritta, que defende o médico Álvaro Ianhez, da Santa Casa de Misericórdia, onde os órgãos de Paulo Pavesi foram retirados, afirmou ontem que precisaria analisar melhor a denúncia que pesa contra o seu cliente. Ele adiantou, no entanto, que a defesa refuta as acusações de homicídio, uma vez que a participação de Ianhez teria se restringido a retirada dos órgãos.



Os outros acusados não foram localizados pela reportagem. Um oftalmologista, cujo nome está sendo mantido em sigilo, teria retirado as córneas de Paulo Pavesi, e também deverá ser indiciado em outro inquérito pela realização de transplantes em desacordo com a lei. A família do garoto não havia autorizado a retirada dos órgãos.



A denúncia - assinada pelos procuradores Adailson Ramos do Nascimento, Eduardo Morato Fonseca, Isabela de Holanda Cavalcanti e Juliano Stella Karam - da Procuradoria da República no Estado destaca que, antes mesmo de ser transferido do Hospital Pedro Sanches para a Santa Casa, Paulo Pavesi foi assistido por um nefrologista que teria feito considerações de que ele seria um potencial doador.


"Os atos dos médicos também são passíveis de análise por parte de leigos. O protocolo (Resolução nº 1480/97) é um caminho a trilhar exatamente para que esses profissionais não sejam responsabilizados", criticou o procurador Adailson Ramos do Nascimento. Ele estranha o fato de o Ministério da Saúde ter delegado a um órgão de classe, no caso o Conselho Federal de Medicina, a atribuição de elaborar a legislação que, em tese, deve fiscalizar o exercício dos próprios médicos.



"Em outros países a legislação é federal e, além das entidades de classe, que por natureza são corporativas, participam desse processo, representantes da sociedade civil", lembrou Nascimento.



Atualmente, segundo o MG Transplantes, 1.840 pessoas aguardam por transplante de rins no Estado. São ainda 44 esperando medula óssea, 677 esperando por córneas, oito precisam de um coração, 24 de fígado, 15 de pâncreas e duas de pulmões.

========================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=====================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===

Direito_Saúde e Bioética -- 18.05.2002
______________________________



Deve-se examinar rigorosamente as responsabilidades das gestões
do Conselho Federal de Medicina que vêm sendo
coniventes com relação aos abusos
praticados na declaração de morte encefálica
no Brasil .



Suas responsabilidades estão PREVENIDAS
em Interpelação Judicial onde AINDA não enfrentaram
a comprovação dos erros
declaratórios questionados em Juízo,
passados mais de dois anos,
e suscitados pela primeira vez em 17 de setembro
de 1997.




O Tráfico de Órgãos existe em TODO o Brasil.
Está dentro da Medicina DEVIDO à liberalidade
declaratória de morte encefálica ensejada
pela Resolução 1.480/97
do Conselho Federal de Medicina.




Com cópia aberta para o Conselho Federal de Medicina.


[]'s

Celso Galli Coimbra
OAB_RS 11352
Porto Alegre
-----------------------------------------------

Hoje Em Dia - Minas

http://www.hojeemdia.com.br/hoje.cgi

BH - 18/05/2002

Morte em MG pode mudar lei do transplante


Jeanette Santos

REPÓRTER


A denúncia do Ministério Público Federal contra quatro médicos, acusados de homicídio doloso qualificado - oferecida ontem ao juiz da 4ª Vara de Justiça Federal em Minas Gerais -, pode ser o primeiro passo para derrubar a Resolução nº 1480/97, do Conselho Federal de Medicina, que determina os procedimentos para definir morte encefálica (clínica).



A denúncia diz respeito a um caso registrado em Poços de Caldas, Sul do Estado, que pode significar a "ponta de um iceberg" na atuação de uma "Máfia dos Transplantes" que começa a ser desarticulada.



Se o juiz acatar a denúncia, será a primeira vez no país que os médicos responderão criminalmente pela morte de um paciente nessas condições. José Luiz Gomes da Silva, Álvaro Ianhez, José Luiz Bonfitto e Marco Alexandre Pacheco da Fonseca são acusados de provocar a morte do garoto Paulo Veronesi Pavesi, de 10 anos.



Vítima de traumatismo craniano, ele não teria resistido aos dois exames de arteriografia - obrigatórios para definição do estado do paciente e decisivo para o aproveitamento dos órgãos em transplantes. O caso aconteceu em 23 de abril de 2000 em Poços de Caldas, Sul de Minas e, na época, com a denúncia da família, ganhou repercussão nacional.



Paulo Pavesi havia sofrido um acidente cinco dias antes. Ele caiu de uma altura de aproximadamente 10 metros quando brincava no playground do prédio onde morava. Socorrido imediatamente, a criança recebeu os primeiros cuidados no Hospital Pedro Sanches, onde teria sido submetido a primeira arteriografia.



Mais tarde, o menino foi encaminhado para a Santa Casa de Misericórdia, onde não teria recebido medicamentos para elevar a pressão arterial e, para complicar, teria sido novamente sedado e submetido mais uma vez ao mesmo exame, que então constatou sua morte.



A realização da arteriografia é um dos procedimentos definidos da Resolução nº 1480. O procedimento, no entanto, exige sedação. E no caso de vítimas de traumatismo craniano isso diminui as chances de sobrevivência, uma vez que a pressão arterial e intracraniana cai.



Uma das peças principais no inquérito da Polícia Federal foi o prontuário do paciente. Apesar das rasuras, o delegado Célio Jacinto dos Santos detectou nos registros da enfermagem, tanto de um hospital quanto do outro, que medicamentos não foram aplicados.



Durante dois dias, mesmo com a incisão no pescoço, feita para injetar o contraste do primeiro exame, o menino teria ficado fora da UTI e mantida com pressão baixa. "Isto é fatal neste caso. Os vasos sangüíneos ficam comprimidos", concluiu o delegado.
O inquérito administrativo, que apontou outra série de irregularidades nos procedimentos, provocou mudanças na legislação estadual sobre a captação e doação de órgãos, até então coordenada pelo MG Transplantes. "Não existe consenso entre os médicos e professores sobre a Resolução nº 1480. E neste caso nem ao menos o protocolo foi observado pelo médicos que o assistiram", acredita o procurador Adaílson Ramos do Nascimento.



O procurador está convencido que se os médicos forem indiciados e responderem a júri popular, estará aberto a brecha para a sociedade questionar essa resolução no âmbito legislativo e cobrar do Ministério da Saúde a elaboração de uma outra regulamentação mais criteriosa, que leve em contra que os médicos não são infalíveis.
A pena para homicídio doloso qualificado (com intenção), segundo o Código Penal, varia de 16 a 40 anos.


____________________________________

SEIS INQUÉRITOS INVESTIGAM ESQUEMA
____________________________________



As circunstâncias da morte de Paulo Pavesi geraram outros seis inquéritos policiais, ainda em fase de investigação pela Polícia Federal. Um deles apura a aplicação irregular de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) na captação de órgãos e transplantes. Em 2000, o SUS de Poços de Caldas recebeu o repasse de R$ 1,3 milhão pela referente a realização de transplantes, mesma cifra repassada ao SUS de Belo Horizonte, onde são realizadas a maior parte deste tipo de procedimento no Estado.



A lista de beneficiados também é suspeita. Dos 200 transplantes realizados no município, muitos foram feitos em pacientes de outros estados, como Goiás. Há indícios de que, para receber as doações, muitos pacientes tiveram que desembolsar até R$ 5 mil pelo órgão para uma "Máfia dos Transplantes". O comércio de órgãos teria gerado lucro para algumas pessoas, muitas delas supostamente ligadas às secretarias municipal e estadual de Saúde, que estão sendo investigadas por enriquecimento ilícito.



Outro inquérito, em fase de conclusão, investiga o pagamento à Santa Casa, em duplicata pelo mesmo procedimento, por parte do SUS e de convênios. E, por último, há ainda o inquérito sobre a denúncia que provocou a queda da direção do MG Transplantes naquele ano. Ele apura a captação clandestina e destinação dos órgãos.




A morte de Paulo Pavesi provocou também a interdição do Hospital Pedro Sanches, onde ele recebeu os primeiros socorros. A instituição foi proibida de realizar cirurgias eletivas, procedimentos invasivos críticos, internações em UTI e atendimento hemoterápico. O escândalo abalou também a saúde financeira da Santa Casa de Misericórdia de Poços de Caldas, atolada em uma dívida de R$ 3,6 milhões.




Na trama, surgiu outro fato misterioso. No dia 14 de abril do mês passado, o diretor administrativo da instituição, Carlos Henrique Marcondes, 58 anos, foi encontrado baleado, dentro de seu próprio veículo, por volta de 7h30, quando seguia de casa para o trabalho. De acordo com informações da polícia de Poços de Caldas, o veículo estava parado em uma rua próxima à casa do diretor e o revólver 38, de sua propriedade, estava caído dentro do veículo.




A polícia acredita que ele tenha se suicidado. A instituição havia sido descredenciada do SUS dois meses antes e também estava impedida de realizar novos transplantes desde o final do ano passado. Carlos Marcondes era investigado por improbidade administrativa.



_______________________________

Defesa refuta acusação de homicídio
_______________________________



O advogado Luiz Carlos Abritta, que defende o médico Álvaro Ianhez, da Santa Casa de Misericórdia, onde os órgãos de Paulo Pavesi foram retirados, afirmou ontem que precisaria analisar melhor a denúncia que pesa contra o seu cliente. Ele adiantou, no entanto, que a defesa refuta as acusações de homicídio, uma vez que a participação de Ianhez teria se restringido a retirada dos órgãos.



Os outros acusados não foram localizados pela reportagem. Um oftalmologista, cujo nome está sendo mantido em sigilo, teria retirado as córneas de Paulo Pavesi, e também deverá ser indiciado em outro inquérito pela realização de transplantes em desacordo com a lei. A família do garoto não havia autorizado a retirada dos órgãos.



A denúncia - assinada pelos procuradores Adailson Ramos do Nascimento, Eduardo Morato Fonseca, Isabela de Holanda Cavalcanti e Juliano Stella Karam - da Procuradoria da República no Estado destaca que, antes mesmo de ser transferido do Hospital Pedro Sanches para a Santa Casa, Paulo Pavesi foi assistido por um nefrologista que teria feito considerações de que ele seria um potencial doador.


"Os atos dos médicos também são passíveis de análise por parte de leigos. O protocolo (Resolução nº 1480/97) é um caminho a trilhar exatamente para que esses profissionais não sejam responsabilizados", criticou o procurador Adailson Ramos do Nascimento. Ele estranha o fato de o Ministério da Saúde ter delegado a um órgão de classe, no caso o Conselho Federal de Medicina, a atribuição de elaborar a legislação que, em tese, deve fiscalizar o exercício dos próprios médicos.



"Em outros países a legislação é federal e, além das entidades de classe, que por natureza são corporativas, participam desse processo, representantes da sociedade civil", lembrou Nascimento.



Atualmente, segundo o MG Transplantes, 1.840 pessoas aguardam por transplante de rins no Estado. São ainda 44 esperando medula óssea, 677 esperando por córneas, oito precisam de um coração, 24 de fígado, 15 de pâncreas e duas de pulmões.

========================================
ENDERECOS SOBRE MORTE ENCEFÁLICA E
TRANSPLANTES DE ORGÃOS VITAIS ÚNICOS:
=====================================
Nao se deixe enganar
pela propaganda transplantista.
===
INFORME-SE:
apenas a *Medicina Preventiva* de baixo custo
ja seria suficiente para evitar a necessidade de
80% de transplantes previsiveis, com origem em declaracoes
de mortes encefalicas *ANTECIPADAS*
para fins de retirada de orgaos vitais.
===
ARTIGO:
"Falhas no Diagnostico da Morte Cerebral",
publicado na Revista CIENCIA HOJE,
número 161, junho de 2000:
http://www.uol.com.br/cienciahoje/chmais/pass/ch161/morte.pdf
===
ARTIGOS
cientificos no site da UNIFESP:
http://www.unifesp.br/dneuro/textos.htm
===
ARTIGO:
"Morte Encefalica"
http://www.unifesp.br/dneuro/mortencefalica.htm
===
DEMONSTRACAO
cientifica dos efeitos mortais do teste
da APNEIA, imposto pelo CFM para
declaracao da morte encefalica que
pretende diagnosticar:
http://www.unifesp.br/dneuro/apnea.htm
===
ARTIGO:
em ingles sobre a importancia da
*Penumbra Isquemica* para a declaracao
da morte encefalica:
http://www.unifesp.br/dneuro/brdeath.html
===
MANIFESTACOES PUBLICAS
da comunidade neurocientifica internacional
contraria aos criterios declaratorios
da morte encefalica.
NAO EH VERDADE QUE HA CONSENSO
internacional na declaracao de morte encefalica,
confirme o que dizem os neurocientistas em:
http://www.unifesp.br/dneuro/opinioes.htm
===
DEBATE
internacional da comunidade neurocientifica
sobre os erros declaratorios da morte encefalica
na Revista Cientifica BMJ:
http://www.bmj.com/cgi/eletters/320/7244/1266
===
PARA ler os artigos sobre
morte encefalica em Direito_Saude:
http://www.yahoogroups.com/files/direito_saude/
===
INSCRICAO, enviar mensagem em branco para:
direito_saude-subscribe@yahoogroups.com
===
PARA outras finalidades acessar
a pagina principal deste Grupo:
http://www.yahoogroups.com/group/direito_saude
===



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Scientific American em português
FROM: "Wellington Nogueira" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 13:47

Nunca li os artigos dessa revista, mas tava vendo seu histórico... acho que
dispensa apresentações. Estou ansioso para comprar a revista de lançamento.
Espero que o preço não seja salgado.

Uma coisa que eles escreveram e que é verdade: o jornalismo científico está
crescendo e melhorando (tirando galileu e super, claro). Temos:
Ciência Hoje, Pesquisa Fapesp (que passou a ser vendida em bancas) e agora a
Scientifican American Brasil

[ ]'s
Wellington

----- Original Message -----
From: andrediasbaptista <andrebaptista@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Saturday, May 18, 2002 8:43 PM
Subject: [ciencialist] Scientific American em português


http://www2.uol.com.br/sciam/

Trechos do editorial:

"
Como ocorre em outros países, também a edição brasileira de
Scientific American será mensal. O conteúdo da revista impressa
estará dividido em aproximadamente 70% de material estrangeiro,
traduzido da edição americana, e 30% de material nacional, produzidos
por nossa equipe de jornalistas e colaboradores. Na avaliação do
publisher brasileiro, essa proporção, ao menos inicialmente, atende
bem ao propósito de informar os leitores sobre os desenvolvimentos
mais importantes em escala internacional, complementado por pesquisas
de ponta feitas no país.

(...)
Como suporte e forma imediata de interação com seu público potencial,
Scientific American Brasil lança, agora, uma edição on-line. Neste
espaço, os leitores poderão tomar conhecimento de assuntos que vão do
estado da arte em cosmologia à pesquisa de ponta em medicina,
informática e novas tecnologias e aplicações, além de descobertas
que, como ocorre desde 1845, Scientific American noticia em primeira
mão.

Esperamos que o leitor desfrute do privilégio e prazer de acessar, em
português, o conteúdo da primeira e mais competente revista de
divulgação científica de todo o mundo"

[]´s

André Baptista





SUBJECT: Re: [ciencialist] Livro - Historia das Ciencias
FROM: "Wellington Nogueira" <oliveiraw@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 13:51

Olá Alberto,

Valeu cara! Muito interessante o material indicado. É bom para treinar o
inglês também. :P

[ ]'s
Wellington

----- Original Message -----
From: Alberto Mesquita Filho <albmesq@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, May 13, 2002 2:38 PM
Subject: Re: [ciencialist] Livro - Historia das Ciencias
> Se servir em inglês sugiro
> A History of Science (txt) - Henry Smith Williams
> · Volume 1: The beginnings of science
> · Volume 2: The beginnings of modern science
> · Volume 3: Modern development of the physical sciences
> · Volume 4: Modern development of the chemical and biological
> sciences
>
> Você pode adquirir gratuitamente os quatro volumes (txt) em Project
> Gutenberg: http://promo.net/pg/
>
> [ ]´s
> Alberto
> http://ecientificocultural.com/indice.htm




SUBJECT: Re: [ciencialist] Scientific American em português
FROM: "Luis Roberto Brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 16:00

> Nunca li os artigos dessa revista, mas tava vendo seu histórico... acho
que
> dispensa apresentações. Estou ansioso para comprar a revista de
lançamento.
> Espero que o preço não seja salgado.

Olhando o preco da assinatura ( no site http://www2.uol.com.br/sciam/ )
acho que vai ser algo como R$ 6,90. Pro que eu ganho atualmente... tah
caro!!

> Uma coisa que eles escreveram e que é verdade: o jornalismo científico
está
> crescendo e melhorando (tirando galileu e super, claro). Temos:
> Ciência Hoje, Pesquisa Fapesp (que passou a ser vendida em bancas) e agora
a
> Scientifican American Brasil
> [ ]'s
> Wellington

Nunca vi a Pesquisa Fapesp nas bancas e a CH estah cada vez mais sumida.

Ateh
Luis Brudna



SUBJECT: Re: [ciencialist] Scientific American em português
FROM: Roberto Belisário <rbdiniz@terra.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 19/05/2002 16:07


Oi. A revista Pesquisa Fapesp não era distribuída às bancas.
Deverá sê-lo a partir do próximo número.
Até,
Belisário

At 16:00 19/05/02 -0300, you wrote:

> Nunca vi a Pesquisa Fapesp nas bancas e a CH estah cada vez mais sumida.
>
>Ateh
>Luis Brudna



SUBJECT: Mosquiteiros
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
CC: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 20:31

Claro que jamais entenderei o porque dos três mosqueteiros nunca usarem mosquetes e sim espadas ...
Opa! O assunto é mosquito!
Que eu saiba um termômetro não 'mede' a temperatura de ninguém, a não ser a sua própria. Se ele estiver em equilíbrio térmico com alguém, pelo princípio zero (duas coisas em equilíbrio térmico com um terceiro estarão em equilíbrio térmico entre si), dizemos que a temperatura que ele indica é tb a temperatura desse 'alguém'.
E como coloco um termômetro em equilíbrio térmico com um mosquito? A 'ponta sensora' deve ter, no mínimo, massa bem menor que a do mosquito. Ainda não conheço essa ponta sensora.
Há outra técnica? Talvez colocar um milhão de moscas num calorímetro?

[]'
Léo
===============
-----Mensagem Original-----
De: rodrigo.moschetta@netcon.com.br
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: domingo, 19 de maio de 2002 17:51
Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.





E-mail: rodrigo.moschetta@netcon.com.br
Nome: Rodrigo Moschetta
Cidade: Concórdia
UF: SC
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 08
Dúvida/Sugestão: Como faço para medir a temperatura de um mosquito??


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Essa nao sei mesmo!
FROM: "Villem" <neville@catanduva.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 20:52

Oi Léo

Não sei como prever a duração da pilha de Daniel, mas imagino que dependa,
ao menos parcialmente, do cuidado na sua construção.

Encontrei 2 delas em um ferro-velho, dentro de um equipamento americano
fabricado na década de 40 ou 50, em perfeitas condições e com ddp precisa.
Uma se estragou a 6 anos atras, por falta de cuidado; a outra - que guardo
a sete chaves - está perfeita.

Com base nesta estatística pobre, para uma célula bem construída, acho que
pode ser estimada uma vida média maior que 50 anos.

Um abraço
Neville





SUBJECT: RE: [ciencialist] Mosquiteiros
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 22:00

>Rodrigo Moschetta: Como faço para medir a temperatura de um mosquito??<

É possível medir a temperatura de insetos com uma ponta de prova
especial (termopar), de pequeno diâmetro e constante de tempo baixa. Por
exemplo, no link abaixo, o sensor MT-29/1B (Dia=0.33mm, C=0.015s) é
indicado para medição de temperatura em insetos.

NOTA: Constante de tempo é o tempo que um termopar leva para indicar um
aumento de 63.2% na temperatura do meio.


Type T Thermocouple Probes & Wire
http://www.physitemp.com/type_t.htm


Electronic Thermometers and Data Acquisition Systems
http://www.physitemp.com/electron_therm.htm



-----Original Message-----
From: Luiz Ferraz Netto [mailto:leo@barretos.com.br]
Sent: Sunday, May 19, 2002 7:32 PM
To: ciencialist
Cc: ciencialist
Subject: [ciencialist] Mosquiteiros


Claro que jamais entenderei o porque dos três mosqueteiros nunca usarem
mosquetes e sim espadas ...
Opa! O assunto é mosquito!
Que eu saiba um termômetro não 'mede' a temperatura de ninguém, a não
ser a sua própria. Se ele estiver em equilíbrio térmico com alguém, pelo
princípio zero (duas coisas em equilíbrio térmico com um terceiro
estarão em equilíbrio térmico entre si), dizemos que a temperatura que
ele indica é tb a temperatura desse 'alguém'.
E como coloco um termômetro em equilíbrio térmico com um mosquito? A
'ponta sensora' deve ter, no mínimo, massa bem menor que a do mosquito.
Ainda não conheço essa ponta sensora.
Há outra técnica? Talvez colocar um milhão de moscas num calorímetro?

[]'
Léo
===============
-----Mensagem Original-----
De: rodrigo.moschetta@netcon.com.br
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: domingo, 19 de maio de 2002 17:51
Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.


E-mail: rodrigo.moschetta@netcon.com.br
Nome: Rodrigo Moschetta
Cidade: Concórdia
UF: SC
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 08
Dúvida/Sugestão: Como faço para medir a temperatura de um mosquito??


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: Re: [ciencialist] Essa nao sei mesmo!
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 22:18

Oi Neville,
boa informação.
Acredito, porém, que a "duração" que o consulente se refere relacione-se ao intervalo de tempo de uso contínuo (quanto de energia química tem disponível durante certo tempo, algo como A-h).

Complementando sua informação, não de Daniel mas de Breguet, tenho uma dessa pilha em meu laboratório ... e já passa dos 30 anos. O segredo dessa 'duração no tempo' é que a lâmina central de zinco fica suspensa entre as duas barras de carvão e só é abaixada na ocasião do uso.
Sua célula de Daniel fica com os eletrólitos dentro dela? É fechada hermeticamente? A parede porosa não retém sedimentação?

Sobre pilhas, a que atrai mais atenção dos visitantes aqui em meu laboratório (semana passada recebi 40 alunos + professores da cidade de Frutal - MG) é a "pilha eterna".
Explico: trata-se de uma pilha de telefone (e já tem mais de 15 anos de uso contínuo) que leva em seus terminais um relógio digital dos primeiros modelos para mulheres (tem mostrador de 2 x 3 cm !). Esse relógio originalmente utiliza um pilha botão de 1,3V e, com ela tem duração de 2 anos (o consumo é mínimo, como o são todos os digitais). Um simples cálculo de volume mostra que a pilha de telefone dá para fazer esse relógio funcionar por 8 000 anos! Eterno, para todos os mortais! Vai durar mais que as pirâmides.

Voltando ao Daniel, a primeira idéia que ocorre para estimar sua duração é ligar diretamente um amperômetro analógico bom (resistência interna praticamente nula) em seus terminais (e teremos uma corrente de curto circuito) e verificar quando tenho 'guenta'. Após isso (e refazendo a pilha), colocar uma carga (resistor fixo) desejada e estimar o tempo.
Mas isso iria variar de uma célula para outra. Não é uma boa saída.

[]'
Léo
===============
-----Mensagem Original-----
De: "Villem" <neville@catanduva.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: domingo, 19 de maio de 2002 20:52
Assunto: Re: [ciencialist] Essa nao sei mesmo!


| Oi Léo
|
| Não sei como prever a duração da pilha de Daniel, mas imagino que dependa,
| ao menos parcialmente, do cuidado na sua construção.
|
| Encontrei 2 delas em um ferro-velho, dentro de um equipamento americano
| fabricado na década de 40 ou 50, em perfeitas condições e com ddp precisa.
| Uma se estragou a 6 anos atras, por falta de cuidado; a outra - que guardo
| a sete chaves - está perfeita.
|
| Com base nesta estatística pobre, para uma célula bem construída, acho que
| pode ser estimada uma vida média maior que 50 anos.
|
| Um abraço
| Neville
|
|
|
|
| &&& --- &&&
| VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
| http://www.ciencialist.hpg.com.br
| Para sair da lista envie um mail para
| ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
| &&& --- &&&
|
| Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
|
|



SUBJECT: Re: [ciencialist] Mosquiteiros
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 22:22

Excelente Colucci,
esqueci-me da alta sensibilidade do termopar e de sua reduzida massa. Vou indicar sua resposta ao consulente.

Pergunta minha: será que um mosquito afetaria a temperatura de um termômetro a gás a volume constante? Não me pergunte como eu jogaria o mosquito lá dentro do bulbo.

[]'
Léo
===========
-----Mensagem Original-----
De: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: domingo, 19 de maio de 2002 22:00
Assunto: RE: [ciencialist] Mosquiteiros


>Rodrigo Moschetta: Como faço para medir a temperatura de um mosquito??<

É possível medir a temperatura de insetos com uma ponta de prova
especial (termopar), de pequeno diâmetro e constante de tempo baixa. Por
exemplo, no link abaixo, o sensor MT-29/1B (Dia=0.33mm, C=0.015s) é
indicado para medição de temperatura em insetos.

NOTA: Constante de tempo é o tempo que um termopar leva para indicar um
aumento de 63.2% na temperatura do meio.


Type T Thermocouple Probes & Wire
http://www.physitemp.com/type_t.htm


Electronic Thermometers and Data Acquisition Systems
http://www.physitemp.com/electron_therm.htm



-----Original Message-----
From: Luiz Ferraz Netto [mailto:leo@barretos.com.br]
Sent: Sunday, May 19, 2002 7:32 PM
To: ciencialist
Cc: ciencialist
Subject: [ciencialist] Mosquiteiros


Claro que jamais entenderei o porque dos três mosqueteiros nunca usarem
mosquetes e sim espadas ...
Opa! O assunto é mosquito!
Que eu saiba um termômetro não 'mede' a temperatura de ninguém, a não
ser a sua própria. Se ele estiver em equilíbrio térmico com alguém, pelo
princípio zero (duas coisas em equilíbrio térmico com um terceiro
estarão em equilíbrio térmico entre si), dizemos que a temperatura que
ele indica é tb a temperatura desse 'alguém'.
E como coloco um termômetro em equilíbrio térmico com um mosquito? A
'ponta sensora' deve ter, no mínimo, massa bem menor que a do mosquito.
Ainda não conheço essa ponta sensora.
Há outra técnica? Talvez colocar um milhão de moscas num calorímetro?

[]'
Léo
===============
-----Mensagem Original-----
De: rodrigo.moschetta@netcon.com.br
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: domingo, 19 de maio de 2002 17:51
Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.


E-mail: rodrigo.moschetta@netcon.com.br
Nome: Rodrigo Moschetta
Cidade: Concórdia
UF: SC
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 08
Dúvida/Sugestão: Como faço para medir a temperatura de um mosquito??


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: RE: [ciencialist] Mosquiteiros
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 19/05/2002 22:49

Léo: Será que um mosquito afetaria a temperatura de um termômetro a gás
a volume constante? Não me pergunte como eu jogaria o mosquito lá dentro
do bulbo.

Primeiro uma errata: Relendo a minha mensagem, vi que minha definição de
constante de tempo está errada. Constante de tempo é o tempo que um
termopar leva para reportar 63.2% da mudança de temperatura do meio sob
condições pre-determinadas. A definição é meio difícil de entender, mas
o conceito é simples. Exemplo arbitrário: mergulhe o termopar, que está
à temperatura ambiente (digamos, 25 graus), num copo de água com gêlo
(zero graus). O tempo que o termopar levar para atingir 63.2% da
variação de temperatura (63.2% de 25 graus = 15.8 graus) é a constante
de tempo. Não me pergunte o que diz a norma ABNT, mas a idéia é essa.

Só como curiosidade, conheci um professor de entomologia da Unicamp que
usava termopares para determinar a temperatura retal de moscas. Não sei
se dá para fazer isso com um mosquito. Com uma pulga com certeza não dá.

Quanto à sua pergunta, a resposta é sim. Dentro de certos limites, a
massa da amostra não seria obstáculo se o termômetro a gás fosse de
dimensões adequadas. Uma outra possibilidade, já no campo da
especulação, é usar detecção de radiação infravermelha por imagens. Com
o equipamento correto ($$$) é possível uma precisão de alguns centésimos
de grau.

Abraço,
Colucci




SUBJECT: Fw: [ciencialist] Mosquiteiros
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
CC: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 20/05/2002 00:18




Excelente Colucci,
esqueci-me da alta sensibilidade do termopar e de sua reduzida massa. Vou indicar sua resposta ao consulente.

Pergunta minha: será que um mosquito afetaria a temperatura de um termômetro a gás a volume constante? Não me pergunte como eu jogaria o mosquito lá dentro do bulbo.

[]'
Léo
===========
-----Mensagem Original-----
De: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: domingo, 19 de maio de 2002 22:00
Assunto: RE: [ciencialist] Mosquiteiros


>Rodrigo Moschetta: Como faço para medir a temperatura de um mosquito??<

É possível medir a temperatura de insetos com uma ponta de prova
especial (termopar), de pequeno diâmetro e constante de tempo baixa. Por
exemplo, no link abaixo, o sensor MT-29/1B (Dia=0.33mm, C=0.015s) é
indicado para medição de temperatura em insetos.

NOTA: Constante de tempo é o tempo que um termopar leva para indicar um
aumento de 63.2% na temperatura do meio.


Type T Thermocouple Probes & Wire
http://www.physitemp.com/type_t.htm


Electronic Thermometers and Data Acquisition Systems
http://www.physitemp.com/electron_therm.htm



-----Original Message-----
From: Luiz Ferraz Netto [mailto:leo@barretos.com.br]
Sent: Sunday, May 19, 2002 7:32 PM
To: ciencialist
Cc: ciencialist
Subject: [ciencialist] Mosquiteiros


Claro que jamais entenderei o porque dos três mosqueteiros nunca usarem
mosquetes e sim espadas ...
Opa! O assunto é mosquito!
Que eu saiba um termômetro não 'mede' a temperatura de ninguém, a não
ser a sua própria. Se ele estiver em equilíbrio térmico com alguém, pelo
princípio zero (duas coisas em equilíbrio térmico com um terceiro
estarão em equilíbrio térmico entre si), dizemos que a temperatura que
ele indica é tb a temperatura desse 'alguém'.
E como coloco um termômetro em equilíbrio térmico com um mosquito? A
'ponta sensora' deve ter, no mínimo, massa bem menor que a do mosquito.
Ainda não conheço essa ponta sensora.
Há outra técnica? Talvez colocar um milhão de moscas num calorímetro?

[]'
Léo
===============
-----Mensagem Original-----
De: rodrigo.moschetta@netcon.com.br
Para: leo@barretos.com.br
Enviada em: domingo, 19 de maio de 2002 17:51
Assunto: Perfil Feira de Ciências, dúvidas e sugestões.


E-mail: rodrigo.moschetta@netcon.com.br
Nome: Rodrigo Moschetta
Cidade: Concórdia
UF: SC
Nível de Escolaridade: Médio
Profissão: Estudante
Sala de Dúvida/Sugestão: Sala 08
Dúvida/Sugestão: Como faço para medir a temperatura de um mosquito??


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: Ratos e Metafisica
FROM: "Fabiano Reis" <bilreis@yahoo.com.br>
TO: Ciência List <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, "Comunidade Virtual de Filosofia" <virtual-filosofia@egroups.com>, Acrópolis <acropolis@yahoogrupos.com.br>
DATE: 20/05/2002 00:28

(Para os que ainda tem um invencível apreço pelas metafísicas dualizantes,
vale lembrar que todos possuem, afinal, uma origem comum)


Raça humana descende de um animal parecido com o rato

Quarta, 24 de abril de 2002

Uma equipe de cientistas dos Estados Unidos revelou que a raça humana
descende de um animal parecido com o rato, que viveu na era dos dinossauros
há 125 milhões de anos. O estudo foi divulgado hoje pela revista britânica
Nature.

Esta conclusão foi possível depois da descoberta do fóssil mais antigo
encontrado até o momento de um mamífero com placenta. O animal viveu na
época dos dinossauros na província chinesa de Liaoning, conforme cientistas
do Museu da História Natural de Carnegie, em Pittsburg (EUA).

O animal, similar a um rato, tinha uma longa cauda e um comprimento de 16
centímetros, se alimentava provavelmente de insetos e é o exemplo mais
antigo conhecido da subclasse de mamíferos eutérios - aqueles que se
desenvolvem em uma placenta - ao contrário dos metatérios, cujos
recém-nascidos imaturos completam seu desenvolvimento em uma bolsa
marsupial, como os cangurus.

Os pesquisadores que encontraram o fóssil, lhe deram o nome de "mãe do
amanhecer". Esta espécie de rato tinha longos dedos que o possibilitavam
subir nas árvores, o que lhe permitia evitar serem devorados pelos
dinossauros.

As investigações revelaram que esta espécie de mamíferos tinha um longo
período de gestação, durante o qual nutria suas crias através da placenta.
Embora o Eomalia seja o antecessor dos mamíferos que se alimentam através da
placenta durante o período de gestação, os pesquisadores acreditam que ele
se reproduzia de forma similar aos atuais marsupiais (cangurus). Os
cientistas chegaram a esta conclusão porque algumas partes do esqueleto
encontrado sugerem uma gestação curta e uma alimentação posterior da cria
suspensa no abdômen.






SUBJECT: (off-topic) Cem melhores livros
FROM: "Fabiano Reis" <bilreis@yahoo.com.br>
TO: "Lista Vital" <listavital@yahoogroups.com>, Ciência List <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, "Espiritismo NET" <espiritismonet@yahoogrupos.com.br>, "Comunidade Virtual de Filosofia" <virtual-filosofia@egroups.com>, Acrópolis <acropolis@yahoogrupos.com.br>
DATE: 20/05/2002 05:38

"Grande sertão: Veredas" é única obra brasileira entre os 100 melhores de
todos os tempos

EPOCA, 09.05.2002

"Dom Quixote", do espanhol Miguel de Cervantes, foi eleito o melhor livro de
todos os tempos, escolha de cem escritores de 54 países, consultados por um
clube literário da Noruega. Entre os que votaram, estavam Salman Rushdie,
Doris Lessing, Nadine Gordimer, Saemus Heaney, Carlos Fuentes e Norma
Mailer.

Ao anunciar o prêmio, em Oslo, o escritor nigeriano Ben Okri, ganhador do
Nobel de Literatura, disse que "Dom Quixote", com sua narrativa sobre um
cavaleiro medieval enloquecido pela leitura de muitos romances e repleto de
heroísmo desorientado, "tem uma história maravilhosa e complexa, mas é muito
simples". Segundo Okri, se há um romance que a gente deve ler antes de
morrer, é "Dom Quixote".

Dez autores tiveram mais de um livro na lista. Entre eles, Dostoiesvski, com
quatro, e Shakespeare e Kafka, com três cada. Com dois livros cada, aparecem
William Faulkner, Virginia Woolf e Gabriel García Márquez. Onze autores são
mulheres, e dois terços dos livros são de autores europeus. A lista inclui
apenas uma obra brasileira: "Grande sertão: Veredas", de Guimarães Rosa.

Só "Dom Quixote" ganhou uma classificação, como vencedor, e os outros livros
escolhidos entraram na lista por ordem alfabética do sobrenome do autor.
Como foi um levantamento internacional, as obras estão com seus títulos em
inglês. Os leitores desta nota que me perdoem, mas a lista é grande e deixo
a vocês a diversão de buscar o título em português, quando houver. [Silio
Boccanera]


Chinua Achebe (nascido em 1930), Nigéria, "Things Fall Apart"

Hans Christian Andersen (1805-1875), Dinamarca, "Fairy Tales and Stories"

Jane Austen (1775-1817), Inglaterra, "Pride and Prejudice"

Honore de Balzac (1799-1850), França, "Old Goriot"

Samuel Beckett (1906-1989), Irlanda, "Trilogy: Molloy, Malone Dies, The
Unnamable"

Giovanni Boccaccio (1313-1375), Itália, "Decameron"

Jorge Luis Borges (1899-1986), Argentina, "Collected Fictions"

Emily Bronte (1818-1848), Inglaterra, "Wuthering Heights"

Albert Camus (1913-1960), França, "The Stranger"

Paul Celan (1920-1970), Romênia/França, "Poems".

Louis-Ferdinand Celine (1894-1961), França, "Journey to the End of the
Night"

Miguel de Cervantes Saavedra (1547-1616), Espanha, "Dom Quixote"

Geoffrey Chaucer (1340-1400), Inglaterra, "Canterbury Tales"

Joseph Conrad (1857-1924), Inglaterra, "Nostromo"

Dante Alighieri (1265-1321), Itália, "The Divine Comedy"

Charles Dickens (1812-1870), Inglaterra, "Great Expectations"

Denis Diderot (1713-1784), França, "Jacques the Fatalist and His Master

Alfred Doblin (1878-1957), Alemanha, "Berlin Alexanderplatz"

Fyodor M. Dostoievski (1821-1881), Rússia, "Crime and Punishment"; "The
Idiot"; "The Possessed"; "The Brothers Karamazov"

George Eliot (1819-1880), Inglaterra, "Middlemarch"

Ralph Ellison (1914-1994), Estados Unidos, "Invisible Man"

Euripides (480-406 a.C.), Grécia, "Medea"

William Faulkner (1897-1962), Estados Unidos, "Absalom, Absalom"; "The Sound
and the Fury"

Gustave Flaubert (1821-1880), França, "Madame Bovary"; "A Sentimental
Education"

Federico García Lorca (1898-1936), Espanha, "Gypsy Ballads"

Gabriel García Márquez (nascido em 1928), Colômbia, "One Hundred Years of
Solitude"; "Love in the Time of Cholera"

"Gilgamesh", Mesopotâmia (1800 a.C.).

Johann Wolfgang von Goethe (1749-1832), Alemanha, "Faust"

Nikolai Gogol (1809-1852), Rússia, "Dead Souls"

Gunter Grass (nascido em 1927), Alemanha, "The Tin Drum"

João Guimarães Rosa (1880-1967), Brasil, "The Devil to Pay in the Backlands"

Knut Hamsun (1859-1952), Noruega, "Hunger"

Ernest Hemingway (1899-1961), Estados Unidos, "The Old Man and the Sea"

Homero (700 a.C.), Grécia, "The Iliad"; "The Odyssey"

Henrik Ibsen (1828-1906), Nouega, "A Doll's House"

"The Book of Job", Israel (600-400 aC)

James Joyce (1882-1941), Irlanda, "Ulysses"

Franz Kafka (1883-1924), Boêmia, "The Complete Stories"; "The Trial"; "The
Castle Bohemia"

Kalidasa (400 d.C.), Índia, "The Recognition of Sakuntala"

Yasunari Kawabata (1899-1972), Japão, "The Sound of the Mountain"

Nikos Kazantzakis (1883-1957), Grécia, "Zorba the Greek"

D.H. Lawrence (1885-1930), Inglaterra, "Sons and Lovers"

Halldor K. Laxness (1902-1998), Islândia, "Independent People"

Giacomo Leopardi (1798-1837), Itália, "Complete Poems"

Doris Lessing (nascida em 1919), Inglaterra, "The Golden Notebook"

Astrid Lindgren (1907-2002), Suécia, "Pippi Longstocking"

Lu Xun (1881-1936), China, "Diary of a Madman and Other Stories"

"Mahabharata" (500 a.C.), Índia

Naguib Mahfouz (nascido em 1911), Egito, "Children of Gebelawi"

Thomas Mann (1875-1955), Alemanha, "Buddenbrook"; "The Magic Mountain"

Herman Melville (1819-1891), Estados Unidos, "Moby Dick"

Michel de Montaigne (1533-1592), França, "Essays"

Elsa Morante (1918-1985), Itália, "History"

Toni Morrison (nascida em 1931), Estados Unidos, "Beloved"

Shikibu Murasaki (não divulgado), Japão, "The Tale of Genji Genji"

Robert Musil (1880-1942), Áustria, "The Man Without Qualities"

Vladimir Nabokov (1899-1977), Rússia/Estados Unidos, "Lolita"

"Njaals Saga" (1300), Islândia

George Orwell (1903-1950), Inglaterra, "1984"

Ovid (43 a.C.-17 a.C.), Itália, "Metamorfoses"

Fernando Pessoa (1888-1935), Portugal, "The Book of Disquiet"

Edgar Allan Poe (1809-1849), Estados Unidos, "The Complete Tales"

Marcel Proust (1871-1922), França, "Remembrance of Things Past"

François Rabelais (1495-1553), França, "Gargantua and Pantagruel"

Juan Rulfo (1918-1986), México, "Pedro Paramo"

Jalal ad-din Rumi (1207-1273), Irã, "Mathnawi"

Salman Rushdie (nascido em 1947), Índia/Inglaterra, "Midnight's Children"

Sheikh Musharrif ud-din Sadi (1200-1292), Irã, "The Orchard"

Tayeb Salih (nascido em 1929), Sudão, "Season of Migration to the North"

José Saramago (nascido em 1922), Portugal, "Blindness"

William Shakespeare (1564-1616), Inglaterra, "Hamlet"; "King Lear";
"Othello"

Sophocles (496-406 a.C.), Grécia, "Oedipus the King"

Stendhal (1783-1842), França, "The Red and the Black"

Laurence Sterne (1713-1768), Irlanda, "The Life and Opinions of Tristram
Shandy"

Italo Svevo (1861-1928), Itália, "Confessions of Zeno"

Jonathan Swift (1667-1745), Irlanda, "Gulliver's Travels"

Leo Tolstoy (1828-1910), Rússia, "War and Peace"; "Anna Karenina"; "The
Death of Ivan Ilyich and Other Stories"

Anton P. Chekhov (1860-1904), Rússia, "Selected Stories"

"Thousand and One Nights" (700-1500), Índia/Irã/Iraque/Egito

Mark Twain (1835-1910), Estados Unidos, "The Adventures of Huckleberry Finn"

Valmiki (300 a.C.), Índia, "Ramayana"

Virgil (70-19 a.C.), Itália, "The Aeneid"

Walt Whitman (1819-1892), Estados Unidos, "Leaves of Grass"

Virginia Woolf (1882-1941), Inglaterra, "Mrs. Dalloway To the Lighthouse"

Marguerite Yourcenar (1903-1987), França, "Memoirs of Hadrian"





SUBJECT: Re: Ratos e Metafisica
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 20/05/2002 08:47

--- Em ciencialist@y..., "Fabiano Reis" <bilreis@y...> escreveu
> Raça humana descende de um animal parecido com o rato
>
> Quarta, 24 de abril de 2002
>
> Esta conclusão foi possível depois da descoberta do fóssil mais
> antigo encontrado até o momento de um mamífero com placenta.

> O animal [...] é o exemplo mais antigo conhecido da subclasse de
> mamíferos eutérios [...]

> os pesquisadores acreditam que ele
> se reproduzia de forma similar aos atuais marsupiais (cangurus).

Esses jornalistas... embolaram o meio de campo.
Ou e' um placentario e, portanto, sua gestacao e' totalmente
intra-uterina ou e' um marsupial e a gestacao termina
em uma bolsa.

http://www.sciam.com/news/042502/1.html

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Susto
FROM: "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de" <alxmpub@uol.com.br>
TO: "'Ciencialist (br)'" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 20/05/2002 09:59

Olá pessoal!

Há alguns dias pedi conselho médico a vocês,
no qual fui prontamente atendido pelo
André Baptista, Marco Aurélio e Monge Ateu.

Minha filhota, Julinha, teve uma gripe e seu
quadro acabou culminando numa bronco-pneumonia
grave. Passou nove dias internada no hospital
espetada em agulhas e entupida de remédios.

Teve alta sexta-feira e está se recuperando muito
bem, haja vista seu apetite insaciável e o ótimo
humor, toda sorrisos. Hoje ela fará mais um RX
para afastar qualquer dúvida.

Como disse o Marco Aurélio as gripes atuais são
realmente muito malignas. A ala pediátrica do
hospital estava lotada de crianças todas com
bronquiolite, pneumonia e bronco-pneumonia.
São doenças respiratórias que podem matar
crianças que não são atendidas com urgência.
Virus e bactérias estão cada vez mais letais
e resistentes. Ambientes altamente poluidos
e de alta densidade demográfica favorecem
esses surtos. Megalópoles como S.Paulo são
altamente tóxicas para nossas crianças.

Penso em me mudar para o interior num futuro
próximo.

Abraços,

Alexandre Medeiros


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Susto
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 20/05/2002 11:45

--- Em ciencialist@y..., "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
> Teve alta sexta-feira e está se recuperando muito
> bem, haja vista seu apetite insaciável e o ótimo
> humor, toda sorrisos.

Ficamos todos felizes com as boas novas.

> Virus e bactérias estão cada vez mais letais
> e resistentes.

E o ambiente esta' relativamente agressivo --
estresse, falta de sono, alergenos...
diminuindo a atividade imulogica geral dos
organismos.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Psicoterapia e drogas
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 20/05/2002 22:54

Oi,

Vejam esse texto do jornalista americano John Horgan, sobre a eficácia da psicofarmacologia e da psicoterapia:

"Talvez o maior mito da biopsiquiatria seja o de que os antidepressivos representam um tremendo avanço em relação à psicoterapia isolada no tratamento da depressão. Na realidade, psicoterapia e drogas produzem resultados aproximadamente comparáveis, segundo um informe publicado em 1995 em 'professional psychology' por David Antonuccio, da faculdade de medicina da Universidade de Nevada, e dois colegas. Os pesquisadores constataram que 'várias metanálises -- relatadas em publicações especializadas de psiquiatria e psicologia -- abrangendo numerosos estudos com milhares de pacientes corroboram com notável consistência a perspectiva de que a psicoterapia é no mínimo tão eficaz quanto a medicação no tratamento da depressão.' Em outras palavras, a declaração de Dodó em 'Alice no País das Maravilhas' -- 'todo mundo ganhou, e todos devem ser premiados' -- aplica-se não só à psicoterapia, mas também à psicofarmacologia.

Essa conclusão foi confirmada por um dos mais rigorosos estudos sobre depressão já realizados: o Programa de Pesquisas Conjuntas sobre Tratamento da Depressão, lançado pelo National Institute of Mental Health -- NIMH -- em fins dos anos 70. O estudo abrangeu 239 pacientes com depressão, tratados por dezesseis semanas em três hospitais, com um dos quatro métodos a seguir:

- Terapia cognitiva-comportamental.
- Terapia interpessoal, concentrada nas relações do paciente com outras pessoas.
- Imipramina, um antidepressivo tricíclico, juntamente com acompanhamento clínico, uma breve consulta semanal com o médico que prescreve a droga, como uma espécie de psicoterapia placebo.
- Um comprimido de placebo juntamente com acompanhamento clínico.

O programa contra a depressão do NIMH contém alguma coisa para agradar -- e desagradar -- quase todo mundo. Mesmo antes da primeira publicação de resultados, em 1989, psicólogos afirmaram que o programa havia demonstrado a validade da psicoterapia. O 'New York Times' anunciou em primeira página: 'Estudo comprova: psicoterapia é tão eficaz quanto drogas na cura da depressão'. Em outra frente, defensores da terapia cognitiva-comportamental garantiram que ela produzia os melhores resultados a longo prazo, e a imipramina, os piores. Os terapeutas interpessoais exultaram porque sua técnica funcionou melhor do que a terapia cognitiva-comportamental (embora não tão bem quanto a imipramina) para pacientes gravemente doentes.

Os proponentes dos antidepressivos aferraram-se ao fato de que um grupo de pacientes gravemente deprimidos, em especial os decritos como 'gravemente incapacitados', a princípio pareceram responder melhor à imipramina do que a qualquer uma das psicoterapias. Com base nesse dado, a American Psychiatric Association recomentou, em 1993, o emprego de drogas no tratamento inicial da depressão. Com efeito, a principal descoberta do projeto do NIMH foi que todos os quatro métodos produziram aproximadamente os mesmos resultados ou ausência de resultados. Segundo algumas mensurações, os pacientes responderam melhor ao placebo e ao acompanhamento clínico.
.......
Um dado notável, segundo Elkin, foi a porcentagem relativamente pequena de pacientes que seguem todo o tratamento, recuperam-se por completo e permanecem inteiramente bem durante os dezoito meses do período de acompanhamento pós-tratamento. (...) Foram estas as porcentagem de pacientes que permaneceram bem em cada método: terapia cognitiva- comportamental, 30%; terapia interpessoal, 26%; placebo mais acompanhamento clínico, 20%; e imipramina, 19%."

(texto extraído do livro "A Mente Desconhecida", de John Horgan -- pp. 153/155; Companhia das Letras)

[]s
Manuel Bulcão


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Psicoterapia e Drogas
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 20/05/2002 22:56

Oi,

Vejam esse texto do jornalista americano John Horgan, sobre a eficácia da
psicofarmacologia e da psicoterapia:

"Talvez o maior mito da biopsiquiatria seja o de que os antidepressivos
representam um tremendo avanço em relação à psicoterapia isolada no
tratamento da depressão. Na realidade, psicoterapia e drogas produzem
resultados aproximadamente comparáveis, segundo um informe publicado em 1995
em 'professional psychology' por David Antonuccio, da faculdade de medicina
da Universidade de Nevada, e dois colegas. Os pesquisadores constataram que
'várias metanálises -- relatadas em publicações especializadas de
psiquiatria e psicologia -- abrangendo numerosos estudos com milhares de
pacientes corroboram com notável consistência a perspectiva de que a
psicoterapia é no mínimo tão eficaz quanto a medicação no tratamento da
depressão.' Em outras palavras, a declaração de Dodó em 'Alice no País das
Maravilhas' -- 'todo mundo ganhou, e todos devem ser premiados' -- aplica-se
não só à psicoterapia, mas também à psicofarmacologia.

Essa conclusão foi confirmada por um dos mais rigorosos estudos sobre
depressão já realizados: o Programa de Pesquisas Conjuntas sobre Tratamento
da Depressão, lançado pelo National Institute of Mental Health -- NIMH -- em
fins dos anos 70. O estudo abrangeu 239 pacientes com depressão, tratados
por dezesseis semanas em três hospitais, com um dos quatro métodos a seguir:

- Terapia cognitiva-comportamental.
- Terapia interpessoal, concentrada nas relações do paciente com outras
pessoas.
- Imipramina, um antidepressivo tricíclico, juntamente com acompanhamento
clínico, uma breve consulta semanal com o médico que prescreve a droga, como
uma espécie de psicoterapia placebo.
- Um comprimido de placebo juntamente com acompanhamento clínico.

O programa contra a depressão do NIMH contém alguma coisa para agradar -- e
desagradar -- quase todo mundo. Mesmo antes da primeira publicação de
resultados, em 1989, psicólogos afirmaram que o programa havia demonstrado a
validade da psicoterapia. O 'New York Times' anunciou em primeira página:
'Estudo comprova: psicoterapia é tão eficaz quanto drogas na cura da
depressão'. Em outra frente, defensores da terapia cognitiva-comportamental
garantiram que ela produzia os melhores resultados a longo prazo, e a
imipramina, os piores. Os terapeutas interpessoais exultaram porque sua
técnica funcionou melhor do que a terapia cognitiva-comportamental (embora
não tão bem quanto a imipramina) para pacientes gravemente doentes.

Os proponentes dos antidepressivos aferraram-se ao fato de que um grupo de
pacientes gravemente deprimidos, em especial os decritos como 'gravemente
incapacitados', a princípio pareceram responder melhor à imipramina do que a
qualquer uma das psicoterapias. Com base nesse dado, a American Psychiatric
Association recomentou, em 1993, o emprego de drogas no tratamento inicial
da depressão. Com efeito, a principal descoberta do projeto do NIMH foi que
todos os quatro métodos produziram aproximadamente os mesmos resultados ou
ausência de resultados. Segundo algumas mensurações, os pacientes
responderam melhor ao placebo e ao acompanhamento clínico.
.......
Um dado notável, segundo Elkin, foi a porcentagem relativamente pequena de
pacientes que seguem todo o tratamento, recuperam-se por completo e
permanecem inteiramente bem durante os dezoito meses do período de
acompanhamento pós-tratamento. (...) Foram estas as porcentagem de pacientes
que permaneceram bem em cada método: terapia cognitiva- comportamental, 30%;
terapia interpessoal, 26%; placebo mais acompanhamento clínico, 20%; e
imipramina, 19%."

(texto extraído do livro "A Mente Desconhecida", de John Horgan -- pp.
153/155; Companhia das Letras)

[]s
Manuel Bulcão



SUBJECT: Stephen Gould morreu :-(
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 20/05/2002 23:07

Stephen Gould, "papa" da paleontologia moderna, morre aos 60

da Folha Online

O biólogo evolucionista Stephen Jay Gould, um dos "papas" da paleontologia moderna, morreu hoje aos 60 anos em sua casa em Manhattan, Nova York, de câncer, anunciou sua mulher Rhonda Roland Schearer.

O jornal "New York Times" descreve Gould como provavelmente o "mais influente e mais conhecido biólogo evolucionista desde Charles Darwin", pois fez a comunidade científica internacional rever seus antigos conceitos de paleontologia.

Nascido em 10 de setembro de 1941 em Nova York, Gould decidiu tornar-se paleontólogo aos 5 anos, quando visitou um Museu Americano de História Natural com seu pai. "Eu sonhei em tornar-me um cientista, em geral, e um paleontólogo, em particular, quando um esqueleto de tiranossauro me deixou apavorado", escreveu Gould em um artigo.

Após se formar em geologia e cursar o doutorado em paleontologia na Universidade Columbia em 1967, ele tornou-se professor da prestigiada Universidade de Harvard - onde permaneceu por toda sua carreira.

Em 1972, com seu colega Niles Eldredge, ele lançou uma nova teoria de evolução, na qual algumas espécies evoluem pouco em milhares de anos, enquanto outras surgem e sofrem mudanças drásticas em pouco tempo.

Em 1977, Gould lançou o livro "Ontogenia e Filogenia", em que disserta sobre o desenvolvimento dos organismos. Muitos cientistas creditam a essa obra a inspiração para o estudo da área.

No entanto, sua obra máxima foi "A Estrutura da Teoria Evolucionária", em que ele mostra sua visão baseada na teoria de Darwin e faz suas próprias contribuições para a teoria de macroevolução, inserindo a paleontologia nesse contexto.

Diferentemente de Darwin, Gould é adepto da tese de que a seleção natural não age apenas sobre os organismos (os mais aptos deixam maior descendência), mas em vários níveis hierárquicos: genes, linhagens de células, indivíduos, populações, espécies e mesmo grupos superiores de classificação, como gênero).

Gould também escreveu numerosos artigos e ensaios, principalmente para a revista "Natural History", misturando sua experiência como professor com sua paixão pelo beisebol para explicar termos científicos para leigos.

O biólogo recebeu diversos prêmios e foi presidente da Associação Americana para o Avanço da Ciência.



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Sthphen Gould morreu :-(
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 20/05/2002 23:11

Stephen Gould, "papa" da paleontologia moderna, morre aos 60

da Folha Online

O biólogo evolucionista Stephen Jay Gould, um dos "papas" da paleontologia
moderna, morreu hoje aos 60 anos em sua casa em Manhattan, Nova York, de
câncer, anunciou sua mulher Rhonda Roland Schearer.

O jornal "New York Times" descreve Gould como provavelmente o "mais
influente e mais conhecido biólogo evolucionista desde Charles Darwin", pois
fez a comunidade científica internacional rever seus antigos conceitos de
paleontologia.

Nascido em 10 de setembro de 1941 em Nova York, Gould decidiu tornar-se
paleontólogo aos 5 anos, quando visitou um Museu Americano de História
Natural com seu pai. "Eu sonhei em tornar-me um cientista, em geral, e um
paleontólogo, em particular, quando um esqueleto de tiranossauro me deixou
apavorado", escreveu Gould em um artigo.

Após se formar em geologia e cursar o doutorado em paleontologia na
Universidade Columbia em 1967, ele tornou-se professor da prestigiada
Universidade de Harvard - onde permaneceu por toda sua carreira.

Em 1972, com seu colega Niles Eldredge, ele lançou uma nova teoria de
evolução, na qual algumas espécies evoluem pouco em milhares de anos,
enquanto outras surgem e sofrem mudanças drásticas em pouco tempo.

Em 1977, Gould lançou o livro "Ontogenia e Filogenia", em que disserta sobre
o desenvolvimento dos organismos. Muitos cientistas creditam a essa obra a
inspiração para o estudo da área.

No entanto, sua obra máxima foi "A Estrutura da Teoria Evolucionária", em
que ele mostra sua visão baseada na teoria de Darwin e faz suas próprias
contribuições para a teoria de macroevolução, inserindo a paleontologia
nesse contexto.

Diferentemente de Darwin, Gould é adepto da tese de que a seleção natural
não age apenas sobre os organismos (os mais aptos deixam maior
descendência), mas em vários níveis hierárquicos: genes, linhagens de
células, indivíduos, populações, espécies e mesmo grupos superiores de
classificação, como gênero).

Gould também escreveu numerosos artigos e ensaios, principalmente para a
revista "Natural History", misturando sua experiência como professor com sua
paixão pelo beisebol para explicar termos científicos para leigos.

O biólogo recebeu diversos prêmios e foi presidente da Associação Americana
para o Avanço da Ciência.



SUBJECT: Re: [ciencialist] Susto
FROM: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 21/05/2002 00:52

In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
<alxmpub@uol.com.br> wrote:

"... Teve alta sexta-feira e está se recuperando muito
bem, haja vista seu apetite insaciável e o ótimo
humor, toda sorrisos."

Alô Alexandre,

Realmente fiquei procupado com a saúde de sua filhinha. Estou muito contente
que se haja recuperado. Espero que siga crescendo e sempre com essa alegria
que possuem as crianças queridas pelos pais.

É certo que a poluição aumenta o risco de complicações. No entanto não se
pode ficar muito tranqüilo. Depois que o pediatra aprovar, passe a vaciná-la
contra a gripe e a pneumonia. A vacina da gripe se renova cada ano. A da
pneumonia dura cinco anos. As doenças virais (a gripe é a principal) sempre
provocam uma depressão do sistema imunitario. Esta imunodepressão faz com
que as pessoas fiquem mais vulnerável e terminem por contrair uma
superinfecção.

Espero que Vc. siga feliz. Um abração e um beijo à sua filhinha.
Valeu!
[ ]s

Marco A. Andrade
clave@speedy.com.ar


----- Original Message -----
From:
To: "'Ciencialist (br)'" <>
Sent: Monday, May 20, 2002 9:59 AM
Subject: [ciencialist] Susto


Olá pessoal!

Há alguns dias pedi conselho médico a vocês,
no qual fui prontamente atendido pelo
André Baptista, Marco Aurélio e Monge Ateu.

Minha filhota, Julinha, teve uma gripe e seu
quadro acabou culminando numa bronco-pneumonia
grave. Passou nove dias internada no hospital
espetada em agulhas e entupida de remédios.

Hoje ela fará mais um RX
para afastar qualquer dúvida.

Como disse o Marco Aurélio as gripes atuais são
realmente muito malignas. A ala pediátrica do
hospital estava lotada de crianças todas com
bronquiolite, pneumonia e bronco-pneumonia.
São doenças respiratórias que podem matar
crianças que não são atendidas com urgência.
Virus e bactérias estão cada vez mais letais
e resistentes. Ambientes altamente poluidos
e de alta densidade demográfica favorecem
esses surtos. Megalópoles como S.Paulo são
altamente tóxicas para nossas crianças.

Penso em me mudar para o interior num futuro
próximo.

Abraços,

Alexandre Medeiros


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


&&& --- &&&
VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
http://www.ciencialist.hpg.com.br
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
&&& --- &&&

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: Stephen Gould morreu :-(
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 21/05/2002 08:25

Pombas.

Pessoal, preparem o terreno antes de dar
noticias como essa. Pega a gente desprevenido...

http://www.uol.com.br/folha/ciencia/ult306u6533.shtml

E ainda falaram bobagem sobre a teoria do
equilibrio pontuado de Gould e Eldredge.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Susto
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 21/05/2002 09:38

Oi Medeiros,
não recebi em minha pasta sua mensagem original, abaixo citado pelo Marco. Perceba meu contentamento pela recuperação da filhota. Tenho dois 'tijolos' em casa (3 e 4 anos - Guto e Bia); eles constroem minha felicidade. Sei como é isso!

Aquele abraço,

Léo
=============
-----Mensagem Original-----
De: "Marco Aurelio" <clave@speedy.com.ar>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: terça-feira, 21 de maio de 2002 00:52
Assunto: Re: [ciencialist] Susto


| In ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Medeiros, Alexandre Pimentel Cabral de"
| <alxmpub@uol.com.br> wrote:
|
| "... Teve alta sexta-feira e está se recuperando muito
| bem, haja vista seu apetite insaciável e o ótimo
| humor, toda sorrisos."
|
| Alô Alexandre,
|
| Realmente fiquei procupado com a saúde de sua filhinha. Estou muito contente
| que se haja recuperado. Espero que siga crescendo e sempre com essa alegria
| que possuem as crianças queridas pelos pais.
|
| É certo que a poluição aumenta o risco de complicações. No entanto não se
| pode ficar muito tranqüilo. Depois que o pediatra aprovar, passe a vaciná-la
| contra a gripe e a pneumonia. A vacina da gripe se renova cada ano. A da
| pneumonia dura cinco anos. As doenças virais (a gripe é a principal) sempre
| provocam uma depressão do sistema imunitario. Esta imunodepressão faz com
| que as pessoas fiquem mais vulnerável e terminem por contrair uma
| superinfecção.
|
| Espero que Vc. siga feliz. Um abração e um beijo à sua filhinha.
| Valeu!
| [ ]s
|
| Marco A. Andrade
| clave@speedy.com.ar
|
|
| ----- Original Message -----
| From:
| To: "'Ciencialist (br)'" <>
| Sent: Monday, May 20, 2002 9:59 AM
| Subject: [ciencialist] Susto
|
|
| Olá pessoal!
|
| Há alguns dias pedi conselho médico a vocês,
| no qual fui prontamente atendido pelo
| André Baptista, Marco Aurélio e Monge Ateu.
|
| Minha filhota, Julinha, teve uma gripe e seu
| quadro acabou culminando numa bronco-pneumonia
| grave. Passou nove dias internada no hospital
| espetada em agulhas e entupida de remédios.
|
| Hoje ela fará mais um RX
| para afastar qualquer dúvida.
|
| Como disse o Marco Aurélio as gripes atuais são
| realmente muito malignas. A ala pediátrica do
| hospital estava lotada de crianças todas com
| bronquiolite, pneumonia e bronco-pneumonia.
| São doenças respiratórias que podem matar
| crianças que não são atendidas com urgência.
| Virus e bactérias estão cada vez mais letais
| e resistentes. Ambientes altamente poluidos
| e de alta densidade demográfica favorecem
| esses surtos. Megalópoles como S.Paulo são
| altamente tóxicas para nossas crianças.
|
| Penso em me mudar para o interior num futuro
| próximo.
|
| Abraços,
|
| Alexandre Medeiros
|
|
| [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
|
|
| &&& --- &&&
| VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
| http://www.ciencialist.hpg.com.br
| Para sair da lista envie um mail para
| ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
| &&& --- &&&
|
| Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
| http://br.yahoo.com/info/utos.html
|
|
|
|
| &&& --- &&&
| VISITE a pagina de apoio a Ciencialist
| http://www.ciencialist.hpg.com.br
| Para sair da lista envie um mail para
| ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
| &&& --- &&&
|
| Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
|
|



SUBJECT: Re: Susto
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 21/05/2002 10:25

Caro Alexandre,

> Teve alta sexta-feira e está se recuperando muito
> bem, haja vista seu apetite insaciável e o ótimo
> humor, toda sorrisos. Hoje ela fará mais um RX
> para afastar qualquer dúvida.

Afinal, tudo vai bem quando acaba bem! Sei como você se sentiu porque
que passei por situação muito semelhante dois anos atrás.

Infelizmente, porém, nem sempre os finais são felizes. Perdi um prima
muito querida a duas semanas atrás, vítima de uma hepatite
fulminante. Ela estava na Itália e morreu em dez dias. Tinha 22 anos.
Algumas formas de hepatite são transmitidas sexualmente, e outras
através de alimentos contaminados. Não tenho certeza qual tipo ela
pegou. A hepatite fulminante requer transplante de fígado sempre e
termina em óbito 90% das vezes. Triste.


>
> Como disse o Marco Aurélio as gripes atuais são
> realmente muito malignas. A ala pediátrica do
> hospital estava lotada de crianças todas com
> bronquiolite, pneumonia e bronco-pneumonia.
> São doenças respiratórias que podem matar
> crianças que não são atendidas com urgência.
> Virus e bactérias estão cada vez mais letais
> e resistentes. Ambientes altamente poluidos
> e de alta densidade demográfica favorecem
> esses surtos. Megalópoles como S.Paulo são
> altamente tóxicas para nossas crianças.
>
> Penso em me mudar para o interior num futuro
> próximo.

O ar de São Paulo é um veneno para a saúde respiratória. Depois que
mudei para Maceió passei mais de dois anos sem contrair uma gripe. Em
São Paulo uma gripe a cada seis meses era de lei. Agora estou
voltando, mas para o interior. Aliás, quando penso que morei 33 anos
em São Paulo não acredito. O lugar é inabitável. Boa sorte e muita
saúde para sua filhinha!

um abraço,

André Baptista






SUBJECT: Re: [ciencialist] Essa nao sei mesmo!
FROM: TARCISIO BORGES <tbs97@fisica.ufpr.br>
TO: ciencialist <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 21/05/2002 14:19

Monta cem pilhas com as mesmas características e põe para funcionar com a
mesma carga, então é só medir o tempo de vida e calcular a média :)

[]s
TARCISIO BORGES
tbs97@fisica.ufpr.br
Seja responsável, vote nulo.
One Ring to rule them all

On Fri, 17 May 2002, Luiz Ferraz Netto wrote:
> Dúvida/Sugestão: UAU! Que site hein! Sou do INATEL(Instituto Nacional
> de telecomunicações), estou fazendo um trabalho sobre a pilha de
> Daniel e gostaria de saber como calcular a vida util dessa pilha.



SUBJECT: Re: [ciencialist] Mosquiteiros
FROM: TARCISIO BORGES <tbs97@fisica.ufpr.br>
TO: ciencialist <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 21/05/2002 14:34

On Sun, 19 May 2002, Luiz Ferraz Netto wrote:
> E como coloco um termômetro em equilíbrio térmico com um mosquito? A
> 'ponta sensora' deve ter, no mínimo, massa bem menor que a do
> mosquito. Ainda não conheço essa ponta sensora. Há outra técnica?
> Talvez colocar um milhão de moscas num calorímetro?

Meça a radiação de corpo negro dele :)

[]s
TARCISIO BORGES
tbs97@fisica.ufpr.br
Seja responsável, vote nulo.
One Ring to rule them all



SUBJECT: Cancelamento
FROM: "Attis Vinicius" <pendulum@ig.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 21/05/2002 21:08

Saudações

Gostaria de solicitar ao responsável pela lista, o cancelamento da minha assinatura. Já tentei muitas vezes enviar e-mails para ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com, sem sucesso.

Agradeço antecipadamente,

Attis Vinicius
pendulum@ig.com.br
attis@socrates.if.usp.br


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Stephen Gould morreu :-(
FROM: "andrediasbaptista" <andrebaptista@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 21/05/2002 21:45

Tristíssimo momento para os amantes da ciência, da literatura e da
boa polêmica.

Estava pensando em escrever alguma coisa a respeito, mas não
encontrei nada melhor do que esse editorial do New York Times:

Death of a Paleontologist

Perhaps the only person who was really prepared for Stephen Jay
Gould's death was Mr. Gould himself. Twenty years ago the scientist,
who died yesterday at the age of 60, had a life-threatening bout of
cancer. Many readers will remember the way he wrote about that
episode, not only for its personal candor but also for the fact that
he found comfort in a statistical analysis of his chances of
survival. It was wholly in keeping with the tenor of Mr. Gould's
character that he could turn an understanding of statistics into a
toehold on life itself. It was also in keeping that he chose to write
about it for a popular audience.

The vast majority of the people who know Mr. Gould's name know him as
a scientific essayist, not as a paleontologist or evolutionary
theorist, let alone an expert on Cerion land snails. They know him as
a man who had an opinion on nearly everything and a way to turn
nearly every opinion he had into a tour de force of analogy and
historical example. His scientific colleagues found him almost as
brilliant as his popular audience did, but considerably more
exasperating as well.

He was never a scientific bomb-thrower; he worked, after all, in the
heart of the scientific establishment. But he delighted in small
explosions, and he never hesitated to set them off when he thought it
would do a discipline good. His belief that evolution moved in leaps
— in punctuated equilibrium, to use his phrase — rather than slowly
and continuously struck off far more heat than it might have if Mr.
Gould had not reveled in the role of controversialist. That was his
evolutionary niche.

A man with so many opinions is bound, pretty often, to be wrong, but
Mr. Gould could be just as entertaining when he was wrong as when he
was right. That was another reason he exasperated his colleagues,
that and the fact that he came to stand for science itself in the
minds of many lay readers. How his work will play in the years to
come remains to be seen, of course. His scientific achievements are
solid, and he has done everything possible to throw light on the
subjects that mattered to him. And if some of that light, just on the
off chance, fell on Mr. Gould himself, it is hard to begrudge him
that now.

http://www.nytimes.com/2002/05/21/opinion/21TUE3.html



SUBJECT: Revista Veja - 1997
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leo@barretos.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 21/05/2002 23:51