SUBJECT: Proposta de pacificação para Homero.
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 13:41

 
Olá Homero.
Segundo verifiquei no grupo, você desfruta de um  prestigio cientifico digno de nota.
Assim ficará dificil para mim não ler as suas mensagens.
Proponho a você o seguinte:  quando por acaso você ler alguma coisa minhq que o irrite profundamente, você joga a mensagem fora.
E possivel que uma parte das minhas mensagens não tenha este efeito desestabilizador.
Que tal?
 
Good & Thanks
Mtnos
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, April 02, 2012 12:46 PM
Subject: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.

 

Mtnos: "Os transformadores são chatos por natureza"


Riram de Galileu. Mas também riram do Bozo.:-)

Embora se possa aceitar, para efeito de argumentação, que todo transformador é chato, nada indica que todo chato seja um transformador. Na verdade, parecem existir muito mais chatos que transformadores. Assim, ser chato não transforma alguém automaticamente em transformador.

E para constar, Richard Feynman é tudo, menos chato, o livro de Darwin, A Origem das Espécies é tudo, menos chato, e assim por diante.

Mtnos: "SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS"

Não se preocupe, muitos de nós já fizemos isso.:-) Mas alguns ainda leem e respondem, e eu leio o que respondem, e por tabela acabotendo contato com suas "importantes e revolucionárias mensagens para a lista". Por isso, as vezes, acho interessante responder.:-) Sinta-se à vontade para deletar as minhas mensagens sem ler, claro.

Homero



--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" <mtnoscalil@...> escreveu
>
> Prezados amigos e ferrenhos opositores.
>
> Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
> Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
> Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
>
> Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
>
> Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
> Outros vieram para servir.
> Outros vieram para serem servidos.
> E outros ainda vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
>
> Abraços
> Mtnos Calil
>
> Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
> nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
>
> Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
>
> Ps3. O que parece irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
>
>
> ----- Original Message -----
> From: Homero
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
> Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
>
>
>
> Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». "
>
>
>
> Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
>
>
> Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
>
>
> Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
>
>
> Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
>
>
> Homero
>
>
>
>
>
>
>
>
>
>
>
>
>
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" albmesq@ escreveu
> >
> > -----Mensagem Original-----
> > From: Mtnos Calil
> > Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> > Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
> >
> > > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
> >
> > OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> > isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> > alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> > da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> > senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> > você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> > msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> > outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> > procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> > ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> > Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> > galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> >
> > Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> > tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> > você sabe o que isto significa.
> >
> > Fui
> > Alberto
> > A netiqueta acima de tudo
> > http://ecientificocultural.com.br
> > Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> > coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
> >
>


SUBJECT: Sonambulismo ZUMBI - solução óbvia + evolução esquizofrênica da consciéncia
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 14:55

Existem muitas soluções óbvias para muitos problemas da humanidade.
Sinceramente não sei o que acontece com a cabeça dos humanos que não leva à pratica soluções tão óbvias. A única explicação que encontrei é que a humanidade é (des)governada pelos idiotas que compõem a sub-classe dos politicos. Quer dizer então que a seleção natural colocou os idiotas para dirigir a mais inteligente das espécies? Ora bolas, então a própria seleção natural já sofria de esquizofrenia natural?
Quem inventou a democracia? Os filósofos gregos? Foi através da democracia que os idiotas assumiram o poder. Os filósofos gregos foram malandros, quando por exemplo, Aristóteles declarou que a escravidão era um fato natural? Será mesmo que ele pensava isso? Será mesmo que Rousseau estava convencido a respeito da angelical generosidade do "bom selvagem"? Ou estava simplesmente escrevendo crônicas sob o formato filósofico? E ainda hoje os filósofos da ciência perdem tempo com Rousseau, Aristóteles e tantos outros cronistas da filosofia, para assim satisfazer seu prazer neuronal?
 
Em relação aos crimes dos sonâmbulos, a lei já prevê o conceito de "inimputabilidade".
Um esquizofrênico, sociopata ou psicopata,  que mata 50 crianças numa escola não deve NEM SER PUNIDO NEM VIVER LIVREMENTE EM SOCIEDADE.
DEVE SIMPLESEMENTE SER TRATADO DE SUA DOENÇA FICANDO INTERNADO NUM SANATÓRIO HUMANISTA. Mas acometidos por um surto liberticida, até os psiquiatras se manifestaram favoráveis ao fechamento dos sanatórios. Resultado: os doentes mentais foram abandonados na rua. (v. abaixo foto tirada por mim em outubro de 2008 na cidade de Nova York, durante a campanha eleitoral de Obama).
 
HUMANIDADE : NÃO VERÁS ESPÉCIE MAIS CRUEL DO QUE ESTA EM TODOS OS UNIVERSOS!!!
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Tudo que falta à humanidade é humanidade. O humanismo foi um mito criado pelo homem para disfarçar a sua crueldade que foi inserida em seu cérebro  darwiniano inadvertidamente pela Dona Seleção Natural, que foi espertinha e se fantasiou toda de "My fair lady" para assim ser idolatrada pelos frágeis e ingênuos seres (des) humanos. Veja na foto como a natureza humana e a seleção natural são marcadas pela generosidade evolucionista. (eu não tinha na ocasião como permanecer mais alguns dias em Nova York para levar essa foto ao Prefeito e à sede da ONU para perguntar às "ôtoridades": porque não considerar este fato e esta foto, como um crime lesa-humanidade? A velha abandonada era esquizofrênica porque falava sozinha gesticulando. Não tive a iniciativa de falar com ela e fiquei alguns minutos observando e fotografando. Esta é a recordação maior  da cidade de Nova York que meu cérebro fixou em minha memória mental. E ainda tem gente que não acredita que os genes são egoistas.
 
Ps2. A consciencia também evolui esquizofrenicamente: um de seus lados é responsável pelas maravilhas da ciência e da tecnologia e o outro lado é marcado pela mais vergonhosa irresponsabilidade moral.
 
 
 
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: marcelleandro2009
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, April 02, 2012 2:04 PM
Subject: [ciencialist] Re: Sonambulismo ZUMBI

 

> É impressionante. Algumas pessoas foram inocentadas de crimes, por "estarem" sonambulas. 

Dá um boa polêmica isto ai. Considerando que o mesmo cérebro que desencadeia  a consciência destas pessoas é o mesmo que gerou o crime, e pode voltar  fazer sem a menor consideração pela "pessoa consciente". A pessoa pode até ser moralmente inocentada, mas e a reclusão social não deveria ser acionada?


Marcel


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz" <luizfelipecsrj@...> escreveu
>
> Estou assistindo a um documentario sobre parassonias no NatGeo.
>
> É impressionante. Algumas pessoas foram inocentadas de crimes, por "estarem" sonambulas.
>
> Passou um caso de uma mulher que se deixou gravar, no qual ela levantava, ia para a cozinha, usava o fogão o microondas, preparava sua comida e se alimentva.Estava totalmente inconsciente, em sono profundo.
>
> Teve um que saiu de casa, dirigiu até a casa da sogra, matou a sogra, quase matou o sogro, e só se lembrava de estar na delegacia falando que achava que tinha matado alguém, pois estava com sangue nas mãos.
>
> Ai surge aquela pergunta mais que batida :Para que precisamos da consciência?
>
> Abs
> Felipe
>


SUBJECT: ESQUIZOFRENIA TERRITORIAL com Thiago.
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 15:04

Eu não sabia que o Milton Santos usou essa expressão.
Preciso achar este texto. Você tem aí? Ou sabe o link?
Abraços
M.Calil
 
Ps1. Como a definição de ciência pertence ao campo da filosofia, cada um tem a sua.
A qualquer hora vou inventar a minha. Você recebeu minha mensagem que apresenta vários conceitos e definições de ciência?
 
Ps2. Esquizofrenia social, esquizofrenia linguistica, esquizofrenia evolutiva, esquizofrenia territorial.
 
Ps3. O TERMO ESQUIZOFRENIA APLICADO AO MUNDO SOCIAL É UMA NOVIDADE SUBVERSIVA.
Eu adoraria que você selecionasse textos dos filósofos que falam sobre as loucuras do homem. Assim colocariamos no livro um capítulo de sua autoria.
 
 
 
----- Original Message -----
From: Thiago Guimarães
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, April 02, 2012 12:05 PM
Subject: RE: [ciencialist] Cerebrismo com JVictor

 


Calil,
"Filosofia da ciência" já existe, mas este mundo é um mundo de "fabulações" (Milton Santos). E nisto ele (o Milton) aprofundou os estudos na geografia, a que ele chamou de "esquizofrenia do território".
Isto não é novidade, há milhares de estudos sobre isso, desde Durkeheim, Max Weber, entre outros.
 
Embora a ciência tenha se emancipado, em grande parte, das ideologias religiosas, ela mesma se aprisionou, por um lado, aos formalismos acadêmico-científicos, às comunidades científicas, e por outro (o mais pesado), ao pragmatismo de mercado e às razões instrumentais utilitaristas.
 

- Que é ciência?
 
 
Thiago. 

 

To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
From: mtnoscalil@terra.com.br
Date: Mon, 2 Apr 2012 06:14:00 -0300
Subject: [ciencialist] Cerebrismo com JVictor

 
Olá JVictor.
 
O cerebrismo é um neologismo provisório para desginar a ideologia que está no cérebro daqueles que acham que a salvação dos problemas da humanidade depende basicamente do mapeamento do próprio cérebro.
Eu digo que todas as ciências estão contaminadas com ideologias e um dos capitulos do Ideologia Zero será dedicado a estas ideologias: cerebrismo (termo provisório), biologismo, fisicismo, antropologismo, economicismo, psicologismo, sociologismos, politicismo, etc. e tal.
 
Quanto ao OBJETIVO da ciência, o tema faz parte da  desafortunada  "filosofia da ciência". Na sua opinião a ciência só tem por objetivo descrever o comportamento da natureza. Na minha visão essa opinião é tecnocrática, na medida em que postula a não intervenção nas relações socais  humanas visando contribuir para o processo civilizatório de nossa espécie que segundo alguns corre o risco até de se auto-destruir se não contiver seus (dela) impetos esquizofrênicos.
 
Abraços
 
Mtnos Calil
 
Ps. A solução dos problemas da humanidade depende da consciência sendo duplo o significado desta palavra: um é relativo à percepção de si mesmo como ser pensante e falante e outro é relativo à ÉTICA. (consciência moral). Como os genes são egoistas por natureza, a ética está em mau lençóis, perdida no meio de milhões de sinapses. Se a ciência não tomar nenhuma providência a respeito, ela vai junto com a humanidade para a beira do precipicio.
 
 
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: JVictor
Sent: Monday, April 02, 2012 2:24 AM
Subject: RES: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

 

O cerebrismo é uma ideologia que imagina que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro.”


Victor: Desculpe-me, mas esta foi demais. Não existe algo como “cerebrismo”. E o trabalho de cientistas, buscando mapear o cérebro, tem a finalidade de compreendê-lo um pouco melhor, sobretudo do ponto de vista de constituição biológica. Compreender como suas partes constituintes se relacionam e respondem a estímulos, como num circuito eletrônico por exemplo. As essencialides, meeesmo, ficam por conta da religião e da filosofia, que sabemos servem prá nada, nesse mister. Prevenir doenças relacionados ao cérebro, ou tratar delas, é a principal meta. Cientista nenhum é ingênuo o suficiente para acreditar que uma bobagem dessas, “que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro”, seja possível.  Os problemas sociais têm a ver com o “software” associado ao” hardware” cérebro, software que define a natureza humana, como a pobreza, a ignorância e o descaso governamental e suas políticas interesseiras e incompetentes.

Cientista nenhum estuda modelos para o cosmo objetivando entender as essencialidades da Natureza, esperando que, compreender o instante do big bang,por exemplo,  possa avançar e compreender como era antes dele e, se assim acontecer, “abiscoitar”  a natureza intrínseca do universo, sua finalidade(para mim inexiste isso) e a própria mente de Deus, como disse Hawking, numa chacota metamofórica. O objetivo, em ciência, é só um: descrever o comportamento da natureza, em qq de seus aspectos, da melhor e mais coerente maneira. O que já é muito, para o alcance e desenvolvimento( upgrades) de nosso software. Consciência é um  dos módulos do programa, o principal. Sem esse módulo,  não estaríamos tendo essas conversas. Existir, sim, poderíamos. Saber disso, já é outra coisa.  

Se fosse possível, até que faria um upgrad do meu software cansado de guerra. Mas...

Sds,

Victor.

De: ciencialist@yahoogrupos.com.br [mailto:ciencialist@yahoogrupos.com.br] Em nome de Mtnos Calil
Enviada em: domingo, 1 de abril de 2012 19:02
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Assunto: Re: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

Você entendeu mal Roberto.

É óbvio ululante que a Evolução existe.

A ideologia não está na evolução e sim na maneira com que alguns evolucionistas olham a evolução.

Existem dois modos de se olhar a evolução: o modo ideológico e o modo cientifico.

O cerebrismo é uma ideologia que imagina que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro. Existem cientistas que não foram vitimados pelo cerebrismo. Felizmente a ideologia é uma doença que não atinge todos os mortais.

(só 95% - rsrsrs)

Abraços

M.Calil

Ps. Quanto aos capitalistas eu não sei o que eles pensam a respeito da evolução. Me parece que eles estão preocupados com outras coisas mais pragmáticas. Os empresários não aprenderam ainda que uma empresa pode ser administrada cientificamente, embora façam uso de um monte de técnicas cientificas para promoverem seus negócios no mercado.

Mas seria interessante algum evolucionista explicar como a seleção natural levou à criação de empresas, que eu considero um modelo excelente de organização social do trabalho.

A empresa como estrutura organizacional não depende ser ou não capitalista. Inclusive Peter Drucker disse, na 1a. metade do século XX  que não é objetivo da empresa ter lucro.

(para ele lucro é uma decorrência óbvia da atividade empresarial).

----- Original Message -----

From: roberto

Sent: Sunday, April 01, 2012 10:07 AM

Subject: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" <mtnoscalil@...>
> Como hoje é primeiro de abril, a sua mensagem ficou marcada pela
> ambiguidade. Mesmo assim lhe pediria que apresentasse apenas um
> conceito que você revisou.

O de que a evolução biológica ocorra. Trata-se, na verdade, de uma ideologia dos cientistas materialistas, como o aquecimento global antropogênico é uma ideologia neocapitalista (que visa a deter o crescimento dos países pobres).

[]s,

Roberto Takata




SUBJECT: A chateação do Marcelo Carvalho.
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 15:07

Prezado Marcelo.
 
O seu sentimento de chateação decorre simplesmente do fato de você não gostar dos assuntos que eu estou ventilando no grupo.
Para acabar com esse incômodo eu sugiro que você tome a iniciativa de ventilar assuntos de seu interesse, os quais, imagino eu não se referem às "ciências humanas" e sim às exatas.
OK?
 
Abraços
Mtnos
 
----- Original Message -----
From: Marcelo Carvalho
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, April 02, 2012 12:39 PM
Subject: Re: [ciencialist] Reitero a observação do Alberto: Calil, pare de modificar o nome das threads

 

Realmente, a lista ficou um "pouco" chata de uns tempos para cá.

Marcelo C Pinto

Em 1 de abril de 2012 23:38, Alvaro Augusto (L) <alvaro@lunabay.com.br> escreveu:
E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.


SUBJECT: Ciencia social não existe para o Homero.
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 15:32

 
De fato a sociologia por exemplo, está longe de ser uma ciência.
Mas daí a pretender que um grupo de ciência não discuta da forma mais cientifica possivel as questões sociais só teria sentido se um grupo fosse de ciências exatas e isso não está especificado na apresentação oficial do grupo que se resume as estas poucas e singelas palavras:
 
Trata-se de uma lista de discussão sobre ciência. - Favor não debater religião e política neste grupo. - Quem enviar excesso de off-topic será moderado.
 
Portanto, qualquer tipo de ciência ou estudo cientifico faz parte da pauta do grupo, inclusive estudos sobre a poltica e a religião, desde que cientificamente orientados.
 
Cabe portanto ao todos os membros reclamões do grupo respeitar o dna da lista e parar de reprimir autoritariamente aqueles que debatem assuntos que não são relativos à fisica e à matemática. A alternativa seria o proprietário da lista mudar a finalidade do grupo, o que se faria em 30 segundos colocando a expressão "ciencias exatas" no lugar de ciência, o que obviamente esvaziaria o grupo. Os reclamões estão, inconscientemente, propondo o esvaziamento de um grupo que tem enormes potencialidades. Será isso um sintoma de "individualismo cientifico" ou de hábitos e tradiçoes firmados ao longo dos 13 anos de existência do grupo?
Evidenemente do ponto de vista ORGANIZACIONAL, o modelo operacional vigente não é dos mais eficazes. Uma solução para isso é criar sub-grupos, mantendo todos aqui para que assim os exaticistas deixem os humanistas em paz. Afinal o ser humano ainda merece ser estudado cientificamente.
 
Good & Thanks
M.Calil
 
 

 
----- Original Message -----
From: Thiago Guimarães
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, April 02, 2012 1:04 PM
Subject: RE: RES: [ciencialist] A defesa não corporativista da ciência.

 


Ok, Homero:
 
> Não pretendo, não aqui, resolver "problemas sociais". Para isso existem outras áreas de atuação, outras listas (das quais participo inclusive).
 
Bom, tenho muita tranquilidade para me retirar.
 
Consigo entendê-lo, tranquilamente, mas é impossível compreender isto.
De toda forma estas questões estão imbricadas e só percebo o quanto as pessoas (e pessoas como você) não conseguem perceber isto.
 
A objetividade do conhecimento disciplinar é a objetivdade de alguém, não a sua e nem a minha. Tudo é subjetivo.
Não existe objetividade se não houver subjetividade para compreedê-la. Não existe objetividade se não houver subjetividade para pensá-la.
Isto também não quer dizer que tenha sentido, direção ou propósito. Tenho sentido, direção e propósito bem definido.
Enxergar isto é uma questão de vontade, ou de motivação.
 
Enfim, não há nada o que acrescentar.
Boa sorte na discussão o/
 

To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
From: oraculo@atibaia.com.br
Date: Mon, 2 Apr 2012 15:39:23 +0000
Subject: Re: RES: [ciencialist] A defesa não corporativista da ciência.

 
Olá Thiago

Vamos lá então, tentar explicar nossa, ou minha, visão dessas questões todas.

Thiago, o que apresenta neste email tem relação apenas acessória, lateral, com a ciência e a Ciencialist. Isso NÃO significa eu não sejam importantes, para seres humanos e de forma subjetiva, ou que não se deva debater e analisar, mas existem muitas listas e locais que o fazem, e com mais propósito.

São questões a serem analisadas pela sociologia, pela política, e até pelo direito. Sim, cientistas fraudam, tem preferências, alguns roubam, outros são honestos, outros podem se tornar tecnocratas, e assim por diante. São, como deve entender, seres humanos.

Mas a ciência, embora tenha de se precaver dessas influências, é algo diferente, que justamente cria mecanismos para filtrar as mesmas, métodos, protocolos, sistemas, etc, que resultam em conhecimento de um tipo específico: confiável, o mais próximo da realidade que podemos chegar neste momento.

Veja, a natureza do ser humano Einstein, seu comportamento político, sua visão ideológica, sua atitude como pai ou marido, boa ou má, etc, em NADA modificam o resultado de seu trabalho como cientista, a teoria que deriva desse trabalho, ou os efeitos e decorrências práticas dessa teoria, a Relatividade.

Os satélites geo-estacionários, que tem seus relógios corrigidos com base nesse conhecimento, vão permitir que a rede global de comunicação funcione, e meu email chegue a você em seu computador, de toda forma.

Sim, em muitos casos só se faz ciência com "verdinhas" e onde investir é uma questão importante (procurar curas para impotência ou para a malária?), e deve ser objeto de discussão. Mas não em uma lista de ciência, que se propõe a discutir os resultados e processos do conhecimento científico propriamente dito. Pelo menos não desa forma vaga, subjetiva, elusiva, sem direção ou propósito. Aponte uma questão concreta, de uso de dinheiro para pesquisa, e debaterei com prazer.

Mas apresente apenas frases genéricas, diatribes sem base, e fica uma conversa difícil, sem sentido.

Um projeto de sociedade se discute em uma lista de sociologia. Um projeto que pretenda analisar as fraudes na ciência, em uma lista de direito, e se a análise envolve as motivações das pessoas envolvidas, de psicologia.:-)

Veja este trecho seu:

Thiago: "Progresso social para quem? Para a ciência? Para os governos? Para o consumo? Para a sociedade?
Para as pessoas (rarrarrarra)? Voltamos a questão da racionalidade política."

O que esta questão tem a ver com ciência? Nada. Talvez política, mas eu nem gosto muito de política, ideologias, etc. Mas mais importante, não há forma de decidir isso de forma científica, que ideologia política é "melhor", muito menos qual é mais "científica", ou "progresso para quem?".

Quer saber progresso para quem? Para todos, inclusive para os que, em sua visão, não são afetados positivamente. Sim, em minha visão, subjetiva e pessoal, a ciência tem afetado positivamente todo mundo, as pessoas, mesmo as mais distantes da ciência.

Quer um exemplo? Satélites derivados da corrida espacial, do conhecimento científico produzido por este processo, garantem safras gigantescas, previsões de tempo seguras, e com isso recursos para ajudar famintos em todo planeta, que de outra forma jamais existiriam, e que NUNCA em toda história humana foram produzidos ou destinados a ajudar essas pessoas. Pessoas, culturas inteiras, tem morrido de fome por toda história, e apenas hoje em dia existem recursos e preocupação para tentar (eu disse tentar, existem outros problemas além de produzir alimentos) ajudar os famintos dessas culturas e sociedades.

Computadores tem mudado o mundo, em todos os lugares, inclusive em países com ditaduras e corrupção, informando as pessoas em todo lugar. Inclusive enviando vacinas a tribos indígenas, e diminuindo a mortalidade infantil a níveis mínimos.

Pessoas pobres hoje, mesmo em países pobres como o Brasil, tem mais acesso a tratamentos e a recursos médicos que a Rainha Vitória no passado. Sua expectativa de vida é maior, e a mortalidade infantil muito, mas muito menor. Na verdade, a mortalidade infantil no Brasil em 1900 era de 48%.

Olhe em volta, e a vida das pessoas, embora ainda possa, tenha, de melhorar bastante (em especial, em comparação com os que estão em melhores condições econômicas), é em qualquer medida, melhor que de todos os nossos antepassados. Por que? O que permitiu isso?

Não pretendo, não aqui, resolver "problemas sociais". Para isso existem outras áreas de atuação, outras listas (das quais participo inclusive). Aqui debato ciência e o conhecimento científico. Nada contra quem debate outras questões, mas será sempre um debate subjetivo, sem solução objetiva.

Quer ver? Eu acho que a humanidade caminha "bem". Você acha que caminha "mal". Podemos debater por toda a eternidade, sem jamais nos aproximarmos de uma conclusão, acordo ou perto de convencer o outro.:-).

Na verdade, acabamos, sempre, atraindo participantes como o Mtnos, que escreve, escreve, fala, fala, frases de "impacto", mas que não diz nada.:-)

Homero

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Thiago Guimarães <guimaraesbsb@...> escreveu
>
>
> Obrigado pelo diálogo!
>
> Sábias palavras Victo e Calil.
>
>
>
> A RACIONALIDADE POLÍTICA:
> Ouso falar que de cada dez cientistas, nove são tecnocratas. Os magnatas da ciência.
>
> A TECNOCULTURA:
> A tecnocultura está ai. Ela (e não a ciência exatamente) foi responsável pelo desenvolvimento da humaniadade,
> nos últimos quinhentos anos (desde de Descartes), e do movimento Secularista. O surgimento do conceito de
> "bem estar social", de "bem viver", de "interrelacionar-se" é extremamente recente, de cem a duzentos anos para cá,
> economicamente representada (ou registrada) pela teoria econômica Keynesiana (versus) Thatcher (British) / Reagan (USA)
>
> Trechos (para reflexão):
>
> [...] Os políticos tiveram sua parcela de responsabilidade nisso, claro.
> Poi$ não se faz ciência $em verdinhas. Inve$timento$ direcionados, ei$ a
> que$tão. Que saem de canetadas de políticos, em sua maioria. [...]
>
> - Isto seria simplificar demasiado a questão, prezado amigo! Os políticos são eleitos e representam
> UM PROJETO DA SOCIEDADE. E qual o projeto que se tem hoje para a nossa sociedade? Cabe a
> reflexão. Não basta dizer que os políticos são corruptos, etc. É preciso saber: BRASILEIRO É UM
> POVO QUE A SI MESMO SE COMPREENDE MAL (desde a colonização portguesa) e a partir dai
> refletir sobre estes reflexos (contextualmente! Sem disparates!).
>
> [...] Tecnologicamente está bem, mas bem mesmo, à frente.
> Agora, socialmente,... Eis o Calil para deslindar e arrumar os "caras";
> políticos e "cientistas" sociais, cujas orelhas é que deveriam ser puxadas.
> E não dos cientistas, que promovem conhecimento e avanços tecnológicos. [...]
>
> Mas sejamos honestos, existe realmente essa separação? Entre os "cientistas" (tecnocratas) e
> os "cientistas sociais" (outros tecnocratas)? Com raríssimas excessões, em grande parte, trata-se da
> mesma coisa: a racionalidade política. O mundo da fabulação. O professor da universidade, encontra-se
> na sua zona de conforto e dá a sua aula, reclama da sociedade, recebe o seu salário. Mas em quê ele
> se preocupa de fato com a sociedade? Se não somente com a instituição a qual ele faz parte, e obviamente
> o seu emprego e o seu salário. Um digníssimo tecnocrata. A Universidade da cretinisse.
>
> [...]Victor: Como não deu? Você releva, de maneira ingênua, o seguinte: de uma
> maneira não tão indireta, o trabalho dos cientistas, a nível global, tem,
> sim, contribuído, de maneira vital, para o progresso social.[...]
>
> Progresso social para quem? Para a ciência? Para os governos? Para o consumo? Para a sociedade?
> Para as pessoas (rarrarrarra)? Voltamos a questão da racionalidade política.
> - As mulheres se inseriram no mercado de trabalho por que elas quiseram ou por que isto era mais interessante
> para o mercado: mulheres também trabalhando nas fábricas?
>
> [...] Particularmente considero que os problemas sociais, são infinitamente mais
> difíceis de resolver do que os assuntos de que tratam nossos cientistas;
> Essas questões sociais são mais encrencadas que desvendar a organização do
> espaço e do tempo, ou criar modelos para descrição do cosmo, ou criar um
> novos formalismo matemáticos mais adequados na descrição de uma nova faceta
> do comportamento da Natureza, ou entender o apocalipse bíblico, essas
> coisas. A solução dos problemas sociais envolvem variáveis que nem no
> "bufete" se consegue controlar. Não depende apenas de um ou outro
> legislador, mas de todo um contexto bastante complexo.
> Ninguém topa sacrifácios, para atender aos apelos de São José do Bonifício.
> Mudar paradigmas? Acontece que acaba mudando, depois, inclusive, de alguns
> tapas mesmo.
> Assim caminha a humanidade. [...]
>
> Querido, essas questões precisam ser imbricadas e não existe relação de realidade nesta separação,
> se não uma pseudo-concretude total da coisa pensada - "Cogito Ergo Sum". Ou seja, do processo civilizatório.
>
> Thiago.
>
>
>
>
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> From: j.victor.neto@...
> Date: Sun, 1 Apr 2012 11:57:17 -0300
> Subject: RES: [ciencialist] A defesa não corporativista da ciência.
>
>
>
>
>
>
> -----Mensagem original-----
> De: ciencialist@yahoogrupos.com.br [mailto:ciencialist@yahoogrupos.com.br]
> Em nome de Mtnos Calil
> Enviada em: sábado, 31 de março de 2012 22:43
> Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Assunto: [ciencialist] A defesa não corporativista da ciência.
>
> Existem dois tipos de cientistas: o tecnocrático e o sábio.
>
> De cada 10 cientistas quantos são sábios e quantos são tecnocratas eu não
> sei.
>
> Calil: Só sei que a sabedoria está acima da ciência, cabendo a todos os
> grandes
> cientistas que quiserem ser sábios, cultivarem a humildade, porque os sábios
>
> são humildes.
>
> Victor: Concordo com você. E comento, adicionalmente, que a
> sabedoria está acima de qq coisa. E não está vinculada a qq ramo específico
> do conhecimento.
> Há sábios que não sabem matemática, física, ou qq dessas coisas.
> Que não leram Proust, JCC, meu ídolo Pirandello, o gênio Millôr Fernandes,
> Marx(chatíssimo e abusado) ou qq outro gigante intelectual.
> E quanto a serem humildes, os sábios o são em razoáveis por centos.
> Einstein, que citou, era um sábio, Lorentz outro. E humildes até prá mais da
> conta.
> Alguns cientistas, como de resto outros pensadores de todas as demais áreas,
> podem ser arrogantes, pedantes, julgam-se donos da verdade, desprezam o
> restante dos mortais. São humanos, também, portanto...
>
> E, sei que todos eles seriam o que são se não fossem os geradores de
> conhecimentos que são, pois a sabedoria é intrínseca ao freguês,
> assim como a curvatura é intrínseca a uma bola de futebol, e extrínseca a um
> cilindro.
> Mas ser humilde não significa dar a outra face para bater.
> Podem vir umas pedradinhas de lá, também. Que ninguém é de ferro. Quer um
> exemplo? Vou citar o próprio Cristo, que deu a outra face, ao se deixar
> pendurar na cruz. Em compensação, em compensação, vingou-se: que não
> acreditar nele, tchau, inferno nele.
>
> Calil: É óbvio que a tremenda evolução que a humanidade experimentou nos
> últimos
> 100 ou 200 anos se deve à ciência e aos cientistas que movem o mundo para a
> frente enquanto os politicos movem o mundo para trás.
>
> Victor: Sim, tecnologicamente falando. Em termos de essencialidades humanas,
> não.
>
> Sds,
> Victor.
>
> Abraços
> M.Calil
>
> ----- Original Message -----
> From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...>
> To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Sent: Saturday, March 31, 2012 6:31 PM
> Subject: Re: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo
> peskyano. - muita calma por favor
>
> > -----Mensagem Original-----
> > From: Thiago Guimarães
> > Sent: Saturday, March 31, 2012 3:25 PM
> > Subject: RE: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo
> > peskyano. - muita calma por favor
> >
> >> Pois para os carros ao combustível fóssil, já existem energias
> >> inovadoras (mas para os magnatas do petróleo, da "ciência", torna-se
> >> muito mais fácil e cômodo especular o combustível atual, pois isto
> >> significa lucro desenfreado!).
> >
> > Huummmmmm! Magnatas do petróleo sim. Magnatas da «ciência»?!!! Sei não,
> > acho que está havendo aí algum tipo de impropriedade. Se nós, seres
> > humanos, permitimos esta desfaçatez, o que os cientistas de boa fé têm
> > com isso? Se existem mercenários na ciência, esta não é uma falha
> > inerente à ciência mas sim ao homem (establishment). Sejamos pelo menos
> > imparciais. Neste caso diria que se existem os magnatas da ciência,
> > devem existir também os magnatas da filosofia, os magnatas da teologia,
> > os magnatas das artes, os magnatas da medicina etc. Em resumo, o que
> > parece existir são os donos do mundo.
> >
> >> Quando "tudo está perdido" a ciência mercadológica aparece com alguma
> >> de suas "mágicas".
> >
> > Sim, e os demais ramos mercadológicos se calam, quando deveriam botar a
> > boca no trombone. E se calam porquê? Não seria também por razões
> > mercadológicas? Ou então por puro desinteresse ou negligência (no
> > sentido do quem cala consente)?
> >
> >> "[...] Não é portanto o poder, mas o sujeito, que constitui o tema
> >> geral das minhas investigações.
> >
> > OK. Diga então que este sujeito decrépito e/ou negligente pode ser um
> > filósofo, um teólogo, um artista, um engenheiro, um médico, um homem
> > qualquer enfim, e não apenas um cientista. Mesmo porque a ciência não é
> > dos cientistas e muito menos dos magnatas. A ciência é nossa, assim como
> > a filosofia etc.
> >
> > [ ]´s
> > Alberto
> > http://ecientificocultural.com.br
> > Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> > coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
> >
> >
> >
> > ------------------------------------
> >
> > ##### ##### #####
> >
> > Página de apoio
> > http://www.ciencialist.com
> >
> >
> > ##### ##### ##### #####Links do Yahoo! Grupos
> >
> >
> >
>
> ------------------------------------
>
> ##### ##### #####
>
> Página de apoio
> http://www.ciencialist.com
>
> ##### ##### ##### #####Links do Yahoo! Grupos
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo peskyano. - muita calma por favor
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 15:34

Olá Thiago

Não interprete minhas palavras como uma crítica a você ou ao que você
disse. Sem dúvida existem os magnatas da ciência. A impropriedade a que
me referi estaria então relacionada a interpretação que pode vir a ser
dada a este termo. Via de regra os magnatas da ciência não são
cientistas e sim aproveitadores desta ingenuidade inerente ao amadorismo
científico, muito bem expresso, por exemplo, pela seguinte frase de
Barzum: «a ciência é, no mais estrito e melhor dos sentidos, uma
gloriosa diversão».

Este amadorismo pode vir a ser contaminado por uma necessidade de
profissionalização, mesmo porque amadorismo não enche a barriga de
ninguém e nem sustenta a família. Mas mesmo neste caso vejo também uma
certa impropriedade na caracterização deste antagonismo
(amadorismo/profissionalismo). A esse respeito eu cheguei a escrever o
seguinte:

***** início da citação *****
O amadorismo científico nem sempre chega a ser muito bem visto pelos
acadêmicos. Bernstein [41], por exemplo, relata que muitos, dentre seus
colegas profissionais da ciência, chegaram a se sentir ofendidos quando
Barzun comparou a ciência a uma atividade lúdica, ou a uma gloriosa
diversão (vide item 2). Quero crer que isso esteja relacionado a um
problema cultural de amplas proporções e a relacionar-se aos paradigmas
próprios ao que se convencionou chamar economia moderna, a economia após
Adam Smith, assunto esse analisado em profundidade por Kenneth LUX
(1993) [42]. Até mesmo a visão paradigmática de Thomas Kuhn parece-me
estar contaminada por uma imagem distorcida do que venha a ser
profissionalismo, e decorrente desta modernização da economia. Ora, se
pensarmos em amador como uma palavra a representar aquele que gosta do
que faz, ou que aprecia o que faz, ou que é entusiasta pelo que faz, não
me parece que profissional seja um antônimo perfeito de amador pois, se
assim fosse, o profissional viria a ser aquele que não gosta do que faz,
aquele que faz por obrigação, um verdadeiro escravo da sociedade ou do
governo. Sem dúvida alguma, a economia moderna não está muito longe de
sufragar esta idéia e o academicismo também não está muito longe disso,
a serem verdadeiras as denúncias de Brian MARTIN [43]; mas, a bem da
verdade, o profissional da ciência não só pode agir de maneira
amadorística, como também deve pensar nessa possibilidade com bastante
seriedade. O amadorismo tem se mostrado essencial e necessário para o
progresso das ciências, e é neste sentido que Popper afirmou que só há
um caminho para a ciência (vide citação completa no final do item 5.1).
[O artigo todo (O Método Científico), assim como as referências
bibliográficas, pode ser lido em
http://ecientificocultural.com.br/ECC3/metcien01.htm ]
***** final da citação *****

Concordo com suas colocações a respeito da fome, da Aids, das energias
alternativas etc. Não obstante, em nome deste amadorismo que defendo, e
que a meu ver é o que gera as grandes contribuições científicas, não
posso atribuir a culpa por esses descasos aos cientistas e sim à
sociedade como um todo. Um cientista deve estudar aquilo que gosta e não
aquilo que a sociedade lhe impõe, mesmo porque, e do contrário, ele será
pouco ou quase nada produtivo. A sociedade, por outro lado, deve saber
lidar com este amadorismo inerente à ciência, mesmo porque existe gosto
para tudo. Se em virtude de uma má política econômica, alguns desses
cientistas não conseguem financiamentos (por ex., para a cura da fome,
energias alternativas etc.) não há porque culpar esses cientistas mas
sim a sociedade como um todo.

Sem dúvida existe isto a que você chama por «Santa Ciência» com
miraculosas «fórmulas de salvação». Não obstante, creio que será
suficiente estudar a história das ciências para verificar, por
extrapolação, que os «cientistas» que hoje se enriquecem através desses
processos, dificilmente virão a ocupar um lugar de destaque na futura
história da ciência. Mesmo porque, e rigorosamente falando, eles estão
produzindo muito pouco do que poderíamos chamar por conhecimento
científico; estão quase que tão somente locupletando seus bolsos e o dos
magnatas donos do mundo com o produto desta idiossincrasia.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.

********************************
-----Mensagem Original-----
From: Thiago Guimarães
Sent: Monday, April 02, 2012 12:44 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: RE: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo
peskyano. - muita calma por favor

Retomando...

> Magnatas da «ciência»?!!! Sei não,
> acho que está havendo aí algum tipo de impropriedade.

Prezado Alberto,
Retormo este termo para tentar mostrar que é forçoso esta conclusão,
refutando assim qualquer hipótese de impropriedade.

Vejamos então. Se existe uma doença, como a AIDS, e um médico torna-se
cientista para debruçar-se sobre a possibilidade da cura,
e eventualmente através de alguns contatos (NETWORKING), e uma boa
teoria, consegue o apoio de um grande laboratório, e conseguinte,
com o apoio econômico-financeiro, digamos que ele consiga, finalmente, a
cura definitiva para a AIDS! Quem enriquecerá? O Laboratório?
O médico? Todos? Eles não sabiam disso desde o início? Isto não é um
tipo de racionalidade?

Este é o típico cientista moderno e "puro" e "inocente" ao qual fazemos
referência. Não há nada de errado nisto. Mas é bom alertar:

- Vale saber mais em relação a AIDS, que proporcionalmente pessoas
morrem muito mais de fome, e outras doenças
bem conhecidas e bem curáveis às mãos (a cura da fome?), aliás, sem
necessidade de grandes "eurekas!".

- Por que curar a AIDS e não curar a FOME? Cientificamente. Por que não
DESSALINIZAR a água ao
invés de vender a água e financiar a guerra?

Um cientista que descobrisse um modelo eficiente de energia, fosse
elétrica, fosse atômica, fosse outra, para a locomoção dos carros,
evidentemente não teria apoio ao seu projeto, certamente! Por quê?
Porque a indústria e isto que chamamos de "racionalidade política"
espeacula
ao máximo o combustível (a estrututra) existe: o combustível fóssil.
Quando o mundo estiver em crise, desabastecido, super-aquecido,
degelado,
e eles já tiverem lucrado todos os horrores possíveis, então lá vem a
"Santa Ciência" com a "fórmula da salvação". Alguém lucra muito, outro
laboratório
sobe e lucra mais ainda, outros cientistas enriquece, etc. Isto é um
ciclo vicioso.

É triste.
Mas sejamos honestos... Tem uma música da banda Pearl Jam que diz assim:
"Eu compro ações quando as bolsas quebram [...] its evolution baby"

Thiago.



SUBJECT: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 15:46

> Então as operações entre atomos, quarks, etc segundo seu
> reducionismo, geram, em um determinado nível, algum nível de consciência?
 
Felipão, não é bem o "meu" reducionismo, é o que dá para
concluir do que conhecemos hoje de ciência. Toda operação
mental que fazemos poderia (em princípio) ser reduzida a
uma multidão inacreditavelmente gigantesca de transições
energéticas e de estados quânticos entre partículas
subatômicas, em uma maneira similar à análise que poderíamos
fazer de uma porrilhonalmente grande quantidade de moléculas
de água caindo em uma cachoeira (por gentileza, não enviem
esta mensagem para o Demóstenes).
 
E veja lá, eu não estou dizendo que essa é uma maneira satisfatória
de analisar a consciência (não é mesmo! é horrorosa!) mas certamente
é uma das múltiplas maneiras de se observar esses sistemas.
Outra maneira: nível das trocas de neurotransmissores entre
sinapses. Outra maneira: os impulsos elétricos entre neurônios.
Outra maneira: comportamento síncrono entre populações de
centenas de milhares de neurônios. Outra maneira: operação
interativa do sistema cérebro/corpo/ambiente.
 
Eu em particular sou um adepto do emergentismo, a noção de
que certos conceitos e determinadas grandezas físicas podem
ser concebidas além do que se infere pela simples soma das
partes constituintes.
 
*PB*
 
 
 
 
From: luiz silva
Sent: Monday, April 02, 2012 1:01 PM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Ola Pesky,
´
Então as operações entre atomos, quarks, etc segundo seu reducionismo, geram,  em um determinado nível, algum nível de consciência?
 
Abs
Felipe
 
De: Pesky Bee <peskybee2@gmail.com>
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Enviadas: Segunda-feira, 2 de Abril de 2012 12:46
Assunto: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 
 
> A ilusão que é a propria realidade ?
 
Felipão, esclareçamos o que eu quis dizer que é ilusão.
Digo que é ilusão aquela sensação de que "nós" (nosso
"eu", "self", essas coisaradas) são distintas do
restante do universo. No frigir dos ovos, o que estou
dizendo é que todos os átomos e moléculas (e quarks,
múons, leptons, etc., bem como suas inúmeras formas de
interação fisico-química) que constituem nosso cérebro
e nosso corpo são, em um certo nível descritivo,
indistinguíveis dos outros elementos que compõe o
universo, e que a particular operação deles (formando
"mapas mentais" informacionais que refletem informação
sobre si mesmos) são também coisas sem uma qualidade
realmente diferente dos demais átomos e moléculas do
universo. Sei que essa posição, para muitas pessoas,
fará eriçar os cabelinhos de inenarráveis localizações
corporais, e poderá parecer o supremo uso do reducionismo
(coisa que eu mesmo critico e combato), mas vejo um
inescapável fundo de verdade nisso.
 
*PB*
 
 
 
 
From: luiz silva
Sent: Monday, April 02, 2012 10:54 AM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Ola Pesky,
 
A ilusão que é a propria realidade ?
 
Abs
Felipe
De: Pesky Bee <peskybee2@gmail.com>
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Enviadas: Segunda-feira, 2 de Abril de 2012 9:54
Assunto: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 
 
Ah, se eu tivesse mais tempo! Tantos temas interessantóides
para discussão, tantas polêmicas!
 
Consciência, na minha abelhífera visão, é um efeito colateral
do tamanho de nosso cérebro (e da capacidade que ele tem de
acompanhar seus próprios estados mentais e sensações corporais).
A coisa mais difícil para o Homo Sapiens é aceitar que essa coisa
nítida, "sólida", "verídica", "inquestionável" que é a nossa
consciência não passa de uma deslavada (e incontornável) ilusão.
 
*PB*
 
 
 
Sent: Sunday, April 01, 2012 8:34 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Para responder à  pergunta cientifica do Felipe, considerando que a ciência ainda não conseguiu desvendar o enigma da consciência (ou da experiência consciente) os me atrevo a dar estes palpites:
 
a)  a consciência acabou aparecendo por acaso no processo evolucionário do sistema cérebro-mente.
b)  o crescimento do cérebro humano deu um salto quântico que possibilitou a biliões de neurônios se configurarem de tal modo que surgiu a misteriosa consciência.
      Se a única diferença signficativa  entre o homem e o chimpanzé que possui 98 ou 99% dos genes  humanos, está na mente que produziu a linguagem das palavras,
      a diferença do tamanho entre os dois cérebros seria o motivo racional para explicar porque ganhamos de presente da seleção natural, a consciência; ressalva:
     a seleção natural não é tão certinha e lógica como querem alguns evolucionistas que por ela se apaixonaram perdidamente.
 
Obs. Sendo a evolução fruto do acaso e da necessidade e como ainda não é possivel quantificar a participação destes dois fatores determinantes do processo evolucionário, a hipótese de que a consciência surgiu mesmo por acaso tem fundamento. Ou não? Se a consciência nasceu por acaso, obviamente a ciência
é filha do acaso, sobre o qual, infelizmente ela não tem nem jamais terá controle.
 
Abraços com calmazén para os fundamentalistas e deterministas do grupo.
Mtnos Calil
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Luiz
Sent: Sunday, April 01, 2012 7:22 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI
 
 
Estou assistindo a um documentario sobre parassonias no NatGeo.

É impressionante. Algumas pessoas foram inocentadas de crimes, por "estarem" sonambulas.

Passou um caso de uma mulher que se deixou gravar, no qual ela levantava, ia para a cozinha, usava o fogão o microondas, preparava sua comida e se alimentva.Estava totalmente inconsciente, em sono profundo.

Teve um que saiu de casa, dirigiu até a casa da sogra, matou a sogra, quase matou o sogro, e só se lembrava de estar na delegacia falando que achava que tinha matado alguém, pois estava com sangue nas mãos.

Ai surge aquela pergunta mais que batida :Para que precisamos da consciência?

Abs
Felipe






SUBJECT: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da conscincia?
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 15:48

a sua frase falando que a consciência é um efeito colateral do tamanho do nosso cérebro me deixou aliviado, enquanto deve ter irritado os deteterministas evolucionários
 
Mas Calilzão, quem são esses "deterministas evolucionários"?
Todos os que entendem como a evolução opera concordam que
ela é movida por mutações, recombinações genéticas e forte
seleção do meio ambiente. A fórmula é bem "determinística",
embora contenha o acaso bem lá no meio. Mas é a seleção que
estraga o prazer dos que propõe a aleatoriedade pura como
"rainha" desse sistema. Da mesma forma, o resultado dessa
"equação determinística" é completamente imprevisível, pois
tem "o meio ambiente no meio" (sorry..).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 12:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Olá abelhifero.
 
Muitas vezes basta uma frase para contribuir.
Por exemplo a sua frase falando que a consciência é um efeito colateral do tamanho do nosso cérebro me deixou aliviado, enquanto deve ter irritado os deteterministas evolucionários.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps. O acaso é uma obviedade cientifica.
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:54 AM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 
 

Ah, se eu tivesse mais tempo! Tantos temas interessantóides
para discussão, tantas polêmicas!
 
Consciência, na minha abelhífera visão, é um efeito colateral
do tamanho de nosso cérebro (e da capacidade que ele tem de
acompanhar seus próprios estados mentais e sensações corporais).
A coisa mais difícil para o Homo Sapiens é aceitar que essa coisa
nítida, "sólida", "verídica", "inquestionável" que é a nossa
consciência não passa de uma deslavada (e incontornável) ilusão.
 
*PB*
 
 
 
Sent: Sunday, April 01, 2012 8:34 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Para responder à  pergunta cientifica do Felipe, considerando que a ciência ainda não conseguiu desvendar o enigma da consciência (ou da experiência consciente) os me atrevo a dar estes palpites:
 
a)  a consciência acabou aparecendo por acaso no processo evolucionário do sistema cérebro-mente.
b)  o crescimento do cérebro humano deu um salto quântico que possibilitou a biliões de neurônios se configurarem de tal modo que surgiu a misteriosa consciência.
      Se a única diferença signficativa  entre o homem e o chimpanzé que possui 98 ou 99% dos genes  humanos, está na mente que produziu a linguagem das palavras,
      a diferença do tamanho entre os dois cérebros seria o motivo racional para explicar porque ganhamos de presente da seleção natural, a consciência; ressalva:
     a seleção natural não é tão certinha e lógica como querem alguns evolucionistas que por ela se apaixonaram perdidamente.
 
Obs. Sendo a evolução fruto do acaso e da necessidade e como ainda não é possivel quantificar a participação destes dois fatores determinantes do processo evolucionário, a hipótese de que a consciência surgiu mesmo por acaso tem fundamento. Ou não? Se a consciência nasceu por acaso, obviamente a ciência
é filha do acaso, sobre o qual, infelizmente ela não tem nem jamais terá controle.
 
Abraços com calmazén para os fundamentalistas e deterministas do grupo.
Mtnos Calil
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Luiz
Sent: Sunday, April 01, 2012 7:22 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI
 
 

Estou assistindo a um documentario sobre parassonias no NatGeo.

É impressionante. Algumas pessoas foram inocentadas de crimes, por "estarem" sonambulas.

Passou um caso de uma mulher que se deixou gravar, no qual ela levantava, ia para a cozinha, usava o fogão o microondas, preparava sua comida e se alimentva.Estava totalmente inconsciente, em sono profundo.

Teve um que saiu de casa, dirigiu até a casa da sogra, matou a sogra, quase matou o sogro, e só se lembrava de estar na delegacia falando que achava que tinha matado alguém, pois estava com sangue nas mãos.

Ai surge aquela pergunta mais que batida :Para que precisamos da consciência?

Abs
Felipe


SUBJECT: Re: [ciencialist] Cerebrismo com Pesky- Good! Thanks!
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 15:50

Mas aí os cerebristas vão dizer que se não houvesse uma configuração neuronal em determinada área do sistema limbico, a curiosidade não existiria.
 
Mas Calilzão, os "cerebristas" (whoever these motherfuckers are)
ainda estão com razão! Uma coisa é a origem evolutiva da configuração
neural, a outra é como essa coisarada toda funciona.
 
uma forma de eficácia já comprovada, para acabar com a violência, ou reduzi-la significativamente, seria liquidar com os hormônios masculino
 
Já lhe adianto, caro Calilzão, que se um dia a humanidade fizer
isso, não dou 10 ou 20 anos para que sejamos extintos totalmente.
A agressividade humana é fundamental para a nossa sobrevivência.
Mas como existem inúmeras questões envolvidas na interpretação
dessa palavrinha "agressividade", vou te deixar curioso a ponto
de me perguntar porque...
 
*PB*
 
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 12:51 PM
Subject: [ciencialist] Cerebrismo com Pesky- Good! Thanks!
 


EIS QUE EU CONCORDO COM SUA DISCORDÂNCIA.
A CIÊNCIA ATENDE A UMA NECESSIDADE INSTINTIVA DO HOMEM (e de outros animais) CHAMADA CURIOSIDADE.
 
Mas aí os cerebristas vão dizer que se não houvesse uma configuração neuronal em determinada área do sistema limbico, a curiosidade não existiria.
 
Good! Thanks!
 
Mtnos
 
Ps1. Outro papite anti-cerebrista: parece que o cérebro é especialista em criar problemas sem solução, como o da agressão, que parece não estar localizada em áreas especificas, estando espalhada pelo cérebro.
 
Ps2. Uma dose de humor hormonal, para relaxar e não gozar:  uma forma de eficácia já comprovada,  para  acabar com a violência, ou reduzi-la significativamente, seria liquidar com os hormônios masculino - mulheres não fazem a guerra e nem estupram os homens. A reprodução seria feita com os ingredientes necessários fabricados em laboratório. Assim não precisaremos mais do sexo masculino para garantir a sobrevivência da espécie.
 
Ps3. Outra coisa detectada por nosso liquidificador da ambiguidade linguistica: a palavra OBJETIVO não é tão objetiva quanto se imaginava. Além disso ela alimenta uma ideologia que só agora identificamos, chamada OBJETIVISMO.
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 10:00 AM
Subject: Re: [ciencialist] Cerebrismo com JVictor
 
 

Quanto ao OBJETIVO da ciência, o tema faz parte da desafortunada "filosofia da ciência".
 
Já eu desconcordo. O objetivo da ciência é satisfazer
a gigantesca tara que os cientistas têm em descobrir coisas.
Ciência é um meio de satisfação desse "impulso descobritivo"
de algumas pessoas. A ciência inquieta o cientista mais do que
uma tremenda coceira no bóga. E por falar nisso, com licença......
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:14 AM
Subject: [ciencialist] Cerebrismo com JVictor
 


Olá JVictor.
 
O cerebrismo é um neologismo provisório para desginar a ideologia que está no cérebro daqueles que acham que a salvação dos problemas da humanidade depende basicamente do mapeamento do próprio cérebro.
Eu digo que todas as ciências estão contaminadas com ideologias e um dos capitulos do Ideologia Zero será dedicado a estas ideologias: cerebrismo (termo provisório), biologismo, fisicismo, antropologismo, economicismo, psicologismo, sociologismos, politicismo, etc. e tal.
 
Quanto ao OBJETIVO da ciência, o tema faz parte da  desafortunada  "filosofia da ciência". Na sua opinião a ciência só tem por objetivo descrever o comportamento da natureza. Na minha visão essa opinião é tecnocrática, na medida em que postula a não intervenção nas relações socais  humanas visando contribuir para o processo civilizatório de nossa espécie que segundo alguns corre o risco até de se auto-destruir se não contiver seus (dela) impetos esquizofrênicos.
 
Abraços
 
Mtnos Calil
 
Ps. A solução dos problemas da humanidade depende da consciência sendo duplo o significado desta palavra: um é relativo à percepção de si mesmo como ser pensante e falante e outro é relativo à ÉTICA. (consciência moral). Como os genes são egoistas por natureza, a ética está em mau lençóis, perdida no meio de milhões de sinapses. Se a ciência não tomar nenhuma providência a respeito, ela vai junto com a humanidade para a beira do precipicio.
 
 
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: JVictor
Sent: Monday, April 02, 2012 2:24 AM
Subject: RES: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril
 
 

“O cerebrismo é uma ideologia que imagina que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro.”

Victor: Desculpe-me, mas esta foi demais. Não existe algo como “cerebrismo”. E o trabalho de cientistas, buscando mapear o cérebro, tem a finalidade de compreendê-lo um pouco melhor, sobretudo do ponto de vista de constituição biológica. Compreender como suas partes constituintes se relacionam e respondem a estímulos, como num circuito eletrônico por exemplo. As essencialides, meeesmo, ficam por conta da religião e da filosofia, que sabemos servem prá nada, nesse mister. Prevenir doenças relacionados ao cérebro, ou tratar delas, é a principal meta. Cientista nenhum é ingênuo o suficiente para acreditar que uma bobagem dessas, “que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro”, seja possívelOs problemas sociais têm a ver com o “software” associado ao” hardware” cérebro, software que define a natureza humana, como a pobreza, a ignorância e o descaso governamental e suas políticas interesseiras e incompetentes.

Cientista nenhum estuda modelos para o cosmo objetivando entender as essencialidades da Natureza, esperando que, compreender o instante do big bang,por exemplo,  possa avançar e compreender como era antes dele e, se assim acontecer, “abiscoitar”  a natureza intrínseca do universo, sua finalidade(para mim inexiste isso) e a própria mente de Deus, como disse Hawking, numa chacota metamofórica. O objetivo, em ciência, é só um: descrever o comportamento da natureza, em qq de seus aspectos, da melhor e mais coerente maneira. O que já é muito, para o alcance e desenvolvimento( upgrades) de nosso software. Consciência é um  dos módulos do programa, o principal. Sem esse módulo,  não estaríamos tendo essas conversas. Existir, sim, poderíamos. Saber disso, já é outra coisa. 

Se fosse possível, até que faria um upgrad do meu software cansado de guerra. Mas...

Sds,

Victor.

 


SUBJECT: Re: [ciencialist] Os transformadores so chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 15:50

Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 

Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 

Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "

 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>

SUBJECT: Re: Em tempo: RES: [ciencialist] Re: Relatividade - respondendo ao Victor
FROM: Hélio Carvalho <helicar_br@yahoo.com.br>
TO: "ciencialist@yahoogrupos.com.br" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 16:06

Alberto,

No caso geral que eu propus, nao passa pela origem

x(t)= xo + vx t
e assim por diante.

Mas nao quero prolongar esta discussao. O que eu disse e' que uma pessoa inteligente como voce vai logo perceber que e' um MRU mas um ingenuo como o Simplicio vai medir somente a evolucao da DISTANCIA entre o observador e o movel e dizer que nao e' um MRU.

Helio

PS.: este PC esta' sem acentos.


De: Alberto Mesquita Filho <albmesq@uol.com.br>
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Enviadas: Sábado, 31 de Março de 2012 15:14
Assunto: Re: Em tempo: RES: [ciencialist] Re: Relatividade - respondendo ao Victor

 
-----Mensagem Original-----
From: Hélio Carvalho
Sent: Thursday, March 29, 2012 10:20 PM
Subject: Re: Em tempo: RES: [ciencialist] Re: Relatividade - respondendo
ao Victor

Na msg anterior afirmei: «No caso tridimensional eu tenho a impressão
que deve acontecer a mesma coisa, mas a demonstração não me parece ser
muito trivial. Se me sobrar algum tempo procurarei verificar isto.»

Vejamos agora:

> Hélio: Além disto eu pensei em algo bem mais geral (justamente o caso
> tridimensional citado por você). Por exemplo, a trajetória de B
> atravessa o plano do papel (ou da tela do PC) sem cruzar com a
> trajetória de A.
> Claro que se a velocidade for decomposta em três eixos ortogonais,
> cada componente estará em MRU, e esta é a análise inteligente que
> falei na outra MSG que permite julgar se é um MRU visto de qualquer um
> que esteja em estado inercial.
Mesmo quando a evolução da distância entre eles não seja um MRU.
> d(t)= raiz(x(t)^2 + y(t)^2 +z(t)^2)

Sim, mas se as componentes estão em MRU então:
x(t) = vxt (vx = componente da velocidade no eixo x);
y(t) = vyt; e
z(t) = vzt
Portanto: d(t)=raiz[vx² + vy² + vz²]t = vt
onde v²=vx²+vy²+vz² = constante.
Ou seja, a evolução da distância entre eles é compatível com MRU
Obs.: Neste caso particular os três movimentos estão passando pela
origem. Do contrário teríamos que levar em consideração x0, y0 e z0, mas
a demonstração seria a mesma.

A figura http://ecientificocultural.com/ciencialist/MRU3.gif ilustra
esta tridimensionalidade para três instantes: origem dos tempos
(denotado por 0), após um tempo t (denotado por 1) e após um tempo 2t
(denotado por 2). Entre os intervalos de tempo 0 a t e t a 2t as
distâncias são sempre iguais, seja nos eixos (x, y e z), seja nos planos
(xy, xz e yz) seja no espaço.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
FROM: luiz silva <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
TO: "ciencialist@yahoogrupos.com.br" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 16:12

Ola Homero,
 
Vc é budista ? :)
 
O que fiz foi levar o argumento dele ao extremo que achei ter percebido.
 
Depois eu respondo o restante, mas achei  curioso, em um programa que vi,  que um dos lugares onde uma lesão deixa a pessoa totalmente em estado vegetativo, sem nenhuma consciência seja em uma parte específica do tronco cerebral.
 
"Pense em como "faz" para se lembrar de algo. Na verdade, não "faz" nada, apenas espera que um subprocesso cognitivo traga a lembrança que deseja, sem seu controle ou ação intencional. Você "se lembra" como quem recebe algo de outra sub-função, sem controle ou atitude direta."
Não tão passivo assim. Muitas vezes temos que nos concenterar em algo para poder evocar estes processos cognitivos. Por exemplo, eu decido que quero lembrar o que estava fazendo ontem ou me esforço para lembrar de algo de minha infância.
 
Abs
Felipe

De: Homero <oraculo@atibaia.com.br>
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Enviadas: Segunda-feira, 2 de Abril de 2012 13:15
Assunto: [ciencialist] Re: Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?

 
Olá Luiz

Acho que não é preciso "descer" tanto, o que gera um nível de consciência são processos cerebrais, não necessariamente quanticos ou a nível atômico.

Ainda temos um bom caminho a percorrer sobre essa questão, mas o que o Pesky chama de ilusão (me parece, pois eu também chamo dessa forma), é o self, a identidade pessoal, que "pensa" fazer escolhas e decidir ações.

Pense em como "faz" para se lembrar de algo. Na verdade, não "faz" nada, apenas espera que um subprocesso cognitivo traga a lembrança que deseja, sem seu controle ou ação intencional. Você "se lembra" como quem recebe algo de outra sub-função, sem controle ou atitude direta.

Perceber e avaliar esses estados internos, e a necessidade de perceber e entender os estados internos de outros do grupo, elemento importante de espécies gregárias, pode ter levado, com a hipertrofia do cérebro, a este sub-processo de consciência, um "self" que "parece" controlar tudo e decidir como uma "entidade" intencional.

As evidências nesse sentido são circunstâncias, no momento, mas dão alguma indicação sobre isso. Por exemplo, seria espantoso, e precisaria de evidências extraordinárias para se manter, que o cérebro tivesse evoluído "para" abrigar "algo mais", um elemento sobrenatural específico.

Ou que, evoluindo a partir de sistemas cerebrais anteriores, naturais, tivesse "gerado" algo sobrenatural, transcendental ou uma "alma". A pergunta imediata seria, quando? Em que momento uma "alma", um processo não material e separado, teria surgido, em termos evolutivos?

E tem muito mais, em especial as atuais pesquisas da neurociência, e do conhecimento dos cérebros de outras espécies e seus processos cognitivos.

Um abraço.

Homero

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, luiz silva <luizfelipecsrj@...> escreveu
>
> Ola Pesky,
> ´
> Então as operações entre atomos, quarks, etc segundo seu reducionismo, geram,  em um determinado nível, algum nível de consciência?
>  
> Abs
> Felipe
>
>
> ________________________________
> De: Pesky Bee <peskybee2@...>
> Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Enviadas: Segunda-feira, 2 de Abril de 2012 12:46
> Assunto: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
>
>
>  
> > A ilusão que é a propria realidade ?
>
> Felipão, esclareçamos o que eu quis dizer que é ilusão.
> Digo que é ilusão aquela sensação de que "nós" (nosso
> "eu", "self", essas coisaradas) são distintas do
> restante do universo. No frigir dos ovos, o que estou
> dizendo é que todos os átomos e moléculas (e quarks,
> múons, leptons, etc., bem como suas inúmeras formas de
> interação fisico-química) que constituem nosso cérebro
> e nosso corpo são, em um certo nível descritivo,
> indistinguíveis dos outros elementos que compõe o
> universo, e que a particular operação deles (formando
> "mapas mentais" informacionais que refletem informação
> sobre si mesmos) são também coisas sem uma qualidade
> realmente diferente dos demais átomos e moléculas do
> universo. Sei que essa posição, para muitas pessoas,
> fará eriçar os cabelinhos de inenarráveis localizações
> corporais, e poderá parecer o supremo uso do reducionismo
> (coisa que eu mesmo critico e combato), mas vejo um
> inescapável fundo de verdade nisso.
>
> *PB*
>
>
>
>
>
> From: luiz silva
> Sent: Monday, April 02, 2012 10:54 AM
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
>
>
>
>
> Ola Pesky,
>  
> A ilusão que é a propria realidade ?
>
> Abs
> Felipe
>
> ________________________________
> De: Pesky Bee <peskybee2@...>
> Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Enviadas: Segunda-feira, 2 de Abril de 2012 9:54
> Assunto: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
>
>
>  
> Ah, se eu tivesse mais tempo! Tantos temas interessantóides
> para discussão, tantas polêmicas!
>
> Consciência, na minha abelhífera visão, é um efeito colateral
> do tamanho de nosso cérebro (e da capacidade que ele tem de
> acompanhar seus próprios estados mentais e sensações corporais).
> A coisa mais difícil para o Homo Sapiens é aceitar que essa coisa
> nítida, "sólida", "verídica", "inquestionável" que é a nossa
> consciência não passa de uma deslavada (e incontornável) ilusão.
>
> *PB*
>
>
>
>
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 8:34 PM
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
>
>
>
>
> Para responder à  pergunta cientifica do Felipe, considerando que a ciência ainda não conseguiu desvendar o enigma da consciência (ou da experiência consciente) os me atrevo a dar estes palpites:
>  
> a)  a consciência acabou aparecendo por acaso no processo evolucionário do sistema cérebro-mente.
> b)  o crescimento do cérebro humano deu um salto quântico que possibilitou a biliões de neurônios se configurarem de tal modo que surgiu a misteriosa consciência.
>       Se a única diferença signficativa  entre o homem e o chimpanzé que possui 98 ou 99% dos genes  humanos, está na mente que produziu a linguagem das palavras,
>       a diferença do tamanho entre os dois cérebros seria o motivo racional para explicar porque ganhamos de presente da seleção natural, a consciência; ressalva:
>      a seleção natural não é tão certinha e lógica como querem alguns evolucionistas que por ela se apaixonaram perdidamente.
>  
> Obs. Sendo a evolução fruto do acaso e da necessidade e como ainda não é possivel quantificar a participação destes dois fatores determinantes do processo evolucionário, a hipótese de que a consciência surgiu mesmo por acaso tem fundamento. Ou não? Se a consciência nasceu por acaso, obviamente a ciência
> é filha do acaso, sobre o qual, infelizmente ela não tem nem jamais terá controle.
>  
> Abraços com calmazén para os fundamentalistas e deterministas do grupo.
> Mtnos Calil
>  
>  
>  
>  
> ----- Original Message -----
> >From: Luiz
> >To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> >Sent: Sunday, April 01, 2012 7:22 PM
> >Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI
> > 
> >Estou assistindo a um documentario sobre parassonias no NatGeo.
> >
> >É impressionante. Algumas pessoas foram inocentadas de crimes, por "estarem" sonambulas.
> >
> >Passou um caso de uma mulher que se deixou gravar, no qual ela levantava, ia para a cozinha, usava o fogão o microondas, preparava sua comida e se alimentva.Estava totalmente inconsciente, em sono profundo.
> >
> >Teve um que saiu de casa, dirigiu até a casa da sogra, matou a sogra, quase matou o sogro, e só se lembrava de estar na delegacia falando que achava que tinha matado alguém, pois estava com sangue nas mãos.
> >
> >Ai surge aquela pergunta mais que batida :Para que precisamos da consciência?
> >
> >Abs
> >Felipe
> >
> >
>




SUBJECT: Re: [ciencialist] Senhores moderadores, favor moderar as ofensas pessoais.
FROM: Simon Viegas <simonviegas@gmail.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/04/2012 16:45

Valeu pela dica do site.. estou seguindo via RSS.

Att,
--
Simon Viegas
Técnico em Informática e Graduando em Sistemas de Informações.
Cel : 71-8898-7219
MAIL / MSN : SimonViegas@gmail.com
Visitem meu blog:
http://EstilingueAtomico.blogspot.com/

PROTEJA MEU ENDEREÇO, COMO ESTOU PROTEGENDO O SEU. ENVIE MENSAGENS COMO "CÓPIA OCULTA" E DELETE OS ENDEREÇOS QUE HOUVEREM NA MENSAGEM RECEBIDA ANTES DE RETRANSMITIR

DICA: Para denunciar um site falso:
http://www.google.com/safebrowsing/report_phish/



Em 1 de abril de 2012 23:15, Mtnos Calil <mtnoscalil@terra.com.br> escreveu:
A lógica sugere que o assunto colocado no espaço reservado para o assunto
seja o assunto abordado na própria mensagem. Como o assunto que estou
abordando é diferente do anterior, não coloquei o assunto da mensagem
anterior. Sugiro também que traduzamos para o português tudo que for
possivel. Por exemplo em sites já se usa INICIO no lugar de HOME. Eu gosto
da lingua inglesa mas estamos num país de lingua portuguesa. Nem xenofobia
nem americanofilia.

Mtnos Calil
Sem ofensas ou agressões pessoais, mesmo que elas sejam de fundo genético.
www.maoslimpasbrasil.com.br
site de um instituto criado para combater a corrupção (da direita e da
esquerda) e para promover a ética junto à sociedade.






----- Original Message -----
From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Sunday, April 01, 2012 9:47 PM
Subject: Re: [ciencialist] Calil, pare de modificar o nome das threads


> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
>> Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
>> interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
>> com  a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>
>
>
> ------------------------------------
>
> #####   #####   #####
>
> Página de apoio
> http://www.ciencialist.com
>
>
> #####   #####   #####   #####Links do Yahoo! Grupos
>
>
>



------------------------------------

#####   #####   #####

Página de apoio
http://www.ciencialist.com


#####   #####   #####   #####Links do Yahoo! Grupos

<*> Para visitar o site do seu grupo na web, acesse:
   http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/

<*> Para sair deste grupo, envie um e-mail para:
   ciencialist-unsubscribe@yahoogrupos.com.br

<*> O uso que você faz do Yahoo! Grupos está sujeito aos:
   http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: O determinismo evolucionário - Uma ideologia que afetou a mente de muitos cientistas.
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 17:53

VERY GOOD QUESTION, MY PESKY BEE.  "... quem são esses "deterministas evolucionários"?
 
Pelo que estou percebendo, quase todos os evolucionistas são movidos por uma fé salvacionista.
Nem poderia ser diferente pois o "evolucionismo" supervaloriza a evolução, como se ele se ela processasse  numa curva eternamente ascendente, ainda que em velocidade muito inferior a das tartarugas. Enquanto isso o "criacionismo" e outras formas de fundamentalismo, vão proliferando na nação mais rica e poderosa do planeta: os EUA.
 
O que não falta neste mundo são os deterministas. Eles estão em todos os lugares. São fanáticos angustiados pela verdade dos fatos. Alguns deles afirmam: a ciência só lida com "fatos". Fato é palavra muito vulgar para a ciência e dá a entender que são "coisas" visiveis. Sugiro usarmos o termo "processo" no lugar de fatos.
Aí ficaria assim: a ciência só lida com processos. Ou: o objeto de estudo da ciência são os processos. Ok, mas este não é o único objetivo do estudo da ciência.
A descrição dos elementos que compõem um grão de areia, não importando o processo em que eles estão metidos, também é " objetivo" da ciência.
Até aí  os factotum da ciência podem ficar tranquilos. A encrenca deles começa com os processos invisiveis e que não podem ser "experimentados".
O experimentalismo é um exemplo de determinismo (ideológico). Um dos sintomas do determinismo é o delirio da "solução de problemas". Porque delirio?
Porque existem os pseudo-problemas que a ciência não pode identificar. O simples fato de palavras como "fatos e problemas" serem essenciais ao vocabulário da ciências já é em si, um problema. Problema da ciência. Existem dois tipos de problemas: aqueles que a seleção natural fabricou para os seres vivos e não vivos resolverem e os problemas fabricados pela mente humana, que tem sua áreasinha de livre arbitrio. Se o homem não fosse dotado de um pouquinho de livre arbítrio não faria tantas maluquices que"a gente vê na Globo".
 
A seleção natural disse ao homem:
 
"Eu vou lhe conceder um centrinho de livre arbitrio para você brincar à vontade e até compensar sua impotência criando ilusões como a da imortalidade. Assim você conseguirá contornar a sua fragilidade congênita. Infelizmente eu não poderia criar um bicho tão inteligente como você sem algumas falhas evolucionárias. Com o tempo você contornará essas fragilidades, mas sempre viverá em conflito, pois sem conflito não há evolução. E a mim, Darwin não deu o poder de resolver todos os conflitos humanos. Mas um  dia acabarão os conflitos e a evolução. Até lá você vai se virando como puder".
 
Os deterministas não se conformam com essa humildade da Seleção Natural e sofrem da convicção psicótica que se alicerça em mitos evolucionistas e salvacionistas.
 
O comunismo foi o maior mito social da história da humanidade: foi instalado em cerca de 1/3 das nações, provocando milhões de mortes para depois desaparecer.
 
Mas o homem, dominado por suas convicções psicóticas, não pode aprender com a experiência. Da mesma forma que alguns humanos supervalorizam os fatos outros negam a realidade dos fatos.
 
Marx é um exemplo de determinista evolucionário. Todos aqueles que se apaixonaram pela evolução são deterministas. Um deles é o Steven Pinker, que ao lado de coisas geniais falou bobagens do tipo " a agressão humana só será resolvida depois que for feito o  mapeamento detalhado do cérebro" (não foi exatamente com essas palavras, mas está muito proximo disso), como se uma pilula tipo prosac fosse suficiente para acabar com violência destruitiva do ser humano.
 
Como você sabe eu sou governado por este triângulo: caos, acaso e imprevisibilidade.  Entretanto, a probabilidade continua existindo, para cercar a liberdade sem limites do acaso. Olhando para o que aconteceu com a evolução a partir de milhões de anos, a probabilidade de que o homem continue a ser um bicho violento nos próximos 500 mil anos é superior a 95%.
 
Abraços
M.Calil
 
Ps. Um exemplo gritante de determinismo evolucionário nos é dado pela crença de alguns zoólogos que chegam a dizer que o fato de os macacos  não humanos  estuprarem e matar fêmeas, além de comer os filhotes, estão com isso usufruindo da seguinte vantagem evolucionária:  o macho assassino pode assim  convencer a fêmea a se casar com ele, já que a sua força bruta é uma garantia de que a futura esposa  e seus futuros filhos serão bem protegidos. (Por isso temos ainda muitos macacos homens que estupram e matam as fêmeas, embora não apreciem a carne humana dos filhotes, alguns dos quais são abandonados em sacos de lixo por mães arrependidas de ter dado à luz. Não é por acaso que os chimpanzés e os humanos desfrutam de uma semelhança genética da ordem dos 99%. Podemos dizer que os macacos humanos estão muito bonzinhos, até que uma guerra atômica desestabilize o determinismo evolucionário. O armamento nuclear se explica "evolucionariamente" do seguinte modo: uma nação selvagem tem que se defender do eventual ataque de outra nação selvagem. Para isso ela precisa se armar com bombas atômicas, podendo fazer um ataque defensivo, como animais fazem na selva evolucionária: não sabendo se serão ou não  atacados, eles tomam a iniciativa do ataque.  É a lei da selva, a lei da sobrevivência, a lei da era nuclear que surgiu graças ao espetacular avanço da ciência. Esquizofrenia cientifica? Sim: a mesma ciência aue aumenta a longevidade do ser humano cria armas de destruição em massa. Não há porque nos surpreendermos com o fato de o planeta se transformar num manicômio a céu aberto. Essa realidade é facilmente negada  pelos moradores do manicômio, que foram programados pela seleção darwinista a recorrer a toda sorte de ilusões para evitar uma carga de sofrimento insuportável. Essa é a função básica das ilusões: reduzir a carga de sofrimento humano. É o remédio fabricado pela Seleção Natural. Se as ilusões têm efeitos colaterais,  isso é inerente ao processo. A grande vantagem da ilusão é que ela não paralisa as forças vitais, como faz a depressão.
Já que um problema não tem solução é muito melhor eu alimentar a ilusão de que ele tenha, do que cair em depressão.
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, April 02, 2012 3:48 PM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?

 

a sua frase falando que a consciência é um efeito colateral do tamanho do nosso cérebro me deixou aliviado, enquanto deve ter irritado os deteterministas evolucionários
 
Mas Calilzão, quem são esses "deterministas evolucionários"?
Todos os que entendem como a evolução opera concordam que
ela é movida por mutações, recombinações genéticas e forte
seleção do meio ambiente. A fórmula é bem "determinística",
embora contenha o acaso bem lá no meio. Mas é a seleção que
estraga o prazer dos que propõe a aleatoriedade pura como
"rainha" desse sistema. Da mesma forma, o resultado dessa
"equação determinística" é completamente imprevisível, pois
tem "o meio ambiente no meio" (sorry..).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 12:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Olá abelhifero.
 
Muitas vezes basta uma frase para contribuir.
Por exemplo a sua frase falando que a consciência é um efeito colateral do tamanho do nosso cérebro me deixou aliviado, enquanto deve ter irritado os deteterministas evolucionários.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps. O acaso é uma obviedade cientifica.
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:54 AM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 
 

Ah, se eu tivesse mais tempo! Tantos temas interessantóides
para discussão, tantas polêmicas!
 
Consciência, na minha abelhífera visão, é um efeito colateral
do tamanho de nosso cérebro (e da capacidade que ele tem de
acompanhar seus próprios estados mentais e sensações corporais).
A coisa mais difícil para o Homo Sapiens é aceitar que essa coisa
nítida, "sólida", "verídica", "inquestionável" que é a nossa
consciência não passa de uma deslavada (e incontornável) ilusão.
 
*PB*
 
 
 
Sent: Sunday, April 01, 2012 8:34 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Para responder à  pergunta cientifica do Felipe, considerando que a ciência ainda não conseguiu desvendar o enigma da consciência (ou da experiência consciente) os me atrevo a dar estes palpites:
 
a)  a consciência acabou aparecendo por acaso no processo evolucionário do sistema cérebro-mente.
b)  o crescimento do cérebro humano deu um salto quântico que possibilitou a biliões de neurônios se configurarem de tal modo que surgiu a misteriosa consciência.
      Se a única diferença signficativa  entre o homem e o chimpanzé que possui 98 ou 99% dos genes  humanos, está na mente que produziu a linguagem das palavras,
      a diferença do tamanho entre os dois cérebros seria o motivo racional para explicar porque ganhamos de presente da seleção natural, a consciência; ressalva:
     a seleção natural não é tão certinha e lógica como querem alguns evolucionistas que por ela se apaixonaram perdidamente.
 
Obs. Sendo a evolução fruto do acaso e da necessidade e como ainda não é possivel quantificar a participação destes dois fatores determinantes do processo evolucionário, a hipótese de que a consciência surgiu mesmo por acaso tem fundamento. Ou não? Se a consciência nasceu por acaso, obviamente a ciência
é filha do acaso, sobre o qual, infelizmente ela não tem nem jamais terá controle.
 
Abraços com calmazén para os fundamentalistas e deterministas do grupo.
Mtnos Calil
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Luiz
Sent: Sunday, April 01, 2012 7:22 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI
 
 

Estou assistindo a um documentario sobre parassonias no NatGeo.

É impressionante. Algumas pessoas foram inocentadas de crimes, por "estarem" sonambulas.

Passou um caso de uma mulher que se deixou gravar, no qual ela levantava, ia para a cozinha, usava o fogão o microondas, preparava sua comida e se alimentva.Estava totalmente inconsciente, em sono profundo.

Teve um que saiu de casa, dirigiu até a casa da sogra, matou a sogra, quase matou o sogro, e só se lembrava de estar na delegacia falando que achava que tinha matado alguém, pois estava com sangue nas mãos.

Ai surge aquela pergunta mais que batida :Para que precisamos da consciência?

Abs
Felipe


SUBJECT: RE: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril
FROM: Verner Stranz <verner64@hotmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 19:22

Quer dizer que o empresário "empresaria" e, como resultado de sua desinteressada atividade, obtém lucro como bônus. Óbvio. Simples assim. Com isso se anulam todos os conflitos trabalhistas e todos vivem felizes para sempre...
 

To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
From: mtnoscalil@terra.com.br
Date: Sun, 1 Apr 2012 19:02:12 -0300
Subject: Re: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

 
Você entendeu mal Roberto.
É óbvio ululante que a Evolução existe.
 
A ideologia não está na evolução e sim na maneira com que alguns evolucionistas olham a evolução.
 
Existem dois modos de se olhar a evolução: o modo ideológico e o modo cientifico.
O cerebrismo é uma ideologia que imagina que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro. Existem cientistas que não foram vitimados pelo cerebrismo. Felizmente a ideologia é uma doença que não atinge todos os mortais.
(só 95% - rsrsrs)
 
Abraços
M.Calil
 
Ps. Quanto aos capitalistas eu não sei o que eles pensam a respeito da evolução. Me parece que eles estão preocupados com outras coisas mais pragmáticas. Os empresários não aprenderam ainda que uma empresa pode ser administrada cientificamente, embora façam uso de um monte de técnicas cientificas para promoverem seus negócios no mercado.
Mas seria interessante algum evolucionista explicar como a seleção natural levou à criação de empresas, que eu considero um modelo excelente de organização social do trabalho.
A empresa como estrutura organizacional não depende ser ou não capitalista. Inclusive Peter Drucker disse, na 1a. metade do século XX  que não é objetivo da empresa ter lucro.
(para ele lucro é uma decorrência óbvia da atividade empresarial).
 
----- Original Message -----
From: roberto
Sent: Sunday, April 01, 2012 10:07 AM
Subject: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" <mtnoscalil@...>
> Como hoje é primeiro de abril, a sua mensagem ficou marcada pela
> ambiguidade. Mesmo assim lhe pediria que apresentasse apenas um
> conceito que você revisou.

O de que a evolução biológica ocorra. Trata-se, na verdade, de uma ideologia dos cientistas materialistas, como o aquecimento global antropogênico é uma ideologia neocapitalista (que visa a deter o crescimento dos países pobres).

[]s,

Roberto Takata




SUBJECT: Re: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo peskyano. - muita calma por favor
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 21:27

Olá Thiago

Não interprete minhas palavras como uma crítica a você ou ao que você
disse. Sem dúvida existem os magnatas da ciência. A impropriedade a que
me referi estaria então relacionada a interpretação que pode vir a ser
dada a este termo. Via de regra os magnatas da ciência não são
cientistas e sim aproveitadores desta ingenuidade inerente ao amadorismo
científico, muito bem expresso, por exemplo, pela seguinte frase de
Barzum: «a ciência é, no mais estrito e melhor dos sentidos, uma
gloriosa diversão».

Este amadorismo pode vir a ser contaminado por uma necessidade de
profissionalização, mesmo porque amadorismo não enche a barriga de
ninguém e nem sustenta a família. Mas mesmo neste caso vejo também uma
certa impropriedade na caracterização deste antagonismo
(amadorismo/profissionalismo). A esse respeito eu escrevi o seguinte:

***** início da citação *****
O amadorismo científico nem sempre chega a ser muito bem visto pelos
acadêmicos. Bernstein [41], por exemplo, relata que muitos, dentre seus
colegas profissionais da ciência, chegaram a se sentir ofendidos quando
Barzun comparou a ciência a uma atividade lúdica, ou a uma gloriosa
diversão (vide item 2). Quero crer que isso esteja relacionado a um
problema cultural de amplas proporções e a relacionar-se aos paradigmas
próprios ao que se convencionou chamar economia moderna, a economia após
Adam Smith, assunto esse analisado em profundidade por Kenneth LUX
(1993) [42]. Até mesmo a visão paradigmática de Thomas Kuhn parece-me
estar contaminada por uma imagem distorcida do que venha a ser
profissionalismo, e decorrente desta modernização da economia. Ora, se
pensarmos em amador como uma palavra a representar aquele que gosta do
que faz, ou que aprecia o que faz, ou que é entusiasta pelo que faz, não
me parece que profissional seja um antônimo perfeito de amador pois, se
assim fosse, o profissional viria a ser aquele que não gosta do que faz,
aquele que faz por obrigação, um verdadeiro escravo da sociedade ou do
governo. Sem dúvida alguma, a economia moderna não está muito longe de
sufragar esta idéia e o academicismo também não está muito longe disso,
a serem verdadeiras as denúncias de Brian MARTIN [43]; mas, a bem da
verdade, o profissional da ciência não só pode agir de maneira
amadorística, como também deve pensar nessa possibilidade com bastante
seriedade. O amadorismo tem se mostrado essencial e necessário para o
progresso das ciências, e é neste sentido que Popper afirmou que só há
um caminho para a ciência (vide citação completa no final do item 5.1).
[O artigo todo (O Método Científico), assim como as referências
bibliográficas, pode ser lido em
http://ecientificocultural.com.br/ECC3/metcien01.htm ]
***** final da citação *****

Concordo com suas colocações a respeito da fome, da Aids, das energias
alternativas etc. Não obstante, em nome deste amadorismo que defendo, e
que a meu ver é o que gera as grandes contribuições científicas, não
posso atribuir a culpa por esses descasos aos cientistas e sim à
sociedade como um todo. Um cientista deve estudar aquilo que gosta e não
aquilo que a sociedade lhe impõe, mesmo porque, e do contrário, ele será
pouco ou quase nada produtivo. A sociedade, por outro lado, deve saber
lidar com este amadorismo inerente à ciência, mesmo porque existe gosto
para tudo. Se em virtude de uma má política econômica, alguns desses
cientistas não conseguem financiamentos (por ex., para a cura da fome,
energias alternativas etc.) não há porque culpar esses cientistas mas
sim a sociedade como um todo e os seus políticos como agentes finais do
processo.

Sem dúvida existe isto a que você chama por «Santa Ciência» com
miraculosas «fórmulas de salvação». Não obstante, creio que será
suficiente estudar a história das ciências para verificar, por
extrapolação, que os «cientistas» que hoje se enriquecem através desses
processos, dificilmente virão a ocupar um lugar de destaque na futura
história da ciência. Mesmo porque, e rigorosamente falando, eles estão
produzindo muito pouco do que poderíamos chamar por conhecimento
científico; estão quase que tão somente locupletando seus bolsos e o dos
magnatas donos do mundo com o produto desta idiossincrasia.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.

********************************
-----Mensagem Original-----
From: Thiago Guimarães
Sent: Monday, April 02, 2012 12:44 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: RE: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo
peskyano. - muita calma por favor

Retomando...

> Magnatas da «ciência»?!!! Sei não,
> acho que está havendo aí algum tipo de impropriedade.

Prezado Alberto,
Retormo este termo para tentar mostrar que é forçoso esta conclusão,
refutando assim qualquer hipótese de impropriedade.

Vejamos então. Se existe uma doença, como a AIDS, e um médico torna-se
cientista para debruçar-se sobre a possibilidade da cura,
e eventualmente através de alguns contatos (NETWORKING), e uma boa
teoria, consegue o apoio de um grande laboratório, e conseguinte,
com o apoio econômico-financeiro, digamos que ele consiga, finalmente, a
cura definitiva para a AIDS! Quem enriquecerá? O Laboratório?
O médico? Todos? Eles não sabiam disso desde o início? Isto não é um
tipo de racionalidade?

Este é o típico cientista moderno e "puro" e "inocente" ao qual fazemos
referência. Não há nada de errado nisto. Mas é bom alertar:

- Vale saber mais em relação a AIDS, que proporcionalmente pessoas
morrem muito mais de fome, e outras doenças
bem conhecidas e bem curáveis às mãos (a cura da fome?), aliás, sem
necessidade de grandes "eurekas!".

- Por que curar a AIDS e não curar a FOME? Cientificamente. Por que não
DESSALINIZAR a água ao
invés de vender a água e financiar a guerra?

Um cientista que descobrisse um modelo eficiente de energia, fosse
elétrica, fosse atômica, fosse outra, para a locomoção dos carros,
evidentemente não teria apoio ao seu projeto, certamente! Por quê?
Porque a indústria e isto que chamamos de "racionalidade política"
espeacula
ao máximo o combustível (a estrututra) existe: o combustível fóssil.
Quando o mundo estiver em crise, desabastecido, super-aquecido,
degelado,
e eles já tiverem lucrado todos os horrores possíveis, então lá vem a
"Santa Ciência" com a "fórmula da salvação". Alguém lucra muito, outro
laboratório
sobe e lucra mais ainda, outros cientistas enriquece, etc. Isto é um
ciclo vicioso.

É triste.
Mas sejamos honestos... Tem uma música da banda Pearl Jam que diz assim:
"Eu compro ações quando as bolsas quebram [...] its evolution baby"

Thiago.



SUBJECT: Re: Reitero a observação do Alberto: Calil, pare de modificar o nome das threads
FROM: "roberto" <roberto.takata@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 02/04/2012 21:38

Xinguem o Pesky Bee e cia. q dão trela.

[]s,

Roberto Takata

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Marcelo Carvalho
> Realmente, a lista ficou um "pouco" chata de uns tempos para cá.
>
> Marcelo C Pinto
>
> Em 1 de abril de 2012 23:38, Alvaro Augusto (L)
> > E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> > > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> > > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> > > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> > > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> >
>




SUBJECT: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 22:08

-----Mensagem Original-----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza -
com Pesky

> Abelha desvairada: (...aposto que muitos da ciencialist devem estar
> loucos para me pedir para eu não dar trela para ti...)

Não é o meu caso. Embora não seja frequente dialogarmos, em virtude de
nossas áreas de atuação não convergirem, tenho-o em grande consideração
e estima e não vejo impropérios em suas msgs, mesmo quando discute com
indivíduos que não agem em reciprocidade e/ou, como já citaram aqui,
enviam msgs «sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem
lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando
citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»

Agindo desta forma, dê trela a quem quiser e aguente o tranco. Ou então
fique na troca de amabilidades o que, a meu ver, não chega a atrapalhar
muito o andamento do grupo mesmo porque essas fases de «namoro» são
passageiras.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.



SUBJECT: RE: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo peskyano. - muita calma por favor
FROM: Thiago Guimarães <guimaraesbsb@hotmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 22:16



Caro Alberto,


Regozijei!

Tanta coerência (para além desta "racionalidade"), que ainda não havia percebido em seu ninguém.
Este seu email está salvo na minha lista de preferidos! Vou comprar todos os livros citados, ler os artigos e estudar estas teorias a fundo, ao cerne da questão. Com isso fundamentar o trabalho "Filosofia não é Ciência"? Sendo identificado a filosofia este próprio "amadorismo". Acho que era bem isso que eu estive procurando... honestamente, inspirou-me!

Acredito, por final, que não nos dissidimos em muitas coisas, pois uma grande parte dessa análise é empírica, não é?

Retiro-me da discussão pelo menos temporariamente, por uma questão de dignidade, afinal há muito o que estudar e há tantos outros que não querem compartilhar dessa objetividade.

Obrigado.

Thiago.



To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
From: albmesq@uol.com.br
Date: Mon, 2 Apr 2012 21:27:36 -0300
Subject: Re: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo peskyano. - muita calma por favor

 
Olá Thiago

Não interprete minhas palavras como uma crítica a você ou ao que você
disse. Sem dúvida existem os magnatas da ciência. A impropriedade a que
me referi estaria então relacionada a interpretação que pode vir a ser
dada a este termo. Via de regra os magnatas da ciência não são
cientistas e sim aproveitadores desta ingenuidade inerente ao amadorismo
científico, muito bem expresso, por exemplo, pela seguinte frase de
Barzum: «a ciência é, no mais estrito e melhor dos sentidos, uma
gloriosa diversão».

Este amadorismo pode vir a ser contaminado por uma necessidade de
profissionalização, mesmo porque amadorismo não enche a barriga de
ninguém e nem sustenta a família. Mas mesmo neste caso vejo também uma
certa impropriedade na caracterização deste antagonismo
(amadorismo/profissionalismo). A esse respeito eu escrevi o seguinte:

***** início da citação *****
O amadorismo científico nem sempre chega a ser muito bem visto pelos
acadêmicos. Bernstein [41], por exemplo, relata que muitos, dentre seus
colegas profissionais da ciência, chegaram a se sentir ofendidos quando
Barzun comparou a ciência a uma atividade lúdica, ou a uma gloriosa
diversão (vide item 2). Quero crer que isso esteja relacionado a um
problema cultural de amplas proporções e a relacionar-se aos paradigmas
próprios ao que se convencionou chamar economia moderna, a economia após
Adam Smith, assunto esse analisado em profundidade por Kenneth LUX
(1993) [42]. Até mesmo a visão paradigmática de Thomas Kuhn parece-me
estar contaminada por uma imagem distorcida do que venha a ser
profissionalismo, e decorrente desta modernização da economia. Ora, se
pensarmos em amador como uma palavra a representar aquele que gosta do
que faz, ou que aprecia o que faz, ou que é entusiasta pelo que faz, não
me parece que profissional seja um antônimo perfeito de amador pois, se
assim fosse, o profissional viria a ser aquele que não gosta do que faz,
aquele que faz por obrigação, um verdadeiro escravo da sociedade ou do
governo. Sem dúvida alguma, a economia moderna não está muito longe de
sufragar esta idéia e o academicismo também não está muito longe disso,
a serem verdadeiras as denúncias de Brian MARTIN [43]; mas, a bem da
verdade, o profissional da ciência não só pode agir de maneira
amadorística, como também deve pensar nessa possibilidade com bastante
seriedade. O amadorismo tem se mostrado essencial e necessário para o
progresso das ciências, e é neste sentido que Popper afirmou que só há
um caminho para a ciência (vide citação completa no final do item 5.1).
[O artigo todo (O Método Científico), assim como as referências
bibliográficas, pode ser lido em
http://ecientificocultural.com.br/ECC3/metcien01.htm ]
***** final da citação *****

Concordo com suas colocações a respeito da fome, da Aids, das energias
alternativas etc. Não obstante, em nome deste amadorismo que defendo, e
que a meu ver é o que gera as grandes contribuições científicas, não
posso atribuir a culpa por esses descasos aos cientistas e sim à
sociedade como um todo. Um cientista deve estudar aquilo que gosta e não
aquilo que a sociedade lhe impõe, mesmo porque, e do contrário, ele será
pouco ou quase nada produtivo. A sociedade, por outro lado, deve saber
lidar com este amadorismo inerente à ciência, mesmo porque existe gosto
para tudo. Se em virtude de uma má política econômica, alguns desses
cientistas não conseguem financiamentos (por ex., para a cura da fome,
energias alternativas etc.) não há porque culpar esses cientistas mas
sim a sociedade como um todo e os seus políticos como agentes finais do
processo.

Sem dúvida existe isto a que você chama por «Santa Ciência» com
miraculosas «fórmulas de salvação». Não obstante, creio que será
suficiente estudar a história das ciências para verificar, por
extrapolação, que os «cientistas» que hoje se enriquecem através desses
processos, dificilmente virão a ocupar um lugar de destaque na futura
história da ciência. Mesmo porque, e rigorosamente falando, eles estão
produzindo muito pouco do que poderíamos chamar por conhecimento
científico; estão quase que tão somente locupletando seus bolsos e o dos
magnatas donos do mundo com o produto desta idiossincrasia.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.

********************************
-----Mensagem Original-----
From: Thiago Guimarães
Sent: Monday, April 02, 2012 12:44 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: RE: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo
peskyano. - muita calma por favor

Retomando...

> Magnatas da «ciência»?!!! Sei não,
> acho que está havendo aí algum tipo de impropriedade.

Prezado Alberto,
Retormo este termo para tentar mostrar que é forçoso esta conclusão,
refutando assim qualquer hipótese de impropriedade.

Vejamos então. Se existe uma doença, como a AIDS, e um médico torna-se
cientista para debruçar-se sobre a possibilidade da cura,
e eventualmente através de alguns contatos (NETWORKING), e uma boa
teoria, consegue o apoio de um grande laboratório, e conseguinte,
com o apoio econômico-financeiro, digamos que ele consiga, finalmente, a
cura definitiva para a AIDS! Quem enriquecerá? O Laboratório?
O médico? Todos? Eles não sabiam disso desde o início? Isto não é um
tipo de racionalidade?

Este é o típico cientista moderno e "puro" e "inocente" ao qual fazemos
referência. Não há nada de errado nisto. Mas é bom alertar:

- Vale saber mais em relação a AIDS, que proporcionalmente pessoas
morrem muito mais de fome, e outras doenças
bem conhecidas e bem curáveis às mãos (a cura da fome?), aliás, sem
necessidade de grandes "eurekas!".

- Por que curar a AIDS e não curar a FOME? Cientificamente. Por que não
DESSALINIZAR a água ao
invés de vender a água e financiar a guerra?

Um cientista que descobrisse um modelo eficiente de energia, fosse
elétrica, fosse atômica, fosse outra, para a locomoção dos carros,
evidentemente não teria apoio ao seu projeto, certamente! Por quê?
Porque a indústria e isto que chamamos de "racionalidade política"
espeacula
ao máximo o combustível (a estrututra) existe: o combustível fóssil.
Quando o mundo estiver em crise, desabastecido, super-aquecido,
degelado,
e eles já tiverem lucrado todos os horrores possíveis, então lá vem a
"Santa Ciência" com a "fórmula da salvação". Alguém lucra muito, outro
laboratório
sobe e lucra mais ainda, outros cientistas enriquece, etc. Isto é um
ciclo vicioso.

É triste.
Mas sejamos honestos... Tem uma música da banda Pearl Jam que diz assim:
"Eu compro ações quando as bolsas quebram [...] its evolution baby"

Thiago.



SUBJECT: Re: Em tempo: RES: [ciencialist] Re: Relatividade - respondendo ao Victor
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 02/04/2012 23:33

OK, Hélio

De qualquer forma valeu. Gostei de construir as figuras pois pude
verificar in loco coisas que costumamos aceitar meio que matemagicamente
;-).

> Hélio: PS.: este PC esta' sem acentos.

Sem problemas. Pior seria se estivesse sem assento, pois escrever em pé
no PC não é fácil ;-)

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.

**************************
-----Mensagem Original-----
From: Hélio Carvalho
Sent: Monday, April 02, 2012 4:06 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: Re: Em tempo: RES: [ciencialist] Re: Relatividade - respondendo
ao Victor

Alberto,

No caso geral que eu propus, nao passa pela origem

x(t)= xo + vx t
e assim por diante.

Mas nao quero prolongar esta discussao. O que eu disse e' que uma pessoa
inteligente como voce vai logo perceber que e' um MRU mas um ingenuo
como o Simplicio vai medir somente a evolucao da DISTANCIA entre o
observador e o movel e dizer que nao e' um MRU.

Helio

PS.: este PC esta' sem acentos.




SUBJECT: Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 00:00

Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual.  Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas eles não os donos do pedaço??
 
Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
 
Veja:
 
"sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo 14 horas por dia para leitura e redação.
 
Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight: antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé, classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai começar das notas e referências bibliográficas.
 
Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
 
Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
 
Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha, camarada!
 
Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi sobre inveja para você examinar.
 
Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos. Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido crédito, no interior da publicação.
 
O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior fábrica de feed-back que já vi na vida!  Não dá pra entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
 
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
 


 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 

Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 

Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 

Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "

 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>


SUBJECT: Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 00:00

Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual.  Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas eles não os donos do pedaço??
 
Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
 
Veja:
 
"sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo 14 horas por dia para leitura e redação.
 
Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight: antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé, classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai começar das notas e referências bibliográficas.
 
Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
 
Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
 
Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha, camarada!
 
Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi sobre inveja para você examinar.
 
Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos. Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido crédito, no interior da publicação.
 
O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior fábrica de feed-back que já vi na vida!  Não dá pra entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
 
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
 


 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 

Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 

Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 

Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "

 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>


SUBJECT: O que podemos esperar da ciência? com Victor e Thiago
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 00:20

Prossigo neste proficuo debate  fazendo minhas colocações aqui em cima a respeito das 11 intervenções feitas por Victor e Thiago.
Gastei algumas horas para montar este texto.
Abraços
M.Calil
Good & Thanks.
 
Sobre a intervenção 2 de Victor.
 
a) Infelizmente os cientistas são tão sábios e humildes quanto todos os demais pobres mortais. Portanto não é nem a sabedoria nem a humildade que distingue os cientistas. Porque digo infelizmente? Porque eles são (ou seriam) as pessoas mais capacitadas para dar soluções aos problemas da humanidade até hoje não resolvidos.
b) Gostaria de saber como Einstein foi tão humilde como você afirmou. Preciso de uma prova eloquente, please!
c) Falamos de humildade e não definimos que signficado atribuimos ao termo. Humildade para mim é a capacidade de aceitar criticas, reconhecer os erros cometidos e corrigi-los. Segundo minhas pesquisas feitas com milhares de pessoas, a porcentagem de pessoas humildes é INFIMA. Existem duas razões principais que explicam essa estatistica trágica:  
c1. A dificuldade emocional e intelectual de reconhecer as próprias falhas
c2. A programação narcisica de personalidade que faz as pessoas adorarem os elogios (mesmo quando falsos) e fugirem da critica como o diabo foge da cruz.
 
Sobre a intervenção 3 de Thiago.
 
a) Você conhece um (apenas um) cientista vivo que fale português, inglês ou espanhol que não seja tecnocrata? Vou tentar fazer contato com ele para tirar a prova dos b) O que você quer dizer com a expressão "cientista magnata"?
 
Sobre a intervenção 5 de Victor
 
A responsabilidade sobre os destinos da humanidade é diretamente proporcional à concentração de poder, que está, como sempre esteve na mão dos politicos,
a classe mais desmoralizada dos habitantes da terra, a qual recebe suporte dos grandes grupos financeiros e empresariais que impõem a eles um sistema econômico selvagem cujo resultado é a brutal concentração de renda nas mãos de uma minoria. Na verdade os politicos de hoje não passam de fieis servidores do sistema econômico que privilegia os ricos. Vivemos sob  égide do capitalismo selvagem e hegemônico e sem qualquer concorrência. É o poder absoluto nas mãos dos mais legitimos representantes dos genes egoistas. Os banqueiros não passam de troglodistas "pós-modernos".  E não vão ser os neurocientistas que vão resolver este problema "mapeando o cérebro". É dificil acreditar que os neurocientistas acreditam mesmo que os problemas sociais da humanidade, derivados da agressão e do
egoismo genético vão ser resolvidos através do mapeamento do cérebro. E que fazem os cientistas? Assistem à tragédia humana sentados no camarote, recebendo seus honorários, ora das empresas farmacêuticas, ora do poder público. Do ponto de vista social são uma perfeita nulidade. Felizmente o avanço da medicina interessa também aos donos do poder e do dinheiro.
 
Sobre a intervenção 6 do Thiago.
 
Está na moda responsabilizar o povo pelas mazelas praticadas pelas elites. O povo é conduzido, manipulado, seduzido, corrompido, etc. por seus lideres, sendo que no topo da hierarquia estão as elites cultas.
 
Sobre a intervenção 7 do Thiago.
 
Faço minhas estas palavras do Thiago lembrando  outras palavras de Edgar Morin.
 
Thiago: -  "Mas sejamos honestos, existe realmente essa separação? Entre os "cientistas" (tecnocratas) e os "cientistas sociais" (outros tecnocratas)? Com raríssimas exceções, em grande parte, trata-se da  mesma coisa: a racionalidade política. O mundo da fabulação. O professor da universidade, encontra-se na sua zona de conforto e dá a sua aula, reclama da sociedade, recebe o seu salário. Mas em quê ele se preocupa de fato com a sociedade? Se não somente com a instituição a qual ele faz parte, e obviamente o seu emprego e o seu salário. Um digníssimo tecnocrata. A Universidade da cretinice" .
 
Edgar Morin: - Enquanto os mídias produzem a baixa cretinização a universidade produz a alta cretinização.
Sobre a intervenção 8 do Victor
 
a) Victor tem razão na sua critica. Eu errei quando disse que a ciência não deu nenhuma contribuição para a solução dos problemas sociais. Que bom que eu errei.
O erro não foi proposital, mas eu comemoro o erro para assim aproveitar a oportunidade e conclamar os 99% dos humanos que resistem tenazmente ao reconhecimento de seus erros a fazer o mesmo.  Vou agora corrigir, pois não basta admitir o erro: o essencial está na correção.
 
Os cientistas através de seu trabalho realmente fantástico têm contribuido (embora sem a intenção de) para melhorar a vida das pessoas, de inúmeras maneiras. Uma delas é a tecnologia aplicada à agricultura que produziu um aumento quântico na produção de alimentos. A área para a qual os cientistas não contribuem com nada é a econômica, de onde resultam os problemas sociais mais graves.

b) Já com relação a esta defesa dos cientistas feita pelo Victor,  não concordo, porque ele isenta os cientistas de sua responsabilidade social. Todos os cientistas, de qualquer área, tem uma responsabilidade a cumprir. Se os outros não cumprem, esse erro não justifica a omissão dos cientistas. Nós estamos num grupo de ciência e não de artes plásticas. (rsrsrsr)
 
 "Cientistas são apenas pessoas com a mente dirigida para um aspecto do conhecimento, como os políticos e os especialistas na área social o são para essas áreas"
 
Sobre a intervenção 9 do Thiago.
 
a) Com Tatcher, Keynes, Obama ou Berlusconi, o sistema capitalista está ferrando com a humanidade. Como o socialismo foi uma fantasia de Marx que acabou nas mãos do psicopata Stalin, ninguém sabe para onde caminha a humanidade. Na minha visão caminha para a beira do precipicio, mas isso não significa o fim do mundo.
 
b) Faço minhas essas palavras do Thiago, respondendo à colocação do Victor:
 
Victor: "o trabalho dos cientistas, a nível global, tem, sim, contribuído, de maneira vital, para o progresso social":

Thiago: Progresso social para quem? Para a ciência? Para os governos? Para o consumo? Para a sociedade? Para as pessoas (rarrarrarra)? Voltamos a questão da racionalidade política. - As mulheres se inseriram no mercado de trabalho por que elas quiseram ou por que isto era mais interessante para o mercado: mulheres também trabalhando nas fábricas

Sobre as intervenção 10 e 12 do Victor:
 
a) Politica é arte de administrar o bem comum em beneficio próprio. (essa definição é minha, tendo sido fruto simplesmente da inversão da fantasiosa e clássica definição, segundo a qual a politica seria a arte de administrar o bem comum em beneficio de todos, cujo autor não sei quem foi, mas ou era ingênuo ou demagogo).
Quem disse que Machiavel foi o fundador da ciência politica estava dormindo ou delirando. Maquiavel mostrou como se fazia a politica na sua época, o que fez maravilhosamente bem. (é bom avisar os raivosos que eu tenho o livro "O Principe" de Maquiavel na minha biblioteca).
 
b) Victor disse: "O cientista faz a ciência e a ciência faz o resto".
 
Perdão mas eu não entendi essa frase.
 
c) Sobre o que podemos esperar dos cientistas para a solução dos problemas da humanidade, deduz-se por esta sua intervenção, que não podemos esperar nada.
Isso não nos impede porém, de cobrar a responsabilidade social deles também e não apenas dos pseudo-cientistas, dos politicos e dos banqueiros predadores.
 
=============================================

1. Calil - Existem dois tipos de cientistas: o tecnocrático e o sábio. De cada 10 cientistas quantos são sábios e quantos são tecnocratas eu não
sei. Só sei que a sabedoria está acima da ciência, cabendo a todos os grandes cientistas que quiserem ser sábios, cultivarem a humildade, porque os sábios
são humildes.

2. Victor - Concordo com você. E comento, adicionalmente, que a sabedoria está acima de qq coisa. E não está vinculada a qq ramo específico do conhecimento. Há sábios que não sabem matemática, física, ou qq dessas coisas.  Que não leram Proust, JCC, meu ídolo Pirandello, o gênio Millôr Fernandes, Marx(chatíssimo e abusado) ou qq outro gigante intelectual. E quanto a serem humildes, os sábios o são em razoáveis por centos.  Einstein, que citou, era um sábio, Lorentz outro. E humildes até prá mais da conta. Alguns cientistas, como de resto outros pensadores de todas as demais áreas, podem ser arrogantes, pedantes, julgam-se donos da verdade, desprezam o restante dos mortais. São humanos, também, portanto... E, sei que todos eles seriam o que são se não fossem os geradores de conhecimentos que são, pois a sabedoria é intrínseca ao freguês, assim como a curvatura é intrínseca a uma bola de futebol, e extrínseca a um cilindro. Mas ser humilde não significa dar a outra face para bater. Podem vir umas pedradinhas de lá, também. Que ninguém é de ferro. Quer um exemplo? Vou citar o próprio Cristo, que deu a outra face, ao se deixar pendurar na cruz. Em compensação, em compensação, vingou-se: que não acreditar nele, tchau, inferno nele.

3. Thiago - A RACIONALIDADE POLÍTICA: Ouso falar que de cada dez cientistas, nove são tecnocratas. Os magnatas da ciência.

4. Calil: É óbvio que a tremenda evolução que a humanidade experimentou nos últimos 100 ou 200 anos se deve à ciência e aos cientistas que movem o mundo para a
frente enquanto os politicos movem o mundo para trás. Entretanto, nenhum cientista - nem o gênio do Einstein - conseguiu dar qualquer contribuição para a solução dos problemas sociais que envergonham a nossa espécie (des) humana.

5. Victor -  Sim, tecnologicamente falando. Em termos de essencialidades humanas, não. Os políticos tiveram sua parcela de responsabilidade nisso, claro.
Poi$ não se faz ciência $em verdinhas. Inve$timento$ direcionados, ei$ a que$tão.  Que saem de canetadas de políticos, em sua maioria. Não acho que os
políticos movam o mundo para trás, como regra. O que uma maioria faz com os cargos que lhes são confiados, usando estes poderes para saltarem quânticamente para dentro das cuecas, ou "esquecerem" certas ações e comando$,  são só os instintos(inconscientes...) em plena atividade, apenas os impulsos nossos de cada dia, liberados por força de seu voto e do meu. Dái-me poder e te direi quem sou, man. Nada demais, no quartel de Abrantes.  Felizmente, em minha opinião, alguns escapam. Daí que o mundo de hoje não ser o que era há centenas de anos. Tecnologicamente está bem, mas bem mesmo, à frente. Agora, socialmente,... Eis o Calil para deslindar e arrumar os "caras"; políticos e "cientistas" sociais, cujas orelhas é que deveriam ser puxadas. E não dos cientistas, que promovem conhecimento e avanços tecnológicos. O que move o ser humano, são duas coisas: o desejo de ganhar e o medo, tremendo, de perder. Sendo que o medo de perder tem um poder muito maior, como me sugeriu um amigo da família, certa ocasião. E nada se pode fazer para alterar essas circunstâncias. Em qualquer área em que estejamos inseridos.

6. Thiago - respondendo a esta colocação do Victor  : "Os políticos tiveram sua parcela de responsabilidade nisso, claro. Poi$ não se faz ciência $em verdinhas. Inve$timento$ direcionados, ei$ a que$tão. Que saem de canetadas de políticos, em sua maioria":-

Isto seria simplificar demasiado a questão, prezado amigo! Os políticos são eleitos e representam UM PROJETO DA SOCIEDADE. E qual o projeto que se tem hoje para a nossa sociedade? Cabe a reflexão. Não basta dizer que os políticos são corruptos, etc. É preciso saber: BRASILEIRO É UM POVO QUE A SI MESMO SE COMPREENDE MAL (desde a colonização portguesa) e a partir dai  refletir sobre estes reflexos (contextualmente! Sem disparates!).

7. Thiago - respondendo a esta colocação do Victor: " Tecnologicamente está bem, mas bem mesmo, à frente. Agora, socialmente,... Eis o Calil para deslindar e arrumar os "caras"; políticos e "cientistas" sociais, cujas orelhas é que deveriam ser puxadas. E não dos cientistas, que promovem conhecimento e avanços tecnológicos":

Mas sejamos honestos, existe realmente essa separação? Entre os "cientistas" (tecnocratas) e os "cientistas sociais" (outros tecnocratas)? Com raríssimas exceções, em grande parte, trata-se da  mesma coisa: a racionalidade política. O mundo da fabulação. O professor da universidade, encontra-se na sua zona de conforto e dá a sua aula, reclama da sociedade, recebe o seu salário. Mas em quê ele se preocupa de fato com a sociedade? Se não somente com a instituição a qual ele faz parte, e obviamente o seu emprego e o seu salário. Um digníssimo tecnocrata. A Universidade da cretinice.

8. Victor -  respondendo à colocação do Calil segundo a qual a ciência não deu qualquer contribuição para a solução dos problemas sociais:

Como não deu? Você releva, de maneira ingênua, o seguinte: de uma maneira não tão indireta, o trabalho dos cientistas, a nível global, tem, sim, contribuído, de maneira vital, para o progresso social. Se não fosse a ciência, você acha que estaríamos num estágio melhor que a dos Hunos, ou Lombardos? O estágio em que nos encontramos hoje é um resultado, direto, dos produtos ensejados pela ciência e seus cientistas. Seu trabalhos visa o todo. Embora não seja função do cientista cuidar dessas coisas, de maneira direta. Os efeitos sociais vêm a reboque. É assim que tem sido. Com qq tipo de ideologia presente. Devemos entender que o cientista é uma pessoa como outra qualquer, só tem a mais que eu ou você, o conhecimento específico e os trienamentos adequados para manusear armas teóricas e experimentais. E um emprego que não rende lá essas coisas. Sua carcaça mal pode com ele próprio e com a carga de responsabilidades que carrega, com as atividades que lhes são afeitas. Quanto mais com as inquisiqueiras sociais, inerentes ao ser humano, o que está embutido e codificado em seu inconsciente, como vós dizeis. Separar o joio do trigo nesse particular é bocado difícil. O cientista faz a ciência e a ciência faz o resto, como efeito colateral obrigatório e inescapável. É pouco ou quer mais? Particularmente considero que os problemas sociais, são infinitamente mais difíceis de resolver do que os assuntos de que tratam nossos cientistas;  Essas questões sociais são mais encrencadas que desvendar a organização do espaço e do tempo, ou criar modelos para descrição do cosmo, ou criar um novos formalismo matemáticos mais adequados na descrição de uma nova faceta do comportamento da Natureza, ou entender o apocalipse bíblico, essas coisas. A solução dos problemas sociais envolvem variáveis que nem no "bufete" se consegue controlar. Não depende apenas de um ou outro legislador, mas de todo um contexto bastante complexo. Cientistas são apenas pessoas com a mente dirigida para um aspecto do conhecimento, como os políticos e os especialistas na área social o são para essas áreas. Simples assim. Simples?

9. Thiago - A TECNOCULTURA: A tecnocultura está ai. Ela (e não a ciência exatamente) foi responsável pelo desenvolvimento da humaniadade,
nos últimos quinhentos anos (desde de Descartes), e do movimento Secularista. O surgimento do conceito de "bem estar social", de "bem viver", de "interrelacionar-se" é extremamente recente, de cem a duzentos anos para cá, economicamente representada (ou registrada) pela teoria econômica Keynesiana (versus) Thatcher (British) / Reagan (USA)

Thiago - respondendo a esta colocação do Victor: "o trabalho dos cientistas, a nível global, tem, sim, contribuído, de maneira vital, para o progresso social":

Progresso social para quem? Para a ciência? Para os governos? Para o consumo? Para a sociedade? Para as pessoas (rarrarrarra)? Voltamos a questão da racionalidade política. - As mulheres se inseriram no mercado de trabalho por que elas quiseram ou por que isto era mais interessante para o mercado: mulheres também trabalhando nas fábricas?

10. Victor -   Políticos e suas políticas, com as armas legais de que podem dispor e criar, é que têm a obrigação de, efetivamente, promover e executar o bem estar
social! Ou isto é ingênuo demais? Afinal, para ter sucesso, qq organização deve ser "departamentalizada", cada um desses departamentos com funções específicas, mas interagindo entre entre eles, sempre que possível, o que nem sempre o é, sobretudo em esferas onde a política e interesses pessoais são o pano de fundo a considerar.  Cientistas, do nível que você citou, e poderia citar outros, como o matemático e filósofo da altíssima craveira, o B.Russel,  como diria meu bom amigo português lá do trabalho, fizeram tudo que podiam fazer nesse mister: expor suas opiniões, alertar, falar, gritar, chiar.  Mas a sociedade em volta e seus políticos ligam para certos preceitos morais, venham de onde vieram, mesmo dito por eles,  ou por dirigentes de igrejas, quaisquer que sejam? Nem sempre, em geral, a menos que haja intere$$e$ envolvidos. Está bastante claro que as sociedades só entram nos "eixos", rumo a um estágio maior, quando o que se prega vem acompanhado de algumas leizinhas que sugerem cadeia braba, multas cabeludas e coisas que tais e, também, diria que principalmente, por imposição das modernizações tecnológicas, geradas por quem? Resposta: pela ciência através de seus cientistas.  O medo de perder, de ficar para trás, promove os ajustes pessoais e sociais, de maneira geral. And so on.

11. Calil - Como a ciência está cada vez mais dependente da tecnologia, e como os tecnologos em geral são tecnocratas, os problemas sociais vão continuar
sendo relegados pelos cientistas a segundo plano, sob o pretexto de quem estuda seriamente a origem da vida, a vida em outros  planetas e tantos outros assuntos relevantes para a ciência mas não para a  vida do homem, não tem tempo para se ocupar com questões sociais.

12. Victor - Particularmente, acho que os cientistas devem continuar tecnocratas. É melhor para a saúde da ciência. Devem ficar afastados dessas coisas
complexas, que são os problemas sociais. Claro ninguém está impedido de dar uma de Madre Tereza, eventualmente. Mas, por enxerimento. Podes crer, man.
Cada galho em seu macaco, como diria o sábio e humilde Sr. João da Pipoca, ali da esquina.

13. Calil: A defesa não corporativista da ciência começa com uma auto-critica.

14. Victor: Auto-crítica, em qq situação, seja pessoal ou corporativa, é sempre desejável. O corporativismo parece-me um componente inerente aos grupos
"departamentalizados". Não é exclusividade da ciência. Se bem que, em minha opinião, não há ali um corporativismo tipo existe nas igrejas, nos quartéis, na polícia, nos Congressos Nacionais, onde o grupo cuida de cada um dos seus. A não ser quando a imprensa põe a boca no trombone. Então, e só então, para salvação do todo, algumas partes têm que ser extirpadas. Não vejo como fazer comparações no meio científico. Geralmente, quando um erra, a ética interna fala mais forte. E, se houver
fraude, o que é raro, pois não se pode enganar aquilo que é apoiado na experimentação e por linguagem como a matemática que, num instante, descobre
o desvio, o cara estará ferrado e desacreditado.  Agora, sobre corporativismo, em geral, penso que, para nós, humanos que somos, quando o resultado de uma auto-crítica aponta mexer com o atual status social e financeiro, qdo ameaça alterar nossas prezadas comodidades do momento, aí, meu amigo, a porca torce o rabo.
Resistências, resistências a mudanças, eis a questão, eis a inércia do processo.  Ninguém topa sacrifácios, para atender aos apelos de São José do Bonifício.
Mudar paradigmas? Acontece que acaba mudando, depois, inclusive, de alguns tapas mesmo.  Assim caminha a humanidade. 

15. Thiago - Querido, essas questões precisam ser imbricadas e não existe relação de realidade nesta separação, se não uma pseudo-concretude total da coisa pensada - "Cogito Ergo Sum". Ou seja, do processo civilizatório.

 
 


SUBJECT: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Alvaro Augusto (L)" <alvaro@lunabay.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 00:50

Não acho que transformadores sejam necessariamente chatos, desde que sejam de 60 Hz. Podem ser reguladores, defasadores, etc., todos podem ser modelados de maneira rápida e simples. O problema é quando os harmônicos entram na história ou quando o stransformadores são de alta frequência. É aí que a porca torce o rabo!

[ ]s

Alvaro Augusto


Em 02/04/2012 15:50, Pesky Bee escreveu:
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 

Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 

Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "

 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 02:55

-----Mensagem Original 81174-----
From: Mtnos Calil
Sent: Monday, April 02, 2012 6:00 AM
Subject: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.

Cruz credo!!! Quanta projeção! Tenha bons sonhos com Freud e ficarei na
torcida para que ele consiga te ajudar.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.



SUBJECT: RES: [ciencialist] ESQUIZOFRENIA TERRITORIAL com Thiago.
FROM: "JVictor" <j.victor.neto@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 11:13

Não, Calil,  isto não é verdadeiro, é uma tremenda bobagem:   “ ... a definição de ciência pertence ao campo da filosofia, cada um tem a sua.

 

Filosofia não serve para essas coisas, filosofia não resolve nada de ciência.  E duvido que sirva, objetivamente, para mais nada.  Filosofia tem uma base essencialmente subjetiva, e nunca vai passar disso.

Ciência é essencial e inexoravelmente objetiva, objetiva e objetiva. Em ciência não há espaço para o eu penso e eu acho, para a filosofia, ou outras inutilidades do tipo.

Ciência é tudo que se pode medir com réguas e relógios. Cada definição que não “amarre”esta definição, e dê margem a subjetivismos, não é uma definição correta.

Esta definição é simples, e é mais, muito mais,  que metafórica;   mas encerra tudo, como decorrência do método científico.

Poderia escrever páginas expandindo o significado dessa conjunção de palavras. Mas não o farei por julgar assunto conhecido por quem, realmente, trata dessas coisas.

Agora, medidas sempre são exatas? Não. Nem que a vaca tussa. Mas isso é outra coisa.

Estou chegando à conclusão de que este seu livro, se escrito nas bases que vem pregando, irá bater um recorde. Será  como a ideologia zero.

Sim muito, amigo. Aliás, quer saber?, sinto não.

 

Victor.  

 

De: ciencialist@yahoogrupos.com.br [mailto:ciencialist@yahoogrupos.com.br] Em nome de Mtnos Calil
Enviada em: segunda-feira, 2 de abril de 2012 15:04
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Assunto: [ciencialist] ESQUIZOFRENIA TERRITORIAL com Thiago.

 

 

Eu não sabia que o Milton Santos usou essa expressão.

Preciso achar este texto. Você tem aí? Ou sabe o link?

Abraços

M.Calil

 

Ps1. Como a definição de ciência pertence ao campo da filosofia, cada um tem a sua.

A qualquer hora vou inventar a minha. Você recebeu minha mensagem que apresenta vários conceitos e definições de ciência?

 

Ps2. Esquizofrenia social, esquizofrenia linguistica, esquizofrenia evolutiva, esquizofrenia territorial.

 

Ps3. O TERMO ESQUIZOFRENIA APLICADO AO MUNDO SOCIAL É UMA NOVIDADE SUBVERSIVA.

Eu adoraria que você selecionasse textos dos filósofos que falam sobre as loucuras do homem. Assim colocariamos no livro um capítulo de sua autoria.

 

 

 

----- Original Message -----

Sent: Monday, April 02, 2012 12:05 PM

Subject: RE: [ciencialist] Cerebrismo com JVictor

 

 


Calil,
"Filosofia da ciência" já existe, mas este mundo é um mundo de "fabulações" (Milton Santos). E nisto ele (o Milton) aprofundou os estudos na geografia, a que ele chamou de "esquizofrenia do território".
Isto não é novidade, há milhares de estudos sobre isso, desde Durkeheim, Max Weber, entre outros.
 
Embora a ciência tenha se emancipado, em grande parte, das ideologias religiosas, ela mesma se aprisionou, por um lado, aos formalismos acadêmico-científicos, às comunidades científicas, e por outro (o mais pesado), ao pragmatismo de mercado e às razões instrumentais utilitaristas.

 


- Que é ciência?
 
 
Thiago. 

 


To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
From: mtnoscalil@terra.com.br
Date: Mon, 2 Apr 2012 06:14:00 -0300
Subject: [ciencialist] Cerebrismo com JVictor

 

Olá JVictor.

 

O cerebrismo é um neologismo provisório para desginar a ideologia que está no cérebro daqueles que acham que a salvação dos problemas da humanidade depende basicamente do mapeamento do próprio cérebro.

Eu digo que todas as ciências estão contaminadas com ideologias e um dos capitulos do Ideologia Zero será dedicado a estas ideologias: cerebrismo (termo provisório), biologismo, fisicismo, antropologismo, economicismo, psicologismo, sociologismos, politicismo, etc. e tal.

 

Quanto ao OBJETIVO da ciência, o tema faz parte da  desafortunada  "filosofia da ciência". Na sua opinião a ciência só tem por objetivo descrever o comportamento da natureza. Na minha visão essa opinião é tecnocrática, na medida em que postula a não intervenção nas relações socais  humanas visando contribuir para o processo civilizatório de nossa espécie que segundo alguns corre o risco até de se auto-destruir se não contiver seus (dela) impetos esquizofrênicos.

 

Abraços

 

Mtnos Calil

 

Ps. A solução dos problemas da humanidade depende da consciência sendo duplo o significado desta palavra: um é relativo à percepção de si mesmo como ser pensante e falante e outro é relativo à ÉTICA. (consciência moral). Como os genes são egoistas por natureza, a ética está em mau lençóis, perdida no meio de milhões de sinapses. Se a ciência não tomar nenhuma providência a respeito, ela vai junto com a humanidade para a beira do precipicio.

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: JVictor

Sent: Monday, April 02, 2012 2:24 AM

Subject: RES: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

 

 

O cerebrismo é uma ideologia que imagina que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro.”

 

Victor: Desculpe-me, mas esta foi demais. Não existe algo como “cerebrismo”. E o trabalho de cientistas, buscando mapear o cérebro, tem a finalidade de compreendê-lo um pouco melhor, sobretudo do ponto de vista de constituição biológica. Compreender como suas partes constituintes se relacionam e respondem a estímulos, como num circuito eletrônico por exemplo. As essencialides, meeesmo, ficam por conta da religião e da filosofia, que sabemos servem prá nada, nesse mister. Prevenir doenças relacionados ao cérebro, ou tratar delas, é a principal meta. Cientista nenhum é ingênuo o suficiente para acreditar que uma bobagem dessas, “que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro”, seja possível.  Os problemas sociais têm a ver com o “software” associado ao” hardware” cérebro, software que define a natureza humana, como a pobreza, a ignorância e o descaso governamental e suas políticas interesseiras e incompetentes.

Cientista nenhum estuda modelos para o cosmo objetivando entender as essencialidades da Natureza, esperando que, compreender o instante do big bang,por exemplo,  possa avançar e compreender como era antes dele e, se assim acontecer, “abiscoitar”  a natureza intrínseca do universo, sua finalidade(para mim inexiste isso) e a própria mente de Deus, como disse Hawking, numa chacota metamofórica. O objetivo, em ciência, é só um: descrever o comportamento da natureza, em qq de seus aspectos, da melhor e mais coerente maneira. O que já é muito, para o alcance e desenvolvimento( upgrades) de nosso software. Consciência é um  dos módulos do programa, o principal. Sem esse módulo,  não estaríamos tendo essas conversas. Existir, sim, poderíamos. Saber disso, já é outra coisa.  

Se fosse possível, até que faria um upgrad do meu software cansado de guerra. Mas...

Sds,

Victor.

De: ciencialist@yahoogrupos.com.br [mailto:ciencialist@yahoogrupos.com.br] Em nome de Mtnos Calil
Enviada em: domingo, 1 de abril de 2012 19:02
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Assunto: Re: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

Você entendeu mal Roberto.

É óbvio ululante que a Evolução existe.

A ideologia não está na evolução e sim na maneira com que alguns evolucionistas olham a evolução.

Existem dois modos de se olhar a evolução: o modo ideológico e o modo cientifico.

O cerebrismo é uma ideologia que imagina que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro. Existem cientistas que não foram vitimados pelo cerebrismo. Felizmente a ideologia é uma doença que não atinge todos os mortais.

(só 95% - rsrsrs)

Abraços

M.Calil

Ps. Quanto aos capitalistas eu não sei o que eles pensam a respeito da evolução. Me parece que eles estão preocupados com outras coisas mais pragmáticas. Os empresários não aprenderam ainda que uma empresa pode ser administrada cientificamente, embora façam uso de um monte de técnicas cientificas para promoverem seus negócios no mercado.

Mas seria interessante algum evolucionista explicar como a seleção natural levou à criação de empresas, que eu considero um modelo excelente de organização social do trabalho.

A empresa como estrutura organizacional não depende ser ou não capitalista. Inclusive Peter Drucker disse, na 1a. metade do século XX  que não é objetivo da empresa ter lucro.

(para ele lucro é uma decorrência óbvia da atividade empresarial).

----- Original Message -----

From: roberto

Sent: Sunday, April 01, 2012 10:07 AM

Subject: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" <mtnoscalil@...>
> Como hoje é primeiro de abril, a sua mensagem ficou marcada pela
> ambiguidade. Mesmo assim lhe pediria que apresentasse apenas um
> conceito que você revisou.

O de que a evolução biológica ocorra. Trata-se, na verdade, de uma ideologia dos cientistas materialistas, como o aquecimento global antropogênico é uma ideologia neocapitalista (que visa a deter o crescimento dos países pobres).

[]s,

Roberto Takata

 

 


SUBJECT: Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 11:25

Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual. Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles?

Que tal todos deixarem estes "mimos" de falarem de fulano ou ciclano (ou seus comentários) de lado? Vamos respeitar as diferenças! Vamos focar no conteúdo e menos em quem está escrevendo. Isto vale para todos! Ok?

Mtnos seus textos já estão no padrão, caixa baixa, evite mudar os títulos dos debates, e não escorregar muito no tema da lista. Esta corzinha azul em negrito (muito carregado), só por Deus! Mas tudo bem!

De resto, òtimo! Agora vamos tocar o barco e não prolongar mais ainda isto! Ok? Acabou, chega, ponto final, zéfini...!


Marcel

 

 


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" <mtnoscalil@...> escreveu
>
> Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual. Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas eles não os donos do pedaço??
>
> Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
>
> Veja:
>
> "sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
>
> Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo 14 horas por dia para leitura e redação.
>
> Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight: antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé, classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai começar das notas e referências bibliográficas.
>
> Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
>
> Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
>
> Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha, camarada!
>
> Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi sobre inveja para você examinar.
>
> Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos. Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido crédito, no interior da publicação.
>
> O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior fábrica de feed-back que já vi na vida! Não dá pra entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
>
>
> Good & Thanks
> Mtnos Calil
>
>
>
>
>
>
>
> ----- Original Message -----
> From: Pesky Bee
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
> Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
>
>
>
>
> Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
>
> (...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
> me pedir para eu não dar trela para ti...)
>
> *PB*
>
>
>
> From: Mtnos Calil
> Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
>
>
>
>
> Nossa Bee!
> Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
> Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
> Por exemplo: o meu anti-pensamento proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de algumas pessoas.
> Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
>
> Good & Thanks
> Mtnos Calil
>
> Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
> Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
>
> Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
> Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
>
>
>
>
> ----- Original Message -----
> From: Pesky Bee
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
> Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
>
>
>
> Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
> É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
> e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
> pensar também (que é o lado positivo dessa história).
>
> *PB*
>
>
>
> From: Mtnos Calil
> Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
>
>
>
>
> Prezados amigos e ferrenhos opositores.
>
> Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
> Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
> Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
>
> Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
>
> Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
> Outros vieram para servir.
> Outros vieram para serem servidos.
> E outros ainda vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
>
> Abraços
> Mtnos Calil
>
> Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
> nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
>
> Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
>
> Ps3. O que parece irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
>
>
> ----- Original Message -----
> From: Homero
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
> Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
>
>
> Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». "
>
>
> Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
>
> Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
>
> Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
>
> Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
>
> Homero
>
>
>
>
>
>
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" albmesq@ escreveu
> >
> > -----Mensagem Original-----
> > From: Mtnos Calil
> > Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> > Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
> >
> > > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
> >
> > OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> > isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> > alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> > da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> > senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> > você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> > msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> > outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> > procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> > ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> > Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> > galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> >
> > Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> > tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> > você sabe o que isto significa.
> >
> > Fui
> > Alberto
> > A netiqueta acima de tudo
> > http://ecientificocultural.com.br
> > Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> > coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
> >
>


SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Reitero a observação do Alberto: Calil, pare de modificar o nome das threads
FROM: Marcelo Carvalho <mpinto2009@gmail.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 11:25

Pois é Takata, ficam dando de comer para o "bichinho" e o troll so faz crescer. É uma pena.

Marcelo C Pinto

Em 2 de abril de 2012 21:38, roberto <roberto.takata@bol.com.br> escreveu:
 

Xinguem o Pesky Bee e cia. q dão trela.

[]s,

Roberto Takata

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Marcelo Carvalho

> Realmente, a lista ficou um "pouco" chata de uns tempos para cá.
>
> Marcelo C Pinto
>
> Em 1 de abril de 2012 23:38, Alvaro Augusto (L)
> > E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> > > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> > > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> > > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> > > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> >
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Reitero a observação do Alberto: Calil, pare de modificar o nome das threads
FROM: Marcelo Carvalho <mpinto2009@gmail.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 11:38

Bem, depois de muito pensar resolvi radicalizar. De agora em diante estou livre dessas baboseiras do Callil pois criei um filtro e dei o tratamento merecido para essas mensagens: a lata do lixo.

Marcelo C Pinto


Em 3 de abril de 2012 11:25, Marcelo Carvalho <mpinto2009@gmail.com> escreveu:
Pois é Takata, ficam dando de comer para o "bichinho" e o troll so faz crescer. É uma pena.

Marcelo C Pinto

Em 2 de abril de 2012 21:38, roberto <roberto.takata@bol.com.br> escreveu:

 

Xinguem o Pesky Bee e cia. q dão trela.

[]s,

Roberto Takata

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Marcelo Carvalho

> Realmente, a lista ficou um "pouco" chata de uns tempos para cá.
>
> Marcelo C Pinto
>
> Em 1 de abril de 2012 23:38, Alvaro Augusto (L)
> > E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> > > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> > > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> > > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> > > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> >
>




SUBJECT: Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Homero" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 11:48

Marcell: "Que tal todos deixarem estes "mimos" de falarem de fulano ou ciclano (ou seus comentários) de lado? Vamos respeitar as diferenças! Vamos focar no conteúdo e menos em quem está escrevendo. "

Concordo plenamente. Por isso disse com clareza o que acho dos textos do Mtnos. Não é pessoal, nada tenho contra ele (nem estou pretendendo disputar poder.:- ), apenas penso que seu texto é incoerente, vazio, sem propósito ou conteúdo, com muitas falácias e erros de compreensão e distorções das ideias debatidas. Repito, não é pessoal, é minha avaliação dos textos e discussões propostas.

Um exemplo, que deve servir de base de análise:

Mtnos: "Pelo que estou percebendo, quase todos os evolucionistas são movidos por uma fé salvacionista. 
Nem poderia ser diferente pois o "evolucionismo" supervaloriza a evolução, como se ele se ela processasse  numa curva eternamente ascendente, ainda que em velocidade muito inferior a das tartarugas. "

Falácia de espantalho. Nenhum, ou melhor praticamente nenhum, evolucionista, cientista, biólogo, etc, pensa que esta se processe em "curva ascendente", ou que significa "progresso, ou que, e essa é até difícil de entender, "salvacionista". A evolução não significa progresso, e entendemos perfeitamente bem que não há nem direção, nem "superioridade" intrínseca nos resultados, espécies, da evolução. Toda espécie viva hoje é "tão evoluida" quanto nós, pois passou pelos processos de adaptação ao seu ambiente da mesma forma, e se ajustou a ele da mesma forma.

Essa falácia, esse erro/distorção sobre o entendimento da evolução por parte dos cientistas é tão crasso, que impede que o debate se estenda, sem ser preciso antes desfazer todo engano, de novo, e de novo. E de novo.

Não há "curvas ascendentes" na evolução, há um degrade, lento, mas que pode se estender para qualquer direção, complexidade ou simplificação (estudar a evolução de parasitas ajuda a entender melhor). A metáfora da ladeira, talvez uma confusão com o "monte improvável" de Dawkins, nada tem a ver com ser uma curva de "superior/inferior". 

Todo texto sofre desses erros e distorções. E o que cansa é ter de explicar toda base de cada assunto (como no caso da evolução) a quem, arrogantemente, se recusa a primeiro estudar o assunto, se colocando como "revolucionário e desbravador" de novas fronteiras do conhecimento humano. Cansa. 

Para refutar Einstein, é preciso estudar física de forma profunda. Idem para atacar a evolução, ou qualquer outra área do conhecimento científico. Não será com "ideologias zero" e uma profunda incompreensão do assunto que se fará isso.

Repetindo, nada pessoal, nada contra o Mtnos ou quem quer que deseje debater, mesmo com novas e espantosas ideias, qualquer assunto. Minha posição pessoal é contra o conteúdo, ou falta de, dos textos apresentados para debate. Não tem nada lá. Apenas erros e enganos, falácias diversas e bastante pretensão.

Não conheço o Mtnos, e nada tenho contra ele..:-)

Um abraço.

Homero

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@...> escreveu
>
>
> Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual. Eles pensam
> que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles?
>
> Que tal todos deixarem estes "mimos" de falarem de fulano ou ciclano (ou
> seus comentários) de lado? Vamos respeitar as diferenças! Vamos
> focar no conteúdo e menos em quem está escrevendo. Isto vale para
> todos! Ok?
>
> Mtnos seus textos já estão no padrão, caixa baixa, evite mudar
> os títulos dos debates, e não escorregar muito no tema da lista.
> Esta corzinha azul em negrito (muito carregado), só por Deus! Mas
> tudo bem!
>
> De resto, òtimo! Agora vamos tocar o barco e não prolongar mais
> ainda isto! Ok? Acabou, chega, ponto final, zéfini...!
>
>
> Marcel
>
>
>
>
>
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" mtnoscalil@
> escreveu
> >
> > Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual. Eles
> pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas
> eles não os donos do pedaço??
> >
> > Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de
> agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
> >
> > Veja:
> >
> > "sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem
> lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância,
> usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de
> conteúdo.»
> >
> > Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O
> camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com
> centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre
> livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos
> assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a
> partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo
> 14 horas por dia para leitura e redação.
> >
> > Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight:
> antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia
> linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé,
> classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e
> indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai
> começar das notas e referências bibliográficas.
> >
> > Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou
> radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que
> retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
> >
> > Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes
> surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este
> fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
> >
> > Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de
> segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre
> grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos
> primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de
> instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha,
> camarada!
> >
> > Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a
> inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi
> sobre inveja para você examinar.
> >
> > Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos.
> Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido
> crédito, no interior da publicação.
> >
> > O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um
> livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior
> fábrica de feed-back que já vi na vida! Não dá pra
> entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
> >
> >
> > Good & Thanks
> > Mtnos Calil
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > ----- Original Message -----
> > From: Pesky Bee
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
> > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> natureza - com Pesky
> >
> >
> >
> >
> > Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique
> insuflado.
> >
> > (...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
> > me pedir para eu não dar trela para ti...)
> >
> > *PB*
> >
> >
> >
> > From: Mtnos Calil
> > Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> natureza - com Pesky
> >
> >
> >
> >
> > Nossa Bee!
> > Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique
> insuflado.
> > Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
> > Por exemplo: o meu anti-pensamento proporciona, por acaso, o beneficio
> de estimular o pensamento de algumas pessoas.
> > Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas
> isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
> >
> > Good & Thanks
> > Mtnos Calil
> >
> > Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem o
> narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as
> ideologias).
> > Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma
> forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por
> exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e
> Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas
> contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein???
> Que seleção desnaturada é essa?
> >
> > Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma das tônicas da linguagem dos
> ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou
> melhor, deste bem.
> > Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso
> para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha
> aborrecida.
> >
> >
> >
> >
> > ----- Original Message -----
> > From: Pesky Bee
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
> > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> natureza - com Homero eAlberto.
> >
> >
> >
> > Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
> > É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
> > e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
> > pensar também (que é o lado positivo dessa história).
> >
> > *PB*
> >
> >
> >
> > From: Mtnos Calil
> > Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza -
> com Homero e Alberto.
> >
> >
> >
> >
> > Prezados amigos e ferrenhos opositores.
> >
> > Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas
> ansiedades.
> > Mas a experiência está revelando que elas não estão
> conseguindo atingir esse objetivo.
> > Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo
> vocês perderem seu precioso tempo.
> >
> > Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois
> ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para
> todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática
> também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de
> mente achatada) existem neste mundo!
> >
> > Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
> > Outros vieram para servir.
> > Outros vieram para serem servidos.
> > E outros ainda vieram para ficar admirando a própria imagem
> refletida nas águas do narcisismo.
> >
> > Abraços
> > Mtnos Calil
> >
> > Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com
> o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte
> existem outros chatos
> > nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de
> personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres
> habitando este planeta.
> >
> > Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta
> chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena
> perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês.
> Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar
> do mal. Assim o mal se duplica!
> >
> > Ps3. O que parece irreverência no que escrevo, é apenas um
> "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
> >
> >
> > ----- Original Message -----
> > From: Homero
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
> > Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
> >
> >
> > Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
> > outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo.
> Não
> > procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a
> pretensão de
> > ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que
> o
> > Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é
> um «chato de
> > galochas». "
> >
> >
> > Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma
> ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma
> conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de
> falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que
> deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
> >
> > Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem
> conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou
> coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando
> citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de
> conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o
> que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir
> listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente
> adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja
> assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem
> só.:-).
> >
> > Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência"
> com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero,
> que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha
> personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais
> intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
> >
> > Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e
> críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base,
> evidências e argumentos sólidos.
> >
> > Homero
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho"
> albmesq@ escreveu
> > >
> > > -----Mensagem Original-----
> > > From: Mtnos Calil
> > > Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> > > Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
> > >
> > > > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação
> lógico-cientifica. Uma
> > > > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu
> ofendido
> > > > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de
> defesa.
> > >
> > > OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas
> você já disse
> > > isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que,
> se
> > > alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se
> não acredita,
> > > da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com
> ele. Eu não me
> > > senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna
> que
> > > você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já
> expus, em outras
> > > msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou
> de
> > > outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo.
> Não
> > > procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a
> pretensão de
> > > ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar
> que o
> > > Tesla não está totalmente errado quando afirma que você
> é um «chato de
> > > galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de
> outros
> > > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS
> SENHORES
> > > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL
> SOB
> > > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra
> providência para acabar
> > > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> > >
> > > Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das
> threads com
> > > tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta,
> se é que
> > > você sabe o que isto significa.
> > >
> > > Fui
> > > Alberto
> > > A netiqueta acima de tudo
> > > http://ecientificocultural.com.br
> > > Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga
> elétrica
> > > coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
> > >
> >
>

SUBJECT: Vejam a última novidade da netiqueta
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 12:47

Quando você responder a uma mensagem, não coloque o texto da mensagem que
você está respondendo.
Coloque apenas o número.
As razões psicológicas inconscientes desta norma de conduta só mesmo Freud
para explicar.
Talvez seja uma regressão para o tempo antigo, pois quando alguém escrevia
uma carta, não colocava no correio a carta à qual estava respondendo.
Abraços
Good & Thanks
Mtnos Calil




----- Original Message -----
From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Tuesday, April 03, 2012 2:55 AM
Subject: Re: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.


> -----Mensagem Original 81174-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Monday, April 02, 2012 6:00 AM
> Subject: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.
>
> Cruz credo!!! Quanta projeção! Tenha bons sonhos com Freud e ficarei na
> torcida para que ele consiga te ajudar.
>
> [ ]´s
> Alberto
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>
>
>
> ------------------------------------
>
> ##### ##### #####
>
> Página de apoio
> http://www.ciencialist.com
>
>
> ##### ##### ##### #####Links do Yahoo! Grupos
>
>
>



SUBJECT: Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 12:47

Homero,

 

Marcell: "Que tal todos deixarem estes "mimos" de falarem de fulano ou ciclano (ou seus comentários) de lado? Vamos respeitar as diferenças! Vamos focar no conteúdo e menos em quem está escrevendo. "

 

Homero:"...Concordo plenamente. Por isso disse com clareza o que acho dos textos do Mtnos. Não é pessoal, nada tenho contra ele (nem estou pretendendo disputar poder.:- ), apenas penso que seu texto é incoerente, vazio, sem propósito ou conteúdo, com muitas falácias e erros de compreensão e distorções das ideias debatidas. Repito, não é pessoal, é minha avaliação dos textos e discussões propostas..."

 

Entendido! Sei que você concorda! Só não quero ( a maioria acredito eu) que isto se estenda ainda mais. Ok? E não vou dar sequência neste texto....

 

Penso que debates pessoais (a respeito dos textos dos envolvidos - é óbvio) menos ou mais discretos, inibem e desencorajem que outros (iniciantes) comecem a escrever, ou mesmo, que outros aproveitem o "aval de cima" e descasquem (radicalizem?) sem critério. Veja, não temos uma mulher (seres mais sensíveis) por aqui, e isto já está "odorizando" à vestiário de futebol masculino. ;o)

 

Como sugestão podemos simplificar em responder à uma discussão ou não responder à mesma. Caso seja respondendo, focar no que é relevante, o resto basta selecionar e deletar, ou no máximo citar a falácia predominante no parágrafo. Um insight engraçado, e discreto, pode ser útil para chamar atenção de alguém que esteja abusando na maionese. Aos mais afoitos e revolucionários, uma chamada em pvt esclarecendo etiquetas e padrões (que estejam visiveis a todos) a serem seguidos poderia ser considerada. Apenas minha sugestão é claro!

 

Considero que muitos estão aqui aprendendo, desde conteúdo científico quanto em linha de raciocínio, lógica, organização de ideias e comunicação/expressão. Aprendi muito com você e com outros, e, quero que outros possam ter a mesma experiência sem temer cometer alguma gafe ou entrar em debates deste gênero.

 

Um abraço.

 

Marcel

 

 


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Homero" <oraculo@...> escreveu
>
> Marcell: "Que tal todos deixarem estes "mimos" de falarem de fulano ou
> ciclano (ou seus comentários) de lado? Vamos respeitar as
> diferenças! Vamos focar no conteúdo e menos em quem está
> escrevendo. "
> Concordo plenamente. Por isso disse com clareza o que acho dos textos do
> Mtnos. Não é pessoal, nada tenho contra ele (nem estou pretendendo
> disputar poder.:- ), apenas penso que seu texto é incoerente, vazio,
> sem propósito ou conteúdo, com muitas falácias e erros de
> compreensão e distorções das ideias debatidas. Repito, não é
> pessoal, é minha avaliação dos textos e discussões propostas.
> Um exemplo, que deve servir de base de análise:
> Mtnos: "Pelo que estou percebendo, quase todos os evolucionistas são
> movidos por uma fé salvacionista. Nem poderia ser diferente pois o
> "evolucionismo" supervaloriza a evolução, como se ele se ela
> processasse numa curva eternamente ascendente, ainda que em velocidade
> muito inferior a das tartarugas. "
> Falácia de espantalho. Nenhum, ou melhor praticamente nenhum,
> evolucionista, cientista, biólogo, etc, pensa que esta se processe em
> "curva ascendente", ou que significa "progresso, ou que, e essa é
> até difícil de entender, "salvacionista". A evolução não
> significa progresso, e entendemos perfeitamente bem que não há nem
> direção, nem "superioridade" intrínseca nos resultados,
> espécies, da evolução. Toda espécie viva hoje é "tão
> evoluida" quanto nós, pois passou pelos processos de adaptação ao
> seu ambiente da mesma forma, e se ajustou a ele da mesma forma.
> Essa falácia, esse erro/distorção sobre o entendimento da
> evolução por parte dos cientistas é tão crasso, que impede que
> o debate se estenda, sem ser preciso antes desfazer todo engano, de
> novo, e de novo. E de novo.
> Não há "curvas ascendentes" na evolução, há um degrade,
> lento, mas que pode se estender para qualquer direção, complexidade
> ou simplificação (estudar a evolução de parasitas ajuda a entender
> melhor). A metáfora da ladeira, talvez uma confusão com o "monte
> improvável" de Dawkins, nada tem a ver com ser uma curva de
> "superior/inferior".
> Todo texto sofre desses erros e distorções. E o que cansa é ter de
> explicar toda base de cada assunto (como no caso da evolução) a quem,
> arrogantemente, se recusa a primeiro estudar o assunto, se colocando
> como "revolucionário e desbravador" de novas fronteiras do
> conhecimento humano. Cansa.
> Para refutar Einstein, é preciso estudar física de forma profunda.
> Idem para atacar a evolução, ou qualquer outra área do
> conhecimento científico. Não será com "ideologias zero" e uma
> profunda incompreensão do assunto que se fará isso.
> Repetindo, nada pessoal, nada contra o Mtnos ou quem quer que deseje
> debater, mesmo com novas e espantosas ideias, qualquer assunto. Minha
> posição pessoal é contra o conteúdo, ou falta de, dos textos
> apresentados para debate. Não tem nada lá. Apenas erros e enganos,
> falácias diversas e bastante pretensão.
> Não conheço o Mtnos, e nada tenho contra ele..:-)
> Um abraço.
> Homero
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009"
> marcelleandro2009@ escreveu
> >
> >
> > Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual. Eles
> pensam
> > que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles?
> >
> > Que tal todos deixarem estes "mimos" de falarem de fulano ou ciclano
> (ou
> > seus comentários) de lado? Vamos respeitar as diferenças! Vamos
> > focar no conteúdo e menos em quem está escrevendo. Isto vale
> para
> > todos! Ok?
> >
> > Mtnos seus textos já estão no padrão, caixa baixa, evite
> mudar
> > os títulos dos debates, e não escorregar muito no tema da lista.
> > Esta corzinha azul em negrito (muito carregado), só por Deus! Mas
> > tudo bem!
> >
> > De resto, òtimo! Agora vamos tocar o barco e não prolongar mais
> > ainda isto! Ok? Acabou, chega, ponto final, zéfini...!
> >
> >
> > Marcel
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" mtnoscalil@
> > escreveu
> > >
> > > Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual. Eles
> > pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas
> > eles não os donos do pedaço??
> > >
> > > Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de
> > agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
> > >
> > > Veja:
> > >
> > > "sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem
> > lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância,
> > usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de
> > conteúdo.»
> > >
> > > Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O
> > camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com
> > centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre
> > livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos
> > assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a
> > partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no
> minimo
> > 14 horas por dia para leitura e redação.
> > >
> > > Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este
> insight:
> > antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia
> > linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé,
> > classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e
> > indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai
> > começar das notas e referências bibliográficas.
> > >
> > > Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou
> > radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que
> > retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
> > >
> > > Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes
> > surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este
> > fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
> > >
> > > Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de
> > segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre
> > grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos
> > primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de
> > instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha,
> > camarada!
> > >
> > > Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a
> > inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi
> > sobre inveja para você examinar.
> > >
> > > Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos.
> > Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o
> devido
> > crédito, no interior da publicação.
> > >
> > > O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um
> > livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior
> > fábrica de feed-back que já vi na vida! Não dá pra
> > entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
> > >
> > >
> > > Good & Thanks
> > > Mtnos Calil
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > ----- Original Message -----
> > > From: Pesky Bee
> > > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > > Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
> > > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> > natureza - com Pesky
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique
> > insuflado.
> > >
> > > (...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
> > > me pedir para eu não dar trela para ti...)
> > >
> > > *PB*
> > >
> > >
> > >
> > > From: Mtnos Calil
> > > Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
> > > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> > natureza - com Pesky
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Nossa Bee!
> > > Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique
> > insuflado.
> > > Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
> > > Por exemplo: o meu anti-pensamento proporciona, por acaso, o
> beneficio
> > de estimular o pensamento de algumas pessoas.
> > > Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí...
> mas
> > isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
> > >
> > > Good & Thanks
> > > Mtnos Calil
> > >
> > > Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem
> o
> > narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas
> as
> > ideologias).
> > > Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma
> > forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por
> > exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e
> > Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em
> suas
> > contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein???
> > Que seleção desnaturada é essa?
> > >
> > > Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma das tônicas da linguagem
> dos
> > ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou
> > melhor, deste bem.
> > > Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso
> > para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha
> > aborrecida.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > ----- Original Message -----
> > > From: Pesky Bee
> > > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > > Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
> > > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> > natureza - com Homero eAlberto.
> > >
> > >
> > >
> > > Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
> > > É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
> > > e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
> > > pensar também (que é o lado positivo dessa história).
> > >
> > > *PB*
> > >
> > >
> > >
> > > From: Mtnos Calil
> > > Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
> > > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > > Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza
> -
> > com Homero e Alberto.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Prezados amigos e ferrenhos opositores.
> > >
> > > Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas
> > ansiedades.
> > > Mas a experiência está revelando que elas não estão
> > conseguindo atingir esse objetivo.
> > > Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo
> > vocês perderem seu precioso tempo.
> > >
> > > Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato",
> pois
> > ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para
> > todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática
> > também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de
> > mente achatada) existem neste mundo!
> > >
> > > Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
> > > Outros vieram para servir.
> > > Outros vieram para serem servidos.
> > > E outros ainda vieram para ficar admirando a própria imagem
> > refletida nas águas do narcisismo.
> > >
> > > Abraços
> > > Mtnos Calil
> > >
> > > Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado
> com
> > o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte
> > existem outros chatos
> > > nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de
> > personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres
> > habitando este planeta.
> > >
> > > Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta
> > chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a
> pena
> > perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês.
> > Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se
> livrar
> > do mal. Assim o mal se duplica!
> > >
> > > Ps3. O que parece irreverência no que escrevo, é apenas um
> > "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
> > >
> > >
> > > ----- Original Message -----
> > > From: Homero
> > > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > > Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
> > > Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das
> threads
> > >
> > >
> > > Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
> > > outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo.
> > Não
> > > procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a
> > pretensão de
> > > ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar
> que
> > o
> > > Tesla não está totalmente errado quando afirma que você
> é
> > um «chato de
> > > galochas». "
> > >
> > >
> > > Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não
> uma
> > ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com
> uma
> > conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão
> (de
> > falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo
> que
> > deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
> > >
> > > Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem
> > conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou
> > coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando
> > citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de
> > conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o
> > que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem
> existir
> > listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente
> > adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja
> > assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem
> > só.:-).
> > >
> > > Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a
> ciência"
> > com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero,
> > que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha
> > personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas
> mais
> > intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
> > >
> > > Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e
> > críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base,
> > evidências e argumentos sólidos.
> > >
> > > Homero
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho"
> > albmesq@ escreveu
> > > >
> > > > -----Mensagem Original-----
> > > > From: Mtnos Calil
> > > > Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> > > > Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
> > > >
> > > > > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação
> > lógico-cientifica. Uma
> > > > > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu
> > ofendido
> > > > > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de
> > defesa.
> > > >
> > > > OK, não há porque ser redundante. Em condições
> análogas
> > você já disse
> > > > isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender
> que,
> > se
> > > > alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se
> > não acredita,
> > > > da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com
> > ele. Eu não me
> > > > senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna
> > que
> > > > você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também
> já
> > expus, em outras
> > > > msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira
> ou
> > de
> > > > outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda
> comigo.
> > Não
> > > > procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem
> a
> > pretensão de
> > > > ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar
> > que o
> > > > Tesla não está totalmente errado quando afirma que você
> > é um «chato de
> > > > galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou
> de
> > outros
> > > > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS
> > SENHORES
> > > > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL
> > SOB
> > > > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra
> > providência para acabar
> > > > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> > > >
> > > > Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das
> > threads com
> > > > tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta,
> > se é que
> > > > você sabe o que isto significa.
> > > >
> > > > Fui
> > > > Alberto
> > > > A netiqueta acima de tudo
> > > > http://ecientificocultural.com.br
> > > > Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma
> carga
> > elétrica
> > > > coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
> > > >
> > >
> >
>


SUBJECT: Re: A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
FROM: "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 13:03

Para os poucos que estava acompanhando e dando sequência sobre o revastrol...existe uma hortaliça que tem esta substância muito mais concentrada que na uva.

http://www.saudeintegral.com/artigos/azedinha-a-planta-poderosa.html

 

Marcel

 


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@...> escreveu
>
>
> "Mais recentemente, no início dos anos 2000, cientistas do Centro
> Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin revelaram bons resultados
> com macacos mantidos em uma dieta 30% menos calórica do que seus
> colegas. Além de magros, estavam no auge da vida. Enquanto os que
> comiam normalmente se movimentavam lentamente e viam cair mais pelos,
> entre outros sinais de velhice. ..."
>
> Um pouco (fotos e tal) mais, aqui:
> http://hypescience.com/18398-restricao-de-calorias-pode-extender-a-vida-\
> de-humanos-tambem/
> <http://hypescience.com/18398-restricao-de-calorias-pode-extender-a-vida\
> -de-humanos-tambem/>
>
>
>
> Marcel
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009"
> marcelleandro2009@ escreveu
> >
> >
> http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,ERT204682-17773,00.htm\
> l
> >
> > A cura do envelhecimento
> >
> > Pílulas, células-tronco, dietas e tratamentos para evitar
> doenças e regenerar órgãos. Conheça as novas armas da
> ciência para nos manter com aparência jovem para sempre
> >
> > Priscilla Santos, com reportagem de Bruna Fasano e Willian Okada
> >
> >
> > FONTE DA JUVENTUDE
> > Crédito: Maná E.D.I.
> >
> > O soldado e explorador espanhol Juan Ponce de León (1460-1521)
> já havia acompanhado Cristóvão Colombo em sua segunda viagem
> à América quando começou sua busca pela mitológica Fonte da
> Juventude. Os nativos de Porto Rico, onde Ponce havia criado uma
> colônia, diziam existir tal fonte misteriosa capaz de proporcionar a
> jovialidade eterna para quem em suas águas se banhasse. O viajante
> nunca a encontrou — acabou foi descobrindo a Flórida,
> ironicamente o estado americano hoje com a maior proporção de idosos.
> Ponce de León não foi o único a procurar incansavelmente por
> uma forma de ser jovem para sempre. A busca pela imortalidade e pela
> juventude eterna sempre fascinou o homem, único animal que tem
> consciência da própria morte — e por isso sofre. Mas nunca
> esteve tão próxima de ser alcançada. Como Ponce de Leóns
> contemporâneos, os cientistas do século 21 vêm perseguindo o
> fim da maior causa de morte do mundo: a velhice. Por consequência, as
> doenças decorrentes dela. E parecem estar mais próximos de, no
> mínimo, postergá-la. "Os avanços da área biológica que
> surgem nesse começo de século indicam que muitos de nós
> poderemos chegar facilmente aos 100, 150 anos", diz o professor do
> Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de
> Janeiro (UFRJ), Stevens Rehen.
> >
> > Prolongar a vida seria apenas uma consequência de fazer as pessoas
> serem mais saudáveis por mais tempo. Esse é o principal objetivo
> da nova ciência do antienvelhecimento, que pretende atacar de uma
> só vez todas as formas de deterioração do corpo para fazer com que
> o nosso relógio biológico corra mais devagar. Assim, ficaríamos
> longe de doenças decorrentes da idade avançada — como
> Alzheimer, demência, diabetes e doenças cardíacas — por
> mais tempo. Atacar a velhice, portanto, seria a melhor e talvez única
> forma de nos afastarmos dos males provocados por ela. Combater uma a uma
> as doenças — algo que desde sempre fazemos — não surtiria
> grandes efeitos. Nos Estados Unidos, por exemplo, se os problemas de
> coração fossem totalmente eliminados, a expectativa de vida não
> subiria mais do que três anos. O mesmo que proporcionaria uma cura
> milagrosa para o câncer. "O risco de doenças fatais dispara
> após os 60 anos. Assim, mesmo que evitemos o ataque cardíaco,
> outros problemas vão nos pegar", afirma o escritor de ciência e
> medicina americano David Stipp, autor do livro The Youth Pill (A
> Pílula da Juventude, sem edição no Brasil), lançado no ano
> passado. Por isso, a maneira de aumentar a expectativa e a qualidade de
> vida para valer é evitar chegar nesse estágio em que já estamos
> mais fracos e vulneráveis a doenças.
> >
> >
> >
> >
> > Em vez de águas milagrosas, a Fonte da Juventude perseguida pelos
> cientistas oferecerá tratamentos futurísticos descobertos nos mais
> ardilosos experimentos
> > Crédito: Maná E.D.I.
> >
> >
> >
> > INJEÇÃO ANTIVELHICE
> >
> >
> > Em novembro passado, pesquisadores do Instituto de Câncer
> Dana-Farber, da Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos,
> publicaram um estudo que contrariou um dos principais conceitos sobre o
> processo de envelhecimento: o de que ele é irreversível. Eles
> conseguiram, pela primeira vez, rejuvenescer ratos de laboratório. O
> experimento foi baseado num mecanismo que rendeu, um ano antes, o
> Prêmio Nobel de Medicina a outros três cientistas americanos: a
> relação entre o processo de envelhecimento e os telômeros, uma
> espécie de capinha que protege a ponta de cada cromossomo dentro de
> nossas células — numa comparação grosseira, o telômero
> assemelha-se àquele revestimento plástico presente na ponta dos
> cadarços de um tênis. A cada vez que a célula se divide, essa
> capinha se encurta um pouco. Depois de 50 a 80 duplicações a
> célula não consegue mais se multiplicar — após os 35 anos
> de idade, os efeitos desse processo já começam a ser sentidos. O
> tempo passa e, sem células novas e com algumas mortas ou inativas,
> nossos órgãos começam a se deteriorar. É a velhice.
> >
> > Nascemos com um mecanismo capaz de driblar esse processo, uma enzima
> chamada telomerase. Ela repara as tais capas protetoras dos cromossomos
> após cada divisão celular. Porém, após a infância, sua
> concentração cai drasticamente. Fazer com que ela volte a crescer
> é um dos caminhos para postergar o envelhecimento — ou até
> mesmo revertê-lo. No estudo de Harvard, os cientistas criaram ratos
> geneticamente modificados de forma que não produzissem a telomerase.
> Como resultado, os animais envelheceram rapidamente. Os sinais
> incluíram diminuição do cérebro e do olfato, danos no baço e
> intestinos, além de doenças como osteoporose e diabetes. Com
> apenas um mês de ingestão de telomerase, no entanto, tais sintomas
> sumiram. Os ratos voltaram inclusive a ser férteis e desenvolveram
> neurônios, sem contar uma invejável melhora na pele. "O que vimos
> não foi a desaceleração ou estabilização do envelhecimento, mas
> algo muito mais incrível: uma reversão dramática dele", afirma
> Ronald DePinho, coordenador da pesquisa. "É possível imaginar que
> um homem de 90 anos voltaria a ter a saúde que possuía aos 40 ou
> 50", diz. Porém, apesar de ter sido bem-sucedido em ratos, o
> tratamento ainda não foi testado em humanos. E não há
> perspectiva de que isso aconteça nos próximos anos. "Ainda temos
> muito trabalho pela frente. O próximo passo é descobrir em que
> estágio da vida as pessoas precisariam se submeter à injeção de
> telomerase", afirma DePinho. Em paralelo a isso, ainda seria preciso
> ultrapassar um grande empecilho: o potencial risco de câncer.
> >
> > Fora do período de gestação e infância, a telomerase só
> retorna em grandes quantidades nas células cancerosas — sabe-se
> que 90% dos tumores possuem a enzima. Aliás, é por isso que elas
> se reproduzem incessantemente. "Se você persegue a imortalidade, é
> o que, de um modo perverso, também fazem as células com
> câncer", diz o oncologista e professor de medicina da Universidade
> Columbia, Estados Unidos, Siddhartha Mukherjee, autor do
> recém-lançado livro The Emperor of All Maladies: A Biography of
> Cancer (O Império de Todas as Enfermidades: Uma Biografia do
> Câncer, sem edição no Brasil).
> >
> > Além da vantagem óbvia para todo mundo de postergar a chegada da
> velhice, um grupo específico de pessoas se beneficiaria caso os
> pesquisadores conseguissem resolver as contraindicações desse tipo de
> tratamento. Trata-se de indivíduos que, por conta de uma sequência
> genética, têm menos telomerase desde a gestação.
> Consequentemente, envelhecem mais rápido e chegam a ser
> biologicamente até dez anos mais velhos do que outras pessoas da
> mesma idade. Essa sequência de DNA foi mapeada em fevereiro do ano
> passado por cientistas da Universidade de Leicester, no Reino Unido. Em
> um estudo com 3 mil pessoas, 45% delas carregavam ao menos um gene da
> sequência. Os pesquisadores acreditam que um mapeamento desse tipo
> possibilitaria prescrever estilos de vida saudáveis àqueles mais
> propensos aos males do envelhecimento. Além de exercícios
> físicos, uma dieta com poucas calorias entraria na receita. Pois é
> sabido, e cientificamente provado, que quem come menos, vive mais.
> >
> >
> >
> > UMA ENZIMA PARA NOS MANTER SEMPRE JOVENS
> > A deterioração de nosso corpo começa de forma microscópica,
> em nossos cromossomos. Uma substância pode revertê-la. Veja como
> (clique aqui para ampliar)
> >
> >
> >
> >
> > 300 TAÇAS DE VINHO
> >
> >
> > Uma dieta diária entre 1.200 e 1.400 calorias — 30% a menos do
> que a sugerida pela Organização Mundial da Saúde — poderia
> aumentar nossa expectativa de vida média para 120 anos. Algumas
> pessoas chegariam, então, aos 150. Mesmo que você começasse a
> comer menos aos 30, ainda teria chance de prolongar seu tempo na Terra
> em sete anos. É atrás dessas promessas que ao menos 2 mil pessoas
> praticam a dieta de baixa caloria no mundo. Esse é o número de
> membros da Sociedade de Restrição Calórica. Apesar da matriz estar
> localizada nos Estados Unidos, há integrantes de várias partes do
> planeta, inclusive cinco do Brasil (que não se identificam). Os
> resultados dos pratos moderados têm sido positivos. Dados divulgados
> pela Sociedade atestam que os adeptos da dieta registraram queda
> significativa da pressão sanguínea, perda de quase 70% da gordura
> corporal e redução de 80% do nível de insulina no sangue, o que,
> no mínimo, faz cair o risco de doenças cardíacas e diabetes.
> Pratos mais comportados também são a receita milenar dos
> habitantes do arquipélago japonês de Okinawa — é lá que
> estão as pessoas que mais vivem no mundo. A proporção de
> centenários nas ilhas é de 50 para cada 100 mil moradores,
> enquanto nos demais países cai para dez a cada 100 mil. A
> população de Okinawa é de cerca de 1,3 milhão. Não por
> acaso, um prato típico no arquipélago tem 17% menos calorias do
> que no restante do Japão.
> >
> > A teoria mais aceita de por que comer pouco nos faria envelhecer mais
> devagar é evolutiva. Os efeitos benéficos das baixas calorias se
> devem a um mecanismo chamado starvation response, ou resposta à fome,
> em português. Nos primórdios da humanidade, durante os períodos
> de grandes secas ou mudanças abruptas no clima, ficava difícil
> encontrar alimento. Era natural, portanto, que, sob a ameaça de
> inanição, o organismo concentrasse seus esforços na proteção
> dos processos essenciais à sobrevivência. A energia do crescimento
> e reprodução (mecanismos trabalhosos para o corpo) era deslocada para
> o reparo e manutenção constante das células. Isso fazia com que as
> pessoas envelhecessem mais devagar. Tudo não passava de um truque da
> natureza para garantir a continuidade da espécie: ao conservar o
> corpo, o intuito era preservar aqueles indivíduos para se
> reproduzirem assim que as coisas melhorassem.
> >
> > Em cinco anos, o laboratório Sirtris Pharmaceutical promete colocar
> no mercado uma pílula que imita os efeitos de se comer pouco, mesmo
> que você siga uma dieta normal. O princípio ativo — já
> comercializado em medicamentos para diabéticos e como suplemento
> alimentar — é o resveratrol, substância encontrada na casca da
> uva roxa. É sua presença que confere ao vinho tinto benefícios
> ao coração. E explica o que os cientistas chamam de "paradoxo
> francês": a baixa mortalidade por doenças cardíacas na
> França, mesmo com uma dieta tão rica em gordura. Graças ao
> hábito comedido que a população tem de beber vinho quase que
> diariamente. Além dos benefícios ao coração, também há
> evidências de que o resveratrol reduza o risco de Alzheimer, derrame,
> diversos tipos de câncer, perda de audição e osteoporose —
> todos problemas comuns no envelhecimento. Já provocar o aumento dos
> anos de vida é algo que ainda precisa ser provado em humanos. Mas o
> resultado em animais se mostrou estimulante.
> >
> >
> >
> > VIDA LONGA - E MAIS FELIZ
> >
> >
> >
> > Se a ciência de fato nos fizer passar dos 75 com saúde e
> disposição nos fará felizes como nunca seríamos. Um estudo
> publicado ano passado por pesquisadores das universidades de Stony Brook
> e Princeton, nos EUA, traçou um paralelo entre bem-estar e idade.
> Surpresa: nosso auge de contentamento seria após os 74. Os resultados
> formam o que os pesquisadores de felicidade chamam de curva U (abaixo).
> Os idosos sentiriam menos raiva e estresse do que os jovens e teriam
> menos preocupações do que os adultos médios. Pois, com a idade, as
> pessoas lidam melhor com conflitos e controlam as emoções. É a
> sabedoria. Os pesquisadores também sugerem que a saída dos filhos
> de casa diminui problemas familiares e financeiros. A ciência está
> fazendo sua parte, agora falta lazer, trabalho e INSS para que os mais
> longevos possam curtir tranquilos a melhor parte da vida.
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > Em 2006, pesquisadores da Escola de Medicina de Harvard realizaram
> estudos liderados por David Sinclair — não por acaso, fundador da
> Sirtris Pharmaceutical, hoje pertencente à gigante inglesa
> GlaxoSmithKline. No experimento, cientistas superalimentaram roedores
> com uma dieta rica em gordura. Em paralelo, forneceram a eles doses de
> resveratrol. As cobaias ficaram obesas. Ainda assim, seu tempo de vida
> se estendeu a um patamar igual ao dos ratos que comiam com restrição.
> Para obter esses efeitos com vinho seriam necessárias 300 taças
> por dia, ou seja, algo impensável até para o mais bebum dos seres
> humanos. O que justifica a corrida da indústria farmacêutica
> atrás das pílulas.
> >
> > Os medicamentos que imitam dietas metódicas serão uma
> aplicação mais concreta dos pioneiros estudos sobre
> antienvelhecimento. A primeira importante pesquisa científica que
> provou que restringir calorias poderia prolongar a vida foi divulgada em
> 1934. O estudioso de nutrição da Universidade de Cornell, Estados
> Unidos, Clive McCay, manteve ratos em um estado de quase fome por quatro
> anos e os assistiu viver 85% mais tempo do que a média. Um dos
> animais chegou aos 3 anos e 9 meses de idade. Como, cinco anos antes,
> dois cientistas tinham ganhado o Prêmio Nobel pela descoberta das
> vitaminas, pareceu uma pequena heresia dizer que passar um pouco de fome
> poderia nos fazer bem. Mais recentemente, no início dos anos 2000,
> cientistas do Centro Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin
> revelaram bons resultados com macacos mantidos em uma dieta 30% menos
> calórica do que seus colegas. Além de magros, estavam no auge da
> vida. Enquanto os que comiam normalmente se movimentavam lentamente e
> viam cair mais pelos, entre outros sinais de velhice.
> >
> > Em 2015, 2016, com o medicamento nas farmácias, a Sirtris deve se
> tornar a indústria referência em antienvelhecimento. Além do
> resveratrol, seus laboratórios estudam outra substância capaz de
> imitar os efeitos de uma dieta de baixa caloria: a rapamicina. Hoje
> usado para evitar rejeição em transplante de órgãos, o
> princípio ativo fez com que ratos de meia-idade vivessem de 28% a 38%
> mais tempo, segundo um estudo divulgado pela revista Nature em meados de
> 2009. Mais uma pesquisa que mostra que há esperanças para
> prolongar a vida mesmo quando o corpo já está desgastado. Esta
> também é a promessa da medicina regenerativa.
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > Crédito: Maná E.D.I.
> >
> >
> >
> > BIOENGENHARIA
> >
> >
> > No ano passado, um grupo de mulheres teve uma oportunidade de ouro:
> após serem mutiladas devido ao câncer de mama, viram crescer seios
> 100% naturais, a partir de suas próprias células. A técnica que
> soa como milagre foi desenvolvida após quase uma década de estudos
> pela empresa de biotecnologia americana Cytori Therapeutics, que
> pretende trazer o método para o Brasil ainda este ano. Permite dupla
> recauchutagem: as células que dão origem ao novo seio são
> extraídas de uma cirurgia plástica para tirar gordurinhas
> indesejadas. O procedimento começa com uma lipoaspiração, por
> exemplo, na barriga. Da gordura são colhidas células-tronco,
> capazes de se multiplicar para gerar tecidos de outras partes do corpo,
> como a mama. Elas são, então, aplicadas na região do peito.
> Conforme crescem, formam um novo seio, sem risco de rejeição.
> >
> > A descoberta de células-tronco na gordura foi um grande avanço
> para a medicina regenerativa. Somente no Brasil, são realizadas mais
> de 200 mil lipoaspirações por ano. No ano passado, Radovan Borojevic,
> diretor do Programa Avançado de Biologia Celular Aplicada à
> Medicina da UFRJ, conseguiu, de forma inédita no Brasil,
> autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep)
> para manipular células-tronco de gordura. "Esse material pode
> garantir reserva para a velhice, para sanar as doenças naturais do
> passar dos anos e até diminuir as rugas", diz. Quem fizer uma
> lipoaspiração aos 20, por exemplo, pode chegar aos 60 e usar as
> células guardadas para preencher a pele envelhecida e se livrar dos
> pés de galinha. Como as células terão a memória de sua
> juventude, será possível fazer o que nenhum cosmético ou Botox
> jamais conseguiu: ter cara de 20, aos 60. O procedimento, cujo efeito
> dura de quatro a cinco anos, já está em fase de testes. Em três
> meses, Borojevic realizou 70 implantes de células antirrugas — os
> interessados podem se inscrever para os testes no Instituto de
> Ciências Biomédicas da UFRJ. Mas esta é apenas a mais
> frívola das promessas da bioengenharia. "Com as técnicas, vamos
> envelhecer muito melhor do que os nossos avós", afirma Borojevic.
> >
> > Experimentos em humanos mostraram que o implante de células-tronco
> pode reparar órgãos vitais. Entre eles, o coração, que teria
> benefícios como o aumento da quantidade e bombeamento de sangue
> após infartos, diminuição da área de tecidos mortos e melhora
> da capacidade respiratória em casos de doenças cardíacas
> crônicas. Outro resultado positivo é a redução da
> incontinência urinária em pacientes que passaram por cirurgias de
> próstata. "A medicina regenerativa para problemas do envelhecimento
> será de fato composta por peças de substituição", afirma o
> gerontologista inglês criador da Fundação Sens, de estudos de
> biotecnologia para rejuvenescimento, Aubrey de Grey, polêmico, entre
> outras coisas, por afirmar que a velhice é uma doença à espera
> de cura.
> >
> >
> >
> > A HORA DA MORTE
> >
> >
> > Com sua aparência de Matusalém, apesar dos 47 anos de idade, De
> Grey acredita que podemos ser imortais e que os homens que vão viver
> mil anos já nasceram. Passar mais tempo na Terra do que o próprio
> personagem bíblico, que teria morrido aos 969, seria possível
> graças ao desenvolvimento da engenharia para impedir que nossas
> células envelheçam e da reposição de órgãos e tecidos.
> "Uma vez que a medicina regenerativa se desenvolver, o limite
> biológico do corpo desaparecerá." A ideia gerou tanta
> controvérsia na comunidade científica que, em 2005, o
> Massachusetts Institute of Technology (MIT) lançou um concurso que
> premiaria com US$ 20 mil quem conseguisse provar que a tese de Aubrey
> era descabida. Cinco inscrições foram analisadas por um júri
> composto por cabeças como o geneticista Craig Venter. Ninguém
> levou o prêmio.
> >
> > A crença de que a ciência e a tecnologia nos permitirão
> redesenhar o próprio corpo para nos fazer viver muito mais, até
> indefinidamente, guia uma corrente filosófica chamada transhumanismo.
> Os seguidores do pensamento acreditam que por meio de áreas de
> conhecimento emergentes como biotecnologia, inteligência artificial,
> robótica e nanotecnologia, poderemos superar a própria condição
> humana. "O homem não é o final da evolução biológica, e sim
> o começo de uma evolução tecnológica", afirma o engenheiro
> venezuelano formado pelo MIT e que já trabalhou para a Nasa, José
> Cordeiro, grande divulgador do transhumanismo na América Latina. Ele
> acredita que assistiremos à morte da morte — e que não há
> nada de antinatural nisso. "O propósito da vida é mais vida.
> Além do mais, ninguém quer morrer, ainda mais se tiver a
> oportunidade de não ficar velho."
> >
> > A visão de que vale a pena manipular nosso corpo a qualquer custo
> para ser jovem para sempre encontra olhares críticos. "Essa
> pretensão de vida eterna é um erro existencial, uma arrogância
> do homem em querer inventar uma vida que não é sua. Pois a
> finitude é um atributo da nossa, e é o que a faz ser boa", afirma
> o cientista político Clóvis de Barros Filho, professor de ética
> da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo
> (USP). "É uma ilusão narcisista acreditar que se vai viver em gozo
> eternamente. Ficar dos 60 aos 120 anos curtindo aposentadoria e nunca
> aceitar o dissolver, que é o nosso destino", diz a filósofa e
> terapeuta Regina Favre, de São Paulo, que acredita que a busca pela
> longevidade sem fim seja fruto da solidão, do desamparo e do medo
> gerado pelos problemas da velhice e proximidade da morte. Ou como
> escreveu o escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986) no conto O
> Imortal, publicado no livro O Aleph: "Dilatar a vida dos homens é
> como dilatar sua agonia e multiplicar o número de suas mortes".
> >
> > Mesmo que a medicina conseguisse fazer com que as pessoas tivessem
> saúde e disposição para trabalhar até os 100, provavelmente
> não haveria mercado para todos. Com uma superpopulação de idosos,
> a previdência social certamente iria quebrar. "Não adianta
> chegarmos aos 200 anos se não resolvermos esses problemas", diz a
> presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Silvia
> Regina Mendes Pereira, que acha positivo o esforço dos cientistas
> para evitar doenças como diabetes ou Alzheimer, desde que a qualidade
> de vida seja encarada de forma global. "E isso passa por vários
> aspectos. Um deles, sim, é a saúde, mas também há o
> psicológico e o social."
> >
> > As transformações no mundo caso as pessoas passem a viver
> décadas ou até séculos a mais são inevitáveis. Mas, para
> De Grey, compensaria enfrentá-las. "Essas dificuldades não superam
> os benefícios da eliminação de doenças relacionadas à idade,
> como problemas cardiovasculares e câncer", afirma. Mesmo porque esses
> problemas terão que ser pensados de imediato. Pois, antes mesmo das
> pirotecnias científicas se tornarem realidade, a longevidade no mundo
> só cresce. Para se ter ideia, vivemos 25 anos a mais do que um
> século atrás. Nos países desenvolvidos, a expectativa de vida
> aumenta cinco horas por dia. Ou seja, já há motivos suficientes
> para a ciência se preocupar com os muitos que, em tempos anteriores
> às pílulas que simulam fome ou injeções de enzimas e
> células-tronco, fazem muito mais aniversários do que um dia nossos
> avós jamais poderiam imaginar.
> >
> >
> >
> >
> >
> > O profeta da imortalidade
> >
> >
> > O cientista do envelhecimento Aubrey de Grey afirma que, em 2030,
> estaremos vivendo até os 130 anos. E que os homens que farão mil
> aniversários já nasceram. A seguir ele conta como isso será
> possível
> >
> >
> >
> >
> >
> > * Por que envelhecemos?
> > Aubrey de Grey: Porque o corpo humano, como qualquer máquina, causa
> danos a si mesmo como efeito colateral natural de sua operação. Esse
> prejuízo se acumula ao longo da vida. Por um longo tempo quase não
> afeta a habilidade do corpo para funcionar, mas, eventualmente, provoca
> doenças e incapacidade.
> >
> > * As pessoas que viveriam mil anos precisariam constantemente
> substituir peças, como um robô?
> > De Grey: De fato, a maior parte das técnicas serão compostas por
> peças de substituição, mas a um nível microscópico. Em
> alguns casos, podemos trocar órgãos inteiros. Porém, mais
> frequentemente, serão células ou moléculas.
> >
> > * Mesmo pessoas sedentárias, com excesso de peso e estressadas
> serão capazes de viver mais?
> > De Grey: A medicina regenerativa vai permitir que as pessoas
> ultrapassem por uma larga margem a longevidade que qualquer um consegue
> atualmente, mesmo com a melhor vida possível, mesmo aqueles com uma
> genética privilegiada. Então, sim, estas terapias irão
> funcionar em todos, mesmo naqueles com um estilo de vida ruim.
> >
> > * Existe limite biológico para a vida dos seres humanos?
> > De Grey: Há de fato um limite biológico para quanto tempo as
> pessoas podem viver, porque certos aspectos do nosso metabolismo, como a
> respiração, são inevitáveis e acumulam danos moleculares e
> celulares. Porém, uma vez que se desenvolvam técnicas de
> bioengenharia para reparar esses danos, não haverá mais limite
> para a vida do homem.
> >
> > * Como lidar com as consequências sociais de se ter uma
> superpopulação?
> > De Grey: A eliminação do envelhecimento vai mudar o mundo. E
> precisaremos agir diante de muitas dessas transformações. No entanto,
> essas dificuldades não superam os benefícios da eliminação de
> doenças como câncer e problemas cardiovasculares.
> >
> > * Viver mais significa viver melhor?
> > De Grey: Não necessariamente. Mas o trabalho em minha fundação
> de estudos em engenharia de rejuvenescimento, a Sens, foca em viver
> melhor, ou seja, adiar o processo das doenças da velhice. A
> longevidade será um efeito colateral: só ocorrerá porque as
> pessoas serão mantidas saudáveis.
> >
> > * Você aplica técnicas de medicina regenerativa em si mesmo?
> Já testou alguma?
> > De Grey: Estou ansioso para me beneficiar destas terapias. Não
> faço isso simplesmente porque, na prática, elas ainda não
> existem.
> >
>


SUBJECT: Definição de ciência, método e metodologia - Participe! - Brainstorm.
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 13:12

 

Não precisa ser uma "definição acadêmica". Basta um conceito. Ou mesmo um palpite, pois estamos num "toró de palpites" chamado BRAINSTORM.
Até agora apenas 8 membros do Ciencialist deram o seu palpite, conceito ou definição. Seus nomes estão nesta cor e foram colocados na ordem de chegada. 
Você pode também apresentar conceitos ou definições de terceiros.
Obrigado!
Mtnos Calil

 

 

Luiz Eduardo                      

Ciência é um método.

Mtnos Calil                           

Ciência é um método de aproximações sucessivas da realidade (ou da verdade).

Homero

Ciência é um método de gerar conhecimento confiável e embasado. Esse método pode variar, dentro de limites, conforme a área de estudo, sua natureza (mais ou menos concreta ou abstrata) e seu alcance.

Alberto Mesquita Filho      

Ciência é o processo pelo qual o homem se relaciona com os fenômenos universais que se sujeitam à esta regra científica fundamental: se em dadas condições, um determinado fenômeno, sempre que pesquisado, se repetiu, é de se admitir que em futuras verificações o mesmo suceda

Pesky Bee

Ciência é uma metodologia de geração de modelos informacionais abstratos (matemáticos, textuais, diagramáticos) que precisam ser submetidos a  confrontação e refutação empírica e que buscam coerência, parcimônia e abrangência.

Feira de Ciência, publicado

por Léo – Luiz Ferraz Neto

Ciência, como um todo, é conhecimento organizado (isto é, ordenado e estruturado. Cada ciência particular é, em seu setor, a totalidade dos conhecimentos ordenados e relacionados uns com os outros segundo critérios coerentes e geralmente aceitos. A ciência pressupõe regularidade na natureza, isto é, relação recíproca e invariável dos elementos que participam dos fenômenos (lógica; causalidade ou determinismo; probabilidade); por isso toda ciência se compõe de conhecimentos fundamentados (o que não significa que sejam imutáveis) e que permitem previsões. Ciência tem estrutura, e nisso ela se distingue essencialmente de mera soma de informações, amontoado de fatos, mesmo que sejam ordenados. A estrutura decorre da uniformidade da natureza.

JVictor

Ciência é tudo que se pode medir com réguas e relógios.

Luiz Eduardo

A régua e o relógio são apenas instrumentos para comprovar a ciência que foi feita abstratamente no cérebro.

Oxford American Dictionary

Ciência é a atividade intelectual e prática que abarca a estrutura e o comportamento do mundo físico e do natural, por meio da observação e da experimentação.

 

Gercinaldo Moura

Ramo do conhecimento sistematizado e organizado por princípios rígidos e regras específicas, seguindo uma metodologia cuidadosa de modo a obter resultados extremamente confiáveis e capaz de compreender, explicar e possivelmente reproduzir os fenômenos que se propõe a estudar.

G. Myrdal

A ciência nada mais é que o senso comum refinado e disciplinado.

Thomas Khun

Ciência normal é a pesquisa  firmemente baseada em uma ou mais realizações cientificas passadas.

Poincaré  

A ciência é construída de fatos, como uma casa é de pedras.

Wikipédia 

Em sentido amplo, ciência (do latim scientia, traduzido por "conhecimento") refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemáticos.      

Wikipédia

Em sentido estrito, ciência refere-se ao sistema de adquirir conhecimento baseado no método científico bem como ao corpo organizado de conhecimento conseguido através de tais pesquisas.

Wikipédia  

 

A ciência é o conhecimento ou um sistema de conhecimentos que abarca verdades gerais ou a operação de leis gerais especialmente obtidas e testadas através do método científico.

Bertrand Russel

Ciência é o que você sabe. Filosofia é o que você não sabe!

Albert Einstein

A ciência só pode determinar o que é, não o que 'deve ser', e fora de seu domínio permanece a necessidade de juízos de valor de todos os tipos.

Michel Blay

 

A ciência é o conhecimento claro e evidente de algo, fundado quer sobre princípios evidentes e demonstrações, quer sobre raciocínios experimentais, ou ainda sobre a análise das sociedades e dos fatos humanos.

Ander-Egg

A ciência é um conjunto de conhecimentos racionais, certos ou prováveis, obtidos metodicamente, sistematizados e verificáveis,
que fazem referência a objetos de uma mesma natureza.

Trujillo Ferrari

A ciência é todo um conjunto de atitudes e atividades racionais, dirigidas ao sistemático conhecimento com objeto limitado, capaz de ser submetido à verificação.

Anônimo

A ciência é um tipo de saber que estabelece objetividade de validade universal. Objetividade significa que as pessoas referem-se do mesmo modo a aspectos da realidade ou fenômenos de outra índole.

Anônimo

A ciência é uma tividade que se propõe a demonstrar a verdade dos fatos experimentais e suas aplicações práticas

Anônimo

A ciência se caracteriza pelo conhecimento racional, sistemático, exato, verificável e, por conseguinte, falível

Anônimo

A ciência é conhecimento sistemático dos fenômenos da natureza e das leis que o regem, obtido através da investigação, pelo raciocínio e pela experimentação intensiva.

Jacques Barzun              

A ciência é, no mais estrito e melhor dos sentidos, uma gloriosa diversão.

 

 

 

 

 

                                                                           DEFINIÇÃO DE MÉTODO E METODOLOGIA

 

 

                                                        Definições de Método

 

Wikipedia

O método científico é um conjunto de regras básicas de como se deve proceder a fim de produzir conhecimento dito científico, quer seja este um novo conhecimento quer seja este fruto de uma integração, correção (evolução) ou expansão da área de abrangência de conhecimentos pré-existentes. Na maioria das disciplinas científicas consiste em juntar evidências empíricas verificáveis - baseadas na observação sistemática e controlada, geralmente resultantes de experiências ou pesquisa de campo - e analisá-las com o uso da lógica. Para muitos autores o método científico nada mais é do que a lógica aplicada à ciência

Cristina Knihs Zierke

                                                       Etapas do método científico

1.Observação: análise crítica dos fatos. 2. Questionamento: elaboração de uma pergunta ou identificação de umproblema a ser resolvido. 3. Formulação de hipótese: possível resposta a uma pergunta ou solução de um problema. 4. Realização de dedução: previsão possível baseada na hipótese. 5. Experimentação: teste da dedução ou novas observações para testar a dedução. Ao se realizar o experimento deve-se trabalhar com grupo de controle. 6. Conclusão: etapa em que se aceita ou se rejeita uma hipótese.

Caroline Faria

O método científico pode ser definido como a maneira ou o conjunto de regras básicas empregadas em uma investigação científica com o intuito de obter resultados os mais confiáveis quanto for possível.

 

                                          Definições de Metodologia

 

William Costa Rodrigues

É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados, pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição objetiva do conhecimento, de uma maneira sistemática.

http://www.pedagogiaemfoco.

pro.br/met05.htm

A Metodologia é a explicação minuciosa, detalhada, rigorosa e exata de toda ação desenvolvida no método (caminho) do trabalho de pesquisa. É a explicação do tipo de pesquisa, do instrumental utilizado (questionário, entrevista etc), do tempo previsto, da equipe de pesquisadores e da divisão do trabalho, das formas de tabulação e tratamento dos dados, enfim, de tudo aquilo que se utilizou no trabalho de pesquisa.

Wikipedia

Deve-se notar que a palavra metodologia é muitas vezes usada onde seria mais adequado usar método.

 

 
 
 

SUBJECT: Re: RES: [ciencialist] A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
FROM: "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 13:13

Victor,

> Será que nós, daqui do fórum, ainda poderemos nos beneficiar desses avanços
> da medicina?

Provavelmente algum benefício sim. Segundo pesquisas, que enviei anteriormente uma matéria a respeito, bastaria uma boa dieta de baixa caloria para termos efeitos positivos. Sem considerar alguns suplementos (e alimentos), ainda a serem melhor avaliados, que  já existem no mercado.

 

Marcel


>
> Suspeito que as respostas para essa perguntinha ficarão aí por volta de
> "naaaão!"
>
>
>
> Acho que a maioria de nós vai ficar, com sorte, é na média mesmo!
>
>
>
> Particularmente, só quero chegar lá se com tudo em cima e lúcido para
> continuar "heresiando às avessas"...
>
>
>
> Senão, cadê a graça?
>
>
>
> Sds,
>
> Victor.
>
>
>
>
>
> De: ciencialist@yahoogrupos.com.br [mailto:ciencialist@yahoogrupos.com.br]
> Em nome de marcelleandro2009
> Enviada em: sexta-feira, 16 de março de 2012 17:49
> Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Assunto: [ciencialist] A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
>
>
>
>
>
> http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,ERT204682-17773,00.html
>
> A cura do envelhecimento
>
> Pílulas, células-tronco, dietas e tratamentos para evitar doenças e
> regenerar órgãos. Conheça as novas armas da ciência para nos manter com
> aparência jovem para sempre
>
> Priscilla Santos, com reportagem de Bruna Fasano e Willian Okada
>
> FONTE DA JUVENTUDE
> Crédito: Maná E.D.I.
>
> O soldado e explorador espanhol Juan Ponce de León (1460-1521) já havia
> acompanhado Cristóvão Colombo em sua segunda viagem à América quando começou
> sua busca pela mitológica Fonte da Juventude. Os nativos de Porto Rico, onde
> Ponce havia criado uma colônia, diziam existir tal fonte misteriosa capaz de
> proporcionar a jovialidade eterna para quem em suas águas se banhasse. O
> viajante nunca a encontrou — acabou foi descobrindo a Flórida, ironicamente
> o estado americano hoje com a maior proporção de idosos. Ponce de León não
> foi o único a procurar incansavelmente por uma forma de ser jovem para
> sempre. A busca pela imortalidade e pela juventude eterna sempre fascinou o
> homem, único animal que tem consciência da própria morte — e por isso sofre.
> Mas nunca esteve tão próxima de ser alcançada. Como Ponce de Leóns
> contemporâneos, os cientistas do século 21 vêm perseguindo o fim da maior
> causa de morte do mundo: a velhice. Por consequência, as doenças decorrentes
> dela. E parecem estar mais próximos de, no mínimo, postergá-la. "Os avanços
> da área biológica que surgem nesse começo de século indicam que muitos de
> nós poderemos chegar facilmente aos 100, 150 anos", diz o professor do
> Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de Janeiro
> (UFRJ), Stevens Rehen.
>
> Prolongar a vida seria apenas uma consequência de fazer as pessoas serem
> mais saudáveis por mais tempo. Esse é o principal objetivo da nova ciência
> do antienvelhecimento, que pretende atacar de uma só vez todas as formas de
> deterioração do corpo para fazer com que o nosso relógio biológico corra
> mais devagar. Assim, ficaríamos longe de doenças decorrentes da idade
> avançada — como Alzheimer, demência, diabetes e doenças cardíacas — por mais
> tempo. Atacar a velhice, portanto, seria a melhor e talvez única forma de
> nos afastarmos dos males provocados por ela. Combater uma a uma as doenças —
> algo que desde sempre fazemos — não surtiria grandes efeitos. Nos Estados
> Unidos, por exemplo, se os problemas de coração fossem totalmente
> eliminados, a expectativa de vida não subiria mais do que três anos. O mesmo
> que proporcionaria uma cura milagrosa para o câncer. "O risco de doenças
> fatais dispara após os 60 anos. Assim, mesmo que evitemos o ataque cardíaco,
> outros problemas vão nos pegar", afirma o escritor de ciência e medicina
> americano David Stipp, autor do livro The Youth Pill (A Pílula da Juventude,
> sem edição no Brasil), lançado no ano passado. Por isso, a maneira de
> aumentar a expectativa e a qualidade de vida para valer é evitar chegar
> nesse estágio em que já estamos mais fracos e vulneráveis a doenças.
>
> Em vez de águas milagrosas, a Fonte da Juventude perseguida pelos cientistas
> oferecerá tratamentos futurísticos descobertos nos mais ardilosos
> experimentos
> Crédito: Maná E.D.I.
>
> INJEÇÃO ANTIVELHICE
>
> Em novembro passado, pesquisadores do Instituto de Câncer Dana-Farber, da
> Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos, publicaram um estudo que
> contrariou um dos principais conceitos sobre o processo de envelhecimento: o
> de que ele é irreversível. Eles conseguiram, pela primeira vez, rejuvenescer
> ratos de laboratório. O experimento foi baseado num mecanismo que rendeu, um
> ano antes, o Prêmio Nobel de Medicina a outros três cientistas americanos: a
> relação entre o processo de envelhecimento e os telômeros, uma espécie de
> capinha que protege a ponta de cada cromossomo dentro de nossas células —
> numa comparação grosseira, o telômero assemelha-se àquele revestimento
> plástico presente na ponta dos cadarços de um tênis. A cada vez que a célula
> se divide, essa capinha se encurta um pouco. Depois de 50 a 80 duplicações a
> célula não consegue mais se multiplicar — após os 35 anos de idade, os
> efeitos desse processo já começam a ser sentidos. O tempo passa e, sem
> células novas e com algumas mortas ou inativas, nossos órgãos começam a se
> deteriorar. É a velhice.
>
> Nascemos com um mecanismo capaz de driblar esse processo, uma enzima chamada
> telomerase. Ela repara as tais capas protetoras dos cromossomos após cada
> divisão celular. Porém, após a infância, sua concentração cai drasticamente.
> Fazer com que ela volte a crescer é um dos caminhos para postergar o
> envelhecimento — ou até mesmo revertê-lo. No estudo de Harvard, os
> cientistas criaram ratos geneticamente modificados de forma que não
> produzissem a telomerase. Como resultado, os animais envelheceram
> rapidamente. Os sinais incluíram diminuição do cérebro e do olfato, danos no
> baço e intestinos, além de doenças como osteoporose e diabetes. Com apenas
> um mês de ingestão de telomerase, no entanto, tais sintomas sumiram. Os
> ratos voltaram inclusive a ser férteis e desenvolveram neurônios, sem contar
> uma invejável melhora na pele. "O que vimos não foi a desaceleração ou
> estabilização do envelhecimento, mas algo muito mais incrível: uma reversão
> dramática dele", afirma Ronald DePinho, coordenador da pesquisa. "É possível
> imaginar que um homem de 90 anos voltaria a ter a saúde que possuía aos 40
> ou 50", diz. Porém, apesar de ter sido bem-sucedido em ratos, o tratamento
> ainda não foi testado em humanos. E não há perspectiva de que isso aconteça
> nos próximos anos. "Ainda temos muito trabalho pela frente. O próximo passo
> é descobrir em que estágio da vida as pessoas precisariam se submeter à
> injeção de telomerase", afirma DePinho. Em paralelo a isso, ainda seria
> preciso ultrapassar um grande empecilho: o potencial risco de câncer.
>
> Fora do período de gestação e infância, a telomerase só retorna em grandes
> quantidades nas células cancerosas — sabe-se que 90% dos tumores possuem a
> enzima. Aliás, é por isso que elas se reproduzem incessantemente. "Se você
> persegue a imortalidade, é o que, de um modo perverso, também fazem as
> células com câncer", diz o oncologista e professor de medicina da
> Universidade Columbia, Estados Unidos, Siddhartha Mukherjee, autor do
> recém-lançado livro The Emperor of All Maladies: A Biography of Cancer (O
> Império de Todas as Enfermidades: Uma Biografia do Câncer, sem edição no
> Brasil).
>
> Além da vantagem óbvia para todo mundo de postergar a chegada da velhice, um
> grupo específico de pessoas se beneficiaria caso os pesquisadores
> conseguissem resolver as contraindicações desse tipo de tratamento. Trata-se
> de indivíduos que, por conta de uma sequência genética, têm menos telomerase
> desde a gestação. Consequentemente, envelhecem mais rápido e chegam a ser
> biologicamente até dez anos mais velhos do que outras pessoas da mesma
> idade. Essa sequência de DNA foi mapeada em fevereiro do ano passado por
> cientistas da Universidade de Leicester, no Reino Unido. Em um estudo com 3
> mil pessoas, 45% delas carregavam ao menos um gene da sequência. Os
> pesquisadores acreditam que um mapeamento desse tipo possibilitaria
> prescrever estilos de vida saudáveis àqueles mais propensos aos males do
> envelhecimento. Além de exercícios físicos, uma dieta com poucas calorias
> entraria na receita. Pois é sabido, e cientificamente provado, que quem come
> menos, vive mais.
>
> UMA ENZIMA PARA NOS MANTER SEMPRE JOVENS
> A deterioração de nosso corpo começa de forma microscópica, em nossos
> cromossomos. Uma substância pode revertê-la. Veja como (clique aqui para
> ampliar)
>
> 300 TAÇAS DE VINHO
>
> Uma dieta diária entre 1.200 e 1.400 calorias — 30% a menos do que a
> sugerida pela Organização Mundial da Saúde — poderia aumentar nossa
> expectativa de vida média para 120 anos. Algumas pessoas chegariam, então,
> aos 150. Mesmo que você começasse a comer menos aos 30, ainda teria chance
> de prolongar seu tempo na Terra em sete anos. É atrás dessas promessas que
> ao menos 2 mil pessoas praticam a dieta de baixa caloria no mundo. Esse é o
> número de membros da Sociedade de Restrição Calórica. Apesar da matriz estar
> localizada nos Estados Unidos, há integrantes de várias partes do planeta,
> inclusive cinco do Brasil (que não se identificam). Os resultados dos pratos
> moderados têm sido positivos. Dados divulgados pela Sociedade atestam que os
> adeptos da dieta registraram queda significativa da pressão sanguínea, perda
> de quase 70% da gordura corporal e redução de 80% do nível de insulina no
> sangue, o que, no mínimo, faz cair o risco de doenças cardíacas e diabetes.
> Pratos mais comportados também são a receita milenar dos habitantes do
> arquipélago japonês de Okinawa — é lá que estão as pessoas que mais vivem no
> mundo. A proporção de centenários nas ilhas é de 50 para cada 100 mil
> moradores, enquanto nos demais países cai para dez a cada 100 mil. A
> população de Okinawa é de cerca de 1,3 milhão. Não por acaso, um prato
> típico no arquipélago tem 17% menos calorias do que no restante do Japão.
>
> A teoria mais aceita de por que comer pouco nos faria envelhecer mais
> devagar é evolutiva. Os efeitos benéficos das baixas calorias se devem a um
> mecanismo chamado starvation response, ou resposta à fome, em português. Nos
> primórdios da humanidade, durante os períodos de grandes secas ou mudanças
> abruptas no clima, ficava difícil encontrar alimento. Era natural, portanto,
> que, sob a ameaça de inanição, o organismo concentrasse seus esforços na
> proteção dos processos essenciais à sobrevivência. A energia do crescimento
> e reprodução (mecanismos trabalhosos para o corpo) era deslocada para o
> reparo e manutenção constante das células. Isso fazia com que as pessoas
> envelhecessem mais devagar. Tudo não passava de um truque da natureza para
> garantir a continuidade da espécie: ao conservar o corpo, o intuito era
> preservar aqueles indivíduos para se reproduzirem assim que as coisas
> melhorassem.
>
> Em cinco anos, o laboratório Sirtris Pharmaceutical promete colocar no
> mercado uma pílula que imita os efeitos de se comer pouco, mesmo que você
> siga uma dieta normal. O princípio ativo — já comercializado em medicamentos
> para diabéticos e como suplemento alimentar — é o resveratrol, substância
> encontrada na casca da uva roxa. É sua presença que confere ao vinho tinto
> benefícios ao coração. E explica o que os cientistas chamam de "paradoxo
> francês": a baixa mortalidade por doenças cardíacas na França, mesmo com uma
> dieta tão rica em gordura. Graças ao hábito comedido que a população tem de
> beber vinho quase que diariamente. Além dos benefícios ao coração, também há
> evidências de que o resveratrol reduza o risco de Alzheimer, derrame,
> diversos tipos de câncer, perda de audição e osteoporose — todos problemas
> comuns no envelhecimento. Já provocar o aumento dos anos de vida é algo que
> ainda precisa ser provado em humanos. Mas o resultado em animais se mostrou
> estimulante.
>
> VIDA LONGA - E MAIS FELIZ
>
> Se a ciência de fato nos fizer passar dos 75 com saúde e disposição nos fará
> felizes como nunca seríamos. Um estudo publicado ano passado por
> pesquisadores das universidades de Stony Brook e Princeton, nos EUA, traçou
> um paralelo entre bem-estar e idade. Surpresa: nosso auge de contentamento
> seria após os 74. Os resultados formam o que os pesquisadores de felicidade
> chamam de curva U (abaixo). Os idosos sentiriam menos raiva e estresse do
> que os jovens e teriam menos preocupações do que os adultos médios. Pois,
> com a idade, as pessoas lidam melhor com conflitos e controlam as emoções. É
> a sabedoria. Os pesquisadores também sugerem que a saída dos filhos de casa
> diminui problemas familiares e financeiros. A ciência está fazendo sua
> parte, agora falta lazer, trabalho e INSS para que os mais longevos possam
> curtir tranquilos a melhor parte da vida.
>
> Em 2006, pesquisadores da Escola de Medicina de Harvard realizaram estudos
> liderados por David Sinclair — não por acaso, fundador da Sirtris
> Pharmaceutical, hoje pertencente à gigante inglesa GlaxoSmithKline. No
> experimento, cientistas superalimentaram roedores com uma dieta rica em
> gordura. Em paralelo, forneceram a eles doses de resveratrol. As cobaias
> ficaram obesas. Ainda assim, seu tempo de vida se estendeu a um patamar
> igual ao dos ratos que comiam com restrição. Para obter esses efeitos com
> vinho seriam necessárias 300 taças por dia, ou seja, algo impensável até
> para o mais bebum dos seres humanos. O que justifica a corrida da indústria
> farmacêutica atrás das pílulas.
>
> Os medicamentos que imitam dietas metódicas serão uma aplicação mais
> concreta dos pioneiros estudos sobre antienvelhecimento. A primeira
> importante pesquisa científica que provou que restringir calorias poderia
> prolongar a vida foi divulgada em 1934. O estudioso de nutrição da
> Universidade de Cornell, Estados Unidos, Clive McCay, manteve ratos em um
> estado de quase fome por quatro anos e os assistiu viver 85% mais tempo do
> que a média. Um dos animais chegou aos 3 anos e 9 meses de idade. Como,
> cinco anos antes, dois cientistas tinham ganhado o Prêmio Nobel pela
> descoberta das vitaminas, pareceu uma pequena heresia dizer que passar um
> pouco de fome poderia nos fazer bem. Mais recentemente, no início dos anos
> 2000, cientistas do Centro Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin
> revelaram bons resultados com macacos mantidos em uma dieta 30% menos
> calórica do que seus colegas. Além de magros, estavam no auge da vida.
> Enquanto os que comiam normalmente se movimentavam lentamente e viam cair
> mais pelos, entre outros sinais de velhice.
>
> Em 2015, 2016, com o medicamento nas farmácias, a Sirtris deve se tornar a
> indústria referência em antienvelhecimento. Além do resveratrol, seus
> laboratórios estudam outra substância capaz de imitar os efeitos de uma
> dieta de baixa caloria: a rapamicina. Hoje usado para evitar rejeição em
> transplante de órgãos, o princípio ativo fez com que ratos de meia-idade
> vivessem de 28% a 38% mais tempo, segundo um estudo divulgado pela revista
> Nature em meados de 2009. Mais uma pesquisa que mostra que há esperanças
> para prolongar a vida mesmo quando o corpo já está desgastado. Esta também é
> a promessa da medicina regenerativa.
>
> Crédito: Maná E.D.I.
>
>
> BIOENGENHARIA
>
> No ano passado, um grupo de mulheres teve uma oportunidade de ouro: após
> serem mutiladas devido ao câncer de mama, viram crescer seios 100% naturais,
> a partir de suas próprias células. A técnica que soa como milagre foi
> desenvolvida após quase uma década de estudos pela empresa de biotecnologia
> americana Cytori Therapeutics, que pretende trazer o método para o Brasil
> ainda este ano. Permite dupla recauchutagem: as células que dão origem ao
> novo seio são extraídas de uma cirurgia plástica para tirar gordurinhas
> indesejadas. O procedimento começa com uma lipoaspiração, por exemplo, na
> barriga. Da gordura são colhidas células-tronco, capazes de se multiplicar
> para gerar tecidos de outras partes do corpo, como a mama. Elas são, então,
> aplicadas na região do peito. Conforme crescem, formam um novo seio, sem
> risco de rejeição.
>
> A descoberta de células-tronco na gordura foi um grande avanço para a
> medicina regenerativa. Somente no Brasil, são realizadas mais de 200 mil
> lipoaspirações por ano. No ano passado, Radovan Borojevic, diretor do
> Programa Avançado de Biologia Celular Aplicada à Medicina da UFRJ,
> conseguiu, de forma inédita no Brasil, autorização da Comissão Nacional de
> Ética em Pesquisa (Conep) para manipular células-tronco de gordura. "Esse
> material pode garantir reserva para a velhice, para sanar as doenças
> naturais do passar dos anos e até diminuir as rugas", diz. Quem fizer uma
> lipoaspiração aos 20, por exemplo, pode chegar aos 60 e usar as células
> guardadas para preencher a pele envelhecida e se livrar dos pés de galinha.
> Como as células terão a memória de sua juventude, será possível fazer o que
> nenhum cosmético ou Botox jamais conseguiu: ter cara de 20, aos 60. O
> procedimento, cujo efeito dura de quatro a cinco anos, já está em fase de
> testes. Em três meses, Borojevic realizou 70 implantes de células antirrugas
> — os interessados podem se inscrever para os testes no Instituto de Ciências
> Biomédicas da UFRJ. Mas esta é apenas a mais frívola das promessas da
> bioengenharia. "Com as técnicas, vamos envelhecer muito melhor do que os
> nossos avós", afirma Borojevic.
>
> Experimentos em humanos mostraram que o implante de células-tronco pode
> reparar órgãos vitais. Entre eles, o coração, que teria benefícios como o
> aumento da quantidade e bombeamento de sangue após infartos, diminuição da
> área de tecidos mortos e melhora da capacidade respiratória em casos de
> doenças cardíacas crônicas. Outro resultado positivo é a redução da
> incontinência urinária em pacientes que passaram por cirurgias de próstata.
> "A medicina regenerativa para problemas do envelhecimento será de fato
> composta por peças de substituição", afirma o gerontologista inglês criador
> da Fundação Sens, de estudos de biotecnologia para rejuvenescimento, Aubrey
> de Grey, polêmico, entre outras coisas, por afirmar que a velhice é uma
> doença à espera de cura.
>
> A HORA DA MORTE
>
> Com sua aparência de Matusalém, apesar dos 47 anos de idade, De Grey
> acredita que podemos ser imortais e que os homens que vão viver mil anos já
> nasceram. Passar mais tempo na Terra do que o próprio personagem bíblico,
> que teria morrido aos 969, seria possível graças ao desenvolvimento da
> engenharia para impedir que nossas células envelheçam e da reposição de
> órgãos e tecidos. "Uma vez que a medicina regenerativa se desenvolver, o
> limite biológico do corpo desaparecerá." A ideia gerou tanta controvérsia na
> comunidade científica que, em 2005, o Massachusetts Institute of Technology
> (MIT) lançou um concurso que premiaria com US$ 20 mil quem conseguisse
> provar que a tese de Aubrey era descabida. Cinco inscrições foram analisadas
> por um júri composto por cabeças como o geneticista Craig Venter. Ninguém
> levou o prêmio.
>
> A crença de que a ciência e a tecnologia nos permitirão redesenhar o próprio
> corpo para nos fazer viver muito mais, até indefinidamente, guia uma
> corrente filosófica chamada transhumanismo. Os seguidores do pensamento
> acreditam que por meio de áreas de conhecimento emergentes como
> biotecnologia, inteligência artificial, robótica e nanotecnologia, poderemos
> superar a própria condição humana. "O homem não é o final da evolução
> biológica, e sim o começo de uma evolução tecnológica", afirma o engenheiro
> venezuelano formado pelo MIT e que já trabalhou para a Nasa, José Cordeiro,
> grande divulgador do transhumanismo na América Latina. Ele acredita que
> assistiremos à morte da morte — e que não há nada de antinatural nisso. "O
> propósito da vida é mais vida. Além do mais, ninguém quer morrer, ainda mais
> se tiver a oportunidade de não ficar velho."
>
> A visão de que vale a pena manipular nosso corpo a qualquer custo para ser
> jovem para sempre encontra olhares críticos. "Essa pretensão de vida eterna
> é um erro existencial, uma arrogância do homem em querer inventar uma vida
> que não é sua. Pois a finitude é um atributo da nossa, e é o que a faz ser
> boa", afirma o cientista político Clóvis de Barros Filho, professor de ética
> da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (USP). "É uma
> ilusão narcisista acreditar que se vai viver em gozo eternamente. Ficar dos
> 60 aos 120 anos curtindo aposentadoria e nunca aceitar o dissolver, que é o
> nosso destino", diz a filósofa e terapeuta Regina Favre, de São Paulo, que
> acredita que a busca pela longevidade sem fim seja fruto da solidão, do
> desamparo e do medo gerado pelos problemas da velhice e proximidade da
> morte. Ou como escreveu o escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986)
> no conto O Imortal, publicado no livro O Aleph: "Dilatar a vida dos homens é
> como dilatar sua agonia e multiplicar o número de suas mortes".
>
> Mesmo que a medicina conseguisse fazer com que as pessoas tivessem saúde e
> disposição para trabalhar até os 100, provavelmente não haveria mercado para
> todos. Com uma superpopulação de idosos, a previdência social certamente
> iria quebrar. "Não adianta chegarmos aos 200 anos se não resolvermos esses
> problemas", diz a presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e
> Gerontologia, Silvia Regina Mendes Pereira, que acha positivo o esforço dos
> cientistas para evitar doenças como diabetes ou Alzheimer, desde que a
> qualidade de vida seja encarada de forma global. "E isso passa por vários
> aspectos. Um deles, sim, é a saúde, mas também há o psicológico e o social."
>
>
> As transformações no mundo caso as pessoas passem a viver décadas ou até
> séculos a mais são inevitáveis. Mas, para De Grey, compensaria enfrentá-las.
> "Essas dificuldades não superam os benefícios da eliminação de doenças
> relacionadas à idade, como problemas cardiovasculares e câncer", afirma.
> Mesmo porque esses problemas terão que ser pensados de imediato. Pois, antes
> mesmo das pirotecnias científicas se tornarem realidade, a longevidade no
> mundo só cresce. Para se ter ideia, vivemos 25 anos a mais do que um século
> atrás. Nos países desenvolvidos, a expectativa de vida aumenta cinco horas
> por dia. Ou seja, já há motivos suficientes para a ciência se preocupar com
> os muitos que, em tempos anteriores às pílulas que simulam fome ou injeções
> de enzimas e células-tronco, fazem muito mais aniversários do que um dia
> nossos avós jamais poderiam imaginar.
>
> O profeta da imortalidade
>
> O cientista do envelhecimento Aubrey de Grey afirma que, em 2030, estaremos
> vivendo até os 130 anos. E que os homens que farão mil aniversários já
> nasceram. A seguir ele conta como isso será possível
>
> * Por que envelhecemos?
> Aubrey de Grey: Porque o corpo humano, como qualquer máquina, causa danos a
> si mesmo como efeito colateral natural de sua operação. Esse prejuízo se
> acumula ao longo da vida. Por um longo tempo quase não afeta a habilidade do
> corpo para funcionar, mas, eventualmente, provoca doenças e incapacidade.
>
> * As pessoas que viveriam mil anos precisariam constantemente substituir
> peças, como um robô?
> De Grey: De fato, a maior parte das técnicas serão compostas por peças de
> substituição, mas a um nível microscópico. Em alguns casos, podemos trocar
> órgãos inteiros. Porém, mais frequentemente, serão células ou moléculas.
>
> * Mesmo pessoas sedentárias, com excesso de peso e estressadas serão capazes
> de viver mais?
> De Grey: A medicina regenerativa vai permitir que as pessoas ultrapassem por
> uma larga margem a longevidade que qualquer um consegue atualmente, mesmo
> com a melhor vida possível, mesmo aqueles com uma genética privilegiada.
> Então, sim, estas terapias irão funcionar em todos, mesmo naqueles com um
> estilo de vida ruim.
>
> * Existe limite biológico para a vida dos seres humanos?
> De Grey: Há de fato um limite biológico para quanto tempo as pessoas podem
> viver, porque certos aspectos do nosso metabolismo, como a respiração, são
> inevitáveis e acumulam danos moleculares e celulares. Porém, uma vez que se
> desenvolvam técnicas de bioengenharia para reparar esses danos, não haverá
> mais limite para a vida do homem.
>
> * Como lidar com as consequências sociais de se ter uma superpopulação?
> De Grey: A eliminação do envelhecimento vai mudar o mundo. E precisaremos
> agir diante de muitas dessas transformações. No entanto, essas dificuldades
> não superam os benefícios da eliminação de doenças como câncer e problemas
> cardiovasculares.
>
> * Viver mais significa viver melhor?
> De Grey: Não necessariamente. Mas o trabalho em minha fundação de estudos em
> engenharia de rejuvenescimento, a Sens, foca em viver melhor, ou seja, adiar
> o processo das doenças da velhice. A longevidade será um efeito colateral:
> só ocorrerá porque as pessoas serão mantidas saudáveis.
>
> * Você aplica técnicas de medicina regenerativa em si mesmo? Já testou
> alguma?
> De Grey: Estou ansioso para me beneficiar destas terapias. Não faço isso
> simplesmente porque, na prática, elas ainda não existem.
>


SUBJECT: Re: [ciencialist] Os transformadores so chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 13:28

Coincidência, Alberto! Também tenho-o em grande consideração.
Mas no caso do Calil, confesso que tenho especial tara por
"pensadores beeem diferentes", pois muita coisa boa acaba
surgindo quando pensamos em como não nos deixar levar
por aquilo que eles falam ;-)
 
*PB*
 
 
-----Mensagem Original-----
From: Alberto Mesquita Filho
Sent: Monday, April 02, 2012 10:08 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 
-----Mensagem Original-----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza -
com Pesky
 
> Abelha desvairada: (...aposto que muitos da ciencialist devem estar
> loucos para me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
Não é o meu caso. Embora não seja frequente dialogarmos, em virtude de
nossas áreas de atuação não convergirem, tenho-o em grande consideração
e estima e não vejo impropérios em suas msgs, mesmo quando discute com
indivíduos que não agem em reciprocidade e/ou, como já citaram aqui,
enviam msgs «sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem
lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando
citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Agindo desta forma, dê trela a quem quiser e aguente o tranco. Ou então
fique na troca de amabilidades o que, a meu ver, não chega a atrapalhar
muito o andamento do grupo mesmo porque essas fases de «namoro» são
passageiras.
 
[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
 
 
 
------------------------------------
 
#####   #####   #####
 
Página de apoio
http://www.ciencialist.com
 
 
#####   #####   #####   #####Links do Yahoo! Grupos
 
<*> Para visitar o site do seu grupo na web, acesse:
    http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/
 
<*> Para sair deste grupo, envie um e-mail para:
    ciencialist-unsubscribe@yahoogrupos.com.br
 
<*> O uso que você faz do Yahoo! Grupos está sujeito aos:
    http://br.yahoo.com/info/utos.html
 

SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Os transformadores so chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 13:28

Mas Calilzão, aquilo não foi surto não, foi só uma
lúcida constatação da realidade. E lembre-se que sou
seu amigo ;-)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Tuesday, April 03, 2012 12:00 AM
Subject: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual.  Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas eles não os donos do pedaço??
 
Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
 
Veja:
 
"sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo 14 horas por dia para leitura e redação.
 
Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight: antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé, classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai começar das notas e referências bibliográficas.
 
Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
 
Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
 
Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha, camarada!
 
Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi sobre inveja para você examinar.
 
Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos. Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido crédito, no interior da publicação.
 
O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior fábrica de feed-back que já vi na vida!  Não dá pra entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
 
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
 


 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 
 

Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 

Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 

Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "

 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>

SUBJECT: Re: [ciencialist] O determinismo evolucionrio - Uma ideologia que afetou a mente de muitos cientistas.
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 13:32

Pelo que estou percebendo, quase todos os evolucionistas são movidos por uma fé salvacionista
 
Calilzão, todos os evolucionistas que conheço são movidos
por curiosidade científica. E já ouvi falar de alguns
evolucionistas que são até mesmo fervorosos ativistas
religiosos. Evolução é só mais uma das (grandes) disciplinas
científicas com imenso poder explanatório e cabais evidências
em seu suporte.
 
E tem outro detalhe importante: evolução é teoria científica
explanatória, e não normativa ou prescritiva. Todos os malucóides
que se aventuraram a usar a evolução como "receita de bolo" para
"moldar uma sociedade" acabaram fazendo uma imensa papa de
intragável aspecto, odor e consistência fecaminolenta (ai, ai,
que esforço faço para falar bonitinho!).
 
*PB*
 
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 5:53 PM
Subject: [ciencialist] O determinismo evolucionário - Uma ideologia que afetou a mente de muitos cientistas.
 


VERY GOOD QUESTION, MY PESKY BEE.  "... quem são esses "deterministas evolucionários"?
 
Pelo que estou percebendo, quase todos os evolucionistas são movidos por uma fé salvacionista.
Nem poderia ser diferente pois o "evolucionismo" supervaloriza a evolução, como se ele se ela processasse  numa curva eternamente ascendente, ainda que em velocidade muito inferior a das tartarugas. Enquanto isso o "criacionismo" e outras formas de fundamentalismo, vão proliferando na nação mais rica e poderosa do planeta: os EUA.
 
O que não falta neste mundo são os deterministas. Eles estão em todos os lugares. São fanáticos angustiados pela verdade dos fatos. Alguns deles afirmam: a ciência só lida com "fatos". Fato é palavra muito vulgar para a ciência e dá a entender que são "coisas" visiveis. Sugiro usarmos o termo "processo" no lugar de fatos.
Aí ficaria assim: a ciência só lida com processos. Ou: o objeto de estudo da ciência são os processos. Ok, mas este não é o único objetivo do estudo da ciência.
A descrição dos elementos que compõem um grão de areia, não importando o processo em que eles estão metidos, também é " objetivo" da ciência.
Até aí  os factotum da ciência podem ficar tranquilos. A encrenca deles começa com os processos invisiveis e que não podem ser "experimentados".
O experimentalismo é um exemplo de determinismo (ideológico). Um dos sintomas do determinismo é o delirio da "solução de problemas". Porque delirio?
Porque existem os pseudo-problemas que a ciência não pode identificar. O simples fato de palavras como "fatos e problemas" serem essenciais ao vocabulário da ciências já é em si, um problema. Problema da ciência. Existem dois tipos de problemas: aqueles que a seleção natural fabricou para os seres vivos e não vivos resolverem e os problemas fabricados pela mente humana, que tem sua áreasinha de livre arbitrio. Se o homem não fosse dotado de um pouquinho de livre arbítrio não faria tantas maluquices que"a gente vê na Globo".
 
A seleção natural disse ao homem:
 
"Eu vou lhe conceder um centrinho de livre arbitrio para você brincar à vontade e até compensar sua impotência criando ilusões como a da imortalidade. Assim você conseguirá contornar a sua fragilidade congênita. Infelizmente eu não poderia criar um bicho tão inteligente como você sem algumas falhas evolucionárias. Com o tempo você contornará essas fragilidades, mas sempre viverá em conflito, pois sem conflito não há evolução. E a mim, Darwin não deu o poder de resolver todos os conflitos humanos. Mas um  dia acabarão os conflitos e a evolução. Até lá você vai se virando como puder".
 
Os deterministas não se conformam com essa humildade da Seleção Natural e sofrem da convicção psicótica que se alicerça em mitos evolucionistas e salvacionistas.
 
O comunismo foi o maior mito social da história da humanidade: foi instalado em cerca de 1/3 das nações, provocando milhões de mortes para depois desaparecer.
 
Mas o homem, dominado por suas convicções psicóticas, não pode aprender com a experiência. Da mesma forma que alguns humanos supervalorizam os fatos outros negam a realidade dos fatos.
 
Marx é um exemplo de determinista evolucionário. Todos aqueles que se apaixonaram pela evolução são deterministas. Um deles é o Steven Pinker, que ao lado de coisas geniais falou bobagens do tipo " a agressão humana só será resolvida depois que for feito o  mapeamento detalhado do cérebro" (não foi exatamente com essas palavras, mas está muito proximo disso), como se uma pilula tipo prosac fosse suficiente para acabar com violência destruitiva do ser humano.
 
Como você sabe eu sou governado por este triângulo: caos, acaso e imprevisibilidade.  Entretanto, a probabilidade continua existindo, para cercar a liberdade sem limites do acaso. Olhando para o que aconteceu com a evolução a partir de milhões de anos, a probabilidade de que o homem continue a ser um bicho violento nos próximos 500 mil anos é superior a 95%.
 
Abraços
M.Calil
 
Ps. Um exemplo gritante de determinismo evolucionário nos é dado pela crença de alguns zoólogos que chegam a dizer que o fato de os macacos  não humanos  estuprarem e matar fêmeas, além de comer os filhotes, estão com isso usufruindo da seguinte vantagem evolucionária:  o macho assassino pode assim  convencer a fêmea a se casar com ele, já que a sua força bruta é uma garantia de que a futura esposa  e seus futuros filhos serão bem protegidos. (Por isso temos ainda muitos macacos homens que estupram e matam as fêmeas, embora não apreciem a carne humana dos filhotes, alguns dos quais são abandonados em sacos de lixo por mães arrependidas de ter dado à luz. Não é por acaso que os chimpanzés e os humanos desfrutam de uma semelhança genética da ordem dos 99%. Podemos dizer que os macacos humanos estão muito bonzinhos, até que uma guerra atômica desestabilize o determinismo evolucionário. O armamento nuclear se explica "evolucionariamente" do seguinte modo: uma nação selvagem tem que se defender do eventual ataque de outra nação selvagem. Para isso ela precisa se armar com bombas atômicas, podendo fazer um ataque defensivo, como animais fazem na selva evolucionária: não sabendo se serão ou não  atacados, eles tomam a iniciativa do ataque.  É a lei da selva, a lei da sobrevivência, a lei da era nuclear que surgiu graças ao espetacular avanço da ciência. Esquizofrenia cientifica? Sim: a mesma ciência aue aumenta a longevidade do ser humano cria armas de destruição em massa. Não há porque nos surpreendermos com o fato de o planeta se transformar num manicômio a céu aberto. Essa realidade é facilmente negada  pelos moradores do manicômio, que foram programados pela seleção darwinista a recorrer a toda sorte de ilusões para evitar uma carga de sofrimento insuportável. Essa é a função básica das ilusões: reduzir a carga de sofrimento humano. É o remédio fabricado pela Seleção Natural. Se as ilusões têm efeitos colaterais,  isso é inerente ao processo. A grande vantagem da ilusão é que ela não paralisa as forças vitais, como faz a depressão.
Já que um problema não tem solução é muito melhor eu alimentar a ilusão de que ele tenha, do que cair em depressão.
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:48 PM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 
 

a sua frase falando que a consciência é um efeito colateral do tamanho do nosso cérebro me deixou aliviado, enquanto deve ter irritado os deteterministas evolucionários
 
Mas Calilzão, quem são esses "deterministas evolucionários"?
Todos os que entendem como a evolução opera concordam que
ela é movida por mutações, recombinações genéticas e forte
seleção do meio ambiente. A fórmula é bem "determinística",
embora contenha o acaso bem lá no meio. Mas é a seleção que
estraga o prazer dos que propõe a aleatoriedade pura como
"rainha" desse sistema. Da mesma forma, o resultado dessa
"equação determinística" é completamente imprevisível, pois
tem "o meio ambiente no meio" (sorry..).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 12:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Olá abelhifero.
 
Muitas vezes basta uma frase para contribuir.
Por exemplo a sua frase falando que a consciência é um efeito colateral do tamanho do nosso cérebro me deixou aliviado, enquanto deve ter irritado os deteterministas evolucionários.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps. O acaso é uma obviedade cientifica.
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:54 AM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 
 

Ah, se eu tivesse mais tempo! Tantos temas interessantóides
para discussão, tantas polêmicas!
 
Consciência, na minha abelhífera visão, é um efeito colateral
do tamanho de nosso cérebro (e da capacidade que ele tem de
acompanhar seus próprios estados mentais e sensações corporais).
A coisa mais difícil para o Homo Sapiens é aceitar que essa coisa
nítida, "sólida", "verídica", "inquestionável" que é a nossa
consciência não passa de uma deslavada (e incontornável) ilusão.
 
*PB*
 
 
 
Sent: Sunday, April 01, 2012 8:34 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Para responder à  pergunta cientifica do Felipe, considerando que a ciência ainda não conseguiu desvendar o enigma da consciência (ou da experiência consciente) os me atrevo a dar estes palpites:
 
a)  a consciência acabou aparecendo por acaso no processo evolucionário do sistema cérebro-mente.
b)  o crescimento do cérebro humano deu um salto quântico que possibilitou a biliões de neurônios se configurarem de tal modo que surgiu a misteriosa consciência.
      Se a única diferença signficativa  entre o homem e o chimpanzé que possui 98 ou 99% dos genes  humanos, está na mente que produziu a linguagem das palavras,
      a diferença do tamanho entre os dois cérebros seria o motivo racional para explicar porque ganhamos de presente da seleção natural, a consciência; ressalva:
     a seleção natural não é tão certinha e lógica como querem alguns evolucionistas que por ela se apaixonaram perdidamente.
 
Obs. Sendo a evolução fruto do acaso e da necessidade e como ainda não é possivel quantificar a participação destes dois fatores determinantes do processo evolucionário, a hipótese de que a consciência surgiu mesmo por acaso tem fundamento. Ou não? Se a consciência nasceu por acaso, obviamente a ciência
é filha do acaso, sobre o qual, infelizmente ela não tem nem jamais terá controle.
 
Abraços com calmazén para os fundamentalistas e deterministas do grupo.
Mtnos Calil
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Luiz
Sent: Sunday, April 01, 2012 7:22 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI
 
 

Estou assistindo a um documentario sobre parassonias no NatGeo.

É impressionante. Algumas pessoas foram inocentadas de crimes, por "estarem" sonambulas.

Passou um caso de uma mulher que se deixou gravar, no qual ela levantava, ia para a cozinha, usava o fogão o microondas, preparava sua comida e se alimentva.Estava totalmente inconsciente, em sono profundo.

Teve um que saiu de casa, dirigiu até a casa da sogra, matou a sogra, quase matou o sogro, e só se lembrava de estar na delegacia falando que achava que tinha matado alguém, pois estava com sangue nas mãos.

Ai surge aquela pergunta mais que batida :Para que precisamos da consciência?

Abs
Felipe


SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Reitero a observao do Alberto: Calil, pare de modificar o nome das threads
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 13:33

Mea culpa! Mea culpa! É que não resisto, é muito
interessante.
 
*PB*
 
 
 
Sent: Tuesday, April 03, 2012 11:25 AM
Subject: Re: [ciencialist] Re: Reitero a observação do Alberto: Calil, pare de modificar o nome das threads
 


Pois é Takata, ficam dando de comer para o "bichinho" e o troll so faz crescer. É uma pena.

Marcelo C Pinto

Em 2 de abril de 2012 21:38, roberto <roberto.takata@bol.com.br> escreveu:
 

Xinguem o Pesky Bee e cia. q dão trela.

[]s,

Roberto Takata

--- Em mailto:ciencialist%40yahoogrupos.com.br, Marcelo Carvalho

> Realmente, a lista ficou um "pouco" chata de uns tempos para cá.
>
> Marcelo C Pinto
>
> Em 1 de abril de 2012 23:38, Alvaro Augusto (L)
> > E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> > > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> > > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> > > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> > > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> >
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 13:33

Eu ainda prefiro o resveratrol em formato de vinho,
"medicação" da qual sou fã inveterado.
 
*PB*
 
 
 
Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:03 PM
Subject: [ciencialist] Re: A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
 


Para os poucos que estava acompanhando e dando sequência sobre o revastrol...existe uma hortaliça que tem esta substância muito mais concentrada que na uva.

http://www.saudeintegral.com/artigos/azedinha-a-planta-poderosa.html

 

Marcel

 


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@...> escreveu
>
>
> "Mais recentemente, no início dos anos 2000, cientistas do Centro
> Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin revelaram bons resultados
> com macacos mantidos em uma dieta 30% menos calórica do que seus
> colegas. Além de magros, estavam no auge da vida. Enquanto os que
> comiam normalmente se movimentavam lentamente e viam cair mais pelos,
> entre outros sinais de velhice. ..."
>
> Um pouco (fotos e tal) mais, aqui:
> http://hypescience.com/18398-restricao-de-calorias-pode-extender-a-vida-\
> de-humanos-tambem/
> <http://hypescience.com/18398-restricao-de-calorias-pode-extender-a-vida\
> -de-humanos-tambem/>
>
>
>
> Marcel
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009"
> marcelleandro2009@ escreveu
> >
> >
> http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,ERT204682-17773,00.htm\
> l
> >
> > A cura do envelhecimento
> >
> > Pílulas, células-tronco, dietas e tratamentos para evitar
> doenças e regenerar órgãos. Conheça as novas armas da
> ciência para nos manter com aparência jovem para sempre
> >
> > Priscilla Santos, com reportagem de Bruna Fasano e Willian Okada
> >
> >
> > FONTE DA JUVENTUDE
> > Crédito: Maná E.D.I.
> >
> > O soldado e explorador espanhol Juan Ponce de León (1460-1521)
> já havia acompanhado Cristóvão Colombo em sua segunda viagem
> à América quando começou sua busca pela mitológica Fonte da
> Juventude. Os nativos de Porto Rico, onde Ponce havia criado uma
> colônia, diziam existir tal fonte misteriosa capaz de proporcionar a
> jovialidade eterna para quem em suas águas se banhasse. O viajante
> nunca a encontrou — acabou foi descobrindo a Flórida,
> ironicamente o estado americano hoje com a maior proporção de idosos.
> Ponce de León não foi o único a procurar incansavelmente por
> uma forma de ser jovem para sempre. A busca pela imortalidade e pela
> juventude eterna sempre fascinou o homem, único animal que tem
> consciência da própria morte — e por isso sofre. Mas nunca
> esteve tão próxima de ser alcançada. Como Ponce de Leóns
> contemporâneos, os cientistas do século 21 vêm perseguindo o
> fim da maior causa de morte do mundo: a velhice. Por consequência, as
> doenças decorrentes dela. E parecem estar mais próximos de, no
> mínimo, postergá-la. "Os avanços da área biológica que
> surgem nesse começo de século indicam que muitos de nós
> poderemos chegar facilmente aos 100, 150 anos", diz o professor do
> Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de
> Janeiro (UFRJ), Stevens Rehen.
> >
> > Prolongar a vida seria apenas uma consequência de fazer as pessoas
> serem mais saudáveis por mais tempo. Esse é o principal objetivo
> da nova ciência do antienvelhecimento, que pretende atacar de uma
> só vez todas as formas de deterioração do corpo para fazer com que
> o nosso relógio biológico corra mais devagar. Assim, ficaríamos
> longe de doenças decorrentes da idade avançada — como
> Alzheimer, demência, diabetes e doenças cardíacas — por
> mais tempo. Atacar a velhice, portanto, seria a melhor e talvez única
> forma de nos afastarmos dos males provocados por ela. Combater uma a uma
> as doenças — algo que desde sempre fazemos — não surtiria
> grandes efeitos. Nos Estados Unidos, por exemplo, se os problemas de
> coração fossem totalmente eliminados, a expectativa de vida não
> subiria mais do que três anos. O mesmo que proporcionaria uma cura
> milagrosa para o câncer. "O risco de doenças fatais dispara
> após os 60 anos. Assim, mesmo que evitemos o ataque cardíaco,
> outros problemas vão nos pegar", afirma o escritor de ciência e
> medicina americano David Stipp, autor do livro The Youth Pill (A
> Pílula da Juventude, sem edição no Brasil), lançado no ano
> passado. Por isso, a maneira de aumentar a expectativa e a qualidade de
> vida para valer é evitar chegar nesse estágio em que já estamos
> mais fracos e vulneráveis a doenças.
> >
> >
> >
> >
> > Em vez de águas milagrosas, a Fonte da Juventude perseguida pelos
> cientistas oferecerá tratamentos futurísticos descobertos nos mais
> ardilosos experimentos
> > Crédito: Maná E.D.I.
> >
> >
> >
> > INJEÇÃO ANTIVELHICE
> >
> >
> > Em novembro passado, pesquisadores do Instituto de Câncer
> Dana-Farber, da Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos,
> publicaram um estudo que contrariou um dos principais conceitos sobre o
> processo de envelhecimento: o de que ele é irreversível. Eles
> conseguiram, pela primeira vez, rejuvenescer ratos de laboratório. O
> experimento foi baseado num mecanismo que rendeu, um ano antes, o
> Prêmio Nobel de Medicina a outros três cientistas americanos: a
> relação entre o processo de envelhecimento e os telômeros, uma
> espécie de capinha que protege a ponta de cada cromossomo dentro de
> nossas células — numa comparação grosseira, o telômero
> assemelha-se àquele revestimento plástico presente na ponta dos
> cadarços de um tênis. A cada vez que a célula se divide, essa
> capinha se encurta um pouco. Depois de 50 a 80 duplicações a
> célula não consegue mais se multiplicar — após os 35 anos
> de idade, os efeitos desse processo já começam a ser sentidos. O
> tempo passa e, sem células novas e com algumas mortas ou inativas,
> nossos órgãos começam a se deteriorar. É a velhice.
> >
> > Nascemos com um mecanismo capaz de driblar esse processo, uma enzima
> chamada telomerase. Ela repara as tais capas protetoras dos cromossomos
> após cada divisão celular. Porém, após a infância, sua
> concentração cai drasticamente. Fazer com que ela volte a crescer
> é um dos caminhos para postergar o envelhecimento — ou até
> mesmo revertê-lo. No estudo de Harvard, os cientistas criaram ratos
> geneticamente modificados de forma que não produzissem a telomerase.
> Como resultado, os animais envelheceram rapidamente. Os sinais
> incluíram diminuição do cérebro e do olfato, danos no baço e
> intestinos, além de doenças como osteoporose e diabetes. Com
> apenas um mês de ingestão de telomerase, no entanto, tais sintomas
> sumiram. Os ratos voltaram inclusive a ser férteis e desenvolveram
> neurônios, sem contar uma invejável melhora na pele. "O que vimos
> não foi a desaceleração ou estabilização do envelhecimento, mas
> algo muito mais incrível: uma reversão dramática dele", afirma
> Ronald DePinho, coordenador da pesquisa. "É possível imaginar que
> um homem de 90 anos voltaria a ter a saúde que possuía aos 40 ou
> 50", diz. Porém, apesar de ter sido bem-sucedido em ratos, o
> tratamento ainda não foi testado em humanos. E não há
> perspectiva de que isso aconteça nos próximos anos. "Ainda temos
> muito trabalho pela frente. O próximo passo é descobrir em que
> estágio da vida as pessoas precisariam se submeter à injeção de
> telomerase", afirma DePinho. Em paralelo a isso, ainda seria preciso
> ultrapassar um grande empecilho: o potencial risco de câncer.
> >
> > Fora do período de gestação e infância, a telomerase só
> retorna em grandes quantidades nas células cancerosas — sabe-se
> que 90% dos tumores possuem a enzima. Aliás, é por isso que elas
> se reproduzem incessantemente. "Se você persegue a imortalidade, é
> o que, de um modo perverso, também fazem as células com
> câncer", diz o oncologista e professor de medicina da Universidade
> Columbia, Estados Unidos, Siddhartha Mukherjee, autor do
> recém-lançado livro The Emperor of All Maladies: A Biography of
> Cancer (O Império de Todas as Enfermidades: Uma Biografia do
> Câncer, sem edição no Brasil).
> >
> > Além da vantagem óbvia para todo mundo de postergar a chegada da
> velhice, um grupo específico de pessoas se beneficiaria caso os
> pesquisadores conseguissem resolver as contraindicações desse tipo de
> tratamento. Trata-se de indivíduos que, por conta de uma sequência
> genética, têm menos telomerase desde a gestação.
> Consequentemente, envelhecem mais rápido e chegam a ser
> biologicamente até dez anos mais velhos do que outras pessoas da
> mesma idade. Essa sequência de DNA foi mapeada em fevereiro do ano
> passado por cientistas da Universidade de Leicester, no Reino Unido. Em
> um estudo com 3 mil pessoas, 45% delas carregavam ao menos um gene da
> sequência. Os pesquisadores acreditam que um mapeamento desse tipo
> possibilitaria prescrever estilos de vida saudáveis àqueles mais
> propensos aos males do envelhecimento. Além de exercícios
> físicos, uma dieta com poucas calorias entraria na receita. Pois é
> sabido, e cientificamente provado, que quem come menos, vive mais.
> >
> >
> >
> > UMA ENZIMA PARA NOS MANTER SEMPRE JOVENS
> > A deterioração de nosso corpo começa de forma microscópica,
> em nossos cromossomos. Uma substância pode revertê-la. Veja como
> (clique aqui para ampliar)
> >
> >
> >
> >
> > 300 TAÇAS DE VINHO
> >
> >
> > Uma dieta diária entre 1.200 e 1.400 calorias — 30% a menos do
> que a sugerida pela Organização Mundial da Saúde — poderia
> aumentar nossa expectativa de vida média para 120 anos. Algumas
> pessoas chegariam, então, aos 150. Mesmo que você começasse a
> comer menos aos 30, ainda teria chance de prolongar seu tempo na Terra
> em sete anos. É atrás dessas promessas que ao menos 2 mil pessoas
> praticam a dieta de baixa caloria no mundo. Esse é o número de
> membros da Sociedade de Restrição Calórica. Apesar da matriz estar
> localizada nos Estados Unidos, há integrantes de várias partes do
> planeta, inclusive cinco do Brasil (que não se identificam). Os
> resultados dos pratos moderados têm sido positivos. Dados divulgados
> pela Sociedade atestam que os adeptos da dieta registraram queda
> significativa da pressão sanguínea, perda de quase 70% da gordura
> corporal e redução de 80% do nível de insulina no sangue, o que,
> no mínimo, faz cair o risco de doenças cardíacas e diabetes.
> Pratos mais comportados também são a receita milenar dos
> habitantes do arquipélago japonês de Okinawa — é lá que
> estão as pessoas que mais vivem no mundo. A proporção de
> centenários nas ilhas é de 50 para cada 100 mil moradores,
> enquanto nos demais países cai para dez a cada 100 mil. A
> população de Okinawa é de cerca de 1,3 milhão. Não por
> acaso, um prato típico no arquipélago tem 17% menos calorias do
> que no restante do Japão.
> >
> > A teoria mais aceita de por que comer pouco nos faria envelhecer mais
> devagar é evolutiva. Os efeitos benéficos das baixas calorias se
> devem a um mecanismo chamado starvation response, ou resposta à fome,
> em português. Nos primórdios da humanidade, durante os períodos
> de grandes secas ou mudanças abruptas no clima, ficava difícil
> encontrar alimento. Era natural, portanto, que, sob a ameaça de
> inanição, o organismo concentrasse seus esforços na proteção
> dos processos essenciais à sobrevivência. A energia do crescimento
> e reprodução (mecanismos trabalhosos para o corpo) era deslocada para
> o reparo e manutenção constante das células. Isso fazia com que as
> pessoas envelhecessem mais devagar. Tudo não passava de um truque da
> natureza para garantir a continuidade da espécie: ao conservar o
> corpo, o intuito era preservar aqueles indivíduos para se
> reproduzirem assim que as coisas melhorassem.
> >
> > Em cinco anos, o laboratório Sirtris Pharmaceutical promete colocar
> no mercado uma pílula que imita os efeitos de se comer pouco, mesmo
> que você siga uma dieta normal. O princípio ativo — já
> comercializado em medicamentos para diabéticos e como suplemento
> alimentar — é o resveratrol, substância encontrada na casca da
> uva roxa. É sua presença que confere ao vinho tinto benefícios
> ao coração. E explica o que os cientistas chamam de "paradoxo
> francês": a baixa mortalidade por doenças cardíacas na
> França, mesmo com uma dieta tão rica em gordura. Graças ao
> hábito comedido que a população tem de beber vinho quase que
> diariamente. Além dos benefícios ao coração, também há
> evidências de que o resveratrol reduza o risco de Alzheimer, derrame,
> diversos tipos de câncer, perda de audição e osteoporose —
> todos problemas comuns no envelhecimento. Já provocar o aumento dos
> anos de vida é algo que ainda precisa ser provado em humanos. Mas o
> resultado em animais se mostrou estimulante.
> >
> >
> >
> > VIDA LONGA - E MAIS FELIZ
> >
> >
> >
> > Se a ciência de fato nos fizer passar dos 75 com saúde e
> disposição nos fará felizes como nunca seríamos. Um estudo
> publicado ano passado por pesquisadores das universidades de Stony Brook
> e Princeton, nos EUA, traçou um paralelo entre bem-estar e idade.
> Surpresa: nosso auge de contentamento seria após os 74. Os resultados
> formam o que os pesquisadores de felicidade chamam de curva U (abaixo).
> Os idosos sentiriam menos raiva e estresse do que os jovens e teriam
> menos preocupações do que os adultos médios. Pois, com a idade, as
> pessoas lidam melhor com conflitos e controlam as emoções. É a
> sabedoria. Os pesquisadores também sugerem que a saída dos filhos
> de casa diminui problemas familiares e financeiros. A ciência está
> fazendo sua parte, agora falta lazer, trabalho e INSS para que os mais
> longevos possam curtir tranquilos a melhor parte da vida.
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > Em 2006, pesquisadores da Escola de Medicina de Harvard realizaram
> estudos liderados por David Sinclair — não por acaso, fundador da
> Sirtris Pharmaceutical, hoje pertencente à gigante inglesa
> GlaxoSmithKline. No experimento, cientistas superalimentaram roedores
> com uma dieta rica em gordura. Em paralelo, forneceram a eles doses de
> resveratrol. As cobaias ficaram obesas. Ainda assim, seu tempo de vida
> se estendeu a um patamar igual ao dos ratos que comiam com restrição.
> Para obter esses efeitos com vinho seriam necessárias 300 taças
> por dia, ou seja, algo impensável até para o mais bebum dos seres
> humanos. O que justifica a corrida da indústria farmacêutica
> atrás das pílulas.
> >
> > Os medicamentos que imitam dietas metódicas serão uma
> aplicação mais concreta dos pioneiros estudos sobre
> antienvelhecimento. A primeira importante pesquisa científica que
> provou que restringir calorias poderia prolongar a vida foi divulgada em
> 1934. O estudioso de nutrição da Universidade de Cornell, Estados
> Unidos, Clive McCay, manteve ratos em um estado de quase fome por quatro
> anos e os assistiu viver 85% mais tempo do que a média. Um dos
> animais chegou aos 3 anos e 9 meses de idade. Como, cinco anos antes,
> dois cientistas tinham ganhado o Prêmio Nobel pela descoberta das
> vitaminas, pareceu uma pequena heresia dizer que passar um pouco de fome
> poderia nos fazer bem. Mais recentemente, no início dos anos 2000,
> cientistas do Centro Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin
> revelaram bons resultados com macacos mantidos em uma dieta 30% menos
> calórica do que seus colegas. Além de magros, estavam no auge da
> vida. Enquanto os que comiam normalmente se movimentavam lentamente e
> viam cair mais pelos, entre outros sinais de velhice.
> >
> > Em 2015, 2016, com o medicamento nas farmácias, a Sirtris deve se
> tornar a indústria referência em antienvelhecimento. Além do
> resveratrol, seus laboratórios estudam outra substância capaz de
> imitar os efeitos de uma dieta de baixa caloria: a rapamicina. Hoje
> usado para evitar rejeição em transplante de órgãos, o
> princípio ativo fez com que ratos de meia-idade vivessem de 28% a 38%
> mais tempo, segundo um estudo divulgado pela revista Nature em meados de
> 2009. Mais uma pesquisa que mostra que há esperanças para
> prolongar a vida mesmo quando o corpo já está desgastado. Esta
> também é a promessa da medicina regenerativa.
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > Crédito: Maná E.D.I.
> >
> >
> >
> > BIOENGENHARIA
> >
> >
> > No ano passado, um grupo de mulheres teve uma oportunidade de ouro:
> após serem mutiladas devido ao câncer de mama, viram crescer seios
> 100% naturais, a partir de suas próprias células. A técnica que
> soa como milagre foi desenvolvida após quase uma década de estudos
> pela empresa de biotecnologia americana Cytori Therapeutics, que
> pretende trazer o método para o Brasil ainda este ano. Permite dupla
> recauchutagem: as células que dão origem ao novo seio são
> extraídas de uma cirurgia plástica para tirar gordurinhas
> indesejadas. O procedimento começa com uma lipoaspiração, por
> exemplo, na barriga. Da gordura são colhidas células-tronco,
> capazes de se multiplicar para gerar tecidos de outras partes do corpo,
> como a mama. Elas são, então, aplicadas na região do peito.
> Conforme crescem, formam um novo seio, sem risco de rejeição.
> >
> > A descoberta de células-tronco na gordura foi um grande avanço
> para a medicina regenerativa. Somente no Brasil, são realizadas mais
> de 200 mil lipoaspirações por ano. No ano passado, Radovan Borojevic,
> diretor do Programa Avançado de Biologia Celular Aplicada à
> Medicina da UFRJ, conseguiu, de forma inédita no Brasil,
> autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep)
> para manipular células-tronco de gordura. "Esse material pode
> garantir reserva para a velhice, para sanar as doenças naturais do
> passar dos anos e até diminuir as rugas", diz. Quem fizer uma
> lipoaspiração aos 20, por exemplo, pode chegar aos 60 e usar as
> células guardadas para preencher a pele envelhecida e se livrar dos
> pés de galinha. Como as células terão a memória de sua
> juventude, será possível fazer o que nenhum cosmético ou Botox
> jamais conseguiu: ter cara de 20, aos 60. O procedimento, cujo efeito
> dura de quatro a cinco anos, já está em fase de testes. Em três
> meses, Borojevic realizou 70 implantes de células antirrugas — os
> interessados podem se inscrever para os testes no Instituto de
> Ciências Biomédicas da UFRJ. Mas esta é apenas a mais
> frívola das promessas da bioengenharia. "Com as técnicas, vamos
> envelhecer muito melhor do que os nossos avós", afirma Borojevic.
> >
> > Experimentos em humanos mostraram que o implante de células-tronco
> pode reparar órgãos vitais. Entre eles, o coração, que teria
> benefícios como o aumento da quantidade e bombeamento de sangue
> após infartos, diminuição da área de tecidos mortos e melhora
> da capacidade respiratória em casos de doenças cardíacas
> crônicas. Outro resultado positivo é a redução da
> incontinência urinária em pacientes que passaram por cirurgias de
> próstata. "A medicina regenerativa para problemas do envelhecimento
> será de fato composta por peças de substituição", afirma o
> gerontologista inglês criador da Fundação Sens, de estudos de
> biotecnologia para rejuvenescimento, Aubrey de Grey, polêmico, entre
> outras coisas, por afirmar que a velhice é uma doença à espera
> de cura.
> >
> >
> >
> > A HORA DA MORTE
> >
> >
> > Com sua aparência de Matusalém, apesar dos 47 anos de idade, De
> Grey acredita que podemos ser imortais e que os homens que vão viver
> mil anos já nasceram. Passar mais tempo na Terra do que o próprio
> personagem bíblico, que teria morrido aos 969, seria possível
> graças ao desenvolvimento da engenharia para impedir que nossas
> células envelheçam e da reposição de órgãos e tecidos.
> "Uma vez que a medicina regenerativa se desenvolver, o limite
> biológico do corpo desaparecerá." A ideia gerou tanta
> controvérsia na comunidade científica que, em 2005, o
> Massachusetts Institute of Technology (MIT) lançou um concurso que
> premiaria com US$ 20 mil quem conseguisse provar que a tese de Aubrey
> era descabida. Cinco inscrições foram analisadas por um júri
> composto por cabeças como o geneticista Craig Venter. Ninguém
> levou o prêmio.
> >
> > A crença de que a ciência e a tecnologia nos permitirão
> redesenhar o próprio corpo para nos fazer viver muito mais, até
> indefinidamente, guia uma corrente filosófica chamada transhumanismo.
> Os seguidores do pensamento acreditam que por meio de áreas de
> conhecimento emergentes como biotecnologia, inteligência artificial,
> robótica e nanotecnologia, poderemos superar a própria condição
> humana. "O homem não é o final da evolução biológica, e sim
> o começo de uma evolução tecnológica", afirma o engenheiro
> venezuelano formado pelo MIT e que já trabalhou para a Nasa, José
> Cordeiro, grande divulgador do transhumanismo na América Latina. Ele
> acredita que assistiremos à morte da morte — e que não há
> nada de antinatural nisso. "O propósito da vida é mais vida.
> Além do mais, ninguém quer morrer, ainda mais se tiver a
> oportunidade de não ficar velho."
> >
> > A visão de que vale a pena manipular nosso corpo a qualquer custo
> para ser jovem para sempre encontra olhares críticos. "Essa
> pretensão de vida eterna é um erro existencial, uma arrogância
> do homem em querer inventar uma vida que não é sua. Pois a
> finitude é um atributo da nossa, e é o que a faz ser boa", afirma
> o cientista político Clóvis de Barros Filho, professor de ética
> da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo
> (USP). "É uma ilusão narcisista acreditar que se vai viver em gozo
> eternamente. Ficar dos 60 aos 120 anos curtindo aposentadoria e nunca
> aceitar o dissolver, que é o nosso destino", diz a filósofa e
> terapeuta Regina Favre, de São Paulo, que acredita que a busca pela
> longevidade sem fim seja fruto da solidão, do desamparo e do medo
> gerado pelos problemas da velhice e proximidade da morte. Ou como
> escreveu o escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986) no conto O
> Imortal, publicado no livro O Aleph: "Dilatar a vida dos homens é
> como dilatar sua agonia e multiplicar o número de suas mortes".
> >
> > Mesmo que a medicina conseguisse fazer com que as pessoas tivessem
> saúde e disposição para trabalhar até os 100, provavelmente
> não haveria mercado para todos. Com uma superpopulação de idosos,
> a previdência social certamente iria quebrar. "Não adianta
> chegarmos aos 200 anos se não resolvermos esses problemas", diz a
> presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Silvia
> Regina Mendes Pereira, que acha positivo o esforço dos cientistas
> para evitar doenças como diabetes ou Alzheimer, desde que a qualidade
> de vida seja encarada de forma global. "E isso passa por vários
> aspectos. Um deles, sim, é a saúde, mas também há o
> psicológico e o social."
> >
> > As transformações no mundo caso as pessoas passem a viver
> décadas ou até séculos a mais são inevitáveis. Mas, para
> De Grey, compensaria enfrentá-las. "Essas dificuldades não superam
> os benefícios da eliminação de doenças relacionadas à idade,
> como problemas cardiovasculares e câncer", afirma. Mesmo porque esses
> problemas terão que ser pensados de imediato. Pois, antes mesmo das
> pirotecnias científicas se tornarem realidade, a longevidade no mundo
> só cresce. Para se ter ideia, vivemos 25 anos a mais do que um
> século atrás. Nos países desenvolvidos, a expectativa de vida
> aumenta cinco horas por dia. Ou seja, já há motivos suficientes
> para a ciência se preocupar com os muitos que, em tempos anteriores
> às pílulas que simulam fome ou injeções de enzimas e
> células-tronco, fazem muito mais aniversários do que um dia nossos
> avós jamais poderiam imaginar.
> >
> >
> >
> >
> >
> > O profeta da imortalidade
> >
> >
> > O cientista do envelhecimento Aubrey de Grey afirma que, em 2030,
> estaremos vivendo até os 130 anos. E que os homens que farão mil
> aniversários já nasceram. A seguir ele conta como isso será
> possível
> >
> >
> >
> >
> >
> > * Por que envelhecemos?
> > Aubrey de Grey: Porque o corpo humano, como qualquer máquina, causa
> danos a si mesmo como efeito colateral natural de sua operação. Esse
> prejuízo se acumula ao longo da vida. Por um longo tempo quase não
> afeta a habilidade do corpo para funcionar, mas, eventualmente, provoca
> doenças e incapacidade.
> >
> > * As pessoas que viveriam mil anos precisariam constantemente
> substituir peças, como um robô?
> > De Grey: De fato, a maior parte das técnicas serão compostas por
> peças de substituição, mas a um nível microscópico. Em
> alguns casos, podemos trocar órgãos inteiros. Porém, mais
> frequentemente, serão células ou moléculas.
> >
> > * Mesmo pessoas sedentárias, com excesso de peso e estressadas
> serão capazes de viver mais?
> > De Grey: A medicina regenerativa vai permitir que as pessoas
> ultrapassem por uma larga margem a longevidade que qualquer um consegue
> atualmente, mesmo com a melhor vida possível, mesmo aqueles com uma
> genética privilegiada. Então, sim, estas terapias irão
> funcionar em todos, mesmo naqueles com um estilo de vida ruim.
> >
> > * Existe limite biológico para a vida dos seres humanos?
> > De Grey: Há de fato um limite biológico para quanto tempo as
> pessoas podem viver, porque certos aspectos do nosso metabolismo, como a
> respiração, são inevitáveis e acumulam danos moleculares e
> celulares. Porém, uma vez que se desenvolvam técnicas de
> bioengenharia para reparar esses danos, não haverá mais limite
> para a vida do homem.
> >
> > * Como lidar com as consequências sociais de se ter uma
> superpopulação?
> > De Grey: A eliminação do envelhecimento vai mudar o mundo. E
> precisaremos agir diante de muitas dessas transformações. No entanto,
> essas dificuldades não superam os benefícios da eliminação de
> doenças como câncer e problemas cardiovasculares.
> >
> > * Viver mais significa viver melhor?
> > De Grey: Não necessariamente. Mas o trabalho em minha fundação
> de estudos em engenharia de rejuvenescimento, a Sens, foca em viver
> melhor, ou seja, adiar o processo das doenças da velhice. A
> longevidade será um efeito colateral: só ocorrerá porque as
> pessoas serão mantidas saudáveis.
> >
> > * Você aplica técnicas de medicina regenerativa em si mesmo?
> Já testou alguma?
> > De Grey: Estou ansioso para me beneficiar destas terapias. Não
> faço isso simplesmente porque, na prática, elas ainda não
> existem.
> >
>


SUBJECT: Re: A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
FROM: "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 13:41

PB

> Eu ainda prefiro o resveratrol em formato de vinho,
> "medicação" da qual sou fã inveterado.

O problema é que no vinho, para os efeitos relacionados (envelhecimento) às estas pesquisas em específico, seriam necessárias aprox. 300 taças ao dia. Inviável, e "pouco" saudável, até aos mais "talentosos" fãs inveterados.  ; )

Marcel

 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Pesky Bee" <peskybee2@...> escreveu
>
> Eu ainda prefiro o resveratrol em formato de vinho,
> "medicação" da qual sou fã inveterado.
>
> *PB*
>
>
>
> From: marcelleandro2009
> Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:03 PM
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Subject: [ciencialist] Re: A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
>
>
>
>
> Para os poucos que estava acompanhando e dando sequência sobre o revastrol...existe uma hortaliça que tem esta substância muito mais concentrada que na uva.
>
> http://www.saudeintegral.com/artigos/azedinha-a-planta-poderosa.html
>
>
>
> Marcel
>
>
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009" marcelleandro2009@ escreveu
> >
> >
> > "Mais recentemente, no início dos anos 2000, cientistas do Centro
> > Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin revelaram bons resultados
> > com macacos mantidos em uma dieta 30% menos calórica do que seus
> > colegas. Além de magros, estavam no auge da vida. Enquanto os que
> > comiam normalmente se movimentavam lentamente e viam cair mais pelos,
> > entre outros sinais de velhice. ..."
> >
> > Um pouco (fotos e tal) mais, aqui:
> > http://hypescience.com/18398-restricao-de-calorias-pode-extender-a-vida-\
> > de-humanos-tambem/
> > <http://hypescience.com/18398-restricao-de-calorias-pode-extender-a-vida\
> > -de-humanos-tambem/>
> >
> >
> >
> > Marcel
> >
> >
> > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009"
> > marcelleandro2009@ escreveu
> > >
> > >
> > http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,ERT204682-17773,00.htm\
> > l
> > >
> > > A cura do envelhecimento
> > >
> > > Pílulas, células-tronco, dietas e tratamentos para evitar
> > doenças e regenerar órgãos. Conheça as novas armas da
> > ciência para nos manter com aparência jovem para sempre
> > >
> > > Priscilla Santos, com reportagem de Bruna Fasano e Willian Okada
> > >
> > >
> > > FONTE DA JUVENTUDE
> > > Crédito: Maná E.D.I.
> > >
> > > O soldado e explorador espanhol Juan Ponce de León (1460-1521)
> > já havia acompanhado Cristóvão Colombo em sua segunda viagem
> > à América quando começou sua busca pela mitológica Fonte da
> > Juventude. Os nativos de Porto Rico, onde Ponce havia criado uma
> > colônia, diziam existir tal fonte misteriosa capaz de proporcionar a
> > jovialidade eterna para quem em suas águas se banhasse. O viajante
> > nunca a encontrou — acabou foi descobrindo a Flórida,
> > ironicamente o estado americano hoje com a maior proporção de idosos.
> > Ponce de León não foi o único a procurar incansavelmente por
> > uma forma de ser jovem para sempre. A busca pela imortalidade e pela
> > juventude eterna sempre fascinou o homem, único animal que tem
> > consciência da própria morte — e por isso sofre. Mas nunca
> > esteve tão próxima de ser alcançada. Como Ponce de Leóns
> > contemporâneos, os cientistas do século 21 vêm perseguindo o
> > fim da maior causa de morte do mundo: a velhice. Por consequência, as
> > doenças decorrentes dela. E parecem estar mais próximos de, no
> > mínimo, postergá-la. "Os avanços da área biológica que
> > surgem nesse começo de século indicam que muitos de nós
> > poderemos chegar facilmente aos 100, 150 anos", diz o professor do
> > Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de
> > Janeiro (UFRJ), Stevens Rehen.
> > >
> > > Prolongar a vida seria apenas uma consequência de fazer as pessoas
> > serem mais saudáveis por mais tempo. Esse é o principal objetivo
> > da nova ciência do antienvelhecimento, que pretende atacar de uma
> > só vez todas as formas de deterioração do corpo para fazer com que
> > o nosso relógio biológico corra mais devagar. Assim, ficaríamos
> > longe de doenças decorrentes da idade avançada — como
> > Alzheimer, demência, diabetes e doenças cardíacas — por
> > mais tempo. Atacar a velhice, portanto, seria a melhor e talvez única
> > forma de nos afastarmos dos males provocados por ela. Combater uma a uma
> > as doenças — algo que desde sempre fazemos — não surtiria
> > grandes efeitos. Nos Estados Unidos, por exemplo, se os problemas de
> > coração fossem totalmente eliminados, a expectativa de vida não
> > subiria mais do que três anos. O mesmo que proporcionaria uma cura
> > milagrosa para o câncer. "O risco de doenças fatais dispara
> > após os 60 anos. Assim, mesmo que evitemos o ataque cardíaco,
> > outros problemas vão nos pegar", afirma o escritor de ciência e
> > medicina americano David Stipp, autor do livro The Youth Pill (A
> > Pílula da Juventude, sem edição no Brasil), lançado no ano
> > passado. Por isso, a maneira de aumentar a expectativa e a qualidade de
> > vida para valer é evitar chegar nesse estágio em que já estamos
> > mais fracos e vulneráveis a doenças.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Em vez de águas milagrosas, a Fonte da Juventude perseguida pelos
> > cientistas oferecerá tratamentos futurísticos descobertos nos mais
> > ardilosos experimentos
> > > Crédito: Maná E.D.I.
> > >
> > >
> > >
> > > INJEÇÃO ANTIVELHICE
> > >
> > >
> > > Em novembro passado, pesquisadores do Instituto de Câncer
> > Dana-Farber, da Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos,
> > publicaram um estudo que contrariou um dos principais conceitos sobre o
> > processo de envelhecimento: o de que ele é irreversível. Eles
> > conseguiram, pela primeira vez, rejuvenescer ratos de laboratório. O
> > experimento foi baseado num mecanismo que rendeu, um ano antes, o
> > Prêmio Nobel de Medicina a outros três cientistas americanos: a
> > relação entre o processo de envelhecimento e os telômeros, uma
> > espécie de capinha que protege a ponta de cada cromossomo dentro de
> > nossas células — numa comparação grosseira, o telômero
> > assemelha-se àquele revestimento plástico presente na ponta dos
> > cadarços de um tênis. A cada vez que a célula se divide, essa
> > capinha se encurta um pouco. Depois de 50 a 80 duplicações a
> > célula não consegue mais se multiplicar — após os 35 anos
> > de idade, os efeitos desse processo já começam a ser sentidos. O
> > tempo passa e, sem células novas e com algumas mortas ou inativas,
> > nossos órgãos começam a se deteriorar. É a velhice.
> > >
> > > Nascemos com um mecanismo capaz de driblar esse processo, uma enzima
> > chamada telomerase. Ela repara as tais capas protetoras dos cromossomos
> > após cada divisão celular. Porém, após a infância, sua
> > concentração cai drasticamente. Fazer com que ela volte a crescer
> > é um dos caminhos para postergar o envelhecimento — ou até
> > mesmo revertê-lo. No estudo de Harvard, os cientistas criaram ratos
> > geneticamente modificados de forma que não produzissem a telomerase.
> > Como resultado, os animais envelheceram rapidamente. Os sinais
> > incluíram diminuição do cérebro e do olfato, danos no baço e
> > intestinos, além de doenças como osteoporose e diabetes. Com
> > apenas um mês de ingestão de telomerase, no entanto, tais sintomas
> > sumiram. Os ratos voltaram inclusive a ser férteis e desenvolveram
> > neurônios, sem contar uma invejável melhora na pele. "O que vimos
> > não foi a desaceleração ou estabilização do envelhecimento, mas
> > algo muito mais incrível: uma reversão dramática dele", afirma
> > Ronald DePinho, coordenador da pesquisa. "É possível imaginar que
> > um homem de 90 anos voltaria a ter a saúde que possuía aos 40 ou
> > 50", diz. Porém, apesar de ter sido bem-sucedido em ratos, o
> > tratamento ainda não foi testado em humanos. E não há
> > perspectiva de que isso aconteça nos próximos anos. "Ainda temos
> > muito trabalho pela frente. O próximo passo é descobrir em que
> > estágio da vida as pessoas precisariam se submeter à injeção de
> > telomerase", afirma DePinho. Em paralelo a isso, ainda seria preciso
> > ultrapassar um grande empecilho: o potencial risco de câncer.
> > >
> > > Fora do período de gestação e infância, a telomerase só
> > retorna em grandes quantidades nas células cancerosas — sabe-se
> > que 90% dos tumores possuem a enzima. Aliás, é por isso que elas
> > se reproduzem incessantemente. "Se você persegue a imortalidade, é
> > o que, de um modo perverso, também fazem as células com
> > câncer", diz o oncologista e professor de medicina da Universidade
> > Columbia, Estados Unidos, Siddhartha Mukherjee, autor do
> > recém-lançado livro The Emperor of All Maladies: A Biography of
> > Cancer (O Império de Todas as Enfermidades: Uma Biografia do
> > Câncer, sem edição no Brasil).
> > >
> > > Além da vantagem óbvia para todo mundo de postergar a chegada da
> > velhice, um grupo específico de pessoas se beneficiaria caso os
> > pesquisadores conseguissem resolver as contraindicações desse tipo de
> > tratamento. Trata-se de indivíduos que, por conta de uma sequência
> > genética, têm menos telomerase desde a gestação.
> > Consequentemente, envelhecem mais rápido e chegam a ser
> > biologicamente até dez anos mais velhos do que outras pessoas da
> > mesma idade. Essa sequência de DNA foi mapeada em fevereiro do ano
> > passado por cientistas da Universidade de Leicester, no Reino Unido. Em
> > um estudo com 3 mil pessoas, 45% delas carregavam ao menos um gene da
> > sequência. Os pesquisadores acreditam que um mapeamento desse tipo
> > possibilitaria prescrever estilos de vida saudáveis àqueles mais
> > propensos aos males do envelhecimento. Além de exercícios
> > físicos, uma dieta com poucas calorias entraria na receita. Pois é
> > sabido, e cientificamente provado, que quem come menos, vive mais.
> > >
> > >
> > >
> > > UMA ENZIMA PARA NOS MANTER SEMPRE JOVENS
> > > A deterioração de nosso corpo começa de forma microscópica,
> > em nossos cromossomos. Uma substância pode revertê-la. Veja como
> > (clique aqui para ampliar)
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > 300 TAÇAS DE VINHO
> > >
> > >
> > > Uma dieta diária entre 1.200 e 1.400 calorias — 30% a menos do
> > que a sugerida pela Organização Mundial da Saúde — poderia
> > aumentar nossa expectativa de vida média para 120 anos. Algumas
> > pessoas chegariam, então, aos 150. Mesmo que você começasse a
> > comer menos aos 30, ainda teria chance de prolongar seu tempo na Terra
> > em sete anos. É atrás dessas promessas que ao menos 2 mil pessoas
> > praticam a dieta de baixa caloria no mundo. Esse é o número de
> > membros da Sociedade de Restrição Calórica. Apesar da matriz estar
> > localizada nos Estados Unidos, há integrantes de várias partes do
> > planeta, inclusive cinco do Brasil (que não se identificam). Os
> > resultados dos pratos moderados têm sido positivos. Dados divulgados
> > pela Sociedade atestam que os adeptos da dieta registraram queda
> > significativa da pressão sanguínea, perda de quase 70% da gordura
> > corporal e redução de 80% do nível de insulina no sangue, o que,
> > no mínimo, faz cair o risco de doenças cardíacas e diabetes.
> > Pratos mais comportados também são a receita milenar dos
> > habitantes do arquipélago japonês de Okinawa — é lá que
> > estão as pessoas que mais vivem no mundo. A proporção de
> > centenários nas ilhas é de 50 para cada 100 mil moradores,
> > enquanto nos demais países cai para dez a cada 100 mil. A
> > população de Okinawa é de cerca de 1,3 milhão. Não por
> > acaso, um prato típico no arquipélago tem 17% menos calorias do
> > que no restante do Japão.
> > >
> > > A teoria mais aceita de por que comer pouco nos faria envelhecer mais
> > devagar é evolutiva. Os efeitos benéficos das baixas calorias se
> > devem a um mecanismo chamado starvation response, ou resposta à fome,
> > em português. Nos primórdios da humanidade, durante os períodos
> > de grandes secas ou mudanças abruptas no clima, ficava difícil
> > encontrar alimento. Era natural, portanto, que, sob a ameaça de
> > inanição, o organismo concentrasse seus esforços na proteção
> > dos processos essenciais à sobrevivência. A energia do crescimento
> > e reprodução (mecanismos trabalhosos para o corpo) era deslocada para
> > o reparo e manutenção constante das células. Isso fazia com que as
> > pessoas envelhecessem mais devagar. Tudo não passava de um truque da
> > natureza para garantir a continuidade da espécie: ao conservar o
> > corpo, o intuito era preservar aqueles indivíduos para se
> > reproduzirem assim que as coisas melhorassem.
> > >
> > > Em cinco anos, o laboratório Sirtris Pharmaceutical promete colocar
> > no mercado uma pílula que imita os efeitos de se comer pouco, mesmo
> > que você siga uma dieta normal. O princípio ativo — já
> > comercializado em medicamentos para diabéticos e como suplemento
> > alimentar — é o resveratrol, substância encontrada na casca da
> > uva roxa. É sua presença que confere ao vinho tinto benefícios
> > ao coração. E explica o que os cientistas chamam de "paradoxo
> > francês": a baixa mortalidade por doenças cardíacas na
> > França, mesmo com uma dieta tão rica em gordura. Graças ao
> > hábito comedido que a população tem de beber vinho quase que
> > diariamente. Além dos benefícios ao coração, também há
> > evidências de que o resveratrol reduza o risco de Alzheimer, derrame,
> > diversos tipos de câncer, perda de audição e osteoporose —
> > todos problemas comuns no envelhecimento. Já provocar o aumento dos
> > anos de vida é algo que ainda precisa ser provado em humanos. Mas o
> > resultado em animais se mostrou estimulante.
> > >
> > >
> > >
> > > VIDA LONGA - E MAIS FELIZ
> > >
> > >
> > >
> > > Se a ciência de fato nos fizer passar dos 75 com saúde e
> > disposição nos fará felizes como nunca seríamos. Um estudo
> > publicado ano passado por pesquisadores das universidades de Stony Brook
> > e Princeton, nos EUA, traçou um paralelo entre bem-estar e idade.
> > Surpresa: nosso auge de contentamento seria após os 74. Os resultados
> > formam o que os pesquisadores de felicidade chamam de curva U (abaixo).
> > Os idosos sentiriam menos raiva e estresse do que os jovens e teriam
> > menos preocupações do que os adultos médios. Pois, com a idade, as
> > pessoas lidam melhor com conflitos e controlam as emoções. É a
> > sabedoria. Os pesquisadores também sugerem que a saída dos filhos
> > de casa diminui problemas familiares e financeiros. A ciência está
> > fazendo sua parte, agora falta lazer, trabalho e INSS para que os mais
> > longevos possam curtir tranquilos a melhor parte da vida.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Em 2006, pesquisadores da Escola de Medicina de Harvard realizaram
> > estudos liderados por David Sinclair — não por acaso, fundador da
> > Sirtris Pharmaceutical, hoje pertencente à gigante inglesa
> > GlaxoSmithKline. No experimento, cientistas superalimentaram roedores
> > com uma dieta rica em gordura. Em paralelo, forneceram a eles doses de
> > resveratrol. As cobaias ficaram obesas. Ainda assim, seu tempo de vida
> > se estendeu a um patamar igual ao dos ratos que comiam com restrição.
> > Para obter esses efeitos com vinho seriam necessárias 300 taças
> > por dia, ou seja, algo impensável até para o mais bebum dos seres
> > humanos. O que justifica a corrida da indústria farmacêutica
> > atrás das pílulas.
> > >
> > > Os medicamentos que imitam dietas metódicas serão uma
> > aplicação mais concreta dos pioneiros estudos sobre
> > antienvelhecimento. A primeira importante pesquisa científica que
> > provou que restringir calorias poderia prolongar a vida foi divulgada em
> > 1934. O estudioso de nutrição da Universidade de Cornell, Estados
> > Unidos, Clive McCay, manteve ratos em um estado de quase fome por quatro
> > anos e os assistiu viver 85% mais tempo do que a média. Um dos
> > animais chegou aos 3 anos e 9 meses de idade. Como, cinco anos antes,
> > dois cientistas tinham ganhado o Prêmio Nobel pela descoberta das
> > vitaminas, pareceu uma pequena heresia dizer que passar um pouco de fome
> > poderia nos fazer bem. Mais recentemente, no início dos anos 2000,
> > cientistas do Centro Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin
> > revelaram bons resultados com macacos mantidos em uma dieta 30% menos
> > calórica do que seus colegas. Além de magros, estavam no auge da
> > vida. Enquanto os que comiam normalmente se movimentavam lentamente e
> > viam cair mais pelos, entre outros sinais de velhice.
> > >
> > > Em 2015, 2016, com o medicamento nas farmácias, a Sirtris deve se
> > tornar a indústria referência em antienvelhecimento. Além do
> > resveratrol, seus laboratórios estudam outra substância capaz de
> > imitar os efeitos de uma dieta de baixa caloria: a rapamicina. Hoje
> > usado para evitar rejeição em transplante de órgãos, o
> > princípio ativo fez com que ratos de meia-idade vivessem de 28% a 38%
> > mais tempo, segundo um estudo divulgado pela revista Nature em meados de
> > 2009. Mais uma pesquisa que mostra que há esperanças para
> > prolongar a vida mesmo quando o corpo já está desgastado. Esta
> > também é a promessa da medicina regenerativa.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Crédito: Maná E.D.I.
> > >
> > >
> > >
> > > BIOENGENHARIA
> > >
> > >
> > > No ano passado, um grupo de mulheres teve uma oportunidade de ouro:
> > após serem mutiladas devido ao câncer de mama, viram crescer seios
> > 100% naturais, a partir de suas próprias células. A técnica que
> > soa como milagre foi desenvolvida após quase uma década de estudos
> > pela empresa de biotecnologia americana Cytori Therapeutics, que
> > pretende trazer o método para o Brasil ainda este ano. Permite dupla
> > recauchutagem: as células que dão origem ao novo seio são
> > extraídas de uma cirurgia plástica para tirar gordurinhas
> > indesejadas. O procedimento começa com uma lipoaspiração, por
> > exemplo, na barriga. Da gordura são colhidas células-tronco,
> > capazes de se multiplicar para gerar tecidos de outras partes do corpo,
> > como a mama. Elas são, então, aplicadas na região do peito.
> > Conforme crescem, formam um novo seio, sem risco de rejeição.
> > >
> > > A descoberta de células-tronco na gordura foi um grande avanço
> > para a medicina regenerativa. Somente no Brasil, são realizadas mais
> > de 200 mil lipoaspirações por ano. No ano passado, Radovan Borojevic,
> > diretor do Programa Avançado de Biologia Celular Aplicada à
> > Medicina da UFRJ, conseguiu, de forma inédita no Brasil,
> > autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep)
> > para manipular células-tronco de gordura. "Esse material pode
> > garantir reserva para a velhice, para sanar as doenças naturais do
> > passar dos anos e até diminuir as rugas", diz. Quem fizer uma
> > lipoaspiração aos 20, por exemplo, pode chegar aos 60 e usar as
> > células guardadas para preencher a pele envelhecida e se livrar dos
> > pés de galinha. Como as células terão a memória de sua
> > juventude, será possível fazer o que nenhum cosmético ou Botox
> > jamais conseguiu: ter cara de 20, aos 60. O procedimento, cujo efeito
> > dura de quatro a cinco anos, já está em fase de testes. Em três
> > meses, Borojevic realizou 70 implantes de células antirrugas — os
> > interessados podem se inscrever para os testes no Instituto de
> > Ciências Biomédicas da UFRJ. Mas esta é apenas a mais
> > frívola das promessas da bioengenharia. "Com as técnicas, vamos
> > envelhecer muito melhor do que os nossos avós", afirma Borojevic.
> > >
> > > Experimentos em humanos mostraram que o implante de células-tronco
> > pode reparar órgãos vitais. Entre eles, o coração, que teria
> > benefícios como o aumento da quantidade e bombeamento de sangue
> > após infartos, diminuição da área de tecidos mortos e melhora
> > da capacidade respiratória em casos de doenças cardíacas
> > crônicas. Outro resultado positivo é a redução da
> > incontinência urinária em pacientes que passaram por cirurgias de
> > próstata. "A medicina regenerativa para problemas do envelhecimento
> > será de fato composta por peças de substituição", afirma o
> > gerontologista inglês criador da Fundação Sens, de estudos de
> > biotecnologia para rejuvenescimento, Aubrey de Grey, polêmico, entre
> > outras coisas, por afirmar que a velhice é uma doença à espera
> > de cura.
> > >
> > >
> > >
> > > A HORA DA MORTE
> > >
> > >
> > > Com sua aparência de Matusalém, apesar dos 47 anos de idade, De
> > Grey acredita que podemos ser imortais e que os homens que vão viver
> > mil anos já nasceram. Passar mais tempo na Terra do que o próprio
> > personagem bíblico, que teria morrido aos 969, seria possível
> > graças ao desenvolvimento da engenharia para impedir que nossas
> > células envelheçam e da reposição de órgãos e tecidos.
> > "Uma vez que a medicina regenerativa se desenvolver, o limite
> > biológico do corpo desaparecerá." A ideia gerou tanta
> > controvérsia na comunidade científica que, em 2005, o
> > Massachusetts Institute of Technology (MIT) lançou um concurso que
> > premiaria com US$ 20 mil quem conseguisse provar que a tese de Aubrey
> > era descabida. Cinco inscrições foram analisadas por um júri
> > composto por cabeças como o geneticista Craig Venter. Ninguém
> > levou o prêmio.
> > >
> > > A crença de que a ciência e a tecnologia nos permitirão
> > redesenhar o próprio corpo para nos fazer viver muito mais, até
> > indefinidamente, guia uma corrente filosófica chamada transhumanismo.
> > Os seguidores do pensamento acreditam que por meio de áreas de
> > conhecimento emergentes como biotecnologia, inteligência artificial,
> > robótica e nanotecnologia, poderemos superar a própria condição
> > humana. "O homem não é o final da evolução biológica, e sim
> > o começo de uma evolução tecnológica", afirma o engenheiro
> > venezuelano formado pelo MIT e que já trabalhou para a Nasa, José
> > Cordeiro, grande divulgador do transhumanismo na América Latina. Ele
> > acredita que assistiremos à morte da morte — e que não há
> > nada de antinatural nisso. "O propósito da vida é mais vida.
> > Além do mais, ninguém quer morrer, ainda mais se tiver a
> > oportunidade de não ficar velho."
> > >
> > > A visão de que vale a pena manipular nosso corpo a qualquer custo
> > para ser jovem para sempre encontra olhares críticos. "Essa
> > pretensão de vida eterna é um erro existencial, uma arrogância
> > do homem em querer inventar uma vida que não é sua. Pois a
> > finitude é um atributo da nossa, e é o que a faz ser boa", afirma
> > o cientista político Clóvis de Barros Filho, professor de ética
> > da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo
> > (USP). "É uma ilusão narcisista acreditar que se vai viver em gozo
> > eternamente. Ficar dos 60 aos 120 anos curtindo aposentadoria e nunca
> > aceitar o dissolver, que é o nosso destino", diz a filósofa e
> > terapeuta Regina Favre, de São Paulo, que acredita que a busca pela
> > longevidade sem fim seja fruto da solidão, do desamparo e do medo
> > gerado pelos problemas da velhice e proximidade da morte. Ou como
> > escreveu o escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986) no conto O
> > Imortal, publicado no livro O Aleph: "Dilatar a vida dos homens é
> > como dilatar sua agonia e multiplicar o número de suas mortes".
> > >
> > > Mesmo que a medicina conseguisse fazer com que as pessoas tivessem
> > saúde e disposição para trabalhar até os 100, provavelmente
> > não haveria mercado para todos. Com uma superpopulação de idosos,
> > a previdência social certamente iria quebrar. "Não adianta
> > chegarmos aos 200 anos se não resolvermos esses problemas", diz a
> > presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Silvia
> > Regina Mendes Pereira, que acha positivo o esforço dos cientistas
> > para evitar doenças como diabetes ou Alzheimer, desde que a qualidade
> > de vida seja encarada de forma global. "E isso passa por vários
> > aspectos. Um deles, sim, é a saúde, mas também há o
> > psicológico e o social."
> > >
> > > As transformações no mundo caso as pessoas passem a viver
> > décadas ou até séculos a mais são inevitáveis. Mas, para
> > De Grey, compensaria enfrentá-las. "Essas dificuldades não superam
> > os benefícios da eliminação de doenças relacionadas à idade,
> > como problemas cardiovasculares e câncer", afirma. Mesmo porque esses
> > problemas terão que ser pensados de imediato. Pois, antes mesmo das
> > pirotecnias científicas se tornarem realidade, a longevidade no mundo
> > só cresce. Para se ter ideia, vivemos 25 anos a mais do que um
> > século atrás. Nos países desenvolvidos, a expectativa de vida
> > aumenta cinco horas por dia. Ou seja, já há motivos suficientes
> > para a ciência se preocupar com os muitos que, em tempos anteriores
> > às pílulas que simulam fome ou injeções de enzimas e
> > células-tronco, fazem muito mais aniversários do que um dia nossos
> > avós jamais poderiam imaginar.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > O profeta da imortalidade
> > >
> > >
> > > O cientista do envelhecimento Aubrey de Grey afirma que, em 2030,
> > estaremos vivendo até os 130 anos. E que os homens que farão mil
> > aniversários já nasceram. A seguir ele conta como isso será
> > possível
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > * Por que envelhecemos?
> > > Aubrey de Grey: Porque o corpo humano, como qualquer máquina, causa
> > danos a si mesmo como efeito colateral natural de sua operação. Esse
> > prejuízo se acumula ao longo da vida. Por um longo tempo quase não
> > afeta a habilidade do corpo para funcionar, mas, eventualmente, provoca
> > doenças e incapacidade.
> > >
> > > * As pessoas que viveriam mil anos precisariam constantemente
> > substituir peças, como um robô?
> > > De Grey: De fato, a maior parte das técnicas serão compostas por
> > peças de substituição, mas a um nível microscópico. Em
> > alguns casos, podemos trocar órgãos inteiros. Porém, mais
> > frequentemente, serão células ou moléculas.
> > >
> > > * Mesmo pessoas sedentárias, com excesso de peso e estressadas
> > serão capazes de viver mais?
> > > De Grey: A medicina regenerativa vai permitir que as pessoas
> > ultrapassem por uma larga margem a longevidade que qualquer um consegue
> > atualmente, mesmo com a melhor vida possível, mesmo aqueles com uma
> > genética privilegiada. Então, sim, estas terapias irão
> > funcionar em todos, mesmo naqueles com um estilo de vida ruim.
> > >
> > > * Existe limite biológico para a vida dos seres humanos?
> > > De Grey: Há de fato um limite biológico para quanto tempo as
> > pessoas podem viver, porque certos aspectos do nosso metabolismo, como a
> > respiração, são inevitáveis e acumulam danos moleculares e
> > celulares. Porém, uma vez que se desenvolvam técnicas de
> > bioengenharia para reparar esses danos, não haverá mais limite
> > para a vida do homem.
> > >
> > > * Como lidar com as consequências sociais de se ter uma
> > superpopulação?
> > > De Grey: A eliminação do envelhecimento vai mudar o mundo. E
> > precisaremos agir diante de muitas dessas transformações. No entanto,
> > essas dificuldades não superam os benefícios da eliminação de
> > doenças como câncer e problemas cardiovasculares.
> > >
> > > * Viver mais significa viver melhor?
> > > De Grey: Não necessariamente. Mas o trabalho em minha fundação
> > de estudos em engenharia de rejuvenescimento, a Sens, foca em viver
> > melhor, ou seja, adiar o processo das doenças da velhice. A
> > longevidade será um efeito colateral: só ocorrerá porque as
> > pessoas serão mantidas saudáveis.
> > >
> > > * Você aplica técnicas de medicina regenerativa em si mesmo?
> > Já testou alguma?
> > > De Grey: Estou ansioso para me beneficiar destas terapias. Não
> > faço isso simplesmente porque, na prática, elas ainda não
> > existem.
> > >
> >
>


SUBJECT: Re: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo peskyano. - muita calma por favor
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:13

Olá Thiago

Grato pelos comentários.

Percebi que você está fazendo um trabalho (Filosofia não é Ciência?)
onde o significado de Método Científico me parece ser fundamental. O
link que forneci trata deste assunto de maneira a dissecar o método sob
vários aspectos. Não obstante o assunto é um pouco mais complexo. A
maioria dos filósofos da ciência da atualidade utiliza a expressão
«método científico» com uma conotação um pouco diversa. Isto é
apresentado num pequeno artigo (na realidade um editorial) que escrevi
posteriormente e intitulado «Os vários métodos científicos»:
http://ecientificocultural.com.br/ECC3/editor45.htm

> Acredito, por final, que não nos dissidimos em muitas coisas, pois uma
> grande parte dessa análise é empírica, não é?

Não sei se entendi esta sua colocação. Se você está se referindo ao
método como apresentei no primeiro link, parece-me que há um certo teor
de verdade neste empirismo. Ou seja, ao pensarmos no método como o
«caminho trilhado pelos cientistas», há muito de empirismo sim quando
caracterizamos este método. O filósofo que seguir por esta via muito
provavelmente utilizará a «regra da repetitividade» e, por conseguinte,
estará, a meu ver, produzindo ciência (no sentido restrito do termo).
Sobre certos aspectos, muito da epistemologia me parece ter sido
construída desta forma. Note, não obstante, que a filosofia é bem mais
abrangente, cabendo-lhe a conotação de ciência quando esta última for
pensada no amplo sentido (conhecimento atento e aprofundado de algo).

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.

***************************
-----Mensagem Original-----
From: Thiago Guimarães
Sent: Monday, April 02, 2012 10:16 PM
Subject: RE: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo
peskyano. - muita calma por favor

Caro Alberto,

Regozijei!

Tanta coerência (para além desta "racionalidade"), que ainda não havia
percebido em seu ninguém.
Este seu email está salvo na minha lista de preferidos! Vou comprar
todos os livros citados, ler os artigos e estudar estas teorias a fundo,
ao cerne da questão. Com isso fundamentar o trabalho "Filosofia não é
Ciência"? Sendo identificado a filosofia este próprio "amadorismo". Acho
que era bem isso que eu estive procurando... honestamente, inspirou-me!

Acredito, por final, que não nos dissidimos em muitas coisas, pois uma
grande parte dessa análise é empírica, não é?

Retiro-me da discussão pelo menos temporariamente, por uma questão de
dignidade, afinal há muito o que estudar e há tantos outros que não
querem compartilhar dessa objetividade.

Obrigado.

Thiago.



SUBJECT: RE: [ciencialist] O que podemos esperar da ciência? com Victor e Thiago
FROM: Thiago Guimarães <guimaraesbsb@hotmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:15

 
(Reflito, releio, repenso, refaço, faço por outro caminho, penso a mesma coisa de inúmeras formas, tantas quanto possíveis, e vejo e penso, talvez, nessa sutileza, num momento efêmero, o quanto podemos estar próximo da verdade epistemológica disto! É bem verdade que isto deveria ser melhor evidenciado, mas desde já é empírico!)
 
Obrigado por sistematizar este conhecimento, Calil!

 

To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
From: mtnoscalil@terra.com.br
Date: Tue, 3 Apr 2012 00:20:29 -0300
Subject: [ciencialist] O que podemos esperar da ciência? com Victor e Thiago

 
Prossigo neste proficuo debate  fazendo minhas colocações aqui em cima a respeito das 11 intervenções feitas por Victor e Thiago.
Gastei algumas horas para montar este texto.
Abraços
M.Calil
Good & Thanks.
 
Sobre a intervenção 2 de Victor.
 
a) Infelizmente os cientistas são tão sábios e humildes quanto todos os demais pobres mortais. Portanto não é nem a sabedoria nem a humildade que distingue os cientistas. Porque digo infelizmente? Porque eles são (ou seriam) as pessoas mais capacitadas para dar soluções aos problemas da humanidade até hoje não resolvidos.
b) Gostaria de saber como Einstein foi tão humilde como você afirmou. Preciso de uma prova eloquente, please!
c) Falamos de humildade e não definimos que signficado atribuimos ao termo. Humildade para mim é a capacidade de aceitar criticas, reconhecer os erros cometidos e corrigi-los. Segundo minhas pesquisas feitas com milhares de pessoas, a porcentagem de pessoas humildes é INFIMA. Existem duas razões principais que explicam essa estatistica trágica:  
c1. A dificuldade emocional e intelectual de reconhecer as próprias falhas
c2. A programação narcisica de personalidade que faz as pessoas adorarem os elogios (mesmo quando falsos) e fugirem da critica como o diabo foge da cruz.
 
Sobre a intervenção 3 de Thiago.
 
a) Você conhece um (apenas um) cientista vivo que fale português, inglês ou espanhol que não seja tecnocrata? Vou tentar fazer contato com ele para tirar a prova dos b) O que você quer dizer com a expressão "cientista magnata"?
 
Sobre a intervenção 5 de Victor
 
A responsabilidade sobre os destinos da humanidade é diretamente proporcional à concentração de poder, que está, como sempre esteve na mão dos politicos,
a classe mais desmoralizada dos habitantes da terra, a qual recebe suporte dos grandes grupos financeiros e empresariais que impõem a eles um sistema econômico selvagem cujo resultado é a brutal concentração de renda nas mãos de uma minoria. Na verdade os politicos de hoje não passam de fieis servidores do sistema econômico que privilegia os ricos. Vivemos sob  égide do capitalismo selvagem e hegemônico e sem qualquer concorrência. É o poder absoluto nas mãos dos mais legitimos representantes dos genes egoistas. Os banqueiros não passam de troglodistas "pós-modernos".  E não vão ser os neurocientistas que vão resolver este problema "mapeando o cérebro". É dificil acreditar que os neurocientistas acreditam mesmo que os problemas sociais da humanidade, derivados da agressão e do
egoismo genético vão ser resolvidos através do mapeamento do cérebro. E que fazem os cientistas? Assistem à tragédia humana sentados no camarote, recebendo seus honorários, ora das empresas farmacêuticas, ora do poder público. Do ponto de vista social são uma perfeita nulidade. Felizmente o avanço da medicina interessa também aos donos do poder e do dinheiro.
 
Sobre a intervenção 6 do Thiago.
 
Está na moda responsabilizar o povo pelas mazelas praticadas pelas elites. O povo é conduzido, manipulado, seduzido, corrompido, etc. por seus lideres, sendo que no topo da hierarquia estão as elites cultas.
 
Sobre a intervenção 7 do Thiago.
 
Faço minhas estas palavras do Thiago lembrando  outras palavras de Edgar Morin.
 
Thiago: -  "Mas sejamos honestos, existe realmente essa separação? Entre os "cientistas" (tecnocratas) e os "cientistas sociais" (outros tecnocratas)? Com raríssimas exceções, em grande parte, trata-se da  mesma coisa: a racionalidade política. O mundo da fabulação. O professor da universidade, encontra-se na sua zona de conforto e dá a sua aula, reclama da sociedade, recebe o seu salário. Mas em quê ele se preocupa de fato com a sociedade? Se não somente com a instituição a qual ele faz parte, e obviamente o seu emprego e o seu salário. Um digníssimo tecnocrata. A Universidade da cretinice" .
 
Edgar Morin: - Enquanto os mídias produzem a baixa cretinização a universidade produz a alta cretinização.
Sobre a intervenção 8 do Victor
 
a) Victor tem razão na sua critica. Eu errei quando disse que a ciência não deu nenhuma contribuição para a solução dos problemas sociais. Que bom que eu errei.
O erro não foi proposital, mas eu comemoro o erro para assim aproveitar a oportunidade e conclamar os 99% dos humanos que resistem tenazmente ao reconhecimento de seus erros a fazer o mesmo.  Vou agora corrigir, pois não basta admitir o erro: o essencial está na correção.
 
Os cientistas através de seu trabalho realmente fantástico têm contribuido (embora sem a intenção de) para melhorar a vida das pessoas, de inúmeras maneiras. Uma delas é a tecnologia aplicada à agricultura que produziu um aumento quântico na produção de alimentos. A área para a qual os cientistas não contribuem com nada é a econômica, de onde resultam os problemas sociais mais graves.

b) Já com relação a esta defesa dos cientistas feita pelo Victor,  não concordo, porque ele isenta os cientistas de sua responsabilidade social. Todos os cientistas, de qualquer área, tem uma responsabilidade a cumprir. Se os outros não cumprem, esse erro não justifica a omissão dos cientistas. Nós estamos num grupo de ciência e não de artes plásticas. (rsrsrsr)
 
 "Cientistas são apenas pessoas com a mente dirigida para um aspecto do conhecimento, como os políticos e os especialistas na área social o são para essas áreas"
 
Sobre a intervenção 9 do Thiago.
 
a) Com Tatcher, Keynes, Obama ou Berlusconi, o sistema capitalista está ferrando com a humanidade. Como o socialismo foi uma fantasia de Marx que acabou nas mãos do psicopata Stalin, ninguém sabe para onde caminha a humanidade. Na minha visão caminha para a beira do precipicio, mas isso não significa o fim do mundo.
 
b) Faço minhas essas palavras do Thiago, respondendo à colocação do Victor:
 
Victor: "o trabalho dos cientistas, a nível global, tem, sim, contribuído, de maneira vital, para o progresso social":

Thiago: Progresso social para quem? Para a ciência? Para os governos? Para o consumo? Para a sociedade? Para as pessoas (rarrarrarra)? Voltamos a questão da racionalidade política. - As mulheres se inseriram no mercado de trabalho por que elas quiseram ou por que isto era mais interessante para o mercado: mulheres também trabalhando nas fábricas

Sobre as intervenção 10 e 12 do Victor:
 
a) Politica é arte de administrar o bem comum em beneficio próprio. (essa definição é minha, tendo sido fruto simplesmente da inversão da fantasiosa e clássica definição, segundo a qual a politica seria a arte de administrar o bem comum em beneficio de todos, cujo autor não sei quem foi, mas ou era ingênuo ou demagogo).
Quem disse que Machiavel foi o fundador da ciência politica estava dormindo ou delirando. Maquiavel mostrou como se fazia a politica na sua época, o que fez maravilhosamente bem. (é bom avisar os raivosos que eu tenho o livro "O Principe" de Maquiavel na minha biblioteca).
 
b) Victor disse: "O cientista faz a ciência e a ciência faz o resto".
 
Perdão mas eu não entendi essa frase.
 
c) Sobre o que podemos esperar dos cientistas para a solução dos problemas da humanidade, deduz-se por esta sua intervenção, que não podemos esperar nada.
Isso não nos impede porém, de cobrar a responsabilidade social deles também e não apenas dos pseudo-cientistas, dos politicos e dos banqueiros predadores.
 
=============================================
1. Calil - Existem dois tipos de cientistas: o tecnocrático e o sábio. De cada 10 cientistas quantos são sábios e quantos são tecnocratas eu não
sei. Só sei que a sabedoria está acima da ciência, cabendo a todos os grandes cientistas que quiserem ser sábios, cultivarem a humildade, porque os sábios
são humildes.

2. Victor - Concordo com você. E comento, adicionalmente, que a sabedoria está acima de qq coisa. E não está vinculada a qq ramo específico do conhecimento. Há sábios que não sabem matemática, física, ou qq dessas coisas.  Que não leram Proust, JCC, meu ídolo Pirandello, o gênio Millôr Fernandes, Marx(chatíssimo e abusado) ou qq outro gigante intelectual. E quanto a serem humildes, os sábios o são em razoáveis por centos.  Einstein, que citou, era um sábio, Lorentz outro. E humildes até prá mais da conta. Alguns cientistas, como de resto outros pensadores de todas as demais áreas, podem ser arrogantes, pedantes, julgam-se donos da verdade, desprezam o restante dos mortais. São humanos, também, portanto... E, sei que todos eles seriam o que são se não fossem os geradores de conhecimentos que são, pois a sabedoria é intrínseca ao freguês, assim como a curvatura é intrínseca a uma bola de futebol, e extrínseca a um cilindro. Mas ser humilde não significa dar a outra face para bater. Podem vir umas pedradinhas de lá, também. Que ninguém é de ferro. Quer um exemplo? Vou citar o próprio Cristo, que deu a outra face, ao se deixar pendurar na cruz. Em compensação, em compensação, vingou-se: que não acreditar nele, tchau, inferno nele.

3. Thiago - A RACIONALIDADE POLÍTICA: Ouso falar que de cada dez cientistas, nove são tecnocratas. Os magnatas da ciência.

4. Calil: É óbvio que a tremenda evolução que a humanidade experimentou nos últimos 100 ou 200 anos se deve à ciência e aos cientistas que movem o mundo para a
frente enquanto os politicos movem o mundo para trás. Entretanto, nenhum cientista - nem o gênio do Einstein - conseguiu dar qualquer contribuição para a solução dos problemas sociais que envergonham a nossa espécie (des) humana.
5. Victor -  Sim, tecnologicamente falando. Em termos de essencialidades humanas, não. Os políticos tiveram sua parcela de responsabilidade nisso, claro.
Poi$ não se faz ciência $em verdinhas. Inve$timento$ direcionados, ei$ a que$tão.  Que saem de canetadas de políticos, em sua maioria. Não acho que os
políticos movam o mundo para trás, como regra. O que uma maioria faz com os cargos que lhes são confiados, usando estes poderes para saltarem quânticamente para dentro das cuecas, ou "esquecerem" certas ações e comando$,  são só os instintos(inconscientes...) em plena atividade, apenas os impulsos nossos de cada dia, liberados por força de seu voto e do meu. Dái-me poder e te direi quem sou, man. Nada demais, no quartel de Abrantes.  Felizmente, em minha opinião, alguns escapam. Daí que o mundo de hoje não ser o que era há centenas de anos. Tecnologicamente está bem, mas bem mesmo, à frente. Agora, socialmente,... Eis o Calil para deslindar e arrumar os "caras"; políticos e "cientistas" sociais, cujas orelhas é que deveriam ser puxadas. E não dos cientistas, que promovem conhecimento e avanços tecnológicos. O que move o ser humano, são duas coisas: o desejo de ganhar e o medo, tremendo, de perder. Sendo que o medo de perder tem um poder muito maior, como me sugeriu um amigo da família, certa ocasião. E nada se pode fazer para alterar essas circunstâncias. Em qualquer área em que estejamos inseridos.

6. Thiago - respondendo a esta colocação do Victor  : "Os políticos tiveram sua parcela de responsabilidade nisso, claro. Poi$ não se faz ciência $em verdinhas. Inve$timento$ direcionados, ei$ a que$tão. Que saem de canetadas de políticos, em sua maioria":-
Isto seria simplificar demasiado a questão, prezado amigo! Os políticos são eleitos e representam UM PROJETO DA SOCIEDADE. E qual o projeto que se tem hoje para a nossa sociedade? Cabe a reflexão. Não basta dizer que os políticos são corruptos, etc. É preciso saber: BRASILEIRO É UM POVO QUE A SI MESMO SE COMPREENDE MAL (desde a colonização portguesa) e a partir dai  refletir sobre estes reflexos (contextualmente! Sem disparates!).
7. Thiago - respondendo a esta colocação do Victor: " Tecnologicamente está bem, mas bem mesmo, à frente. Agora, socialmente,... Eis o Calil para deslindar e arrumar os "caras"; políticos e "cientistas" sociais, cujas orelhas é que deveriam ser puxadas. E não dos cientistas, que promovem conhecimento e avanços tecnológicos":
Mas sejamos honestos, existe realmente essa separação? Entre os "cientistas" (tecnocratas) e os "cientistas sociais" (outros tecnocratas)? Com raríssimas exceções, em grande parte, trata-se da  mesma coisa: a racionalidade política. O mundo da fabulação. O professor da universidade, encontra-se na sua zona de conforto e dá a sua aula, reclama da sociedade, recebe o seu salário. Mas em quê ele se preocupa de fato com a sociedade? Se não somente com a instituição a qual ele faz parte, e obviamente o seu emprego e o seu salário. Um digníssimo tecnocrata. A Universidade da cretinice.

8. Victor -  respondendo à colocação do Calil segundo a qual a ciência não deu qualquer contribuição para a solução dos problemas sociais:
Como não deu? Você releva, de maneira ingênua, o seguinte: de uma maneira não tão indireta, o trabalho dos cientistas, a nível global, tem, sim, contribuído, de maneira vital, para o progresso social. Se não fosse a ciência, você acha que estaríamos num estágio melhor que a dos Hunos, ou Lombardos? O estágio em que nos encontramos hoje é um resultado, direto, dos produtos ensejados pela ciência e seus cientistas. Seu trabalhos visa o todo. Embora não seja função do cientista cuidar dessas coisas, de maneira direta. Os efeitos sociais vêm a reboque. É assim que tem sido. Com qq tipo de ideologia presente. Devemos entender que o cientista é uma pessoa como outra qualquer, só tem a mais que eu ou você, o conhecimento específico e os trienamentos adequados para manusear armas teóricas e experimentais. E um emprego que não rende lá essas coisas. Sua carcaça mal pode com ele próprio e com a carga de responsabilidades que carrega, com as atividades que lhes são afeitas. Quanto mais com as inquisiqueiras sociais, inerentes ao ser humano, o que está embutido e codificado em seu inconsciente, como vós dizeis. Separar o joio do trigo nesse particular é bocado difícil. O cientista faz a ciência e a ciência faz o resto, como efeito colateral obrigatório e inescapável. É pouco ou quer mais? Particularmente considero que os problemas sociais, são infinitamente mais difíceis de resolver do que os assuntos de que tratam nossos cientistas;  Essas questões sociais são mais encrencadas que desvendar a organização do espaço e do tempo, ou criar modelos para descrição do cosmo, ou criar um novos formalismo matemáticos mais adequados na descrição de uma nova faceta do comportamento da Natureza, ou entender o apocalipse bíblico, essas coisas. A solução dos problemas sociais envolvem variáveis que nem no "bufete" se consegue controlar. Não depende apenas de um ou outro legislador, mas de todo um contexto bastante complexo. Cientistas são apenas pessoas com a mente dirigida para um aspecto do conhecimento, como os políticos e os especialistas na área social o são para essas áreas. Simples assim. Simples?

9. Thiago - A TECNOCULTURA: A tecnocultura está ai. Ela (e não a ciência exatamente) foi responsável pelo desenvolvimento da humaniadade,
nos últimos quinhentos anos (desde de Descartes), e do movimento Secularista. O surgimento do conceito de "bem estar social", de "bem viver", de "interrelacionar-se" é extremamente recente, de cem a duzentos anos para cá, economicamente representada (ou registrada) pela teoria econômica Keynesiana (versus) Thatcher (British) / Reagan (USA)

Thiago - respondendo a esta colocação do Victor: "o trabalho dos cientistas, a nível global, tem, sim, contribuído, de maneira vital, para o progresso social":
Progresso social para quem? Para a ciência? Para os governos? Para o consumo? Para a sociedade? Para as pessoas (rarrarrarra)? Voltamos a questão da racionalidade política. - As mulheres se inseriram no mercado de trabalho por que elas quiseram ou por que isto era mais interessante para o mercado: mulheres também trabalhando nas fábricas?
10. Victor -   Políticos e suas políticas, com as armas legais de que podem dispor e criar, é que têm a obrigação de, efetivamente, promover e executar o bem estar
social! Ou isto é ingênuo demais? Afinal, para ter sucesso, qq organização deve ser "departamentalizada", cada um desses departamentos com funções específicas, mas interagindo entre entre eles, sempre que possível, o que nem sempre o é, sobretudo em esferas onde a política e interesses pessoais são o pano de fundo a considerar.  Cientistas, do nível que você citou, e poderia citar outros, como o matemático e filósofo da altíssima craveira, o B.Russel,  como diria meu bom amigo português lá do trabalho, fizeram tudo que podiam fazer nesse mister: expor suas opiniões, alertar, falar, gritar, chiar.  Mas a sociedade em volta e seus políticos ligam para certos preceitos morais, venham de onde vieram, mesmo dito por eles,  ou por dirigentes de igrejas, quaisquer que sejam? Nem sempre, em geral, a menos que haja intere$$e$ envolvidos. Está bastante claro que as sociedades só entram nos "eixos", rumo a um estágio maior, quando o que se prega vem acompanhado de algumas leizinhas que sugerem cadeia braba, multas cabeludas e coisas que tais e, também, diria que principalmente, por imposição das modernizações tecnológicas, geradas por quem? Resposta: pela ciência através de seus cientistas.  O medo de perder, de ficar para trás, promove os ajustes pessoais e sociais, de maneira geral. And so on.

11. Calil - Como a ciência está cada vez mais dependente da tecnologia, e como os tecnologos em geral são tecnocratas, os problemas sociais vão continuar
sendo relegados pelos cientistas a segundo plano, sob o pretexto de quem estuda seriamente a origem da vida, a vida em outros  planetas e tantos outros assuntos relevantes para a ciência mas não para a  vida do homem, não tem tempo para se ocupar com questões sociais.

12. Victor - Particularmente, acho que os cientistas devem continuar tecnocratas. É melhor para a saúde da ciência. Devem ficar afastados dessas coisas
complexas, que são os problemas sociais. Claro ninguém está impedido de dar uma de Madre Tereza, eventualmente. Mas, por enxerimento. Podes crer, man.
Cada galho em seu macaco, como diria o sábio e humilde Sr. João da Pipoca, ali da esquina.

13. Calil: A defesa não corporativista da ciência começa com uma auto-critica.

14. Victor: Auto-crítica, em qq situação, seja pessoal ou corporativa, é sempre desejável. O corporativismo parece-me um componente inerente aos grupos
"departamentalizados". Não é exclusividade da ciência. Se bem que, em minha opinião, não há ali um corporativismo tipo existe nas igrejas, nos quartéis, na polícia, nos Congressos Nacionais, onde o grupo cuida de cada um dos seus. A não ser quando a imprensa põe a boca no trombone. Então, e só então, para salvação do todo, algumas partes têm que ser extirpadas. Não vejo como fazer comparações no meio científico. Geralmente, quando um erra, a ética interna fala mais forte. E, se houver
fraude, o que é raro, pois não se pode enganar aquilo que é apoiado na experimentação e por linguagem como a matemática que, num instante, descobre
o desvio, o cara estará ferrado e desacreditado.  Agora, sobre corporativismo, em geral, penso que, para nós, humanos que somos, quando o resultado de uma auto-crítica aponta mexer com o atual status social e financeiro, qdo ameaça alterar nossas prezadas comodidades do momento, aí, meu amigo, a porca torce o rabo.
Resistências, resistências a mudanças, eis a questão, eis a inércia do processo.  Ninguém topa sacrifácios, para atender aos apelos de São José do Bonifício.
Mudar paradigmas? Acontece que acaba mudando, depois, inclusive, de alguns tapas mesmo.  Assim caminha a humanidade. 

15. Thiago - Querido, essas questões precisam ser imbricadas e não existe relação de realidade nesta separação, se não uma pseudo-concretude total da coisa pensada - "Cogito Ergo Sum". Ou seja, do processo civilizatório.

 
 



SUBJECT: Re: [ciencialist] Você veio aqui para nos analisar? Calil, desligue o projetor!
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:25

:-)

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.

*****************************
-----Mensagem Original-----
From: Mtnos Calil
Sent: Tuesday, April 03, 2012 12:47 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta

Quando você responder a uma mensagem, não coloque o texto da mensagem
que
você está respondendo.
Coloque apenas o número.
As razões psicológicas inconscientes desta norma de conduta só mesmo
Freud
para explicar.
Talvez seja uma regressão para o tempo antigo, pois quando alguém
escrevia
uma carta, não colocava no correio a carta à qual estava respondendo.
Abraços
Good & Thanks
Mtnos Calil

----- Original Message -----
From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Tuesday, April 03, 2012 2:55 AM
Subject: Re: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.


> -----Mensagem Original 81174-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Monday, April 02, 2012 6:00 AM
> Subject: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.
>
> Cruz credo!!! Quanta projeção! Tenha bons sonhos com Freud e ficarei
> na
> torcida para que ele consiga te ajudar.
>
> [ ]´s
> Alberto
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.



SUBJECT: Evolucionismo com e sem ideologia - calma Homero.
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:40

Prezado Homero.
Agradeço por sua paciência  e pelo excelente conteúdo da sua mensagem, deixando de lado, é claro as agressões freudianas a mim dirigidas, as quais nem cócegas fazem mais.
 
Se eu não tivesse cometido a falácia apontada por você, não teria recebido este feed-back que acredito ser importante para outras pessoas do grupo.
É este seu espirito não individualista que o Alberto precisa assimilar.  Mas para isso ele precisa tratar do narcisismo.
 
Vamos agora ao "evolucionismo".  Ismo é o sufixo identificador das ideologias. Podemos então dividir os evolucionistas em duas categorias:
 
a) Ideólogos do evolucionismo
b) Cientistas do evolucionismo
 
Pelo que entendi da sua mensagem, os cientistas do evolucionismo admitem que a evolução caminha em qualquer direção, inclusive para trás podendo a humanidade, estar hoje marchando em direção à beira do precipicio, como sugere meu pensamento falacioso.
 
A evolução não significa progresso, e entendemos perfeitamente bem que não há nem direção, nem "superioridade" intrínseca nos resultados, espécies, da evolução. Toda espécie viva hoje é "tão evoluida" quanto nós, pois passou pelos processos de adaptação ao seu ambiente da mesma forma, e se ajustou a ele da mesma forma. - Homero.
 
Um exemplo de ideólogo evolucionista: Steven Pinker quando afirma que antes de mais nada é preciso mapear o cérebro para se encontrar uma solução para o problema da agressão humana.  (isto não significa que o pensamento de Steven Pinker é todo contaminado por ideologias; pelo contrário - são poucas as passagens do livro Como a mente funciona (mais de 600 pags.) perturbadas por ideologias.  Todo e qualquer pensador que está convencido de que a evolução conduzirá o homem a um final feliz, é um ideólogo do evolucionismo que navega nas águas do mito salvacionista.
 
Me diga agora por favor quais as falácias ou bobagens que falei, inclusive nos ps.
 
Obrigado
M.Calil
 
Ps. Outro exemplo de ideólogos ( evolucionistas) são os neurocientistas que falam bobagens como essa:
 
"A neurociência descobriu, por exemplo, que os sonhos têm mais a ver com a memória do dia anterior do que com desejos reprimidos". Renato Sabbatini, Unicamp.
 
Ora bolas, não há contradição alguma entre memória e desejo: pelo contrário - desejos não satisfeitos podem ficar arquivados para sempre na memória.
A descoberta mais elementar de Freud em relação aos sonhos é que eles expressam desejos. Como o sonho é uma forma de pensamento, e como nós pensamos
em desejos , nada mais óbvio que sonhemos "realizando" desejos. De tanto falar para o Pesky sonhar com o Freud, acabei hoje sonhando eu. Freud interpretaria este sonho da seguinte maneira: como o meu desejo de que o Pesky sonhasse com o Freud não foi atendido, sonhei eu - através do meu sonho realizei o desejo que a abelha aborrecida não atendeu. Capici?
 
E fica assim...: " neurociencia descobriu..."
Espero que um dia a neurociência descubra também o narcisismo dos neurocientistas.
 
 
 

 
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Tuesday, April 03, 2012 11:48 AM
Subject: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 

Marcell: "Que tal todos deixarem estes "mimos" de falarem de fulano ou ciclano (ou seus comentários) de lado? Vamos respeitar as diferenças! Vamos focar no conteúdo e menos em quem está escrevendo. "

Concordo plenamente. Por isso disse com clareza o que acho dos textos do Mtnos. Não é pessoal, nada tenho contra ele (nem estou pretendendo disputar poder.:- ), apenas penso que seu texto é incoerente, vazio, sem propósito ou conteúdo, com muitas falácias e erros de compreensão e distorções das ideias debatidas. Repito, não é pessoal, é minha avaliação dos textos e discussões propostas.

Um exemplo, que deve servir de base de análise:

Mtnos: "Pelo que estou percebendo, quase todos os evolucionistas são movidos por uma fé salvacionista. 
Nem poderia ser diferente pois o "evolucionismo" supervaloriza a evolução, como se ele se ela processasse  numa curva eternamente ascendente, ainda que em velocidade muito inferior a das tartarugas. "

Falácia de espantalho. Nenhum, ou melhor praticamente nenhum, evolucionista, cientista, biólogo, etc, pensa que esta se processe em "curva ascendente", ou que significa "progresso, ou que, e essa é até difícil de entender, "salvacionista". A evolução não significa progresso, e entendemos perfeitamente bem que não há nem direção, nem "superioridade" intrínseca nos resultados, espécies, da evolução. Toda espécie viva hoje é "tão evoluida" quanto nós, pois passou pelos processos de adaptação ao seu ambiente da mesma forma, e se ajustou a ele da mesma forma.

Essa falácia, esse erro/distorção sobre o entendimento da evolução por parte dos cientistas é tão crasso, que impede que o debate se estenda, sem ser preciso antes desfazer todo engano, de novo, e de novo. E de novo.

Não há "curvas ascendentes" na evolução, há um degrade, lento, mas que pode se estender para qualquer direção, complexidade ou simplificação (estudar a evolução de parasitas ajuda a entender melhor). A metáfora da ladeira, talvez uma confusão com o "monte improvável" de Dawkins, nada tem a ver com ser uma curva de "superior/inferior". 

Todo texto sofre desses erros e distorções. E o que cansa é ter de explicar toda base de cada assunto (como no caso da evolução) a quem, arrogantemente, se recusa a primeiro estudar o assunto, se colocando como "revolucionário e desbravador" de novas fronteiras do conhecimento humano. Cansa. 

Para refutar Einstein, é preciso estudar física de forma profunda. Idem para atacar a evolução, ou qualquer outra área do conhecimento científico. Não será com "ideologias zero" e uma profunda incompreensão do assunto que se fará isso.

Repetindo, nada pessoal, nada contra o Mtnos ou quem quer que deseje debater, mesmo com novas e espantosas ideias, qualquer assunto. Minha posição pessoal é contra o conteúdo, ou falta de, dos textos apresentados para debate. Não tem nada lá. Apenas erros e enganos, falácias diversas e bastante pretensão.

Não conheço o Mtnos, e nada tenho contra ele..:-)

Um abraço.

Homero

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009" <marcelleandro2009@...> escreveu
>
>
> Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual. Eles pensam
> que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles?
>
> Que tal todos deixarem estes "mimos" de falarem de fulano ou ciclano (ou
> seus comentários) de lado? Vamos respeitar as diferenças! Vamos
> focar no conteúdo e menos em quem está escrevendo. Isto vale para
> todos! Ok?
>
> Mtnos seus textos já estão no padrão, caixa baixa, evite mudar
> os títulos dos debates, e não escorregar muito no tema da lista.
> Esta corzinha azul em negrito (muito carregado), só por Deus! Mas
> tudo bem!
>
> De resto, òtimo! Agora vamos tocar o barco e não prolongar mais
> ainda isto! Ok? Acabou, chega, ponto final, zéfini...!
>
>
> Marcel
>
>
>
>
>
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" mtnoscalil@
> escreveu
> >
> > Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual. Eles
> pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas
> eles não os donos do pedaço??
> >
> > Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de
> agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
> >
> > Veja:
> >
> > "sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem
> lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância,
> usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de
> conteúdo.»
> >
> > Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O
> camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com
> centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre
> livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos
> assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a
> partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo
> 14 horas por dia para leitura e redação.
> >
> > Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight:
> antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia
> linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé,
> classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e
> indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai
> começar das notas e referências bibliográficas.
> >
> > Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou
> radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que
> retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
> >
> > Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes
> surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este
> fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
> >
> > Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de
> segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre
> grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos
> primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de
> instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha,
> camarada!
> >
> > Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a
> inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi
> sobre inveja para você examinar.
> >
> > Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos.
> Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido
> crédito, no interior da publicação.
> >
> > O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um
> livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior
> fábrica de feed-back que já vi na vida! Não dá pra
> entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
> >
> >
> > Good & Thanks
> > Mtnos Calil
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > ----- Original Message -----
> > From: Pesky Bee
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
> > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> natureza - com Pesky
> >
> >
> >
> >
> > Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique
> insuflado.
> >
> > (...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
> > me pedir para eu não dar trela para ti...)
> >
> > *PB*
> >
> >
> >
> > From: Mtnos Calil
> > Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> natureza - com Pesky
> >
> >
> >
> >
> > Nossa Bee!
> > Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique
> insuflado.
> > Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
> > Por exemplo: o meu anti-pensamento proporciona, por acaso, o beneficio
> de estimular o pensamento de algumas pessoas.
> > Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas
> isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
> >
> > Good & Thanks
> > Mtnos Calil
> >
> > Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem o
> narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as
> ideologias).
> > Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma
> forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por
> exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e
> Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas
> contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein???
> Que seleção desnaturada é essa?
> >
> > Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma das tônicas da linguagem dos
> ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou
> melhor, deste bem.
> > Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso
> para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha
> aborrecida.
> >
> >
> >
> >
> > ----- Original Message -----
> > From: Pesky Bee
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
> > Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por
> natureza - com Homero eAlberto.
> >
> >
> >
> > Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
> > É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
> > e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
> > pensar também (que é o lado positivo dessa história).
> >
> > *PB*
> >
> >
> >
> > From: Mtnos Calil
> > Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza -
> com Homero e Alberto.
> >
> >
> >
> >
> > Prezados amigos e ferrenhos opositores.
> >
> > Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas
> ansiedades.
> > Mas a experiência está revelando que elas não estão
> conseguindo atingir esse objetivo.
> > Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo
> vocês perderem seu precioso tempo.
> >
> > Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois
> ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para
> todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática
> também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de
> mente achatada) existem neste mundo!
> >
> > Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
> > Outros vieram para servir.
> > Outros vieram para serem servidos.
> > E outros ainda vieram para ficar admirando a própria imagem
> refletida nas águas do narcisismo.
> >
> > Abraços
> > Mtnos Calil
> >
> > Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com
> o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte
> existem outros chatos
> > nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de
> personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres
> habitando este planeta.
> >
> > Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta
> chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena
> perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês.
> Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar
> do mal. Assim o mal se duplica!
> >
> > Ps3. O que parece irreverência no que escrevo, é apenas um
> "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
> >
> >
> > ----- Original Message -----
> > From: Homero
> > To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> > Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
> > Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
> >
> >
> > Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
> > outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo.
> Não
> > procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a
> pretensão de
> > ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que
> o
> > Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é
> um «chato de
> > galochas». "
> >
> >
> > Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma
> ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma
> conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de
> falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que
> deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
> >
> > Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem
> conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou
> coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando
> citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de
> conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o
> que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir
> listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente
> adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja
> assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem
> só.:-).
> >
> > Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência"
> com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero,
> que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha
> personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais
> intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
> >
> > Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e
> críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base,
> evidências e argumentos sólidos.
> >
> > Homero
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> >
> > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho"
> albmesq@ escreveu
> > >
> > > -----Mensagem Original-----
> > > From: Mtnos Calil
> > > Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> > > Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
> > >
> > > > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação
> lógico-cientifica. Uma
> > > > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu
> ofendido
> > > > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de
> defesa.
> > >
> > > OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas
> você já disse
> > > isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que,
> se
> > > alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se
> não acredita,
> > > da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com
> ele. Eu não me
> > > senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna
> que
> > > você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já
> expus, em outras
> > > msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou
> de
> > > outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo.
> Não
> > > procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a
> pretensão de
> > > ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar
> que o
> > > Tesla não está totalmente errado quando afirma que você
> é um «chato de
> > > galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de
> outros
> > > queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS
> SENHORES
> > > MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL
> SOB
> > > MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra
> providência para acabar
> > > com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
> > >
> > > Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das
> threads com
> > > tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta,
> se é que
> > > você sabe o que isto significa.
> > >
> > > Fui
> > > Alberto
> > > A netiqueta acima de tudo
> > > http://ecientificocultural.com.br
> > > Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga
> elétrica
> > > coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
> > >
> >
>


SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: Belmiro Wolski <belmirow@yahoo.com.br>
TO: "ciencialist@yahoogrupos.com.br" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:41

 
   VOU ORAR POR VOCÊ IRMÃO!!!! ALELUIA!! TÁ PRECISANDO.
 
   Eu.
 
 

De: Mtnos Calil <mtnoscalil@terra.com.br>
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Enviadas: Terça-feira, 3 de Abril de 2012 0:00
Assunto: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 
Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual.  Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas eles não os donos do pedaço??
 
Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
 
Veja:
 
"sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo 14 horas por dia para leitura e redação.
 
Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight: antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé, classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai começar das notas e referências bibliográficas.
 
Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
 
Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
 
Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha, camarada!
 
Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi sobre inveja para você examinar.
 
Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos. Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido crédito, no interior da publicação.
 
O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior fábrica de feed-back que já vi na vida!  Não dá pra entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
 
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
 


 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 
Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 
Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "
 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Você veio aqui para nos analisar? Calil, desligue o projetor!
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:44

Olá Alberto...
Você está dividido, como todo o mundo em múltiplos egos.
Um deles não resiste em falar comigo.
Que tal uma conversa por telefone?
Me dê um fixo que eu ligo para você.
Abraços
M.Calil

Ps. Eu só uso a análise freudiana não ortodoxa, para me defender, viu cara
pálida? Tolerarei por alguns minutos sua fúria narcisica para em seguida
conversarmos.

----- Original Message -----
From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Tuesday, April 03, 2012 2:25 PM
Subject: Re: [ciencialist] Você veio aqui para nos analisar? Calil, desligue
o projetor!


> :-)
>
> [ ]´s
> Alberto
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>
> *****************************
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Tuesday, April 03, 2012 12:47 PM
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Subject: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta
>
> Quando você responder a uma mensagem, não coloque o texto da mensagem
> que
> você está respondendo.
> Coloque apenas o número.
> As razões psicológicas inconscientes desta norma de conduta só mesmo
> Freud
> para explicar.
> Talvez seja uma regressão para o tempo antigo, pois quando alguém
> escrevia
> uma carta, não colocava no correio a carta à qual estava respondendo.
> Abraços
> Good & Thanks
> Mtnos Calil
>
> ----- Original Message -----
> From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
> To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Sent: Tuesday, April 03, 2012 2:55 AM
> Subject: Re: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.
>
>
>> -----Mensagem Original 81174-----
>> From: Mtnos Calil
>> Sent: Monday, April 02, 2012 6:00 AM
>> Subject: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.
>>
>> Cruz credo!!! Quanta projeção! Tenha bons sonhos com Freud e ficarei
>> na
>> torcida para que ele consiga te ajudar.
>>
>> [ ]´s
>> Alberto
>> http://ecientificocultural.com.br
>> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
>> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>
>
>
> ------------------------------------
>
> ##### ##### #####
>
> Página de apoio
> http://www.ciencialist.com
>
>
> ##### ##### ##### #####Links do Yahoo! Grupos
>
>
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Outra vez, Calil? Muda o disco.
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:47

;-)

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.

******************************************
-----Mensagem Original 81240 <-- Freud explica-----
From: Mtnos Calil
Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:12 PM
Subject: [ciencialist] Definição de ciência, método e metodologia -
Participe! - Brainstorm.



SUBJECT: RE: RES: [ciencialist] ESQUIZOFRENIA TERRITORIAL com Thiago.
FROM: Thiago Guimarães <guimaraesbsb@hotmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:48

Respondendo...
 
Prezado Calil,
O Victor está "certo" (como se houvesse certo ou errado, quando na verdade não há, pois tudo é isso é uma abstração). Ele está sendo honesto. Esta é a realidade que se vive. Um pragmatismo utilitarista e instrumental (em Max Horkheimer - O Eclipse da Razão, 1955).
 
Você, como se propõe a ser um "transformador", deve saber: 
- Não podemos ficar com os achismos. Se se quer mudar uma realidade, é preciso compreendê-la. Não se pode ser realista em relação àquilo que não se conhece.
 
Para retormar, em Milton Santos, não sei qual foi a primeira vez que ele usou este termo "Esquizofrenia do território", mas tomei conhecimento em: Por uma Outra Globalização, do pensamento único à consciência universal. 2002. Editora Hucitec.
 
"O território acaba esquizofrênico, porque nele existem vetores da globalização, que impõem uma nova ordem, e vetores da contra-ordem, baseada na exclusão social. [....]  A perversidade da globalização se revela na medida em que seus benefícios não atingem sequer um quarto da população mundial, ao custo da pauperização de continentes inteiros. Vista como possibilidade para o futuro, ela passaria a empregar as técnicas de forma mais solidária, de modo a derrubar o globalitarismo -- termo cunhado por Milton que agrega ao conceito de globalização a noção de totalitarismo."
Fonte: (http://www.ufpe.br/revistageografia/index.php/revista/article/viewFile/280/217)
 
- "Empregar as técnicas de forma mais solidária, de modo a derrubar o globalitarismo"
Como se vê, em Milton Santos, isto é um trabalho para a ciência. Estas coisas estão imbricadas e são imantentes! Não é um trabalho para a filosofia. A filosofia, na melhor das hipóteses, pode mostrar um caminho possível.
 
 
Thiago.
Agora, um eterno "AMADOR", graças ao Professor Alberto. (Obrigado, quanto mais estudo, mais me espanto com as pessoas).
 
 
 
 

To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
From: j.victor.neto@uol.com.br
Date: Tue, 3 Apr 2012 11:13:16 -0300
Subject: RES: [ciencialist] ESQUIZOFRENIA TERRITORIAL com Thiago.

 

Não, Calil,  isto não é verdadeiro, é uma tremenda bobagem:   “ ... a definição de ciência pertence ao campo da filosofia, cada um tem a sua.

 

Filosofia não serve para essas coisas, filosofia não resolve nada de ciência.  E duvido que sirva, objetivamente, para mais nada.  Filosofia tem uma base essencialmente subjetiva, e nunca vai passar disso.

Ciência é essencial e inexoravelmente objetiva, objetiva e objetiva. Em ciência não há espaço para o eu penso e eu acho, para a filosofia, ou outras inutilidades do tipo.

Ciência é tudo que se pode medir com réguas e relógios. Cada definição que não “amarre”esta definição, e dê margem a subjetivismos, não é uma definição correta.

Esta definição é simples, e é mais, muito mais,  que metafórica;   mas encerra tudo, como decorrência do método científico.

Poderia escrever páginas expandindo o significado dessa conjunção de palavras. Mas não o farei por julgar assunto conhecido por quem, realmente, trata dessas coisas.

Agora, medidas sempre são exatas? Não. Nem que a vaca tussa. Mas isso é outra coisa.

Estou chegando à conclusão de que este seu livro, se escrito nas bases que vem pregando, irá bater um recorde. Será  como a ideologia zero.

Sim muito, amigo. Aliás, quer saber?, sinto não.

 

Victor.  

 

De: ciencialist@yahoogrupos.com.br [mailto:ciencialist@yahoogrupos.com.br] Em nome de Mtnos Calil
Enviada em: segunda-feira, 2 de abril de 2012 15:04
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Assunto: [ciencialist] ESQUIZOFRENIA TERRITORIAL com Thiago.

 

 

Eu não sabia que o Milton Santos usou essa expressão.

Preciso achar este texto. Você tem aí? Ou sabe o link?

Abraços

M.Calil

 

Ps1. Como a definição de ciência pertence ao campo da filosofia, cada um tem a sua.

A qualquer hora vou inventar a minha. Você recebeu minha mensagem que apresenta vários conceitos e definições de ciência?

 

Ps2. Esquizofrenia social, esquizofrenia linguistica, esquizofrenia evolutiva, esquizofrenia territorial.

 

Ps3. O TERMO ESQUIZOFRENIA APLICADO AO MUNDO SOCIAL É UMA NOVIDADE SUBVERSIVA.

Eu adoraria que você selecionasse textos dos filósofos que falam sobre as loucuras do homem. Assim colocariamos no livro um capítulo de sua autoria.

 

 

 

----- Original Message -----

Sent: Monday, April 02, 2012 12:05 PM

Subject: RE: [ciencialist] Cerebrismo com JVictor

 

 


Calil,
"Filosofia da ciência" já existe, mas este mundo é um mundo de "fabulações" (Milton Santos). E nisto ele (o Milton) aprofundou os estudos na geografia, a que ele chamou de "esquizofrenia do território".
Isto não é novidade, há milhares de estudos sobre isso, desde Durkeheim, Max Weber, entre outros.
 
Embora a ciência tenha se emancipado, em grande parte, das ideologias religiosas, ela mesma se aprisionou, por um lado, aos formalismos acadêmico-científicos, às comunidades científicas, e por outro (o mais pesado), ao pragmatismo de mercado e às razões instrumentais utilitaristas.

 


- Que é ciência?
 
 
Thiago. 

 


To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
From: mtnoscalil@terra.com.br
Date: Mon, 2 Apr 2012 06:14:00 -0300
Subject: [ciencialist] Cerebrismo com JVictor

 

Olá JVictor.

 

O cerebrismo é um neologismo provisório para desginar a ideologia que está no cérebro daqueles que acham que a salvação dos problemas da humanidade depende basicamente do mapeamento do próprio cérebro.

Eu digo que todas as ciências estão contaminadas com ideologias e um dos capitulos do Ideologia Zero será dedicado a estas ideologias: cerebrismo (termo provisório), biologismo, fisicismo, antropologismo, economicismo, psicologismo, sociologismos, politicismo, etc. e tal.

 

Quanto ao OBJETIVO da ciência, o tema faz parte da  desafortunada  "filosofia da ciência". Na sua opinião a ciência só tem por objetivo descrever o comportamento da natureza. Na minha visão essa opinião é tecnocrática, na medida em que postula a não intervenção nas relações socais  humanas visando contribuir para o processo civilizatório de nossa espécie que segundo alguns corre o risco até de se auto-destruir se não contiver seus (dela) impetos esquizofrênicos.

 

Abraços

 

Mtnos Calil

 

Ps. A solução dos problemas da humanidade depende da consciência sendo duplo o significado desta palavra: um é relativo à percepção de si mesmo como ser pensante e falante e outro é relativo à ÉTICA. (consciência moral). Como os genes são egoistas por natureza, a ética está em mau lençóis, perdida no meio de milhões de sinapses. Se a ciência não tomar nenhuma providência a respeito, ela vai junto com a humanidade para a beira do precipicio.

 

 

 

 

 

 

----- Original Message -----

From: JVictor

Sent: Monday, April 02, 2012 2:24 AM

Subject: RES: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

 

 

O cerebrismo é uma ideologia que imagina que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro.”

 

Victor: Desculpe-me, mas esta foi demais. Não existe algo como “cerebrismo”. E o trabalho de cientistas, buscando mapear o cérebro, tem a finalidade de compreendê-lo um pouco melhor, sobretudo do ponto de vista de constituição biológica. Compreender como suas partes constituintes se relacionam e respondem a estímulos, como num circuito eletrônico por exemplo. As essencialides, meeesmo, ficam por conta da religião e da filosofia, que sabemos servem prá nada, nesse mister. Prevenir doenças relacionados ao cérebro, ou tratar delas, é a principal meta. Cientista nenhum é ingênuo o suficiente para acreditar que uma bobagem dessas, “que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro”, seja possível.  Os problemas sociais têm a ver com o “software” associado ao” hardware” cérebro, software que define a natureza humana, como a pobreza, a ignorância e o descaso governamental e suas políticas interesseiras e incompetentes.

Cientista nenhum estuda modelos para o cosmo objetivando entender as essencialidades da Natureza, esperando que, compreender o instante do big bang,por exemplo,  possa avançar e compreender como era antes dele e, se assim acontecer, “abiscoitar”  a natureza intrínseca do universo, sua finalidade(para mim inexiste isso) e a própria mente de Deus, como disse Hawking, numa chacota metamofórica. O objetivo, em ciência, é só um: descrever o comportamento da natureza, em qq de seus aspectos, da melhor e mais coerente maneira. O que já é muito, para o alcance e desenvolvimento( upgrades) de nosso software. Consciência é um  dos módulos do programa, o principal. Sem esse módulo,  não estaríamos tendo essas conversas. Existir, sim, poderíamos. Saber disso, já é outra coisa.  

Se fosse possível, até que faria um upgrad do meu software cansado de guerra. Mas...

Sds,

Victor.

De: ciencialist@yahoogrupos.com.br [mailto:ciencialist@yahoogrupos.com.br] Em nome de Mtnos Calil
Enviada em: domingo, 1 de abril de 2012 19:02
Para: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Assunto: Re: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

Você entendeu mal Roberto.

É óbvio ululante que a Evolução existe.

A ideologia não está na evolução e sim na maneira com que alguns evolucionistas olham a evolução.

Existem dois modos de se olhar a evolução: o modo ideológico e o modo cientifico.

O cerebrismo é uma ideologia que imagina que todos os problemas sociais do homem  vão ser resolvidos com o mapeamento do cérebro. Existem cientistas que não foram vitimados pelo cerebrismo. Felizmente a ideologia é uma doença que não atinge todos os mortais.

(só 95% - rsrsrs)

Abraços

M.Calil

Ps. Quanto aos capitalistas eu não sei o que eles pensam a respeito da evolução. Me parece que eles estão preocupados com outras coisas mais pragmáticas. Os empresários não aprenderam ainda que uma empresa pode ser administrada cientificamente, embora façam uso de um monte de técnicas cientificas para promoverem seus negócios no mercado.

Mas seria interessante algum evolucionista explicar como a seleção natural levou à criação de empresas, que eu considero um modelo excelente de organização social do trabalho.

A empresa como estrutura organizacional não depende ser ou não capitalista. Inclusive Peter Drucker disse, na 1a. metade do século XX  que não é objetivo da empresa ter lucro.

(para ele lucro é uma decorrência óbvia da atividade empresarial).

----- Original Message -----

From: roberto

Sent: Sunday, April 01, 2012 10:07 AM

Subject: [ciencialist] Re: Dia de reflexão - Primeiro de Abril

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Mtnos Calil" <mtnoscalil@...>
> Como hoje é primeiro de abril, a sua mensagem ficou marcada pela
> ambiguidade. Mesmo assim lhe pediria que apresentasse apenas um
> conceito que você revisou.

O de que a evolução biológica ocorra. Trata-se, na verdade, de uma ideologia dos cientistas materialistas, como o aquecimento global antropogênico é uma ideologia neocapitalista (que visa a deter o crescimento dos países pobres).

[]s,

Roberto Takata

 

 



SUBJECT: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:51

É assim que funciona o contraditório, cara pálida Pesky.
 
Depois desta enxurrada de contraditórios, eu vou ler todas as criticas às bobagens e falácias que eu falei e fazer a seleção, inclusive das criticas equivocadas. O que não consigo entender é por que tantas pessoas dão tanta trela a quem fala tantas bobagens.
Cê tem alguma explicação para isso?
Todas as bobagens que eu falei serão publicadas na versão eletrônica do livro para mostrar como até as bobagens alimentam os cérebros bem dotados.
 
Abraços
M.Calil
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:28 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 

Coincidência, Alberto! Também tenho-o em grande consideração.
Mas no caso do Calil, confesso que tenho especial tara por
"pensadores beeem diferentes", pois muita coisa boa acaba
surgindo quando pensamos em como não nos deixar levar
por aquilo que eles falam ;-)
 
*PB*
 
 
-----Mensagem Original-----
From: Alberto Mesquita Filho
Sent: Monday, April 02, 2012 10:08 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 
-----Mensagem Original-----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza -
com Pesky
 
> Abelha desvairada: (...aposto que muitos da ciencialist devem estar
> loucos para me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
Não é o meu caso. Embora não seja frequente dialogarmos, em virtude de
nossas áreas de atuação não convergirem, tenho-o em grande consideração
e estima e não vejo impropérios em suas msgs, mesmo quando discute com
indivíduos que não agem em reciprocidade e/ou, como já citaram aqui,
enviam msgs «sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem
lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando
citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Agindo desta forma, dê trela a quem quiser e aguente o tranco. Ou então
fique na troca de amabilidades o que, a meu ver, não chega a atrapalhar
muito o andamento do grupo mesmo porque essas fases de «namoro» são
passageiras.
 
[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
 
 
 
------------------------------------
 
#####   #####   #####
 
Página de apoio
http://www.ciencialist.com
 
 
#####   #####   #####   #####Links do Yahoo! Grupos
 
<*> Para visitar o site do seu grupo na web, acesse:
    http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/
 
<*> Para sair deste grupo, envie um e-mail para:
    ciencialist-unsubscribe@yahoogrupos.com.br
 
<*> O uso que você faz do Yahoo! Grupos está sujeito aos:
    http://br.yahoo.com/info/utos.html
 


SUBJECT: Re: [ciencialist] O determinismo evolucionário - Uma ideologia que afetou amente de muitos cientistas.- CÊ VIU HOMERO?
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 14:56

VIU HOMERO?
 
Se existem até religiosos evolucionistas, então como fica agora a sua critica à minha falácia?
Terá sido uma falácia da falácia? Espero que não: meu narcisismo foi aposentado há muito tempo, ou melhor : foi ZERIFICADO.
 
Good & Thanks
MC - Ideologia Zero e Filosofia T (T de transformação: para sobreviver nada melhor do que se transformar)
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:32 PM
Subject: Re: [ciencialist] O determinismo evolucionário - Uma ideologia que afetou amente de muitos cientistas.

 

Pelo que estou percebendo, quase todos os evolucionistas são movidos por uma fé salvacionista
 
Calilzão, todos os evolucionistas que conheço são movidos
por curiosidade científica. E já ouvi falar de alguns
evolucionistas que são até mesmo fervorosos ativistas
religiosos. Evolução é só mais uma das (grandes) disciplinas
científicas com imenso poder explanatório e cabais evidências
em seu suporte.
 
E tem outro detalhe importante: evolução é teoria científica
explanatória, e não normativa ou prescritiva. Todos os malucóides
que se aventuraram a usar a evolução como "receita de bolo" para
"moldar uma sociedade" acabaram fazendo uma imensa papa de
intragável aspecto, odor e consistência fecaminolenta (ai, ai,
que esforço faço para falar bonitinho!).
 
*PB*
 
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 5:53 PM
Subject: [ciencialist] O determinismo evolucionário - Uma ideologia que afetou a mente de muitos cientistas.
 


VERY GOOD QUESTION, MY PESKY BEE.  "... quem são esses "deterministas evolucionários"?
 
Pelo que estou percebendo, quase todos os evolucionistas são movidos por uma fé salvacionista.
Nem poderia ser diferente pois o "evolucionismo" supervaloriza a evolução, como se ele se ela processasse  numa curva eternamente ascendente, ainda que em velocidade muito inferior a das tartarugas. Enquanto isso o "criacionismo" e outras formas de fundamentalismo, vão proliferando na nação mais rica e poderosa do planeta: os EUA.
 
O que não falta neste mundo são os deterministas. Eles estão em todos os lugares. São fanáticos angustiados pela verdade dos fatos. Alguns deles afirmam: a ciência só lida com "fatos". Fato é palavra muito vulgar para a ciência e dá a entender que são "coisas" visiveis. Sugiro usarmos o termo "processo" no lugar de fatos.
Aí ficaria assim: a ciência só lida com processos. Ou: o objeto de estudo da ciência são os processos. Ok, mas este não é o único objetivo do estudo da ciência.
A descrição dos elementos que compõem um grão de areia, não importando o processo em que eles estão metidos, também é " objetivo" da ciência.
Até aí  os factotum da ciência podem ficar tranquilos. A encrenca deles começa com os processos invisiveis e que não podem ser "experimentados".
O experimentalismo é um exemplo de determinismo (ideológico). Um dos sintomas do determinismo é o delirio da "solução de problemas". Porque delirio?
Porque existem os pseudo-problemas que a ciência não pode identificar. O simples fato de palavras como "fatos e problemas" serem essenciais ao vocabulário da ciências já é em si, um problema. Problema da ciência. Existem dois tipos de problemas: aqueles que a seleção natural fabricou para os seres vivos e não vivos resolverem e os problemas fabricados pela mente humana, que tem sua áreasinha de livre arbitrio. Se o homem não fosse dotado de um pouquinho de livre arbítrio não faria tantas maluquices que"a gente vê na Globo".
 
A seleção natural disse ao homem:
 
"Eu vou lhe conceder um centrinho de livre arbitrio para você brincar à vontade e até compensar sua impotência criando ilusões como a da imortalidade. Assim você conseguirá contornar a sua fragilidade congênita. Infelizmente eu não poderia criar um bicho tão inteligente como você sem algumas falhas evolucionárias. Com o tempo você contornará essas fragilidades, mas sempre viverá em conflito, pois sem conflito não há evolução. E a mim, Darwin não deu o poder de resolver todos os conflitos humanos. Mas um  dia acabarão os conflitos e a evolução. Até lá você vai se virando como puder".
 
Os deterministas não se conformam com essa humildade da Seleção Natural e sofrem da convicção psicótica que se alicerça em mitos evolucionistas e salvacionistas.
 
O comunismo foi o maior mito social da história da humanidade: foi instalado em cerca de 1/3 das nações, provocando milhões de mortes para depois desaparecer.
 
Mas o homem, dominado por suas convicções psicóticas, não pode aprender com a experiência. Da mesma forma que alguns humanos supervalorizam os fatos outros negam a realidade dos fatos.
 
Marx é um exemplo de determinista evolucionário. Todos aqueles que se apaixonaram pela evolução são deterministas. Um deles é o Steven Pinker, que ao lado de coisas geniais falou bobagens do tipo " a agressão humana só será resolvida depois que for feito o  mapeamento detalhado do cérebro" (não foi exatamente com essas palavras, mas está muito proximo disso), como se uma pilula tipo prosac fosse suficiente para acabar com violência destruitiva do ser humano.
 
Como você sabe eu sou governado por este triângulo: caos, acaso e imprevisibilidade.  Entretanto, a probabilidade continua existindo, para cercar a liberdade sem limites do acaso. Olhando para o que aconteceu com a evolução a partir de milhões de anos, a probabilidade de que o homem continue a ser um bicho violento nos próximos 500 mil anos é superior a 95%.
 
Abraços
M.Calil
 
Ps. Um exemplo gritante de determinismo evolucionário nos é dado pela crença de alguns zoólogos que chegam a dizer que o fato de os macacos  não humanos  estuprarem e matar fêmeas, além de comer os filhotes, estão com isso usufruindo da seguinte vantagem evolucionária:  o macho assassino pode assim  convencer a fêmea a se casar com ele, já que a sua força bruta é uma garantia de que a futura esposa  e seus futuros filhos serão bem protegidos. (Por isso temos ainda muitos macacos homens que estupram e matam as fêmeas, embora não apreciem a carne humana dos filhotes, alguns dos quais são abandonados em sacos de lixo por mães arrependidas de ter dado à luz. Não é por acaso que os chimpanzés e os humanos desfrutam de uma semelhança genética da ordem dos 99%. Podemos dizer que os macacos humanos estão muito bonzinhos, até que uma guerra atômica desestabilize o determinismo evolucionário. O armamento nuclear se explica "evolucionariamente" do seguinte modo: uma nação selvagem tem que se defender do eventual ataque de outra nação selvagem. Para isso ela precisa se armar com bombas atômicas, podendo fazer um ataque defensivo, como animais fazem na selva evolucionária: não sabendo se serão ou não  atacados, eles tomam a iniciativa do ataque.  É a lei da selva, a lei da sobrevivência, a lei da era nuclear que surgiu graças ao espetacular avanço da ciência. Esquizofrenia cientifica? Sim: a mesma ciência aue aumenta a longevidade do ser humano cria armas de destruição em massa. Não há porque nos surpreendermos com o fato de o planeta se transformar num manicômio a céu aberto. Essa realidade é facilmente negada  pelos moradores do manicômio, que foram programados pela seleção darwinista a recorrer a toda sorte de ilusões para evitar uma carga de sofrimento insuportável. Essa é a função básica das ilusões: reduzir a carga de sofrimento humano. É o remédio fabricado pela Seleção Natural. Se as ilusões têm efeitos colaterais,  isso é inerente ao processo. A grande vantagem da ilusão é que ela não paralisa as forças vitais, como faz a depressão.
Já que um problema não tem solução é muito melhor eu alimentar a ilusão de que ele tenha, do que cair em depressão.
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:48 PM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 
 

a sua frase falando que a consciência é um efeito colateral do tamanho do nosso cérebro me deixou aliviado, enquanto deve ter irritado os deteterministas evolucionários
 
Mas Calilzão, quem são esses "deterministas evolucionários"?
Todos os que entendem como a evolução opera concordam que
ela é movida por mutações, recombinações genéticas e forte
seleção do meio ambiente. A fórmula é bem "determinística",
embora contenha o acaso bem lá no meio. Mas é a seleção que
estraga o prazer dos que propõe a aleatoriedade pura como
"rainha" desse sistema. Da mesma forma, o resultado dessa
"equação determinística" é completamente imprevisível, pois
tem "o meio ambiente no meio" (sorry..).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 12:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Olá abelhifero.
 
Muitas vezes basta uma frase para contribuir.
Por exemplo a sua frase falando que a consciência é um efeito colateral do tamanho do nosso cérebro me deixou aliviado, enquanto deve ter irritado os deteterministas evolucionários.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps. O acaso é uma obviedade cientifica.
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:54 AM
Subject: Re: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 
 

Ah, se eu tivesse mais tempo! Tantos temas interessantóides
para discussão, tantas polêmicas!
 
Consciência, na minha abelhífera visão, é um efeito colateral
do tamanho de nosso cérebro (e da capacidade que ele tem de
acompanhar seus próprios estados mentais e sensações corporais).
A coisa mais difícil para o Homo Sapiens é aceitar que essa coisa
nítida, "sólida", "verídica", "inquestionável" que é a nossa
consciência não passa de uma deslavada (e incontornável) ilusão.
 
*PB*
 
 
 
Sent: Sunday, April 01, 2012 8:34 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI- Para que precisamos da consciência?
 


Para responder à  pergunta cientifica do Felipe, considerando que a ciência ainda não conseguiu desvendar o enigma da consciência (ou da experiência consciente) os me atrevo a dar estes palpites:
 
a)  a consciência acabou aparecendo por acaso no processo evolucionário do sistema cérebro-mente.
b)  o crescimento do cérebro humano deu um salto quântico que possibilitou a biliões de neurônios se configurarem de tal modo que surgiu a misteriosa consciência.
      Se a única diferença signficativa  entre o homem e o chimpanzé que possui 98 ou 99% dos genes  humanos, está na mente que produziu a linguagem das palavras,
      a diferença do tamanho entre os dois cérebros seria o motivo racional para explicar porque ganhamos de presente da seleção natural, a consciência; ressalva:
     a seleção natural não é tão certinha e lógica como querem alguns evolucionistas que por ela se apaixonaram perdidamente.
 
Obs. Sendo a evolução fruto do acaso e da necessidade e como ainda não é possivel quantificar a participação destes dois fatores determinantes do processo evolucionário, a hipótese de que a consciência surgiu mesmo por acaso tem fundamento. Ou não? Se a consciência nasceu por acaso, obviamente a ciência
é filha do acaso, sobre o qual, infelizmente ela não tem nem jamais terá controle.
 
Abraços com calmazén para os fundamentalistas e deterministas do grupo.
Mtnos Calil
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Luiz
Sent: Sunday, April 01, 2012 7:22 PM
Subject: [ciencialist] Sonambulismo ZUMBI
 
 

Estou assistindo a um documentario sobre parassonias no NatGeo.

É impressionante. Algumas pessoas foram inocentadas de crimes, por "estarem" sonambulas.

Passou um caso de uma mulher que se deixou gravar, no qual ela levantava, ia para a cozinha, usava o fogão o microondas, preparava sua comida e se alimentva.Estava totalmente inconsciente, em sono profundo.

Teve um que saiu de casa, dirigiu até a casa da sogra, matou a sogra, quase matou o sogro, e só se lembrava de estar na delegacia falando que achava que tinha matado alguém, pois estava com sangue nas mãos.

Ai surge aquela pergunta mais que batida :Para que precisamos da consciência?

Abs
Felipe


SUBJECT: RE: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo peskyano. - muita calma por favor
FROM: Thiago Guimarães <guimaraesbsb@hotmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 15:03

> Não sei se entendi esta sua colocação. Se você está se referindo ao
> método como apresentei no primeiro link, parece-me que há um certo teor
> de verdade neste empirismo. Ou seja, ao pensarmos no método como o
> «caminho trilhado pelos cientistas» [...]

 
Respondendo ao Prof. Alberto,
Exatamente isso. Grato pela orientação! Já decidi. O título trabalho é: "Filosofia não é Ciência? Um Ensaio sobre a História (ou a Essência) da Ciência".
 
Como o Senhor disse, agora julgo-me um eterno AMA-DOR (aquele que ama, entusiasta, engajado, etc).
 
Já estou tomando conhecimento dos tais modelos de "«método científico»".
Novamente, obrigado!
 
 
 
Thiago.
 
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> From: albmesq@uol.com.br
> Date: Tue, 3 Apr 2012 14:13:34 -0300
> Subject: Re: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo peskyano. - muita calma por favor
>
> Olá Thiago
>
> Grato pelos comentários.
>
> Percebi que você está fazendo um trabalho (Filosofia não é Ciência?)
> onde o significado de Método Científico me parece ser fundamental. O
> link que forneci trata deste assunto de maneira a dissecar o método sob
> vários aspectos. Não obstante o assunto é um pouco mais complexo. A
> maioria dos filósofos da ciência da atualidade utiliza a expressão
> «método científico» com uma conotação um pouco diversa. Isto é
> apresentado num pequeno artigo (na realidade um editorial) que escrevi
> posteriormente e intitulado «Os vários métodos científicos»:
> http://ecientificocultural.com.br/ECC3/editor45.htm
>
> > Acredito, por final, que não nos dissidimos em muitas coisas, pois uma
> > grande parte dessa análise é empírica, não é?
>
> Não sei se entendi esta sua colocação. Se você está se referindo ao
> método como apresentei no primeiro link, parece-me que há um certo teor
> de verdade neste empirismo. Ou seja, ao pensarmos no método como o
> «caminho trilhado pelos cientistas», há muito de empirismo sim quando
> caracterizamos este método. O filósofo que seguir por esta via muito
> provavelmente utilizará a «regra da repetitividade» e, por conseguinte,
> estará, a meu ver, produzindo ciência (no sentido restrito do termo).
> Sobre certos aspectos, muito da epistemologia me parece ter sido
> construída desta forma. Note, não obstante, que a filosofia é bem mais
> abrangente, cabendo-lhe a conotação de ciência quando esta última for
> pensada no amplo sentido (conhecimento atento e aprofundado de algo).
>
> [ ]´s
> Alberto
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>
> ***************************
> -----Mensagem Original-----
> From: Thiago Guimarães
> Sent: Monday, April 02, 2012 10:16 PM
> Subject: RE: [ciencialist] Pré-diagnóstico do empirismo obsessivo
> peskyano. - muita calma por favor
>
> Caro Alberto,
>
> Regozijei!
>
> Tanta coerência (para além desta "racionalidade"), que ainda não havia
> percebido em seu ninguém.
> Este seu email está salvo na minha lista de preferidos! Vou comprar
> todos os livros citados, ler os artigos e estudar estas teorias a fundo,
> ao cerne da questão. Com isso fundamentar o trabalho "Filosofia não é
> Ciência"? Sendo identificado a filosofia este próprio "amadorismo". Acho
> que era bem isso que eu estive procurando... honestamente, inspirou-me!
>
> Acredito, por final, que não nos dissidimos em muitas coisas, pois uma
> grande parte dessa análise é empírica, não é?
>
> Retiro-me da discussão pelo menos temporariamente, por uma questão de
> dignidade, afinal há muito o que estudar e há tantos outros que não
> querem compartilhar dessa objetividade.
>
> Obrigado.
>
> Thiago.
>
>
>
> ------------------------------------
>
> ##### ##### #####
>
> Página de apoio
> http://www.ciencialist.com
>
>
> ##### ##### ##### #####Links do Yahoo! Grupos
>
> <*> Para visitar o site do seu grupo na web, acesse:
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/
>
> <*> Para sair deste grupo, envie um e-mail para:
> ciencialist-unsubscribe@yahoogrupos.com.br
>
> <*> O uso que você faz do Yahoo! Grupos está sujeito aos:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>

SUBJECT: Os transformadores são chatos por natureza - boa esratégia Pesky.
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 15:16

Peskysinho, Peskyzinho
 
Aprovo na integra a sua estratégia contemporizadora. Deixa que eu cuido dos surtos narcisicos e você continua fazendo uma boa média com a turma.. Ontem sonhei com Freud (já que você se recusou a fazer isso), e ele me disse que o Alberto NÃO É PSICÓTICO e que está tendo alguns ataques passageiros de fúria narcisica. Perguntei a ele porque seriam estes surtos passageiros e Freud me disse que através da discussão comigo, o Alberto  desperta a atenção do grupo para ele, fortalecendo assim  a sua auto-estima o que lhe permite manter a sua raiva narcisica sob controle.
 
Achei muito interessante essa análise cientifica do Freud a respeito do narcisismo do Alberto.
 
Abraços
M.Calil
 
Ps. Com tanto feed-back, eu já nem sei que livro vou escrever. Minha idéia antes de vir para cá era escrever um livrinho de 120 páginas decretando a morte das ideologias através do pensamento logico-cientifico sem fórmulas matemáticas (se os fisicistas do grupo permitirem). Agora não sei mais o que eu faço, me perdi no oceano de feed-back. Com tantas ondas, acho que vou ter que escrever 5 livrinhos:
 
1. Lógica na comunicação humana (já está na versão eletrônica)
2. Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica
3. Matematização da linguagem
4. O inconsciente ao alcance de todos
5. ??? ( o nome do  livro é este mesmo: ???) O tema são as perguntas que nunca serão respondidas. Como esse é o livro mais dificil só vou escrevê-lo depois de 10 anos de feed-back do Alberto e cia. De tanta paulada que ela dá, uma vai acabar surtindo efeito, espero.
 
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:28 PM
Subject: Re: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 

Mas Calilzão, aquilo não foi surto não, foi só uma
lúcida constatação da realidade. E lembre-se que sou
seu amigo ;-)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Tuesday, April 03, 2012 12:00 AM
Subject: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual.  Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas eles não os donos do pedaço??
 
Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
 
Veja:
 
"sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo 14 horas por dia para leitura e redação.
 
Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight: antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé, classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai começar das notas e referências bibliográficas.
 
Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
 
Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
 
Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha, camarada!
 
Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi sobre inveja para você examinar.
 
Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos. Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido crédito, no interior da publicação.
 
O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior fábrica de feed-back que já vi na vida!  Não dá pra entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
 
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
 


 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 
 

Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 

Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 

Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "

 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>


SUBJECT: Outra vez, Calil? Muda o disco.- o disco não está pronto, cara pálida!
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 15:25

Uai... nós temos que construir 3 definições:
 
Ciência - Método- Metodologia.
 
Eu sei que você adoraria que a gente usasse as suas definições.Mas infelizmente o espirito cientifico da filosofia da linguagem recomenda que usemos as suas definições como premissas, o que fará muito bem para a sua auto-estima, segundo o parecer de Freud.
 
Abraços
M.Calil
 
Ps. Depois que 30 membros do grupo participarem do "toró de palpites" aí poderemos construir as novas definições e enviá-las para a ONU.
 
 
 
 
 
 
----- Original Message -----
Sent: Tuesday, April 03, 2012 2:47 PM
Subject: Re: [ciencialist] Outra vez, Calil? Muda o disco.

 

;-)

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.

******************************************
-----Mensagem Original 81240 <-- Freud explica-----
From: Mtnos Calil
Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:12 PM
Subject: [ciencialist] Definição de ciência, método e metodologia -
Participe! - Brainstorm.


SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
FROM: Nikola Tesla <pontozero36@gmail.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 15:32

Caramba!
 
No meu caso posso assumir que é inveja mesmo! Quem me dera ter 14 horas por dia pra dedicar a qualquer coisa que não seja sobreviver! Isso só reforça minha tese inicial (que eu não expressei) que o Mtnos não tem mais o que fazer!!
 
Nada pessoal, mas eu entrei na lista com outra expectativa, e, pelo jeito, a lista teria atendido a minhas expectativas caso eu tivesse entrado antes do Mtnos, mas a coisa tá muito desinteressante com esse cara aqui.
Nada pessoal, Mtnos, eu não quis ofender, eu prometo que vou me calar, e vou refazer minha frase:
 
- Uma lista de discussão com a presença de um provocador obsessivo é um saco!
 
[ ] s
Teslófilo

 

 
Em 3 de abril de 2012 00:00, Mtnos Calil <mtnoscalil@terra.com.br> escreveu:
 

Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual.  Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas eles não os donos do pedaço??
 
Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
 
Veja:
 
"sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo 14 horas por dia para leitura e redação.
 
Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight: antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé, classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai começar das notas e referências bibliográficas.
 
Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
 
Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
 
Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha, camarada!
 
Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi sobre inveja para você examinar.
 
Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos. Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido crédito, no interior da publicação.
 
O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior fábrica de feed-back que já vi na vida!  Não dá pra entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
 
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
 


 
----- Original Message -----
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 

Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 

Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 

Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "

 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 17:52

Pô, Marcellão, tu tinhas que estragar a minha fantasia... ;-)
 
Mas tu já ouviu falar do efeito placebo? Cada emborcada
que dou na taça gelada de um bom vinho, rezo aos deuses
do placebo para que venham operar sobre mim.
 
Aliás, só para encher linguiça sobre esse assunto, já que me
sobraram alguns minutinhos, o efeito placebo é tão forte que
já foi comprovado empiricamente e de uma maneira dramática.
Um experimento foi feito e relato aqui de forma resumida.
 
Um grupo de dezenas de pessoas foi separado em dois, um com
um crachá vermelho e outro com crachá azul. Foi dito a todos
dos dois grupos que a ideia era avaliar o declínio cognitivo
sofrido pelas pessoas após "encherem a cara" em um bar. Essa
cambada toda foi levada a uma preparada instalação baladeira,
que foi fechada para abrigar o "evento/experimento". Logo antes
de começar a bebeção, os experimentadores fizeram um teste de
avaliação de raciocínio cognitivo com os dois grupos, para servir
de base de controle. Em seguida, a festa começou: música,
diversão e falação. A única condição é que todos os elementos
(de ambos os grupos) tinham que ir até o balcão do bar para
pegar sua bebida, e não poderiam levar para os colegas, só
a sua própria. E bebida à vontade!
 
Após algumas horas de diversão e enchimento de cara, o teste
cognitivo foi refeito. E o resultado, nada surpreendente,
foi que os dois grupos (vermelho e azul) desempenharam
pessimamente. E de forma indistinguível: era bebum para
todos os lados, todos trançando as pernas, tanto do grupo
vermelho quanto do azul.
 
Ocorre que... logo após a coleta de todos esses dados dos
testes cognitivos foi informado que o grupo azul recebia do
dono do bar uma bebida em tudo igual à normal, exceto na
presença de álcool: todas elas NÃO tinham nem uma gota disso.
Já os com crachá vermelho bebiam aquela "água que passarinho
não bebe" normal. Mas ambos os grupos estavam visivelmente
bêbados, e ambos desempenharam muito mal nos testes cognitivos!
Estava demonstrado que bastava acreditar que se estava ingerindo
bebida alcoólica para que os efeitos surgissem. Santa cachaça
placebística!
 
Vi essa explicação em uma palestra do genial Jonah Lehrer,
um jornalista especializado em neurociência e psicologia da
tomada de decisão, autor do livro "How We Decide".
 
*PB*
 
 
 
Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:41 PM
Subject: [ciencialist] Re: A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
 


PB

> Eu ainda prefiro o resveratrol em formato de vinho,
> "medicação" da qual sou fã inveterado.

O problema é que no vinho, para os efeitos relacionados (envelhecimento) às estas pesquisas em específico, seriam necessárias aprox. 300 taças ao dia. Inviável, e "pouco" saudável, até aos mais "talentosos" fãs inveterados.  ; )

Marcel

 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Pesky Bee" <peskybee2@...> escreveu
>
> Eu ainda prefiro o resveratrol em formato de vinho,
> "medicação" da qual sou fã inveterado.
>
> *PB*
>
>
>
> From: marcelleandro2009
> Sent: Tuesday, April 03, 2012 1:03 PM
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Subject: [ciencialist] Re: A cura do envelhecimento , starvation response, etc.
>
>
>
>
> Para os poucos que estava acompanhando e dando sequência sobre o revastrol...existe uma hortaliça que tem esta substância muito mais concentrada que na uva.
>
> http://www.saudeintegral.com/artigos/azedinha-a-planta-poderosa.html
>
>
>
> Marcel
>
>
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009" marcelleandro2009@ escreveu
> >
> >
> > "Mais recentemente, no início dos anos 2000, cientistas do Centro
> > Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin revelaram bons resultados
> > com macacos mantidos em uma dieta 30% menos calórica do que seus
> > colegas. Além de magros, estavam no auge da vida. Enquanto os que
> > comiam normalmente se movimentavam lentamente e viam cair mais pelos,
> > entre outros sinais de velhice. ..."
> >
> > Um pouco (fotos e tal) mais, aqui:
> > http://hypescience.com/18398-restricao-de-calorias-pode-extender-a-vida-\
> > de-humanos-tambem/
> > <http://hypescience.com/18398-restricao-de-calorias-pode-extender-a-vida\
> > -de-humanos-tambem/>
> >
> >
> >
> > Marcel
> >
> >
> > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "marcelleandro2009"
> > marcelleandro2009@ escreveu
> > >
> > >
> > http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,ERT204682-17773,00.htm\
> > l
> > >
> > > A cura do envelhecimento
> > >
> > > Pílulas, células-tronco, dietas e tratamentos para evitar
> > doenças e regenerar órgãos. Conheça as novas armas da
> > ciência para nos manter com aparência jovem para sempre
> > >
> > > Priscilla Santos, com reportagem de Bruna Fasano e Willian Okada
> > >
> > >
> > > FONTE DA JUVENTUDE
> > > Crédito: Maná E.D.I.
> > >
> > > O soldado e explorador espanhol Juan Ponce de León (1460-1521)
> > já havia acompanhado Cristóvão Colombo em sua segunda viagem
> > à América quando começou sua busca pela mitológica Fonte da
> > Juventude. Os nativos de Porto Rico, onde Ponce havia criado uma
> > colônia, diziam existir tal fonte misteriosa capaz de proporcionar a
> > jovialidade eterna para quem em suas águas se banhasse. O viajante
> > nunca a encontrou — acabou foi descobrindo a Flórida,
> > ironicamente o estado americano hoje com a maior proporção de idosos.
> > Ponce de León não foi o único a procurar incansavelmente por
> > uma forma de ser jovem para sempre. A busca pela imortalidade e pela
> > juventude eterna sempre fascinou o homem, único animal que tem
> > consciência da própria morte — e por isso sofre. Mas nunca
> > esteve tão próxima de ser alcançada. Como Ponce de Leóns
> > contemporâneos, os cientistas do século 21 vêm perseguindo o
> > fim da maior causa de morte do mundo: a velhice. Por consequência, as
> > doenças decorrentes dela. E parecem estar mais próximos de, no
> > mínimo, postergá-la. "Os avanços da área biológica que
> > surgem nesse começo de século indicam que muitos de nós
> > poderemos chegar facilmente aos 100, 150 anos", diz o professor do
> > Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade Federal do Rio de
> > Janeiro (UFRJ), Stevens Rehen.
> > >
> > > Prolongar a vida seria apenas uma consequência de fazer as pessoas
> > serem mais saudáveis por mais tempo. Esse é o principal objetivo
> > da nova ciência do antienvelhecimento, que pretende atacar de uma
> > só vez todas as formas de deterioração do corpo para fazer com que
> > o nosso relógio biológico corra mais devagar. Assim, ficaríamos
> > longe de doenças decorrentes da idade avançada — como
> > Alzheimer, demência, diabetes e doenças cardíacas — por
> > mais tempo. Atacar a velhice, portanto, seria a melhor e talvez única
> > forma de nos afastarmos dos males provocados por ela. Combater uma a uma
> > as doenças — algo que desde sempre fazemos — não surtiria
> > grandes efeitos. Nos Estados Unidos, por exemplo, se os problemas de
> > coração fossem totalmente eliminados, a expectativa de vida não
> > subiria mais do que três anos. O mesmo que proporcionaria uma cura
> > milagrosa para o câncer. "O risco de doenças fatais dispara
> > após os 60 anos. Assim, mesmo que evitemos o ataque cardíaco,
> > outros problemas vão nos pegar", afirma o escritor de ciência e
> > medicina americano David Stipp, autor do livro The Youth Pill (A
> > Pílula da Juventude, sem edição no Brasil), lançado no ano
> > passado. Por isso, a maneira de aumentar a expectativa e a qualidade de
> > vida para valer é evitar chegar nesse estágio em que já estamos
> > mais fracos e vulneráveis a doenças.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Em vez de águas milagrosas, a Fonte da Juventude perseguida pelos
> > cientistas oferecerá tratamentos futurísticos descobertos nos mais
> > ardilosos experimentos
> > > Crédito: Maná E.D.I.
> > >
> > >
> > >
> > > INJEÇÃO ANTIVELHICE
> > >
> > >
> > > Em novembro passado, pesquisadores do Instituto de Câncer
> > Dana-Farber, da Escola de Medicina de Harvard, nos Estados Unidos,
> > publicaram um estudo que contrariou um dos principais conceitos sobre o
> > processo de envelhecimento: o de que ele é irreversível. Eles
> > conseguiram, pela primeira vez, rejuvenescer ratos de laboratório. O
> > experimento foi baseado num mecanismo que rendeu, um ano antes, o
> > Prêmio Nobel de Medicina a outros três cientistas americanos: a
> > relação entre o processo de envelhecimento e os telômeros, uma
> > espécie de capinha que protege a ponta de cada cromossomo dentro de
> > nossas células — numa comparação grosseira, o telômero
> > assemelha-se àquele revestimento plástico presente na ponta dos
> > cadarços de um tênis. A cada vez que a célula se divide, essa
> > capinha se encurta um pouco. Depois de 50 a 80 duplicações a
> > célula não consegue mais se multiplicar — após os 35 anos
> > de idade, os efeitos desse processo já começam a ser sentidos. O
> > tempo passa e, sem células novas e com algumas mortas ou inativas,
> > nossos órgãos começam a se deteriorar. É a velhice.
> > >
> > > Nascemos com um mecanismo capaz de driblar esse processo, uma enzima
> > chamada telomerase. Ela repara as tais capas protetoras dos cromossomos
> > após cada divisão celular. Porém, após a infância, sua
> > concentração cai drasticamente. Fazer com que ela volte a crescer
> > é um dos caminhos para postergar o envelhecimento — ou até
> > mesmo revertê-lo. No estudo de Harvard, os cientistas criaram ratos
> > geneticamente modificados de forma que não produzissem a telomerase.
> > Como resultado, os animais envelheceram rapidamente. Os sinais
> > incluíram diminuição do cérebro e do olfato, danos no baço e
> > intestinos, além de doenças como osteoporose e diabetes. Com
> > apenas um mês de ingestão de telomerase, no entanto, tais sintomas
> > sumiram. Os ratos voltaram inclusive a ser férteis e desenvolveram
> > neurônios, sem contar uma invejável melhora na pele. "O que vimos
> > não foi a desaceleração ou estabilização do envelhecimento, mas
> > algo muito mais incrível: uma reversão dramática dele", afirma
> > Ronald DePinho, coordenador da pesquisa. "É possível imaginar que
> > um homem de 90 anos voltaria a ter a saúde que possuía aos 40 ou
> > 50", diz. Porém, apesar de ter sido bem-sucedido em ratos, o
> > tratamento ainda não foi testado em humanos. E não há
> > perspectiva de que isso aconteça nos próximos anos. "Ainda temos
> > muito trabalho pela frente. O próximo passo é descobrir em que
> > estágio da vida as pessoas precisariam se submeter à injeção de
> > telomerase", afirma DePinho. Em paralelo a isso, ainda seria preciso
> > ultrapassar um grande empecilho: o potencial risco de câncer.
> > >
> > > Fora do período de gestação e infância, a telomerase só
> > retorna em grandes quantidades nas células cancerosas — sabe-se
> > que 90% dos tumores possuem a enzima. Aliás, é por isso que elas
> > se reproduzem incessantemente. "Se você persegue a imortalidade, é
> > o que, de um modo perverso, também fazem as células com
> > câncer", diz o oncologista e professor de medicina da Universidade
> > Columbia, Estados Unidos, Siddhartha Mukherjee, autor do
> > recém-lançado livro The Emperor of All Maladies: A Biography of
> > Cancer (O Império de Todas as Enfermidades: Uma Biografia do
> > Câncer, sem edição no Brasil).
> > >
> > > Além da vantagem óbvia para todo mundo de postergar a chegada da
> > velhice, um grupo específico de pessoas se beneficiaria caso os
> > pesquisadores conseguissem resolver as contraindicações desse tipo de
> > tratamento. Trata-se de indivíduos que, por conta de uma sequência
> > genética, têm menos telomerase desde a gestação.
> > Consequentemente, envelhecem mais rápido e chegam a ser
> > biologicamente até dez anos mais velhos do que outras pessoas da
> > mesma idade. Essa sequência de DNA foi mapeada em fevereiro do ano
> > passado por cientistas da Universidade de Leicester, no Reino Unido. Em
> > um estudo com 3 mil pessoas, 45% delas carregavam ao menos um gene da
> > sequência. Os pesquisadores acreditam que um mapeamento desse tipo
> > possibilitaria prescrever estilos de vida saudáveis àqueles mais
> > propensos aos males do envelhecimento. Além de exercícios
> > físicos, uma dieta com poucas calorias entraria na receita. Pois é
> > sabido, e cientificamente provado, que quem come menos, vive mais.
> > >
> > >
> > >
> > > UMA ENZIMA PARA NOS MANTER SEMPRE JOVENS
> > > A deterioração de nosso corpo começa de forma microscópica,
> > em nossos cromossomos. Uma substância pode revertê-la. Veja como
> > (clique aqui para ampliar)
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > 300 TAÇAS DE VINHO
> > >
> > >
> > > Uma dieta diária entre 1.200 e 1.400 calorias — 30% a menos do
> > que a sugerida pela Organização Mundial da Saúde — poderia
> > aumentar nossa expectativa de vida média para 120 anos. Algumas
> > pessoas chegariam, então, aos 150. Mesmo que você começasse a
> > comer menos aos 30, ainda teria chance de prolongar seu tempo na Terra
> > em sete anos. É atrás dessas promessas que ao menos 2 mil pessoas
> > praticam a dieta de baixa caloria no mundo. Esse é o número de
> > membros da Sociedade de Restrição Calórica. Apesar da matriz estar
> > localizada nos Estados Unidos, há integrantes de várias partes do
> > planeta, inclusive cinco do Brasil (que não se identificam). Os
> > resultados dos pratos moderados têm sido positivos. Dados divulgados
> > pela Sociedade atestam que os adeptos da dieta registraram queda
> > significativa da pressão sanguínea, perda de quase 70% da gordura
> > corporal e redução de 80% do nível de insulina no sangue, o que,
> > no mínimo, faz cair o risco de doenças cardíacas e diabetes.
> > Pratos mais comportados também são a receita milenar dos
> > habitantes do arquipélago japonês de Okinawa — é lá que
> > estão as pessoas que mais vivem no mundo. A proporção de
> > centenários nas ilhas é de 50 para cada 100 mil moradores,
> > enquanto nos demais países cai para dez a cada 100 mil. A
> > população de Okinawa é de cerca de 1,3 milhão. Não por
> > acaso, um prato típico no arquipélago tem 17% menos calorias do
> > que no restante do Japão.
> > >
> > > A teoria mais aceita de por que comer pouco nos faria envelhecer mais
> > devagar é evolutiva. Os efeitos benéficos das baixas calorias se
> > devem a um mecanismo chamado starvation response, ou resposta à fome,
> > em português. Nos primórdios da humanidade, durante os períodos
> > de grandes secas ou mudanças abruptas no clima, ficava difícil
> > encontrar alimento. Era natural, portanto, que, sob a ameaça de
> > inanição, o organismo concentrasse seus esforços na proteção
> > dos processos essenciais à sobrevivência. A energia do crescimento
> > e reprodução (mecanismos trabalhosos para o corpo) era deslocada para
> > o reparo e manutenção constante das células. Isso fazia com que as
> > pessoas envelhecessem mais devagar. Tudo não passava de um truque da
> > natureza para garantir a continuidade da espécie: ao conservar o
> > corpo, o intuito era preservar aqueles indivíduos para se
> > reproduzirem assim que as coisas melhorassem.
> > >
> > > Em cinco anos, o laboratório Sirtris Pharmaceutical promete colocar
> > no mercado uma pílula que imita os efeitos de se comer pouco, mesmo
> > que você siga uma dieta normal. O princípio ativo — já
> > comercializado em medicamentos para diabéticos e como suplemento
> > alimentar — é o resveratrol, substância encontrada na casca da
> > uva roxa. É sua presença que confere ao vinho tinto benefícios
> > ao coração. E explica o que os cientistas chamam de "paradoxo
> > francês": a baixa mortalidade por doenças cardíacas na
> > França, mesmo com uma dieta tão rica em gordura. Graças ao
> > hábito comedido que a população tem de beber vinho quase que
> > diariamente. Além dos benefícios ao coração, também há
> > evidências de que o resveratrol reduza o risco de Alzheimer, derrame,
> > diversos tipos de câncer, perda de audição e osteoporose —
> > todos problemas comuns no envelhecimento. Já provocar o aumento dos
> > anos de vida é algo que ainda precisa ser provado em humanos. Mas o
> > resultado em animais se mostrou estimulante.
> > >
> > >
> > >
> > > VIDA LONGA - E MAIS FELIZ
> > >
> > >
> > >
> > > Se a ciência de fato nos fizer passar dos 75 com saúde e
> > disposição nos fará felizes como nunca seríamos. Um estudo
> > publicado ano passado por pesquisadores das universidades de Stony Brook
> > e Princeton, nos EUA, traçou um paralelo entre bem-estar e idade.
> > Surpresa: nosso auge de contentamento seria após os 74. Os resultados
> > formam o que os pesquisadores de felicidade chamam de curva U (abaixo).
> > Os idosos sentiriam menos raiva e estresse do que os jovens e teriam
> > menos preocupações do que os adultos médios. Pois, com a idade, as
> > pessoas lidam melhor com conflitos e controlam as emoções. É a
> > sabedoria. Os pesquisadores também sugerem que a saída dos filhos
> > de casa diminui problemas familiares e financeiros. A ciência está
> > fazendo sua parte, agora falta lazer, trabalho e INSS para que os mais
> > longevos possam curtir tranquilos a melhor parte da vida.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Em 2006, pesquisadores da Escola de Medicina de Harvard realizaram
> > estudos liderados por David Sinclair — não por acaso, fundador da
> > Sirtris Pharmaceutical, hoje pertencente à gigante inglesa
> > GlaxoSmithKline. No experimento, cientistas superalimentaram roedores
> > com uma dieta rica em gordura. Em paralelo, forneceram a eles doses de
> > resveratrol. As cobaias ficaram obesas. Ainda assim, seu tempo de vida
> > se estendeu a um patamar igual ao dos ratos que comiam com restrição.
> > Para obter esses efeitos com vinho seriam necessárias 300 taças
> > por dia, ou seja, algo impensável até para o mais bebum dos seres
> > humanos. O que justifica a corrida da indústria farmacêutica
> > atrás das pílulas.
> > >
> > > Os medicamentos que imitam dietas metódicas serão uma
> > aplicação mais concreta dos pioneiros estudos sobre
> > antienvelhecimento. A primeira importante pesquisa científica que
> > provou que restringir calorias poderia prolongar a vida foi divulgada em
> > 1934. O estudioso de nutrição da Universidade de Cornell, Estados
> > Unidos, Clive McCay, manteve ratos em um estado de quase fome por quatro
> > anos e os assistiu viver 85% mais tempo do que a média. Um dos
> > animais chegou aos 3 anos e 9 meses de idade. Como, cinco anos antes,
> > dois cientistas tinham ganhado o Prêmio Nobel pela descoberta das
> > vitaminas, pareceu uma pequena heresia dizer que passar um pouco de fome
> > poderia nos fazer bem. Mais recentemente, no início dos anos 2000,
> > cientistas do Centro Nacional de Pesquisa em Primatas de Wisconsin
> > revelaram bons resultados com macacos mantidos em uma dieta 30% menos
> > calórica do que seus colegas. Além de magros, estavam no auge da
> > vida. Enquanto os que comiam normalmente se movimentavam lentamente e
> > viam cair mais pelos, entre outros sinais de velhice.
> > >
> > > Em 2015, 2016, com o medicamento nas farmácias, a Sirtris deve se
> > tornar a indústria referência em antienvelhecimento. Além do
> > resveratrol, seus laboratórios estudam outra substância capaz de
> > imitar os efeitos de uma dieta de baixa caloria: a rapamicina. Hoje
> > usado para evitar rejeição em transplante de órgãos, o
> > princípio ativo fez com que ratos de meia-idade vivessem de 28% a 38%
> > mais tempo, segundo um estudo divulgado pela revista Nature em meados de
> > 2009. Mais uma pesquisa que mostra que há esperanças para
> > prolongar a vida mesmo quando o corpo já está desgastado. Esta
> > também é a promessa da medicina regenerativa.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > Crédito: Maná E.D.I.
> > >
> > >
> > >
> > > BIOENGENHARIA
> > >
> > >
> > > No ano passado, um grupo de mulheres teve uma oportunidade de ouro:
> > após serem mutiladas devido ao câncer de mama, viram crescer seios
> > 100% naturais, a partir de suas próprias células. A técnica que
> > soa como milagre foi desenvolvida após quase uma década de estudos
> > pela empresa de biotecnologia americana Cytori Therapeutics, que
> > pretende trazer o método para o Brasil ainda este ano. Permite dupla
> > recauchutagem: as células que dão origem ao novo seio são
> > extraídas de uma cirurgia plástica para tirar gordurinhas
> > indesejadas. O procedimento começa com uma lipoaspiração, por
> > exemplo, na barriga. Da gordura são colhidas células-tronco,
> > capazes de se multiplicar para gerar tecidos de outras partes do corpo,
> > como a mama. Elas são, então, aplicadas na região do peito.
> > Conforme crescem, formam um novo seio, sem risco de rejeição.
> > >
> > > A descoberta de células-tronco na gordura foi um grande avanço
> > para a medicina regenerativa. Somente no Brasil, são realizadas mais
> > de 200 mil lipoaspirações por ano. No ano passado, Radovan Borojevic,
> > diretor do Programa Avançado de Biologia Celular Aplicada à
> > Medicina da UFRJ, conseguiu, de forma inédita no Brasil,
> > autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep)
> > para manipular células-tronco de gordura. "Esse material pode
> > garantir reserva para a velhice, para sanar as doenças naturais do
> > passar dos anos e até diminuir as rugas", diz. Quem fizer uma
> > lipoaspiração aos 20, por exemplo, pode chegar aos 60 e usar as
> > células guardadas para preencher a pele envelhecida e se livrar dos
> > pés de galinha. Como as células terão a memória de sua
> > juventude, será possível fazer o que nenhum cosmético ou Botox
> > jamais conseguiu: ter cara de 20, aos 60. O procedimento, cujo efeito
> > dura de quatro a cinco anos, já está em fase de testes. Em três
> > meses, Borojevic realizou 70 implantes de células antirrugas — os
> > interessados podem se inscrever para os testes no Instituto de
> > Ciências Biomédicas da UFRJ. Mas esta é apenas a mais
> > frívola das promessas da bioengenharia. "Com as técnicas, vamos
> > envelhecer muito melhor do que os nossos avós", afirma Borojevic.
> > >
> > > Experimentos em humanos mostraram que o implante de células-tronco
> > pode reparar órgãos vitais. Entre eles, o coração, que teria
> > benefícios como o aumento da quantidade e bombeamento de sangue
> > após infartos, diminuição da área de tecidos mortos e melhora
> > da capacidade respiratória em casos de doenças cardíacas
> > crônicas. Outro resultado positivo é a redução da
> > incontinência urinária em pacientes que passaram por cirurgias de
> > próstata. "A medicina regenerativa para problemas do envelhecimento
> > será de fato composta por peças de substituição", afirma o
> > gerontologista inglês criador da Fundação Sens, de estudos de
> > biotecnologia para rejuvenescimento, Aubrey de Grey, polêmico, entre
> > outras coisas, por afirmar que a velhice é uma doença à espera
> > de cura.
> > >
> > >
> > >
> > > A HORA DA MORTE
> > >
> > >
> > > Com sua aparência de Matusalém, apesar dos 47 anos de idade, De
> > Grey acredita que podemos ser imortais e que os homens que vão viver
> > mil anos já nasceram. Passar mais tempo na Terra do que o próprio
> > personagem bíblico, que teria morrido aos 969, seria possível
> > graças ao desenvolvimento da engenharia para impedir que nossas
> > células envelheçam e da reposição de órgãos e tecidos.
> > "Uma vez que a medicina regenerativa se desenvolver, o limite
> > biológico do corpo desaparecerá." A ideia gerou tanta
> > controvérsia na comunidade científica que, em 2005, o
> > Massachusetts Institute of Technology (MIT) lançou um concurso que
> > premiaria com US$ 20 mil quem conseguisse provar que a tese de Aubrey
> > era descabida. Cinco inscrições foram analisadas por um júri
> > composto por cabeças como o geneticista Craig Venter. Ninguém
> > levou o prêmio.
> > >
> > > A crença de que a ciência e a tecnologia nos permitirão
> > redesenhar o próprio corpo para nos fazer viver muito mais, até
> > indefinidamente, guia uma corrente filosófica chamada transhumanismo.
> > Os seguidores do pensamento acreditam que por meio de áreas de
> > conhecimento emergentes como biotecnologia, inteligência artificial,
> > robótica e nanotecnologia, poderemos superar a própria condição
> > humana. "O homem não é o final da evolução biológica, e sim
> > o começo de uma evolução tecnológica", afirma o engenheiro
> > venezuelano formado pelo MIT e que já trabalhou para a Nasa, José
> > Cordeiro, grande divulgador do transhumanismo na América Latina. Ele
> > acredita que assistiremos à morte da morte — e que não há
> > nada de antinatural nisso. "O propósito da vida é mais vida.
> > Além do mais, ninguém quer morrer, ainda mais se tiver a
> > oportunidade de não ficar velho."
> > >
> > > A visão de que vale a pena manipular nosso corpo a qualquer custo
> > para ser jovem para sempre encontra olhares críticos. "Essa
> > pretensão de vida eterna é um erro existencial, uma arrogância
> > do homem em querer inventar uma vida que não é sua. Pois a
> > finitude é um atributo da nossa, e é o que a faz ser boa", afirma
> > o cientista político Clóvis de Barros Filho, professor de ética
> > da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo
> > (USP). "É uma ilusão narcisista acreditar que se vai viver em gozo
> > eternamente. Ficar dos 60 aos 120 anos curtindo aposentadoria e nunca
> > aceitar o dissolver, que é o nosso destino", diz a filósofa e
> > terapeuta Regina Favre, de São Paulo, que acredita que a busca pela
> > longevidade sem fim seja fruto da solidão, do desamparo e do medo
> > gerado pelos problemas da velhice e proximidade da morte. Ou como
> > escreveu o escritor argentino Jorge Luis Borges (1899-1986) no conto O
> > Imortal, publicado no livro O Aleph: "Dilatar a vida dos homens é
> > como dilatar sua agonia e multiplicar o número de suas mortes".
> > >
> > > Mesmo que a medicina conseguisse fazer com que as pessoas tivessem
> > saúde e disposição para trabalhar até os 100, provavelmente
> > não haveria mercado para todos. Com uma superpopulação de idosos,
> > a previdência social certamente iria quebrar. "Não adianta
> > chegarmos aos 200 anos se não resolvermos esses problemas", diz a
> > presidente da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, Silvia
> > Regina Mendes Pereira, que acha positivo o esforço dos cientistas
> > para evitar doenças como diabetes ou Alzheimer, desde que a qualidade
> > de vida seja encarada de forma global. "E isso passa por vários
> > aspectos. Um deles, sim, é a saúde, mas também há o
> > psicológico e o social."
> > >
> > > As transformações no mundo caso as pessoas passem a viver
> > décadas ou até séculos a mais são inevitáveis. Mas, para
> > De Grey, compensaria enfrentá-las. "Essas dificuldades não superam
> > os benefícios da eliminação de doenças relacionadas à idade,
> > como problemas cardiovasculares e câncer", afirma. Mesmo porque esses
> > problemas terão que ser pensados de imediato. Pois, antes mesmo das
> > pirotecnias científicas se tornarem realidade, a longevidade no mundo
> > só cresce. Para se ter ideia, vivemos 25 anos a mais do que um
> > século atrás. Nos países desenvolvidos, a expectativa de vida
> > aumenta cinco horas por dia. Ou seja, já há motivos suficientes
> > para a ciência se preocupar com os muitos que, em tempos anteriores
> > às pílulas que simulam fome ou injeções de enzimas e
> > células-tronco, fazem muito mais aniversários do que um dia nossos
> > avós jamais poderiam imaginar.
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > O profeta da imortalidade
> > >
> > >
> > > O cientista do envelhecimento Aubrey de Grey afirma que, em 2030,
> > estaremos vivendo até os 130 anos. E que os homens que farão mil
> > aniversários já nasceram. A seguir ele conta como isso será
> > possível
> > >
> > >
> > >
> > >
> > >
> > > * Por que envelhecemos?
> > > Aubrey de Grey: Porque o corpo humano, como qualquer máquina, causa
> > danos a si mesmo como efeito colateral natural de sua operação. Esse
> > prejuízo se acumula ao longo da vida. Por um longo tempo quase não
> > afeta a habilidade do corpo para funcionar, mas, eventualmente, provoca
> > doenças e incapacidade.
> > >
> > > * As pessoas que viveriam mil anos precisariam constantemente
> > substituir peças, como um robô?
> > > De Grey: De fato, a maior parte das técnicas serão compostas por
> > peças de substituição, mas a um nível microscópico. Em
> > alguns casos, podemos trocar órgãos inteiros. Porém, mais
> > frequentemente, serão células ou moléculas.
> > >
> > > * Mesmo pessoas sedentárias, com excesso de peso e estressadas
> > serão capazes de viver mais?
> > > De Grey: A medicina regenerativa vai permitir que as pessoas
> > ultrapassem por uma larga margem a longevidade que qualquer um consegue
> > atualmente, mesmo com a melhor vida possível, mesmo aqueles com uma
> > genética privilegiada. Então, sim, estas terapias irão
> > funcionar em todos, mesmo naqueles com um estilo de vida ruim.
> > >
> > > * Existe limite biológico para a vida dos seres humanos?
> > > De Grey: Há de fato um limite biológico para quanto tempo as
> > pessoas podem viver, porque certos aspectos do nosso metabolismo, como a
> > respiração, são inevitáveis e acumulam danos moleculares e
> > celulares. Porém, uma vez que se desenvolvam técnicas de
> > bioengenharia para reparar esses danos, não haverá mais limite
> > para a vida do homem.
> > >
> > > * Como lidar com as consequências sociais de se ter uma
> > superpopulação?
> > > De Grey: A eliminação do envelhecimento vai mudar o mundo. E
> > precisaremos agir diante de muitas dessas transformações. No entanto,
> > essas dificuldades não superam os benefícios da eliminação de
> > doenças como câncer e problemas cardiovasculares.
> > >
> > > * Viver mais significa viver melhor?
> > > De Grey: Não necessariamente. Mas o trabalho em minha fundação
> > de estudos em engenharia de rejuvenescimento, a Sens, foca em viver
> > melhor, ou seja, adiar o processo das doenças da velhice. A
> > longevidade será um efeito colateral: só ocorrerá porque as
> > pessoas serão mantidas saudáveis.
> > >
> > > * Você aplica técnicas de medicina regenerativa em si mesmo?
> > Já testou alguma?
> > > De Grey: Estou ansioso para me beneficiar destas terapias. Não
> > faço isso simplesmente porque, na prática, elas ainda não
> > existem.
> > >
> >
>


SUBJECT: Re: [ciencialist] Vejam a ltima novidade da netiqueta
FROM: "Pesky Bee" <peskybee2@gmail.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 17:58

> As razões psicológicas inconscientes desta norma de conduta
> só mesmo Freud para explicar.
 
Mas Calilzão, tu não achas que esse negócio de "Freud explica"
não está sendo um pouco exagerado? Eu, por exemplo, adoro
abrir a janela do meu quarto e dar uma cusparada em direção ao
jardim do meu vizinho. Tento acertar um pequeno vaso de plantas
que o sujeito tem lá (já consegui várias vezes, estou ficando
bom nisso!). E se alguém me perguntar, enojado, porque faço
isso, direi apenas que estou corroborando que a trajetória
parabólica do petardo continua a mesma, já que, em termos rigorosos,
poderia ser alterada de um dia para o outro pela súbita aparição
de uma imprevisível formação de matéria escura, proveniente
do Cinturão de Asteróides entre Marte e Júpiter e que agora
está bem próxima da Terra, a ponto de causar alterações na
dinâmica de deslocamento gravitacional de catarradas ejetadas.
Freud teria uma teoria diferente (embora igualmente descabelada)?
 
*PB*
 
 
 
-----Mensagem Original-----
From: Mtnos Calil
Sent: Tuesday, April 03, 2012 12:47 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta
 
Quando você responder a uma mensagem, não coloque o texto da mensagem que
você está respondendo.
Coloque apenas o número.
As razões psicológicas inconscientes desta norma de conduta só mesmo Freud
para explicar.
Talvez seja uma regressão para o tempo antigo, pois quando alguém escrevia
uma carta, não colocava no correio a carta à qual estava respondendo.
Abraços
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Tuesday, April 03, 2012 2:55 AM
Subject: Re: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.
 
 
> -----Mensagem Original 81174-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Monday, April 02, 2012 6:00 AM
> Subject: [ciencialist] Resistência à mudança dos grupos humanos.
>
> Cruz credo!!! Quanta projeção! Tenha bons sonhos com Freud e ficarei na
> torcida para que ele consiga te ajudar.
>
> [ ]´s
> Alberto
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>
>
>
> ------------------------------------
>
> #####   #####   #####
>
> Página de apoio
> http://www.ciencialist.com
>
>
> #####   #####   #####   #####Links do Yahoo! Grupos
>
>
>
 
 
 
------------------------------------
 
#####   #####   #####
 
Página de apoio
http://www.ciencialist.com
 
 
#####   #####   #####   #####Links do Yahoo! Grupos
 
<*> Para visitar o site do seu grupo na web, acesse:
    http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/
 
<*> Para sair deste grupo, envie um e-mail para:
    ciencialist-unsubscribe@yahoogrupos.com.br
 
<*> O uso que você faz do Yahoo! Grupos está sujeito aos:
    http://br.yahoo.com/info/utos.html
 

SUBJECT: Re: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 19:02

-----Mensagem Original-----
From: Pesky Bee
Sent: Tuesday, April 03, 2012 5:58 PM
Subject: Re: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta

> ...tu não achas que esse negócio de "Freud explica" não está sendo um
> pouco exagerado? Eu, por exemplo, adoro abrir a janela do meu quarto e
> dar uma cusparada em direção ao jardim do meu vizinho. Tento acertar
> um pequeno vaso de plantas que o sujeito tem lá (já consegui várias
> vezes, estou ficando bom nisso!). E se alguém me perguntar, enojado,
> porque faço isso, direi apenas que estou corroborando que a trajetória
> parabólica do petardo continua a mesma, já que, em termos rigorosos,
> poderia ser alterada de um dia para o outro pela súbita aparição de
> uma imprevisível formação de matéria escura, proveniente do Cinturão
> de Asteróides entre Marte e Júpiter e que agora está bem próxima da
> Terra, a ponto de causar alterações na dinâmica de deslocamento
> gravitacional de catarradas ejetadas. Freud teria uma teoria diferente
> (embora igualmente descabelada)?

Sem a menor sombra de dúvidas. Trata-se da teoria
psicoanalítico-mitológica. A coisa é mais ou menos assim: Marte é um dos
quatro filhos de Jupiter com Juno (a rainha dos deuses). Com grande
frequência Juno posta-se entre Marte e Jupiter, ou seja, no Cinturão de
Asteróides. A matéria escura que aí se forma nada mais é senão o
resultado da conflitante psicodinâmica libidinal existente entre Marte e
Juno. Como Marte é o deus da guerra, esta libido chega à Terra de uma
forma um tanto quanto agressiva e se você não conseguir descarregar no
seu pai (complexo de Édipo), acabará descontando no vizinho, que dentre
os semelhantes ao seu pai (de mesmo sexo) é o que está mais próximo.

Putz! Acho que exagerei no besteirol. ;-)

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com.br
Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.



SUBJECT: Raios são guiados por pulsos de laser
FROM: Tipoalgo <tipoalgo@gmail.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 19:30

Olá a todos,

apenas compartilhando ...


Abraços
Tipoalgo



SUBJECT: 4a. sessão de Pesky no divã freudiano, com Alberto só observando...
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 19:46

Ok, Pesky: FREUD NÃO EXPLICA
 
O que ele faz é dar as ferramentas para que cada um se explique, com a ajuda dele. Ninguém consegue se explicar sozinho pois ainda não foi criado o PSICOSCÓPIO, que permitiria uma visão interna com tal alcance que o sujeito faria de si pela primeira vez na história do universo o objeto de si mesmo. Por isso os cientistas não podem saber o que é a ciência que eles praticam - eles fazem parte da prática.
 
O que Freud faria em relação à sua escarrada é uma pesquisa com a sua participação direta.
Ele pediria para você se deitar no divã, relaxar os musculos e a mente e conversar com ele sobre o conteúdo do seu sonho.
Digamos que tudo que você falou abaixo fosse a descrição de um sonho.
Pouco importa se você deu a escarrada ou sonhou com ela, pois de um jeito ou de outro você estaria realizando o desejo de escarrar.
A hipótese a ser verificada é que existe um motivo oculto desta escarrada, que está escondido no seu inconsciente - um motivo inconsciente do seu desejo de acertar o pequeno vaso de plantas. Entretanto, este vaso pode estar substituindo outro objeto. Você poderia por exemplo desejar cuspir na cara do seu vizinho, mas sendo um camarada civilizado como é (ou como tenta ser), deslocou a cusparada da cara para o vaso do vizinho. Freud não lhe diria isso, mas recolheria do seu vômito de idéias jogadas no divã, dados que permitiriam essa interpretação para em seguida verificar qual foi a sua reação e prosseguir na análise do conflito estabelecido entre você e seu vizinho. O objetivo desta análise seria livrar você desta relação neurótica.
 
Quanto ao Alberto, o Freud não precisaria perguntar nada. É evidente que ele gostaria de me eliminar do grupo pelo fato de minha presença agravar o seu (dele) problema de auto-estima, provocando a reação de fúria narcisica. Como até agora ele não conseguiu me eliminar do grupo (não sei se terá ou não o poder de fazê-lo ou de convencer os proprietários da lista a fazê-lo), ele trata de usar mecanismos substitutos, a exemplo da sua cusparada. Por exemplo, ao responder minhas mensagens, ele ELIMINA o meu texto. Enquanto ele não puder me eliminar fisicamente do grupo, faz essa eliminação simbolicamente, o que alivia a sua (dele) angústia causada pelo problema da auto-estima. Quanto as causas do problema da auto-estima, Freud me informou quais são, mas pediu para não divulgar no grupo, pois se o fizesse, estaria cometendo uma imperdoável invasão de privacidade. (como os problemas de auto-estima são muito comuns em nossa sociedade, citá-los não implicou invasão de privacidade).
 
Abraços
M.Calil
 
Ps1. Perdido no oceano de feed-backs, estou tentando evitar o naufrágio. Para isso me ocorre agora escrever apenas dois livros e não cinco: um seria destinado a não cientistas com a finalidade de dar-lhes acesso ao pensamento cientifico, pois pensar cientificamente não requer nenhuma fórmula matemática e nenhuma experimentação (obviamente pensar é uma coisa, experimentar é outra); o outro livro seria destinado aos cientistas que precisam urgentemente do auto-conhecimento
freudiano, seja para saberem o que é a ciência que eles praticam, seja para evitar que o mundo cientifico vá para o beleléu na companhia do mundo não cientifico.
No segundo livro, Freud estará presente, malgrado os neurocientistas o abominem. Para saber porque os neurocientistas (e também os cientistas em geral) abominam Freud não é preciso fazer pesquisa nenhuma. A razão é que eles, como qualquer cidadão comum, têm o pavor de descobrir o que se passa nos porões de sua mente.
Eles têm curiosidade em conhecer tudo que se passa no mundo, exceto o que se passa dentro deles. Por isso o conselho socrático dado há cerca de 2400 anos , "conhece-te a ti mesmo" , foi enterrado com muitas cusparadas, por todos os cidadãos, comuns e incomuns.
 
Ps2. O segundo livro eu só poderei publicar se estiver morando  fora do Brasil, pois a fúria narcisica da coletividade cientifica nacional colocaria em risco minha vida.
Por muito menos que disse, Edgar Morin passou maus bocados na França sendo perseguido pelos cientistas locais. Imagine o que aconteceria com um zé ninguém como eu... pera aí... como eu vou continuar sendo o zé ninguém de sempre, os magnatas da ciência canarinha não vão dar bola nenhuma para mim... Melhor assim, pois estou sem grana para mudar de país. De qualquer forma, é bom tomar cuidado. (magnata se não me engano foi um adjetivo qualificativo usado pelo Thiago ou pelo JVictor - portanto, dessa estou livre).
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Tuesday, April 03, 2012 5:58 PM
Subject: Re: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta

 

> As razões psicológicas inconscientes desta norma de conduta
> só mesmo Freud para explicar.
 
Mas Calilzão, tu não achas que esse negócio de "Freud explica" não está sendo um pouco exagerado? Eu, por exemplo, adoro  abrir a janela do meu quarto e dar uma cusparada em direção ao jardim do meu vizinho. Tento acertar um pequeno vaso de plantas que o sujeito tem lá (já consegui várias vezes, estou ficandobom nisso!). E se alguém me perguntar, enojado, porque faço isso, direi apenas que estou corroborando que a trajetória parabólica do petardo continua a mesma, já que, em termos rigorosos, poderia ser alterada de um dia para o outro pela súbita aparição de uma imprevisível formação de matéria escura, proveniente
do Cinturão de Asteróides entre Marte e Júpiter e que agora está bem próxima da Terra, a ponto de causar alterações na dinâmica de deslocamento gravitacional de catarradas ejetadas.  Freud teria uma teoria diferente (embora igualmente descabelada)?
 
*PB*
 
 
 
-----Mensagem Original-----
From: Mtnos Calil
Sent: Tuesday, April 03, 2012 12:47 PM
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Subject: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta
 
Quando você responder a uma mensagem, não coloque o texto da mensagem que
você está respondendo.
Coloque apenas o número.
As razões psicológicas inconscientes desta norma de conduta só mesmo Freud
para explicar.
Talvez seja uma regressão para o tempo antigo, pois quando alguém escrevia
uma carta, não colocava no correio a carta à qual estava respondendo.
Abraços
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
Conheça os lançamentos de TVs e os melhores preços. Dê um Zoom!

Quem procura, acha. Encontre a pessoa ideal online
.


SUBJECT: Re: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 19:50

Boa Alberto, assim você alivia a angústia.
As vezes falar bobagens faz bem para o espirito cientifico que precisa de
momentos de lazer. Não resolve o problema porque não ataca as causas, mas
alivia a dor. A catarse tem esse efeito benéfico.
Abraços
M.Calil


----- Original Message -----
From: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Tuesday, April 03, 2012 7:02 PM
Subject: Re: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta


> -----Mensagem Original-----
> From: Pesky Bee
> Sent: Tuesday, April 03, 2012 5:58 PM
> Subject: Re: [ciencialist] Vejam a última novidade da netiqueta
>
>> ...tu não achas que esse negócio de "Freud explica" não está sendo um
>> pouco exagerado? Eu, por exemplo, adoro abrir a janela do meu quarto e
>> dar uma cusparada em direção ao jardim do meu vizinho. Tento acertar
>> um pequeno vaso de plantas que o sujeito tem lá (já consegui várias
>> vezes, estou ficando bom nisso!). E se alguém me perguntar, enojado,
>> porque faço isso, direi apenas que estou corroborando que a trajetória
>> parabólica do petardo continua a mesma, já que, em termos rigorosos,
>> poderia ser alterada de um dia para o outro pela súbita aparição de
>> uma imprevisível formação de matéria escura, proveniente do Cinturão
>> de Asteróides entre Marte e Júpiter e que agora está bem próxima da
>> Terra, a ponto de causar alterações na dinâmica de deslocamento
>> gravitacional de catarradas ejetadas. Freud teria uma teoria diferente
>> (embora igualmente descabelada)?
>
> Sem a menor sombra de dúvidas. Trata-se da teoria
> psicoanalítico-mitológica. A coisa é mais ou menos assim: Marte é um dos
> quatro filhos de Jupiter com Juno (a rainha dos deuses). Com grande
> frequência Juno posta-se entre Marte e Jupiter, ou seja, no Cinturão de
> Asteróides. A matéria escura que aí se forma nada mais é senão o
> resultado da conflitante psicodinâmica libidinal existente entre Marte e
> Juno. Como Marte é o deus da guerra, esta libido chega à Terra de uma
> forma um tanto quanto agressiva e se você não conseguir descarregar no
> seu pai (complexo de Édipo), acabará descontando no vizinho, que dentre
> os semelhantes ao seu pai (de mesmo sexo) é o que está mais próximo.
>
> Putz! Acho que exagerei no besteirol. ;-)
>
> [ ]´s
> Alberto
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>
>
>
> ------------------------------------
>
> ##### ##### #####
>
> Página de apoio
> http://www.ciencialist.com
>
>
> ##### ##### ##### #####Links do Yahoo! Grupos
>
>
>



SUBJECT: EncaixePet - Versão 3.0
FROM: Tipoalgo <tipoalgo@gmail.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 03/04/2012 19:57

Olá a todos,

confiram o EncaixePet 3.0, ficou mais simples: http://tipoalgo.blogspot.com.br/2012/04/encaixepet-30.html

Se alguém tiver outras ideias é só comentar lá no blog ou aqui mesmo.

Abraços
tipoalgo   @   gmail   .  com



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Nikola
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 20:34

Olá Nikola.
Ocorre que estou de férias.
Mas as 14 horas por dia não estou dedicando à "lista" e sim ao livro.
Quanto à inveja, existem duas formas de você acabar com ela:
 
a) Fazendo uma psicoterapia freudiana não ortodoxa.
b) Ignorar radicalmente a existência das pessoas que você inveja.
 
Boa sorte!
 
Mtnos Calil  
 
Ps. Você gastaria apenas um minuto por dia deletando minhas mensagens. Na relação custo beneficio você sai ganhando horrores. Você até agora não fez isso porque é movido por algo que domina a natureza humana: a curiosidade. Satisfeita a curiosidade, delete!
 
 
----- Original Message -----
Sent: Tuesday, April 03, 2012 3:32 PM
Subject: Re: [ciencialist] Re: Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 

Caramba!
 
No meu caso posso assumir que é inveja mesmo! Quem me dera ter 14 horas por dia pra dedicar a qualquer coisa que não seja sobreviver! Isso só reforça minha tese inicial (que eu não expressei) que o Mtnos não tem mais o que fazer!!
 
Nada pessoal, mas eu entrei na lista com outra expectativa, e, pelo jeito, a lista teria atendido a minhas expectativas caso eu tivesse entrado antes do Mtnos, mas a coisa tá muito desinteressante com esse cara aqui.
Nada pessoal, Mtnos, eu não quis ofender, eu prometo que vou me calar, e vou refazer minha frase:
 
- Uma lista de discussão com a presença de um provocador obsessivo é um saco!
 
[ ] s
Teslófilo

 

 
Em 3 de abril de 2012 00:00, Mtnos Calil <mtnoscalil@terra.com.br> escreveu:
 

Meu amigo, eles não aguentam mais! Nunca vi coisa igual.  Eles pensam que eu estou aqui para disputar espaço e poder com eles? Mas eles não os donos do pedaço??
 
Um deles acabou de ter um surto alarmante chegando a este nivel de agressão psicótica, referindo-se às minhas mensagens.
 
Veja:
 
"sem conteúdo, pomposas, pretensiosas, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo.»
 
Cê viu, cara pálida? É surto psicótico ou não? O camarada não sabe que só no kindle eu estou com 127 itens com centenas de notas e registros. No minimo 100 publicações entre livros, artigos, teses de mestrado e de doutorado referem-se aos assuntos que temos debatidos aqui e que foram arquivadas no kindle a partir de fevereiro, ou seja há 60 dias. Eu tenho dedicado no minimo 14 horas por dia para leitura e redação.
 
Mas esse surto psicótico foi util, pois me propiciou este insight: antes de escrever o livro "Ideologia Zero: a cura da esquizofrenia linguistica" eu vou escrever CENTENAS de notas de rodapé, classificando todas em 3 categorias: ideológicas, cientificas e indefinidas, além é claro de montar a bibliografia. O livro vai começar das notas e referências bibliográficas.
 
Desde que entrei no ciencialist, em fevereiro, minha vida mudou radicalmente. Deixei minhas atividade de lado as quais, vou ter que retomar a qualquer hora, para assim, interromper esta onda de surtos.
 
Confesso, porém, que não estou compreendendo a razão destes surtos. Se você tiver algumas hipóteses para explicar este fenômeno, mas (Me +as) envie por favor.
 
Eu vou fazer a lista dos que dão trela, mas por medida de segurança não vou divulgá-la para evitar assim um massacre grupal que lembra bem o comportamento tribal dos nossos queridos primatas. Eu não imaginava que pudesse despertar a fúria de instintos primitivos num grupo de ciência. Que coisa estranha, camarada!
 
Narcisisismos à parte, permita-me formular a hipótese que a inveja seja a causa destes surtos. Eu vou enviar um artigo que escrevi sobre inveja para você examinar.
 
Outra coisa: vou escrever um apêndice no livro sobre os surtos. Já com relação aos feed-backs, eles serão citados com o devido crédito, no interior da publicação.
 
O problema é que pelo andar da carruagem vou ter que escrever um livro por ano, se não me expulsarem daqui. Este grupo é a maior fábrica de feed-back que já vi na vida!  Não dá pra entender... só mesmo a teoria quântica para explicar.
 
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
 
 


 
----- Original Message -----
Sent: Monday, April 02, 2012 3:50 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky

 

Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
 
(...aposto que muitos da ciencialist devem estar loucos para
me pedir para eu não dar trela para ti...)
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 1:34 PM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Pesky
 


Nossa Bee!
Depois dessa preciso tomar cuidado para evitar que meu ego fique insuflado.
Deixa-me ver como fazer isso agradando os opositores...
Por exemplo:  o meu anti-pensamento  proporciona, por acaso, o beneficio de estimular o pensamento de  algumas pessoas.
Batizei esse processo de "provocações benignas". (pera aí... mas isso parece uma dos mecanismos do velho brainstorm...)
 
Good & Thanks
Mtnos Calil
 
Ps1. Vou por um tempo me fantasiar de americanófilo. Porém sem  o narcisismo nacionalista. (o narcisismo é um dos elementos de todas as ideologias).
Os politicos não descobriram ainda que o nacionalismo é uma forma de narcisismo de origem tribal, praticado em nossos dias, por exemplo, pelas torcidas organizadas e desorganizadas do Corinthians e Palmeiras que já contabilizam muitos feridos e alguns mortos em suas contendas programadas pela cruel Evolução. Que evolução hein??? Que seleção desnaturada é essa?
 
Ps2. Eu aderi ao humorismo por ser uma  das tônicas da linguagem dos ciencialisteiros. Pelo menos ninguém pode me culpar deste mal, ou melhor, deste bem.
Ciência e lógica com bom humor - quer coisa melhor do que isso para passar o tempo? Um dos lideres humoristas do grupo é a abelha aborrecida.
 
 
 
 
----- Original Message -----
From: Pesky Bee
Sent: Monday, April 02, 2012 9:56 AM
Subject: Re: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero eAlberto.
 
 

Calilzão, já te falei que tu és importante pacas, bicho!
É difícil achar gente que pense da forma como tu pensas,
e de uma maneira ou de outra, isso acaba nos fazendo
pensar também (que é o lado positivo dessa história).
 
*PB*
 
 
 
Sent: Monday, April 02, 2012 6:33 AM
Subject: [ciencialist] Os transformadores são chatos por natureza - com Homero e Alberto.
 


Prezados amigos e ferrenhos opositores.
 
Eu sei que essas agressões têm a função de aliviar suas ansiedades.
Mas a experiência está revelando que elas não estão conseguindo atingir esse objetivo.
Pelo contrário, estão aumentando a ansiedade e o pior: fazendo vocês perderem seu precioso tempo.
 
Muito do que eu escrevi aqui será publicado num livro "chato", pois ciência, infelizmente não é fonte de lazer e diversão para todos. Lógica também é algo chato para muitos. Matemática também... nossa! quanta coisa chata e quantas pessoas chatas (e de mente achatada) existem neste mundo!
 
Alguns vieram ao mundo para agradar os outros.
Outros vieram para servir.
Outros vieram para serem servidos.
E outros ainda  vieram para ficar admirando a própria imagem refletida nas águas do narcisismo.
 
Abraços
Mtnos Calil
 
Ps1. Estou de acordo: eu sou um transformador chato e inconformado com o jeito de ser de nossa espécie (des)humana. Para a minha sorte existem outros chatos
nesse mundo que sofrem do mesmo transtorno genético de personalidade. Para a minha sorte , existem outros extra-terrestres habitando este planeta.
 
Ps2. A melhor forma de vocês não serem atingidos por tanta chatice é SIMPLESMENTE DELETAR TODAS AS MINHAS MENSAGENS. Vale a pena perder um minuto por dia do que se desgastar tantas horas por mês. Mas certamente existe uma razão emocional que os impede de se livrar do mal. Assim o mal se duplica!
 
Ps3. O que parece  irreverência no que escrevo, é apenas um "humor ácido" defensivo e terapêutico, porém não ofensivo.
 
 
----- Original Message -----
From: Homero
Sent: Monday, April 02, 2012 12:36 AM
Subject: [ciencialist] Re: Calil, pare de modificar o nome das threads
 
 

Alberto: " Quero crer que, de uma maneira ou de
outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
galochas». "

 
Concordo totalmente. Ser chato é uma característica, não uma ofensa (nem sempre pelo menos). Eu acho o Mtnos chato também, com uma conversa sem sentido, pedante, sem conteúdo, e muita pretensão (de falar "grandes verdades"..:-), mas não é nada pessoal, entendo que deve ter quem goste e o ache muito legal.:-).
 
Os posts do Mtnos (minha opinião pessoal.:-) são sem conteúdo, pomposos, pretensiosos, e ao mesmo tempo sem lógica ou coerência, circulares, sem sentido ou relevância, usando citações a torto e a direito, para disfarçar a falta de conteúdo. Em algum momento é preciso parar e voltar a discutir o que é, afinal, o propósito desta lista, ciência. Devem existir listas de "filosofia" (assim, entre aspas mesmo) que possivelmente adorariam esse tipo de discussão sem fim, mas não penso que seja assim aqui na CiênciaList (chegamos até a astrologia, imaginem só.:-).
 
Enfim, se alguém pretende "revolucionar a filosofia e a ciência" com "novos e matadores paradigmas", e teorias como "a ideologia zero, que salvará a humanidade", o mínimo que se espera é que tenha personalidade forte o suficiente para aguentar algumas críticas mais intensas (e ser chamado de chato de vez em quando.:-).
 
Os grandes pensadores "de verdade" aguentaram bem mais que isso, e críticas muito mais agressivas, mas provaram seus pontos com base, evidências e argumentos sólidos.
 
Homero
 
 
 
 
 
 
 

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@...> escreveu
>
> -----Mensagem Original-----
> From: Mtnos Calil
> Sent: Sunday, April 01, 2012 6:40 PM
> Subject: [ciencialist] Calma por favor Alberto.
>
> > Isto não é uma opinião e sim uma avaliação lógico-cientifica. Uma
> > interpretação "freudiana" seria a seguinte: você se sentiu ofendido
> > com a minha mensagem e usou dessa agressividade como forma de defesa.
>
> OK, não há porque ser redundante. Em condições análogas você já disse
> isso dezenas de vezes e não só para mim, dando a entender que, se
> alguém aqui se sentiu ofendido, este alguém foi você. Se não acredita,
> da próxima vez que sonhar com Freud faça uma análise com ele. Eu não me
> senti ofendido mas sinto-me extremamente incomodado com a baderna que
> você vem produzindo aqui e não é de hoje, e também já expus, em outras
> msgs, o que penso a esse respeito. Quero crer que, de uma maneira ou de
> outra, a maioria dos membros decanos da Ciencialist concorda comigo. Não
> procure lógica nesta minha argumentação pois este não tem a pretensão de
> ser um discurso científico. Estou apenas procurando lhe mostrar que o
> Tesla não está totalmente errado quando afirma que você é um «chato de
> galochas». E já que você sugeriu a moderação dele (ou de outros
> queixosos), aproveito o ensejo para, em alta voz, SOLICITAR AOS SENHORES
> MODERADORES DA CIENCIALIST PARA QUE COLOQUEM O SENHOR MTNOS CALIL SOB
> MODERAÇÃO ou, então, para que tomem alguma outra providência para acabar
> com a baderna que, graças a ele, aqui se instalou.
>
> Se toca, meu! E, se possível, pare de modificar o nome das threads com
> tanta frequência. Até para isto existem regras da netiqueta, se é que
> você sabe o que isto significa.
>
> Fui
> Alberto
> A netiqueta acima de tudo
> http://ecientificocultural.com.br
> Mas indiferentemente a tudo isso, o elétron não é uma carga elétrica
> coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.
>



SUBJECT: Filosofia não é ciência Thiago?
FROM: "Mtnos Calil" <mtnoscalil@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 03/04/2012 20:57

Bem isso depende do que seja a ciência.
Aí a coisa se complica, pois não existe uma definição cientifica de ciência.
Afirmar que a filosofia seja ou não ciência, não existindo uma definição cientifica de ciência parece estranho.
Ooopssss..... matei a  charada, Thiago. Você inventa a definição de ciência que quiser ou escolhe a que melhor servir à sua tese.
Para que se chegue um dia a uma definição cientifica de ciência é necessário o auto-conhecimento do conhecimento... bem vou parando por aqui, para
não deixar o seu professor (Alberto) nervoso.
Abraços
M.Calil
 
Ps. Veja nesta lista se tem algum conceito ou definição de ciência que seja  de seu agrado - a definição de seu professor está na lista. Aproveita para perguntar ao professor se a definição dele se apoia no conceito de indução ou de dedução.  Me parece que está mais para indução do que para dedução. Seria bom termos o parecer do Popper a respeito.
 
Ps. Popper falou e disse: "Uma teoria científica é um modelo matemático que descreve e codifica as observações que fazemos. Assim, uma boa teoria deverá descrever uma vasta série de fenômenos com base em alguns postulados simples como também deverá ser capaz de fazer previsões claras as quais poderão ser testadas."

Assim sendo você vai precisar botar matemática na sua filosofia, se quiser que ela um dia seja ciência, ou então esquecer o Popper, que foi o maior filósofo da ciência universal. Ele se atrapalhou com o marxismo e acabou virando um liberal. Não leu muita coisa de Freud mas concluiu que todas as teorias deles não eram falseáveis, e portanto, não cientificas. Ocorre que Freud tinha muitas teorias na cabeça e o Popper não tinha tempo para se ocupar com tantas teorias , ainda mais porque se arrependeu de ter aderido ao marxismo.
 
 

Luiz Eduardo                      

Ciência é um método.

Mtnos Calil                           

Ciência é um método de aproximações sucessivas da realidade (ou da verdade).

Homero

Ciência é um método de gerar conhecimento confiável e embasado. Esse método pode variar, dentro de limites, conforme a área de estudo, sua natureza (mais ou menos concreta ou abstrata) e seu alcance.

Alberto Mesquita Filho      

Ciência é o processo pelo qual o homem se relaciona com os fenômenos universais que se sujeitam à esta regra científica fundamental: se em dadas condições, um determinado fenômeno, sempre que pesquisado, se repetiu, é de se admitir que em futuras verificações o mesmo suceda

Pesky Bee

Ciência é uma metodologia de geração de modelos informacionais abstratos (matemáticos, textuais, diagramáticos) que precisam ser submetidos a  confrontação e refutação empírica e que buscam coerência, parcimônia e abrangência.

Feira de Ciência, publicado

por Léo – Luiz Ferraz Neto

Ciência, como um todo, é conhecimento organizado (isto é, ordenado e estruturado. Cada ciência particular é, em seu setor, a totalidade dos conhecimentos ordenados e relacionados uns com os outros segundo critérios coerentes e geralmente aceitos. A ciência pressupõe regularidade na natureza, isto é, relação recíproca e invariável dos elementos que participam dos fenômenos (lógica; causalidade ou determinismo; probabilidade); por isso toda ciência se compõe de conhecimentos fundamentados (o que não significa que sejam imutáveis) e que permitem previsões. Ciência tem estrutura, e nisso ela se distingue essencialmente de mera soma de informações, amontoado de fatos, mesmo que sejam ordenados. A estrutura decorre da uniformidade da natureza.

JVictor

Ciência é tudo que se pode medir com réguas e relógios.

Luiz Eduardo

A régua e o relógio são apenas instrumentos para comprovar a ciência que foi feita abstratamente no cérebro.

Oxford American Dictionary

Ciência é a atividade intelectual e prática que abarca a estrutura e o comportamento do mundo físico e do natural, por meio da observação e da experimentação.

Gercinaldo Moura

Ramo do conhecimento sistematizado e organizado por princípios rígidos e regras específicas, seguindo uma metodologia cuidadosa de modo a obter resultados extremamente confiáveis e capaz de compreender, explicar e possivelmente reproduzir os fenômenos que se propõe a estudar.

G. Myrdal

A ciência nada mais é que o senso comum refinado e disciplinado.

Thomas Khun

Ciência normal é a pesquisa  firmemente baseada em uma ou mais realizações cientificas passadas.

Poincaré  

A ciência é construída de fatos, como uma casa é de pedras.

Wikipédia 

Em sentido amplo, ciência (do latim scientia, traduzido por "conhecimento") refere-se a qualquer conhecimento ou prática sistemáticos.      

Wikipédia

Em sentido estrito, ciência refere-se ao sistema de adquirir conhecimento baseado no método científico bem como ao corpo organizado de conhecimento conseguido através de tais pesquisas.

Wikipédia  

 

A ciência é o conhecimento ou um sistema de conhecimentos que abarca verdades gerais ou a operação de leis gerais especialmente obtidas e testadas através do método científico.

Bertrand Russel