SUBJECT: Re: Observatório Nacional---SOS
FROM: "Fernando Watson" <watson@con.ufrj.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 15:42


Maria Natália:

> Alguém da lista me pode fornecer um contacto HONESTO no Observatório
> Nacional?
> Alguém que seja Astrónomo ou Físico e que não seja catraio? Que seja
> responsável naquela casa???????????????
> Agradeço É que de 3 mensagens enviadas acerca dos erros notados no
> tal enunciado de exame ninguém responde, ninguém é responsável por
> nada e se brinca com cursos on line.
> Estou deveras aborrecida que uma organização oficial brasileira se
> comporte deste modo: NÃO ASSUMINDO OS SEUS ERROS!
> Ou o Obserrvatório Nacional está entregue aos bichos?
> Manda a educação que se responda. Se a massa é a quantidade de
> matéria que a digam em público. Se o índece de refracção é densidade
> que o digam. MAS DIGAM-NO. O silêncio para mim significa que para
> eles é assim. Se ERRARAM QUE O DIGAM e façam a correcção desse erro.
> E este é um dos problemas que tenho entre mãos: saber o que se passa
> no ON
> E pronto UM MÊS por resposta e agora faço público quem errou a
> propósito de massa e leis da refracção da luz (óptica geométrica)
> Não o queria fazer mas acho que já é gozar com o pagode. Ou se
> calhar meti-me com catraios.E por em Portugal o Observatório estar
> entregue a ASTROFÍSICOS da Universidade de Lisboa e que dão a cara
> por aquilo que fazem! Está entregue a pessoas idóneas.
> Realmente enganei-me em relação ao vosso ON.
> E esta foi a doer!!
> Obrigada pela atenção

Watson:

Mas professora, a senhora, nessa altura do campeonato, ainda se preocupa com
resultado de provas? Com confissões públicas de pretensos erros, à moda do
ritual cristão? Acho que está faltando aí um pouco de maturidade da vossa
parte: provas numa lista não são feitas para classificar alunos (e nesse
sentido, eles não poderiam ser "prejudicados") mas sim para verificar quem
teve um aproveitamento aceitável no curso e quem não teve. De minha parte,
achei muitos outros "erros" do tipo do "índice de refração", sobre eles
mandei emails ao responsável pelo curso não com o objetivo de
obter "confissões de erro", mas tão somente para alertá-lo sobre o assunto e,
quem sabe, corrigí-los numa próxima edição do curso. Veja bem, professora, o
curso tem cerca de 1.000 alunos e seu responsável não pode se dar ao luxo de
ficar interagindo com todos eles sobre questões semânticas embora, acho, isso
tenha ocorrido em alguns casos (a segunda prova, distribuida num Domingo, por
exemplo, teve uma de suas questões reformuladas na segunda feira). No meu
entender, resultado de provas tem valor meramente estatístico, não adianta
nós alunos, ficarmos a reclamar sobre erros, injustiças, etc. No meu tempo de
estudante, ouvíamos um ditado que bem se aplica a essa questão: "o bom
cabrito não berra". Eu, por ter obtido notas 10, 9,5 e 9 nas tres provas não
estou nem aí para reclamar do ON reparações sobre uma pretensa "injustiça".
Estou é aguardando ansiosamente o próximo curso sobre cosmologia, que é o que
mais me interessa. E tenho mais o que fazer do que ficar a espernear sobre
imperfeições das notas de aula, no meu entender, um esforço memorável do ON
em familiarizar o público leigo com um assunto fascinante que é a astrofísica.

Saudações respeitosas

Watson




SUBJECT: Re:_[ciencialist]_fsicos...
FROM: luiz silva <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 15:47

Ele tá certo....todo químico é um Físico sim....

Pense em termos d conjuntos q perceberá a veracidade de tal afirmação...

Além do mais, um Físico Quantico, deia de ser considerado Físico só pq estuda uma PARTE da Física : Física Quantica ???

Abs,


"Prof._Alberto_Ricardo_Präss" <arprass@fisica.net> wrote:
Você entendeu. Não complique.


----- Original Message -----
From: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Thursday, November 06, 2003 10:57 PM
Subject: Re: [ciencialist] físicos...



----- Original Message -----
From: "Prof. Alberto Ricardo Präss"

> Todo químico é um físico, pois a Química nada mais é que uma parte da
Física
> Molecular.

Desde quando a parte é o todo ?

Sérgio Taborda

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





Yahoo! Groups Sponsor Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08Mais...
Você S/A
Boa Forma
Capricho
Exame

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: Álvaro Antpack <sci@eletro.ufrgs.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/11/2003 16:02

se é pra ser assim, qualquer area do conhecimento pode ser reduzida à física... até das humanas, pois pessoas são feitas de átomos, pelo menos até onde eu sei... inclusive "pseudociências" como psicologia (a mente deve ser uma consequência de nosso cérebro altamente complexo mas ainda composto de átomos - mais uma vez, até onde eu sei) poderiam ser consideradas "uma parte" da física, e portanto estudáveis por físicos, que "só" precisariam de bons modelos e poder computacional.

Álvaro Antpack
----- Original Message -----
From: luiz silva
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 07, 2003 3:47 PM
Subject: Re:_[ciencialist]_físicos...


Ele tá certo....todo químico é um Físico sim....

Pense em termos d conjuntos q perceberá a veracidade de tal afirmação...

Além do mais, um Físico Quantico, deia de ser considerado Físico só pq estuda uma PARTE da Física : Física Quantica ???

Abs,


"Prof._Alberto_Ricardo_Präss" <arprass@fisica.net> wrote:
Você entendeu. Não complique.


----- Original Message -----
From: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Thursday, November 06, 2003 10:57 PM
Subject: Re: [ciencialist] físicos...



----- Original Message -----
From: "Prof. Alberto Ricardo Präss"

> Todo químico é um físico, pois a Química nada mais é que uma parte da
Física
> Molecular.

Desde quando a parte é o todo ?

Sérgio Taborda

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





Yahoo! Groups Sponsor Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08Mais...
Você S/A
Boa Forma
Capricho
Exame

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re:_Re:_Re:_[ciencialist]_Mas_afinal_o_que__a_massa?
FROM: luiz silva <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 16:03

Concordo com vc....Me epressei mal.....

Abs

Artur Varanda <artur.varanda@netvisao.pt> wrote:
Olá Luís,

"O q falo, é q na física ainda não foi capaz de conceituar, definir...não existe senso comum a esse respeito..."

Senso comum na definição dos conceitos existe, caso contrário não poderíamos aprender nem transmitir o conhecimento: não poderíamos comunicar. Senão, pergunto-te: o que é "definir"? O que é o senso comum? Será que entendes o que te estou a perguntar? Será que existe conceito universal e senso comum para todas as palavras que estão presentes neste texto?

Toda a gente tem uma ideia do que é uma partícula fundamental. E posso descreve-la como algo que é indivisível e que possui a capacidade de ter movimento. Mas certamente virá alguém dizer-me: então e as partículas alfa!? Não são divisíveis?

Então, nessa altura, a definição tem de ser refinada de modo a que o consenso seja geral. A definição correcta vai refinanto à medida que se especula sobre ela mas nunca estará isenta de poder ser melhorada.

Existem definições para todos as palavras, mas essas definições, apesar de obterem aprovação pela maioria das pessoas, não são consensuais: basta pegar em dois dicionários diferente e comparar as definições, para ver que isso é assim.

Um abraço,
Artur



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


Yahoo! Groups SponsorPUBLICIDADE

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Eclipse amanhã 08/11/03 início 21:30 ( HBV )
FROM: João R. Bonomo <joao_bonomo@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 16:10

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Tonão" <tonao@s...> escreveu
> está mesmo confirmado ?
> vai ter mesmo ?
>
Well, já faz alguns anos que a NASA agendou esse evento para a Lua.
Caso a Lua não cumpra a agenda, será multada em milhares de dólares.
O último eclipse ocorreu na data e hora marcados. Acredito que com
esse não será diferente!
Só perde o espetáculo quem estiver sob condições climáticas de céu
nublado, como está ocorrendo no momento aqui em Floripa.

[]'s
jrb



SUBJECT: Re: [ciencialist] criatividade...
FROM: luiz silva <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 16:18

"Se você disser à sua mãe que a desarrumação do seu quarto é uma conseqüência
inevitável da Segunda Lei da Termodinâmica, como ela poderia
contra-argumentar se tiver ciência e paciência suficientes?"

A unica física necessária para isso é a de choques mecânicos.....Uma boa d uma chinelada....

Brincadeiras a parte, será q a 2a. lei se aplica a "sistemas conscientes"??

A consciencia pode diminuir a entropia, gerando ordem em vez de desordem.....( arrumação de quarto, criação de empresas, etc..)

Uma dúvida...O surgimento do ser humanano e da vida no geral reduziu a entropia na terra ( desculpem-me se estou falando besteira, mas tem tempo q n leio nada a respeito) ?

O q pode causar redução d entropia...Pelo q lembro, a 2a. lei permite q a entropia diminua localmente, mas globalmente ela aumenta...Sendo assim, o q compensou a diminuição de entropia, qdo a vida surgiu ??

Emiliano Chemello - BOL <chemello.e@bol.com.br> wrote:
Olá amigos,
Vamos ver a criatividade do grupo. Recebi essa questão não sei de quem
mas... é muito engenhosa:
Gostaria das respostas criativas dos integrantes do grupo para a
seguinte indagação:

*****
Se você disser à sua mãe que a desarrumação do seu quarto é uma conseqüência
inevitável da Segunda Lei da Termodinâmica, como ela poderia
contra-argumentar se tiver ciência e paciência suficientes?
*****


[ ]'s
---
Emiliano Chemello
chemelloe@hotmail.com
www.chemello.kit.net


Yahoo! Groups Sponsor Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08Mais...
Você S/A
Boa Forma
Capricho
Exame

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: - O que é massa?
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 16:36

Mas admite a "massa como quantidade de matéria"?
Me parece que ficou aqui bem claro que não pode ser ensinado isso às
crianças e a noção só se dá qd ele já vai no seu 4º ano de Física,
né?
É que no seu resumo a coisa não está muito explícita e isto não é
uma questão de gosto ou de metafísica. É física até aos miudos de 17
anos pelo menos...
Inté
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Roberto Belisário
<belistas2@t...> escreveu
>
> Caros,
>
> Obrigado pelas diversas definições de massa que reenviaram
para a lista.
> Abstenho-me de comentar sobre isso mais do que eu pus abaixo,
porque o
> número de mensagens é tão grande e os comentários tão ramificados
que não
> posso acompanhar o assunto (é, na verdade, um problema que me fez
abster-me
> de participar de inúmeros assuntos interessantes sobre os quais
teria
> gostado de opinar). Mas observo o seguinte:
>
> 1 - A física sempre define os conceitos em termos de outros
conceitos. Há,
> portanto, conceitos primários que não são definidos.
>
> 2 - A física não trata da essência das coisas: quando
perseguidas até a
> última instância, o máximo que as definições determinam são as
propriedades
> das coisas. A essência das coisas é tema da metafísica.
>
> Portanto, quase todas as definições de massa que foram
apresentadas me
> parecem legítimas, uma vez que fazem exatamente isso: definem em
termos de
> outros conceitos. Que é o que as definições em física teórica
fazem.
>
> Belisário



SUBJECT: Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "josecolucci" <j.colucci@rcn.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 16:53

>HOMERO: "Tá" desculpado, por mim, mas eu gostei da mensagem e da
resposta..:-)

Estou testando um sistema novo. Depois digo se deu certo. Para os que
usam o MS Outlook é possível atrasar o envio de mensagens por um
tempo determinado, de 1 minuto a 2 horas.

Descobri que descubro 90% nos erros nas minhas mensagens uma fração
de segundo depois de clicar a tecla "SEND". Estou atrasando o envio
de todas as mensagens em 3 minutos. Vamos ver se assim eu consigo
interceptar esses erros antes de a mensagem ser enviada. Ou se o meu
detector de erros vai também atrasar 3 minutos.

Abraço,
Colucci




SUBJECT: Re: piadinhas para descontrair os químicos...
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 16:54

Agradeço-te este momento de boa disposição.
E claro vão para o historial da lista.
Hug
Maria Natália
PS Me lembrei das piadas aos alentejanos aqui em Portugal...



--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Emiliano Chemello - BOL"
<chemello.e@b...> escreveu
> Sentindo um certo pré-conceito com os químicos da sala (eu ser
um), para os
> físicos segue umas piadinhas....são velhas... mas vela apena ler
novamente.
>
> Trocas de Lâmpadas...
>
> Quantos astrônomos são necessários para trocar uma lâmpada?
> Nenhum. Astrônomos se recusam a trocar lâmpadas. Os astrônomos
preferem
> lugares escuros.
>
> Quantos radio-astrônomos são necessários para trocar uma lâmpada?
> Nenhum. Eles não tem qualquer interesse nestas coisas que emitem
energia com
> pequeno comprimento de onda.
>
> Quantos físicos especialistas na teoria da relatividade geral são
> necessários para trocar uma lâmpada?
> Dois. Um segura a lâmpada enquanto o outro gira o Universo.
>
> Quantos físicos especialistas em mecânica quântica são necessários
para
> trocar uma lâmpada?
> Eles não conseguem fazer isto. Se eles sabem onde está a base da
lâmpada
> eles não podem localizar a lâmpada nova.
>
> Quantos físicos quânticos são necessários para trocar uma lâmpada?
> Nenhum, logo que eles observam que ela está apagada ela muda de
estado..
>
> Quantos físicos quânticos são necessários para trocar uma lâmpada?
> Se voce sabe o número você não sabe onde a lâmpada está.
>
> Quantos físicos de partículas são necessários para trocar uma
lâmpada?
> Duzentos: 136 deles para esmagar a lâmpada e 64 para analisar os
> pequeníssimos pedaços e chegar a alguma conclusão.
>
>
> Quantas pessoas que assinam listas na Internet você precisa para
trocar uma
> lâmpada?
> 1332 sendo:
> 1 para trocar a lâmpada e avisar na lista que a lâmpada foi trocada
> 14 para escrever experiências semelhantes e novas formas de trocar
uma
> lâmpada
> 7 para advertir sobre os riscos de se trocar uma lâmpada
> 27 para apontar erros de ortografia e gramática nos mails sobre a
troca de
> lâmpadas
> 53 para atacar os que corrigiram os erros de gramática e ortografia
> 156 para escrever ao owner da lista reclamando da quantidade de
sobre o
> assunto e dizendo que ele é inadequado a lista
> 41 para corrigir a ortografia nos mails atacando quem corrige a
ortografia
> 109 para dizer que a lista não é sobre troca de lâmpadas e
sugerindo criação
> de uma lista para isto
> 111 para defender que todos usam lâmpadas, e assim esta como é
relevante
> para a lista
> 306 para debater sobre os melhores métodos para trocar lâmpadas e
melhores
> marcas de lâmpadas
> 27 para postar URLs onde se pode achar exemplos de diferentes
lâmpadas
> 103 para reclamar que a postagem simultânea de mails sobre troca
de lâmpadas
> para as listas de gramática, ortografia e pontuação deve parar
> 14 para reclamar que as URLs estavam erradas e para postar as URLs
corretas
> 3 para escrever sobre links sobre lâmpadas q eles acharam nas
páginas que
> falam do assunto da lista e assim tornam lâmpadas um assunto da
lista
> 33 para juntar todos os mails sobre o assunto, repeti-los todos
(incluindo
> os footers) e acrescentar "Eu também"
> 31 para escrever avisando que estão saindo da lista pq eles
agüentam mais
> mails sobre troca de lâmpadas
> 4 para sugerir escreverem um texto sobre troca de lâmpadas
> 1 para propor uma nova lista sobre troca de lâmpadas
> 47 para dizer que a lista dos físicos sobre fusão a frio é o lugar
mais
> adequado a esta discussão
> 90 para criticar os mails que repetem tudo para acrescentar "Eu
também"
> 43 para apoiar a criação de uma lista sobre lâmpadas
> 110 para repetir todos os mails de criticas sobre os mails que
repetem tudo
> para colocar "Eu também" e colocar no final "Eu também acho um
absurdo"
> 1 para ser o owner da lista e modera-lá agora que ele acabou de
ver um mail
> dizendo "eu tb quero virgulas em lâmpadas "
>
> [ ]'s
> ---
> Emiliano Chemello
> chemelloe@h...
> www.chemello.kit.net



SUBJECT: Re: Eclipse amanhã 08/11/03 início 21:30 ( HBV )
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 16:59

Astrónomo SOFRE!!!!!!
Aqui está encoberto e os meteos dizem que vem chuva. Se aí estiver
bom tempo me guarda um bocado de eclipse?
Que RAIVAAAAAAAAAAAAA
Foi Leo por causa do Elvis...
Hug
Maria Natália



--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, João R. Bonomo
<joao_bonomo@y...> escreveu
> Aviso ao navegantes:
>
> Amanhã as 21:30 horário brasileiro de verão iniciará o eclipse
total
> da lua. O fenômeno perdurará até as 02:30 de Domingo.
>
> []'s
> jrb



SUBJECT: Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?
FROM: Roberto Belisário <belistas2@terra.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 17:03


Oi. Não, também não creio que massa possa ser definida como
quantidade de matéria; inclusive isso não constava das respostas que
recebi. Acho que algo como "medida da inércia" é mais apropriado para a
massa inercial.

Já agora, como se mediria a quantidade de matéria...?

Em tempo: vou viajar daqui a pouco e voltar só quarta; só então
verei os cometários...

Belisário

At 18:36 07/11/03 +0000, you wrote:
>Mas admite a "massa como quantidade de matéria"?
>Me parece que ficou aqui bem claro que não pode ser ensinado isso às
>crianças e a noção só se dá qd ele já vai no seu 4º ano de Física,
>né?
>É que no seu resumo a coisa não está muito explícita e isto não é
>uma questão de gosto ou de metafísica. É física até aos miudos de 17
>anos pelo menos...
>Inté
>Maria Natália
>
>
>--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Roberto Belisário
><belistas2@t...> escreveu
> >
> > Caros,
> >
> > Obrigado pelas diversas definições de massa que reenviaram
>para a lista.
> > Abstenho-me de comentar sobre isso mais do que eu pus abaixo,
>porque o
> > número de mensagens é tão grande e os comentários tão ramificados
>que não
> > posso acompanhar o assunto (é, na verdade, um problema que me fez
>abster-me
> > de participar de inúmeros assuntos interessantes sobre os quais
>teria
> > gostado de opinar). Mas observo o seguinte:
> >
> > 1 - A física sempre define os conceitos em termos de outros
>conceitos. Há,
> > portanto, conceitos primários que não são definidos.
> >
> > 2 - A física não trata da essência das coisas: quando
>perseguidas até a
> > última instância, o máximo que as definições determinam são as
>propriedades
> > das coisas. A essência das coisas é tema da metafísica.
> >
> > Portanto, quase todas as definições de massa que foram
>apresentadas me
> > parecem legítimas, uma vez que fazem exatamente isso: definem em
>termos de
> > outros conceitos. Que é o que as definições em física teórica
>fazem.
> >
> > Belisário



SUBJECT: Re: Observatório Nacional---SOS
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 17:16

Meu caro watson:

Uma avaliação é uma avaliação. E portanto ela deve ser honesta. Se
tem 9 ou 20 é para mim avaliador, examinador o mesmo. Devo tratar
todos de igual modo. Já reparou naquele que teve 5? E respondeu
correctamente a essa duas questões? Então como professor deve pugnar
pela justiça e ainda que a avalição seja o mais equitativa possível.
A justiça é para todos pelo menos para mim e que tenho trabalho de
investigação em avaliação e testes/exames escritos...
Quanto aos erros apontados por si, os considerei gralhas. Pois para
bom entendedor meia palavra basta...
Também nem é preciso resposta individual:existe uma página sobre o
curso e aí se pode escrever o que quisermos. E lá nada vem
Se me diz que isto é tudo uma brincadeira e para levar na boa?
Lamento que se brinque assim com pessoas para quem houve
efectivamente trabalho...
Mas pelo andar da carruagem logo se vê quem lá vai dentro
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Fernando Watson"
<watson@c...> escreveu
>
> Maria Natália:
>
> > Alguém da lista me pode fornecer um contacto HONESTO no
Observatório
> > Nacional?
> > Alguém que seja Astrónomo ou Físico e que não seja catraio? Que
seja
> > responsável naquela casa???????????????
> > Agradeço É que de 3 mensagens enviadas acerca dos erros notados
no
> > tal enunciado de exame ninguém responde, ninguém é responsável
por
> > nada e se brinca com cursos on line.
> > Estou deveras aborrecida que uma organização oficial brasileira
se
> > comporte deste modo: NÃO ASSUMINDO OS SEUS ERROS!
> > Ou o Obserrvatório Nacional está entregue aos bichos?
> > Manda a educação que se responda. Se a massa é a quantidade de
> > matéria que a digam em público. Se o índece de refracção é
densidade
> > que o digam. MAS DIGAM-NO. O silêncio para mim significa que
para
> > eles é assim. Se ERRARAM QUE O DIGAM e façam a correcção desse
erro.
> > E este é um dos problemas que tenho entre mãos: saber o que se
passa
> > no ON
> > E pronto UM MÊS por resposta e agora faço público quem errou a
> > propósito de massa e leis da refracção da luz (óptica geométrica)
> > Não o queria fazer mas acho que já é gozar com o pagode. Ou se
> > calhar meti-me com catraios.E por em Portugal o Observatório
estar
> > entregue a ASTROFÍSICOS da Universidade de Lisboa e que dão a
cara
> > por aquilo que fazem! Está entregue a pessoas idóneas.
> > Realmente enganei-me em relação ao vosso ON.
> > E esta foi a doer!!
> > Obrigada pela atenção
>
> Watson:
>
> Mas professora, a senhora, nessa altura do campeonato, ainda se
preocupa com
> resultado de provas? Com confissões públicas de pretensos erros, à
moda do
> ritual cristão? Acho que está faltando aí um pouco de maturidade
da vossa
> parte: provas numa lista não são feitas para classificar alunos (e
nesse
> sentido, eles não poderiam ser "prejudicados") mas sim para
verificar quem
> teve um aproveitamento aceitável no curso e quem não teve. De
minha parte,
> achei muitos outros "erros" do tipo do "índice de refração", sobre
eles
> mandei emails ao responsável pelo curso não com o objetivo de
> obter "confissões de erro", mas tão somente para alertá-lo sobre o
assunto e,
> quem sabe, corrigí-los numa próxima edição do curso. Veja bem,
professora, o
> curso tem cerca de 1.000 alunos e seu responsável não pode se dar
ao luxo de
> ficar interagindo com todos eles sobre questões semânticas embora,
acho, isso
> tenha ocorrido em alguns casos (a segunda prova, distribuida num
Domingo, por
> exemplo, teve uma de suas questões reformuladas na segunda feira).
No meu
> entender, resultado de provas tem valor meramente estatístico, não
adianta
> nós alunos, ficarmos a reclamar sobre erros, injustiças, etc. No
meu tempo de
> estudante, ouvíamos um ditado que bem se aplica a essa questão: "o
bom
> cabrito não berra". Eu, por ter obtido notas 10, 9,5 e 9 nas tres
provas não
> estou nem aí para reclamar do ON reparações sobre uma
pretensa "injustiça".
> Estou é aguardando ansiosamente o próximo curso sobre cosmologia,
que é o que
> mais me interessa. E tenho mais o que fazer do que ficar a
espernear sobre
> imperfeições das notas de aula, no meu entender, um esforço
memorável do ON
> em familiarizar o público leigo com um assunto fascinante que é a
astrofísica.
>
> Saudações respeitosas
>
> Watson



SUBJECT: Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 17:23

E reparo que certamente não é químico. E lembra-se de qual é a
unidade de quantidade de matéria? Nem mais: a mole*
E agora vai-se iniciar outra questão mirabolante: A mole ou O mole?
That's the question.
Ai Ai...nessa já não entro. É como ado sexo dos anjos. DESISTO
Hug
Maria Natália
* Na minha mensagem"...via Natália" vem referência
Livro bom para terem ao lado da biblia e dos dicionários será o da
Editora Plátano de Guilherme de Almeida sobre o Sistema Internaciona
de Unidades SI (Sociedade Portuguesa de Física coniera o único livro
em Portugal idóneo sobre este tema)

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Roberto Belisário
<belistas2@t...> escreveu
>
> Oi. Não, também não creio que massa possa ser definida
como
> quantidade de matéria; inclusive isso não constava das respostas
que
> recebi. Acho que algo como "medida da inércia" é mais apropriado
para a
> massa inercial.
>
> Já agora, como se mediria a quantidade de matéria...?
>
> Em tempo: vou viajar daqui a pouco e voltar só quarta; só
então
> verei os cometários...
>
> Belisário
>
> At 18:36 07/11/03 +0000, you wrote:
> >Mas admite a "massa como quantidade de matéria"?
> >Me parece que ficou aqui bem claro que não pode ser ensinado isso
às
> >crianças e a noção só se dá qd ele já vai no seu 4º ano de Física,
> >né?
> >É que no seu resumo a coisa não está muito explícita e isto não é
> >uma questão de gosto ou de metafísica. É física até aos miudos de
17
> >anos pelo menos...
> >Inté
> >Maria Natália
> >
> >
> >--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Roberto Belisário
> ><belistas2@t...> escreveu
> > >
> > > Caros,
> > >
> > > Obrigado pelas diversas definições de massa que
reenviaram
> >para a lista.
> > > Abstenho-me de comentar sobre isso mais do que eu pus abaixo,
> >porque o
> > > número de mensagens é tão grande e os comentários tão
ramificados
> >que não
> > > posso acompanhar o assunto (é, na verdade, um problema que me
fez
> >abster-me
> > > de participar de inúmeros assuntos interessantes sobre os quais
> >teria
> > > gostado de opinar). Mas observo o seguinte:
> > >
> > > 1 - A física sempre define os conceitos em termos de
outros
> >conceitos. Há,
> > > portanto, conceitos primários que não são definidos.
> > >
> > > 2 - A física não trata da essência das coisas: quando
> >perseguidas até a
> > > última instância, o máximo que as definições determinam são as
> >propriedades
> > > das coisas. A essência das coisas é tema da metafísica.
> > >
> > > Portanto, quase todas as definições de massa que foram
> >apresentadas me
> > > parecem legítimas, uma vez que fazem exatamente isso: definem
em
> >termos de
> > > outros conceitos. Que é o que as definições em física teórica
> >fazem.
> > >
> > > Belisário



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?
FROM: "Emiliano Chemello - BOL" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/11/2003 17:36

Aqui no brasil é O MOL pois estamos nos referindo ao número de mol.

[ ]'s
---
Emiliano Chemello
chemelloe@hotmail.com
www.chemello.kit.net




SUBJECT: Re: Eclipse amanhã 08/11/03 início 21:30 ( HBV )
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 17:37

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, João R. Bonomo
<joao_bonomo@y...> escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Tonão" <tonao@s...> escreveu
> > está mesmo confirmado ?
> > vai ter mesmo ?
> >
> Well, já faz alguns anos que a NASA agendou esse evento para a Lua.
> Caso a Lua não cumpra a agenda, será multada em milhares de dólares.
> O último eclipse ocorreu na data e hora marcados. Acredito que com
> esse não será diferente!
> Só perde o espetáculo quem estiver sob condições climáticas de céu
> nublado, como está ocorrendo no momento aqui em Floripa.

A NASA é um mero promoter. O evento independe da divulgação da NASA.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: Eclipse amanhã 08/11/03 início 21:30 ( HBV )
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 21:55

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu
> A NASA é um mero promoter. O evento independe da divulgação da NASA.

Narumi, você não percebeu que era uma brincadeira?

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: Eclipse amanhã 08/11/03 início 21:30 ( HBV )
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 22:02

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Astrónomo SOFRE!!!!!!
> Aqui está encoberto e os meteos dizem que vem chuva. Se aí estiver
> bom tempo me guarda um bocado de eclipse?
> Que RAIVAAAAAAAAAAAAA
> Foi Leo por causa do Elvis...
> Hug
> Maria Natália

Hihi, talvez o rei venha visitar o Professor Luiz em um UFO e encubra
a visão da lua.

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 22:10

Olá Jose Colucci,

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "josecolucci" <j.colucci@r...>
escreveu
> >HOMERO: "Tá" desculpado, por mim, mas eu gostei da mensagem e da
> resposta..:-)
>
> Estou testando um sistema novo. Depois digo se deu certo. Para os
que
> usam o MS Outlook é possível atrasar o envio de mensagens por um
> tempo determinado, de 1 minuto a 2 horas.
>
> Descobri que descubro 90% nos erros nas minhas mensagens uma fração
> de segundo depois de clicar a tecla "SEND". Estou atrasando o envio
> de todas as mensagens em 3 minutos. Vamos ver se assim eu consigo
> interceptar esses erros antes de a mensagem ser enviada. Ou se o
> meu detector de erros vai também atrasar 3 minutos.

Esse fenômeno é mesmo impressionante. Existe alguma explicação
científica? Muitas vezes, eu nem preciso reler o email depois do
SEND para perceber que enviei com um erro. Eu tenho a impressão que
o detector também irá atrasar. Seguindo algum colorário da lei de
Murphy: "A visibilidade de um erro é inversamente proporcional ao
esforço na procura".

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 22:19

Olá Luiz Silva,

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, luiz silva
<luizfelipecsrj@y...> escreveu
> Ele tá certo....todo químico é um Físico sim....
>
> Pense em termos d conjuntos q perceberá a veracidade de tal
afirmação...
>
> Além do mais, um Físico Quantico, deia de ser considerado Físico só
pq estuda uma PARTE da Física : Física Quantica ???

Um físico quântico é um físico que se especializou em física
quântica. Assim como todo pneumologista é um médico.

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 22:33

Olá Homero,

Eu também gostei da resposta do Colucci. Mas se citar intelectuais
ateus e atéias tem alguma significância, os céticos estão em
desvantagem numérica. :)

Acho que do mesmo modo que existe política e politicagem, deve
ou deveria existir algo como religão e religicagem. Guerras santas
não tem nada de religião (pelo menos eu nunca ouvi falar em "matarás
o próximo"). :)

Beijos,
Adriana

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá Colucci
>
> "Tá" desculpado, por mim, mas eu gostei da mensagem e da
resposta..:-)



SUBJECT: Re: piadinhas para descontrair os químicos...
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 22:42

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Emiliano Chemello - BOL"
<chemello.e@b...> escreveu
> Sentindo um certo pré-conceito com os químicos da sala (eu ser um),
> para os físicos segue umas piadinhas....são velhas... mas vela
> apena ler novamente.
[...]


Versão pagã da piadinha:
http://www.angelfire.com/wy/wyrd/lampadas.html

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: criatividade...
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 22:57

Olás,
Que tal uma versão summerhilliana? (todo dia aprendo uma palavra nova
aqui).
- Meu filho, Einstein dizia que tudo é relativo. Arrume a cama e me
mostre que ele está enganado. Uma cama arrumada estará arrumada para
qualquer observador. (Essa foi terrível!)

Beijos,
Adriana


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Se fosse nos EUA teria um processo posto pela criança LOLLLLLLLL
> Mas voltando à ciência esse processo pode ser considerado
> ultrapassado pois um novo paradigma já nasceu. Estamos no sec XXI!!!
> O amigo é que tem de se actualizar...
> Pode arranjar um problema com a sua Sociedade Científica. SPF=
> Sociedade dos pais fixes.
> Hug
> Maria Natália, terrível na avaliação
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
> <leobarretos@u...> escreveu
> > De: "rmtakata"
> >
> > [ ... ]
> > A mae pode ainda se prontificar a demonstrar a lei da acao e
> reacao:
> > como ao dar uma palmada nas nalgas, as nalgas pressionam a mao da
> mae
> > em sentido contrario com a mesma intensidade da palmada (tto o
> > traseiro do menino arteiro qto as maos da mae severa ficarao
> > vermelhos em resposta).
> >
> > Não concordo, a massa da bunda do garoto é bem maior que a da mão
> da mãe (além de ter maior flexibilidade). A mesma intensidade de
> força causará maior desaceleração e deformação na mão da mãe ...
que
> ficará bem mais vermelha. Toda mãe prendada e versada em física usa
> um chinelo para evitar tais dissabores. Ainda, é notória a frase
das
> mães ---"isso doerá mais em mim que em vc, mas vc precisa apanhar",
> justificando o que digo.
> > []'
> > Léo



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Observatório Nacional---SOS
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/11/2003 23:07


----- Original Message -----
From: "Maria Natália"

>Me esqueci: os testes só são conhecidos de quem fez exame. Logo a
>questão era para dizer qual das 5 hipóteses era a (a! e não uma ou
>as duas)lei da refracção (1º erro ---há duas leis)

Podias me avivar a memoria dizendo qual é a outra ? (uma é a Lei de Snell
n_i*sen(i) = n_r*sen(r))

>e depois a que
>acharam correcta diz que a luz vai de um meio menos denso...para um
>mais denso.

Não percebi qual seria a pergunta e quais seriam as alternativas.

Quanto à questão da matéria , de certeza que a palavra "medida" não estava
na frase-resposta?
Afinal, quem é esse aluno ? Aluno do quê / de quem ? Tu viste o exame ? Como
sabes que não é o aluno que está enganado?


Sérgio Taborda


SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/11/2003 23:17


----- Original Message -----
From: "Emiliano Chemello

> Não sejamos tão maldosos em chamar o Bohr de mentecapto.

Não sejamos tão ingenuos ou distraidos para pensar que era isso que estava a
fazer.

>Quando ele fala em entender... o significado transcende o trivial.
Entender... como foi dito na >frase, seria fazer relações com nosso mundo...
com o cotidiano e isso realmente não é >possivel... pois o comportamento
quântico foge do contidiano (vide experiência mental do Gato >de
Schrödinger). A quântica se baseia na experimentação... cria regras...

Este tipo de argumento é o tipo de argumento que eu não consigo engolir.
Nada do que pode ser experimentado directamente foge do nosso quotidiano.
A fisica moderna começou quando os fisicos compreenderam que para teorizar
sobre o muito pequeno, eles tinham que recorrer à estatistica. Que não
podiam testar cada caso por si.
não é possivel testar o efeito-fotoelectrico com um so fotão que extrai um
so electrão.
São precisas muitas moles de fotões.
É para isso que o Gato de Shrondinger serve. Para mostrar que para
comprender certos fenomenos é preciso usar estatistica. São precisas testar
probabilidades, trabalhar com probabilidades. A logica passou a ser difusa
em vez de binária.

>Como gosto de citar os grandes... ai vai mais um diálogos de gigantes:
>Einstein disse: "Deus não joga dados!"
>Bohr responde: "Albert, não diga a Deus o que ele deve fazer!"

Onde já vai o diálogo... Ora, ora...
Acho que no meio disto tudo faltam boas aulas de historia da física.
E quando digo "boas" quero dizer "sem os clichês ridiculos que se criaram à
volta dos seus intervenientes"
Einstein nem sequer usou a palavra "deus", por isso, não acredito que Bohr a
tenha em resposta.
Vc pode citar os grandes, desde que as citações sejam as verdadeiras.... :-)

Eles podem ter dito muitas coisas. Mas eles viveram à muito tempo atrás.
Hoje sabemos coisas que eles não sabiam e dispomos de ferramentas de que
eles não dispunham e as teorias foram repensadas, afinadas e solidificadas
por outros que vieram depois deles. Portanto, o que eles disseram tem valor
histórico , mas não mais corresponde com o que sabemos ou como encaramos o
mundo, a fisica e a mecanica quantica.

Sérgio Taborda


SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/11/2003 23:30


----- Original Message -----
From: "luiz silva" <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Friday, November 07, 2003 3:47 PM
Subject: Re:_[ciencialist]_físicos...


Ele tá certo....todo químico é um Físico sim....

Pense em termos d conjuntos q perceberá a veracidade de tal afirmação...

>Além do mais, um Físico Quantico, deia de ser considerado Físico só pq
estuda uma PARTE >da Física : Física Quantica ???

Vc deve estar um bocado por fora de como se organiza um curso de fisica e de
quimica, pois não ha outra forma de pensar isso.

Num curso de fisica, fisica pura, não se estuda quimica*. Mas num curso de
quimica pura, o quimico tem que estuda mecanica quantica, pois é a forma de
entender o pq das ligações quimicas e o pq da tabela periodica. O quimico
precisa das fisica para explicar o pq dos seus axiomas (que se resumem na
tabela periodica, a qual é totalmente explicada pela mecanica quantica) .
Mesmo assim, pq o quimico apenas estuda essa parte da fisica, ele não está
dentro de outras coisas. Existe uma fronteira onde ambas de confundem, mas
essas é uma fronteira prática e não teorica.
A termodinâmica é um ramo da fisica e é usada em quimica. Em fisica, as
especies quimicas são usadas assim como em quimica são usados conceitos como
massa e energio.
Um fisico quantico, antes de ser fisico quantico estudou vários dos ramos da
fisica. Pelo menos Mecânica, Termodinâmica e Electromagnetismo mais
profundamente do que qq quimico. Como portanto um quimico pode ser
considerado um Fisico ?


Sérgio Taborda


*Uma pessoa que entra num curso de fisica terá estudado tanta fisica e
quimica como uma que entra para um curso de quimica. Portanto ai não ha
distinção. Não é nos conhecimentos básicos de quimica e fisica que eles
poderão des destinguidos e sim no conhecimento que adquiram como Fisicos e
Quimicos.
Extiste ums especie hibrida chamada de fisico-quimicos. Mas até eles tem
mais aptencia em uma das duas areas.


SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Prof. Alberto Ricardo Präss" <arprass@fisica.net>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/11/2003 23:39

Só para constar: qual a origem da palavra Física ?

Sabendo isso, pode-se limitar os horizontes da Física.


abs


Prof. Alberto Ricardo Präss
Diretor de Informática - Grupo Universitário

R. Dr. Flores, 330/50
90020-123 - Porto Alegre, RS
(51) 3225-0966 R. 267
www.universitario.com.br
E-mail: "alberto at universitario dot net"
Web Site Pessoal: www.fisica.net
MSN: arprass@hotmail.com
AIM: asp21alberto
ICQ: 4730660


Se alguma coisa pode dar errado, dará.
E mais, dará errado da pior maneira, no
pior momento e de modo que cause o
maior dano possível.

----- Original Message -----
From: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Friday, November 07, 2003 11:30 PM
Subject: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...



----- Original Message -----
From: "luiz silva" <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Friday, November 07, 2003 3:47 PM
Subject: Re:_[ciencialist]_físicos...


Ele tá certo....todo químico é um Físico sim....

Pense em termos d conjuntos q perceberá a veracidade de tal afirmação...

>Além do mais, um Físico Quantico, deia de ser considerado Físico só pq
estuda uma PARTE >da Física : Física Quantica ???

Vc deve estar um bocado por fora de como se organiza um curso de fisica e de
quimica, pois não ha outra forma de pensar isso.

Num curso de fisica, fisica pura, não se estuda quimica*. Mas num curso de
quimica pura, o quimico tem que estuda mecanica quantica, pois é a forma de
entender o pq das ligações quimicas e o pq da tabela periodica. O quimico
precisa das fisica para explicar o pq dos seus axiomas (que se resumem na
tabela periodica, a qual é totalmente explicada pela mecanica quantica) .
Mesmo assim, pq o quimico apenas estuda essa parte da fisica, ele não está
dentro de outras coisas. Existe uma fronteira onde ambas de confundem, mas
essas é uma fronteira prática e não teorica.
A termodinâmica é um ramo da fisica e é usada em quimica. Em fisica, as
especies quimicas são usadas assim como em quimica são usados conceitos como
massa e energio.
Um fisico quantico, antes de ser fisico quantico estudou vários dos ramos da
fisica. Pelo menos Mecânica, Termodinâmica e Electromagnetismo mais
profundamente do que qq quimico. Como portanto um quimico pode ser
considerado um Fisico ?


Sérgio Taborda


*Uma pessoa que entra num curso de fisica terá estudado tanta fisica e
quimica como uma que entra para um curso de quimica. Portanto ai não ha
distinção. Não é nos conhecimentos básicos de quimica e fisica que eles
poderão des destinguidos e sim no conhecimento que adquiram como Fisicos e
Quimicos.
Extiste ums especie hibrida chamada de fisico-quimicos. Mas até eles tem
mais aptencia em uma das duas areas.

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 07/11/2003 23:53


----- Original Message -----
From: "Maria Natália" <gogul@megamail.pt>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Friday, November 07, 2003 5:23 PM
Subject: [ciencialist] Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?


E reparo que certamente não é químico. E lembra-se de qual é a
unidade de quantidade de matéria? Nem mais: a mole*

Vejamos:
Electrão : é matéria e tem massa.
Fotão: não é matéria e não tem massa.

2 mol/s de fotões geram 2 mol/s de electões quando determinado material é
exposto à luz.

"mole" não determina se algo é matéria ou não. É uma ordem de grandeza.
Imposta pela natureza, mas mesmo assim uma ordem de grandeza. É como kilo,
mega, tera, etc...
Não-matéria tb pode ser contada em moles. Isso não informa sobre se esse
algo é matéria ou não. Se vc quer ser purista, então a mole tb não é a
unidade de quantidade de _matéria_.
Por definiçãode matéria é tudo o que tem massa e ocupa espaço (devem ter
ouvido falar na não interpenetrabilidade da matéria). Ora fotões ou campo
electrico ou o gravitico não são matéria - por isso não tem massa-, contudo
eu posso contar 1 mole de campos graviticos.

A massa molar de X é a massa de NA (numeor de Avogadro) unidades de X. Nem o
quilograma, nem a mole são suficientes para explicar o conceito de
"quantidade de matéria"

Agora, um problema da fisica é que não existiu até hoje forma de destrinçar
massa-quantidade de matéria de massa-quantidade de inércia.

A relatividade diz que a massa relativista aumenta com velocidade relativa.
Significa isso que o corpo ganha matéria ? uma bola de chumbo de 1kg
acelerada a c ganha chumbo para elevar a sua massa ? Obviamente isto viola
muitas leis da fisica, em particular a 1ª Lei da Termodinamica.
Portanto, obviamente, a massa relativista é uma massa inercial.

Massa não é quantidade de matéria, ela é uma medida de quantidade de
matéria. Assim como mole.


SUBJECT: Que Júpiter exploda se a NASA estiver mentindo!
FROM: "Kentaro Mori" <airdown@ig.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 07/11/2003 23:54

Que Júpiter exploda se a NASA estiver mentindo!
No final de setembro, a NASA enviou a sonda Galileo, ao fim de sua
missão, para a destruição em um mergulho no gigante gasoso que é o
planeta Júpiter. A sonda tinha plutônio, parte de seu gerador nuclear
de energia. E se o plutônio reagir de alguma forma em Júpiter e
explodir? E se isso tudo iniciar uma reação em cadeia que
transformará o planeta em uma estrela, ou quem sabe em uma explosão
de proporções colossais?!?! Esse alarmismo apelativo está sendo
promovido aqui,
http://www.cyberspaceorbit.com/JUPFULLx.htm
aqui,
http://www.yowusa.com/Archive/Sep2003/Jupiter_attack/jupiter_attack.ht
m
ou por Hoagland
http://www.enterprisemission.com/NukingJupiter.html
(o da Face em Marte e outras "anomalias").
O astrônomo Phil Plait desconstrói as alegações espúrias.
http://www.badastronomy.com/bad/misc/jupiter_galileo.html
Há porém um elemento curioso nesta história. Em 1991, o paranóico
Bill Cooper
http://www.chez.com/gpsufos/doc_discurso_cooper.html
escreveu um livro onde teria afirmado
http://www.thehotsheets.com/solarsystem/messages/7954.shtml
que em 1999 a NASA iria usar a sonda Galileo para transformar Júpiter
em uma estrela, chamada Lúcifer.
http://www.gettingit.com/article/422
Talvez você já tenha ouvido falar em algo sobre Júpiter virar uma
estrela chamada Lúcifer, mas não de Cooper. É o final de 2010, de
Arthur Clarke. Que foi lançado em 1985. Esses Illuminatis!
http://www.freeworldalliance.com/lucifer2000.htm
>>>

Mori
http://www.strbrasil.com/ca/



SUBJECT: Re: Eclipse amanhã 08/11/03 início 21:30 ( HBV )
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/11/2003 00:10

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
> escreveu
> > A NASA é um mero promoter. O evento independe da divulgação da
NASA.
>
> Narumi, você não percebeu que era uma brincadeira?

Percebi. Eu também estava brincando. Acho melhor começar a usar uns
emoticons como você faz. :)

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 00:14


----- Original Message -----
From: "Prof. Alberto Ricardo Präss"

> Só para constar: qual a origem da palavra Física ?
>
> Sabendo isso, pode-se limitar os horizontes da Física.

Parafrasenado o Leo: não me interessa qual é a origem etimologica da
palavra, mas aquilo que ela signifca hoje.

Mas aqui fica a def do Aurélio de Física e Quimica

"física . [Do lat. physica < gr. physiké, fem. de physikós.] S. f. 1.
Ciência de conteúdo vasto e fronteiras não muito definidas, que investiga as
propriedades dos campos, as interações entre os campos de força e os meios
materiais, as propriedades e a estrutura dos sistemas materiais, e as leis
fundamentais do comportamento dos campos e dos sistemas materiais. 2.
Conjunto de conhecimentos relativos à física, ou que têm implicações com
ela, ministrados nas faculdades. 3. Tratado ou compêndio de física. 4.
Exemplar de um desses tratados ou compêndios. Física atômica. 1. Parte da
física que trata das propriedades do átomo, de suas interações com a
radiação e com os campos de força, investiga os níveis de energia e a
emissão de energia em sistemas atômicos, e explica a estrutura destes.
Física clássica. 1. Parte da física que abrange, de modo geral, os
conhecimentos e teorias incluídos na física até os fins do século XIX, e se
caracteriza por uma formulação teórica baseada nos conceitos e princípios da
mecânica clássica (newtoniana) e do eletromagnetismo maxwelliano. Física
coloidal. 1. Parte da físico-química que investiga as propriedades físicas
dos colóides, esp. as ópticas e elétricas. Física do estado sólido. 1. Parte
da física que investiga as propriedades dos materiais sólidos, esp. dos
cristais; física dos sólidos. Física dos plasmas. 1. Parte da física que
investiga as propriedades e a produção dos plasmas. Física dos sólidos. 1.
Física do estado sólido. Física estatística. 1. Mecânica estatística. Física
experimental. 1. Investigação dos fenômenos físicos que utiliza processos
experimentais e visa à medida de grandezas físicas relevantes, ou à
observação de determinados processos físicos. Física matemática. 1. Parte da
física que tem o objetivo de investigar e descobrir por meio de métodos
matemáticos as conseqüências duma teoria física, partindo da aceitação das
hipóteses fundamentais dessa teoria. [Tb. se diz, ocasionalmente, física
teórica (q. v.).] Física molecular. 1. Estudo das propriedades gerais das
moléculas, da natureza das forças intermoleculares, da ligação química e dos
espectros moleculares. Física nuclear. 1. Parte da física que investiga as
propriedades do núcleo atômico e das partículas elementares, as forças
nucleares e as interações entre as partículas, as reações nucleares e os
fenômenos de desintegração e fissão. Física solar. 1. Heliofísica. Física
teórica. 1. Parte da física em que as teorias desta ciência são expressas e
formuladas sob forma matemática, e na qual os resultados obtidos
experimentalmente figuram como elementos de validação das relações gerais ou
particulares nela incluídos. Tem dois objetivos básicos: a descoberta de
leis bastante gerais que possam servir, juntamente com um reduzido número de
outras, para a elaboração de uma teoria pertinente a um grande conjunto de
fenômenos de mesma natureza, e a derivação, usualmente feita pelos processos
formais da matemática, das conseqüências dessas leis. 2. V. física
matemática. Física terrestre. 1. V. geofísica. "

"química . [F. subst. do adj. químico; fr. chimique.] S. f. 1. Ciência em
que se estuda a estrutura das substâncias, correlacionando-a com as
propriedades macroscópicas, e se investigam as transformações dessas
substâncias. 2. Tratado ou compêndio dessa ciência. 3. Exemplar de um desses
tratados ou compêndios. 4. Conjunto de conhecimentos relativos a esta
ciência, ou que têm implicações com ela, ministrados nas respectivas
faculdades. Química biológica. 1. V. bioquímica. Química bromatológica. 1.
Bromatologia. Química fina. 1. Ramo da atividade química industrial que
elabora, a partir de insumos produzidos pelas indústrias químicas de base
(p. ex., a petroquímica), substâncias mais complexas, destinadas a
aplicações específicas. A química fina se caracteriza por processos
descontínuos, em várias etapas, e em pequena escala, visando produtos de
alta relação preço/peso. [As substâncias ativas empregadas na indústria
farmacêutica (fármacos), os catalisadores da indústria química e os
reagentes de alta pureza usados em análises e pesquisas químicas são típicos
produtos da química fina.] Química fisiológica. 1. V. bioquímica. Química
industrial. 1. Parte da química que investiga os processos de fabricação dos
produtos que se usam na indústria ou se destinam ao consumo. Química
inorgânica. 1. Divisão didática do campo de conhecimento e investigação da
química que estuda os compostos de todos os elementos, exceto os do carbono
(com poucas exceções, como o monóxido de carbono, o dióxido de carbono, p.
ex.); química mineral. Química médica. 1. A que estuda as substâncias
minerais e orgânicas aplicáveis à medicina. Química mineral. 1. Química
inorgânica. Química nuclear. 1. Parte da química que investiga os nuclídeos
radioativos e seus compostos, e os efeitos das radiações sobre nuclídeos e
seus compostos, utilizando os procedimentos usuais de identificação, de
análise e de preparação adotados nos procedimentos químicos. Química
orgânica. 1. Divisão didática do campo de conhecimento e investigação da
química, que estuda os compostos de carbono. Fazer química. Bras. 1. Nas
repartições públicas, empregar uma verba em destino diverso do determinado
pela lei, em benefício do serviço, porém de modo irregular. 2. Arranjar as
coisas e situações de modo tendente a levá-las ao ponto desejado. "




SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Alvaro Augusto - Luna Bay" <lunabay@lunabay.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 00:21

Caro Sérgio,

Acho que não era pra levar a coisa tão a sério... Essa discussão é meramente
corporativista e não vai nos levar a lugar algum...

[ ]s

Alvaro Augusto



----- Original Message -----
From: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Friday, November 07, 2003 11:30 PM
Subject: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...


>
> ----- Original Message -----
> From: "luiz silva" <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
> To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Sent: Friday, November 07, 2003 3:47 PM
> Subject: Re:_[ciencialist]_físicos...
>
>
> Ele tá certo....todo químico é um Físico sim....
>
> Pense em termos d conjuntos q perceberá a veracidade de tal afirmação...
>
> >Além do mais, um Físico Quantico, deia de ser considerado Físico só pq
> estuda uma PARTE >da Física : Física Quantica ???
>
> Vc deve estar um bocado por fora de como se organiza um curso de fisica e
de
> quimica, pois não ha outra forma de pensar isso.
>
> Num curso de fisica, fisica pura, não se estuda quimica*. Mas num curso de
> quimica pura, o quimico tem que estuda mecanica quantica, pois é a forma
de
> entender o pq das ligações quimicas e o pq da tabela periodica. O quimico
> precisa das fisica para explicar o pq dos seus axiomas (que se resumem na
> tabela periodica, a qual é totalmente explicada pela mecanica quantica) .
> Mesmo assim, pq o quimico apenas estuda essa parte da fisica, ele não está
> dentro de outras coisas. Existe uma fronteira onde ambas de confundem, mas
> essas é uma fronteira prática e não teorica.
> A termodinâmica é um ramo da fisica e é usada em quimica. Em fisica, as
> especies quimicas são usadas assim como em quimica são usados conceitos
como
> massa e energio.
> Um fisico quantico, antes de ser fisico quantico estudou vários dos ramos
da
> fisica. Pelo menos Mecânica, Termodinâmica e Electromagnetismo mais
> profundamente do que qq quimico. Como portanto um quimico pode ser
> considerado um Fisico ?
>
>
> Sérgio Taborda
>
>
> *Uma pessoa que entra num curso de fisica terá estudado tanta fisica e
> quimica como uma que entra para um curso de quimica. Portanto ai não ha
> distinção. Não é nos conhecimentos básicos de quimica e fisica que eles
> poderão des destinguidos e sim no conhecimento que adquiram como Fisicos e
> Quimicos.
> Extiste ums especie hibrida chamada de fisico-quimicos. Mas até eles tem
> mais aptencia em uma das duas areas.



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 00:37

Olá Adriana

Estamos em desvantagem mesmo, ainda que a tendencia é melhorar com os séculos..:-)

E nunca ouviu falar de "matarás o próximo" por ser ocidental, contemporanea e viver em um ambiente laico e civilizado..:-) Praticamente todas as religiões primitivas, incluindo o antigo testamento, tem a permissão da divindade para matar o próximo, se este não for tão próximo assim (ou seja, estrangeiro ou de outra religião..:-)

Lendo com cuidado o antigo testamento, o alcorão ou qualquer teologia estruturada, vai encontrar diversos "matarás o próximo" em diversas categorias de crueldade..:-) O conceito de guerra santa tem justamente essa finalidade, eliminar o infiel, que qualquer lado que ele esteja.

Mesmo os 10 mandamentos, se tomados na origem, e relacionados com o período em que foram criados, define o não mataras bem restritivamente, não matarás filhos de israel. Mas, os outros...:-) Tudo bem..:-)

Um abraço.

Homero
----- Original Message -----
From: Adriana Rohatsko
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 07, 2003 10:33 PM
Subject: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado


Olá Homero,

Eu também gostei da resposta do Colucci. Mas se citar intelectuais
ateus e atéias tem alguma significância, os céticos estão em
desvantagem numérica. :)

Acho que do mesmo modo que existe política e politicagem, deve
ou deveria existir algo como religão e religicagem. Guerras santas
não tem nada de religião (pelo menos eu nunca ouvi falar em "matarás
o próximo"). :)

Beijos,
Adriana

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá Colucci
>
> "Tá" desculpado, por mim, mas eu gostei da mensagem e da
resposta..:-)


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Prof. Alberto Ricardo Präss" <arprass@fisica.net>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 00:56

Eta cara chato!


----- Original Message -----
From: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Saturday, November 08, 2003 12:14 AM
Subject: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...



----- Original Message -----
From: "Prof. Alberto Ricardo Präss"

> Só para constar: qual a origem da palavra Física ?
>
> Sabendo isso, pode-se limitar os horizontes da Física.

Parafrasenado o Leo: não me interessa qual é a origem etimologica da
palavra, mas aquilo que ela signifca hoje.

Mas aqui fica a def do Aurélio de Física e Quimica

"física . [Do lat. physica < gr. physiké, fem. de physikós.] S. f. 1.
Ciência de conteúdo vasto e fronteiras não muito definidas, que investiga as
propriedades dos campos, as interações entre os campos de força e os meios
materiais, as propriedades e a estrutura dos sistemas materiais, e as leis
fundamentais do comportamento dos campos e dos sistemas materiais. 2.
Conjunto de conhecimentos relativos à física, ou que têm implicações com
ela, ministrados nas faculdades. 3. Tratado ou compêndio de física. 4.
Exemplar de um desses tratados ou compêndios. Física atômica. 1. Parte da
física que trata das propriedades do átomo, de suas interações com a
radiação e com os campos de força, investiga os níveis de energia e a
emissão de energia em sistemas atômicos, e explica a estrutura destes.
Física clássica. 1. Parte da física que abrange, de modo geral, os
conhecimentos e teorias incluídos na física até os fins do século XIX, e se
caracteriza por uma formulação teórica baseada nos conceitos e princípios da
mecânica clássica (newtoniana) e do eletromagnetismo maxwelliano. Física
coloidal. 1. Parte da físico-química que investiga as propriedades físicas
dos colóides, esp. as ópticas e elétricas. Física do estado sólido. 1. Parte
da física que investiga as propriedades dos materiais sólidos, esp. dos
cristais; física dos sólidos. Física dos plasmas. 1. Parte da física que
investiga as propriedades e a produção dos plasmas. Física dos sólidos. 1.
Física do estado sólido. Física estatística. 1. Mecânica estatística. Física
experimental. 1. Investigação dos fenômenos físicos que utiliza processos
experimentais e visa à medida de grandezas físicas relevantes, ou à
observação de determinados processos físicos. Física matemática. 1. Parte da
física que tem o objetivo de investigar e descobrir por meio de métodos
matemáticos as conseqüências duma teoria física, partindo da aceitação das
hipóteses fundamentais dessa teoria. [Tb. se diz, ocasionalmente, física
teórica (q. v.).] Física molecular. 1. Estudo das propriedades gerais das
moléculas, da natureza das forças intermoleculares, da ligação química e dos
espectros moleculares. Física nuclear. 1. Parte da física que investiga as
propriedades do núcleo atômico e das partículas elementares, as forças
nucleares e as interações entre as partículas, as reações nucleares e os
fenômenos de desintegração e fissão. Física solar. 1. Heliofísica. Física
teórica. 1. Parte da física em que as teorias desta ciência são expressas e
formuladas sob forma matemática, e na qual os resultados obtidos
experimentalmente figuram como elementos de validação das relações gerais ou
particulares nela incluídos. Tem dois objetivos básicos: a descoberta de
leis bastante gerais que possam servir, juntamente com um reduzido número de
outras, para a elaboração de uma teoria pertinente a um grande conjunto de
fenômenos de mesma natureza, e a derivação, usualmente feita pelos processos
formais da matemática, das conseqüências dessas leis. 2. V. física
matemática. Física terrestre. 1. V. geofísica. "

"química . [F. subst. do adj. químico; fr. chimique.] S. f. 1. Ciência em
que se estuda a estrutura das substâncias, correlacionando-a com as
propriedades macroscópicas, e se investigam as transformações dessas
substâncias. 2. Tratado ou compêndio dessa ciência. 3. Exemplar de um desses
tratados ou compêndios. 4. Conjunto de conhecimentos relativos a esta
ciência, ou que têm implicações com ela, ministrados nas respectivas
faculdades. Química biológica. 1. V. bioquímica. Química bromatológica. 1.
Bromatologia. Química fina. 1. Ramo da atividade química industrial que
elabora, a partir de insumos produzidos pelas indústrias químicas de base
(p. ex., a petroquímica), substâncias mais complexas, destinadas a
aplicações específicas. A química fina se caracteriza por processos
descontínuos, em várias etapas, e em pequena escala, visando produtos de
alta relação preço/peso. [As substâncias ativas empregadas na indústria
farmacêutica (fármacos), os catalisadores da indústria química e os
reagentes de alta pureza usados em análises e pesquisas químicas são típicos
produtos da química fina.] Química fisiológica. 1. V. bioquímica. Química
industrial. 1. Parte da química que investiga os processos de fabricação dos
produtos que se usam na indústria ou se destinam ao consumo. Química
inorgânica. 1. Divisão didática do campo de conhecimento e investigação da
química que estuda os compostos de todos os elementos, exceto os do carbono
(com poucas exceções, como o monóxido de carbono, o dióxido de carbono, p.
ex.); química mineral. Química médica. 1. A que estuda as substâncias
minerais e orgânicas aplicáveis à medicina. Química mineral. 1. Química
inorgânica. Química nuclear. 1. Parte da química que investiga os nuclídeos
radioativos e seus compostos, e os efeitos das radiações sobre nuclídeos e
seus compostos, utilizando os procedimentos usuais de identificação, de
análise e de preparação adotados nos procedimentos químicos. Química
orgânica. 1. Divisão didática do campo de conhecimento e investigação da
química, que estuda os compostos de carbono. Fazer química. Bras. 1. Nas
repartições públicas, empregar uma verba em destino diverso do determinado
pela lei, em benefício do serviço, porém de modo irregular. 2. Arranjar as
coisas e situações de modo tendente a levá-las ao ponto desejado. "



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 00:58


----- Original Message -----
From: "Alvaro Augusto - Luna Bay"

> Caro Sérgio,
>
> Acho que não era pra levar a coisa tão a sério... Essa discussão é
meramente
> corporativista e não vai nos levar a lugar algum...

Concordo, mas uma piada é uma piada, um erro é um erro.

Sérgio Taborda


SUBJECT: Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/11/2003 01:03

Olá Homero, :)

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> E nunca ouviu falar de "matarás o próximo" por ser ocidental,
> contemporanea e viver em um ambiente laico e civilizado..:-)

Foi isso que eu quis dizer. Mas fiquei com receio de escrever um
longo email. :)


> Praticamente todas as religiões primitivas, incluindo o antigo
> testamento, tem a permissão da divindade para matar o próximo, se
> este não for tão próximo assim (ou seja, estrangeiro ou de outra
> religião..:-)

Realmente a situação era feia. Vi uma vez no filme dos 10 mandamentos
que o Moisés mandou apredejar até a morte quem trabalhou no sábado.
Também, quem desobedeceria uma ordem dessas? :)


> Lendo com cuidado o antigo testamento, o alcorão ou qualquer
> teologia estruturada, vai encontrar diversos "matarás o próximo" em
> diversas categorias de crueldade..:-) O conceito de guerra santa
> tem justamente essa finalidade, eliminar o infiel, que qualquer
> lado que ele esteja.

Por isso eu falei da religão e religicagem. A religião é uma desculpa
para a disputa pela posse de terra, petróleo ou seja lá o que for.


> Mesmo os 10 mandamentos, se tomados na origem, e relacionados com o
> período em que foram criados, define o não mataras bem
> restritivamente, não matarás filhos de israel. Mas, os outros...:-)

É. As religiões tem que se reciclar para o mercado cada vez mais
competitivo. O papa tem que ser pop se não quiser perder os fiéis.
Mas eu acho isso uma contradição dos fiéis. Como pode um fiél
conviver em harmonia com alguém de outra religião? No melhor caso,
o outro fiél será considerado infiél pelo próximo não tão próximo. :)

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 01:13

Olá Adriana

Vamos tomar um "pito" do moderador se continuarmos com a conversa..:-) Acho que a lista de ciências nào é realmente um lugar confortável apra discussões sobre religiões..:-)

Mas, como último ato de desobediencia civil, algumas frases de Martinho Lutero:

"A Razão deveria ser destruída em todos os cristãos. Ela é o maior inimigo da Fé. Quem quiser ser um cristão deve arrancar os olhos de sua Razão" (Martinho Lutero)

"Os loucos, aleijados, cegos e mudos são homens em quem os demônios fizeram sua morada. Os médicos que curam estas enfermidades como se tivessem causas naturais são idiotas ignorantes" (Martinho Lutero)

"Não há maior defeito numa mulher que o desejar ser inteligente" (M. Lutero)

"Se os camponeses se rebelam abertamente, eles estão agindo contra a lei de Deus. Todos os que puderem devem espancá-los, derrubá-los e matá-los ... pois não há nada mais venenoso ou prejudicial ou demoníaco que um rebelde. É exatamente como matar um cachorro louco" (M. Lutero)


"É impossível para o cristão e para a verdadeira igreja subsistir sem derramar sangue, pois seu adversário, o Diabo, é assassino e mentiroso. A igreja cresce e progride através do sangue: ela está banhada em sangue (M. Lutero, "Table Talk no. 1571, 1569)

Um santo homem, não?..:-)

Um abraço.

Homero
----- Original Message -----
From: Adriana Rohatsko
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Saturday, November 08, 2003 1:03 AM
Subject: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado


Olá Homero, :)

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> E nunca ouviu falar de "matarás o próximo" por ser ocidental,
> contemporanea e viver em um ambiente laico e civilizado..:-)

Foi isso que eu quis dizer. Mas fiquei com receio de escrever um
longo email. :)


> Praticamente todas as religiões primitivas, incluindo o antigo
> testamento, tem a permissão da divindade para matar o próximo, se
> este não for tão próximo assim (ou seja, estrangeiro ou de outra
> religião..:-)

Realmente a situação era feia. Vi uma vez no filme dos 10 mandamentos
que o Moisés mandou apredejar até a morte quem trabalhou no sábado.
Também, quem desobedeceria uma ordem dessas? :)


> Lendo com cuidado o antigo testamento, o alcorão ou qualquer
> teologia estruturada, vai encontrar diversos "matarás o próximo" em
> diversas categorias de crueldade..:-) O conceito de guerra santa
> tem justamente essa finalidade, eliminar o infiel, que qualquer
> lado que ele esteja.

Por isso eu falei da religão e religicagem. A religião é uma desculpa
para a disputa pela posse de terra, petróleo ou seja lá o que for.


> Mesmo os 10 mandamentos, se tomados na origem, e relacionados com o
> período em que foram criados, define o não mataras bem
> restritivamente, não matarás filhos de israel. Mas, os outros...:-)

É. As religiões tem que se reciclar para o mercado cada vez mais
competitivo. O papa tem que ser pop se não quiser perder os fiéis.
Mas eu acho isso uma contradição dos fiéis. Como pode um fiél
conviver em harmonia com alguém de outra religião? No melhor caso,
o outro fiél será considerado infiél pelo próximo não tão próximo. :)

Beijos,
Adriana


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Unhas artificias e electrónicas!!!
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/11/2003 01:15

Cuidado pois agora as girls além de arranharem...ainda
podem "electrizar" os...garanhões (parece q estou no TX...LOLLLLL)
Mais uma vez: VIVA A Química!!!!
""It is hard to nail a new corner in the cut-throat world of fashion
and cosmetics, but you have to hand it to Carlos Gonzalez who has
recently received a patent for colour-changing false fingernails,
because he will have the designers wringing their hands with glee.
Gonzalez who works in the Department of New Materials at CIDETEC
(The Centre for Technological Research in Electrochemistry) in the
Basque Country has developed electrochromic false fingernails.

A plug in device controls the colour at the flick of a switch,
allowing the ultra-fashion conscious to match their nails to almost
any colour they wish. The system could, of course, be utilized in a
variety of situations where the colour of any desired surface might
be changed.

The electrochromic nail is composed of a number of layers,
sandwiched between the layers are: transparent conducting oxides; a
number of electrochromic polymers of differing compositions that
produce the different colours; an ion-storage polymer layer that
makes the colour 'permanent'; as well as an electrolyte layer that
allows ionic interchange between the different polymers to take
place.

The control device has a built in image-capture system that
can 'sample' from any coloured material, much as the 'eyedropper' in
image manipulation software can sample colour in a digital image.

All the required electronic circuitry is built into the device which
is connected by electrodes to each nail. A display screen allows for
the processing and modification of the information obtained by the
imaging system as well as enabling the anticipated colour to be
visualised prior to 'application' to the nail.

Earlier this year, Gonzalez's novel idea was awarded the prize for
innovation at the Seventh Competition for Enterprise Projects,
Industrial Innovation, Design and Research in Small and Medium-sized
Business.

A patent (P-200101682) was recently awarded to Gonzalez for his
invention.""
Claro que fábrica é em Espanha. Elas são umas vaidosas...Sempre
pintadas
http://www.cidetec.es/i_home.htm
votos de muitas arranhadelas...
Maria Natália




SUBJECT: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/11/2003 01:30

Olá Sérgio, :)

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Sergio M M Taborda"
<sergiotaborda@n...> escreveu
>
> ----- Original Message -----
> From: "Alvaro Augusto - Luna Bay"
>
> > Caro Sérgio,
> >
> > Acho que não era pra levar a coisa tão a sério... Essa discussão é
> meramente
> > corporativista e não vai nos levar a lugar algum...
>
> Concordo, mas uma piada é uma piada, um erro é um erro.

Veja esta piada-pergunta:
"Por que quando a gente liga para o número errado nunca dá ocupado?"
Eu poderia dizer:
- Claro, como eu ia saber que era engano se estava ocupado?
Mas eu prefiro dar uma risadinha porque a graça está na falta de
sentido da afirmação. :P

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Ciencia divertida
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/11/2003 02:18

Umbigo de J. Lo é ciência pura!

http://msnbc.com/news/988110.asp?cp1=1#BODY

--
Narumi Abe



SUBJECT: Mosquitos e seus 47 dentes
FROM: Antonio Ferrão Neto <a_ferrao@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 13:26

Caros colegas da lista,

No canal de Ciência do terra
(http://noticias.terra.com.br/ciencia/interna/0,,OI109693-EI1426,00.html),
existe uma resposta a uma dúvida sobre os mosquitos, dizendo que eles
possuem 47 dentes.
Eu gostaria de saber:
1- Para que servem e como funcionam estes dentes?
2- Como é que o mosquito enfia a tromba na pele? Em outras palavras, se nós
colocarmos uma agulha de pé sobre a nossa pele, a agulha não entrará na
pele, mesmo que ela seja muito fina e que tenha um peso equivalente ao peso
de um mosquito. Ou, se pegarmos um mosquito morto e tentarmos enfiar a sua
tromba em nossa pele, não conseguiríamos (a tromba entortaria). Quando um
enfermeiro utiliza uma seringa para aplicar uma injeção, ele deve aplicar
uma certa força para a agulha penetrar na pele, muito maior do que o peso de
um mosquito (embora a agulha seja mais grossa). A minha pergunta é mais
física do que biológica: Onde estaria a reação desta força? As pernas do
mosquito são muito tênues e não poderiam agarrar na pele da vítima o
suficiente para oferecer a reação a esta força. Eu imagino que a resposta a
esta questão esteja nos tais dentes. - Será?
3- As pulgas e carrapatos também possuem dentes?
4- Existe diferença entre mosquito e pernilongo?

Veja os dentes do mosquito em
<http://biodidac.bio.uottawa.ca/thumbnails/filedet.htm?File_name=DIPT040P&Fi
le_type=GIF>. O sorriso dele não é uma gracinha? Lembra o do Silvio Santos.
:-)

[]'s
Antonio Ferrão Neto



SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "Emiliano Chemello" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 13:47

acredito que as palavras do Präss dizem tudo.

sem mais comentários Sr. Sérgio Taborda.
----- Original Message -----
From: Prof. Alberto Ricardo Präss
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Saturday, November 08, 2003 12:56 AM
Subject: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...


Eta cara chato!


----- Original Message -----
From: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Saturday, November 08, 2003 12:14 AM
Subject: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...



----- Original Message -----
From: "Prof. Alberto Ricardo Präss"

> Só para constar: qual a origem da palavra Física ?
>
> Sabendo isso, pode-se limitar os horizontes da Física.

Parafrasenado o Leo: não me interessa qual é a origem etimologica da
palavra, mas aquilo que ela signifca hoje.

Mas aqui fica a def do Aurélio de Física e Quimica

"física . [Do lat. physica < gr. physiké, fem. de physikós.] S. f. 1.
Ciência de conteúdo vasto e fronteiras não muito definidas, que investiga as
propriedades dos campos, as interações entre os campos de força e os meios
materiais, as propriedades e a estrutura dos sistemas materiais, e as leis
fundamentais do comportamento dos campos e dos sistemas materiais. 2.
Conjunto de conhecimentos relativos à física, ou que têm implicações com
ela, ministrados nas faculdades. 3. Tratado ou compêndio de física. 4.
Exemplar de um desses tratados ou compêndios. Física atômica. 1. Parte da
física que trata das propriedades do átomo, de suas interações com a
radiação e com os campos de força, investiga os níveis de energia e a
emissão de energia em sistemas atômicos, e explica a estrutura destes.
Física clássica. 1. Parte da física que abrange, de modo geral, os
conhecimentos e teorias incluídos na física até os fins do século XIX, e se
caracteriza por uma formulação teórica baseada nos conceitos e princípios da
mecânica clássica (newtoniana) e do eletromagnetismo maxwelliano. Física
coloidal. 1. Parte da físico-química que investiga as propriedades físicas
dos colóides, esp. as ópticas e elétricas. Física do estado sólido. 1. Parte
da física que investiga as propriedades dos materiais sólidos, esp. dos
cristais; física dos sólidos. Física dos plasmas. 1. Parte da física que
investiga as propriedades e a produção dos plasmas. Física dos sólidos. 1.
Física do estado sólido. Física estatística. 1. Mecânica estatística. Física
experimental. 1. Investigação dos fenômenos físicos que utiliza processos
experimentais e visa à medida de grandezas físicas relevantes, ou à
observação de determinados processos físicos. Física matemática. 1. Parte da
física que tem o objetivo de investigar e descobrir por meio de métodos
matemáticos as conseqüências duma teoria física, partindo da aceitação das
hipóteses fundamentais dessa teoria. [Tb. se diz, ocasionalmente, física
teórica (q. v.).] Física molecular. 1. Estudo das propriedades gerais das
moléculas, da natureza das forças intermoleculares, da ligação química e dos
espectros moleculares. Física nuclear. 1. Parte da física que investiga as
propriedades do núcleo atômico e das partículas elementares, as forças
nucleares e as interações entre as partículas, as reações nucleares e os
fenômenos de desintegração e fissão. Física solar. 1. Heliofísica. Física
teórica. 1. Parte da física em que as teorias desta ciência são expressas e
formuladas sob forma matemática, e na qual os resultados obtidos
experimentalmente figuram como elementos de validação das relações gerais ou
particulares nela incluídos. Tem dois objetivos básicos: a descoberta de
leis bastante gerais que possam servir, juntamente com um reduzido número de
outras, para a elaboração de uma teoria pertinente a um grande conjunto de
fenômenos de mesma natureza, e a derivação, usualmente feita pelos processos
formais da matemática, das conseqüências dessas leis. 2. V. física
matemática. Física terrestre. 1. V. geofísica. "

"química . [F. subst. do adj. químico; fr. chimique.] S. f. 1. Ciência em
que se estuda a estrutura das substâncias, correlacionando-a com as
propriedades macroscópicas, e se investigam as transformações dessas
substâncias. 2. Tratado ou compêndio dessa ciência. 3. Exemplar de um desses
tratados ou compêndios. 4. Conjunto de conhecimentos relativos a esta
ciência, ou que têm implicações com ela, ministrados nas respectivas
faculdades. Química biológica. 1. V. bioquímica. Química bromatológica. 1.
Bromatologia. Química fina. 1. Ramo da atividade química industrial que
elabora, a partir de insumos produzidos pelas indústrias químicas de base
(p. ex., a petroquímica), substâncias mais complexas, destinadas a
aplicações específicas. A química fina se caracteriza por processos
descontínuos, em várias etapas, e em pequena escala, visando produtos de
alta relação preço/peso. [As substâncias ativas empregadas na indústria
farmacêutica (fármacos), os catalisadores da indústria química e os
reagentes de alta pureza usados em análises e pesquisas químicas são típicos
produtos da química fina.] Química fisiológica. 1. V. bioquímica. Química
industrial. 1. Parte da química que investiga os processos de fabricação dos
produtos que se usam na indústria ou se destinam ao consumo. Química
inorgânica. 1. Divisão didática do campo de conhecimento e investigação da
química que estuda os compostos de todos os elementos, exceto os do carbono
(com poucas exceções, como o monóxido de carbono, o dióxido de carbono, p.
ex.); química mineral. Química médica. 1. A que estuda as substâncias
minerais e orgânicas aplicáveis à medicina. Química mineral. 1. Química
inorgânica. Química nuclear. 1. Parte da química que investiga os nuclídeos
radioativos e seus compostos, e os efeitos das radiações sobre nuclídeos e
seus compostos, utilizando os procedimentos usuais de identificação, de
análise e de preparação adotados nos procedimentos químicos. Química
orgânica. 1. Divisão didática do campo de conhecimento e investigação da
química, que estuda os compostos de carbono. Fazer química. Bras. 1. Nas
repartições públicas, empregar uma verba em destino diverso do determinado
pela lei, em benefício do serviço, porém de modo irregular. 2. Arranjar as
coisas e situações de modo tendente a levá-las ao ponto desejado. "



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE




##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.516 / Virus Database: 313 - Release Date: 1/9/2003


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?
FROM: "Emiliano Chemello" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 14:02

Caro Sr. Sérgio Taborda

Segue abaixo o prólogo do livro: Á procura do gato de Schrödinger de John Gribbin intitulado: Nada é real. Sei que é 4GB de texto mas... vale apena ler. Quando falo que a física quântica foge do cotidiano estou me referindo ao que consideramos comum. Quando Einstein disse que o tempo era relativo, por exemplo.. isso realmente foge do cotidiano... mas é um fato que se manifesta com significação em velocidades muito altas, próximas a da luz. Oras Sérgio... vais dizer que um gato em um estado indeterminado entre a vida e a morte é cotidiano? :-).

Veja como Einstein (agora fugindo do assunto) define a relatividade para os leigos:

"Quando você está cortejando uma moça simpática, uma hora parece um segundo. Quando você se senta sobre carvão em brasa, um segundo parece uma hora. Isso é relatividade."

Outra... me disseram que estava escrita na porta de um banheiro público...

"Quanto tempo dura um segundo? Depende de que lado da porta você está"


Além disso, quando falas que os diálogos não são verdadeiros... desculpe... mas isso está nos livros. Não conheci pessoalmente Bohr e Einstein mas o livros (vou atrás de uma bibliografia inquestionável para te mostrar) falam isso. Einstein nunca engoliu a quântica e sempre se mostrou avesso a aceitar um comportamento da natureza desse tipo.

_________________________________


Nada é Real



O gato que dá o título do livro é um animal inventado, mas Schrödinger existe mesmo. Erwin Schrödinger foi um cientista austríaco que, em meados dos anos 20, desempenhou um papel muito importante no desenvolvimento das equações deum ramo da ciência hoje conhecido como Mecânica Quântica. Ramo da ciência não será a expressão adequada, pois a Mecânica Quântica constitui, hoje em dia, a base de toda a ciência. As equações descrevem o comportamento de objetos muito pequenos - digamos de dimensões iguais ou inferiores às atômicas - e constituem a única fonte de conhecimento de mundo microscópico. Sem estas equações, os físicos teriam sido incapazes de planear centrais nucleares (e bombas nucleares), construir lasers ou explicar por que razão o sol se mantém quente. Sem Mecânica Quântica a Química ainda estaria na Idade Média e a Biologia Molecular - conhecimento do DNA, engenharia genética, e tudo o resto - não existiria.

A teoria quântica é a maior criação da ciência, de significado muito maior e prático do que a teoria da relatividade. E, contudo, permite fazer estranhíssimas previsões. O mundo da mecânica quântica é tão estranho que mesmo Albert Einstein não o conseguiu compreender e recusou-se a aceitar todas as conseqüências da teoria desenvolvida por Schrödinger e outros. Einstein, como muitos outros cientistas, julgou muito mais adequado supor que as equações da mecânica são um processo matemático que permite uma descrição geral do comportamento das partículas atômicas e subatômicas mas impede o acesso a uma realidade mais profunda de acordo com a nossa experiência quotidiana. A Mecânica Quântica diz-nos que nada é real, e que naõ podemos afirmar nada acerca dos fenômenos exceto quando os vemos. O gato de Schrödinger foi pensado como exemplo para mostrar claramente as diferenças existentes entre o mundo quotidiano e o mundo quântico.

No mundo quântico já não vigoram mais as leis que nos são familiares. Os acontecimentos são regidos por probabilidades. Tomemos como exemplo um átomo radioativo. Ele pode transformar-se, digamos que por emissão de um elétron. Mas também pode não o fazer. É possível mostrar uma experiência de tal modo que num certo intervalo de tempo haja uma probabilidade de exatamente 50% de um dos átomos de uma amostra radioativa se transmutar e que, a dar-se essa desintegração, ela seja detectada por um dispositivo. Schrödinger, tão preocupado como Einstein com as implicações da teoria quântica, tentou mostrar o absurdo de tais implicações imaginando uma experiência como a referida, que ocorreria numa sala ou caixote fechado, em cujo interior estariam ainda um gato (vivo) e um frasco de gás venenoso, tudo disposto de maneira que se a desintegração radioativa se desse, o frasco seria quebrado e o gato morreria. no mundo quotidiano a morte do gato tem 50% de probabilidade de ocorrer, e, sem olhar para o interior do caixote, podemos dizer com segurança que o gato ou está vivo ou está morto. Mas aqui deparamos com a estranheza do mundo quântico. Segundo a teoria, nenhuma das das duas possibilidades de concretização (o gato vivo e fato morto) tem realidade a não ser que seja observada. Assim a desintegração nem aconteceu nem não aconteceu e o gato não morreu nem sobreviveu até que tenhamos olhado para o interior do caixote. Os teóricos que aceitam a versão pura da Mecânica Quântica dizem que o gato existe num estado indeterminado que não é vida nem é morte, até que um observador olhe para dentro do caixote. Nada é real se não é observado.

Essa idéia era um anátema¹ para Einstein, entre outros. "Deus não joga dados", dizia, referindo-se à teoria de que o mundo evolui em conseqüência de escolhas aleatórias ao nível quântico. Quanto à irrealidade do estado do gato de Schrödinger, ele justificava-a pela existência de uma engrenagem subjacente ², unicamente a partir da qual se tornava possível discernir a realidade fundamental das coisas. Einstein gastou muitos anos tentando imaginar experiências que pudessem revelar esta realidade subjacente, mas morreu antes que uma tal experiência fosse efetuada. E talvez tenha sido melhor para Einstein não ter vivido até se chegar ao termo da linha de raciocínio por ele iniciada.

No verão de 1982, na Universidade de París-Sud, em França, uma equipe chefiada por Alain Aspect concluiu um certo número de experiências destinadas a revelar a existência de uma realidade subjacente à irrealidade quântica. Tal realidade - a engrenagem fundamental - manifestava-se pela existência de "variáveis ocultas", e a experiência dizia respeito ao comportamento de dois fótons (ou partículas de luz) afastando-se em sentidos opostos a partir de uma fonte comum. Em suma, podemos descrever a experiência: Dois fótons, emergentes da mesma fonte, são observados por dois detectores, que medem uma propriedade chamada polarização. Segundo a teoria quântica, esta propriedade não existe senão quando é medida. Segundo a hipótese das variáveis ocultas, cada fóton tem uma polarização "real", bem definida, desde o momento que é criado. Como os fótons são emitidos conjuntamente, as suas polarizações estão relacionadas. Mas a relação existente entre elas não é a mesma nas duas interpretações. O resultado da experiência foi inequívoco. A relação prevista pela teoria das variáveis ocultas não foi observada, a prevista pela teoria quântica foi-o. Mais ainda: a medida realizada num dos fótons tem efeito instantâneo sobre a polarização do outro fóton, o que concorda com a teoria quântica. Existe uma espécie de interação entre os dois, embora ambos se movam a velocidade da luz e a teoria da relatividade nos ensine que nenhum sinal pode viajar mais depressa do que a luz. As experiências mostram uma inexistência de uma realidade subjacente. Assim, não é adequado pensar em termos de realidade quotidiana quando nos debruçamos sobre as partículas elementares que constituem o universo. E contudo, tais partículas parecem intimamente ligadas num todo indivisível, cada uma ciente do que sucede às restantes.

A procura do gato de Schrödinger foi a procura da realidade quântica. A partir deste breve resumo, pode parecer que tal busca foi infrutífera, pois a realidade tal como a conhecemos não existe afinal. Mas isto não é ainda o fim da história, e a procura do gato de Schrödinger pode levar-nos a uma nova compreensão do mundo, compreensão essa que transcende, ainda que inlcua, a interpretação convencional da teoria quântica. O caminho é longo, e começa com um cientista que provavelmente ficaria ainda mais horrorizado do que Einstein se soubesse quais as respostas que hoje temos para as questões que o intrigam. Isaac Newton, ao estudar a natureza da luz há trezentos anos atrás, não podia ter consciência de estar já no caminho que levaria ao gato de Schrödinger.


__________________________

[ ] 's
---
Emiliano Chemello
chemello.e@bol.com.br
www.chemello.kit.net

----- Original Message -----
From: Sergio M M Taborda
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 07, 2003 11:17 PM
Subject: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?



----- Original Message -----
From: "Emiliano Chemello

> Não sejamos tão maldosos em chamar o Bohr de mentecapto.

Não sejamos tão ingenuos ou distraidos para pensar que era isso que estava a
fazer.

>Quando ele fala em entender... o significado transcende o trivial.
Entender... como foi dito na >frase, seria fazer relações com nosso mundo...
com o cotidiano e isso realmente não é >possivel... pois o comportamento
quântico foge do contidiano (vide experiência mental do Gato >de
Schrödinger). A quântica se baseia na experimentação... cria regras...

Este tipo de argumento é o tipo de argumento que eu não consigo engolir.
Nada do que pode ser experimentado directamente foge do nosso quotidiano.
A fisica moderna começou quando os fisicos compreenderam que para teorizar
sobre o muito pequeno, eles tinham que recorrer à estatistica. Que não
podiam testar cada caso por si.
não é possivel testar o efeito-fotoelectrico com um so fotão que extrai um
so electrão.
São precisas muitas moles de fotões.
É para isso que o Gato de Shrondinger serve. Para mostrar que para
comprender certos fenomenos é preciso usar estatistica. São precisas testar
probabilidades, trabalhar com probabilidades. A logica passou a ser difusa
em vez de binária.

>Como gosto de citar os grandes... ai vai mais um diálogos de gigantes:
>Einstein disse: "Deus não joga dados!"
>Bohr responde: "Albert, não diga a Deus o que ele deve fazer!"

Onde já vai o diálogo... Ora, ora...
Acho que no meio disto tudo faltam boas aulas de historia da física.
E quando digo "boas" quero dizer "sem os clichês ridiculos que se criaram à
volta dos seus intervenientes"
Einstein nem sequer usou a palavra "deus", por isso, não acredito que Bohr a
tenha em resposta.
Vc pode citar os grandes, desde que as citações sejam as verdadeiras.... :-)

Eles podem ter dito muitas coisas. Mas eles viveram à muito tempo atrás.
Hoje sabemos coisas que eles não sabiam e dispomos de ferramentas de que
eles não dispunham e as teorias foram repensadas, afinadas e solidificadas
por outros que vieram depois deles. Portanto, o que eles disseram tem valor
histórico , mas não mais corresponde com o que sabemos ou como encaramos o
mundo, a fisica e a mecanica quantica.

Sérgio Taborda


Yahoo! Groups Sponsor


Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96 Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08
Mais... Você S/A Boa Forma Capricho Exame






##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.516 / Virus Database: 313 - Release Date: 1/9/2003


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: piadinhas para descontrair os químicos...
FROM: "Emiliano Chemello" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 14:10

Adriana,

Obrigado pelo site e pela dica no caso "a arrumação do quarto e a questão da
entropia". Muito bem bolada.


[ ] 's
---
Emiliano Chemello
chemello.e@bol.com.br
www.chemello.kit.net
----- Original Message -----
From: Adriana Rohatsko
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 07, 2003 10:42 PM
Subject: [ciencialist] Re: piadinhas para descontrair os químicos...


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Emiliano Chemello - BOL"
<chemello.e@b...> escreveu
> Sentindo um certo pré-conceito com os químicos da sala (eu ser um),
> para os físicos segue umas piadinhas....são velhas... mas vela
> apena ler novamente.
[...]


Versão pagã da piadinha:
http://www.angelfire.com/wy/wyrd/lampadas.html

Beijos,
Adriana


Yahoo! Groups Sponsor


Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08
Mais...Você S/ABoa FormaCaprichoExame






##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.516 / Virus Database: 313 - Release Date: 1/9/2003



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?
FROM: "Emiliano Chemello" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 14:10

Caro Sr. Sérgio Taborda

Segue abaixo o prólogo do livro: Á procura do gato de Schrödinger de John
Gribbin intitulado: Nada é real. Sei que é 4GB de texto mas... vale apena
ler. Quando falo que a física quântica foge do cotidiano estou me referindo
ao que consideramos comum. Quando Einstein disse que o tempo era relativo,
por exemplo.. isso realmente foge do cotidiano... mas é um fato que se
manifesta com significação em velocidades muito altas, próximas a da luz.
Oras Sérgio... vais dizer que um gato em um estado indeterminado entre a
vida e a morte é cotidiano? :-).

Veja como Einstein (agora fugindo do assunto) define a relatividade para os
leigos:

"Quando você está cortejando uma moça simpática, uma hora parece um segundo.
Quando você se senta sobre carvão em brasa, um segundo parece uma hora. Isso
é relatividade."

Outra... me disseram que estava escrita na porta de um banheiro público...

"Quanto tempo dura um segundo? Depende de que lado da porta você está"


Além disso, quando falas que os diálogos não são verdadeiros...
desculpe... mas isso está nos livros. Não conheci pessoalmente Bohr e
Einstein mas o livros (vou atrás de uma bibliografia inquestionável para te
mostrar) falam isso. Einstein nunca engoliu a quântica e sempre se mostrou
avesso a aceitar um comportamento da natureza desse tipo.

_________________________________

Nada é Real

O gato que dá o título do livro é um animal inventado, mas Schrödinger
existe mesmo. Erwin Schrödinger foi um cientista austríaco que, em meados
dos anos 20, desempenhou um papel muito importante no desenvolvimento das
equações deum ramo da ciência hoje conhecido como Mecânica Quântica. Ramo da
ciência não será a expressão adequada, pois a Mecânica Quântica constitui,
hoje em dia, a base de toda a ciência. As equações descrevem o comportamento
de objetos muito pequenos - digamos de dimensões iguais ou inferiores às
atômicas - e constituem a única fonte de conhecimento de mundo microscópico.
Sem estas equações, os físicos teriam sido incapazes de planear centrais
nucleares (e bombas nucleares), construir lasers ou explicar por que razão o
sol se mantém quente. Sem Mecânica Quântica a Química ainda estaria na Idade
Média e a Biologia Molecular - conhecimento do DNA, engenharia genética, e
tudo o resto - não existiria.
A teoria quântica é a maior criação da ciência, de significado muito
maior e prático do que a teoria da relatividade. E, contudo, permite fazer
estranhíssimas previsões. O mundo da mecânica quântica é tão estranho que
mesmo Albert Einstein não o conseguiu compreender e recusou-se a aceitar
todas as conseqüências da teoria desenvolvida por Schrödinger e outros.
Einstein, como muitos outros cientistas, julgou muito mais adequado supor
que as equações da mecânica são um processo matemático que permite uma
descrição geral do comportamento das partículas atômicas e subatômicas mas
impede o acesso a uma realidade mais profunda de acordo com a nossa
experiência quotidiana. A Mecânica Quântica diz-nos que nada é real, e que
naõ podemos afirmar nada acerca dos fenômenos exceto quando os vemos. O gato
de Schrödinger foi pensado como exemplo para mostrar claramente as
diferenças existentes entre o mundo quotidiano e o mundo quântico.
No mundo quântico já não vigoram mais as leis que nos são familiares. Os
acontecimentos são regidos por probabilidades. Tomemos como exemplo um átomo
radioativo. Ele pode transformar-se, digamos que por emissão de um elétron.
Mas também pode não o fazer. É possível mostrar uma experiência de tal modo
que num certo intervalo de tempo haja uma probabilidade de exatamente 50% de
um dos átomos de uma amostra radioativa se transmutar e que, a dar-se essa
desintegração, ela seja detectada por um dispositivo. Schrödinger, tão
preocupado como Einstein com as implicações da teoria quântica, tentou
mostrar o absurdo de tais implicações imaginando uma experiência como a
referida, que ocorreria numa sala ou caixote fechado, em cujo interior
estariam ainda um gato (vivo) e um frasco de gás venenoso, tudo disposto de
maneira que se a desintegração radioativa se desse, o frasco seria quebrado
e o gato morreria. no mundo quotidiano a morte do gato tem 50% de
probabilidade de ocorrer, e, sem olhar para o interior do caixote, podemos
dizer com segurança que o gato ou está vivo ou está morto. Mas aqui
deparamos com a estranheza do mundo quântico. Segundo a teoria, nenhuma das
das duas possibilidades de concretização (o gato vivo e fato morto) tem
realidade a não ser que seja observada. Assim a desintegração nem aconteceu
nem não aconteceu e o gato não morreu nem sobreviveu até que tenhamos olhado
para o interior do caixote. Os teóricos que aceitam a versão pura da
Mecânica Quântica dizem que o gato existe num estado indeterminado que não é
vida nem é morte, até que um observador olhe para dentro do caixote. Nada é
real se não é observado.
Essa idéia era um anátema¹ para Einstein, entre outros. "Deus não joga
dados", dizia, referindo-se à teoria de que o mundo evolui em conseqüência
de escolhas aleatórias ao nível quântico. Quanto à irrealidade do estado do
gato de Schrödinger, ele justificava-a pela existência de uma engrenagem
subjacente ², unicamente a partir da qual se tornava possível discernir a
realidade fundamental das coisas. Einstein gastou muitos anos tentando
imaginar experiências que pudessem revelar esta realidade subjacente, mas
morreu antes que uma tal experiência fosse efetuada. E talvez tenha sido
melhor para Einstein não ter vivido até se chegar ao termo da linha de
raciocínio por ele iniciada.
No verão de 1982, na Universidade de París-Sud, em França, uma equipe
chefiada por Alain Aspect concluiu um certo número de experiências
destinadas a revelar a existência de uma realidade subjacente à irrealidade
quântica. Tal realidade - a engrenagem fundamental - manifestava-se pela
existência de "variáveis ocultas", e a experiência dizia respeito ao
comportamento de dois fótons (ou partículas de luz) afastando-se em sentidos
opostos a partir de uma fonte comum. Em suma, podemos descrever a
experiência: Dois fótons, emergentes da mesma fonte, são observados por dois
detectores, que medem uma propriedade chamada polarização. Segundo a teoria
quântica, esta propriedade não existe senão quando é medida. Segundo a
hipótese das variáveis ocultas, cada fóton tem uma polarização "real", bem
definida, desde o momento que é criado. Como os fótons são emitidos
conjuntamente, as suas polarizações estão relacionadas. Mas a relação
existente entre elas não é a mesma nas duas interpretações. O resultado da
experiência foi inequívoco. A relação prevista pela teoria das variáveis
ocultas não foi observada, a prevista pela teoria quântica foi-o. Mais
ainda: a medida realizada num dos fótons tem efeito instantâneo sobre a
polarização do outro fóton, o que concorda com a teoria quântica. Existe uma
espécie de interação entre os dois, embora ambos se movam a velocidade da
luz e a teoria da relatividade nos ensine que nenhum sinal pode viajar mais
depressa do que a luz. As experiências mostram uma inexistência de uma
realidade subjacente. Assim, não é adequado pensar em termos de realidade
quotidiana quando nos debruçamos sobre as partículas elementares que
constituem o universo. E contudo, tais partículas parecem intimamente
ligadas num todo indivisível, cada uma ciente do que sucede às restantes.
A procura do gato de Schrödinger foi a procura da realidade quântica. A
partir deste breve resumo, pode parecer que tal busca foi infrutífera, pois
a realidade tal como a conhecemos não existe afinal. Mas isto não é ainda o
fim da história, e a procura do gato de Schrödinger pode levar-nos a uma
nova compreensão do mundo, compreensão essa que transcende, ainda que
inlcua, a interpretação convencional da teoria quântica. O caminho é longo,
e começa com um cientista que provavelmente ficaria ainda mais horrorizado
do que Einstein se soubesse quais as respostas que hoje temos para as
questões que o intrigam. Isaac Newton, ao estudar a natureza da luz há
trezentos anos atrás, não podia ter consciência de estar já no caminho que
levaria ao gato de Schrödinger.

__________________________

[ ] 's
---
Emiliano Chemello
chemello.e@bol.com.br
www.chemello.kit.net

----- Original Message -----
From: Sergio M M Taborda
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 07, 2003 11:17 PM
Subject: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?



----- Original Message -----
From: "Emiliano Chemello

> Não sejamos tão maldosos em chamar o Bohr de mentecapto.

Não sejamos tão ingenuos ou distraidos para pensar que era isso que estava a
fazer.

>Quando ele fala em entender... o significado transcende o trivial.
Entender... como foi dito na >frase, seria fazer relações com nosso mundo...
com o cotidiano e isso realmente não é >possivel... pois o comportamento
quântico foge do contidiano (vide experiência mental do Gato >de
Schrödinger). A quântica se baseia na experimentação... cria regras...

Este tipo de argumento é o tipo de argumento que eu não consigo engolir.
Nada do que pode ser experimentado directamente foge do nosso quotidiano.
A fisica moderna começou quando os fisicos compreenderam que para teorizar
sobre o muito pequeno, eles tinham que recorrer à estatistica. Que não
podiam testar cada caso por si.
não é possivel testar o efeito-fotoelectrico com um so fotão que extrai um
so electrão.
São precisas muitas moles de fotões.
É para isso que o Gato de Shrondinger serve. Para mostrar que para
comprender certos fenomenos é preciso usar estatistica. São precisas testar
probabilidades, trabalhar com probabilidades. A logica passou a ser difusa
em vez de binária.

>Como gosto de citar os grandes... ai vai mais um diálogos de gigantes:
>Einstein disse: "Deus não joga dados!"
>Bohr responde: "Albert, não diga a Deus o que ele deve fazer!"

Onde já vai o diálogo... Ora, ora...
Acho que no meio disto tudo faltam boas aulas de historia da física.
E quando digo "boas" quero dizer "sem os clichês ridiculos que se criaram à
volta dos seus intervenientes"
Einstein nem sequer usou a palavra "deus", por isso, não acredito que Bohr a
tenha em resposta.
Vc pode citar os grandes, desde que as citações sejam as verdadeiras.... :-)

Eles podem ter dito muitas coisas. Mas eles viveram à muito tempo atrás.
Hoje sabemos coisas que eles não sabiam e dispomos de ferramentas de que
eles não dispunham e as teorias foram repensadas, afinadas e solidificadas
por outros que vieram depois deles. Portanto, o que eles disseram tem valor
histórico , mas não mais corresponde com o que sabemos ou como encaramos o
mundo, a fisica e a mecanica quantica.

Sérgio Taborda


Yahoo! Groups Sponsor


Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08
Mais...Você S/ABoa FormaCaprichoExame






##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.516 / Virus Database: 313 - Release Date: 1/9/2003



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 16:28


----- Original Message -----
From: "Emiliano Chemello"

>Segue abaixo o prólogo do livro: Á procura do gato de Schrödinger de John
>Gribbin intitulado: Nada é real.

Eu não tenho culpa se o autor faz citações erradas, ou se o tradutor
traduziu errado, ou se vc acha que citando o livro dele vc está falando
coisas certas.
Do que eu posso ter culpa é de deixar passar em branco essa conversas sem
nexo e sem sentido de que a quantica diz que nada é real.
Também não tenho culpa de ser um livro de "divulgação cientifica" em vez de
um livro de fisica para leigos.São coisas bem diferentes. O texto q vc
repassou nada é mais do que um conjunto de afirmações inflamadas que está
mais próxima do imaginário colectivo do que dos factos e da ciencia.

Nós já abordámos este problema das erradas citações antes.
Veja a msg nº 9562 onde eu escrevi:

« "E a famosa frase que muitos dizem de "Deus não joga aos dados com o
Universo" não é bem assim .
Aqui vos deixo a frase original que é retirada de uma carta a Max Born ( e
não a Bohr como se pensa ) datada de 1926.

"A mecânica quântica é realmente impressionante . Mas uma voz interior me
diz que ainda não é o que buscamos . A teoria faz muito , mas pouco nos
aproxima do segredo do Grande Ancião . Em todo o caso , estou convencido
deque Ele não joga aos dados ."

Aquele "Ele" foi depois mal intrepretado para "Deus" »

>Veja como Einstein (agora fugindo do assunto) define a relatividade para os
>leigos:
>
>"Quando você está cortejando uma moça simpática, uma hora parece um
>segundo.
>Quando você se senta sobre carvão em brasa, um segundo parece uma hora.
>Isso é relatividade."
>
>Outra... me disseram que estava escrita na porta de um banheiro público...
>
>"Quanto tempo dura um segundo? Depende de que lado da porta você está"

Agora já entrámos no nivel do ridiculo. Se vc aceita essas frases como
definições de uma realidade física, não me estranha que vc aceite o que leu
no livro. Essa resposta de Eisntein foi dada a um jornalista, que na altura,
como agora, adoram sentido de humor mas são completos zeros no que toca a
divulgar ciencia. Essa frase originada da intrepretação do jornalista e não
das palavras concretas de Einstein tornou-se famosa, mas ela explica melhor
o conceito de tempo psicologico do que de tempo relativo
A verdadeira explicação para leigos do tempo relativo é a historia da Torre
do Relógio

> Além disso, quando falas que os diálogos não são verdadeiros...
>desculpe... mas isso está nos livros.

Isso não faz com que seja verdadeiro. Se vc ainda consegue usar este tipo de
argumentos, vc ainda está na idade da pedra. Eu se fosse vc tentava ser um
pouco mais imparcial quando lesse um texto procurando por outras fontes
sobre o asusnto, em vez de comer a primeira coisa que lê. Hey! eu não tenho
nenhum problema em que vc acredite no que vc quiser - afinal muitos
acreditam em cristo pq está escrito num livro que ele existiu - o que eu
aceito é que vc queira impingir ao outros, coisas que sei serem mentira.

E agora uma análise do texto que enviaste.

>Nada é Real
>
> A Mecânica Quântica diz-nos que nada é real, e que
>naõ podemos afirmar nada acerca dos fenômenos exceto quando os vemos.

Isto está grandemente empolado. A MQ é uma teoria cientifica, um modelo para
entender certos fenómenos. Ela não dita a realidade, e muito menos ela não
dita o que é real e o que não é.
A única coisa que ela pode ditar é a validade de certas afirmações no
contexto que ela descreve.
Dentro desse contexto apenas podemos exercer comentários válidos sobre
medições de grandezas no acto da medição. Mas isso não significa que não
seja possivel saber, por exemplo, todos os estados possiveis de um sistema.
Muitos acham que a MQ não é determinista, mas de facto não existe teoria
mais determinista que esta que pode prever até a probabilidade dos estados
serem observados.

> No mundo quântico já não vigoram mais as leis que nos são familiares.

É claro que vigoram, mas têm uma outra forma.
A eq de Srondinger é a conhecida Lei da Conservação da Energia Mecânica.
A Segunda Lei da Mecanica tb está lá.

>Os acontecimentos são regidos por probabilidades.

Este é um erro muito comum. Não se pode afirmar que acontecimentos são
regidos por probabilidades, pq não sabemos de facto pelo quê eles são
regidos. O que podemos dizer é a certo fenomeno tem uma probabilidade de
acontecer. Ela pode ser calculada e medida. Não é invenção.

>Tomemos como exemplo um átomo
radioativo. Ele pode transformar-se, digamos que por emissão de um elétron.
Mas também pode não o fazer.

Exactamente. Isso mostra que não sabemos o que acciona o evento. Sabemos
apenas caracterizar o evento ele ppr.

> Schrödinger, tão
>preocupado como Einstein com as implicações da teoria quântica, tentou
>mostrar o absurdo de tais implicações imaginando uma experiência como a
>referida, que ocorreria numa sala ou caixote fechado, em cujo interior
>estariam ainda um gato (vivo) e um frasco de gás venenoso, tudo disposto de
>maneira que se a desintegração radioativa se desse, o frasco seria quebrado
>e o gato morreria. no mundo quotidiano a morte do gato tem 50% de
>probabilidade de ocorrer, e, sem olhar para o interior do caixote, podemos
>dizer com segurança que o gato ou está vivo ou está morto. Mas aqui
>deparamos com a estranheza do mundo quântico. Segundo a teoria, >nenhuma
das duas possibilidades de concretização (o gato vivo e fato morto) tem
realidade a não ser que seja observada.

A palavra "realidade" é aqui usada com um sentido demasidado forte.
O que a MQ diz, é que sem observar, e enquanto não observarmos, não podemos
saber qual dos estados possiveis o sistema realmente tem.
Não ha nenhum mistério nisto, não é preciso MQ para falar da validade de uma
observação. Em MC o mesmo acontece,mas frequentemente é esquecido pq temos
uma melhor imaginação do que acontece. Quando entramos no mundo
miscroscopico perdemos essa capacidade pq ainda é um campo novo para termos
desenvolvido essa capacidade. Não é pq as particulas joguem as escondidas
connosco ou sejam manipuladas por uma inteligencia superior cujo objectivo é
nos frustrar.
Pq entramos num campo no qual o nosso sentido comum pode ser enganado
facilmente, temos que ser mais rigorosos nos preceitos cientificos. E o
problema da observação é um desses preceitos , comum a todas as ciencias
observacionais, mas particularmente importante na MQ.


>Assim a desintegração nem aconteceu
>nem não aconteceu e o gato não morreu nem sobreviveu até que tenhamos
>olhado para o interior do caixote.

Isto é absurdo. E gostaria que vc se esforçasse para entender pq é absurdo.
Uma vez que exista a causa o efeito acontece. O efeito não fica à espera que
alguem esteja a olhar para acontecer.
Uma vez que o atomo se desintegre o gato morre. E ele permenacerá morto.
Mas nós desconheceremos se ele está morto ou vivo até que olhemos dentro da
caixa.

É por estas e por outras que livros deste tipo deviam ser banidos. Jovens
que leiam estas baboseiras e vaiam para uma faculdade cursar fisica vão ter
grandes problemas em entender quantica. E vão se contentar em saber usar a
matemática da fisica quantica e resolver aguns problemas menores, nunca
chegando a dominar as questões. E isso implica que a médio prazo a qualidade
do trabalho desenvolvido nessa area diminuirá.


> Essa idéia era um anátema¹ para Einstein, entre outros. "Deus não joga
>dados", dizia, referindo-se à teoria de que o mundo evolui em conseqüência
>de escolhas aleatórias ao nível quântico.

Einstein não acreditava que a natureza não fosse governada por regras
pré-estabecidas possiveis de conhecer. Aliás, nenhum fisico acredita em
regras aleatórias. Esta afirmação de Eisntein, deve à proposta de Born de
que a função de onda corresponderia com uma densidade de probabilidade. Isto
significa que apenas podemos conhecer probabilidades sobre os sistemas. E
Eisntein achava que isso não era suficiente, isso escondia algo mais
primordial dentro da teoria e que eles não conseguiam sacar para fora e
usar.
É como ter uma máquina que faz algo e nunca poder ir dentro dela para saber
como ela funciona. A MQ é isso, ela intrepreta a natureza como uma máquina,
ela lê vários estados da máquina, mas é incapaz de dizer como a máquina
passa de uns para os outros (ela é capaz de dizer, em casos particulares
como isso ocorre, mas não em geral).
Assim, o que Eisntein não aceitava era que ficassemos apenas a olhar para a
máquina sem ter ferramentas que nos permitissesm abri-la e ver como
funciona.

No verão de 1982, na Universidade de París-Sud, em França, uma equipe
chefiada por Alain Aspect concluiu um certo número de experiências
destinadas a revelar a existência de uma realidade subjacente à irrealidade
quântica. Tal realidade - a engrenagem fundamental - manifestava-se pela
existência de "variáveis ocultas", e a experiência dizia respeito ao
comportamento de dois fótons (ou partículas de luz) afastando-se em sentidos
opostos a partir de uma fonte comum. Em suma, podemos descrever a
experiência: Dois fótons, emergentes da mesma fonte, são observados por dois
detectores, que medem uma propriedade chamada polarização. (..)
Segundo a
hipótese das variáveis ocultas, cada fóton tem uma polarização "real", bem
definida, desde o momento que é criado. Como os fótons são emitidos
conjuntamente, as suas polarizações estão relacionadas. Mas a relação
existente entre elas não é a mesma nas duas interpretações. O resultado da
experiência foi inequívoco. A relação prevista pela teoria das variáveis
ocultas não foi observada, a prevista pela teoria quântica foi-o. Mais
ainda: a medida realizada num dos fótons tem efeito instantâneo sobre a
polarização do outro fóton, o que concorda com a teoria quântica.

O efeito não é instantaneo, ele tem uma velocidade.

>Existe uma
>espécie de interação entre os dois, embora ambos se movam a velocidade da
>luz e a teoria da relatividade nos ensine que nenhum sinal pode viajar mais
>depressa do que a luz.

Aquilo que se propaga é um factor de fase que sempre é mais rápido que a
luz. Este paragrafo é mais uma falha.

>Assim, não é adequado pensar em termos de realidade
>quotidiana quando nos debruçamos sobre as partículas elementares que
>constituem o universo. E contudo, tais partículas parecem intimamente
>ligadas num todo indivisível, cada uma ciente do que sucede às restantes.

Este pragráfo é de uma infilicidade cientifica sem tamanho.
Além da fisica não trabalhar sobre "realidades" mas sim observações e
factos, o todo não é indivisivel.

> A procura do gato de Schrödinger foi a procura da realidade quântica. A
>partir deste breve resumo, pode parecer que tal busca foi infrutífera, pois
>a realidade tal como a conhecemos não existe afinal.

Isto é completamente absurso. Nós não conhecemos a realidade, nós temos
modelos que nos ajudam a entender os fenomenos que pertencem à realidade.
Esses modelos são o que sabemos dela. Por isso nós não podemos saber mais do
que esses modelos, e não podemos dizer que esses modelos estão errados até
termos outros. Este sr escreve de uma forma muito leviana sobre um assunto
tão sério criando fantasmas em vez de os desmitificar.
Depois disto, não tenho nenhuma vontade de ler mais asneiras no livro dele.
Já me basta ter tido de ler dois livros do Hawkings.

Sérgio Taborda


SUBJECT: Variação do fluxo magnético
FROM: "Franco" <arquivodof@ig.com.br>
TO: Ciência List <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 18:59

Geralmente, quando se discute a induo magntica, nos dado o exemplo da figura deste link: http://www.escolaemcasa.com.br/professorglobal/cursos/fisica-4/FIS124/Aulas/Aula-3/figA3-2.gif.

No entanto, j procurei em vrios livros e no encontro uma discusso sobre o que possa ser usado em tal arranjo para gerar aquele campo magntico uniforme. Se eu fizesse um experimento, onde montaria um circuto, digamos, de dimenses 30 cm x 30 cm, sobre um plano inclinado. Este circuito seria fixo e, para fazer variar a rea compreendida pelos fios do circuito, colocaria um outro fio ou barra de forma a deslizar sobre dois fios paralelos do circuito (exemplo clssico, tbm). Porm, a nica maneira que consigo imaginar para dispor de um campo magntico "atravessando" o circuito, seria algo como uma bobina de Helmholtz. Mas a, o raio de tal bobina deveria ser um "pouco grande" (poderia usar um aro de bicicleta?)e, mesmo assim, no sei se seria o melhor modo de realizar a experincia.
Algum da lista conhece algum livro/link/idias (que possa ser facilmente encontrado) em que se discuta meios para gerar campos magnticos. Na verdade, o que pretendo encontrar algum aparato experimental vivel que me permita realizar o experimento acima, com as dimenses dadas para o circuito.
Antes que pedras caiam sobre minha cabea, no estou pedindo doce custo zero; no quero a resoluo do problema, s referncias certas. [rs]
Franco.


[As partes desta mensagem que no continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re:_Re:_[ciencialist]_fsicos...
FROM: luiz silva <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 08/11/2003 23:17


Caro Álvaro,

No final das contas, tudo....TUDO...se resume a física e matemática...

Se não, teremos q adimitir a existência do divino....
Álvaro_Antpack <sci@eletro.ufrgs.br> wrote:
se é pra ser assim, qualquer area do conhecimento pode ser reduzida à física... até das humanas, pois pessoas são feitas de átomos, pelo menos até onde eu sei... inclusive "pseudociências" como psicologia (a mente deve ser uma consequência de nosso cérebro altamente complexo mas ainda composto de átomos - mais uma vez, até onde eu sei) poderiam ser consideradas "uma parte" da física, e portanto estudáveis por físicos, que "só" precisariam de bons modelos e poder computacional.

Álvaro Antpack
----- Original Message -----
From: luiz silva
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 07, 2003 3:47 PM
Subject: Re:_[ciencialist]_físicos...


Ele tá certo....todo químico é um Físico sim....

Pense em termos d conjuntos q perceberá a veracidade de tal afirmação...

Além do mais, um Físico Quantico, deia de ser considerado Físico só pq estuda uma PARTE da Física : Física Quantica ???

Abs,


"Prof._Alberto_Ricardo_Präss" <arprass@fisica.net> wrote:
Você entendeu. Não complique.


----- Original Message -----
From: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Thursday, November 06, 2003 10:57 PM
Subject: Re: [ciencialist] físicos...



----- Original Message -----
From: "Prof. Alberto Ricardo Präss"

> Todo químico é um físico, pois a Química nada mais é que uma parte da
Física
> Molecular.

Desde quando a parte é o todo ?

Sérgio Taborda

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





Yahoo! Groups Sponsor Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08Mais...
Você S/A
Boa Forma
Capricho
Exame

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


Yahoo! Groups SponsorPUBLICIDADE

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.
lvaro


---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?
FROM: "Emiliano Chemello" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 08/11/2003 23:18

para terminar com esse assunto, ai vai a última mensagem.

Com relação as declarações de Einstein.... acabas de se contradizer...
Fui até a mensagem 9562 e lá pude ler o que escrevestes sobre o assunto e
indicastes um site:de um tal de Luiz Cláudio Dias. Bom... mesmo sendo esse
Luis Dias um Emiliano da vida... no site consta a frase de Einstein com
disse: "Deus não joga dados".
"Todas" as biografias de Einstein constam essa frase. Se foi essa ou não...
sabemos de algo: Einstein não engoliu a quântica. De fato ela é meia penosa
de se engolir... mas comprova muita coisa.

Vou parar por aqui em minha análise pois não és uma pessoa agradável de se
conversar pois usas termos muito fortes quando queres expressar suas
opiniões...
se alguém compartilha dessa visão (como o Präss o fez antes) por favor... se
manifeste.

[ ] ' para todos,

---
Emiliano Chemello
chemello.e@bol.com.br
www.chemello.kit.net

----- Original Message -----
From: Sergio M M Taborda
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Saturday, November 08, 2003 4:28 PM
Subject: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?



----- Original Message -----
From: "Emiliano Chemello"

>Segue abaixo o prólogo do livro: Á procura do gato de Schrödinger de John
>Gribbin intitulado: Nada é real.

Eu não tenho culpa se o autor faz citações erradas, ou se o tradutor
traduziu errado, ou se vc acha que citando o livro dele vc está falando
coisas certas.
Do que eu posso ter culpa é de deixar passar em branco essa conversas sem
nexo e sem sentido de que a quantica diz que nada é real.
Também não tenho culpa de ser um livro de "divulgação cientifica" em vez de
um livro de fisica para leigos.São coisas bem diferentes. O texto q vc
repassou nada é mais do que um conjunto de afirmações inflamadas que está
mais próxima do imaginário colectivo do que dos factos e da ciencia.

Nós já abordámos este problema das erradas citações antes.
Veja a msg nº 9562 onde eu escrevi:

« "E a famosa frase que muitos dizem de "Deus não joga aos dados com o
Universo" não é bem assim .
Aqui vos deixo a frase original que é retirada de uma carta a Max Born ( e
não a Bohr como se pensa ) datada de 1926.

"A mecânica quântica é realmente impressionante . Mas uma voz interior me
diz que ainda não é o que buscamos . A teoria faz muito , mas pouco nos
aproxima do segredo do Grande Ancião . Em todo o caso , estou convencido
deque Ele não joga aos dados ."

Aquele "Ele" foi depois mal intrepretado para "Deus" »

>Veja como Einstein (agora fugindo do assunto) define a relatividade para os
>leigos:
>
>"Quando você está cortejando uma moça simpática, uma hora parece um
>segundo.
>Quando você se senta sobre carvão em brasa, um segundo parece uma hora.
>Isso é relatividade."
>
>Outra... me disseram que estava escrita na porta de um banheiro público...
>
>"Quanto tempo dura um segundo? Depende de que lado da porta você está"

Agora já entrámos no nivel do ridiculo. Se vc aceita essas frases como
definições de uma realidade física, não me estranha que vc aceite o que leu
no livro. Essa resposta de Eisntein foi dada a um jornalista, que na altura,
como agora, adoram sentido de humor mas são completos zeros no que toca a
divulgar ciencia. Essa frase originada da intrepretação do jornalista e não
das palavras concretas de Einstein tornou-se famosa, mas ela explica melhor
o conceito de tempo psicologico do que de tempo relativo
A verdadeira explicação para leigos do tempo relativo é a historia da Torre
do Relógio

> Além disso, quando falas que os diálogos não são verdadeiros...
>desculpe... mas isso está nos livros.

Isso não faz com que seja verdadeiro. Se vc ainda consegue usar este tipo de
argumentos, vc ainda está na idade da pedra. Eu se fosse vc tentava ser um
pouco mais imparcial quando lesse um texto procurando por outras fontes
sobre o asusnto, em vez de comer a primeira coisa que lê. Hey! eu não tenho
nenhum problema em que vc acredite no que vc quiser - afinal muitos
acreditam em cristo pq está escrito num livro que ele existiu - o que eu
aceito é que vc queira impingir ao outros, coisas que sei serem mentira.

E agora uma análise do texto que enviaste.

>Nada é Real
>
> A Mecânica Quântica diz-nos que nada é real, e que
>naõ podemos afirmar nada acerca dos fenômenos exceto quando os vemos.

Isto está grandemente empolado. A MQ é uma teoria cientifica, um modelo para
entender certos fenómenos. Ela não dita a realidade, e muito menos ela não
dita o que é real e o que não é.
A única coisa que ela pode ditar é a validade de certas afirmações no
contexto que ela descreve.
Dentro desse contexto apenas podemos exercer comentários válidos sobre
medições de grandezas no acto da medição. Mas isso não significa que não
seja possivel saber, por exemplo, todos os estados possiveis de um sistema.
Muitos acham que a MQ não é determinista, mas de facto não existe teoria
mais determinista que esta que pode prever até a probabilidade dos estados
serem observados.

> No mundo quântico já não vigoram mais as leis que nos são familiares.

É claro que vigoram, mas têm uma outra forma.
A eq de Srondinger é a conhecida Lei da Conservação da Energia Mecânica.
A Segunda Lei da Mecanica tb está lá.

>Os acontecimentos são regidos por probabilidades.

Este é um erro muito comum. Não se pode afirmar que acontecimentos são
regidos por probabilidades, pq não sabemos de facto pelo quê eles são
regidos. O que podemos dizer é a certo fenomeno tem uma probabilidade de
acontecer. Ela pode ser calculada e medida. Não é invenção.

>Tomemos como exemplo um átomo
radioativo. Ele pode transformar-se, digamos que por emissão de um elétron.
Mas também pode não o fazer.

Exactamente. Isso mostra que não sabemos o que acciona o evento. Sabemos
apenas caracterizar o evento ele ppr.

> Schrödinger, tão
>preocupado como Einstein com as implicações da teoria quântica, tentou
>mostrar o absurdo de tais implicações imaginando uma experiência como a
>referida, que ocorreria numa sala ou caixote fechado, em cujo interior
>estariam ainda um gato (vivo) e um frasco de gás venenoso, tudo disposto de
>maneira que se a desintegração radioativa se desse, o frasco seria quebrado
>e o gato morreria. no mundo quotidiano a morte do gato tem 50% de
>probabilidade de ocorrer, e, sem olhar para o interior do caixote, podemos
>dizer com segurança que o gato ou está vivo ou está morto. Mas aqui
>deparamos com a estranheza do mundo quântico. Segundo a teoria, >nenhuma
das duas possibilidades de concretização (o gato vivo e fato morto) tem
realidade a não ser que seja observada.

A palavra "realidade" é aqui usada com um sentido demasidado forte.
O que a MQ diz, é que sem observar, e enquanto não observarmos, não podemos
saber qual dos estados possiveis o sistema realmente tem.
Não ha nenhum mistério nisto, não é preciso MQ para falar da validade de uma
observação. Em MC o mesmo acontece,mas frequentemente é esquecido pq temos
uma melhor imaginação do que acontece. Quando entramos no mundo
miscroscopico perdemos essa capacidade pq ainda é um campo novo para termos
desenvolvido essa capacidade. Não é pq as particulas joguem as escondidas
connosco ou sejam manipuladas por uma inteligencia superior cujo objectivo é
nos frustrar.
Pq entramos num campo no qual o nosso sentido comum pode ser enganado
facilmente, temos que ser mais rigorosos nos preceitos cientificos. E o
problema da observação é um desses preceitos , comum a todas as ciencias
observacionais, mas particularmente importante na MQ.


>Assim a desintegração nem aconteceu
>nem não aconteceu e o gato não morreu nem sobreviveu até que tenhamos
>olhado para o interior do caixote.

Isto é absurdo. E gostaria que vc se esforçasse para entender pq é absurdo.
Uma vez que exista a causa o efeito acontece. O efeito não fica à espera que
alguem esteja a olhar para acontecer.
Uma vez que o atomo se desintegre o gato morre. E ele permenacerá morto.
Mas nós desconheceremos se ele está morto ou vivo até que olhemos dentro da
caixa.

É por estas e por outras que livros deste tipo deviam ser banidos. Jovens
que leiam estas baboseiras e vaiam para uma faculdade cursar fisica vão ter
grandes problemas em entender quantica. E vão se contentar em saber usar a
matemática da fisica quantica e resolver aguns problemas menores, nunca
chegando a dominar as questões. E isso implica que a médio prazo a qualidade
do trabalho desenvolvido nessa area diminuirá.


> Essa idéia era um anátema¹ para Einstein, entre outros. "Deus não joga
>dados", dizia, referindo-se à teoria de que o mundo evolui em conseqüência
>de escolhas aleatórias ao nível quântico.

Einstein não acreditava que a natureza não fosse governada por regras
pré-estabecidas possiveis de conhecer. Aliás, nenhum fisico acredita em
regras aleatórias. Esta afirmação de Eisntein, deve à proposta de Born de
que a função de onda corresponderia com uma densidade de probabilidade. Isto
significa que apenas podemos conhecer probabilidades sobre os sistemas. E
Eisntein achava que isso não era suficiente, isso escondia algo mais
primordial dentro da teoria e que eles não conseguiam sacar para fora e
usar.
É como ter uma máquina que faz algo e nunca poder ir dentro dela para saber
como ela funciona. A MQ é isso, ela intrepreta a natureza como uma máquina,
ela lê vários estados da máquina, mas é incapaz de dizer como a máquina
passa de uns para os outros (ela é capaz de dizer, em casos particulares
como isso ocorre, mas não em geral).
Assim, o que Eisntein não aceitava era que ficassemos apenas a olhar para a
máquina sem ter ferramentas que nos permitissesm abri-la e ver como
funciona.

No verão de 1982, na Universidade de París-Sud, em França, uma equipe
chefiada por Alain Aspect concluiu um certo número de experiências
destinadas a revelar a existência de uma realidade subjacente à irrealidade
quântica. Tal realidade - a engrenagem fundamental - manifestava-se pela
existência de "variáveis ocultas", e a experiência dizia respeito ao
comportamento de dois fótons (ou partículas de luz) afastando-se em sentidos
opostos a partir de uma fonte comum. Em suma, podemos descrever a
experiência: Dois fótons, emergentes da mesma fonte, são observados por dois
detectores, que medem uma propriedade chamada polarização. (..)
Segundo a
hipótese das variáveis ocultas, cada fóton tem uma polarização "real", bem
definida, desde o momento que é criado. Como os fótons são emitidos
conjuntamente, as suas polarizações estão relacionadas. Mas a relação
existente entre elas não é a mesma nas duas interpretações. O resultado da
experiência foi inequívoco. A relação prevista pela teoria das variáveis
ocultas não foi observada, a prevista pela teoria quântica foi-o. Mais
ainda: a medida realizada num dos fótons tem efeito instantâneo sobre a
polarização do outro fóton, o que concorda com a teoria quântica.

O efeito não é instantaneo, ele tem uma velocidade.

>Existe uma
>espécie de interação entre os dois, embora ambos se movam a velocidade da
>luz e a teoria da relatividade nos ensine que nenhum sinal pode viajar mais
>depressa do que a luz.

Aquilo que se propaga é um factor de fase que sempre é mais rápido que a
luz. Este paragrafo é mais uma falha.

>Assim, não é adequado pensar em termos de realidade
>quotidiana quando nos debruçamos sobre as partículas elementares que
>constituem o universo. E contudo, tais partículas parecem intimamente
>ligadas num todo indivisível, cada uma ciente do que sucede às restantes.

Este pragráfo é de uma infilicidade cientifica sem tamanho.
Além da fisica não trabalhar sobre "realidades" mas sim observações e
factos, o todo não é indivisivel.

> A procura do gato de Schrödinger foi a procura da realidade quântica. A
>partir deste breve resumo, pode parecer que tal busca foi infrutífera, pois
>a realidade tal como a conhecemos não existe afinal.

Isto é completamente absurso. Nós não conhecemos a realidade, nós temos
modelos que nos ajudam a entender os fenomenos que pertencem à realidade.
Esses modelos são o que sabemos dela. Por isso nós não podemos saber mais do
que esses modelos, e não podemos dizer que esses modelos estão errados até
termos outros. Este sr escreve de uma forma muito leviana sobre um assunto
tão sério criando fantasmas em vez de os desmitificar.
Depois disto, não tenho nenhuma vontade de ler mais asneiras no livro dele.
Já me basta ter tido de ler dois livros do Hawkings.

Sérgio Taborda

Yahoo! Groups Sponsor


Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08
Mais...Você S/ABoa FormaCaprichoExame





##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.516 / Virus Database: 313 - Release Date: 1/9/2003



SUBJECT: minha foto
FROM: "Emiliano Chemello" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 00:50

Saudações Caros amigos,
Para quem interessar... abaixo um link para acessar minha foto no álbuns de fotos da ciencialist.

http://br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/vwp?.dir=/&.src=gr&.dnm=Emiliano+Chemello.jpg&.view=t&.done=http%3a//br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/lst%3f%26.dir=/%26.src=gr%26.view=t

[ ] 's
---
Emiliano Chemello
chemello.e@bol.com.br
www.chemello.kit.net
Fone: (0xx54) 226 5261


---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.516 / Virus Database: 313 - Release Date: 31/8/2003


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 09:17

Oi Oráculo,

> Lendo com cuidado o antigo testamento, o alcorão ou qualquer
teologia estruturada, vai encontrar diversos "matarás o próximo" em
diversas categorias de crueldade..:-) O conceito de guerra santa tem
justamente essa finalidade, eliminar o infiel, que qualquer lado que
ele esteja.

Manuel: Mas, no Antigo Testamento, com relação ao estrangeiro, isto
é, o "estranho" (que não pertence a 'nós', mas a 'eles'), você também
encontra as seguintes passagens:

"Não rebuscarás a tua vinha, nem colherás os bagos caídos da tua
vinha; deixá-lo-ás ao pobre e ao estrangeiro." (Levítico 19:10)

"Como o natural, será entre vós o estrangeiro que peregrina convosco;
ama-lo-eis como a vós mesmos, pois estrangeiros fostes na terra do
Egito." (Levítico 19:34)

"Pois o Senhor vosso Deus, é o Deus dos deuses... que faz justiça ao
órfão e à viúva, e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e roupa."
(Gênesis 10:17-19)

Mesmo entre as religiões mais primitivas, os deuses tribais não
apenas guerreavam entre si, ou seja, a relação entre as divindades
(totens) não era necessariamente de exclusão mútua; pois, quando
membros de tribos diferentes se reuniam em eventos esportivos ou para
estabelecerem pactos e alianças, antes trocavam presentes entre si (o
escambo surgiu assim, como troca de presentes), e os presentes eram
dados em nome dos deuses. No neolítico, algumas tribos nômades
passaram a viver quase que exclusivamente do comércio intertribal.
Eram tribos de comerciantes. Quando chegavam em aldeias estrangeiras,
faziam oferendas às divindades locais em nome dos seus próprios
deuses, o que pode ter sido a primeira modalidade de tarifa aduaneira.

De modo que não passa de papo-furado essa asserção segundo a qual a
hostilidade ao estranho, ao outro, ao infiel é algo que pertence à
essência das religiões.

Essa hostilidade potencial entre "nós" e "eles" ou os "outros" é
natural das espécies gregárias divididas em grupos que compartilham o
mesmo habitat, grupos estes que, vez por outra, são forçados a
competir pelos recursos naturais escassos. Tal hostilidade, no
entanto, pode se manifestar de uma forma gratuita, desligada da
necessidade de competição que lhe deu origem. Por exemplo, como
hostilidade entre seitas religiosas (católicos x protestantes), entre
religiosos e ateístas ou, ainda, como batalhas entre torcidas
organizadas ou gangues de bairro (a propósito, torcidas organizadas e
gangues de bairro não são seitas religiosas).

É bom lembrar das perseguições aos religiosos, muitas vezes
sangrentas, levadas a cabo pelos Estados "ateístas" como o da antiga
URSS stalinista, o da Romênia de Ceaucescu, o da China da época da
Revolução Cultura, o do Camboja do Kmer Vermelho, o da Albânia de
Enver Hodxa. Uma curiosidade: um dos artigos da Constituição albanesa
dos tempos de Enver Hodxa determinava que o "ateísmo" era
a "religião" oficial da Albânia.

Sim, os ateus também podem ser muito intolerantes e, assim como o
pior fundamentalista islâmico ou cristão, alimentar com mil e uma
justificações "racionais" o ódio entre "nós" e "eles".

Abraços,
Manuel Bulcão



SUBJECT: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Jose Colucci Jr. \(Home\)" <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 12:52

>MANUEL: É bom lembrar das perseguições aos religiosos, muitas vezes
sangrentas, levadas a cabo pelos Estados "ateístas" como o da antiga
URSS stalinista, o da Romênia de Ceaucescu, o da China da época da
Revolução Cultura, o do Camboja do Kmer Vermelho, o da Albânia de Enver
Hodxa. Uma curiosidade: um dos artigos da Constituição albanesa dos
tempos de Enver Hodxa determinava que o "ateísmo" era a "religião"
oficial da Albânia. Sim, os ateus também podem ser muito intolerantes e,
assim como o pior fundamentalista islâmico ou cristão, alimentar com mil
e uma justificações "racionais" o ódio entre "nós" e "eles".<

Manuel,

Para os regimes que você citou serem considerados estados religiosos só
falta uma coisa: a crença em um ser superior. Pera aí... Pensando bem...
não falta.

Colucci

---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.534 / Virus Database: 329 - Release Date: 10/31/2003




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 15:16



> para terminar com esse assunto, ai vai a última mensagem.
>
> Com relação as declarações de Einstein.... acabas de se contradizer...
> Fui até a mensagem 9562 e lá pude ler o que escrevestes sobre o assunto e
> indicastes um site:de um tal de Luiz Cláudio Dias. Bom... mesmo sendo esse
> Luis Dias um Emiliano da vida... no site consta a frase de Einstein com
> disse: "Deus não joga dados".

Ainda bem que vc viu isso. Parece que não era aquele link.
Neste link vc poderá ler o texto original. Uma vez que o link original já
não existe mas ainda está na cache do google.
http://216.239.41.104/search?q=cache:PWgpSR92K_IJ:attach4.groups.yahoo.com/v
1/wCRkPq_Q4BcD0YMCWa7nJvvIy-Qy0IbQ3Ww_ew1vKE3u2dAPI0fIz6Agjdzhd5g8Kzu0JMInTg
kfKA-ievioDFBxVNblKxI-fhBeJw/O%2520Paradoxo%2520EPR.doc+%22A+mec%C3%A2nica+q
u%C3%A2ntica+%C3%A9+realmente+impressionante+.+Mas+uma+voz+interior+me+diz+q
ue+ainda+n%C3%A3o+%C3%A9+o+que+buscamos+.+A+teoria+faz+muito+,+mas+pouco+nos
+aproxima+do+segredo+do+Grande+Anci%C3%A3o+.+Em+todo+o+caso+,+estou+convenci
do+deque+Ele+n%C3%A3o+joga+aos+dados%22&hl=pt&ie=UTF-8


> "Todas" as biografias de Einstein constam essa frase. Se foi essa ou
não...
> sabemos de algo: Einstein não engoliu a quântica. De fato ela é meia
penosa
> de se engolir... mas comprova muita coisa.

http://www.google.com.br/search?q=einstein+letter+to+born+1926&ie=UTF-8&oe=U
TF-8&hl=pt-PT

Veja esta página. Todas as citações estão na forma "He [god] does not"
Que "ele" seja deus, é subentendido. Não é aquilo que Einstein disse.

Veja em :
http://quote.wikipedia.org/wiki/Albert_Einstein

Essa frase é Atribuida a ele, não significa que ele a tenha dito!

Se vc leu "todas" as biografias de Einstein saberá que ele era de origem
judaica mas não acreditava em deus, além de que estava ligado com a
teosofia.
Acho que isso é suficiente para entender que ele nunca poderia ter usado a
palavra "deus". Por outro lado a citação correcta é "Não acredito que ele
joge aos dados" o "ele" foi alterado para Deus. Portanto todas as citações
"Deus não joga aos dados" são falsas. Além de subentenderem que ele se terá
referido a deus, não citam correctamente toda a frase. Ele não afirmou que
ele não joga, ele afirmou que não acredita que ele joge.
Tlv sejam subtilezas, mas marcam a diferença entre um eisntein que não
acredita na quantica de um eisntein que ajudou a criar a quantica mas que
não estava satifeito com o resultado. Ele queria mais, queria ir mais fundo
e quantica não ai.

E a frase que eu citei mostra bem qual era a relação dele com a quantica.
Ele estava insatisfeito embora achasse que ela era poderosa. Veja, ele foi o
responsável pela invensão da Quantica. Plank lançou a base, mas foi Eisntein
com a esplicação do efeito-fotoelectrico e depois De Broglie inspirado na TR
que originaram a MQ. Shrondinger , Hisenberg , Born e os outros apenas
deram corpo à ideia. Bohr fez muito pouco pela Quantica. Ele a defendia, mas
fez muito pouco pelo seu desenvolvimento. A Quantica que Bohr usasa não tem
nada a ver com a quantica de Shrondinger ou Heisenberg.
Foi Born que propôs a intrepretação probabilistica, e por isso recebeu a
resposta que citei de Eisntein, não foi Bohr , como vc primeiramente
afirmou.

... mas se vc leu "todas" as biografias de Einstein devia saber disso. A
questão é que quem não tenha lido pode não saber, e acreditar que realmente
Einstein acreditava que deus não joga aos dados e que terá referido isso
numa conversa com Bohr.

Sérgio Taborda



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 15:52

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Emiliano Chemello"
<chemello.e@b...> escreveu
> Saudações Caros amigos,
> Para quem interessar... abaixo um link para acessar minha foto
no álbuns de fotos da ciencialist.
>
>
http://br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/vwp?.dir=/&.src=gr
&.dnm=Emiliano+Chemello.jpg&.view=t&.done=http%
3a//br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/lst%3f%26.dir=/%
26.src=gr%26.view=t

Eu também tenho uma foto em:
http://us.f1.yahoofs.com/users/3f849b49_10846/bc/Yahoo!
+Photo+Album/imagem.jpg?pfJ9nr_AgvS9f2cQ

Quem quiser pode imprimir e usar minha foto para espantar os maus
espíritos. :)

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 16:08

Olá

Sim, ateus podem ser muito intolerantes e péssimas pessoas. Mas não creditam isso como "certo" ou divino ou determinado por deus. São péssimas pessoas e pronto, como se costua encontrar péssimas pessoas de qualquer tipo..:-)

O que se coloca é que religiões dão base, dão embasamento ético ou moral para ser "péssimo".

E não é a religiào que coloca "eles" contra "nós", são as pessoas, as culturas tribais e isso reflete em suas religiões primitivas. Para "dar ao pobre ou estrangeiro" é preciso que o estrangeiro aceite a palavra ou fique grato. Se ele se negar, "pau neles"..:-)

Mas é um principio tribal, cultural, na origem de nossa civilização. E é essa a postura das religiões primitivas. A única maneira de escapar dessa visão, que permeava o mundo dessas tribos, seria se a religião realmente derivasse do divino, onde o "ser superior" determinasse regras de conduta conflitantes com a cultura e a moral da época e da tribo. Não é o caso. Toda religião deriva dos preconcietos, tradições e determinações de sua tribo de origem, e portanto refletem "ipsis literis" o que aquela cultura considera correto ou incorreto.

E as culturas tribais, e mesmo as grandes civilizações anteriores ao humanismo, sempre consideraram que há menos erro no assassinato do estrangeiro que do individuo da tribo (cidade, cidade-estado, pais, etc).

Religiões são hostis por padrão. É da natureza delas, natureza de cunho evolutivo. Sem a hostilidade, será absorvida por outros cultos. O "meme" religião criou mecanismos fortissimos e eficientissimos de defesa e ataque, e sobrevive por meio deles.

Não é possível, como já se notou antes, que todas as religiões estejam corretas. Mas é possível (se não provável..:-) que estehjam todas erradas. Portanto, ao afirmar uma religião, é obrigatório desacreditar as outras. O Vaticano, em muitas ocasiões, reclamou com estados laicos da liberdade religiosa excessiva que se dáva aos cidadãos. E estados muçulmanos tem leis para muçulmanos e praticamente nenhuma proteção legal para não-muçulmanos.

É da natureza das religiões. E o ateismo, ainda que comporte pessoas péssimas, não justifica o comportamento dessas pessoas, não dá desculpas de "vontade divina" para atos crueis ou violentos.

E talvez você não considere torcidas organizadas religiòes ou seitas. Mas elas nào só tem todos os requisitos para ser religiào, como costumam ter até divindades entronadas..:-) Se aplicar apenas o conceito, a definição de religião, elas se encaixam perfeitamente, inclusive na ausencia de razão, na implicancia visceral com a lógica (se perdeu, o juiz roubou, se ganhou, é por ser merecedor e "o melhor de todos, sempre"..:-) e na tentativa de impor seu modo de ver e pensar a força..:-)

Um abraço.

Homero
----- Original Message -----
From: Manuel Bulcão
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Sunday, November 09, 2003 9:17 AM
Subject: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado


Oi Oráculo,

> Lendo com cuidado o antigo testamento, o alcorão ou qualquer
teologia estruturada, vai encontrar diversos "matarás o próximo" em
diversas categorias de crueldade..:-) O conceito de guerra santa tem
justamente essa finalidade, eliminar o infiel, que qualquer lado que
ele esteja.

Manuel: Mas, no Antigo Testamento, com relação ao estrangeiro, isto
é, o "estranho" (que não pertence a 'nós', mas a 'eles'), você também
encontra as seguintes passagens:

"Não rebuscarás a tua vinha, nem colherás os bagos caídos da tua
vinha; deixá-lo-ás ao pobre e ao estrangeiro." (Levítico 19:10)

"Como o natural, será entre vós o estrangeiro que peregrina convosco;
ama-lo-eis como a vós mesmos, pois estrangeiros fostes na terra do
Egito." (Levítico 19:34)

"Pois o Senhor vosso Deus, é o Deus dos deuses... que faz justiça ao
órfão e à viúva, e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e roupa."
(Gênesis 10:17-19)

Mesmo entre as religiões mais primitivas, os deuses tribais não
apenas guerreavam entre si, ou seja, a relação entre as divindades
(totens) não era necessariamente de exclusão mútua; pois, quando
membros de tribos diferentes se reuniam em eventos esportivos ou para
estabelecerem pactos e alianças, antes trocavam presentes entre si (o
escambo surgiu assim, como troca de presentes), e os presentes eram
dados em nome dos deuses. No neolítico, algumas tribos nômades
passaram a viver quase que exclusivamente do comércio intertribal.
Eram tribos de comerciantes. Quando chegavam em aldeias estrangeiras,
faziam oferendas às divindades locais em nome dos seus próprios
deuses, o que pode ter sido a primeira modalidade de tarifa aduaneira.

De modo que não passa de papo-furado essa asserção segundo a qual a
hostilidade ao estranho, ao outro, ao infiel é algo que pertence à
essência das religiões.

Essa hostilidade potencial entre "nós" e "eles" ou os "outros" é
natural das espécies gregárias divididas em grupos que compartilham o
mesmo habitat, grupos estes que, vez por outra, são forçados a
competir pelos recursos naturais escassos. Tal hostilidade, no
entanto, pode se manifestar de uma forma gratuita, desligada da
necessidade de competição que lhe deu origem. Por exemplo, como
hostilidade entre seitas religiosas (católicos x protestantes), entre
religiosos e ateístas ou, ainda, como batalhas entre torcidas
organizadas ou gangues de bairro (a propósito, torcidas organizadas e
gangues de bairro não são seitas religiosas).

É bom lembrar das perseguições aos religiosos, muitas vezes
sangrentas, levadas a cabo pelos Estados "ateístas" como o da antiga
URSS stalinista, o da Romênia de Ceaucescu, o da China da época da
Revolução Cultura, o do Camboja do Kmer Vermelho, o da Albânia de
Enver Hodxa. Uma curiosidade: um dos artigos da Constituição albanesa
dos tempos de Enver Hodxa determinava que o "ateísmo" era
a "religião" oficial da Albânia.

Sim, os ateus também podem ser muito intolerantes e, assim como o
pior fundamentalista islâmico ou cristão, alimentar com mil e uma
justificações "racionais" o ódio entre "nós" e "eles".

Abraços,
Manuel Bulcão


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Prof. Alberto Ricardo Präss" <arprass@fisica.net>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 16:42

Homero,

Peço autorização para reproduzir suas palavras em todas as minhas
correspondências sobre esse tema. Foi brilhante!


Eu me classifico como "ateu cristão" . Explico: considero as palavras
biblicas (sem exageros, claro) bem interessantes, e sigo alguns
ensinamentos.

Mas não preciso de uma entidade superior. Creio que "amar a todos" e
"perdoar" sejam qualidades e necessidades humanas.


abs


Alberto









----- Original Message -----
From: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Sunday, November 09, 2003 4:08 PM
Subject: Re: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo
errado


Olá

Sim, ateus podem ser muito intolerantes e péssimas pessoas. Mas não creditam
isso como "certo" ou divino ou determinado por deus. São péssimas pessoas e
pronto, como se costua encontrar péssimas pessoas de qualquer tipo..:-)

O que se coloca é que religiões dão base, dão embasamento ético ou moral
para ser "péssimo".

E não é a religiào que coloca "eles" contra "nós", são as pessoas, as
culturas tribais e isso reflete em suas religiões primitivas. Para "dar ao
pobre ou estrangeiro" é preciso que o estrangeiro aceite a palavra ou fique
grato. Se ele se negar, "pau neles"..:-)

Mas é um principio tribal, cultural, na origem de nossa civilização. E é
essa a postura das religiões primitivas. A única maneira de escapar dessa
visão, que permeava o mundo dessas tribos, seria se a religião realmente
derivasse do divino, onde o "ser superior" determinasse regras de conduta
conflitantes com a cultura e a moral da época e da tribo. Não é o caso. Toda
religião deriva dos preconcietos, tradições e determinações de sua tribo de
origem, e portanto refletem "ipsis literis" o que aquela cultura considera
correto ou incorreto.

E as culturas tribais, e mesmo as grandes civilizações anteriores ao
humanismo, sempre consideraram que há menos erro no assassinato do
estrangeiro que do individuo da tribo (cidade, cidade-estado, pais, etc).

Religiões são hostis por padrão. É da natureza delas, natureza de cunho
evolutivo. Sem a hostilidade, será absorvida por outros cultos. O "meme"
religião criou mecanismos fortissimos e eficientissimos de defesa e ataque,
e sobrevive por meio deles.

Não é possível, como já se notou antes, que todas as religiões estejam
corretas. Mas é possível (se não provável..:-) que estehjam todas erradas.
Portanto, ao afirmar uma religião, é obrigatório desacreditar as outras. O
Vaticano, em muitas ocasiões, reclamou com estados laicos da liberdade
religiosa excessiva que se dáva aos cidadãos. E estados muçulmanos tem leis
para muçulmanos e praticamente nenhuma proteção legal para não-muçulmanos.

É da natureza das religiões. E o ateismo, ainda que comporte pessoas
péssimas, não justifica o comportamento dessas pessoas, não dá desculpas de
"vontade divina" para atos crueis ou violentos.

E talvez você não considere torcidas organizadas religiòes ou seitas. Mas
elas nào só tem todos os requisitos para ser religiào, como costumam ter até
divindades entronadas..:-) Se aplicar apenas o conceito, a definição de
religião, elas se encaixam perfeitamente, inclusive na ausencia de razão, na
implicancia visceral com a lógica (se perdeu, o juiz roubou, se ganhou, é
por ser merecedor e "o melhor de todos, sempre"..:-) e na tentativa de impor
seu modo de ver e pensar a força..:-)

Um abraço.

Homero
----- Original Message -----
From: Manuel Bulcão
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Sunday, November 09, 2003 9:17 AM
Subject: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo
errado


Oi Oráculo,

> Lendo com cuidado o antigo testamento, o alcorão ou qualquer
teologia estruturada, vai encontrar diversos "matarás o próximo" em
diversas categorias de crueldade..:-) O conceito de guerra santa tem
justamente essa finalidade, eliminar o infiel, que qualquer lado que
ele esteja.

Manuel: Mas, no Antigo Testamento, com relação ao estrangeiro, isto
é, o "estranho" (que não pertence a 'nós', mas a 'eles'), você também
encontra as seguintes passagens:

"Não rebuscarás a tua vinha, nem colherás os bagos caídos da tua
vinha; deixá-lo-ás ao pobre e ao estrangeiro." (Levítico 19:10)

"Como o natural, será entre vós o estrangeiro que peregrina convosco;
ama-lo-eis como a vós mesmos, pois estrangeiros fostes na terra do
Egito." (Levítico 19:34)

"Pois o Senhor vosso Deus, é o Deus dos deuses... que faz justiça ao
órfão e à viúva, e ama o estrangeiro, dando-lhe pão e roupa."
(Gênesis 10:17-19)

Mesmo entre as religiões mais primitivas, os deuses tribais não
apenas guerreavam entre si, ou seja, a relação entre as divindades
(totens) não era necessariamente de exclusão mútua; pois, quando
membros de tribos diferentes se reuniam em eventos esportivos ou para
estabelecerem pactos e alianças, antes trocavam presentes entre si (o
escambo surgiu assim, como troca de presentes), e os presentes eram
dados em nome dos deuses. No neolítico, algumas tribos nômades
passaram a viver quase que exclusivamente do comércio intertribal.
Eram tribos de comerciantes. Quando chegavam em aldeias estrangeiras,
faziam oferendas às divindades locais em nome dos seus próprios
deuses, o que pode ter sido a primeira modalidade de tarifa aduaneira.

De modo que não passa de papo-furado essa asserção segundo a qual a
hostilidade ao estranho, ao outro, ao infiel é algo que pertence à
essência das religiões.

Essa hostilidade potencial entre "nós" e "eles" ou os "outros" é
natural das espécies gregárias divididas em grupos que compartilham o
mesmo habitat, grupos estes que, vez por outra, são forçados a
competir pelos recursos naturais escassos. Tal hostilidade, no
entanto, pode se manifestar de uma forma gratuita, desligada da
necessidade de competição que lhe deu origem. Por exemplo, como
hostilidade entre seitas religiosas (católicos x protestantes), entre
religiosos e ateístas ou, ainda, como batalhas entre torcidas
organizadas ou gangues de bairro (a propósito, torcidas organizadas e
gangues de bairro não são seitas religiosas).

É bom lembrar das perseguições aos religiosos, muitas vezes
sangrentas, levadas a cabo pelos Estados "ateístas" como o da antiga
URSS stalinista, o da Romênia de Ceaucescu, o da China da época da
Revolução Cultura, o do Camboja do Kmer Vermelho, o da Albânia de
Enver Hodxa. Uma curiosidade: um dos artigos da Constituição albanesa
dos tempos de Enver Hodxa determinava que o "ateísmo" era
a "religião" oficial da Albânia.

Sim, os ateus também podem ser muito intolerantes e, assim como o
pior fundamentalista islâmico ou cristão, alimentar com mil e uma
justificações "racionais" o ódio entre "nós" e "eles".

Abraços,
Manuel Bulcão


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html







SUBJECT: Formato do copo engana os olhos e o cérebro
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 17:30

Olá

Nossa mente e seus truques para nos enganar..:-)

Um abraço.

Homero
_____________________________________

Formato do copo engana os olhos e o cérebro


Da Universidade de Illinois


Os olhos podem enganar. E o cérebro muitas vezes agrava a situação. Tanto os adolescentes quanto os adultos se equivocam quanto à quantidade de bebida que despejam em seus copos. Costumam servir mais bebida nos copos curtos e largos do que nos altos e esbeltos, mas sua percepção é de que o contrário é que acontece. A ilusão gerada pela forma influencia até mesmo os bartenders mais experimentados, ainda que em grau menor, concluiu um pesquisador da Universidade do Illinois, em Urbana-Champaign.

As maneiras pela qual a forma pode alterar as percepções pessoais de tamanho é uma questão que mereceu ampla investigação, em termos gerais. Por exemplo, os triângulos são em geral percebidos como maiores que os quadrados, e formas horizontais são vistas como menores do que objetos verticais de volume idêntico.

Mas a pesquisa sobre os efeitos da forma na determinação de o quanto as pessoas consomem de um determinado produto é bastante limitada, diz Brian Wansink, professor de marketing e nutrição na Universidade do Illinois. Para compreender melhor o processo, Wansink examinou de que maneira a forma influencia adolescentes, adultos e bartenders que servem bebidas em copos vazios.

Os resultados de seu estudo serão publicados na edição de dezembro da revista científica "Journal of Consumer Research".

Wansing, que dirige o laboratório de alimentos e marcas na Universidade do Illinois, conduziu três testes. No primeiro, ele estudou o volume de suco que 97 adolescentes serviam em seus copos durante o café da manhã em um acampamento de verão. Os hóspedes do acampamento, meninos e meninas de entre 12 e 17 anos, com idade média de 15 anos, estavam lá para aprender mais sobre nutrição e para perder peso. Eles receberam lições sobre dietas e controle de porções em palestras e demonstrações diárias.

Quando entraram na fila do refeitório para o café da manhã, em seu nono dia de estadia, foi dado a cada um dos hóspedes do acampamento, aleatoriamente, um copo longo ou um copo curto com a mesma capacidade volumétrica para que se servissem de suco. O copo alto tinha pouco menos de duas vezes a altura do copo baixo.

Os adolescentes serviram, em média, 76,4% mais suco no copo baixo e largo do que no copo alto (270 miligramas versus 165 ml). Ainda que as meninas servissem menos suco que os meninos, ambos os grupos se serviram de mais suco por igual margem quando usando os copos baixos e largos.

Quando interrogados pela equipe de pesquisa de Wansink, no entanto, os adolescentes acreditavam ter servido menos suco (200 ml) de suco nos copos baixos e largos e mais (210 ml) nos copos altos e esguios. Essa impressão errônea se traduz em mais suco consumido quando copos baixos e largos são usados, já que 97% dos hóspedes do acampamento beberam todo o suco que seus copos continham.

O psicólogo Jean Piaget (1896-1980) acreditava que as crianças mais novas tendiam a se deixar impressionar e se fixavam na dimensão vertical de um campo visual. Piaget achava que, à medida que crescem, os seres humanos desenvolvem estratégias para isolar e melhor comparar as dimensões horizontal e vertical.

Mas a tendência de superestimar a dimensão vertical persistiu em uma segunda experiência conduzida por Wansink. Ele usou o mesmo procedimento básico do teste com adolescentes para medir quanto suco era servido por 89 adultos tomando café da manhã em um acampamento no oeste de Massachussets. As idades do grupo variavam entre 16 e 82 anos, com média de 37 anos.

Os adultos serviam e consumiam 19,2% mais suco nos copos baixos e largos do que nos altos e esguios (180 ml contra 150 ml). "Os resultados foram consistentes com a idéia de Piaget, de que as pessoas mais velhas têm menor probabilidade de concentrar sua atenção apenas na dimensão vertical, e são mais capazes de levar em conta igualmente as outras dimensões. Mas a idade, ainda assim, não elimina de vez o efeito do alongamento", escreveu o pesquisador.

Os adultos, como os adolescentes, perceberam erroneamente as porções que serviram nos copos largos e baixos, se comparados aos altos e esguios. Setenta e nove por cento dos adultos que receberam copos largos e baixos subestimaram a porção servida, ante 17% dos adultos que receberam copos altos.

Quando informados sobre esse fato, a maior parte dos adultos expressou surpresa. "Ouvimos declarações como 'você está brincando?' e 'gostaria que você pesasse a porção e me mostrasse', que são consistentes com o fato de que os participantes não estavam cientes da quantidade servida de verdade", disse Wansink em entrevista.

Em um estudo final, Wansink examinou a precisão dos bartenders para estimar o volume de líquidos servidos. Ele solicitou que 45 bartenders em Filadélfia servissem uma dose de 40 ml de bebida em copos de coquetel. Metade dos participantes recebeu copos longos e esbeltos, e a outra metade copos baixos e largos. A capacidade dos copos era de 340 gramas. Os bartenders foram convidados a servir o rum de uma Cuba Libre, o uísque para um uísque com gelo e a vodca de uma vodca com tônica.

Em média, eles serviram 31,3% mais nos copos curtos do que nos copos longos (59 ml ante 45 ml).

Os bartenders menos experientes tendiam a servir mais (62 ml nos copos curtos versus 45 nos longos), mas até mesmo os bartenders com experiência de nove anos serviam 50 ml nos copos curtos ante 47 ml nos longos.

De acordo com Wansink, essas descobertas têm diversas implicações normativas. Os truques da visão e do cérebro podem causar problemas às pessoas que estão de dieta e tentando monitorar e ganhar mais controle sobre o seu consumo de alimentos e bebidas.

"Como as pessoas acreditam que copos altos e esbeltos têm maior capacidade, elas servem menos bebida neles, mas como acreditam no contrário quanto aos copos baixos e largos, servem doses maiores", disse o pesquisador. Além do consumo excessivo de álcool, o uso de doses excessivas de remédios e de medicamentos de venda liberada pode acarretar riscos de saúde.

O estudo de Wansing é intitulado "Bottoms Up! The Influence of Elongation on Pouring and Consumption Volumes" ["Vira Virou: A Influência do Alongamento nos Volumes Servidos e Consumidos"].


Tradução: Paulo Migliacci


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Segredos de proteína apontam para cura de lesões na medula
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 17:34

Segredos de proteína apontam para cura de lesões na medula

Science Beat
Berkeley Lab

Os cientistas estão cada vez mais perto de uma cura para lesões da medula espinhal, graças a uma equipe de pesquisa que utilizou a Fonte de Luz Avançada (Advanced Light Source, ALS) do Laboratório Berkeley para determinar a estrutura de uma proteína que impede que os neurônios se restaurem.

A proteína é chamada de receptor Nogo ["não vai"], porque se liga a várias outras proteínas que bloqueiam o crescimento neural. Ela é encontrada na superfície de fibras finas chamadas axônios, que transportam informação entre os neurônios no cérebro e na medula. Os pesquisadores acreditam que se conseguirem bloquear por meio de drogas a interação entre o receptor Nogo e essas proteínas inibidoras de crescimento, os neurônios seccionados poderão voltar a se fundir, e pessoas paralisadas poderão caminhar novamente.

Embora ainda esteja a anos de distância, essa farmacoterapia começa pela compreensão átomo por átomo de como o receptor Nogo se liga às proteínas inibidoras, e isso começa por uma visão detalhada do próprio receptor. Para iniciar essa investigação, pesquisadores do Laboratório Berkeley, da Escola de Medicina da Universidade Stanford e da Escola de Medicina de Harvard desenvolveram uma imagem com resolução de 1,5 angström do receptor Nogo. (Um angström equivale a um décimo-bilionésimo de metro.)

"Esse é um passo importante", diz Gerry McDermott, cientista da Divisão de Biociências Físicas do Laboratório Berkeley. "É a primeira vez que o receptor Nogo é determinado estruturalmente nessa resolução, e define um patamar para novas pesquisas que poderão levar ao desenvolvimento de drogas."

Ao contrário da maioria das células, os neurônios na espinha e no cérebro perdem sua capacidade de se regenerar pouco depois que as pessoas atingem a idade adulta. Sua incapacidade de crescer parece surgir quando os axônios desenvolvem uma camada gordurosa isolante chamada mielina.

Além de melhorar o fluxo de impulsos nervosos entre os neurônios, alguns cientistas acreditam que a mielina fixa a rede neural totalmente formada de um adulto, evitando o desenvolvimento de novos circuitos potencialmente prejudiciais. Normalmente, os adultos saudáveis possuem todos os neurônios de que precisarão.

Mas isso quer dizer que os neurônios não podem se regenerar quando são danificados por traumas, derrames ou doenças como a esclerose múltipla. Para saber como religar os neurônios seccionados, os pesquisadores passaram os últimos anos à procura das proteínas que bloqueiam seu crescimento. Em 2000, uma equipe de cientistas determinou que a proteína Nogo, que se liga à mielina, tem um papel chave na inibição da regeneração dos axônios. Um ano depois, a mesma equipe encontrou seu parceiro -um receptor localizado nos axônios que se liga à proteína Nogo e permite que ela faça seu trabalho. Desde então, muito mais se descobriu sobre o receptor Nogo. Não apenas ele se liga à proteína Nogo como também a pelo menos duas outras proteínas inibidoras de crescimento.

"Essas três proteínas podem bloquear o crescimento dos neurônios, e são estruturalmente diferentes", diz McDermott. "Isso significa que temos de compreender o mecanismo de ligação de cada proteína para podermos desenvolver maneiras de impedir sua interação."

Como parte dessa investigação, Christopher Garcia e sua equipe, da Escola de Medicina da Universidade Stanford, cristalizaram o receptor e recorreram ao ALS do Laboratório Berkeley, onde o expuseram a raios X extremamente fortes, que revelam a estrutura molecular do receptor. Com uma resolução de 1,5 angström, a estranha forma do receptor entra em foco -uma molécula curva com uma espinha e uma barriga. Além disso, a parte côncava da molécula parece abrigar um rico local de ligação capaz de se unir a uma ampla gama de proteínas.

Embora a imagem não revele precisamente como o receptor se liga a tantas proteínas, ela constitui a base para novas pesquisas que poderão chegar a isso.

"Temos a estrutura inicial, e agora precisamos ver como as proteínas inibidoras de crescimento se ligam a ela", diz McDermott. "Esse trabalho ajudará a determinar o caminho farmacêutico para restabelecer o crescimento dos neurônios."

Para isso, a equipe vai cristalizar o receptor na presença das três proteínas, e novamente usar o ALS para visualizar exatamente como o receptor se entrelaça com cada uma. Com essa informação, os pesquisadores poderão desenvolver peptídeos sintéticos que se liguem ao receptor exatamente na mesma configuração de cada proteína inibidora de crescimento, criando uma capa que tornará o receptor inerte.

Essa terapia com drogas não está muito distante. No ano passado, uma equipe da Universidade Yale desenvolveu um peptídeo que bloqueia a interação entre o receptor Nogo e a proteína Nogo, o que desencadeou o crescimento de fibras nervosas em ratos. Um êxito semelhante em pessoas talvez ainda demore alguns anos, mas uma onda crescente de pesquisa, como a visão em close-up do receptor Nogo, está ajudando os cientistas a se concentrar em um tratamento para os cerca de 11 mil americanos que sofrem de lesões na medula por ano.

O trabalho de cristalografia de raios X foi conduzido na linha de feixes 8.2.1 da ALS, que é financiada pelo Instituto Médico Howard Hughes. Além de McDermott e Garcia, Xiaolin Li e Fernando Bazan, da Escola de Medicina da Universidade Stanford, Kevin Wang da Escola de Medicina de Harvard e Marc Tressier-Lavigne da Universidade Stanford contribuíram para a pesquisa.


Tradução: Luiz Roberto Mendes Gonçalves


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: TELEFONIA ANTIGA
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, "Conversa de Botequim" <conversa_de_botequim@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 18:28






Notícia publicada recentemente em um jornal londrino:
Após cavar a 100 metros de profundidade em solo britânico, cientistas
ingleses
acharam vestígios de fiação de cobre, com cerca de 500 anos, e concluiram
que
seus antepassados já possuíam uma rede de telefonia".

Na semana seguinte, para não ficarem para trás, os franceses cavaram 200
metros de profundidade nos subúrbios de Paris, e a manchete dos jornais
deles foi a
seguinte:

"Após escavar a 200 metros em solo parisiense, cientistas franceses
encontraram vestígios de fibra ótica, com 600 anos, e concluíram que seus
antepassados ja
possuíam uma rede de telefonia de alta qualidade".

Daí, os portugueses, que não são nada bobos, dias depois resolveram cavar
a 300 metros de profundidade em terras portuguesas, e logo os jornais de
Lisboa
noticiaram o seguinte:

"Após escavações a 300 metros de profundidade em solo lusitano, e sem nada
encontrar, cientistas portugueses concluiram que seus antepassados já
utilizavam telefones celulares há 700 anos."




SUBJECT: Re: TELEFONIA ANTIGA
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 18:34

E os brasileiros?
Puseste isto para a malta arranjar uma anedota envolvendo os
brasileiros?
Que pena eu estar cheia de trabalho...
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
>
>
>
>
>
> Notícia publicada recentemente em um jornal londrino:
> Após cavar a 100 metros de profundidade em solo britânico,
cientistas
> ingleses
> acharam vestígios de fiação de cobre, com cerca de 500 anos, e
concluiram
> que
> seus antepassados já possuíam uma rede de telefonia".
>
> Na semana seguinte, para não ficarem para trás, os franceses
cavaram 200
> metros de profundidade nos subúrbios de Paris, e a manchete dos
jornais
> deles foi a
> seguinte:
>
> "Após escavar a 200 metros em solo parisiense, cientistas franceses
> encontraram vestígios de fibra ótica, com 600 anos, e concluíram
que seus
> antepassados ja
> possuíam uma rede de telefonia de alta qualidade".
>
> Daí, os portugueses, que não são nada bobos, dias depois
resolveram cavar
> a 300 metros de profundidade em terras portuguesas, e logo os
jornais de
> Lisboa
> noticiaram o seguinte:
>
> "Após escavações a 300 metros de profundidade em solo lusitano, e
sem nada
> encontrar, cientistas portugueses concluiram que seus antepassados

> utilizavam telefones celulares há 700 anos."



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: TELEFONIA ANTIGA
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 18:38

Olá Maria Natalia

Se forem brasileiros esotericos, então escavaram até os mil metros, e nada encontrando, declararam que os antigos habitantes já se comunicavam por telepatia..:-)

E olhe que isso não é exatamente uma piada, posso encontrar esotericos que comprem a história fácil, fácil..:-)

Um abraço.

Homero

----- Original Message -----
From: Maria Natália
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Sunday, November 09, 2003 6:34 PM
Subject: [ciencialist] Re: TELEFONIA ANTIGA


E os brasileiros?
Puseste isto para a malta arranjar uma anedota envolvendo os
brasileiros?
Que pena eu estar cheia de trabalho...
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
>
>
>
>
>
> Notícia publicada recentemente em um jornal londrino:
> Após cavar a 100 metros de profundidade em solo britânico,
cientistas
> ingleses
> acharam vestígios de fiação de cobre, com cerca de 500 anos, e
concluiram
> que
> seus antepassados já possuíam uma rede de telefonia".
>
> Na semana seguinte, para não ficarem para trás, os franceses
cavaram 200
> metros de profundidade nos subúrbios de Paris, e a manchete dos
jornais
> deles foi a
> seguinte:
>
> "Após escavar a 200 metros em solo parisiense, cientistas franceses
> encontraram vestígios de fibra ótica, com 600 anos, e concluíram
que seus
> antepassados ja
> possuíam uma rede de telefonia de alta qualidade".
>
> Daí, os portugueses, que não são nada bobos, dias depois
resolveram cavar
> a 300 metros de profundidade em terras portuguesas, e logo os
jornais de
> Lisboa
> noticiaram o seguinte:
>
> "Após escavações a 300 metros de profundidade em solo lusitano, e
sem nada
> encontrar, cientistas portugueses concluiram que seus antepassados

> utilizavam telefones celulares há 700 anos."


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 18:46

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> É da natureza das religiões. E o ateismo, ainda que comporte
pessoas péssimas, não justifica o comportamento dessas pessoas, não
dá desculpas de "vontade divina" para atos crueis ou violentos.


JUNIOR: Oráculo, se o ato praticado foi cruel, que importa se foi de
natureza divina ou nao? Pelo amor de deus né? O ato foi cruel e
pronto!!! Nao é necessário se ele se justifica em racionalizaçoes
religiosas ou de outra natureza

Saudaçoes,
Junior




SUBJECT: Re: TELEFONIA ANTIGA
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 18:48

Muito boa! Gostei e ganhaste a estadia em Lisboa durante a próxima
astrofesta nacional, 2004.
Só a dormida e o duche pois tenho dois filhos e dormes num dos
quartos deles...Estamos numa crise de massas.
Agora só falata meteres as barabatana ou as asas e vir até aqui.
LOLLLLLLLLLLLLLLLLLL
um abraço
Maria Natália
--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá Maria Natalia
>
> Se forem brasileiros esotericos, então escavaram até os mil
metros, e nada encontrando, declararam que os antigos habitantes já
se comunicavam por telepatia..:-)
>
> E olhe que isso não é exatamente uma piada, posso encontrar
esotericos que comprem a história fácil, fácil..:-)
>
> Um abraço.
>
> Homero
>
> ----- Original Message -----
> From: Maria Natália
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Sunday, November 09, 2003 6:34 PM
> Subject: [ciencialist] Re: TELEFONIA ANTIGA
>
>
> E os brasileiros?
> Puseste isto para a malta arranjar uma anedota envolvendo os
> brasileiros?
> Que pena eu estar cheia de trabalho...
> Maria Natália
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
> <scordeiro@t...> escreveu
> >
> >
> >
> >
> >
> > Notícia publicada recentemente em um jornal londrino:
> > Após cavar a 100 metros de profundidade em solo britânico,
> cientistas
> > ingleses
> > acharam vestígios de fiação de cobre, com cerca de 500 anos, e
> concluiram
> > que
> > seus antepassados já possuíam uma rede de telefonia".
> >
> > Na semana seguinte, para não ficarem para trás, os franceses
> cavaram 200
> > metros de profundidade nos subúrbios de Paris, e a manchete
dos
> jornais
> > deles foi a
> > seguinte:
> >
> > "Após escavar a 200 metros em solo parisiense, cientistas
franceses
> > encontraram vestígios de fibra ótica, com 600 anos, e
concluíram
> que seus
> > antepassados ja
> > possuíam uma rede de telefonia de alta qualidade".
> >
> > Daí, os portugueses, que não são nada bobos, dias depois
> resolveram cavar
> > a 300 metros de profundidade em terras portuguesas, e logo os
> jornais de
> > Lisboa
> > noticiaram o seguinte:
> >
> > "Após escavações a 300 metros de profundidade em solo
lusitano, e
> sem nada
> > encontrar, cientistas portugueses concluiram que seus
antepassados
> já
> > utilizavam telefones celulares há 700 anos."
>
>
> Yahoo! Groups Sponsor
> PUBLICIDADE
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Em que universidade é professor...
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 18:50

Pode algum de vós dizer-me em que universidade Cacique, Geraldo..é
professor? Na URJ? noutra?
Preciso de aconselhar essa universidade a um amigo meu e que vai
para o Brasil dentro de 2 meses
Obrigada
Maria Natália



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 19:01

Olá Bradock

Muito ao contrário de não ser importante, é fundamental definir este ponto. Tão fundamental, que é a base da distribuição de justiça laica. Se determinar que um causador de ato cruel e desumano não é humano (um animal, por exemplo), não tem compreensão do ato (um deficiente mental, por exemplo), ou foi levado a cometer o crime (sob ameça de arma, por exemplo), a justiça perde o "ius puniende" e não pode condenar o praticante do ato.

O ato violento, de plena consciencia, dá a justiça direito de condenação e punição, na forma da lei. Loucos não são considerados puniveis.

Ateus, de boa ou má indole, não podem, nem tentam, se furtar a suas responsabilidades através da imputação de seus atos a uma força sobrenatural não compreensível ou arbitrária. Portanto, não justificam sua atitude nem levam outras pessoas, outras organizações ou quem quer que seja a repetir seus atos nas mesmas bases de justificativa. Enquanto a crueldade e violencia de atos derivados da vontade divina tendem a se espalhar a a crescer, atos, por piores que sejam, derivados de posicionamentos ateus findam em sí mesmos e só podem ser inputados ao próprio causador.

Explodir infieis é ato religioso em sua justificação. Deriva da vontade divina e seu praticante, em tese, não se considera punível. E, se for julgado em uma teocracia, será assim considerado, como pode-se verificar nas declarações das autoridades religiosos a respeito de martires explodidos.

Portanto, é uma diferença crucial, civilizatória e importantissima, na qualificação de atos crueis e violentos.

Um abraço.

Homero


----- Original Message -----
From: Bradock
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Sunday, November 09, 2003 6:46 PM
Subject: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> É da natureza das religiões. E o ateismo, ainda que comporte
pessoas péssimas, não justifica o comportamento dessas pessoas, não
dá desculpas de "vontade divina" para atos crueis ou violentos.


JUNIOR: Oráculo, se o ato praticado foi cruel, que importa se foi de
natureza divina ou nao? Pelo amor de deus né? O ato foi cruel e
pronto!!! Nao é necessário se ele se justifica em racionalizaçoes
religiosas ou de outra natureza

Saudaçoes,
Junior



Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 19:07

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá Bradock
>
> Muito ao contrário de não ser importante, é fundamental definir
este ponto. Tão fundamental, que é a base da distribuição de justiça
laica.


JUNIOR: Oráculo, vamos ser práticos. Nao tem essa, se um sujeito mata
outro em nome da torcida do Flamengo, em nome de Jeová, ou em nome da
Ciencia, ele vai ser preso e julgado, nao pelo que é, mas pelo que
ele fez.
Desculpas quanto a sanidade mental , qualquer um pode arrumar,
tanto o ateu, como o religioso, como o torcedor. Cabe a justiça
determinar o delito com base em provas e testemunhas. O sujeito ser
julgado, condenado e punido com base na Lei. Nao misture alhos com
bugalhos. Deveríamos parar por aqui, isso nao é o tipo de discussao
para esta lista.

Saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 19:13

Física: Disciplina que tem por objetivo o estudo da natureza; portanto, suas
características e seus métodos estão em relação com aquilo que entendemos
por natureza.
Como disciplina específica, pode-se dizer que nasceu com Aristóteles que a
considerou a "filosofia segunda" e, no grupo das ciências teórias,
distinguiu-a da teologia e da matemática. Podemos distinguir três conceitos
fundamentais dessa ciência, que se sucederam ao longo da história: Como
teoria do movimento, como teoria da ordem necessária e como previsão do
observável.
(N. Abbagnato, Dic. de Filosofia).
sds.,
silvio.

From: "Prof. Alberto Ricardo Präss" <arprass@fisica.net>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Saturday, November 08, 2003 12:56 AM
Subject: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...


> Eta cara chato!
>
>
> ----- Original Message -----
> From: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
> To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Sent: Saturday, November 08, 2003 12:14 AM
> Subject: Re: Re:_[ciencialist]_físicos...
>
>
>
> ----- Original Message -----
> From: "Prof. Alberto Ricardo Präss"
>
> > Só para constar: qual a origem da palavra Física ?
> >
> > Sabendo isso, pode-se limitar os horizontes da Física.
>
> Parafrasenado o Leo: não me interessa qual é a origem etimologica da
> palavra, mas aquilo que ela signifca hoje.
>
> Mas aqui fica a def do Aurélio de Física e Quimica
>
> "física . [Do lat. physica < gr. physiké, fem. de physikós.] S. f. 1.
> Ciência de conteúdo vasto e fronteiras não muito definidas, que investiga
as
> propriedades dos campos, as interações entre os campos de força e os meios
> materiais, as propriedades e a estrutura dos sistemas materiais, e as leis
> fundamentais do comportamento dos campos e dos sistemas materiais. 2.
> Conjunto de conhecimentos relativos à física, ou que têm implicações com
> ela, ministrados nas faculdades. 3. Tratado ou compêndio de física. 4.
> Exemplar de um desses tratados ou compêndios. Física atômica. 1. Parte da
> física que trata das propriedades do átomo, de suas interações com a
> radiação e com os campos de força, investiga os níveis de energia e a
> emissão de energia em sistemas atômicos, e explica a estrutura destes.
> Física clássica. 1. Parte da física que abrange, de modo geral, os
> conhecimentos e teorias incluídos na física até os fins do século XIX, e
se
> caracteriza por uma formulação teórica baseada nos conceitos e princípios
da
> mecânica clássica (newtoniana) e do eletromagnetismo maxwelliano. Física
> coloidal. 1. Parte da físico-química que investiga as propriedades físicas
> dos colóides, esp. as ópticas e elétricas. Física do estado sólido. 1.
Parte
> da física que investiga as propriedades dos materiais sólidos, esp. dos
> cristais; física dos sólidos. Física dos plasmas. 1. Parte da física que
> investiga as propriedades e a produção dos plasmas. Física dos sólidos. 1.
> Física do estado sólido. Física estatística. 1. Mecânica estatística.
Física
> experimental. 1. Investigação dos fenômenos físicos que utiliza processos
> experimentais e visa à medida de grandezas físicas relevantes, ou à
> observação de determinados processos físicos. Física matemática. 1. Parte
da
> física que tem o objetivo de investigar e descobrir por meio de métodos
> matemáticos as conseqüências duma teoria física, partindo da aceitação das
> hipóteses fundamentais dessa teoria. [Tb. se diz, ocasionalmente, física
> teórica (q. v.).] Física molecular. 1. Estudo das propriedades gerais das
> moléculas, da natureza das forças intermoleculares, da ligação química e
dos
> espectros moleculares. Física nuclear. 1. Parte da física que investiga as
> propriedades do núcleo atômico e das partículas elementares, as forças
> nucleares e as interações entre as partículas, as reações nucleares e os
> fenômenos de desintegração e fissão. Física solar. 1. Heliofísica. Física
> teórica. 1. Parte da física em que as teorias desta ciência são expressas
e
> formuladas sob forma matemática, e na qual os resultados obtidos
> experimentalmente figuram como elementos de validação das relações gerais
ou
> particulares nela incluídos. Tem dois objetivos básicos: a descoberta de
> leis bastante gerais que possam servir, juntamente com um reduzido número
de
> outras, para a elaboração de uma teoria pertinente a um grande conjunto de
> fenômenos de mesma natureza, e a derivação, usualmente feita pelos
processos
> formais da matemática, das conseqüências dessas leis. 2. V. física
> matemática. Física terrestre. 1. V. geofísica. "
>
> "química . [F. subst. do adj. químico; fr. chimique.] S. f. 1. Ciência em
> que se estuda a estrutura das substâncias, correlacionando-a com as
> propriedades macroscópicas, e se investigam as transformações dessas
> substâncias. 2. Tratado ou compêndio dessa ciência. 3. Exemplar de um
desses
> tratados ou compêndios. 4. Conjunto de conhecimentos relativos a esta
> ciência, ou que têm implicações com ela, ministrados nas respectivas
> faculdades. Química biológica. 1. V. bioquímica. Química bromatológica. 1.
> Bromatologia. Química fina. 1. Ramo da atividade química industrial que
> elabora, a partir de insumos produzidos pelas indústrias químicas de base
> (p. ex., a petroquímica), substâncias mais complexas, destinadas a
> aplicações específicas. A química fina se caracteriza por processos
> descontínuos, em várias etapas, e em pequena escala, visando produtos de
> alta relação preço/peso. [As substâncias ativas empregadas na indústria
> farmacêutica (fármacos), os catalisadores da indústria química e os
> reagentes de alta pureza usados em análises e pesquisas químicas são
típicos
> produtos da química fina.] Química fisiológica. 1. V. bioquímica. Química
> industrial. 1. Parte da química que investiga os processos de fabricação
dos
> produtos que se usam na indústria ou se destinam ao consumo. Química
> inorgânica. 1. Divisão didática do campo de conhecimento e investigação da
> química que estuda os compostos de todos os elementos, exceto os do
carbono
> (com poucas exceções, como o monóxido de carbono, o dióxido de carbono, p.
> ex.); química mineral. Química médica. 1. A que estuda as substâncias
> minerais e orgânicas aplicáveis à medicina. Química mineral. 1. Química
> inorgânica. Química nuclear. 1. Parte da química que investiga os
nuclídeos
> radioativos e seus compostos, e os efeitos das radiações sobre nuclídeos e
> seus compostos, utilizando os procedimentos usuais de identificação, de
> análise e de preparação adotados nos procedimentos químicos. Química
> orgânica. 1. Divisão didática do campo de conhecimento e investigação da
> química, que estuda os compostos de carbono. Fazer química. Bras. 1. Nas
> repartições públicas, empregar uma verba em destino diverso do determinado
> pela lei, em benefício do serviço, porém de modo irregular. 2. Arranjar as
> coisas e situações de modo tendente a levá-las ao ponto desejado. "
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
> http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
> Esta mensagem foi verificada pelo E-mail Protegido Terra.
> Scan engine: VirusScan / Atualizado em 05/11/2003 / Versão: 1.4.0
> Proteja o seu e-mail Terra: http://www.emailprotegido.terra.com.br/
>



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 19:21

Já que o moderador tá cochilando:
Calvino mandou queimar Miguel Servet, quando este estava prestes a descobrir
a circulação do sangue, determinando que fosse assado lentamente, durante
duas horas.
sds.,
silvio.

Oraculo wrote:


Olá Adriana
Vamos tomar um "pito" do moderador se continuarmos com a conversa..:-) Acho
que a lista de ciências nào é realmente um lugar confortável apra discussões
sobre religiões..:-)

Mas, como último ato de desobediencia civil, algumas frases de Martinho
Lutero:

"A Razão deveria ser destruída em todos os cristãos. Ela é o maior inimigo
da Fé. Quem quiser ser um cristão deve arrancar os olhos de sua Razão"
(Martinho Lutero)

"Os loucos, aleijados, cegos e mudos são homens em quem os demônios fizeram
sua morada. Os médicos que curam estas enfermidades como se tivessem causas
naturais são idiotas ignorantes" (Martinho Lutero)

"Não há maior defeito numa mulher que o desejar ser inteligente" (M. Lutero)

"Se os camponeses se rebelam abertamente, eles estão agindo contra a lei de
Deus. Todos os que puderem devem espancá-los, derrubá-los e matá-los ...
pois não há nada mais venenoso ou prejudicial ou demoníaco que um rebelde. É
exatamente como matar um cachorro louco" (M. Lutero)


"É impossível para o cristão e para a verdadeira igreja subsistir sem
derramar sangue, pois seu adversário, o Diabo, é assassino e mentiroso. A
igreja cresce e progride através do sangue: ela está banhada em sangue (M.
Lutero, "Table Talk no. 1571, 1569)

Um santo homem, não?..:-)

Um abraço.

Homero




SUBJECT: Uma odisséia no espaço explicada
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 19:34

Preparem os cintos
Tenham uma boa viagem ...hehehe

http://www.kubrick2001.com/2001.html

Saudaçoes,
Junior







SUBJECT: Re: Re:_Re:_Re:_[ciencialist]_Mas_afinal_o_que_é_a_massa?
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 20:01

Definir, em primeira instância, é "dar nomes aos bois".
Um dia algum olhou para cima e disse 'Lua' e após um monte de Úgs, abanaram a cabeça e concordam ... toda vez que alguém daquela tribo olhar para cima e lá encontrar aquela coisa dirá 'lua'; noutra tribo a cena se repetiu ... mas alguém disse 'Moon" e após vários ugs, concordaram; hoje, naquela tribo a 'mesma coisa no céu' chama-se moon. Muitas tribos repetiram a cena ... e nem por isso temos mais que uma daquela coisa no céu. Dai chegamos ao consenso que Lua = Moon = ........

Há definições em todos os ramos do conhecimento humano. Não é raro que uma mesma palavra sirva para várias definições: oxalá -- alta divindade entre os orixás --- e --- tomara ---.

Todavia, nossas definições estão algo além dos contextos acima, mas enxergo certas circularidades. Tempo e Movimento, por exemplo. Vejo dificuldades em definir um sem usar a idéia do outro. Nem sei dizer qual deve ser definido em primeiro lugar! A própria unidade de tempo tem embutida a idéia de movimento. Então o que faço? Simples, esqueço a idéia filosófica de tempo e passo a usar da matemática usando "t" como uma mera abscissa temporal, em nada diferente do "x" do "y" ou do "z". Parece simples ... mas não é! Essa técnica da matemática esconde um engodo pois, para construir o eixo dos tempo precisamos de uma direção (t), dois sentidos (+t, -t), um ponto origem (O) e um ponto unidade (U) --- e é aqui que a vaca vai pro brejo --- como se coloca o segmento unitário OU ?; em correspondência bi-unívoca com quê?

Senso comum --- aquilo que se espera acontecer, baseado na vivência do cotidiano -- foi coisa de um Aristóteles. No ar uma grande bola de ferro chega ao chão depois de uma pequena bola de ferro. Isso é um fato do cotidiano e por isso a ciência do senso comum de Aristóteles é diferente daquela de Galileu. O senso comum é afetado seriamente no decorrer das décadas. Hoje não há muita expectativa de 'será que vai sair do chão' esse Jumbo, coisa que havia com o '14bis'. O senso comum a respeito dos aviões já foi seriamente modificado.

Notícias esportivas: --- A próxima derrota do Guga não tem data certa.

Expressões Aureliana para 'definir':
[Do lat. definire.]
V. t. d.
1. Determinar a extensão ou os limites de; limitar, demarcar: 2
2. Enunciar os atributos essenciais e específicos de (uma coisa), de modo que a torne inconfundível com outra: 2
3. Explicar o significado de; indicar o verdadeiro sentido de: 2
4. Dar a conhecer de maneira exata; expor com precisão; explicar: 2
5. Manifestar com exatidão; esclarecer: 2
6. Demarcar, fixar, estabelecer: 2 &
7. Decidir, decretar: 2
8. Ajuizar o sentido ou o objetivo de; interpretar: 2
9. Tornar conhecido; revelar: 2
V. p.
10. Dizer o que pensa a respeito de algo; declarar-se, exprimir-se, explicar-se.
11. Tomar uma resolução ou um partido; assumir posição; decidir-se.

E de Senso Comum:


u Senso comum.
1. Conjunto de opiniões e modos de sentir que, por serem impostos pela tradição aos indivíduos de uma determinada época, local ou grupo social, são ger. aceitos de modo acrítico como verdades e comportamentos próprios da natureza humana.

u Senso moral. Filos.
1. Faculdade de reconhecer intuitiva e infalivelmente o bem e o mal, sobretudo nos fatos concretos.

u Bom senso. Filos.
1. Faculdade de discernir entre o verdadeiro e o falso. [Cf. senso comum.]
2. Aplicação correta da razão para julgar ou raciocinar em cada caso particular da vida.
3. Capacidade de julgar e de resolver problemas conforme o senso comum.

[]'

======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "luiz silva" <luizfelipecsrj@yahoo.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: sexta-feira, 7 de novembro de 2003 16:03
Assunto: Re:_Re:_Re:_[ciencialist]_Mas_afinal_o_que_é_a_massa?


Concordo com vc....Me epressei mal.....

Abs

Artur Varanda <artur.varanda@netvisao.pt> wrote:
Olá Luís,

"O q falo, é q na física ainda não foi capaz de conceituar, definir...não existe senso comum a esse respeito..."

Senso comum na definição dos conceitos existe, caso contrário não poderíamos aprender nem transmitir o conhecimento: não poderíamos comunicar. Senão, pergunto-te: o que é "definir"? O que é o senso comum? Será que entendes o que te estou a perguntar? Será que existe conceito universal e senso comum para todas as palavras que estão presentes neste texto?

Toda a gente tem uma ideia do que é uma partícula fundamental. E posso descreve-la como algo que é indivisível e que possui a capacidade de ter movimento. Mas certamente virá alguém dizer-me: então e as partículas alfa!? Não são divisíveis?

Então, nessa altura, a definição tem de ser refinada de modo a que o consenso seja geral. A definição correcta vai refinanto à medida que se especula sobre ela mas nunca estará isenta de poder ser melhorada.

Existem definições para todos as palavras, mas essas definições, apesar de obterem aprovação pela maioria das pessoas, não são consensuais: basta pegar em dois dicionários diferente e comparar as definições, para ver que isso é assim.

Um abraço,
Artur



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


Yahoo! Groups SponsorPUBLICIDADE

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: físicos...
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 09/11/2003 20:11

Aline disse:


> Léo: E os dois continuam no escuro.
> []'

Aí o físico acende a luz.
Mas a lâmpada queima e quem conserta é o eletricista.
E quem o chama é a dona de casa.

[]´s

Aline


que tem um caso em ele (eletricista) e o marido ainda paga a conta.

sds.,

silvio.




SUBJECT: Re: físicos...
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 20:29

Ela tem um caso com o eletricista porque o marido é um bundão e só
fica com o controle remoto da TV. Ela pode pagar a conta trabalhando
ou trocar ela mesma, segurando a lâmpada enquanto o mundo gira ao
redor dela. :P

Beijos,
Adriana

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Aline disse:
>
>
> > Léo: E os dois continuam no escuro.
> > []'
>
> Aí o físico acende a luz.
> Mas a lâmpada queima e quem conserta é o eletricista.
> E quem o chama é a dona de casa.
>
> []´s
>
> Aline
>
>
> que tem um caso em ele (eletricista) e o marido ainda paga a conta.
>
> sds.,
>
> silvio.



SUBJECT: Quanto mais conheço...
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 09/11/2003 23:28

Não. Calma Brudna não é OT.
Lembram-se daquela expressão que se iniciava assim: Quanto mais
conheço os Homens mais gosto.... Pois me apetece dizer hoje e aqui:
Quanto mais listas conheço...mais gosto de estar aqui. E quero dar
os parabéns a todos pela honestidade e boa disposição e até educação
que me é dado assitir e onde tenho aprendido muito.
Espero que não vos suba á cabeca este elogio. Só temos é que
melhorar.
Graças a Brudna aqui não há caciques.
Um abraço a todos
Maria Natália
PS Mereço um prémio pois só à minha conta e desde que cá estou o
número de portugueses aumento nesta lista



SUBJECT: Re:_[ciencialist]_físicos...
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 08:57

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Prof. Alberto Ricardo Präss"
> Só para constar: qual a origem da palavra Física ?
>
> Sabendo isso, pode-se limitar os horizontes da Física.

Bem, ja' disseram q. nao se deve apegar 'a etimologia para limitar o
significado atual. Do contrario todos teriam q. por peixes nas
piscinas e nadar em tanques de natacao.

Mas fisica deriva do grego physika -- um adjetivo referente a physis
(natureza) - donde, por exemplo, fisiocracia. Physika era
entao 'referente 'a natureza'. O uso vem do tratado de Aristoteles
sobre filosofia natural (o assunto do segundo tratado q. se referia
ao livro depois desse livro ficou conhecido como metafisica).

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re:_Re:_Re:_[ciencialist]_Mas_afinal_o_que_é_a_massa?
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 09:42

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
> Definir, em primeira instância, é "dar nomes aos bois".
> Um dia algum olhou para cima e disse 'Lua' e após um monte de Úgs,
> abanaram a cabeça e concordam ... toda vez que alguém daquela tribo
> olhar para cima e lá encontrar aquela coisa dirá 'lua'; noutra
> tribo a cena se repetiu ... mas alguém disse 'Moon" e após vários
> ugs, concordaram; hoje, naquela tribo a 'mesma coisa no céu' chama-
> se moon. Muitas tribos repetiram a cena ... e nem por isso temos
> mais que uma daquela coisa no céu. Dai chegamos ao consenso que Lua
> = Moon

Eu imagino q. nao seja bem assim. Muitas palavras nossas devem ser
derivadas de expressoes vocais antigas de nossos ancestrais: macacos
atuais possuem gritos diferentes para indicar se o perigo vem do solo
(por exemplo, cobra) ou do ar (aves de rapina).

Eu suponho q. as palavras tiveram origem nas interjeicoes. Algo como:
uau! Inicialmente indicando espanto e depois passando a indicar o
objeto q. causava esse espanto.

Uma visao q. nao considero muito diferente disso:

http://www.sciam.com/article.cfm?articleID=0004616E-A412-1E8F-
8EA5809EC5880000

Muitas palavras ainda possuem ligacao com a sonoridade: boa parte dos
xingamentos possuem fonemas agressivos -- gutural, sibilante, plosivo
ou vibrante -- por exemplo burro - o som inicial 'bu' soa como uma
explosao, o 'r' vibra em tom de ameaca (como o cao rosnando) e uma
vogal 'o' q. da' volume ao som (verdade q. inicialmente designa um
animal, mas serve bem como uma xingamento dada essas caracteristicas
sonoras -- embora nao so' por elas).

Moon tem a ver com mês -- vem do indo-europeu, a raiz hipotetica
remete a me: com o sentido de medida. O q. nos faz imaginar a lua
como um marcador da passagem do tempo - o mes e os ciclos menstruais.

Ja' lua teria vindo de uma raiz como leuk (do mesmo indo-europeu) com
o significado de claro, brilho -- donde alias, o leuko grego (dando
origem a leucocito - globulos branco - na linguagem cientifica) e tbm
a luz (via lux). Nesse caso inicialmente apenas apontavam para a lua
e se referiam ao seu brilho, a sua claridade: algo como 'olhe aquela
coisa brilhante no ceu'.

Acontece isso ainda hoje com nomes de lugares.

Primeiro ato
"Onde vc vai?"
"Ah, eu vou catar uma frutas"
"La' naquele lugar cheio de arvores frutiferas?"
"Isso."
"Entao traz um cesto de frutas (Bauru) para mim"
"Ta' bom."

Segundo ato
"Onde vc vai?"
"Vou pro lugar do cesto de frutas"

Terceiro ato
"Onde vc vai?"
"Vou pro cesto de frutas" (elipse)

Quarto ato
"Onde vc vai?"
"Vou pro cesto de frutas" (metonimia)

Quinto ato
"Onde vc vai?"
"Vou pro cesto de frutas" (incorporacao)

Sexto ato
"De onde vc e'?"
"Sou de cesto de frutas"
"E vai querer comer o que?"
"Olha prense no pao aquela mistura de queijos com uma fatia de
rosbife para mim"
"Vc esta' louco?"
"Ah! E' q. estou com muita fome"

Setimo ato
"E ai', cara do cesto de frutas?"
"Tudo bem? Me ve aquele sanduiche esperto"
"No capricho"

Oitavo ato
"Eu tbm quero um sanduiche do cara do cesto de frutas"

Nono ato
"Me ve um do cesto de frutas"

Decimo ato
"Me ve um bauru"

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Mosquitos e seus 47 dentes
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 10:13

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Antonio Ferrão Neto
> Eu gostaria de saber:
> 1- Para que servem e como funcionam estes dentes?

Nao sao exatamente como nossos dentes -- sao projecoes de quitina
formando uma superficie serrilhada. Elas funcionam como dentes de uma
faca serrilhada, cortando a pele.

> 2- Como é que o mosquito enfia a tromba na pele? Em outras
> palavras, se nós colocarmos uma agulha de pé sobre a nossa pele, a
> agulha não entrará na pele, mesmo que ela seja muito fina e que
> tenha um peso equivalente ao peso de um mosquito.

Bem, a proboscis do mosquito e' mais fina do q. a maioria das agulhas
produzidas. E ela nao e' introduzida apenas com o peso do inseto --
ele se agarra a nosso corpo e usa a forca muscular para introduzir a
sua 'tromba'. As pernas do mosquito nao sao tao frageis assim.
Alem disso, ele primeiro abre um pequeno corte em nossa pele com os
tais 'dentes' -- q. de resto ficam escondidos em uma especie de
bainha.

> 3- As pulgas e carrapatos também possuem dentes?

Sim.

> 4- Existe diferença entre mosquito e pernilongo?

Nao.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: OT - engenheiros...
FROM: João R. Bonomo <joao_bonomo@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 11:46

Isto chegou na minha caixa de entrada:

Após um rigoroso estudo utilizando a teoria do Caos, renomados
engenheiros
do MIT (utilizando-se das mais recentes teorias da mecânica quântica),
provaram um teorema que você intuitivamente já sabia,mas nunca viu a
demonstração.
Foram precisos anos de faculdade para que você, nobre colega, tivesse
os
conhecimentos para entender as complexas passagens matemáticas deste
estudo.
Partindo dos seguintes postulados, temos:

Postulado 1: Conhecimento é poder (power).

Postulado 2: Tempo é dinheiro.

Como qualquer engenheiro sabe :

Trabalho
(1) --------------- = Potência
Tempo

Potência é o mesmo que "Power" em inglês e "Power" também é Poder,
logo
substituindo em (1) temos :

Trabalho
(2) ---------------- = Poder
Tempo

Como Conhecimento é Poder e Tempo é Dinheiro, conforme os postulados,
substituindo-os em (2), temos:

Trabalho
(3) --------------- = Conhecimento
Dinheiro

Isolando o dinheiro ...

Trabalho
(4) Dinheiro = ------------------
Conhecimento

Assim, com o Conhecimento tendendo a zero, Dinheiro se aproxima do
infinito,
sob um mesmo trabalho feito.

Conclusão: Quanto menos você sabe, mais você ganha, independentemente
da
quantidade de trabalho que executa.

C.Q.D.

Agora, você sabe porque um deputado, um jogador de futebol, uma modelo
gostosona e um pagodeiro trabalham menos e ganham muito mais que
você. Na
próxima encarnação não faça engenharia...





SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: TELEFONIA ANTIGA
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 11:47

Só a dormida e o duche pois tenho dois filhos e dormes num dos
quartos deles...Estamos numa crise de massas.
Agora só falata meteres as barabatana ou as asas e vir até aqui.
LOLLLLLLLLLLLLLLLLLL

Léo: Para que serve esse 'duche' em Lisboa? Enfeite? Saudosismo?
[]'


SUBJECT: Re: físicos...
FROM: "Aline Regina Walkoff" <lualine@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 11:52


Meu professor de física aconselhava-nos a encurtar nós mesmos a
resistência do chuveiro. Ele dizia do eletricista: vc chama o cara,
ele se tranca no banheiro, fica duas horas lá dentro fazendo sei lá o
que com umas revistas e vc ainda paga por isso.

Mas é verdade que o físico ainda depende do eletricista para muitas
coisas!

Aline @}---

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Ela tem um caso com o eletricista porque o marido é um bundão e só
> fica com o controle remoto da TV. Ela pode pagar a conta trabalhando
> ou trocar ela mesma, segurando a lâmpada enquanto o mundo gira ao
> redor dela. :P
>
> Beijos,
> Adriana
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
> <scordeiro@t...> escreveu
> > Aline disse:
> >
> >
> > > Léo: E os dois continuam no escuro.
> > > []'
> >
> > Aí o físico acende a luz.
> > Mas a lâmpada queima e quem conserta é o eletricista.
> > E quem o chama é a dona de casa.
> >
> > []´s
> >
> > Aline
> >
> >
> > que tem um caso em ele (eletricista) e o marido ainda paga a
conta.
> >
> > sds.,
> >
> > silvio.



SUBJECT: Re: físicos...
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 12:08

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Aline Regina Walkoff"
<lualine@y...> escreveu
>
> Meu professor de física aconselhava-nos a encurtar nós mesmos a
> resistência do chuveiro. Ele dizia do eletricista: vc chama o cara,
> ele se tranca no banheiro, fica duas horas lá dentro fazendo sei lá
> o que com umas revistas e vc ainda paga por isso.
>
> Mas é verdade que o físico ainda depende do eletricista para muitas
> coisas!
>
> Aline @}---

Ainda bem que por aqui, basta aumentar a saída de gás. :)

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 12:19

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Eu também tenho uma foto em:
> http://us.f1.yahoofs.com/users/3f849b49_10846/bc/Yahoo!
> +Photo+Album/imagem.jpg?pfJ9nr_AgvS9f2cQ
>
> Quem quiser pode imprimir e usar minha foto para espantar os maus
> espíritos. :)

Ué, cadê a foto? Não que eu queira espantar algum espírito. hehe.



SUBJECT: Re: Mosquitos e seus 47 dentes
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 12:31

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Antonio Ferrão Neto
> > 2- Como é que o mosquito enfia a tromba na pele? Em outras
> > palavras, se nós colocarmos uma agulha de pé sobre a nossa pele,
> > a agulha não entrará na pele, mesmo que ela seja muito fina e que
> > tenha um peso equivalente ao peso de um mosquito.
>
> Bem, a proboscis do mosquito e' mais fina do q. a maioria das
> agulhas produzidas. E ela nao e' introduzida apenas com o peso do
> inseto -- ele se agarra a nosso corpo e usa a forca muscular para
> introduzir a sua 'tromba'. As pernas do mosquito nao sao tao
> frageis assim.

Eu acho que este é o principal motivo, pois existem mosquitos
(*Edentomya*) que não possuem dentes.

> > 4- Existe diferença entre mosquito e pernilongo?
>
> Nao.

Acredito que o pernilongo seja um mosquito que chupa sangue.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: TELEFONIA ANTIGA
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 12:36

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá Maria Natalia
>
> Se forem brasileiros esotericos, então escavaram até os mil metros,
> e nada encontrando, declararam que os antigos habitantes já se
> comunicavam por telepatia..:-)
>
> E olhe que isso não é exatamente uma piada, posso encontrar
> esotericos que comprem a história fácil, fácil..:-)

Saiu pela tangente. :)

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 12:37

Olá Homero,

> Sim, ateus podem ser muito intolerantes e péssimas pessoas. Mas não
creditam isso como "certo" ou divino ou determinado por deus. São
péssimas pessoas e pronto, como se costua encontrar péssimas pessoas
de qualquer tipo..:-)

Manuel: Muitas vezes creditam o seu ódio ao "outro" (ao religioso,
aos descrentes na Ciência) à Razão, não importa se à "razão
histórica" (hegeliano-marxista) ou à "razão empírica". Aquele velho
papo: Nossa crença é racional, ao passo que a deles é irracional e,
por isso, impede o progresso, etc.

> O que se coloca é que religiões dão base, dão embasamento ético ou
moral para ser "péssimo".

Manuel: Assim como, muitas vezes, dão base e embasamento ético e
moral para que a pessoa melhore, recupere sua auto-estima, veja no
outro um irmão e torne-se mais tolerante. Casos ilustrativos são os
de Sobral Pinto, Alceu Amoroso Lima, Rubem Alves, Luter King, Tostoi.

Pois, se na Bíblia e em outros livros religiosos encontramos
passagens que pregam o ódio ao infiel, o sexismo, etc., por outro
lado há também passagens do tipo: "Ama o estrangeiro", "ama a quem te
ofendes", "quem nunca pecou jogue a primeira pedra", etc.

> E não é a religiào que coloca "eles" contra "nós", são as pessoas,
as culturas tribais e isso reflete em suas religiões primitivas.

Manuel: Concordo :-)

> Para "dar ao pobre ou estrangeiro" é preciso que o estrangeiro
aceite a palavra ou fique grato. Se ele se negar, "pau neles"..:-)

Manuel: Se o estrangeiro aceita a palavra ele já pertence a "nós". As
passagens bíblicas que citei são claras, elas falam do "estrangeiro",
do "estranho".

> Toda religião deriva dos preconceitos, tradições e determinações de
sua tribo de origem, e portanto refletem "ipsis literis" o que aquela
cultura considera correto ou incorreto.

Manuel: Mas as religiões tribais também evoluem e se transformam a
medida em que sua tribo passa a se relacionar com outras tribos e
nações por meio do comércio ou outras formas de alianças. Veja o caso
do judaísmo, que é uma religião "nacional": dela nasceu uma
religião "universal", o cristianismo, em que Iavé já não é mais o
deus dos Hebreus, mas o deus de toda a Humanidade. Foi através do
budismo e do cristianismo que se desenvolveu a idéia de que todos os
homens são filhos de um único Deus, isto é, são iguais, não importa a
etnia, a nação, a classe, o sexo. A propósito, os racionalistas
também não dizem que, perante a Razão, todos os homens são iguais?

> Religiões são hostis por padrão.

Manuel: E o seu humanismo está me parecendo muito hostil para com as
religiões. Será esse humanismo apenas uma outra religião? :-)

A propósito: um dos primeiros Estados "laicos", o Estado Norte-
americano, foi instituído por indivíduos de sólida formação
religiosa. Como sofreram perseguições religiosas em seu país de
origem, a Inglaterra (perseguições estas levada a cabo pelo próprio
Estado), decidiram então pela criação de um Estado não confessional
que garantiria a liberdade de culto.

Por outro lado, o que fizeram os racionalistas ateus revolucionários
jacobinos quanto tomaram de assalto o Poder na França? Perseguiram os
católicos, guilhotinaram boa parte do clero, instituíram o
racionalismo ateu como ideologia oficial do Estado e transformaram
todas as igrejas e capelas em templos do "Culto ao Ser Superior". O
Ser Superior era a Razão.

> E talvez você não considere torcidas organizadas religiòes ou
seitas. Mas elas nào só tem todos os requisitos para ser religiào,
como costumam ter até divindades entronadas..:-) Se aplicar apenas o
conceito, a definição de religião, elas se encaixam perfeitamente,
inclusive na ausencia de razão, na implicancia visceral com a lógica
(se perdeu, o juiz roubou, se ganhou, é por ser merecedor e "o melhor
de todos, sempre"..:-) e na tentativa de impor seu modo de ver e
pensar a força..:-)

Manuel: Torcidas organizadas e gangues de bairro como seitas
religiosas? Se são, então por que não considerar esse
ateísmo "monista" hostil a qualquer outra cosmovisão como apenas uma
outra religião? Sim, uma religião como qualquer outra formada por
homens de todo tipo, homens bons e maus, magnânimos e mesquinhos,
altruístas e egoístas, tolerantes e intolerantes, fanáticos e não-
fanáticos.

Aliás, nem os próprios ateístas se entendem, a ponto de se dividirem
também em seitas mutuamente hostis. De fato, ateístas marxistas,
ateístas nietzscheanos e ateístas empiristas não se toleram muito.

Abraços,
Manuel Bulcão
PS.: Sou ateu.





SUBJECT: Re: Mosquitos e seus 47 dentes
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 12:54

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
> Acredito que o pernilongo seja um mosquito que chupa sangue.

Na verdade sao sinonimos. Alguns dicionarios registram o pernilongo
como um grupo de mosquito (mais especificamente os culicidios - a
familia do mosquito comum), mas o amplo uso e' de sinonimia. Assim
como muriçoca e carapanã. Depende da regiao e da pessoa.

-----------
"O mosquito pernilongo
trança as pernas, faz um M,
depois treme, treme, treme,
faz um O bastante oblongo,
faz um S.

O mosquito sobe e desce.
Com artes que ninguém vê,
faz um Q,
faz um U, e faz um I.

Este mosquito esquisito
cruza as patas, faz um T.
E aí,
se arredonda e faz outro O,
mais bonito.

Oh!
Já não é analfabeto,
esse inseto,
pois sabe escrever seu nome.

Mas depois vai procurar
alguém que possa picar,
pois escrever cansa,
não é, criança?

E ele está com muita fome."

O mosquito escreve - Cecilia Meireles.

-------

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 14:43

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
> <adriana_rohatsko@y...> escreveu
> > Quem quiser pode imprimir e usar minha foto para espantar os maus
> > espíritos. :)
>
> Ué, cadê a foto? Não que eu queira espantar algum espírito. hehe.

Eu sei. Você quer espantar os bugs do seu apartamento. :)

http://profiles.yahoo.com/adriana_rohatsko

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 15:58

Olá Manuel

Esta é uma discussão fascinante e já foi previamente entabulada por muita gente mais capaz que eu..:-) Mas, enquanto o moderador não nos der um "pito" pelo total off topic, vamos continuar, como exercício de dialogo..:-)

Marxistas e afins são menos ateus que religiosos politicos. Como observou Colucci, nem mesmo um ser divino faltava ao comportamento padrào de religiào para esse tipo de agremiação. E não se deve confundir ateismo material, a conclusão de que não há evidencias de um ser divino ou forças sobrenaturais, com um tio de ateismo filosofico, uma crença, uma negação de um ser supremo, mesmo que o ser supremo exista. Isso é outra coisa, e pode, como qualquer crença, produzir barbaridades.

Não vejo evidencias de que exista um ser divino ou que o universo precise disso como explicação. Mas não me incomodo se ele existir e se criou o universo assim, sem evidencias, apenas como um teste de valor para seres humanos..:-) Se assim for, ótimo, eu tenho razão, nào há evidencias de um ser divino porque ele nào queis que houvesse..:-) Isso nào é uma crença, nem uma religiào que dependa de convencer todos os povos para me deixar feliz..:-)

E se livros sagrados, de qualquer religião, tem passagens que podem justificar qualquer comportamente, nào é mais útil que uma conversa de bar, ler a sorte em um bolinho, ou tomar decisões jogando dados (um grande livro, ). Tanto faz. E é perigoso à beça.

E acho bem dificil que religiòes, tribais ou nào, evoluam, no sentido que apresentou. Sua estrutura, baseada em dogmas e certezas, e que ainda por cima deriva de revelações divinas, vindas diretamente de um conhecimento e saber superior (jamais alcançado por simples seres humanos) nào permite que isso aconteça. O que acontece, a força de dor, sofrimento e esforço, é a civilização forçada das religiòes, que culminou na separação igreja/estado atual. Se deixar a seus critério, toda e qualqeur religiào retorna a barbárie primitiva, com fogueiras, inquisições e censura a afirmações que a contradigam.

Se acha que estou exagerando, onde colocaria a atual pressão de parte da igreja catolica para propagar a mentira que camisinha nào protege contra AIDS? Na categoria de tolerancia e compromentimento com a felicidade das pessoas? De espaço, e fogueiras com hereges (nós inclusive..:-) serão acesas sem remorso ou culpa, afinal, é a vontade de deus..:-)

Os ateus, de diferentes correntes, não se estranham pelo ateismo, mas pela que de religiào tem em suas crenças politicas. E nisso concordo, crenças politicas forma uma categoria clara de religião. Já ponderei a diferença entre considerar, por conclusão, que nào há evidencias de serres divinos de qualquer espécie e a luta contra as religiòes de determinadas facções de pessoas (que, por acaso, se classificam também como ateus..:-).

E a afirmação sobre a sólida formação religiosa dos criadores dos USA é incorreta. Formação, talvez, já que nào se escapava do ensino religioso na época, mas a maioria, senào todos, dos pais da patria americanos eram ateus, agnosticos, humanistas e afins. Isso é claro, mesmo na abrandada historia americana ensinada nas classes dos USA..:-) De Thomas Jeferson até os menos lembrados, todos eram no mínimo agnosticos sem religiào ou fé declarada.

E graças a isso a carta de independencia é totalmente precisa e humanista..:-) Tods os homens nascem livres e iguais..:-)

Ateismo não é uma religiào, porque nào precisa ser denfendida nem se incomoda de mudar. Uma evidencia a favor de um ser divino basta, e nào ligo apra isso, mais do que ligo para uma nova descoberta sobre as leis da gravitação ou da termodinamica. Se amanhà de manhà um ser divino e onipotente aparecer no ceu e disser, bem, foi um engano, para tudo que vou explciar direitinho desde o começo... Tudo bem..:-) Eu sento e escuto..:-) E tirarei conclusões e até mudarei de conclusào..:-) Consegue ver o Papa mudando de conclusão devido a uma evidencia final sobre a inexistencia de deus? Ou mesmo a existencia, mas apenas do deus muçulmano?

Não é possível considerar a Russia maxista como uma representante da fé atéia. Não foi. Foi uma fé no estado, com icones sagrados (e ambalsamados..:-) como qualquer santo catolico. Um ateu, na forma pragmatica, derivada da conclusão racional, apenas olharia a manifestação e pensaria (não falaria, já que seria preso e morto..:-) "bem, não acho que seja assim, nào há evidencias disso.:-)" A Russia usou o ateísmo como outras naçòes usam evangelicos, islamicos, etc. O mesmo raciocínio que leva alguém a se tornar ateu, leva também a duvidar da sacralidade do estado maxista. Ou de qualquer outro estado, afirmação ou revelação divina..:-)

Um abraço.

Homero

PS: Eu também sou..:-)





----- Original Message -----
From: Manuel Bulcão
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, November 10, 2003 12:37 PM
Subject: [ciencialist] Re: [STR] Rachel de Queiroz - Desculpem. Grupo errado


Olá Homero,

> Sim, ateus podem ser muito intolerantes e péssimas pessoas. Mas não
creditam isso como "certo" ou divino ou determinado por deus. São
péssimas pessoas e pronto, como se costua encontrar péssimas pessoas
de qualquer tipo..:-)

Manuel: Muitas vezes creditam o seu ódio ao "outro" (ao religioso,
aos descrentes na Ciência) à Razão, não importa se à "razão
histórica" (hegeliano-marxista) ou à "razão empírica". Aquele velho
papo: Nossa crença é racional, ao passo que a deles é irracional e,
por isso, impede o progresso, etc.

> O que se coloca é que religiões dão base, dão embasamento ético ou
moral para ser "péssimo".

Manuel: Assim como, muitas vezes, dão base e embasamento ético e
moral para que a pessoa melhore, recupere sua auto-estima, veja no
outro um irmão e torne-se mais tolerante. Casos ilustrativos são os
de Sobral Pinto, Alceu Amoroso Lima, Rubem Alves, Luter King, Tostoi.

Pois, se na Bíblia e em outros livros religiosos encontramos
passagens que pregam o ódio ao infiel, o sexismo, etc., por outro
lado há também passagens do tipo: "Ama o estrangeiro", "ama a quem te
ofendes", "quem nunca pecou jogue a primeira pedra", etc.

> E não é a religiào que coloca "eles" contra "nós", são as pessoas,
as culturas tribais e isso reflete em suas religiões primitivas.

Manuel: Concordo :-)

> Para "dar ao pobre ou estrangeiro" é preciso que o estrangeiro
aceite a palavra ou fique grato. Se ele se negar, "pau neles"..:-)

Manuel: Se o estrangeiro aceita a palavra ele já pertence a "nós". As
passagens bíblicas que citei são claras, elas falam do "estrangeiro",
do "estranho".

> Toda religião deriva dos preconceitos, tradições e determinações de
sua tribo de origem, e portanto refletem "ipsis literis" o que aquela
cultura considera correto ou incorreto.

Manuel: Mas as religiões tribais também evoluem e se transformam a
medida em que sua tribo passa a se relacionar com outras tribos e
nações por meio do comércio ou outras formas de alianças. Veja o caso
do judaísmo, que é uma religião "nacional": dela nasceu uma
religião "universal", o cristianismo, em que Iavé já não é mais o
deus dos Hebreus, mas o deus de toda a Humanidade. Foi através do
budismo e do cristianismo que se desenvolveu a idéia de que todos os
homens são filhos de um único Deus, isto é, são iguais, não importa a
etnia, a nação, a classe, o sexo. A propósito, os racionalistas
também não dizem que, perante a Razão, todos os homens são iguais?

> Religiões são hostis por padrão.

Manuel: E o seu humanismo está me parecendo muito hostil para com as
religiões. Será esse humanismo apenas uma outra religião? :-)

A propósito: um dos primeiros Estados "laicos", o Estado Norte-
americano, foi instituído por indivíduos de sólida formação
religiosa. Como sofreram perseguições religiosas em seu país de
origem, a Inglaterra (perseguições estas levada a cabo pelo próprio
Estado), decidiram então pela criação de um Estado não confessional
que garantiria a liberdade de culto.

Por outro lado, o que fizeram os racionalistas ateus revolucionários
jacobinos quanto tomaram de assalto o Poder na França? Perseguiram os
católicos, guilhotinaram boa parte do clero, instituíram o
racionalismo ateu como ideologia oficial do Estado e transformaram
todas as igrejas e capelas em templos do "Culto ao Ser Superior". O
Ser Superior era a Razão.

> E talvez você não considere torcidas organizadas religiòes ou
seitas. Mas elas nào só tem todos os requisitos para ser religiào,
como costumam ter até divindades entronadas..:-) Se aplicar apenas o
conceito, a definição de religião, elas se encaixam perfeitamente,
inclusive na ausencia de razão, na implicancia visceral com a lógica
(se perdeu, o juiz roubou, se ganhou, é por ser merecedor e "o melhor
de todos, sempre"..:-) e na tentativa de impor seu modo de ver e
pensar a força..:-)

Manuel: Torcidas organizadas e gangues de bairro como seitas
religiosas? Se são, então por que não considerar esse
ateísmo "monista" hostil a qualquer outra cosmovisão como apenas uma
outra religião? Sim, uma religião como qualquer outra formada por
homens de todo tipo, homens bons e maus, magnânimos e mesquinhos,
altruístas e egoístas, tolerantes e intolerantes, fanáticos e não-
fanáticos.

Aliás, nem os próprios ateístas se entendem, a ponto de se dividirem
também em seitas mutuamente hostis. De fato, ateístas marxistas,
ateístas nietzscheanos e ateístas empiristas não se toleram muito.

Abraços,
Manuel Bulcão
PS.: Sou ateu.




Yahoo! Groups Sponsor


Assine Claudia em
5x s/juros de R$ 18,96 Assine Info em
5x s/juros de R$ 19,08
Mais... Você S/A Boa Forma Capricho Exame





##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: físicos...
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 16:28

Ninguém encurta a resistência de um chuveiro ... nem mesmo um mau eletricista! Pode diminuir o valor de tal resistência elétrica encurtando o comprimento do fio de níquel-cromo (niquelina) do resistor (unidade aquecedora).
O chuveiro, realmente, passa a dissipar maior potência; todavia sua área útil diminui, a troca de calor fica prejudicada, ocorre calefação, aumenta o 'ronco' do chuveiro, a temperatura do fio aquecedor ultrapassa a temperatura normal de funcionamento e pode fundir-se. Não é boa solução!
A boa solução é comandar a potência elétrica admitida pelo elemento aquecedor mediante um triac.
Meu chuveiro tem potência elétrica total de 8,2 kW, comandada a partir de zero até esse máximo por um excelente triac. A vazão da água permanece constante.

Isso é um chuveiro ... não a 'duche' lisboeta!:-))
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Aline Regina Walkoff" <lualine@yahoo.com>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 11:52
Assunto: [ciencialist] Re: físicos...



Meu professor de física aconselhava-nos a encurtar nós mesmos a
resistência do chuveiro. Ele dizia do eletricista: vc chama o cara,
ele se tranca no banheiro, fica duas horas lá dentro fazendo sei lá o
que com umas revistas e vc ainda paga por isso.

Mas é verdade que o físico ainda depende do eletricista para muitas
coisas!

Aline @}---

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Ela tem um caso com o eletricista porque o marido é um bundão e só
> fica com o controle remoto da TV. Ela pode pagar a conta trabalhando
> ou trocar ela mesma, segurando a lâmpada enquanto o mundo gira ao
> redor dela. :P
>
> Beijos,
> Adriana
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
> <scordeiro@t...> escreveu
> > Aline disse:
> >
> >
> > > Léo: E os dois continuam no escuro.
> > > []'
> >
> > Aí o físico acende a luz.
> > Mas a lâmpada queima e quem conserta é o eletricista.
> > E quem o chama é a dona de casa.
> >
> > []´s
> >
> > Aline
> >
> >
> > que tem um caso em ele (eletricista) e o marido ainda paga a
conta.
> >
> > sds.,
> >
> > silvio.


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: minha foto
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 16:33


http://profiles.yahoo.com/adriana_rohatsko

Beijos,
Adriana

Léo: Nada mal! nada mal!


SUBJECT: Re:[ciencialist] Que Júpiter exploda se a NASA estiver mentindo!
FROM: "Luiz Claudio" <luizquimica@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 16:45

Na boa, os ETs que moram lá tem uma tecnologia muito
superior a nossa e não vão deixar que isso aconteça.

t+


> Que Júpiter exploda se a NASA estiver mentindo!
> No final de setembro, a NASA enviou a sonda Galileo, ao
fim de sua
> missão, para a destruição em um mergulho no gigante gas
oso que é o
> planeta Júpiter. A sonda tinha plutônio, parte de seu g
erador nuclear
> de energia. E se o plutônio reagir de alguma forma em J
úpiter e
> explodir? E se isso tudo iniciar uma reação em cadeia q
ue
> transformará o planeta em uma estrela, ou quem sabe em
uma explosão
> de proporções colossais?!?! Esse alarmismo apelativo es
tá sendo
> promovido aqui,
> http://www.cyberspaceorbit.com/JUPFULLx.htm
> aqui,
> http://www.yowusa.com/Archive/Sep2003/Jupiter_attack/ju
piter_attack.ht
> m
> ou por Hoagland
> http://www.enterprisemission.com/NukingJupiter.html
> (o da Face em Marte e outras "anomalias").
> O astrônomo Phil Plait desconstrói as alegações espúria
s.
> http://www.badastronomy.com/bad/misc/jupiter_galileo.ht
ml
> Há porém um elemento curioso nesta história. Em 1991, o
paranóico
> Bill Cooper
> http://www.chez.com/gpsufos/doc_discurso_cooper.html
> escreveu um livro onde teria afirmado
> http://www.thehotsheets.com/solarsystem/messages/7954.s
html
> que em 1999 a NASA iria usar a sonda Galileo para trans
formar Júpiter
> em uma estrela, chamada Lúcifer.
> http://www.gettingit.com/article/422
> Talvez você já tenha ouvido falar em algo sobre Júpiter
virar uma
> estrela chamada Lúcifer, mas não de Cooper. É o final d
e 2010, de
> Arthur Clarke. Que foi lançado em 1985. Esses Illuminat
is!
> http://www.freeworldalliance.com/lucifer2000.htm
> >>>
>
> Mori
> http://www.strbrasil.com/ca/
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas
em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>


__________________________________________________________________________
Acabe com aquelas janelinhas que pulam na sua tela.
AntiPop-up UOL - É grátis!
http://antipopup.uol.com.br/




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?
FROM: "Alberto Mesquita Filho" <albmesq@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 16:55

----- Original Message -----
From: "Maria Natália"
Sent: Friday, November 07, 2003 4:23 PM
Subject: [ciencialist] Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?

> E lembra-se de qual é a
> unidade de quantidade de matéria? Nem mais: a mole*

Sim, mas... Vou tentar botar mais lenha nessa fogueira :-).

O que é "a" mole (para os portugueses) ou "o" mol (para os brasileiros)?

Eu costumo dizer (vide "Introdução à físico-química das soluções, em
http://ecientificocultural.com/BFQ/solu01.htm ), e quero crer que é isso o
que se aprende por aí, que "um mol de determinada substância química contém,
*por definição*, o número de Avogadro em moléculas da mesma". Caso esteja
certo este raciocínio, pergunto então: O que é o número de Avogadro? Eu
diria que é um número puro, resultado da "relação entre a massa de um átomo
do isótopo estável do carbono, expressa em unidades atômicas de massa, pela
mesma massa desse átomo expressa em gramas. E a unidade atômica de massa é
"a massa igual a um doze avos da massa do átomo do isótopo estável do
carbono com maior abundância relativa (98,9%)".

Ou seja, para chegarmos no conceito de moles, estabelecido a partir dos
estudos do *físico* Avogadro :-), devemos antes entender bem o que seja
massa. Conseqüentemente, mesmo *para aqueles* que aceitam o(a) mol(mole)
como "unidade de quantidade de matéria", percebe-se que de alguma maneira a
massa está jogando um papel importantíssimo na caracterização desta unidade.

Isso não significa dizer que a massa meça a quantidade de matéria, mas que
em condições restritas a massa é um excelente indicador da quantidade de
matéria. Assim como a carga elétrica de uma população exclusiva de elétrons,
*pelo menos para aqueles que acreditam que o elétron é uma carga elétrica em
miniatura*, seria um excelente indicador da quantidade de matéria presente
neste conjunto de elétrons. Assim como também o tempo é um excelente
indicador da quantidade de água (e portanto de matéria) que escoa por uma
torneira com vazão constante.

A propósito, creio que seria interessante indicar aqui um artigo que saiu
hoje no Jornal da Ciência da SBPC e intitulado "A dúvida sobre Avogadro". A
manchete do artigo diz: Pesquisa de alemães e belgas pode exigir mudança no
valor da constante fundamental da química conhecida como 'número de
Avogadro'. O artigo pode ser lido em
http://www.jornaldaciencia.org.br/Detalhe.jsp?id=14145

Se isso for verdade, muito em breve quase todas as constantes da física
deverão sofrer mudanças significativas.

[ ]´s
Alberto
http://ecientificocultural.com/indice.htm
Mas indiferentemente a tudo isso, o neutrino tem massa, o elétron não é uma
carga elétrica coulombiana e a Terra se move. E a história se repetirá.



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 16:58

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Léo: Nada mal! nada mal!

Eu concordo. :)

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?
FROM: "Luiz Claudio" <luizquimica@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 17:23

Einstein costumava perguntar quando chegava na estação:

- A que horas a estação deixa o trem?



> Caro Sr. Sérgio Taborda
>
> Segue abaixo o prólogo do livro: Á procura do gato de S
chrödinger de John
> Gribbin intitulado: Nada é real. Sei que é 4GB de texto
mas... vale apena
> ler. Quando falo que a física quântica foge do cotidian
o estou me referindo
> ao que consideramos comum. Quando Einstein disse que o
tempo era relativo,
> por exemplo.. isso realmente foge do cotidiano... mas é
um fato que se
> manifesta com significação em velocidades muito altas,
próximas a da luz.
> Oras Sérgio... vais dizer que um gato em um estado inde
terminado entre a
> vida e a morte é cotidiano? :-).
>
> Veja como Einstein (agora fugindo do assunto) define a
relatividade para os
> leigos:
>
> "Quando você está cortejando uma moça simpática, uma ho
ra parece um segundo.
> Quando você se senta sobre carvão em brasa, um segundo
parece uma hora. Isso
> é relatividade."
>
> Outra... me disseram que estava escrita na porta de um
banheiro público...
>
> "Quanto tempo dura um segundo? Depende de que lado da p
orta você está"
>
>
> Além disso, quando falas que os diálogos não são ve
rdadeiros...
> desculpe... mas isso está nos livros. Não conheci pesso
almente Bohr e
> Einstein mas o livros (vou atrás de uma bibliografia in
questionável para te
> mostrar) falam isso. Einstein nunca engoliu a quântica
e sempre se mostrou
> avesso a aceitar um comportamento da natureza desse tip
o.
>
> _________________________________
>
> Nada é Real
>
> O gato que dá o título do livro é um animal inventa
do, mas Schrödinger
> existe mesmo. Erwin Schrödinger foi um cientista austrí
aco que, em meados
> dos anos 20, desempenhou um papel muito importante no d
esenvolvimento das
> equações deum ramo da ciência hoje conhecido como Mecân
ica Quântica. Ramo da
> ciência não será a expressão adequada, pois a Mecânica
Quântica constitui,
> hoje em dia, a base de toda a ciência. As equações desc
revem o comportamento
> de objetos muito pequenos -
digamos de dimensões iguais ou inferiores às
> atômicas -
e constituem a única fonte de conhecimento de mundo micr
oscópico.
> Sem estas equações, os físicos teriam sido incapazes de
planear centrais
> nucleares (e bombas nucleares), construir lasers ou exp
licar por que razão o
> sol se mantém quente. Sem Mecânica Quântica a Química a
inda estaria na Idade
> Média e a Biologia Molecular -
conhecimento do DNA, engenharia genética, e
> tudo o resto - não existiria.
> A teoria quântica é a maior criação da ciência, de
significado muito
> maior e prático do que a teoria da relatividade. E, con
tudo, permite fazer
> estranhíssimas previsões. O mundo da mecânica quântica
é tão estranho que
> mesmo Albert Einstein não o conseguiu compreender e rec
usou-se a aceitar
> todas as conseqüências da teoria desenvolvida por Schrö
dinger e outros.
> Einstein, como muitos outros cientistas, julgou muito m
ais adequado supor
> que as equações da mecânica são um processo matemático
que permite uma
> descrição geral do comportamento das partículas atômica
s e subatômicas mas
> impede o acesso a uma realidade mais profunda de acordo
com a nossa
> experiência quotidiana. A Mecânica Quântica diz-
nos que nada é real, e que
> naõ podemos afirmar nada acerca dos fenômenos exceto qu
ando os vemos. O gato
> de Schrödinger foi pensado como exemplo para mostrar cl
aramente as
> diferenças existentes entre o mundo quotidiano e o mund
o quântico.
> No mundo quântico já não vigoram mais as leis que n
os são familiares. Os
> acontecimentos são regidos por probabilidades. Tomemos
como exemplo um átomo
> radioativo. Ele pode transformar-
se, digamos que por emissão de um elétron.
> Mas também pode não o fazer. É possível mostrar uma exp
eriência de tal modo
> que num certo intervalo de tempo haja uma probabilidade
de exatamente 50% de
> um dos átomos de uma amostra radioativa se transmutar e
que, a dar-se essa
> desintegração, ela seja detectada por um dispositivo. S
chrödinger, tão
> preocupado como Einstein com as implicações da teoria q
uântica, tentou
> mostrar o absurdo de tais implicações imaginando uma ex
periência como a
> referida, que ocorreria numa sala ou caixote fechado, e
m cujo interior
> estariam ainda um gato (vivo) e um frasco de gás veneno
so, tudo disposto de
> maneira que se a desintegração radioativa se desse, o f
rasco seria quebrado
> e o gato morreria. no mundo quotidiano a morte do gato
tem 50% de
> probabilidade de ocorrer, e, sem olhar para o interior
do caixote, podemos
> dizer com segurança que o gato ou está vivo ou está mor
to. Mas aqui
> deparamos com a estranheza do mundo quântico. Segundo a
teoria, nenhuma das
> das duas possibilidades de concretização (o gato vivo e
fato morto) tem
> realidade a não ser que seja observada. Assim a desinte
gração nem aconteceu
> nem não aconteceu e o gato não morreu nem sobreviveu at
é que tenhamos olhado
> para o interior do caixote. Os teóricos que aceitam a v
ersão pura da
> Mecânica Quântica dizem que o gato existe num estado in
determinado que não é
> vida nem é morte, até que um observador olhe para dentr
o do caixote. Nada é
> real se não é observado.
> Essa idéia era um anátema¹ para Einstein, entre out
ros. "Deus não joga
> dados", dizia, referindo-
se à teoria de que o mundo evolui em conseqüência
> de escolhas aleatórias ao nível quântico. Quanto à irre
alidade do estado do
> gato de Schrödinger, ele justificava-
a pela existência de uma engrenagem
> subjacente ², unicamente a partir da qual se tornava po
ssível discernir a
> realidade fundamental das coisas. Einstein gastou muito
s anos tentando
> imaginar experiências que pudessem revelar esta realida
de subjacente, mas
> morreu antes que uma tal experiência fosse efetuada. E
talvez tenha sido
> melhor para Einstein não ter vivido até se chegar ao te
rmo da linha de
> raciocínio por ele iniciada.
> No verão de 1982, na Universidade de París-
Sud, em França, uma equipe
> chefiada por Alain Aspect concluiu um certo número de e
xperiências
> destinadas a revelar a existência de uma realidade subj
acente à irrealidade
> quântica. Tal realidade - a engrenagem fundamental -
manifestava-se pela
> existência de "variáveis ocultas", e a experiência dizi
a respeito ao
> comportamento de dois fótons (ou partículas de luz) afa
stando-se em sentidos
> opostos a partir de uma fonte comum. Em suma, podemos d
escrever a
> experiência: Dois fótons, emergentes da mesma fonte, sã
o observados por dois
> detectores, que medem uma propriedade chamada polarizaç
ão. Segundo a teoria
> quântica, esta propriedade não existe senão quando é me
dida. Segundo a
> hipótese das variáveis ocultas, cada fóton tem uma pola
rização "real", bem
> definida, desde o momento que é criado. Como os fótons
são emitidos
> conjuntamente, as suas polarizações estão relacionadas.
Mas a relação
> existente entre elas não é a mesma nas duas interpretaç
ões. O resultado da
> experiência foi inequívoco. A relação prevista pela teo
ria das variáveis
> ocultas não foi observada, a prevista pela teoria quânt
ica foi-o. Mais
> ainda: a medida realizada num dos fótons tem efeito ins
tantâneo sobre a
> polarização do outro fóton, o que concorda com a teoria
quântica. Existe uma
> espécie de interação entre os dois, embora ambos se mov
am a velocidade da
> luz e a teoria da relatividade nos ensine que nenhum si
nal pode viajar mais
> depressa do que a luz. As experiências mostram uma inex
istência de uma
> realidade subjacente. Assim, não é adequado pensar em t
ermos de realidade
> quotidiana quando nos debruçamos sobre as partículas el
ementares que
> constituem o universo. E contudo, tais partículas parec
em intimamente
> ligadas num todo indivisível, cada uma ciente do que su
cede às restantes.
> A procura do gato de Schrödinger foi a procura da r
ealidade quântica. A
> partir deste breve resumo, pode parecer que tal busca f
oi infrutífera, pois
> a realidade tal como a conhecemos não existe afinal. Ma
s isto não é ainda o
> fim da história, e a procura do gato de Schrödinger pod
e levar-nos a uma
> nova compreensão do mundo, compreensão essa que transce
nde, ainda que
> inlcua, a interpretação convencional da teoria quântica
. O caminho é longo,
> e começa com um cientista que provavelmente ficaria ain
da mais horrorizado
> do que Einstein se soubesse quais as respostas que hoje
temos para as
> questões que o intrigam. Isaac Newton, ao estudar a nat
ureza da luz há
> trezentos anos atrás, não podia ter consciência de esta
r já no caminho que
> levaria ao gato de Schrödinger.
>
> __________________________
>
> [ ] 's
> ---
> Emiliano Chemello
> chemello.e@bol.com.br
> www.chemello.kit.net
>
> ----- Original Message -----
> From: Sergio M M Taborda
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Friday, November 07, 2003 11:17 PM
> Subject: Re: [ciencialist] Re: - O que é massa?
>
>
>
> ----- Original Message -----
> From: "Emiliano Chemello
>
> > Não sejamos tão maldosos em chamar o Bohr de mente
capto.
>
> Não sejamos tão ingenuos ou distraidos para pensar que
era isso que estava a
> fazer.
>
> >Quando ele fala em entender... o significado transcend
e o trivial.
> Entender... como foi dito na >frase, seria fazer relaçõ
es com nosso mundo...
> com o cotidiano e isso realmente não é >possivel... poi
s o comportamento
> quântico foge do contidiano (vide experiência mental do
Gato >de
> Schrödinger). A quântica se baseia na experimentação...
cria regras...
>
> Este tipo de argumento é o tipo de argumento que eu não
consigo engolir.
> Nada do que pode ser experimentado directamente foge do
nosso quotidiano.
> A fisica moderna começou quando os fisicos compreendera
m que para teorizar
> sobre o muito pequeno, eles tinham que recorrer à estat
istica. Que não
> podiam testar cada caso por si.
> não é possivel testar o efeito-
fotoelectrico com um so fotão que extrai um
> so electrão.
> São precisas muitas moles de fotões.
> É para isso que o Gato de Shrondinger serve. Para most
rar que para
> comprender certos fenomenos é preciso usar estatistica.
São precisas testar
> probabilidades, trabalhar com probabilidades. A logica
passou a ser difusa
> em vez de binária.
>
> >Como gosto de citar os grandes... ai vai mais um diálo
gos de gigantes:
> >Einstein disse: "Deus não joga dados!"
> >Bohr responde: "Albert, não diga a Deus o que ele deve
fazer!"
>
> Onde já vai o diálogo... Ora, ora...
> Acho que no meio disto tudo faltam boas aulas de histor
ia da física.
> E quando digo "boas" quero dizer "sem os clichês ridicu
los que se criaram à
> volta dos seus intervenientes"
> Einstein nem sequer usou a palavra "deus", por isso, nã
o acredito que Bohr a
> tenha em resposta.
> Vc pode citar os grandes, desde que as citações sejam a
s verdadeiras.... :-)
>
> Eles podem ter dito muitas coisas. Mas eles viveram à m
uito tempo atrás.
> Hoje sabemos coisas que eles não sabiam e dispomos de f
erramentas de que
> eles não dispunham e as teorias foram repensadas, afina
das e solidificadas
> por outros que vieram depois deles. Portanto, o que ele
s disseram tem valor
> histórico , mas não mais corresponde com o que sabemos
ou como encaramos o
> mundo, a fisica e a mecanica quantica.
>
> Sérgio Taborda
>
>
> Yahoo! Groups Sponsor
>
>
> Assine Claudia em
> 5x s/juros de R$ 18,96Assine Info em
> 5x s/juros de R$ 19,08
> Mais...Você S/ABoa FormaCaprichoExame
>
>
>
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviç
o Yahoo!.
>
>
> ---
> Outgoing mail is certified Virus Free.
> Checked by AVG anti-
virus system (http://www.grisoft.com).
> Version: 6.0.516 / Virus Database: 313 -
Release Date: 1/9/2003
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas
em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>


__________________________________________________________________________
Acabe com aquelas janelinhas que pulam na sua tela.
AntiPop-up UOL - É grátis!
http://antipopup.uol.com.br/




SUBJECT: Fw: Sala antigravidade
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 18:09

Querem ajudar?
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: Fábio Yamaguchi
Para: leobarretos@uol.com.br
Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 17:34


Como se faz uma sala anti gravidade?

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Re:[ciencialist] Que Júpiter exploda se a NASA estiver mentindo!
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 18:17

Essa quantidade de plutônio da sonda, para Júpiter, será equivalente a um traquinho de S.João ou 'biribas' .... se tanto!
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Luiz Claudio" <luizquimica@bol.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 16:45
Assunto: Re:[ciencialist] Que Júpiter exploda se a NASA estiver mentindo!


Na boa, os ETs que moram lá tem uma tecnologia muito
superior a nossa e não vão deixar que isso aconteça.

t+


> Que Júpiter exploda se a NASA estiver mentindo!
> No final de setembro, a NASA enviou a sonda Galileo, ao
fim de sua
> missão, para a destruição em um mergulho no gigante gas
oso que é o
> planeta Júpiter. A sonda tinha plutônio, parte de seu g
erador nuclear
> de energia. E se o plutônio reagir de alguma forma em J
úpiter e
> explodir? E se isso tudo iniciar uma reação em cadeia q
ue
> transformará o planeta em uma estrela, ou quem sabe em
uma explosão
> de proporções colossais?!?! Esse alarmismo apelativo es
tá sendo
> promovido aqui,
> http://www.cyberspaceorbit.com/JUPFULLx.htm
> aqui,
> http://www.yowusa.com/Archive/Sep2003/Jupiter_attack/ju
piter_attack.ht
> m
> ou por Hoagland
> http://www.enterprisemission.com/NukingJupiter.html
> (o da Face em Marte e outras "anomalias").
> O astrônomo Phil Plait desconstrói as alegações espúria
s.
> http://www.badastronomy.com/bad/misc/jupiter_galileo.ht
ml
> Há porém um elemento curioso nesta história. Em 1991, o
paranóico
> Bill Cooper
> http://www.chez.com/gpsufos/doc_discurso_cooper.html
> escreveu um livro onde teria afirmado
> http://www.thehotsheets.com/solarsystem/messages/7954.s
html
> que em 1999 a NASA iria usar a sonda Galileo para trans
formar Júpiter
> em uma estrela, chamada Lúcifer.
> http://www.gettingit.com/article/422
> Talvez você já tenha ouvido falar em algo sobre Júpiter
virar uma
> estrela chamada Lúcifer, mas não de Cooper. É o final d
e 2010, de
> Arthur Clarke. Que foi lançado em 1985. Esses Illuminat
is!
> http://www.freeworldalliance.com/lucifer2000.htm
> >>>
>
> Mori
> http://www.strbrasil.com/ca/
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas
em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>


__________________________________________________________________________
Acabe com aquelas janelinhas que pulam na sua tela.
AntiPop-up UOL - É grátis!
http://antipopup.uol.com.br/



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: Re: Re:_Re:_Re:_[ciencialist]_Mas_afinal_o_que_é_a_massa?
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 18:24

Takata:
A etmologia da palavra inglesa "moon" vem de antigo ritual dos
pele-vermelhas que nas noites de plenilunio observabam as vacas berrarem:
"mooooooonnnnnnnn".
Tambem em Beraba, (perto de Berlância) ocorre esse fenômeno místico-vacum.
sds.,
silvio.

Mestre "rmtakata" pontificou:

comentando "Luiz Ferraz Netto":
> Definir, em primeira instância, é "dar nomes aos bois".
> Um dia algum olhou para cima e disse 'Lua' e após um monte de Úgs,
> abanaram a cabeça e concordam ... toda vez que alguém daquela tribo
> olhar para cima e lá encontrar aquela coisa dirá 'lua'; noutra
> tribo a cena se repetiu ... mas alguém disse 'Moon" e após vários
> ugs, concordaram; hoje, naquela tribo a 'mesma coisa no céu' chama-
> se moon. Muitas tribos repetiram a cena ... e nem por isso temos
> mais que uma daquela coisa no céu. Dai chegamos ao consenso que Lua
> = Moon

Eu imagino q. nao seja bem assim. Muitas palavras nossas devem ser
derivadas de expressoes vocais antigas de nossos ancestrais: macacos
atuais possuem gritos diferentes para indicar se o perigo vem do solo
(por exemplo, cobra) ou do ar (aves de rapina).

Eu suponho q. as palavras tiveram origem nas interjeicoes. Algo como:
uau! Inicialmente indicando espanto e depois passando a indicar o
objeto q. causava esse espanto.

Uma visao q. nao considero muito diferente disso:

http://www.sciam.com/article.cfm?articleID=0004616E-A412-1E8F-
8EA5809EC5880000

Muitas palavras ainda possuem ligacao com a sonoridade: boa parte dos
xingamentos possuem fonemas agressivos -- gutural, sibilante, plosivo
ou vibrante -- por exemplo burro - o som inicial 'bu' soa como uma
explosao, o 'r' vibra em tom de ameaca (como o cao rosnando) e uma
vogal 'o' q. da' volume ao som (verdade q. inicialmente designa um
animal, mas serve bem como uma xingamento dada essas caracteristicas
sonoras -- embora nao so' por elas).

Moon tem a ver com mês -- vem do indo-europeu, a raiz hipotetica
remete a me: com o sentido de medida. O q. nos faz imaginar a lua
como um marcador da passagem do tempo - o mes e os ciclos menstruais.

Ja' lua teria vindo de uma raiz como leuk (do mesmo indo-europeu) com
o significado de claro, brilho -- donde alias, o leuko grego (dando
origem a leucocito - globulos branco - na linguagem cientifica) e tbm
a luz (via lux). Nesse caso inicialmente apenas apontavam para a lua
e se referiam ao seu brilho, a sua claridade: algo como 'olhe aquela
coisa brilhante no ceu'.

Acontece isso ainda hoje com nomes de lugares.

Primeiro ato
"Onde vc vai?"
"Ah, eu vou catar uma frutas"
"La' naquele lugar cheio de arvores frutiferas?"
"Isso."
"Entao traz um cesto de frutas (Bauru) para mim"
"Ta' bom."

Segundo ato
"Onde vc vai?"
"Vou pro lugar do cesto de frutas"

Terceiro ato
"Onde vc vai?"
"Vou pro cesto de frutas" (elipse)

Quarto ato
"Onde vc vai?"
"Vou pro cesto de frutas" (metonimia)

Quinto ato
"Onde vc vai?"
"Vou pro cesto de frutas" (incorporacao)

Sexto ato
"De onde vc e'?"
"Sou de cesto de frutas"
"E vai querer comer o que?"
"Olha prense no pao aquela mistura de queijos com uma fatia de
rosbife para mim"
"Vc esta' louco?"
"Ah! E' q. estou com muita fome"

Setimo ato
"E ai', cara do cesto de frutas?"
"Tudo bem? Me ve aquele sanduiche esperto"
"No capricho"

Oitavo ato
"Eu tbm quero um sanduiche do cara do cesto de frutas"

Nono ato
"Me ve um do cesto de frutas"

Decimo ato
"Me ve um bauru"

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Estudo da Situação do Professor Brasileiro
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, Acrópolis <acropolis@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 18:27

transcrevo do ciência e cidadania:

Publicação traz informações sobre remuneração, escolaridade dos
docentes,
cursos de formação e mercado de trabalho

O Brasil tem mais de 2,6 milhões de professores na educação básica e
Superior,
responsáveis pela educação de 57,7 milhões de brasileiros. Cerca de
80% dos
docentes de ensino infantil, fundamental e médio atuam em escolas
públicas e
15% do total estão em escolas rurais. Na educação superior, eles
totalizam 220
mil.

Os dados fazem parte do estudo Estatísticas dos Professores no Brasil,
produzido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais
Anísio
Teixeira (Inep/MEC), com base em dados do Censo Escolar, Censo da
Educação
Superior, Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb) e
Pesquisa
Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad/IBGE). O texto está disponível
no
endereço http://www.inep.gov.br/estatisticas/professor2003/ e apresenta
uma
radiografia bastante ampla da situação do docente brasileiro.

O estudo mostra que um professor que atua na educação infantil ganha,
em média,

R$ 423. Docentes que lecionam em turmas de 1ª a 4ª série recebem R$ 462
e de 5ª

a 8ª, R$ 600. Já um professor que atua no nível médio ganha, em média,
R$ 866.

Em relação à infra-estrutura, 45% dos profissionais de educação
trabalham em
escolas públicas sem biblioteca, 74% em estabelecimentos sem
laboratório de
informática e cerca de 80% não contam com laboratórios de ciências.

O número de homens e mulheres e o tempo de dedicação ao trabalho variam
de
acordo com a disciplina e o nível de ensino. Na 4ª série do ensino
fundamental,

as mulheres representam mais de 90% do quadro profissional no País, nas
disciplinas de Português e de Matemática. Já na 3ª série do ensino
médio, em
Matemática, os homens somam 55% dos docentes.

Os professores com maior carga horária estão na 3ª série do ensino
médio, em
Língua Portuguesa: 25% deles trabalham mais de 40 horas semanais. A
maioria dos

docentes tem carga de trabalho semanal superior a 20 horas.

Professor da educação infantil ganha até 20 vezes menos que um juiz

A remuneração de um professor do ensino médio, de R$ 866, é quase a
metade do
salário de um policial civil e um quarto do que ganha um delegado de
polícia no

Brasil. Entre o menor salário, o de professor da educação infantil, e o
de
juiz, a diferença chega a ser de 20 vezes.

As diferenças salariais também são marcantes entre os professores nas
diversas
regiões do País, sendo que os menores rendimentos estão no Norte e
Nordeste. Um

professor da Região Sudeste ganha, em média, duas vezes mais que seu
colega da
Região Nordeste. Na educação infantil, por exemplo, o professor do
Sudeste
ganha R$ 522 e o do Nordeste, R$ 232. No ensino fundamental de 5ª a 8ª
séries
os salários são R$ 793 e 373, respectivamente nas Regiões Sudeste e
Nordeste.

Segundo o estudo, o salário dos professores é o índice de maior peso no
cálculo

do custo do aluno. Como a maioria dos professores da Educação Básica
encontra-se na rede pública, totalizando 85% das funções docentes, isso
implica

na necessidade de uma reformulação da política de financiamento.

45% dos docentes lecionam em escolas sem biblioteca

As condições de trabalho em relação à infra-estrutura das escolas da
educação
básica variam de acordo com a região sendo, de modo geral,
insuficientes. Nas
escolas públicas brasileiras, 45% dos professores atuam em escolas sem
biblioteca. Na Região Nordeste, essa é a realidade para 66% dos
mestres.
A existência de laboratório de Ciências, para aulas práticas,
configura-se no
pior indicador de infra-estrutura. No País, 80% dos docentes trabalham
em
escolas que não contam com esse suporte pedagógico. Nas Regiões Norte e
Nordeste, esta situação atinge 94% dos profissionais.

O número de alunos por turma também é considerado elevado em todos os
níveis de

ensino. Na creche, por exemplo, a média é de quase 18 alunos por turma.
No
ensino médio é de mais de 37 sendo que mais de 20% das turmas desse
nível de
ensino no País possui mais de 40 alunos.

Em relação ao tempo de dedicação ao magistério, a maioria dos docentes
tem
carga horária semanal superior a 20 horas. Na 3ª série do ensino médio,
quase
25% dos professores de Língua Portuguesa e Matemática estão submetidos
a uma
carga horária superior a 40 horas.

"Independentemente da causa, a dupla ou tripla jornada, com certeza
compromete
o desempenho do professor, pois concorre com outras atividades que
exigem tempo

adicional para docência: planejamento das atividades em sala de aula,
disponibilidade para oferecer atendimento ao aluno e atividades
administrativas

relacionadas à escola", afirmam os autores do estudo Estatísticas dos
Professores no Brasil.
Mesmo com avanços, há necessidade de melhoria na escolaridade

A formação dos professores melhorou em todos os níveis de ensino e
houve
redução dos professores leigos na última década. Contudo, afirma o
estudo,
"apenas 57% dos docentes que atuavam na pré-escola, ensino fundamental
e ensino

médio, possuíam formação em nível superior, que seria aquela ideal".

Na pré-escola, por exemplo, 27% dos 259 mil docentes tinha nível
superior, em
2002, contra 17%, em 1991. O índice de profissionais com o fundamental
incompleto caiu de 6% para apenas 1%, nesse período. Considerando a
formação
exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) -
magistério
ou licenciatura - 91% dos professores que atuam nesse nível de ensino
possuem a

formação adequada.
No ensino médio, das 469 mil funções docentes, 89% têm a graduação
completa e
79% deles a licenciatura. Neste nível de ensino, no entanto, quase 11%
dos
docentes ainda possui somente o ensino médio completo, indicando a
necessidade
de maiores investimentos em formação.

Na educação superior, do total de professores em 2001, 54% tinha
mestrado ou
doutorado concluídos, 31% possui especialização e cerca de 15%
concluíram
somente a graduação. Em 1991, o percentual de mestres e doutores era
de 35%,
19 pontos percentuais menor.

Crescimento da licenciatura não supera demanda por professores

Nos últimos anos, o número de ingressos nos cursos de graduação que
oferecem
licenciatura mais que dobrou passando de 166 mil, em 1991, para 362
mil, em
2002. Neste período a matrícula cresceu de 556 mil para 1.059 mil e o
número de

cursos passou de 2.512 para 5.880, com uma grande participação da rede
pública,

que concentra 3.116 cursos.

Apesar do aumento no número de licenciados, a estimativa de novos
postos para
atendimento das metas do PNE mostra que haverá carência de mão-de-obra
até
2006. O problema deverá ser maior para as séries finais do ensino
fundamental e

para o ensino médio, principalmente nas áreas de Física e Química.
Formação continuada - Em geral, mais de 80% dos professores da educação
básica,

de acordo com dados do Saeb, participaram de formação continuada nos
últimos
dois anos. Essa realidade é similar para todas as regiões do País.

No entanto, o cruzamento dessa informação com os resultados alcançados
pelos
alunos nas provas de Língua Portuguesa e Matemática do Saeb indica que
os
cursos de formação continuada aparentemente apresentam pouco impacto no
desempenho dos alunos. Segundo o estudo, isso indica "a necessidade de
ampliar
as pesquisas nessa área e, eventualmente, reorganizar esses cursos,
redefinindo

seus objetivos e métodos".

Formação dos docentes é mais precária na zona rural

Lecionam em escolas da área rural brasileira cerca de 354 mil docentes,
15% do
total. O campo concentra cerca de 50% dos estabelecimentos de ensino de
educação básica, 107 mil, e apenas 14% dos estudantes. As escolas são,
geralmente, pequenas e com um único professor que trabalha com turmas
multisseriadas.
Em função dessas características, o quadro de carência de pessoal
qualificado
no meio rural é ainda mais crítico do que na zona urbana. No Brasil,
cerca de
9% dos docentes da zona rural que atuam nas séries iniciais do ensino
fundamental têm formação superior. Na zona urbana esse contingente
representa
38%.
As Regiões Norte e Nordeste apresentam situação ainda mais
problemática. Na
Norte, menos de 1% dos professores das séries iniciais do ensino
fundamental
têm a graduação enquanto na Região Sul chega-se a 23%. Por outro lado,
o
quantitativo de docentes leigos neste nível de ensino na Região Norte é
de 12%
e de 4% para a Sul.

Censo permitirá conhecer o número de professores por disciplina

Um número ainda desconhecido nas estatísticas educacionais do País será
revelado no Censo dos Profissionais do Magistério: a quantidade de
professores
por disciplina da educação básica. Com isso, será possível detectar a
real
demanda de docentes nas escolas. O levantamento começa a ser realizado
em
novembro, e sua divulgação está prevista para o próximo ano.

Para coletar as informações, o Inep enviará cerca de 2,5 milhões de
formulários

a 212 mil escolas públicas e privadas. Com o Censo, será conhecido,
além do
perfil do professor, a prática pedagógica e os recursos disponíveis
para a
realização do trabalho docente.

O levantamento também vai apresentar com maior exatidão os salários
pagos aos
professores e aos demais trabalhadores do setor. Possibilitará, ainda,
a
elaboração de um cadastro para Sistema Nacional de Certificação e
Formação
Continuada de Professores.

Deverão responder ao Censo os profissionais que exerçam alguma função
docente
ou de suporte pedagógico direto na escola. Quem atua em mais de um
estabelecimento de ensino deverá preencher um formulário em cada
escola. O
cruzamento dos dados será feito pelo próprio Inep.
--



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: minha foto
FROM: "Alvaro Augusto" <lunabay@lunabay.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 18:31

Nem tanto... aposto que a foto é da irmã mais nova dela...:-)

[ ]s

Alvaro Augusto


----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, November 10, 2003 4:33 PM
Subject: Re: [ciencialist] Re: minha foto



http://profiles.yahoo.com/adriana_rohatsko

Beijos,
Adriana

Léo: Nada mal! nada mal!




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: TELEFONIA ANTIGA
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 18:51

Homero:
Natália disse que vc. ganhou SÓ a duche e a dormida POIS tem dois filhos.
ora, convenhamos, esses filhos ficam em casa o tempo todo?
Nenhuma alternativa??? Pouca imaginação....

sds.,
silvio.

Maria Natália" admirada e hospitaleira

Muito boa! Gostei e ganhaste a estadia em Lisboa durante a próxima
astrofesta nacional, 2004.
Só a dormida e o duche pois tenho dois filhos e dormes num dos
quartos deles...Estamos numa crise de massas.
Agora só falata meteres as barabatana ou as asas e vir até aqui.
LOLLLLLLLLLLLLLLLLLL
um abraço
Maria Natália
--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá Maria Natalia
>
> Se forem brasileiros esotericos, então escavaram até os mil
metros, e nada encontrando, declararam que os antigos habitantes já
se comunicavam por telepatia..:-)
>
> E olhe que isso não é exatamente uma piada, posso encontrar
esotericos que comprem a história fácil, fácil..:-)
>
> Um abraço.
>
> Homero



SUBJECT: Re: [ciencialist] Fw: Sala antigravidade
FROM: "Alvaro Augusto" <lunabay@lunabay.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 19:02

Fácil: com cavourita!

[ ]s

Alvaro Augusto


----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
To: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, November 10, 2003 6:09 PM
Subject: [ciencialist] Fw: Sala antigravidade


Querem ajudar?
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: Fábio Yamaguchi
Para: leobarretos@uol.com.br
Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 17:34


Como se faz uma sala anti gravidade?

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]





SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 19:23

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
> > Ué, cadê a foto? Não que eu queira espantar algum espírito. hehe.
>
> Eu sei. Você quer espantar os bugs do seu apartamento. :)
>
> http://profiles.yahoo.com/adriana_rohatsko


Linda você, Adriana!

Quem está falando em "nada mal" precisa trocar as lentes dos óculos
urgentemente! :)) E você pelo jeito só espanta por admiração, nada
de espantalho de maus espíritos nem bugs.

Assim, para auxiliar os ciencialisteiros em sua árdua terefa de
realmente espantar espíritos com algúma foto que funcione, visitem
Kali:

http://br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/vwp?.dir=/&.src=gr
&.dnm=ligia4.jpg&.view=t&.done=http%
3a//br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/lst%3f%26.dir=/%
26.src=gr%26.view=t

E para os já eleitos: a "DeUSA":

http://br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/vwp?.dir=/&.src=gr
&.dnm=ligia7.jpg&.view=t&.done=http%
3a//br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/lst%3f%26.dir=/%
26.src=gr%26.view=t

Beijos, Lígia



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 19:31

Como os links longuíssimos vão quebrar, espantem tudo com:

http://br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/lst?.dir=/Deusas&.
src=gr&.view=

A droga é que este daqui também vai quebrar mas enfim, está menor...

Beijos, Lígia



SUBJECT: Re: [ciencialist] Fw: Sala antigravidade
FROM: "Prof. Alberto Ricardo Präss" <arprass@fisica.net>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 19:55

Tem cada coisa ....


abs


Prof. Alberto Ricardo Präss
Diretor de Informática - Grupo Universitário

R. Dr. Flores, 330/50
90020-123 - Porto Alegre, RS
(51) 3225-0966 R. 267
www.universitario.com.br
E-mail: "alberto at universitario dot net"
Web Site Pessoal: www.fisica.net
MSN: arprass@hotmail.com
AIM: asp21alberto
ICQ: 4730660


Se alguma coisa pode dar errado, dará.
E mais, dará errado da pior maneira, no
pior momento e de modo que cause o
maior dano possível.

----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
To: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, November 10, 2003 6:09 PM
Subject: [ciencialist] Fw: Sala antigravidade


Querem ajudar?
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: Fábio Yamaguchi
Para: leobarretos@uol.com.br
Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 17:34


Como se faz uma sala anti gravidade?

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html







SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 20:26

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Prof. Alberto Ricardo Präss"
> Tem cada coisa ....

Ele deve estar imaginando aquelas cabines especiais de avioes em
queda livre.

Nao existem ainda mecanismos *anti*-gravitacionais: a gravidade, tto
qto conhecemos (e temos tecnologia para tto) e' sempre atrativa (nas
condicoes q. estudamos ate' agora -- fora algumas possibilidades
teoricas ainda nao comprovadas). Mas e' possivel criar situacoes de
imponderabilidade -- como a queda livre dentro de um espaco fechado
(q. cai junto) e em orbitas planetarias.

http://microgravityuniversity.jsc.nasa.gov/

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 20:51

Ai...Ai Que estes listeiros não podem ver um rabo de saia...
Agora é que a lista vai bater todos os recordes de mensagens.
Mas gostava de ver as fronhas dos nossos "engenheiros". Serão Tarzan
Fox?
Que raiva...quero ver essas caras e ...o resto.Também temos direito
a ver um bom bocado, não é?
Leo é o que sabe, deus inacessível e o resto pra além do Brudna?
Mostrem-se meninos para donas apreciarem e darem notas. LOLLLLL
Hug
Maria Natália, ansiosa por ver esses Adónis qui bunda por aí

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
>
> http://profiles.yahoo.com/adriana_rohatsko
>
> Beijos,
> Adriana
>
> Léo: Nada mal! nada mal!



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 20:52

Mas é claro: usando paraquedas!!!
LOLLLLLLLLLLLLLLL
Hug
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Querem ajudar?
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: Fábio Yamaguchi
> Para: leobarretos@u...
> Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 17:34
>
>
> Como se faz uma sala anti gravidade?
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] OT - engenheiros...
FROM: Álvaro Antpack <sci@eletro.ufrgs.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 21:44

tem outra: provar que as mulheres trazem o mal.. essa é pros religiosos fundamentalistas...
todos sabemos que mulheres sempre requerem tempo e dinheiro dos pobres homens, então:

mulheres=tempo*dinheiro (1)

sabemos que tempo é dinheiro, então:

tempo=dinheiro (2)

substituindo (2) em (1) vem que:

mulheres=dinheiro^2 (3)

mais uma coisa: sabemos que dinheiro é a raiz de todo o mal, então:

dinheiro=sqrt(mal) (4)

substituindo (4) em (3) temos:

mulheres=(sqrt(mal))^2=mal => mulheres=mal

ou girls=evil, no original em inglês..........

que idiota!....



----- Original Message -----
From: João R. Bonomo
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Monday, November 10, 2003 11:46 AM
Subject: [ciencialist] OT - engenheiros...


Isto chegou na minha caixa de entrada:

Após um rigoroso estudo utilizando a teoria do Caos, renomados
engenheiros
do MIT (utilizando-se das mais recentes teorias da mecânica quântica),
provaram um teorema que você intuitivamente já sabia,mas nunca viu a
demonstração.
Foram precisos anos de faculdade para que você, nobre colega, tivesse
os
conhecimentos para entender as complexas passagens matemáticas deste
estudo.
Partindo dos seguintes postulados, temos:

Postulado 1: Conhecimento é poder (power).

Postulado 2: Tempo é dinheiro.

Como qualquer engenheiro sabe :

Trabalho
(1) --------------- = Potência
Tempo

Potência é o mesmo que "Power" em inglês e "Power" também é Poder,
logo
substituindo em (1) temos :

Trabalho
(2) ---------------- = Poder
Tempo

Como Conhecimento é Poder e Tempo é Dinheiro, conforme os postulados,
substituindo-os em (2), temos:

Trabalho
(3) --------------- = Conhecimento
Dinheiro

Isolando o dinheiro ...

Trabalho
(4) Dinheiro = ------------------
Conhecimento

Assim, com o Conhecimento tendendo a zero, Dinheiro se aproxima do
infinito,
sob um mesmo trabalho feito.

Conclusão: Quanto menos você sabe, mais você ganha, independentemente
da
quantidade de trabalho que executa.

C.Q.D.

Agora, você sabe porque um deputado, um jogador de futebol, uma modelo
gostosona e um pagodeiro trabalham menos e ganham muito mais que
você. Na
próxima encarnação não faça engenharia...




Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: minha foto
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 21:52

Qdo um deus olha para a foto da Adriana e diz: Nada mal! nada mal!, podem confiar no dito. Ele sabe de antemão que a foto é autêntica, assim como a Adriana. Verificando seu 'Age' e ampliando a foto ao extremo dos pixéis, pode-se ver na pele o número de poros 'per square inch' ... totalmente condizente.
Confirmando: Nada mal! Inacessível ... mas, nada mal!

[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Maria Natália" <gogul@megamail.pt>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 20:51
Assunto: [ciencialist] Re: minha foto


Ai...Ai Que estes listeiros não podem ver um rabo de saia...
Agora é que a lista vai bater todos os recordes de mensagens.
Mas gostava de ver as fronhas dos nossos "engenheiros". Serão Tarzan
Fox?
Que raiva...quero ver essas caras e ...o resto.Também temos direito
a ver um bom bocado, não é?
Leo é o que sabe, deus inacessível e o resto pra além do Brudna?
Mostrem-se meninos para donas apreciarem e darem notas. LOLLLLL
Hug
Maria Natália, ansiosa por ver esses Adónis qui bunda por aí

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
>
> http://profiles.yahoo.com/adriana_rohatsko
>
> Beijos,
> Adriana
>
> Léo: Nada mal! nada mal!





SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 22:18

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Ligia Amorese"
<ligia5555@y...> escreveu
> Linda você, Adriana!

Você que é linda Ligia! :)

Eu adorei sua foto como Kali.

> Assim, para auxiliar os ciencialisteiros em sua árdua terefa de
> realmente espantar espíritos com algúma foto que funcione, visitem
> Kali:

Você está segurando a cabeça de algum homem ignorante? :)

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: TELEFONIA ANTIGA
FROM: "Sergio M M Taborda" <sergiotaborda@netcabo.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 22:24


----- Original Message -----
From: "Luiz Ferraz Netto"

>Léo: Para que serve esse 'duche' em Lisboa? Enfeite? Saudosismo?

Para que serve um chuveiro electrico ? Enfeite ? Electrochoque ?
HA! não, é para tomar banho. (e não me venham com aquela que banho só se
toma na baneira.)

Sérgio Taborda


SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: minha foto
FROM: "Alvaro Augusto - Luna Bay" <lunabay@lunabay.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 10/11/2003 22:48


----- Original Message -----
From: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>



> Você está segurando a cabeça de algum homem ignorante? :)

> Beijos,
> Adriana

hehe..., nada como uma visita à Amazônia de vez em quando para manter o
sonho vivo!

[ ]s

Alvaro Augusto



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 23:07

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> Nao existem ainda mecanismos *anti*-gravitacionais: a gravidade,
tto
> qto conhecemos (e temos tecnologia para tto) e' sempre atrativa
(nas
> condicoes q. estudamos ate' agora -- fora algumas possibilidades
> teoricas ainda nao comprovadas). Mas e' possivel criar situacoes de
> imponderabilidade -- como a queda livre dentro de um espaco fechado
> (q. cai junto) e em orbitas planetarias.
>
> http://microgravityuniversity.jsc.nasa.gov/

Mesmo na NASA os astronautas não utilizam muito essa técnica pelo
alto custo. Na maior parte do tempo eles treinam e brincam dentro de
uma piscina.

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 23:16

Olá Maria Natália,

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Que raiva...quero ver essas caras e ...o resto.Também temos direito
> a ver um bom bocado, não é?
> Leo é o que sabe, deus inacessível e o resto pra além do Brudna?
> Mostrem-se meninos para donas apreciarem e darem notas. LOLLLLL
> Hug
> Maria Natália, ansiosa por ver esses Adónis qui bunda por aí

Esse assunto também é recorrente e eu não sabia. Olha os homens aqui.

http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/25012

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 10/11/2003 23:29

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alvaro Augusto - Luna Bay"
<lunabay@l...> escreveu
>
> ----- Original Message -----
> From: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@y...>
> To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
>
> > Você está segurando a cabeça de algum homem ignorante? :)
> >
>
> hehe..., nada como uma visita à Amazônia de vez em quando para
> manter o sonho vivo!

Como assim? :)
Aposto é mais uma piada maliciosa e machista que eu ainda não
consegui captar. :p

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: minha foto
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 00:15

A Jovem Elektra term todos os quisitos para pertencer à Seita do Nada, como
Neófita Júnior, primeira classe.
Silvio, GSA.:.

Alvaro Augusto" wrote:
> Nem tanto... aposto que a foto é da irmã mais nova dela...:-)
>
> [ ]s
>
> Alvaro Augusto



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: minha foto
FROM: "Alvaro Augusto - Luna Bay" <lunabay@lunabay.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 00:59

http://www.whoosh.org/issue12/ruffel3.html#listing

[ ]s

Alvaro Augusto


----- Original Message -----
From: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Monday, November 10, 2003 11:29 PM
Subject: [ciencialist] Re: minha foto


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Alvaro Augusto - Luna Bay"
<lunabay@l...> escreveu
>
> ----- Original Message -----
> From: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@y...>
> To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
>
> > Você está segurando a cabeça de algum homem ignorante? :)
> >
>
> hehe..., nada como uma visita à Amazônia de vez em quando para
> manter o sonho vivo!

Como assim? :)
Aposto é mais uma piada maliciosa e machista que eu ainda não
consegui captar. :p

Beijos,
Adriana





SUBJECT: Re: TELEFONIA ANTIGA
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 02:56

Mas a telefónica...ai. Não percebo.
Eles vão dormir os 3 no mesmo quarto!Eu durmo com a Ciência quando
tenho visitas...Pois queriam saber destas noites loukas da Natália?
E estais a ver as horas em Portugal? Vai aqui uma orgia científico
astronómica que nem calculam. Só deus sabe. Claro Leo está pairando
em espírito por aqui.
LOLLLLLLLLLLLLLLLLLL
Não dá hipótese. A não ser que a imaginação já por diversas vezes
aqui demonstrada na lista se venha a manisfestar mais uma vez.
sai um poema Takata aqui para adoçar a minha noite.Tenho um vampiro
a sobrevoar o meu desk. SOS
Boas noites, cavalheiros
Maria Natália
Apenas 80 primaveras

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Homero:
> Natália disse que vc. ganhou SÓ a duche e a dormida POIS tem dois
filhos.
> ora, convenhamos, esses filhos ficam em casa o tempo todo?
> Nenhuma alternativa??? Pouca imaginação....
>
> sds.,
> silvio.
>
> Maria Natália" admirada e hospitaleira
>
> Muito boa! Gostei e ganhaste a estadia em Lisboa durante a próxima
> astrofesta nacional, 2004.
> Só a dormida e o duche pois tenho dois filhos e dormes num dos
> quartos deles...Estamos numa crise de massas.
> Agora só falata meteres as barabatana ou as asas e vir até aqui.
> LOLLLLLLLLLLLLLLLLLL
> um abraço
> Maria Natália
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
> escreveu
> > Olá Maria Natalia
> >
> > Se forem brasileiros esotericos, então escavaram até os mil
> metros, e nada encontrando, declararam que os antigos habitantes já
> se comunicavam por telepatia..:-)
> >
> > E olhe que isso não é exatamente uma piada, posso encontrar
> esotericos que comprem a história fácil, fácil..:-)
> >
> > Um abraço.
> >
> > Homero



SUBJECT: FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Jose Colucci Jr. \(Home\)" <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 03:11

Oi Horácio, Manuel e demais listeiros,

Enquanto o moderador cochila, continuemos. Esta é uma discussão em que
os pontos de vista são complementares, não antagônicos. Me corrijam se
eu estiver errado, mas parece que caminhamos para a conclusão de que a
causa da animosidade entre pessoas, a divisão do mundo entre "eles" e
"nós", é a crença em verdades não sujeitas à verificação. São porque
são. A natureza dessas verdades pode ser religiosa (judeus e cristãos
são
cães infiéis), filosófica (a religião - exceto a de Marx - é o ópio do
povo ou os comunistas comem criancinhas), futebolísticas (palmeirenses
são porcos), raciais (os negros são inferiores), étnicas (argentinos são
arrogantes), físicas (os carecas são mais atraentes. OK. Essa eu
inventei.), etc.

Separar o mundo entre "nós" e "eles" é algo firmemente implantado na
natureza humana. Talvez tenha propósitos evolutivos. Mas o que funcionou
durante milhares de anos para manter a coesão de pequenas tribos
tornou-se perigoso no mundo globalizado. E o mundo globalizado não
começou no século vinte, mas bem antes, com o
deslocamento de uma massa significativa de indivíduos de um lugar para
outro por causa de guerras, viagens de exploração ou fuga de desastres
naturais ou provocados. A tecnologia que possibilitou os meios de
transporte e as armas evoluiu bem mais rapidamente do que a mentalidade
tribal. Sempre que posso, e não faço exceção aqui, recomendo o livro
"Guns, germs and steel", de Jared Diamond. Nenhum outro livro me ajudou
tanto a entender a cultura humana e a base física e tecnológica para
esta.

A maioria dos condicionamentos tribais foi domesticada pela civilização
moderna. Assumiram formas menos perigosas, como Fla x Flu, Mangueira x
Salgueiro, olimpíadas, etc. E civilização é isso, senão estaríamos
disputando a mulher do próximo na porrada. Um deles, porém, permaneceu
na plenitude de sua força destruidora. É o condicionamento religioso,
que o Dawkins chamaria de "meme" religioso. "Os nosso deus é mais
poderoso do que o de vocês". Coloco o marxismo entre esses "memes". É a
religião sem Deus. Alguns colocariam também o capitalismo, dizendo que
seu deus todo-poderoso é o mercado. Pode ser, mas caracterizar o
capitalismo como religião exige um contorcionismo mental bem maior. No
marxismo, a denominação serve como uma luva.

Não há exemplo histórico algum de religião que deixou de existir, ou que
se transformou rapidamente, por vontade livre de seus adeptos. Uma vez
criadas, as religiões cristalizam-se num corpo de conhecimentos e
tradições que só mudam por influência de fatores externos, sejam esses
perseguições religiosas, pressões sociais, fatores econômicos, etc. Não
fossem pressões sociais e econômicas, a igreja católica ainda estaria
achando que a Terra é o centro do universo. A sociedade contemporânea
dominou a força mobilizadora das grandes religiões, reformando-as, mas
ainda continua prestando a elas mais reverência do que mereceriam, dado
o seu histórico de realizações. Basta lembrar que desrespeitar um
símbolo religioso é crime. O pastor evangélico que chutou a imagem de
Nossa Senhora que o diga. Normalmente, as religiões são mais vivas e
atuantes quanto mais novas forem. Das grandes religiões, a única que
ainda está viva e atuante é o islamismo, justamente por ser a mais
recente. Não há muçulmano no planeta que não acredite que o desejo de
Alá é converter todos os seres humanos para a única e verdadeira
religião. A divergência é apenas quanto aos métodos a serem utilizados.

O Horácio citou o legado de Thomas Jefferson e da influência humanista e
civilizadora da constituição americana (que influenciou a francesa). Só
que Benjamin Franklin (amigo de Voltaire e D'Alembert), Thomas Payne,
Jefferson e outros constitucionalistas americanos também tiveram que
fazer compromissos. No parágrafo de abertura da Constituição Americana
que diz: "We hold these truths to be self-evident, that all men are
created equal, that they are endowed by their Creator with certain
unalienable Rights, that among these are Life, Liberty and the pursuit
of Happiness…”, Jefferson, em linha com o seu pensamento unitarista
radical, havia escrito "God of Nature" em vez de "Creator", referindo-se
ao deus de Spinoza. Acabou tendo de botar "Creator" na versão final.

Eu, pessoalmente, acho que a religião nunca irá desaparecer por
completo. Há pesquisas que indicam uma tendência inata dos seres humanos
de acreditar no sobrenatural, talvez vinda do fato de sermos mamíferos.
É um resquício de infantilidade que permanece nos adultos - a
necessidade de um "pai" que é responsável por tudo e, em alguns casos,
intercede em favor de seus filhos e também aceita pedidos deles. O que
peço é que me deixem em paz e não me discriminem por não acreditar em
Deus, mas isso, já vimos, é contrário à essência das religiões.

Abraço,
Colucci










---
Outgoing mail is certified Virus Free.
Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.534 / Virus Database: 329 - Release Date: 10/31/2003




SUBJECT: FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 03:17

Desculpem lá mas eu até me assustei.
Pensei que o futebol estava a invadir a lista e que alguém estava a
propor um jogo amigável de futebol estilo solteiros versus casados a
terminar à sarrafada para se tirar a limpo algumas dúvidas e quiça
lavar alguma roupa suja...
Mas façam favor de discutir enquanto o árbitro está em vacanças e o
campeonato em defeso.
Maria Natália, massagista da equipa.
Onde pára aquela enfermeira jeitosinha da lista? LOLLLLLLLLLL


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci Jr. \(Home\)"
<j.colucci@r...> escreveu
> Oi Horácio, Manuel e demais listeiros,
>
> Enquanto o moderador cochila, continuemos. Esta é uma discussão em
que
> os pontos de vista são complementares, não antagônicos. Me
corrijam se
> eu estiver errado, mas parece que caminhamos para a conclusão de
que a
> causa da animosidade entre pessoas, a divisão do mundo
entre "eles" e
> "nós", é a crença em verdades não sujeitas à verificação. São
porque
> são. A natureza dessas verdades pode ser religiosa (judeus e
cristãos
> são
> cães infiéis), filosófica (a religião - exceto a de Marx - é o
ópio do
> povo ou os comunistas comem criancinhas), futebolísticas
(palmeirenses
> são porcos), raciais (os negros são inferiores), étnicas
(argentinos são
> arrogantes), físicas (os carecas são mais atraentes. OK. Essa eu
> inventei.), etc.
>
> Separar o mundo entre "nós" e "eles" é algo firmemente implantado
na
> natureza humana. Talvez tenha propósitos evolutivos. Mas o que
funcionou
> durante milhares de anos para manter a coesão de pequenas tribos
> tornou-se perigoso no mundo globalizado. E o mundo globalizado não
> começou no século vinte, mas bem antes, com o
> deslocamento de uma massa significativa de indivíduos de um lugar
para
> outro por causa de guerras, viagens de exploração ou fuga de
desastres
> naturais ou provocados. A tecnologia que possibilitou os meios de
> transporte e as armas evoluiu bem mais rapidamente do que a
mentalidade
> tribal. Sempre que posso, e não faço exceção aqui, recomendo o
livro
> "Guns, germs and steel", de Jared Diamond. Nenhum outro livro me
ajudou
> tanto a entender a cultura humana e a base física e tecnológica
para
> esta.
>
> A maioria dos condicionamentos tribais foi domesticada pela
civilização
> moderna. Assumiram formas menos perigosas, como Fla x Flu,
Mangueira x
> Salgueiro, olimpíadas, etc. E civilização é isso, senão estaríamos
> disputando a mulher do próximo na porrada. Um deles, porém,
permaneceu
> na plenitude de sua força destruidora. É o condicionamento
religioso,
> que o Dawkins chamaria de "meme" religioso. "Os nosso deus é mais
> poderoso do que o de vocês". Coloco o marxismo entre
esses "memes". É a
> religião sem Deus. Alguns colocariam também o capitalismo, dizendo
que
> seu deus todo-poderoso é o mercado. Pode ser, mas caracterizar o
> capitalismo como religião exige um contorcionismo mental bem
maior. No
> marxismo, a denominação serve como uma luva.
>
> Não há exemplo histórico algum de religião que deixou de existir,
ou que
> se transformou rapidamente, por vontade livre de seus adeptos. Uma
vez
> criadas, as religiões cristalizam-se num corpo de conhecimentos e
> tradições que só mudam por influência de fatores externos, sejam
esses
> perseguições religiosas, pressões sociais, fatores econômicos,
etc. Não
> fossem pressões sociais e econômicas, a igreja católica ainda
estaria
> achando que a Terra é o centro do universo. A sociedade
contemporânea
> dominou a força mobilizadora das grandes religiões, reformando-as,
mas
> ainda continua prestando a elas mais reverência do que mereceriam,
dado
> o seu histórico de realizações. Basta lembrar que desrespeitar um
> símbolo religioso é crime. O pastor evangélico que chutou a imagem
de
> Nossa Senhora que o diga. Normalmente, as religiões são mais vivas
e
> atuantes quanto mais novas forem. Das grandes religiões, a única
que
> ainda está viva e atuante é o islamismo, justamente por ser a mais
> recente. Não há muçulmano no planeta que não acredite que o desejo
de
> Alá é converter todos os seres humanos para a única e verdadeira
> religião. A divergência é apenas quanto aos métodos a serem
utilizados.
>
> O Horácio citou o legado de Thomas Jefferson e da influência
humanista e
> civilizadora da constituição americana (que influenciou a
francesa). Só
> que Benjamin Franklin (amigo de Voltaire e D'Alembert), Thomas
Payne,
> Jefferson e outros constitucionalistas americanos também tiveram
que
> fazer compromissos. No parágrafo de abertura da Constituição
Americana
> que diz: "We hold these truths to be self-evident, that all men are
> created equal, that they are endowed by their Creator with certain
> unalienable Rights, that among these are Life, Liberty and the
pursuit
> of Happiness…", Jefferson, em linha com o seu pensamento unitarista
> radical, havia escrito "God of Nature" em vez de "Creator",
referindo-se
> ao deus de Spinoza. Acabou tendo de botar "Creator" na versão
final.
>
> Eu, pessoalmente, acho que a religião nunca irá desaparecer por
> completo. Há pesquisas que indicam uma tendência inata dos seres
humanos
> de acreditar no sobrenatural, talvez vinda do fato de sermos
mamíferos.
> É um resquício de infantilidade que permanece nos adultos - a
> necessidade de um "pai" que é responsável por tudo e, em alguns
casos,
> intercede em favor de seus filhos e também aceita pedidos deles. O
que
> peço é que me deixem em paz e não me discriminem por não acreditar
em
> Deus, mas isso, já vimos, é contrário à essência das religiões.
>
> Abraço,
> Colucci
>
>
>
>
>
>
>
>
>
>
> ---
> Outgoing mail is certified Virus Free.
> Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
> Version: 6.0.534 / Virus Database: 329 - Release Date: 10/31/2003



SUBJECT: Re: Estudo da Situação do Professor Brasileiro
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 04:12

Agradeço-te Sílvio.
Só falta agora no meio dos meus projectos arranjar uma hora para ler.
Vai até servir para o meu orientador de tese saber umas coisas e
confirmar outras.
Um abraço
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> transcrevo do ciência e cidadania:
>
> Publicação traz informações sobre remuneração, escolaridade dos
> docentes,
> cursos de formação e mercado de trabalho
>
> O Brasil tem mais de 2,6 milhões de professores na educação básica
e
> Superior,
> responsáveis pela educação de 57,7 milhões de brasileiros. Cerca
de
> 80% dos
> docentes de ensino infantil, fundamental e médio atuam em escolas
> públicas e
> 15% do total estão em escolas rurais. Na educação superior, eles
> totalizam 220
> mil.
>
> Os dados fazem parte do estudo Estatísticas dos Professores no
Brasil,
> produzido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas
Educacionais
> Anísio
> Teixeira (Inep/MEC), com base em dados do Censo Escolar, Censo da
> Educação
> Superior, Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb)
e
> Pesquisa
> Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad/IBGE). O texto está
disponível
> no
> endereço http://www.inep.gov.br/estatisticas/professor2003/ e
apresenta
> uma
> radiografia bastante ampla da situação do docente brasileiro.
>
> O estudo mostra que um professor que atua na educação infantil
ganha,
> em média,
>
> R$ 423. Docentes que lecionam em turmas de 1ª a 4ª série recebem
R$ 462
> e de 5ª
>
> a 8ª, R$ 600. Já um professor que atua no nível médio ganha, em
média,
> R$ 866.
>
> Em relação à infra-estrutura, 45% dos profissionais de educação
> trabalham em
> escolas públicas sem biblioteca, 74% em estabelecimentos sem
> laboratório de
> informática e cerca de 80% não contam com laboratórios de
ciências.
>
> O número de homens e mulheres e o tempo de dedicação ao trabalho
variam
> de
> acordo com a disciplina e o nível de ensino. Na 4ª série do ensino
> fundamental,
>
> as mulheres representam mais de 90% do quadro profissional no
País, nas
> disciplinas de Português e de Matemática. Já na 3ª série do ensino
> médio, em
> Matemática, os homens somam 55% dos docentes.
>
> Os professores com maior carga horária estão na 3ª série do ensino
> médio, em
> Língua Portuguesa: 25% deles trabalham mais de 40 horas semanais.
A
> maioria dos
>
> docentes tem carga de trabalho semanal superior a 20 horas.
>
> Professor da educação infantil ganha até 20 vezes menos que um
juiz
>
> A remuneração de um professor do ensino médio, de R$ 866, é quase
a
> metade do
> salário de um policial civil e um quarto do que ganha um delegado
de
> polícia no
>
> Brasil. Entre o menor salário, o de professor da educação
infantil, e o
> de
> juiz, a diferença chega a ser de 20 vezes.
>
> As diferenças salariais também são marcantes entre os professores
nas
> diversas
> regiões do País, sendo que os menores rendimentos estão no Norte e
> Nordeste. Um
>
> professor da Região Sudeste ganha, em média, duas vezes mais que
seu
> colega da
> Região Nordeste. Na educação infantil, por exemplo, o professor do
> Sudeste
> ganha R$ 522 e o do Nordeste, R$ 232. No ensino fundamental de 5ª
a 8ª
> séries
> os salários são R$ 793 e 373, respectivamente nas Regiões Sudeste
e
> Nordeste.
>
> Segundo o estudo, o salário dos professores é o índice de maior
peso no
> cálculo
>
> do custo do aluno. Como a maioria dos professores da Educação
Básica
> encontra-se na rede pública, totalizando 85% das funções docentes,
isso
> implica
>
> na necessidade de uma reformulação da política de financiamento.
>
> 45% dos docentes lecionam em escolas sem biblioteca
>
> As condições de trabalho em relação à infra-estrutura das escolas
da
> educação
> básica variam de acordo com a região sendo, de modo geral,
> insuficientes. Nas
> escolas públicas brasileiras, 45% dos professores atuam em escolas
sem
> biblioteca. Na Região Nordeste, essa é a realidade para 66% dos
> mestres.
> A existência de laboratório de Ciências, para aulas práticas,
> configura-se no
> pior indicador de infra-estrutura. No País, 80% dos docentes
trabalham
> em
> escolas que não contam com esse suporte pedagógico. Nas Regiões
Norte e
> Nordeste, esta situação atinge 94% dos profissionais.
>
> O número de alunos por turma também é considerado elevado em todos
os
> níveis de
>
> ensino. Na creche, por exemplo, a média é de quase 18 alunos por
turma.
> No
> ensino médio é de mais de 37 sendo que mais de 20% das turmas
desse
> nível de
> ensino no País possui mais de 40 alunos.
>
> Em relação ao tempo de dedicação ao magistério, a maioria dos
docentes
> tem
> carga horária semanal superior a 20 horas. Na 3ª série do ensino
médio,
> quase
> 25% dos professores de Língua Portuguesa e Matemática estão
submetidos
> a uma
> carga horária superior a 40 horas.
>
> "Independentemente da causa, a dupla ou tripla jornada, com
certeza
> compromete
> o desempenho do professor, pois concorre com outras atividades que
> exigem tempo
>
> adicional para docência: planejamento das atividades em sala de
aula,
> disponibilidade para oferecer atendimento ao aluno e atividades
> administrativas
>
> relacionadas à escola", afirmam os autores do estudo Estatísticas
dos
> Professores no Brasil.
> Mesmo com avanços, há necessidade de melhoria na escolaridade
>
> A formação dos professores melhorou em todos os níveis de ensino e
> houve
> redução dos professores leigos na última década. Contudo, afirma o
> estudo,
> "apenas 57% dos docentes que atuavam na pré-escola, ensino
fundamental
> e ensino
>
> médio, possuíam formação em nível superior, que seria aquela
ideal".
>
> Na pré-escola, por exemplo, 27% dos 259 mil docentes tinha nível
> superior, em
> 2002, contra 17%, em 1991. O índice de profissionais com o
fundamental
> incompleto caiu de 6% para apenas 1%, nesse período. Considerando
a
> formação
> exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) -

> magistério
> ou licenciatura - 91% dos professores que atuam nesse nível de
ensino
> possuem a
>
> formação adequada.
> No ensino médio, das 469 mil funções docentes, 89% têm a graduação
> completa e
> 79% deles a licenciatura. Neste nível de ensino, no entanto,
quase 11%
> dos
> docentes ainda possui somente o ensino médio completo, indicando a
> necessidade
> de maiores investimentos em formação.
>
> Na educação superior, do total de professores em 2001, 54% tinha
> mestrado ou
> doutorado concluídos, 31% possui especialização e cerca de 15%
> concluíram
> somente a graduação. Em 1991, o percentual de mestres e doutores
era
> de 35%,
> 19 pontos percentuais menor.
>
> Crescimento da licenciatura não supera demanda por professores
>
> Nos últimos anos, o número de ingressos nos cursos de graduação
que
> oferecem
> licenciatura mais que dobrou passando de 166 mil, em 1991, para
362
> mil, em
> 2002. Neste período a matrícula cresceu de 556 mil para 1.059 mil
e o
> número de
>
> cursos passou de 2.512 para 5.880, com uma grande participação da
rede
> pública,
>
> que concentra 3.116 cursos.
>
> Apesar do aumento no número de licenciados, a estimativa de novos
> postos para
> atendimento das metas do PNE mostra que haverá carência de mão-de-
obra
> até
> 2006. O problema deverá ser maior para as séries finais do ensino
> fundamental e
>
> para o ensino médio, principalmente nas áreas de Física e
Química.
> Formação continuada - Em geral, mais de 80% dos professores da
educação
> básica,
>
> de acordo com dados do Saeb, participaram de formação continuada
nos
> últimos
> dois anos. Essa realidade é similar para todas as regiões do País.
>
> No entanto, o cruzamento dessa informação com os resultados
alcançados
> pelos
> alunos nas provas de Língua Portuguesa e Matemática do Saeb indica
que
> os
> cursos de formação continuada aparentemente apresentam pouco
impacto no
> desempenho dos alunos. Segundo o estudo, isso indica "a
necessidade de
> ampliar
> as pesquisas nessa área e, eventualmente, reorganizar esses
cursos,
> redefinindo
>
> seus objetivos e métodos".
>
> Formação dos docentes é mais precária na zona rural
>
> Lecionam em escolas da área rural brasileira cerca de 354 mil
docentes,
> 15% do
> total. O campo concentra cerca de 50% dos estabelecimentos de
ensino de
> educação básica, 107 mil, e apenas 14% dos estudantes. As escolas
são,
> geralmente, pequenas e com um único professor que trabalha com
turmas
> multisseriadas.
> Em função dessas características, o quadro de carência de pessoal
> qualificado
> no meio rural é ainda mais crítico do que na zona urbana. No
Brasil,
> cerca de
> 9% dos docentes da zona rural que atuam nas séries iniciais do
ensino
> fundamental têm formação superior. Na zona urbana esse contingente
> representa
> 38%.
> As Regiões Norte e Nordeste apresentam situação ainda mais
> problemática. Na
> Norte, menos de 1% dos professores das séries iniciais do ensino
> fundamental
> têm a graduação enquanto na Região Sul chega-se a 23%. Por outro
lado,
> o
> quantitativo de docentes leigos neste nível de ensino na Região
Norte é
> de 12%
> e de 4% para a Sul.
>
> Censo permitirá conhecer o número de professores por disciplina
>
> Um número ainda desconhecido nas estatísticas educacionais do País
será
> revelado no Censo dos Profissionais do Magistério: a quantidade de
> professores
> por disciplina da educação básica. Com isso, será possível
detectar a
> real
> demanda de docentes nas escolas. O levantamento começa a ser
realizado
> em
> novembro, e sua divulgação está prevista para o próximo ano.
>
> Para coletar as informações, o Inep enviará cerca de 2,5 milhões
de
> formulários
>
> a 212 mil escolas públicas e privadas. Com o Censo, será
conhecido,
> além do
> perfil do professor, a prática pedagógica e os recursos
disponíveis
> para a
> realização do trabalho docente.
>
> O levantamento também vai apresentar com maior exatidão os
salários
> pagos aos
> professores e aos demais trabalhadores do setor. Possibilitará,
ainda,
> a
> elaboração de um cadastro para Sistema Nacional de Certificação e
> Formação
> Continuada de Professores.
>
> Deverão responder ao Censo os profissionais que exerçam alguma
função
> docente
> ou de suporte pedagógico direto na escola. Quem atua em mais de um
> estabelecimento de ensino deverá preencher um formulário em cada
> escola. O
> cruzamento dos dados será feito pelo próprio Inep.
> --
>
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: minha foto
FROM: Erich Weick <erich_weick@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 08:19

Tem certeza de que quer isso Maria Natália?
Acho que você pode se decepcionar (ou se assustar!) rs
Abraços.



Maria_Natália <gogul@megamail.pt> wrote:
Ai...Ai Que estes listeiros não podem ver um rabo de saia...
Agora é que a lista vai bater todos os recordes de mensagens.
Mas gostava de ver as fronhas dos nossos "engenheiros". Serão Tarzan
Fox?
Que raiva...quero ver essas caras e ...o resto.Também temos direito a ver um bom bocado, não é?
Leo é o que sabe, deus inacessível e o resto pra além do Brudna?
Mostrem-se meninos para donas apreciarem e darem notas. LOLLLLL
Hug
Maria Natália, ansiosa por ver esses Adónis qui bunda por aí




---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 09:21

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci Jr. \(Home\)"
> É o condicionamento religioso, que o Dawkins chamaria de "meme"
> religioso. "Os nosso deus é mais poderoso do que o de vocês".

Pesquisa da Gallup:

Veículo: Gallup International online
Seção: Gallup International Millennium Survey; Título: "Religion in
the world at the end of the millennium"
Endereço: http://www.gallup-international.com/survey15.htm
Data e horário de acesso: 19/04/2000 21h48 (-3h00 GMT)

religião como caminho da verdade/tolerância religiosa:
apenas uma várias nenhuma
religião religiões religião
verdadeira verdadeiras verdadeira n.s./n.o.
total 31% 46% 10% 13%
E. Oc. 21% 55% 17% 7%
E. Or. 30% 34% 11% 25%
Af. Oc. 62% 31% 2% 5%
SE As. 31% 38% 11% 21%
Am. N 20% 71% 6% 3%
Am. L. 48% 35% 11% 7%

Endereco atual:
http://www.gallup-international.com/ContentFiles/millennium15.asp

Veículo: Gallup Organization online
Seção: Poll Releases; Título: "Americans Remain Very Religious, but
Not Necessarily in Conventional Ways "
Endereço: http://www.gallup.com/poll/releases/pr991224.asp
Data e horário de acesso: 20/04/2000 17h14 (-3h00 GMT)
Autor: Frank Newport

'Você acredita que exista alguma outra religião além da sua que
indique o caminho verdadeiro para Deus?' (baseado em 945 americanos
com uma preferência religiosa: +/- 4%)
75% - sim
20% - não
5% - sem opinião

'(Se sim) você acredita que sua religião é o melhor caminho para Deus
ou são todas igualmente boas?' (baseado em 711 americanos que
acreditam haver outros caminhos para Deus: +/- 4%)
16% - a própria religião é o melhor caminho
82% - são todas igualmente boas
2% - sem opinião

(Acesso somente por assinatura - paga)

Nos paises mais desenvolvidos socialmente (por 'coincidencia' tbm
economicamente), pelo menos, a rixa interreligiao parece nao ter ttos
problemas assim. Mesmo o sentimento anti-ateu q. une os religiosos
tem uma tendencia de declinio ao longo dos anos.

Veículo: The New York Times Magazine (14/01/2001)
Seção: -- ; Título: The Bush years -- Confessions of a lonely atheist
Autor: Natalie Angier
Endereço: http://www.nytimes.com/library/magazine/home/20010114mag-
atheism.html
Data e horário de acesso: 31/01/2001 13h28 (GMT -3h00)

votariam para presidente em um(a)

1999 1978
mulher 92% 76%
negro 95% 73%
judeu 92% 82%
homossexual 59% 26%
ateu 49% 40%

dos americanos.


[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 10:07


Aah.. coitado... :-) ... isso eh comum, quando estava comecando a
aprender ciencia eu achava que existiam essas salas. :-P

Ateh
Luis Brudna

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Querem ajudar?
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: Fábio Yamaguchi
> Para: leobarretos@u...
> Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 17:34
>
>
> Como se faz uma sala anti gravidade?
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 10:22

Professor Luiz,
Eu não acho certo encaminhar um email particular para uma lista sem a
permissão do remetente. Coitadinho, deve ser apenas um menino
interessado em ciências querendo voar e merece nossos incentivo pelo
interesse.
Desculpe minha chatice.

Beijos,
Adriana

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Querem ajudar?
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: Fábio Yamaguchi
> Para: leobarretos@u...
> Enviada em: segunda-feira, 10 de novembro de 2003 17:34
>
>
> Como se faz uma sala anti gravidade?



SUBJECT: concurso para professor em varias areas
FROM: "Itabajara Vaz Junior - UFRGS" <ita@dna.cbiot.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 10:27


oi

a quem interessar possa, a Universidade Estadual de Goiás está com
inscrições abertas até o dia 12 de novembro para concurso para
professor de
várias áreas da ciencia, inclusive area biologica
sao varias vagas
Classe II Especialista 147 vagas
Classe III Mestre 179 vagas
Classe IV Doutor 74 vagas
http://www.administracao.go.gov.br/concursoueg/
__________________________________________________
Itabajara da Silva Vaz Junior
Disciplina de Imunologia Veterinária
Faculdade de Veterinaria e
Centro de Biotecnologia do RS
Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Av. Bento Goncalves 9500 C.P. 15005
Predio 43421 - Campus do Vale
91501-970 Porto Alegre RS Brasil
Fone (51) 33166078 Fax (51)3316-73-09 [00 55 51 3316 7309]
E-mail: ITA@DNA.CBIOT.UFRGS.BR
http://www.ufrgs.br/depbiot/201/cbt201.htm
http://www.ufrgs.br/favet/imunovet



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 10:56

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Professor Luiz,
> Eu não acho certo encaminhar um email particular para uma lista sem
a
> permissão do remetente. Coitadinho, deve ser apenas um menino
> interessado em ciências querendo voar e merece nossos incentivo pelo
> interesse.
> Desculpe minha chatice.


Oi Adriana,

O professor Léo sempre envia mensagens para as quais ele não tem
tempo hábil de elaborar respostas. Normalmente são emails que ele
recebe pela via dos contatos do site Feira de Ciências. Às vezes as
respostas que o povo da lista aqui elabora, servem para serem
reenviadas aos remetentes e é essa a intenção: além de agilizar as
respostas aos consulentes, ainda dá alguma vida aqui prá lista com
temas diversos.

Só não sei se o site já tem alguma seção FAQ por lá. Com certeza
seria interessante elaborar uma lista de perguntas e respostas
frequentes: iria poupar tempo para o consulente e o professor.

Beijos, Lígia



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 11:00

"Toda pergunta é um grito para compreender o mundo." Carl Sagan

Não vejo tanto problema em enviar as perguntas dos visitantes do
site do Leo para a lista. Serve como base para sabermos as
dificuldades e dúvidas dos alunos. Veja que eu mesmo não sabia se
existia ou não a tal ´sala antigravidade´.

O que não ´fica bem´ é usar como chacota.

Várias vezes eu entro em outros fóruns de debates para perceber as
dificuldades em ciência e conceitos mau formados.



Até
Luis Brudna


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Professor Luiz,
> Eu não acho certo encaminhar um email particular para uma lista sem
a
> permissão do remetente. Coitadinho, deve ser apenas um menino
> interessado em ciências querendo voar e merece nossos incentivo pelo
> interesse.
> Desculpe minha chatice.
>
> Beijos,
> Adriana
>



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 11:20

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...> escreveu
> "Toda pergunta é um grito para compreender o mundo." Carl Sagan

"Por q vc nao vai 'a m****?" Re re... Algumas perguntas sao
retoricas -- e suspeito q. boa parte delas (se nao a maioria) o sao.
'As vezes eu me pergunto se as pessoas realmente querem entender o
mundo ou apenas querem q o mundo seja do modo como gostariam q.
fosse -- fazem as perguntas e vao buscar a resposta previamente
estabelecida.

> Várias vezes eu entro em outros fóruns de debates para perceber
> as dificuldades em ciência e conceitos mau formados.

Dificil e' achar foruns de debate estritamente sobre ciencias. Sempre
tem um q. descamba para o lado misticoide. *suspiro*

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 11:26

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...> escreveu
> > "Toda pergunta é um grito para compreender o mundo." Carl Sagan
>
> "Por q vc nao vai 'a m****?" Re re... Algumas perguntas sao
> retoricas -- e suspeito q. boa parte delas (se nao a maioria) o sao.

Imediatamente apos enviar a mensagem lembrei que essa colocacao do
Sagan poderia causar uma certa ´polemica´.

"Voce jah parou de bater em sua mulher!?"



> 'As vezes eu me pergunto se as pessoas realmente querem entender o
> mundo ou apenas querem q o mundo seja do modo como gostariam q.
> fosse -- fazem as perguntas e vao buscar a resposta previamente
> estabelecida.

Certamente faco dessas. :-)


>
> > Várias vezes eu entro em outros fóruns de debates para perceber
> > as dificuldades em ciência e conceitos mau formados.
>
> Dificil e' achar foruns de debate estritamente sobre ciencias.
Sempre
> tem um q. descamba para o lado misticoide. *suspiro*
> Roberto Takata


Entao teremos que ter foruns/discussoes de fisicos-ceticos,
biologos-ceticos, misticos-ceticos... :-)

Ateh
Luis Brudna




SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 11:37

Olá Brudna,

Tudo bem. Mas eu acho que ao encaminhar a mensagem, o professor
poderia tirar do corpo do texto quem enviou a mensagem original ou
pelo menos no site http://www.feiradeciencias.com.br/duvidas.asp
anunciar que o email pode se tornar público.

Não sei se funciona assim no Brasil, mas existem leis de propriedade
intelectual que proíbem o *forward* de mensagens sem autorização.

Beijos,
Adriana



--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...> escreveu
> "Toda pergunta é um grito para compreender o mundo." Carl Sagan
>
> Não vejo tanto problema em enviar as perguntas dos visitantes do
> site do Leo para a lista. Serve como base para sabermos as
> dificuldades e dúvidas dos alunos. Veja que eu mesmo não sabia se
> existia ou não a tal ´sala antigravidade´.
>
> O que não ´fica bem´ é usar como chacota.
>
> Várias vezes eu entro em outros fóruns de debates para perceber
as
> dificuldades em ciência e conceitos mau formados.



SUBJECT: Re: minha foto
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 12:06

Acho que já existe um trabalho que demonstra que as
mulheres...maduras preferem os homens feios (isto é não adonis. Tb
não é mamarrachos LOLLL)Mas com conteúdo mental.Clar e carteira
recheada LOLLLLLLLLLLLLL
Um homem bonito só serve de adorno (desculpa Brudna. Tu ès excepção
que confirma a regra)
Pena é eu estar aqui em Portugal. Se estivesse aí já se teria feito
uma CiencioFesta para nos conhecermos barbudos/as, gordos, feios mas
charmosos, carecas e cabeludos e assim assim...
Aquele abraço
Maria Natália
--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Erich Weick
<erich_weick@y...> escreveu
> Tem certeza de que quer isso Maria Natália?
> Acho que você pode se decepcionar (ou se assustar!) rs
> Abraços.
>
>
>
> Maria_Natália <gogul@m...> wrote:
> Ai...Ai Que estes listeiros não podem ver um rabo de saia...
> Agora é que a lista vai bater todos os recordes de mensagens.
> Mas gostava de ver as fronhas dos nossos "engenheiros". Serão
Tarzan
> Fox?
> Que raiva...quero ver essas caras e ...o resto.Também temos
direito a ver um bom bocado, não é?
> Leo é o que sabe, deus inacessível e o resto pra além do Brudna?
> Mostrem-se meninos para donas apreciarem e darem notas. LOLLLLL
> Hug
> Maria Natália, ansiosa por ver esses Adónis qui bunda por aí
>
>
>
>
> ---------------------------------
> Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta
agora!
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 12:11

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...> escreveu
> "Voce jah parou de bater em sua mulher!?"

Mas se eu apanho dela com toalha molhada! re re.

> > 'As vezes eu me pergunto se as pessoas realmente querem entender
> > o mundo ou apenas querem q o mundo seja do modo como gostariam q.
> > fosse -- fazem as perguntas e vao buscar a resposta previamente
> > estabelecida.
>
> Certamente faco dessas. :-)

Acho q. todos no's acabamos fazendo isso.

> Entao teremos que ter foruns/discussoes de fisicos-ceticos,
> biologos-ceticos, misticos-ceticos... :-)

Eu suspeito q. nao adiantara' muito.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 12:12

Adriana:
Creio ser perigosos incentivar menino/a a tentar fazer disso em casa
ou fora da supervisão de professor ou pais. O outro pensava ser
superhomem e se atirou do guarda vestidos...Olha se era janela de
um, mesmo, que 2º andar? E mesmo experiências em casa como vejo em
sites de química...
Incentivar? Ma non tropo
Hug
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
> escreveu
> > Nao existem ainda mecanismos *anti*-gravitacionais: a gravidade,
> tto
> > qto conhecemos (e temos tecnologia para tto) e' sempre atrativa
> (nas
> > condicoes q. estudamos ate' agora -- fora algumas possibilidades
> > teoricas ainda nao comprovadas). Mas e' possivel criar situacoes
de
> > imponderabilidade -- como a queda livre dentro de um espaco
fechado
> > (q. cai junto) e em orbitas planetarias.
> >
> > http://microgravityuniversity.jsc.nasa.gov/
>
> Mesmo na NASA os astronautas não utilizam muito essa técnica pelo
> alto custo. Na maior parte do tempo eles treinam e brincam dentro
de
> uma piscina.
>
> Beijos,
> Adriana



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 12:17

Brudna:
A ciência é divertida e nada cinzenta. Por isso aqui rimos mas não é
gozação. Sempre se responde e me parece que a criança nem está na
lista. Acho que nem vai ficar marcada pelo meu paraquedas. Aliás
isso só quer dizer que em ciência de "rua", ali no quintal dele, é
impossível.Existe investigação e paper sobre o tema só que não acho
próprio nem se pode fazer em casa...Basta ir ao space.com
Hug
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...> escreveu
> "Toda pergunta é um grito para compreender o mundo." Carl Sagan
>
> Não vejo tanto problema em enviar as perguntas dos visitantes do
> site do Leo para a lista. Serve como base para sabermos as
> dificuldades e dúvidas dos alunos. Veja que eu mesmo não sabia se
> existia ou não a tal ´sala antigravidade´.
>
> O que não ´fica bem´ é usar como chacota.
>
> Várias vezes eu entro em outros fóruns de debates para perceber
as
> dificuldades em ciência e conceitos mau formados.
>
>
>
> Até
> Luis Brudna
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
> <adriana_rohatsko@y...> escreveu
> > Professor Luiz,
> > Eu não acho certo encaminhar um email particular para uma lista
sem
> a
> > permissão do remetente. Coitadinho, deve ser apenas um menino
> > interessado em ciências querendo voar e merece nossos incentivo
pelo
> > interesse.
> > Desculpe minha chatice.
> >
> > Beijos,
> > Adriana
> >



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 12:26

E não existe essa lei em Portugal.
E nestas listas se parte do princípio que são públicas. Assim sendo
voam de desk em desk. Claro que nós costumamos pedir autorrização
para usar. Mas nós podemos até estar aqui e a tirar ideias para
estratégias de ensino. Se eu não quero que saibas tanto como eu
ponho o meu documento na minha sociedade científica e apresentu-o- A
partir daí estou protegida e esse outro que tentar obter prémio
Nobel, está mal. As Sociedades científicas estão alerta: a
certificação é feita por elas.SPF, SPQ, SPA,SPM etc
Quantos já não plagiaram trabalhos do professor Leo e sem uma única
refer~encia? Quantos não se estao a servir de nós para terem a a
papinha toda feita?
E quantos professores num Laissez faire laissez passer e como
mercenários até avaliam copy paste?
No fundo é o chá que se recebeu em pequenino que conta sempre. E o
verniz às vezes estala.

Hug
Maria Natália--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana
Rohatsko" <adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Olá Brudna,
>
> Tudo bem. Mas eu acho que ao encaminhar a mensagem, o professor
> poderia tirar do corpo do texto quem enviou a mensagem original ou
> pelo menos no site http://www.feiradeciencias.com.br/duvidas.asp
> anunciar que o email pode se tornar público.
>
> Não sei se funciona assim no Brasil, mas existem leis de
propriedade
> intelectual que proíbem o *forward* de mensagens sem autorização.
>
> Beijos,
> Adriana
>
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...> escreveu
> > "Toda pergunta é um grito para compreender o mundo." Carl Sagan
> >
> > Não vejo tanto problema em enviar as perguntas dos visitantes
do
> > site do Leo para a lista. Serve como base para sabermos as
> > dificuldades e dúvidas dos alunos. Veja que eu mesmo não sabia
se
> > existia ou não a tal ´sala antigravidade´.
> >
> > O que não ´fica bem´ é usar como chacota.
> >
> > Várias vezes eu entro em outros fóruns de debates para
perceber
> as
> > dificuldades em ciência e conceitos mau formados.



SUBJECT: Re: Sala antigravidade (e perguntas)
FROM: "brudna" <luis@ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 12:35

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Brudna:
> A ciência é divertida e nada cinzenta.

Eu que o diga. :-) Nao eh pra menos que me divirto fazendo o ´Humor
na ciencia´ ( http://www.humornaciencia.hpg.com.br ). Alias... to
ficando chateado de nao ter tempo pra colocar mais coisas por lah. :-/


> Por isso aqui rimos mas não é
> gozação.
> Sempre se responde e me parece que a criança nem está na
> lista.

Nao raro as perguntas provenientes do site pro Prof Leo tambem sao
objeto de duvida por aqui. Nao sei como o Leo repassa as informacoes
circuladas aqui para os consultentes.


> Acho que nem vai ficar marcada pelo meu paraquedas. Aliás
> isso só quer dizer que em ciência de "rua", ali no quintal dele, é
> impossível.

??

>Existe investigação e paper sobre o tema só que não acho
> próprio nem se pode fazer em casa...Basta ir ao space.com
> Hug
> Maria Natália

2o ?? Boa parte de suas mensagens me causam estranheza na leitura.
Eh soh eu que nao entendo? Eh sua forma de escrever? Diferenca entre
Portugal e Brasil?

Poderia ser menos enigmatica e mais direta em suas respostas?
(desculpe pela sinceridade) ;-)

Ateh
Luis Brudna



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 12:41

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...> escreveu
> > "Voce jah parou de bater em sua mulher!?"
>
> Mas se eu apanho dela com toalha molhada! re re.
>
> > > 'As vezes eu me pergunto se as pessoas realmente querem
entender
> > > o mundo ou apenas querem q o mundo seja do modo como gostariam
q.
> > > fosse -- fazem as perguntas e vao buscar a resposta previamente
> > > estabelecida.
> >
> > Certamente faco dessas. :-)
>
> Acho q. todos no's acabamos fazendo isso.
>
> > Entao teremos que ter foruns/discussoes de fisicos-ceticos,
> > biologos-ceticos, misticos-ceticos... :-)
>
> Eu suspeito q. nao adiantara' muito.


Hum, mas que baixo astral... afe! O problema com as perguntas e
respostas é que elas refletem curiosidade sim mas se o gajo estiver
mesmo a fim de entender, ele nem se dá ao trabalho de perguntar para
mais alguém. Ele mesmo busca. Isso porque um cético mesmo não se
satisfaz com respostas dadas pelos outros, ele se satisfaz com
evidências.

E já que uma boa dose de FÉ é necessária para aceitar o que mais
alguém fale a respeito de um assunto, vai ver que é por isso que
existem tantos crédulos dentro de listas céticas, simplesmente porque
as evidências que se podem apresentar nessas circunstâncias são
feitas com bases na crença no que outros dizem... Daí, descambar
para o misticismo é um pulo... ;)

Beijos, Lígia



SUBJECT: Fw: Parabéns!
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 12:51

Adriana et al,

Divido com vcs.

E sobre colocar as dúvidas de consulentes nessa C-list já há as opiniões declaradas. Continuarei, a menos que haja imposição dos companheiros.

[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "doc33" <doc33@bol.com.br>
Para: <leobarretos@uol.com.br>
Enviada em: terça-feira, 11 de novembro de 2003 11:25
Assunto: Parabéns!


Interessei-me por eletrônica e há algumas
semanas procuro por esquemas de circuitos simples para
tentar praticar , tendo encontrado pouca coisa.
Hoje achei o seu site , que me fez ficar
verdadeiramente emocionado com o que vi. O senhor é um
bom homem! Parabéns! Muitos Parabéns !


Jean Hamilton


__________________________________________________________________________
Acabe com aquelas janelinhas que pulam na sua tela.
AntiPop-up UOL - É grátis!
http://antipopup.uol.com.br/




SUBJECT: FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 12:52

Salve, Colucci!

Gostei muito do seu texto. Quando tiver um tempinho, apresentarei
minhas "objeções". Por ora, vou comentar apenas uma de suas
afirmações:

Colucci: Coloco o marxismo entre esses "memes". É a religião sem
Deus. Alguns colocariam também o capitalismo, dizendo que seu deus
todo-poderoso é o mercado. Pode ser, mas caracterizar o capitalismo
como religião exige um contorcionismo mental bem maior.

Manuel: Na lista da SBCR, fiz um "contorcionismo mental" para
demonstrar isso: que a ideologia do capitalismo tem um núcleo
religioso. Não sei se fui convincente. Transcrevo abaixo o texto:

Não faço do desenvolvimento econômico um objeto de culto, não
idolatro o capital (dinheiro ao qual se soma mais dinheiro 'ad
aeternum'), não sou adepto da religião do progresso.

Não tenho nenhum preconceito contra o lucro. Acho mesmo que não há
critériomelhor para medir a eficiência de uma empresa que o lucro.
Mas não concordo que a economia deva se voltar exclusivamente para a
produção de um excedente; que se deva elevar a "acumulação pela
acumulação" de riqueza à condição de princípio ou função de toda a
organização social; que os indivíduos devam ser reduzidos à condição
de instrumentos a serviço de um progresso que não tem outro propósito
a não ser ele mesmo: o Progresso.

O lucro ou excedente deve ser buscado sim, mas não exclusiva,
incondicional ou prioritariamente. Ou seja, a busca do lucro não pode
atropelar determinados princípios, como, por exemplo, o imperativo
segundo o qual "o indivíduo humano deve ser tratado não como um meio,
mas como um fim em si mesmo."

Durante toda a história, os homens têm sido meios a serviço de um fim
que os transcende: correia de transmissão da Tradição, escravos de
Deus, instrumentos de uma Razão-de-Estado ou ferramentas para a
construção de um Projeto Coletivo. Ora, e o que é a ética
capitalista, essa herança do calvinismo, a não ser uma ética da velha
cepa própria das religiões 'realistas' que pressupõe a total
submissão dos homens a uma Força Superior, a um Absoluto ou a um
universal hipostaseado, no caso a acumulação pela acumulação de
riqueza, isto é, o Capital? - Sim, Capital com C maiúsculo, assim
como se escreve Deus com inicial maiúscula.

Para o capitalismo todas as coisas têm um valor monetário - o
dinheiro é o equivalente 'universal' de tudo que existe - e é esse
valor que as consagra ou as sacraliza. Tudo mais é profano.
Sinceramente, não vejo nenhuma diferença substancial entre o
onipresente 'valor monetário' e o sobrenatural 'maná' dos melanésios,
o 'prana' dos hindus, o 'chi' dos chineses, o 'axé' dos nagôs,
o 'Ele' dos antigos hebreus, o 'manitou' dos nativos da América
do Norte, o 'arung-quitta' dos aborígenes australianos, o 'Espírito
Santo' dos cultos pentecostais e muitos outros 'animus'.

O imaterial 'valor monetário' é algo que se transmite ora por meio do
ouro, ora através de moeda escritural ou então mediante papel-moeda,
o qual, por sua vez, pode ser dólar, libra, real, euro, iene, etc. No
processo de troca capitalista o valor monetário global não só se
mantém como se reproduz ampliadamente: "Dinheiro > Mercadoria >
Dinheiro + dinheiro' > Mercadoria + mercadoria' > Dinheiro +
dinheiro' + dinheiro'' > ... Parece algo vivo, auto-repricante, cujo
ecossistema nutritivo é esse mercado universal em que os próprios
homens figuram como uma mercadoria qualquer, isto é, como um
meio entre outros de reprodução da riqueza abstrata. Não raro o valor
monetário se comporta como uma entidade mística ou mágica que,
mediante manipulação alquímica de bruxos especuladores, infla, cresce
ou some miraculosamente.

A magia do dinheiro também se manifesta em sua capacidade de converter
contrários uns nos outros, de transformar determinada qualidade humana
naquela que lhe é oposta; ou seja, subvertendo a lógica, o dinheiro
identifica A com não-A. Sobre esse poder mágico, Shakespeare
escreveu: "Que é isso? Ouro? Ouro amarelo, brilhante, precioso? (...)
Um pouco disso tornaria o preto, branco; o feio, belo; o injusto,
justo; o vil, nobre; o velho, novo; o covarde, valente."
(Shakespeare; Timon de Atenas).

Ou, como Marx disse: "Sou feio, mas posso comprar a mais bela mulher
para mim. Conseqüentemente, não sou feio, pois o efeito da feiúra,
seu poder de repulsa, é anulado pelo dinheiro. (...) Sou um homem
detestável, sem princípios, sem escrúpulos e estúpido, mas o dinheiro
é acatado e assim também o seu possuidor. O dinheiro é o bem supremo,
e por isso seu possuidor é bom." (...) Aquele que pode comprar a
bravura é bravo, malgrado seja covarde." (Marx; Manuscritos Econômico-
Filosóficos de 1844)

Na sociedade capitalista, o dinheiro é mesmo uma forma de vida que se
reproduz com relativa autonomia, mantendo com os ricos uma relação de
simbiose (segundo as palavras de um dos gurus do empresariado
nacional, Dr. Lair Ribeiro, "assim como a água da chuva corre para o
rio e o rio corre pro mar, o dinheiro vai para quem tem dinheiro"),
ao passo que, com os despossuídos, a relação é de parasitismo ou algo
análogo.

Estou convencido que o Capital (dinheiro 'vivo' que submete a
produção, o mercado e o consumo à sua função auto-reprodutora) é um
meme poderoso, mais poderoso que qualquer meme-deus. Isso se não for
ele a mutação de um meme-deus, um novo espécime de um milenar gênero
memético. Em suma, o Capital é Deus em trajes transparentes, pseudo-
seculares.

É por isso que eu acho que o liberalismo econômico não passa de uma
teologia e que o "Estado mínino" propugnado pelo profetas, grão-
sacerdotes, padrecos e beatos dessa igreja não tem nada de laico.
Trata-se, na verdade, de um Estado confessional, como o é o Estado
teocrático islâmico do Irã, da Arábia Saudita ou o extinto
Estado 'operário' da Albânia que, literalmente, instituiu o ateísmo
como 'religião' (sic) oficial.

O Estado mínimo é aquele que não se ocupa com justiça distributiva
(que o rio corra pro mar, que o dinheiro vá para quem tem dinheiro,
que a massa trabalhe para a glória dos 'escolhidos') e cuja função
restringe-se à salvaguarda da propriedade e à manutenção da plena
operacionalidade a lei da oferta e da procura. O princípio
fundamental do Estado mínimo é o lema "laissez-faire, laissez-
passer". Amém.

Em síntese, o Estado mínimo é um Estado confessional que visa impor
um credo religioso cuja divindade consiste, tal como o Deus católico,
numa santíssima trindade: Eficiência, Capital, Progresso.

Um Estado confessional para o qual a propriedade é sagrada e as leis
do mercado, tabus. Quanto à vida humana, não é nem sagrada nem tabu.
Tanto que é comum entre os fiéis da igreja liberista, entre os
adeptos da direita liberal ('liberal' apenas no que diz respeito à
economia) a defesa da pena de morte. O Estado mínimo, teocrático, não
pode intervir na sacrosanta economia de mercado, mas pode matar.
Aliás, há mesmo fundamentalistas dessa religião que defendem que tudo
deve ser privatizado, inclusive a polícia e as penitenciárias; que o
Estado mínimo não só pode como deve conceder a particulares as
funções públicas de vigiar, encarcerar e punir. Em alguns Estados do
sul dos EUA isso foi posto em prática. Penitenciárias foram
transformadas em empresas privadas lucrativas, já que é direito dos
concessionários a exploração da mão-de-obra dos presidiários. Isso
não é outra coisa que trabalho escravo legalizado.

Abraços,
Manuel Bulcão



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 13:04

> > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...>
> > > Entao teremos que ter foruns/discussoes de fisicos-ceticos,
> > > biologos-ceticos, misticos-ceticos... :-)

> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
> > Eu suspeito q. nao adiantara' muito.

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Ligia Amorese"
> Hum, mas que baixo astral... afe!

Por q. baixo astral?

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?
FROM: Hélio Ricardo Carvalho <hrc@fis.puc-rio.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 13:25

Sergio e todos,

Desculpe a demora mas eu fico desligado nos finais de semana.
E segunda foi um dia cheio.

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Sergio M M Taborda"
<sergiotaborda@n...> escreveu

>>> ...
> 2 mol/s de fotões geram 2 mol/s de electões quando determinado
material é
> exposto à luz.
>
> "mole" não determina se algo é matéria ou não. É uma ordem de
grandeza.
> Imposta pela natureza, mas mesmo assim uma ordem de grandeza. É como
kilo,
> mega, tera, etc...
> Não-matéria tb pode ser contada em moles. Isso não informa sobre se
esse
> algo é matéria ou não. ...
<<<

Vou colocar aqui na íntegra a definição OFICIAL de "Quantidade de
Matéria" que os Úgs (ver msg do Léo 29900) do mundo inteiro combinaram
como correta. Aqui está traduzida para o português do Brasil (a
oficial mesmo é em francês).

Retirado de:
http://www.inmetro.gov.br/infotec/publicacoes/Si.pdf

>>>

2.1.1.6 UNIDADE DE QUANTIDADE DE MATÉRIA (MOL)

Desde a descoberta das leis fundamentais da química, utilizaram-se
diversas unidades denominadas, por exemplo, ?átomo grama? ou ?molécula
grama?, para especificar quantidades de diversos elementos ou
compostos químicos. Estas unidades eram estritamente ligadas aos
?pesos atômicos? ou aos ?pesos moleculares?. Originalmente os ?pesos
atômicos? eram referidos ao elemento químico oxigênio (16 por
convenção). Porém, enquanto os físicos separavam os isótopos no
espectrógrafo de massa e atribuíam o valor 16 a um dos isótopos de
oxigênio, os químicos atribuíam o mesmo valor à mistura (levemente
variável) dos isótopos 16, 17 e 18, que para eles constituía o
elemento oxigênio natural. Um acordo entre a União Internacional de
Física Pura e Aplicada (UIPPA) e a União Internacional de Química Pura
e Aplicada (UICPA) resolveu esta dualidade em 1959-1960. Desde esta
época, físicos e químicos concordam em atribuir o valor 12 ao isótopo
12 do carbono.

A escala unificada assim obtida dá os valores das ?massas atômicas
relativas?. Faltava determinar a massa que corresponde à unidade de
quantidade de carbono 12. Por acordo internacional, esta massa foi
fixada em 0,012kg, e deu-se o nome de mol (símbolo mol) à unidade da
grandeza ?quantidade de matéria?.

Aderindo à proposta da UIPPA, da UICPA e da ISO, o CIPM deu em 1967, e
confirmou em 1969, a seguinte definição do mol, que foi finalmente
adotada pela 14ª CGPM (1971 ? Resolução 3):

1º) O mol é a quantidade de matéria de um sistema contendo tantas
entidades elementares quantos átomos existem em 0,012 quilograma de
carbono 12.

2º) Quando se utiliza o mol, as entidades elementares devem ser
especificadas, podendo ser átomos, moléculas, íons, elétrons, assim
como outras partículas, ou agrupamentos especificados em tais
partículas.

Em 1980, o Comitê Internacional aprovou o relatório do CCU (1980), que
determinava: Nesta definição, entende-se que se faz referência aos
átomos de carbono 12 livres, em repouso e no seu estado fundamental.

<<<

Apesar de não existir nenhuma restrição nesta definição contra dizer
"1 mol de fótons", acho isto estranho. Não vemos no segundo item
exemplos de partículas sem "massa" (?), não sei se existe a liberdade
de dizer que temos um mol de fótons.
Só NA moléculas de água (1 mol) terá 18g mas qq quantidade de fótons
terá a massa do fóton expressa em gramas (0g). [:-)]. Porém isto não
fere o primeiro item.


Felicidades,
Hélio



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 13:28

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> > > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <lrb@i...>
> > > > Entao teremos que ter foruns/discussoes de fisicos-ceticos,
> > > > biologos-ceticos, misticos-ceticos... :-)
>
> > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
> > > Eu suspeito q. nao adiantara' muito.
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Ligia Amorese"
> > Hum, mas que baixo astral... afe!
>
> Por q. baixo astral?


Hum... é porque tá parecendo conversa de quem já jogou a toalha, um
conformismo desesperançoso... Por falar nisso, sua suspeita de que
não adiantará muito tem a ver com a impossibilidade de se levar
adiante um debate cético mesmo em listas de físicos-céticos, biólogos-
céticos e... "místicos"-céticos? Se for, é pelo motivo que eu
coloquei na outra mensagem... fica difícil mesmo ser cético tendo
que acreditar no que "está escrito"... :))

Beijos, Lígia



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 13:30

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Adriana:
> Creio ser perigosos incentivar menino/a a tentar fazer disso em
> casa ou fora da supervisão de professor ou pais. O outro pensava
> ser superhomem e se atirou do guarda vestidos...Olha se era janela
> de um, mesmo, que 2º andar? E mesmo experiências em casa como vejo
> em sites de química...
> Incentivar? Ma non tropo

Deixar a criança fazer o que quer não é incentivo. Pelo contrário,
demonstra falta de atenção. Incentivar é supervisionar os
experimentos, corrigir erros e principalmente elogiar os acertos.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?
FROM: Hélio Ricardo Carvalho <hrc@fis.puc-rio.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 13:32

ERRATA

Na msg anterior algumas (") se transformaram em (?)

Por ex.:

Onde está ?átomo grama? deve ser "átomo grama"

Hélio



SUBJECT: Re: Sala antigravidade (e perguntas)
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 13:50

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <luis@u...> escreveu
> 2o ?? Boa parte de suas mensagens me causam estranheza na
> leitura.
> Eh soh eu que nao entendo? Eh sua forma de escrever? Diferenca
> entre Portugal e Brasil?
>
> Poderia ser menos enigmatica e mais direta em suas respostas?
> (desculpe pela sinceridade) ;-)

Sinceramente também não entendo algumas coisas que a Natália
escreve. :)

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 13:54

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Ligia Amorese"
> Hum... é porque tá parecendo conversa de quem já jogou a toalha,

Por q de quem jogou a toalha ou um conformista desesperancoso? Apenas
suspeito q. a segregacao nao iria ajudar muito: provavelmente iria
aparecer um outro misticoide. (Note-se q. estou diferenciando um
mistico de um misticoide. Um mistico q., por exemplo, teria algo a
dizer seria um lama; um misticoide deslavado seria, por exemplo,
Daniken ou Sheldrake.)

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 13:58

>TAKATA: Nos paises mais desenvolvidos socialmente (por 'coincidencia'
tbm economicamente), pelo menos, a rixa interreligiao parece nao ter
ttos problemas assim. Mesmo o sentimento anti-ateu q. une os religiosos
tem uma tendencia de declinio ao longo dos anos.<


Às vezes é preciso ler nas entrelinhas das estatísticas. Alguns
exemplos:

>Você acredita que exista alguma outra religião além da sua que indique
o caminho verdadeiro para Deus?' (baseado em 945 americanos com uma
preferência religiosa: +/- 4%) 75% - sim, 20% - não, 5% - sem opinião<

A chave é "uma outra religião além da sua". Assim, é fácil aceitar que
batistas são livres para achar que os adventistas também podem ter um
pouquinho de razão; que católicos podem crer que a igreja ortodoxa grega
não é tão má assim. Eu quero ver muçulmano achar que o judaismo conduz à
verdade, ou um mórmon achar que a igreja anglicana acertou ao nomear um
bispo gay. Ou ainda, o presidente Bush, que é evangélico, achar que a
Wicca (religião animista americana) também conduz à vida eterna.


>(Se sim) você acredita que sua religião é o melhor caminho para Deus ou
são todas igualmente boas?' (baseado em 711 americanos que acreditam
haver outros caminhos para Deus: +/- 4%), 16% - a própria religião é o
melhor caminho, 82% - são todas igualmente boas, 2% - sem opinião<

Novamente, acredito que os que responderam "todas" pensaram apenas nas
religiões abraâmicas ou não entendem as diferenças. Como é que pode o
budismo, religião sem deus, conduzir a deus? Como é que a Wicca e suas
múltiplas divindades naturais pode ser compatível com o protestantismo,
que não tem nem santos?


>Nos paises mais desenvolvidos socialmente (por 'coincidencia' tbm
economicamente), pelo menos, a rixa interreligiao parece nao ter ttos
problemas assim. Mesmo o sentimento anti-ateu q. une os religiosos tem
uma tendencia de declinio ao longo dos anos.<

Seria ótimo se fosse assim, mas nos últimos anos os EUA experimentaram
um "revival" de todas as religiões, especialmente as fundamentalistas. O
Bush-pai disse que "ateus não deveriam ser considerados cidadãos" e a
gritaria veio somente dos ateus. Bush fazendo Jefferson se revirar na
cova com suas medidas recentes - diminuição de verbas para escolas
públicas e aumento para as religiosas, estímulo às preces obrigatórias,
referências a Deus em praticamente todos os seus discursos, etc. Bush,
ao contrário da maioria dos políticos, não finge ser carola. É mesmo.


>votariam para presidente em um(a) 1999 1978
mulher 92% 76%
negro 95% 73%
judeu 92% 82%
homossexual 59% 26%
ateu 49% 40% dos americanos.<

Essa é outra interessante. Duvido da sinceridade das respostas. Neste
país, há bem pouco tempo, nos anos 60, os negros eram segregados por
lei. A morte de um negro no Sul do país, enforcados em árvores (os
chamados "strange fruit"), causava menos indignação do que a de um
branco. Hoje, embora o racismo ainda exista, e muito, a discriminação é
mais velada. Botem um candidato negro à presidência e irão achar mil
razões, nunca a cor da pele, para que ele não seja eleito. Mas vamos
admitir que as respostas sejam honestas.

Aí a coisa fica mais difícil de entender. Numa escala de valores, do
menos indesejável para o mais indesejável na presidencia, teríamos:

Negro
Judeu
Mulher
Homossexual
Ateu

Uma pena que não tenham perguntado sobre "serial killers" ou
estupradores. Os ateus teriam uma chance de não serem os últimos.
Talvez.

Por outro lado, é encorajador ver que os homossexuais, que tinham 74% de
rejeição, têm apenas 41% agora e os negros, que tinham 27%, tem agora
apenas 5%. Um progresso enorme se comparados aos ateus, que mais da
metade da população acha que não têm qualidades (morais?) para governar
o pais. Interessante. Na opinião da maioria da população, os membros da
National Academy of Sciences, constituída pelos cientistas de elite do
país, não teriam condições de governar o país. Irão todos para o
inferno. Os cientistas, é claro.

Abraço,
Colucci



SUBJECT: OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 14:40

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci Jr."
> Às vezes é preciso ler nas entrelinhas das estatísticas.

Eu diria sempre.

> Eu quero ver muçulmano achar que o judaismo conduz à
> verdade, ou um mórmon achar que a igreja anglicana acertou ao
> nomear um bispo gay. Ou ainda, o presidente Bush, que é evangélico,
> achar que a Wicca (religião animista americana) também conduz à
> vida eterna.

Pode ser. Mas embora haja sim ainda discordancias -- algumas bem
patentes e vividas -- parece q. ela e' menor do q. antes. (Ok, ok, eu
nao vivi o antes... digamos, 30 anos atras.)

Embora haja fundamentalistas, a impressao q. eu tenho (so' impressao)
e' q. o religioso medio -- no caso, o americano religioso medio --
tende a aceitar q. outras religioes tbm levem a Deus (ja' q. a
maioria e' de cristaos) na medida em q. valores como: preservacao da
vida, honestidade, ajuda aos necessitados -- sao compartilhados.

> Como é que pode o budismo, religião sem deus, conduzir a deus?

Na medida em q. leve 'a pratica de boas acoes e de uma vida honesta.

> Seria ótimo se fosse assim, mas nos últimos anos os EUA
> experimentaram um "revival" de todas as religiões, especialmente as
> fundamentalistas.

Existem vais e vens. Mas aparentemente a tendencia geral e' de
declinio. (Embora possa sim ser eventualmente invertida a tendencia.)

> Por outro lado, é encorajador ver que os homossexuais, que tinham
> 74% de rejeição, têm apenas 41% agora e os negros, que tinham 27%,
> tem agora apenas 5%.

Acho q. esse e' o dado principal. Ha' espaco para o desenvolvimento
dos movimentos ateistas. Por isso q. vejo com bons olhos todo o agito
da organizacao dos ateus na conquista de uma visao mais positiva pela
sociedade. Eu discordo um pouco da politica combativa q. nao e' rara
de se empregar -- mas talvez no inicio seja algo necessario. Luther
King seria possivel se nao houvesse um Malcom X? Ainda q. nao elimine
a hipocrisia e nao se garanta q. mude realmente o modo de pensar, ao
menos abre-se espaco para uma convivencia mais pacifica.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT:
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <gogul@megamail.pt>
CC: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 14:58

Natália:
minha foto. Só pra você. Será que também ganho uma estadia aí no jardim d´Europa a beira par plantado??

sds.,

silvio.

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: dica
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: "Conversa de Botequim" <conversa_de_botequim@yahoogrupos.com.br>, <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, Acrópolis <acropolis@yahoogrupos.com.br>
CC: "paulo cordeiro" <paucor@terra.com.br>, "Bebeth C. Andrade" <bebethcandrade@yahoo.com.br>
DATE: 11/11/2003 15:53

Assinem e recebam e-mail com as notícias do dia.


informeconsciencia-subscribe@yahoogrupos.com.br

silvio.

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Vejam o que um professor é capaz de fazer...
FROM: "Erich Weick" <erich_weick@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:02

O fato narrado abaixo é real(pelo menos dizem...) e aconteceu em um
curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu),tornando-se logo
uma das "lendas" da faculdade...

Na véspera de uma prova, 4 alunos resolveram chutar o balde: iriam
viajar. Faltaram a prova e então resolveram dar um "jeitinho".
Voltaram à USJT na terça, sendo que a prova havia ocorrido na
segunda.

Então dirigiram-se ao professor:

- Professor, fomos viajar, o pneu furou, não conseguimos consertá-lo,
tivemos mil problemas e, por conta disso tudo nós atrasamos, mas
gostaríamos de fazer prova.

O professor, sempre compreensivo:

- Claro, vocês podem fazer a prova hoje a tarde, após o almoço.

E assim foi feito. Os rapazes correram para casa e se racharam de
tanto estudar, na medida do possível. Na hora da prova, o professor
colocou cada aluno em uma sala diferente e entregou a prova:

Primeira pergunta, valendo 1 ponto: algo sobre 'Lei de Ohm'.

Os quatro ficaram contentes pois haviam visto algo sobre o assunto.
Pensaram que a prova seria muito fácil e que haviam conseguido
se "dar bem".

Segunda pergunta, valendo 9 pontos: "Qual pneu furou?".




SUBJECT: OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:18

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci Jr."
<j.colucci@r...> escreveu
> Por outro lado, é encorajador ver que os homossexuais, que tinham
74% de
> rejeição, têm apenas 41% agora e os negros, que tinham 27%, tem
agora
> apenas 5%. Um progresso enorme se comparados aos ateus, que mais da
> metade da população acha que não têm qualidades (morais?) para
governar
> o pais. Interessante. Na opinião da maioria da população, os
membros da
> National Academy of Sciences, constituída pelos cientistas de elite
do
> país, não teriam condições de governar o país. Irão todos para o
> inferno. Os cientistas, é claro.


Uma coisa que eu acho engraçada é que se perguntarem de sopetão nas
ruas quem acredita em Deus, muito não professante de religião alguma
acaba dizendo crer em Deus só para "não fazer feio".

Ainda outro dia na escola em que meu filho mais velho estuda, fizeram
uma enquete para saber o "grau" de religiosidade das crianças. Ele,
com 13 anos, respondeu que não acredita em Deus e eu fui chamada lá
para "prestar depoimento". Perguntaram o porquê de eu estar negando
o "conhecimento" da existência de Deus ao meu filho, se eu tinha
religião, etc, etc... Depois da cara de atônita, embasbacada que eu
fiz, só respondi com outra pergunta: se a que estava me avaliando
acreditava em Deus. Ela me respondeu solícita: "Sim!" e eu
perguntei em que ela se baseava para dizer aquilo. "Na Bíblia!"...
Aí eu perguntei se ela achava que a Bíblia tinha sido escrita "mesmo"
por Deus. Ela já começou a ficar nervosa... falou nos homens santos
que tinham escrito aquilo tudo, etc e tal... e que estamos vivos por
obra e graça de deus pai... Pedi uma prova! Ela falou: "tudo
isso", abrindo bem os braços... Dá para discutir? Não... eu não
discuto.

Resultado: eu trouxe para casa um "convite" para meu filho ir fazer
o curso de catecismo na paróquia mais perto de casa. Antes de sair
da reunião eu perguntei se era obrigatório. Ela me disse que não...
Em casa eu perguntei a ele se ele queria fazer. Ele disse que "se
era prá poder ir prá sessão de canibalismo simbólico todo domingo"
ele "estava fora". Bom garoto. Rasguei o convite.

E, segundo o diretor que depois também veio falar comigo, meu filho é
uma das crianças mais éticas da escola, que se compromete a ajudar,
que tem senso de responsabilidade, respeita os mais velhos, é
obediente. Ele me perguntou como eu tinha feito isso sem religião.
Eu disse que eu sempre pus a responsabilidade dos atos do meu filho
sobre ele mesmo, qualquer coisa que ele faça de "errado" vai estar
fazendo contra si mesmo. No final, meu filho não frequenta as aulas
de religião.

O que eu concluí é que a religiosidade não é obrigatória, ela
é "empurrada" como uma necessidade básica, só aceita isso quem quer
ou precisa só prá "não fazer feio", ou porque não sabe que a moral é
algo que independe da religiosidade e que a mentalidade é formada em
casa. A maioria taí, uma massa de manobra com uma cenourinha na
frente seguindo o cortejo... Garanto que se mais gente souber que
não é a "falta de deus" que compromete a moral, as coisas mudarão
mais rápido.


Beijos, Lígia



SUBJECT: Re: Vejam o que um professor é capaz de fazer...
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:20

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Erich Weick"
> O fato narrado abaixo é real(pelo menos dizem...) e aconteceu em um
> curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu),tornando-se
> logo uma das "lendas" da faculdade...

Ja' vi essa historia atribuida ao MIT, Duke University, 'a Fatec, 'a
Poli...

Mas se tivesse sido na São Judas, aposto q. o Mesquita estaria metido
nisso (a pergunta), re re...

http://www.cs.virginia.edu/~ksp2q/tyre.htm

http://thewayofpeace.org/which_tire.html

http://www.funy.net/otherjokes924.htm

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Vejam o que um professor é capaz de fazer...
FROM: "Ronaldo Cordeiro" <rcordeiro@writeme.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:24

Na mosca. A sua frase "é real (pelo menos dizem...)" diz tudo, afinal
isso é a marca registrada de todas as lendas. Resta saber se foi a
USJT que copiou a da Universidade de Duke... ou se foram os alunos de
Duke que copiaram a história da USJT.

http://www.snopes.com/college/exam/flattire.asp

Ou será que a universidade era Dartmouth?

http://urbanlegends.about.com/library/blflattire.htm

(Essa história é fácil de achar na web. A universidade, matéria e
número de alunos variam)

[]s,
Ronaldo


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Erich Weick"
<erich_weick@y...> escreveu
> O fato narrado abaixo é real(pelo menos dizem...) e aconteceu em um
> curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu),tornando-se
logo
> uma das "lendas" da faculdade...
>
> Na véspera de uma prova, 4 alunos resolveram chutar o balde: iriam
> viajar. Faltaram a prova e então resolveram dar um "jeitinho".
> Voltaram à USJT na terça, sendo que a prova havia ocorrido na
> segunda.
>
> Então dirigiram-se ao professor:
>
> - Professor, fomos viajar, o pneu furou, não conseguimos consertá-
lo,
> tivemos mil problemas e, por conta disso tudo nós atrasamos, mas
> gostaríamos de fazer prova.
>
> O professor, sempre compreensivo:
>
> - Claro, vocês podem fazer a prova hoje a tarde, após o almoço.
>
> E assim foi feito. Os rapazes correram para casa e se racharam de
> tanto estudar, na medida do possível. Na hora da prova, o
professor
> colocou cada aluno em uma sala diferente e entregou a prova:
>
> Primeira pergunta, valendo 1 ponto: algo sobre 'Lei de Ohm'.
>
> Os quatro ficaram contentes pois haviam visto algo sobre o
assunto.
> Pensaram que a prova seria muito fácil e que haviam conseguido
> se "dar bem".
>
> Segunda pergunta, valendo 9 pontos: "Qual pneu furou?".



SUBJECT: Correcao de prova
FROM: "brudna" <luis@ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:25

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Erich Weick"
<erich_weick@y...> escreveu
> O fato narrado abaixo é real(pelo menos dizem...) e aconteceu em um
> curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu),tornando-se
logo
> uma das "lendas" da faculdade...

Achei que isso era mais uma das piadas que o pessoal simplesmente
coloca um ´local´ para dar mais veracidade. Procurei no Google e pelo
menos o meme parece constante.

Lembrei de uma historia estranha que dizem ter acontecido com um
professor da engenharia quimica da Ufrgs. Eu cheguei a ter aula com
ele... ele realmente era perdido, tem grandes possibilidades de ser
verdade. :-)

Teve uma prova que toda a turma foi mal, ninguem tirou nota acima
de 6 e os alunos comecaram a reclamar que a prova tava muito dificil.
O professor disse que nao, que alguem da turma tinha tirado a nota
8,5! Os alunos perguntaram quem era a pessoa, o professor foi
procurar nas provas corrigidas e disse "Aaah... eu corrigi o
gabarito!"

Hahahaha... se o professor consegue tirar 8,5 na propria prova..
alguma coisa estah errada. :-)

De tao estranha que eh essa historia... eu jah comeco achar que
aumentaram ou inventaram. Mas que o professor era limitado... era.


Ateh
Luis Brudna



SUBJECT: Re: Vejam o que um professor é capaz de fazer...
FROM: "Ronaldo Cordeiro" <rcordeiro@writeme.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:31

Desculpe Taka. Respondi a mensagem ao mesmo tempo que vc e só vi que
vc tinha sido mais rápido depois que postei. Já percebi que não é
recomendável desafiá-lo para um duelo.

[]s,
Ronaldo


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Erich Weick"
> > O fato narrado abaixo é real(pelo menos dizem...) e aconteceu em
um
> > curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu),tornando-se
> > logo uma das "lendas" da faculdade...
>
> Ja' vi essa historia atribuida ao MIT, Duke University, 'a
Fatec, 'a
> Poli...
>
> Mas se tivesse sido na São Judas, aposto q. o Mesquita estaria
metido
> nisso (a pergunta), re re...
>
> http://www.cs.virginia.edu/~ksp2q/tyre.htm
>
> http://thewayofpeace.org/which_tire.html
>
> http://www.funy.net/otherjokes924.htm
>
> []s,
>
> Roberto Takata



SUBJECT: Re: Vejam o que um professor é capaz de fazer...
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:35

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Ronaldo Cordeiro"
<rcordeiro@w...> escreveu
> Na mosca. A sua frase "é real (pelo menos dizem...)" diz tudo,
afinal
> isso é a marca registrada de todas as lendas. Resta saber se foi a
> USJT que copiou a da Universidade de Duke... ou se foram os alunos
de
> Duke que copiaram a história da USJT.
>
> http://www.snopes.com/college/exam/flattire.asp
>
> Ou será que a universidade era Dartmouth?
>
> http://urbanlegends.about.com/library/blflattire.htm
>
> (Essa história é fácil de achar na web. A universidade, matéria e
> número de alunos variam)

Certa vez ouvi uma outra história também clássica. O mais incrível
é que dois dos meus professores que nunca se encontraram, disseram
ser testemunhas oculares da moça que viu a própria mucosa bucal
se mexer.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 16:38

Olá Ligia

Bela mensagem, e seu garoto é um cara legal mesmo..:-) Talvez pudesse apresenta-lo a minha filha, é o tipo de genro que um pai poderia gostar (ou pelo menos ter um pouco menos de ciúme..:-)

Um abraço.

Homero


----- Original Message -----
From: Ligia Amorese
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Tuesday, November 11, 2003 4:18 PM
Subject: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci Jr."
<j.colucci@r...> escreveu
> Por outro lado, é encorajador ver que os homossexuais, que tinham
74% de
> rejeição, têm apenas 41% agora e os negros, que tinham 27%, tem
agora
> apenas 5%. Um progresso enorme se comparados aos ateus, que mais da
> metade da população acha que não têm qualidades (morais?) para
governar
> o pais. Interessante. Na opinião da maioria da população, os
membros da
> National Academy of Sciences, constituída pelos cientistas de elite
do
> país, não teriam condições de governar o país. Irão todos para o
> inferno. Os cientistas, é claro.


Uma coisa que eu acho engraçada é que se perguntarem de sopetão nas
ruas quem acredita em Deus, muito não professante de religião alguma
acaba dizendo crer em Deus só para "não fazer feio".

Ainda outro dia na escola em que meu filho mais velho estuda, fizeram
uma enquete para saber o "grau" de religiosidade das crianças. Ele,
com 13 anos, respondeu que não acredita em Deus e eu fui chamada lá
para "prestar depoimento". Perguntaram o porquê de eu estar negando
o "conhecimento" da existência de Deus ao meu filho, se eu tinha
religião, etc, etc... Depois da cara de atônita, embasbacada que eu
fiz, só respondi com outra pergunta: se a que estava me avaliando
acreditava em Deus. Ela me respondeu solícita: "Sim!" e eu
perguntei em que ela se baseava para dizer aquilo. "Na Bíblia!"...
Aí eu perguntei se ela achava que a Bíblia tinha sido escrita "mesmo"
por Deus. Ela já começou a ficar nervosa... falou nos homens santos
que tinham escrito aquilo tudo, etc e tal... e que estamos vivos por
obra e graça de deus pai... Pedi uma prova! Ela falou: "tudo
isso", abrindo bem os braços... Dá para discutir? Não... eu não
discuto.

Resultado: eu trouxe para casa um "convite" para meu filho ir fazer
o curso de catecismo na paróquia mais perto de casa. Antes de sair
da reunião eu perguntei se era obrigatório. Ela me disse que não...
Em casa eu perguntei a ele se ele queria fazer. Ele disse que "se
era prá poder ir prá sessão de canibalismo simbólico todo domingo"
ele "estava fora". Bom garoto. Rasguei o convite.

E, segundo o diretor que depois também veio falar comigo, meu filho é
uma das crianças mais éticas da escola, que se compromete a ajudar,
que tem senso de responsabilidade, respeita os mais velhos, é
obediente. Ele me perguntou como eu tinha feito isso sem religião.
Eu disse que eu sempre pus a responsabilidade dos atos do meu filho
sobre ele mesmo, qualquer coisa que ele faça de "errado" vai estar
fazendo contra si mesmo. No final, meu filho não frequenta as aulas
de religião.

O que eu concluí é que a religiosidade não é obrigatória, ela
é "empurrada" como uma necessidade básica, só aceita isso quem quer
ou precisa só prá "não fazer feio", ou porque não sabe que a moral é
algo que independe da religiosidade e que a mentalidade é formada em
casa. A maioria taí, uma massa de manobra com uma cenourinha na
frente seguindo o cortejo... Garanto que se mais gente souber que
não é a "falta de deus" que compromete a moral, as coisas mudarão
mais rápido.


Beijos, Lígia


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Vejam o que um professor é capaz de fazer...
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:47

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
> Certa vez ouvi uma outra história também clássica. O mais incrível
> é que dois dos meus professores que nunca se encontraram, disseram
> ser testemunhas oculares da moça que viu a própria mucosa bucal
> se mexer.

A da mucosa bucal q. eu conheco e' de uma aula de Biologia Celular em
q. os alunos devem montar uma lamina com um esfregaco da mucosa bucal
para ver ao microscopio. Na aula pratica uma das alunas chega
atrasada. O professor como castigo faz com q. a menina ceda o
material para todos os alunos. Em uma das laminas encontram uma
celula peculiar com um unico e longo flagelo saindo de um corpo
fusiforme...

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Vejam o que um professor é capaz de fazer...
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 16:52

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
> > Certa vez ouvi uma outra história também clássica. O mais incrível
> > é que dois dos meus professores que nunca se encontraram, disseram
> > ser testemunhas oculares da moça que viu a própria mucosa bucal
> > se mexer.
>
> A da mucosa bucal q. eu conheco e' de uma aula de Biologia Celular
em
> q. os alunos devem montar uma lamina com um esfregaco da mucosa
bucal
> para ver ao microscopio. Na aula pratica uma das alunas chega
> atrasada. O professor como castigo faz com q. a menina ceda o
> material para todos os alunos. Em uma das laminas encontram uma
> celula peculiar com um unico e longo flagelo saindo de um corpo
> fusiforme...

É essa mesma história com algumas variantes. Um dos colegas da menina
foi discípulo do Dr. Amabis e o outro veio do Arizona. Quem sabe
isso seja mesmo frequente.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 17:16

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Natália:
> minha foto. Só pra você. Será que também ganho uma estadia aí no
> jardim d´Europa a beira par plantado??

Olá Silvio,
Não pode atachar a foto. Ou você esqueceu de mandar o endereço mesmo?

Natália, eu também quero passar uma temporada em Portugal.
Essa é uma das raras fotos minhas em que o filme não queimou:

http://maratona.ime.usp.br/hist/2002/fotos/usp/IMAG0018.JPG

Obs.: Eu sou o "boa pinta" de vermelho. :)

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: (no subject)
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 17:42

Narume San:
Eu mandei a foto para a querida Natalia e com cópia pro grupo apenas para
provocar a iracundiade outros candidatos às férias na boa terrinha, com um
bom Porto, borregos às brasas, visitas ancestrais....
sds.,
silvio.
Nota: Natália: o Narume é casado, tem 12 filhos, é careca e fuma. Sou
solteiro, atleta, boa situação financeira, sou descendente de Pero Vas de
Caminha.


----- Original Message -----
From: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Tuesday, November 11, 2003 5:16 PM
Subject: [ciencialist] Re: (no subject)


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Natália:
> minha foto. Só pra você. Será que também ganho uma estadia aí no
> jardim d´Europa a beira par plantado??

Olá Silvio,
Não pode atachar a foto. Ou você esqueceu de mandar o endereço mesmo?

Natália, eu também quero passar uma temporada em Portugal.
Essa é uma das raras fotos minhas em que o filme não queimou:

http://maratona.ime.usp.br/hist/2002/fotos/usp/IMAG0018.JPG

Obs.: Eu sou o "boa pinta" de vermelho. :)

--
Narumi Abe





SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: (no subject)
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 18:16

De 'vermelho' tem 3 rapazes e uma moça. Poderia diminuir a quantidade de variáveis?
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: terça-feira, 11 de novembro de 2003 17:16
Assunto: [ciencialist] Re: (no subject)


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Natália:
> minha foto. Só pra você. Será que também ganho uma estadia aí no
> jardim d´Europa a beira par plantado??

Olá Silvio,
Não pode atachar a foto. Ou você esqueceu de mandar o endereço mesmo?

Natália, eu também quero passar uma temporada em Portugal.
Essa é uma das raras fotos minhas em que o filme não queimou:

http://maratona.ime.usp.br/hist/2002/fotos/usp/IMAG0018.JPG

Obs.: Eu sou o "boa pinta" de vermelho. :)

--
Narumi Abe


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: Hélio Ricardo Carvalho <hrc@fis.puc-rio.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 18:26

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu

> Olá Silvio,
> Não pode atachar a foto. Ou você esqueceu de mandar o endereço
mesmo?


Oi Narumi,

Se vc está usando um programa de e-mail para conectar ao C-list, tlv
não verá a foto.
Entre na página da C-list, vá em "Entrar" no canto dir. sup. (depois
da propaganda) e depois em "Fotos" no menu aqui a esquerda. Mas se for
só pela foto do Silvio, posso adiantar que não vale a pena.

Hélio



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 18:27

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> De 'vermelho' tem 3 rapazes e uma moça. Poderia diminuir a
> quantidade de variáveis?

Eu sou um dos rapazes. O japonês bonitão na frente, provavelmente
pensando em solucionar algum sério problema da humanidade.

--
Narumi Abe




SUBJECT: Site Ciencialist
FROM: "brudna" <luis@ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 18:35

Estou tentando colocar novamente no ar o site de ´apoio´ a
Ciencialist.

Vamos ver se desta vez o Hpg nao apaga os arquivos. :-/

http://www.ciencialist.hpg.ig.com.br

Fiz uma versao mais simplificada. A antiga tinha que ter muitas
atualizacoes que eu nao tinha tempo de fazer.

Se alguem tem ideia de mais alguma coisa que poderia ir naquele
site... avise.


(jah vi um link com problemas, depois(?) eu arrumo. :-) )

Ateh
Luis Brudna - administrador





SUBJECT: Re: [ciencialist] Re:_Vejam_o_que_um_professor__capaz_de_fazer...
FROM: Erich Weick <erich_weick@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 19:28

A versão similar desta aí que eu ouvi falar foi de uma caloura de Ciêcias Biológicas da USP.
Em uma determindada aula o professor comentava que o líquido seminal continha muitos açúcares(sou ruim em biologia e não me lembro bem desses detalhes técnicos...) quando a referida caloura sem pensar perguntou:
- Mas então por que o esperma não é doce?!?!?!?!?
Imediatamente a sala caiu em gargalhadas quando o professor retrucou:
- É que a região da língua que melhor percebe os sabores doces estão concentradas na ponta da língua!


========================================

Narumi Abe <aben@acm.org> wrote:
--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata"
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe"
> > Certa vez ouvi uma outra história também clássica. O mais incrível
> > é que dois dos meus professores que nunca se encontraram, disseram
> > ser testemunhas oculares da moça que viu a própria mucosa bucal
> > se mexer.
>
> A da mucosa bucal q. eu conheco e' de uma aula de Biologia Celular
em
> q. os alunos devem montar uma lamina com um esfregaco da mucosa
bucal
> para ver ao microscopio. Na aula pratica uma das alunas chega
> atrasada. O professor como castigo faz com q. a menina ceda o
> material para todos os alunos. Em uma das laminas encontram uma
> celula peculiar com um unico e longo flagelo saindo de um corpo
> fusiforme...

É essa mesma história com algumas variantes. Um dos colegas da menina
foi discípulo do Dr. Amabis e o outro veio do Arizona. Quem sabe
isso seja mesmo frequente.




---------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: RE: OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Jose Colucci" <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 19:35

>LÍGIA: E, segundo o diretor que depois também veio falar comigo, meu filho é uma das crianças mais éticas da escola, que se compromete a ajudar, que tem senso de responsabilidade, respeita os mais velhos, é obediente. Ele me perguntou como eu tinha feito isso sem religião. Eu disse que eu sempre pus a responsabilidade dos atos do meu filho sobre ele mesmo, qualquer coisa que ele faça de "errado" vai estar fazendo contra si mesmo. No final, meu filho não frequenta as aulas de religião.<

Lígia,

Minha filha vive exatamente a mesma situação, com a diferença de que estuda em escola pública e, nos EUA, as escolas públicas são proibidas de ensinar religião ou mesmo mencionar o assunto fora do âmbito das aulas de estudos sociais. Nos EUA há ainda a vantagem da maior diversidade. Quase toda a escola tem criança judia, católica, protestante, muçulmana, hindu. Assim, é fácil evitar a questão "qual é a sua religião", que, aliás, é proibida para fins de seleção para empregos e demais atividades não-religiosas.

Esse é o lado oficial, o lado não-oficial é diferente. Como seria natural numa das sociedades mais religiosas do mundo, os americanos se organizam à volta da igreja. As atividades sociais e extra-curriculares e mesmo contatos profissionais são feitos através das igrejas. Quem não é crente já sai em desvantagem. Minha filha, por exemplo, quando era mais nova (está agora com treze anos) não achava o que fazer no fim de semana. As amiguinhas iam todas a atividades ligadas à religião. E ela, a atéiazinha, não tinha com quem brincar. Numa ou outra situação, umas poucas vezes, ficou patente que ela foi discriminada por não ter religião. Com o tempo ela desenvolveu a habilidade de não tocar no assunto. De vez em quando questiona afirmações das amigas, mas sem se declarar abertamente ateísta.

Minha filha também frequenta um clube de matemática organizado por um amigo meu, professor do MIT, que se reúne na sala de aula de uma escola católica. Não é ligação oficial, o clube só aluga a sala. Ela, como eu, fica espantada com a quantidade de bobagens e de lavagem cerebral a que as crianças são submetidas, a julgar pelos trabalhos "didáticos" expostos nas paredes.


>LÍGIA: Garanto que se mais gente souber que não é a "falta de deus" que compromete a moral, as coisas mudarão mais rápido.<

O difícil é quebrar a identidade "religião = moralidade", que é culturalmente reforçada nos religiosos desde as primeiras palavras.

Respeitadas as proporções, já que ateus não são identificados imediatamente como tal, o problema dos que não crêem é similar ao de algumas minorias. Um negro americano queixou-se a mim, uma vez, de ter que sempre ser um modelo de virtude, já que qualquer deslize de comportamento seria atribuído à côr de sua pele. Dizia estar cansado de não poder ficar bêbado, de não poder dizer besteira, de não poder chegar atrasado, de não poder ser mau aluno, de ter de estar sempre bem vestido, de ter não poder desapontar ninguém. Com os ateus acontece algo parecido. Se não têm um comportamento exemplar, o tratamento recomendado é sempre: ele precisa aceitar Deus em seu coração.

Crianças como o filho da Lígia e a minha filha podem ser bons cartões de visita do ateísmo, mas o que dizer de adolescentes mais problemáticos. Não há viciado em drogas que, internado pela família, não tenha sido submetido a uma lavagem cerebral religiosa. A lógica dos religiosos é sempre a mesma: se algo deu errado é porque faltou fé em Deus. Como se a religião fosse garantia de qualidade.

A diferença entre ateus e as minorias étnicas e raciais é que, embora mais discriminados, estamos muito melhor. A porcentagem de ateus cresce com a educação e o nível de renda. Atinge valores bastante altos no meio científico. Uma coisa que os ateus não deveriam fazer jamais é considerarem-se vítimas. Acho mais coerente e proveitoso lutarmos pela separação total entre estado e religião e contra a descriminação por crença e convicção filosófica.


>LÍGIA: Aí eu perguntei se ela achava que a Bíblia tinha sido escrita "mesmo" por Deus. Ela já começou a ficar nervosa... falou nos homens santos que tinham escrito aquilo tudo, etc e tal... e que estamos vivos por obra e graça de deus pai... Pedi uma prova! Ela falou: "tudo isso", abrindo bem os braços... Dá para discutir? Não... eu não discuto.<

Infelizmente, ter que "evangelizar" os crentes no catecismo da racionalidade faz parte da nossa "missão". Nesses casos descobri que a melhor maneira é mostrar-se aberto e disposto a mudar diante de evidências. Diga que aceitará examinar qualquer evidência que o interlocutor apresente e criticá-la desde que ele faça o mesmo. É a melhor maneira de levá-los a questionar a própria fé. Quem a tem, e é capaz de pensar sobre ela, tem que admitir conviver com a duplicidade de critérios.

Abraço,
Colucci



SUBJECT: Re:_Vejam_o_que_um_professor_é_capaz_de_fazer...
FROM: "Ronaldo Cordeiro" <rcordeiro@writeme.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 21:39

Parece que ambas as histórias com alunos de escola, a exemplo daquela
do pneu furado, já eram populares nos EUA e corriam de boca em boca
mesmo antes de surgir a web.

http://www.snopes.com/college/sex/telltale.htm
http://www.snopes.com/college/sex/salty.htm

Certamente importamos muito mais bobagens dos EUA além do Halloween.
Mas ao menos essas historinhas de escola são engraçadas.

[]s,
Ronaldo



--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Erich Weick <erich_weick@y...>
escreveu
> A versão similar desta aí que eu ouvi falar foi de uma caloura de
Ciêcias Biológicas da USP.
> Em uma determindada aula o professor comentava que o líquido
seminal continha muitos açúcares(sou ruim em biologia e não me lembro
bem desses detalhes técnicos...) quando a referida caloura sem pensar
perguntou:
> - Mas então por que o esperma não é doce?!?!?!?!?
> Imediatamente a sala caiu em gargalhadas quando o professor
retrucou:
> - É que a região da língua que melhor percebe os sabores doces
estão concentradas na ponta da língua!
>
>
> ========================================
>
> Narumi Abe <aben@a...> wrote:
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata"
> escreveu
> > --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe"
> > > Certa vez ouvi uma outra história também clássica. O mais
incrível
> > > é que dois dos meus professores que nunca se encontraram,
disseram
> > > ser testemunhas oculares da moça que viu a própria mucosa bucal
> > > se mexer.
> >
> > A da mucosa bucal q. eu conheco e' de uma aula de Biologia
Celular
> em
> > q. os alunos devem montar uma lamina com um esfregaco da mucosa
> bucal
> > para ver ao microscopio. Na aula pratica uma das alunas chega
> > atrasada. O professor como castigo faz com q. a menina ceda o
> > material para todos os alunos. Em uma das laminas encontram uma
> > celula peculiar com um unico e longo flagelo saindo de um corpo
> > fusiforme...
>
> É essa mesma história com algumas variantes. Um dos colegas da
menina
> foi discípulo do Dr. Amabis e o outro veio do Arizona. Quem sabe
> isso seja mesmo frequente.
>




SUBJECT: Re: - O que é massa? - E a quant. matéria ?
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 21:49

Desculpe mas aqui em Portugal já não se usa átomo grama.
Massa atómica relativa do O , por exemplo, A índice r (O)= a 16 (há
quem escreva 16 u sendo u a u m a unidade de massa atómoca e que
queria chamar dalton.
Se eu escrever M (O) = 16g / mol e se lâ massa molar (massa de uma
mole de átomos)
Se escrever M índice r ( H2O) = a 18 é a massa molecular relativa;
M (H"O)= 18g /mol (ou mol menos 1)
Se escrever M(ZnI2)(iodeto de zinco e que é composto iónico não
posso ler massa molecular relativa pois ZnI2 não é uma molécula
diria massa formular "antigamente" e ião fórmula hoje.
Nós seguimos o SI. E não trabalhamos até ao 12º ano em cgs ou MkpS.
E se for será universidade e nas cadeiras técnicas...Mas hoje estou
cansad+issima e amnhã é dia de greve de transportes e terie de andar
a pé...
Voltarei entretanto vê isso do átomo grama,tá?
Perceberam que não sei escrever A indice r de outro modo.Deve
consultar o Chang e o livro de Guilherme de Almeida da plátono
Editora
Um abraço
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Hélio Ricardo Carvalho
<hrc@f...> escreveu
> ERRATA
>
> Na msg anterior algumas (") se transformaram em (?)
>
> Por ex.:
>
> Onde está ?átomo grama? deve ser "átomo grama"
>
> Hélio



SUBJECT: Fw: ComCiência
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <noosfera_II@yahoogrupos.com.br>, <ciencialist@yahoogrupos.com.br>, Acrópolis <acropolis@yahoogrupos.com.br>
DATE: 11/11/2003 21:50


para os que ainda não conhecem....
>
> Está no ar o número 49 da revista mensal eletrônica de jornalismo
> científico ComCiência, publicada pelo LABJOR e pela SBPC. O tema desta
> edição é "O Brasil negro".
>
>
> Os artigos são:
>
> Ações afirmativas e políticas de afirmação do negro no Brasil
> Carlos Vogt
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/01.shtml
>
> A questão racial
> Octavio Ianni
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/11.shtml
>
> IDH de negros e brancos no Brasil em 2001
> Marcelo Paixão
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/12.shtml
>
> Novas dimensões da experiência escrava no Brasil
> Silvia Hunold Lara
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/13.shtml
>
> Anotações sobre o parentesco escravo
> João Fragoso e Roberto Guedes
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/14.shtml
>
> Movimento negro e a crítica das representações raciais
> Osmundo de Araujo Pinho
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/15.shtml
>
> Ações afirmativas: síndrome do colapso da democracia social
> José N. Heck
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/16.shtml
>
> A formação de pesquisadores negros
> Henrique Cunha Jr.
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/17.shtml
>
> Reavaliando Gilberto Freyre
> Gustavo Henrique Tuna
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/18.shtml
>
> Tecnologias reprodutivas e racialização
> Rosely Gomes Costa
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/19.shtml
>
>
> As reportagens são:
>
> Reivindicação por reparação caracteriza movimento negro contemporâneo
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/02.shtml
>
> Dia da Consciência Negra retrata disputa pela memória histórica
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/03.shtml
>
> Decreto deve facilitar titulação de terras a quilombolas
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/04.shtml
>
> População negra no mercado de trabalho
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/05.shtml
>
> Sistema de cotas para negros amplia debate sobre racismo
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/06.shtml
>
> Desconhecimento cria a idéia de uma "só África"
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/07.shtml
>
> Presença do negro na mídia é marcada pelo preconceito
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/08.shtml
>
> Hip Hop fala contra o racismo e a desigualdade social
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/09.shtml
>
> Livro sobre escravidão deve ser lançado em 2004
> http://www.comciencia.br/reportagens/negros/10.shtml
>
>
>
> Entrevistas: (http://www.comciencia.br/entrevistas/frameentr.htm)
>
> Justiça penal é mais severa com os criminosos negros
> Alexandre Zarias entrevista Sérgio Adorno
>
> Arte do negro no Brasil: conscientização e valorização de um grupo
> étnico
> Marta Kanashiro entrevista Emanoel Araújo
>
>
> Resenhas: (http://www.comciencia.br/resenhas/framerese.htm)
>
> Na senzala, uma flor: esperanças e recordações da família escrava -
> Brasil, Sudeste, século XIX
> Robert Slenes
> por Daniel Ferraz Chiozzinni
>
>
> Cafundó - A África no Brasil
> Carlos Vogt e Peter Fry
> por Rodrigo Cunha
>
>
> Uma onda no ar
> Helvécio Ratton
> por Alessandro Piolli
>
>
> Notícias: (http://www.comciencia.br/noticias/framenot.htm)
> - Mais visibilidade para o combate ao tráfico de animais no Brasil
> (07/11/03)
> - Futuro dos recursos naturais é tema de debate (06/11/03)
> - Fragmentos florestais escondem diversidade de árvores (06/11/03)
> - Químicos identificam substância usada na mumificação (05/11/03)
> - Ecologia urbana tráz questões ambientais para dentro das cidades
> (04/11/03)
> - Éter metílico é alternativa potencial ao petróleo (03/11/03)
> - Amazônia pode sofrer mais com El Niño (03/11/03)
>
>
> Radar da Ciência: Novidades em Ciência e Tecnologia nas áreas de Física,
> Matemática, Biologia e outras.
> Links: sobre astronomia, institutos de pesquisas e de divulgação
> científica e outros.
>
> Opinião: Painel do Leitor, com espaço para comentários e artigos.
>
> Boa Leitura!
>
> ComCiência - http://www.comciencia.br
> Labjor - http://www.labjor.unicamp.br
>



SUBJECT: Re: Fw: Sala antigravidade
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 22:42

Será como diz. É de certeza .
Mas através da net não ponho as mãos no fogo por ninguém que não
conheça pessoalmente.
Não sei se a pessoa que pos a dúvida era adulto, maior e vacinado. é
só isso que quero dizer e esta é a minha visão de professora e
formadora. conhece o site do Pablo Janin? Pois tem lá coisas graves
e que recomenda fazer-se em casa...Vou hoje escrever-lhe.
é meu dever pois sei de segurança...
Mas creio que me percebe. A net transforma feios em bonitos e serve
para muitos fins. Aliás já vos dei os papers sobre este team do uso
da net.
Um abraço
Maria Natália
PS Por aqui há muito menino/a só emas enquanto pais trabalham.


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
> escreveu
> > Adriana:
> > Creio ser perigosos incentivar menino/a a tentar fazer disso em
> > casa ou fora da supervisão de professor ou pais. O outro pensava
> > ser superhomem e se atirou do guarda vestidos...Olha se era
janela
> > de um, mesmo, que 2º andar? E mesmo experiências em casa como
vejo
> > em sites de química...
> > Incentivar? Ma non tropo
>
> Deixar a criança fazer o que quer não é incentivo. Pelo contrário,
> demonstra falta de atenção. Incentivar é supervisionar os
> experimentos, corrigir erros e principalmente elogiar os acertos.
>
> --
> Narumi Abe



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 22:48

Ei vocês estão mesmo desconfiados do computador...É a Samanta Fox?
Ou outra mais novinha em streep tease?
Ai meninos...JUIZO
Pois é só dizerem a hora a que vindes e vos ajudarei no passeio em
Lisboa por 7 dias no màximo. tenho muita coisa para fazer e até vos
levo a fazer aeróbica comigo LOLLLLLLLLLLLLL
Hug
Maria Natália
PS Bruta computador!!!!


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
> <scordeiro@t...> escreveu
> > Natália:
> > minha foto. Só pra você. Será que também ganho uma estadia aí no
> > jardim d´Europa a beira par plantado??
>
> Olá Silvio,
> Não pode atachar a foto. Ou você esqueceu de mandar o endereço
mesmo?
>
> Natália, eu também quero passar uma temporada em Portugal.
> Essa é uma das raras fotos minhas em que o filme não queimou:
>
> http://maratona.ime.usp.br/hist/2002/fotos/usp/IMAG0018.JPG
>
> Obs.: Eu sou o "boa pinta" de vermelho. :)
>
> --
> Narumi Abe



SUBJECT: Respondi já...
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 22:50

E em privadao..UAU!!!!!!!!!!
Fiquei sem ar. Espera me quero recompor. Sou jovem com calma...LOLLLL
Hug
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Natália:
> minha foto. Só pra você. Será que também ganho uma estadia aí no
jardim d´Europa a beira par plantado??
>
> sds.,
>
> silvio.
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 22:54

Olá Hélio!


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Hélio Ricardo Carvalho
<hrc@f...> escreveu
> Oi Narumi,
>
> Se vc está usando um programa de e-mail para conectar ao C-list,
tlv
> não verá a foto.
> Entre na página da C-list, vá em "Entrar" no canto dir. sup.
(depois
> da propaganda) e depois em "Fotos" no menu aqui a esquerda. Mas se
for
> só pela foto do Silvio, posso adiantar que não vale a pena.


Sim, eu sei disso. Quem pode responder é o Silvio, mas eu acho que
ele atachou mesmo e enviou uma cópia pra Maria, pois não há nada na
área de fotos.
De qualquer modo, vale a pena dar uma conferida, pois tem o álbum da
Ligia como Deusa. :)

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: Correcao de prova
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 22:59


Lá está.
Nem todo o professor sai bem preparado da universidade. Pode saber
Física ou outra ciência (ou língua etc) Mas a metodologia? Como se
avalia? Como escrever as questão? de escolha múltipla, de
associação, de gradação, de desenvolvimento...E para que alunos? E a
construçaõ das frases? E se pensarmos que está ali a vida
profissional do aluno e a nossa também?
Não é só fazer o teste que é difícil.Se o teste é para duas horas o
professor terá de o resolver em 30 minutos! No máximo 45min.
Avaliar é a COISA MAIS DIFÍCIL QUE UM PROFESSOR tem para fazer na
sua vida. Mas vamos à anedota.
Também já a conhecia.
Hug
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "brudna" <luis@u...> escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Erich Weick"
> <erich_weick@y...> escreveu
> > O fato narrado abaixo é real(pelo menos dizem...) e aconteceu em
um
> > curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu),tornando-se
> logo
> > uma das "lendas" da faculdade...
>
> Achei que isso era mais uma das piadas que o pessoal
simplesmente
> coloca um ´local´ para dar mais veracidade. Procurei no Google e
pelo
> menos o meme parece constante.
>
> Lembrei de uma historia estranha que dizem ter acontecido com um
> professor da engenharia quimica da Ufrgs. Eu cheguei a ter aula
com
> ele... ele realmente era perdido, tem grandes possibilidades de
ser
> verdade. :-)
>
> Teve uma prova que toda a turma foi mal, ninguem tirou nota
acima
> de 6 e os alunos comecaram a reclamar que a prova tava muito
dificil.
> O professor disse que nao, que alguem da turma tinha tirado a nota
> 8,5! Os alunos perguntaram quem era a pessoa, o professor foi
> procurar nas provas corrigidas e disse "Aaah... eu corrigi o
> gabarito!"
>
> Hahahaha... se o professor consegue tirar 8,5 na propria prova..
> alguma coisa estah errada. :-)
>
> De tao estranha que eh essa historia... eu jah comeco achar que
> aumentaram ou inventaram. Mas que o professor era limitado... era.
>
>
> Ateh
> Luis Brudna



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 23:11

Pois ele veio directo para vos passar à frente. Vocês queriam ver o
boy? Ná. É confidencial e nos tempos que correm é perigoso. É
pedofilia, é tudo...
Mas eu não uso para tais fins. É só para vos reconhcer quando
chegarem ao aeroporto da Portela em Lisboa.
E pelo andar estou a ver que tenho pessoal para uma ou duas equipas
de ragbi...
LOLLLLLLLLLLLLL
Hug
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu
> Olá Hélio!
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Hélio Ricardo Carvalho
> <hrc@f...> escreveu
> > Oi Narumi,
> >
> > Se vc está usando um programa de e-mail para conectar ao C-list,
> tlv
> > não verá a foto.
> > Entre na página da C-list, vá em "Entrar" no canto dir. sup.
> (depois
> > da propaganda) e depois em "Fotos" no menu aqui a esquerda. Mas
se
> for
> > só pela foto do Silvio, posso adiantar que não vale a pena.
>
>
> Sim, eu sei disso. Quem pode responder é o Silvio, mas eu acho que
> ele atachou mesmo e enviou uma cópia pra Maria, pois não há nada na
> área de fotos.
> De qualquer modo, vale a pena dar uma conferida, pois tem o álbum
da
> Ligia como Deusa. :)
>
> --
> Narumi Abe



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 11/11/2003 23:15

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Pois ele veio directo para vos passar à frente. Vocês queriam ver o
> boy? Ná.

Pode acreditar que não. Foi só uma ajuda entre colisteiros. :)

--
Narumi Abe



SUBJECT: FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 00:26

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci Jr. \(Home\)"
<j.colucci@r...> escreveu
>
> Eu, pessoalmente, acho que a religião nunca irá desaparecer por
> completo. Há pesquisas que indicam uma tendência inata dos seres
humanos
> de acreditar no sobrenatural, talvez vinda do fato de sermos
mamíferos.
> É um resquício de infantilidade que permanece nos adultos - a
> necessidade de um "pai" que é responsável por tudo e, em alguns
casos,
> intercede em favor de seus filhos e também aceita pedidos deles. O
que
> peço é que me deixem em paz e não me discriminem por não acreditar
em
> Deus, mas isso, já vimos, é contrário à essência das religiões.


JUNIOR: Mas nao vejo o porque tb de que as religioes devam extinguir-
se. Uma religiao nao se baseia apenas no culto ao sobrenatural, ou
pelo menos, acho que isso nao é inerente a toda religiao. O budismo
por exemplo nao incute a infantilidade de adoraçao de um deus pessoal
(se é que tal fato, é relmente algo infantil), nem estimula seus
membros a adotarem posturas de cultos a seres sobrenaturais. O
budismo busca uma trandendencia do eu - uma mutaçao em nossa
personalidade eticamente falando. É preciso muito cuidado ao se fazer
generalizaçoes.
Todos religiosos nao querem ser incomodados de dentro de suas
crenças. E a questao de se sentirem incomodados vale tb para aqueles
que nao professam nenhuma religiao. Nao seria esse um desejo básico
de permanencia e culto à aquilo que acreditamos ser verdadeiro?
Afinal, nós seres humanos sempre queremos ter razao em alguma coisa,
mesmo que essa "coisa ilusória" possa soar como uma verdade para
nós, uma coisa que queremos manter com carinho a todo custo.

Saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 00:38

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Eu mandei a foto para a querida Natalia e com cópia pro grupo
apenas para
> provocar a iracundiade outros candidatos às férias na boa terrinha,
com um
> bom Porto, borregos às brasas, visitas ancestrais....

Eu percebi. Isso realmente foi um golpe baixo. :)


> Nota: Natália: o Narume é casado, tem 12 filhos, é careca e fuma.
> Sou solteiro, atleta, boa situação financeira, sou descendente de
> Pero Vas de Caminha.

Outro golpe baixo. Mas segundo ela, as mulheres preferem os homens
feios. Já tenho um dos pré-requisitos.
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/29961

Você também tem um dos pré-requisitos ao afirmar sua boa situação
financeira, mas seu parentesco lusitano não o deixará em vantagem,
pois sou descendente direto de Camões.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 00:52

Olá

Bradock<#Todos religiosos nao querem ser incomodados de dentro de suas
crenças. #>

Mas isso não se traduz em não incomodar os de outra religião, ou os sem religião alguma. Muito pelo contrário, evangelizar, levar "a verdade" a pobres ateus é ponto de honra e base da maioria das religiões. Sem esse mecanismo o meme religião tende a desaparecer, portanto, se memes seguem as regras evolucionárias (e tudo indica que seguem) enfiar suas crenças a força ou pela manipulação de mentes ainda em desenvolvimento é fundamental para se manter viva. E, se analisar com cuidado, verá que as religiões de sucesso tem escolhido uma dessas duas formas para se especializar, depdendo de quanto aberta ou fechada ela se considera. Evangelicos, que permitem conversão imediata e sem restrições, pregam com força e usando de todo tipo de marketing (até o melhor deles, fique rico agora, e não depois de morrer..:-). Já religiões mais fechadas, como o judaismo, se especializaram na formação de mentes jovens, de forma a tornar quase inescapável depois de adulto sua adesào a religião. Há mais dor, de acordo com depoimentos de ambos os lados, em deixar a religião judaica que a catolica ou protestante. Catolicos costuma contar sua desconversão como uma paulatina perda de fé até acordar, com tranquilidade e sem muito remorso, do lado da razão. Já judeus levam a culpa e o remorso, a cobrança familiar e grupal, os anos de terapia, tudo como uma dolorosa caminhada para a razão (e muitos nunca conseguem o abandono completo dos rituais e comportamentos).

Já diziam os jesuitas "me de a criança e vos darei o homem".

É fácil verificar isso que religiões sem reforço (crença à força ou mentes em formação) desaparecem. Basta notar que não há mais adoradores de Zeus ou Odin, mas evangelicos (evangelizar é sua meta) surgem aos milhares (principalmente domingo de manhã para encher nosso saquinho..:-)

Bradock<#Afinal, nós seres humanos sempre queremos ter razao em alguma coisa,
mesmo que essa "coisa ilusória" possa soar como uma verdade para
nós, uma coisa que queremos manter com carinho a todo custo.#>

Fale por você cara-pálida, eu não quero nada disso. Eu sei o que "coisas ilusórias" tem causado ao ser humano e o quanto "coisas ilusórias" atrapalham, comprometem e prejudicam a civilização, a tolerância e o avanço da ciência e do conhecimento. Sei que, se eliminar todas as coisas ilusórias, e tudo o que coisas ilusórias produziram, o mundo não mudará significativamente. Mas, se eliminar o conhecimento e a ciência, viveriamos em outro mundo, e é um mundo que nem eu nem você gostariamos de viver.

Um abraço.

Homero


----- Original Message -----
From: Bradock
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Wednesday, November 12, 2003 12:26 AM
Subject: FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci Jr. \(Home\)"
<j.colucci@r...> escreveu
>
> Eu, pessoalmente, acho que a religião nunca irá desaparecer por
> completo. Há pesquisas que indicam uma tendência inata dos seres
humanos
> de acreditar no sobrenatural, talvez vinda do fato de sermos
mamíferos.
> É um resquício de infantilidade que permanece nos adultos - a
> necessidade de um "pai" que é responsável por tudo e, em alguns
casos,
> intercede em favor de seus filhos e também aceita pedidos deles. O
que
> peço é que me deixem em paz e não me discriminem por não acreditar
em
> Deus, mas isso, já vimos, é contrário à essência das religiões.


JUNIOR: Mas nao vejo o porque tb de que as religioes devam extinguir-
se. Uma religiao nao se baseia apenas no culto ao sobrenatural, ou
pelo menos, acho que isso nao é inerente a toda religiao. O budismo
por exemplo nao incute a infantilidade de adoraçao de um deus pessoal
(se é que tal fato, é relmente algo infantil), nem estimula seus
membros a adotarem posturas de cultos a seres sobrenaturais. O
budismo busca uma trandendencia do eu - uma mutaçao em nossa
personalidade eticamente falando. É preciso muito cuidado ao se fazer
generalizaçoes.
Todos religiosos nao querem ser incomodados de dentro de suas
crenças. E a questao de se sentirem incomodados vale tb para aqueles
que nao professam nenhuma religiao. Nao seria esse um desejo básico
de permanencia e culto à aquilo que acreditamos ser verdadeiro?
Afinal, nós seres humanos sempre queremos ter razao em alguma coisa,
mesmo que essa "coisa ilusória" possa soar como uma verdade para
nós, uma coisa que queremos manter com carinho a todo custo.

Saudaçoes,
Junior


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: (no subject)
FROM: "silvio cordeiro" <scordeiro@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 01:04

Querida Natália:

Estou, em PVT, enviando alguns documentos que comprovam minha lisura de
caráter e os bens pessoais que modestamente possuo e que me permitem viver
no cirtuito Rio - Biaritz - Bankok - NY. Tambem a árvoge ginecológica que
comprova ser nosso primeiro escritor, meu avoengo.

Agora, imagine, musa e deusa, um japonês da Yakusa descendente do nosso
bardo maior???

Eis que o gajo está a fazeire pouco de vossa inteligencia!!!!!!!!!!!!!

Narumi Abe em tradução literal é algo tão inconfesessavelmente sórdido que
os bons costumes e minha fina educação não me permitem explicar.

Mande seus dois filhos pra Ultramar, Angola, Goa, Moçambique (agora com suas
economias recuperadas com os abundantes recursos oferecidos pelo lula o
letrado e sapiente presidente destas terras tupiniquins. e poderemos viver
um idílio que será eterno (quais cartões de crédito você tem???)

Seu paladino,

silvio.
----- Original Message -----
From: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Wednesday, November 12, 2003 12:38 AM
Subject: [ciencialist] Re: (no subject)


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Eu mandei a foto para a querida Natalia e com cópia pro grupo
apenas para
> provocar a iracundiade outros candidatos às férias na boa terrinha,
com um
> bom Porto, borregos às brasas, visitas ancestrais....

Eu percebi. Isso realmente foi um golpe baixo. :)


> Nota: Natália: o Narume é casado, tem 12 filhos, é careca e fuma.
> Sou solteiro, atleta, boa situação financeira, sou descendente de
> Pero Vas de Caminha.

Outro golpe baixo. Mas segundo ela, as mulheres preferem os homens
feios. Já tenho um dos pré-requisitos.
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/29961

Você também tem um dos pré-requisitos ao afirmar sua boa situação
financeira, mas seu parentesco lusitano não o deixará em vantagem,
pois sou descendente direto de Camões.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Fotos!!
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 01:10

Ois,

Não é por nada não mas isso aqui tá parecendo agência de
namoro... :)) Céus! Todo mundo enviando fotos, comentando fotos.
Pois bem, o passo a passo de como enviar fotos para os arquivos da
lista:

PRIMEIRO PASSO:

Tenha uma foto sua devidamente "escaneada",digitalizada e "leve" de
preferência ( até 50KB). Visite a página da lista:

http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist

SEGUNDO PASSO:

No menu à direita na página da lista clique em "Fotos". Clicou?
Ok...

TERCEIRO PASSO:

Observe o panorama... e na linha logo acima das miniaturas de fotos,
clique em "adicionar foto" ao lado de "criar album".

QUARTO PASSO:

Opte pela Opção 2, clique o botão "procurar": vai abrir uma janela
com arquivos do seu computador. É só procurar onde foi q vc salvou a
bendita da foto que você acha... Achou? Ok, clique em "abrir" na
janela.

QUINTO PASSO:

Vá ao pé da página e clique em "carregar".

Pronto!

Beijos, Lígia

PS: Vamos programar uma "lotação" para Lisboa! Só não avisem a
Natália ainda... :))



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 01:13

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "silvio cordeiro"
<scordeiro@t...> escreveu
> Querida Natália:
>
> Estou, em PVT, enviando alguns documentos que comprovam minha
lisura de
> caráter e os bens pessoais que modestamente possuo e que me
permitem viver
> no cirtuito Rio - Biaritz - Bankok - NY. Tambem a árvoge
ginecológica que
> comprova ser nosso primeiro escritor, meu avoengo.
>
> Agora, imagine, musa e deusa, um japonês da Yakusa descendente do
nosso
> bardo maior???
>
> Eis que o gajo está a fazeire pouco de vossa
inteligencia!!!!!!!!!!!!!
>
> Narumi Abe em tradução literal é algo tão inconfesessavelmente
sórdido que
> os bons costumes e minha fina educação não me permitem explicar.
>
> Mande seus dois filhos pra Ultramar, Angola, Goa, Moçambique (agora
com suas
> economias recuperadas com os abundantes recursos oferecidos pelo
lula o
> letrado e sapiente presidente destas terras tupiniquins. e
poderemos viver
> um idílio que será eterno (quais cartões de crédito você tem???)

Silvio, volte a enviar seus textos sobre politicagem antes que a
Yakuza te pegue. Ora pois, duvidando das minhas raizes.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Assim na água como no céu
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 01:57

Assim na água como no céu

O que têm em comum o bater de asas de um morcego e o nado de uma
baleia? Aparentemente, nada. No entanto, cientistas mostraram que um
mesmo número adimensional é capaz de descrever um padrão do movimento
de animais que nadam e voam. Já se sabia que esse parâmetro,
conhecido como número de Strouhal, aplicava-se ao nado de peixes e
mamíferos aquáticos. Os pesquisadores mostraram que ele é válido
também para o vôo de morcegos, pássaros e insetos.

Em artigo publicado na revista Nature de 16 de outubro, os zoólogos
Graham Taylor e Adrian Thomas, da Universidade de Oxford, e Robert
Nudds, da Universidade de Leeds, mostraram que existe uma relação
constante, baseada no número de Strouhal, entre a freqüência do
batimento das asas e barbatanas e a velocidade dos animais.

Além da biomecânica, o número de Strouhal já era adotado em cálculos
de engenharia. No estudo da locomoção, ele equivale ao resultado da
freqüência de batimento da asa ou barbatana multiplicada por sua
amplitude e dividida pela velocidade do animal.

Para calculá-lo, os pesquisadores colheram dados de 16 estudos
anteriores que mediram a velocidade de vôo de 42 espécies de animais:
22 de pássaros, 18 de morcegos e duas de insetos. Na maior parte das
pesquisas, foram registrados vôos ocorridos no próprio hábitat do
animal. Porém, em algumas delas, os animais foram testados em um
túnel fechado onde uma corrente de ar os forçava a voar na sua
velocidade de cruzeiro previamente medida enquanto eles ainda estavam
soltos na natureza.

A maior eficiência do movimento foi atingida com o número de Strouhal
situado entre 0,2 e 0,4. Ela foi observada tanto em pássaros quanto
em insetos e morcegos, mas somente quando o animal voava na sua
velocidade de cruzeiro, definida por Graham Taylor como a velocidade
preferida por cada um durante o vôo. "Ela não é a maior velocidade
que o animal pode atingir, mas está bem próxima disso", disse o
zoólogo.

A regra aplica-se a qualquer animal que voe ou nade, seja qual for
seu tamanho ou morfologia. Por isso, os cientistas acreditam que a
mesma relação descreva também o movimento de animais extintos, como o
pterossauro, e até de possíveis seres extraterrestres alados ou
aquáticos.

A seleção natural tende a adaptar o animal a nadar ou voar na
velocidade que permite o menor dispêndio de energia possível. "A
evolução levou animais que voam ou nadam a se movimentar de maneira
similar", disse Graham à CH On-line. "É um bom exemplo de evolução
convergente."

A equação de eficiência de propulsão baseada no número de Strouhal
será útil na construção de minirrobôs que voam ou nadam. Autômatos
voadores poderiam ser usados no resgate de vítimas de desmoronamentos
e na inspeção de ambientes perigosos, como o interior de reatores
nucleares. "Porém, as pesquisas estão mais direcionadas por ora para
aplicações militares", disse Graham. "O exército quer construir
miniveículos aéreos para o reconhecimento de locais fechados e a
sondagem de ambientes urbanos."

Liza Albuquerque
Ciência Hoje On-line
11/11/03




FONTE http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n958.htm






SUBJECT: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 01:58

Poligamina fenimina gera prole mais saudável

As fêmeas da espécie Parus caeruleus podem se orgulhar de
serem 'infiéis'. A cópula indiscriminada com diversos machos durante
o período fértil contribui para a gênese de uma prole mais saudável,
indica estudo de uma equipe de ornitólogos alemães e noruegueses.

Publicada na Nature de 16 de outubro de 2003, a pesquisa foi
desenvolvida com dados colhidos durante o acompanhamento dos hábitos
de um grupo de chapins-azuis e se utilizou de técnicas de mapeamento
genético. Foram avaliados o parentesco genético, o sucesso dos
cruzamentos e o índice de sobrevivência das populações jovens e
adultas. Os pesquisadores foram coordenados por Bart Kempenaers, do
Centro de Pesquisa em Ornitologia Max Planck (Alemanha).

Os cientistas concluíram que, ao aumentar o número de parceiros, as
fêmeas promovem uma maior combinação genética e geram filhotes com
maior probabilidade de serem heterozigotos. Com pares de alelos
diferentes, esses indivíduos terão uma maior diversidade em seus
genes. O grupo constatou que essa variedade tem efeitos positivos em
aspectos como a longevidade, a capacidade de sobreviver ao inverno ou
o desenvolvimento de sinais sexuais secundários.



Os filhotes de P. caeruleus na foto acima dividem o mesmo
ninho, mas não têm o mesmo pai genético (fotos: Centro
de Pesquisa em Ornitologia Max Planck/Kaspar Delhey)
Segundo o estudo, garantir a heterozigose por um 'comportamento
promíscuo' é apenas uma das maneiras encontradas pelas pássaras para
gerar uma prole mais saudável e longeva. O outro mecanismo de seleção
adotado por elas tem aspecto mais qualitativo: dentro de um universo
reduzido de machos, elas privilegiariam a cópula com os de aparência
mais saudável e atraente -- mais resistentes a fungos e patógenos.

E entre esses, ainda é importante a seleção de machos de biótipos
diferenciados, o que evitaria o acasalamento com indivíduos de
parentesco próximo (endogamia). Esse tipo de relacionamento é
comumente associado a deformações genéticas por favorecer a formação
de indivíduos homozigóticos, o que favorece a manifestação de genes
recessivos ligados a doenças. Isso explicaria por que, nas regiões
mais próximas do hábitat de origem, as fêmeas são mais 'comportadas'.

Uma estratégia é alternativa à outra: para garantir a 'qualidade
genética' de seus filhotes, as fêmeas ora promovem a fertilização
quantitativamente rica -- diversas cópulas com machos distantes --,
ora promovem uma seleção qualitativa -- ao escolher companheiros de
características complementares às suas.

Fonte http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n961.htm



Julio Lobato
Ciência Hoje On-line
10/11/03




SUBJECT: FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 06:15

Oi Bradock,

JUNIOR:.. O budismo por exemplo nao incute a infantilidade de
adoraçao de um deus pessoal (se é que tal fato é realmente algo
infantil)...


Manuel: E qual o problema em ser infantil? Não acho que a retençao,
na idade adulta, de caracteres infantis (comportamentos, inclusive)
seja algo negativo. Não é.

Um macho adulto é um bicho encharcado de testosterona. Por isso que é
violento, altamente competitivo, chegado a uma tática-de-engodo da
qual nem os melhores amigos escapam. É a vida. Vida besta!

O que me mantém em pé é o amor das minhas duas crianças: a Lígia e o
Ulisses. O resto é pó.

O Ulisses é o meu filho mais novo: UM MENINO PEQUENO.

"Morará o lobo com o cordeiro, e o leopardo com o cabrito se deitará;
e o bezerro, e o leão novo e o animal cevado viverão juntos; e UM
MENINO PEQUENO os conduzirá." (Isaías 11:6)

[],
Mané Bulcão



SUBJECT: Re: Fotos!!
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 07:50

Mas pensava eu que todos os chats (e um bocadinho das listas) eram
para fazer engate?
Ai que me enganei na lista....
Abraços espaciais
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Ligia Amorese"
<ligia5555@y...> escreveu
> Ois,
>
> Não é por nada não mas isso aqui tá parecendo agência de
> namoro... :)) Céus! Todo mundo enviando fotos, comentando
fotos.
> Pois bem, o passo a passo de como enviar fotos para os arquivos da
> lista:
>
> PRIMEIRO PASSO:
>
> Tenha uma foto sua devidamente "escaneada",digitalizada e "leve"
de
> preferência ( até 50KB). Visite a página da lista:
>
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
>
> SEGUNDO PASSO:
>
> No menu à direita na página da lista clique em "Fotos". Clicou?
> Ok...
>
> TERCEIRO PASSO:
>
> Observe o panorama... e na linha logo acima das miniaturas de
fotos,
> clique em "adicionar foto" ao lado de "criar album".
>
> QUARTO PASSO:
>
> Opte pela Opção 2, clique o botão "procurar": vai abrir uma
janela
> com arquivos do seu computador. É só procurar onde foi q vc
salvou a
> bendita da foto que você acha... Achou? Ok, clique em "abrir" na
> janela.
>
> QUINTO PASSO:
>
> Vá ao pé da página e clique em "carregar".
>
> Pronto!
>
> Beijos, Lígia
>
> PS: Vamos programar uma "lotação" para Lisboa! Só não avisem a
> Natália ainda... :))



SUBJECT: tgfq
FROM: "Emiliano Chemello - BOL" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 08:16

Saudações Amigos da Ciencialist,
Gostaria da apreciação dos integrantes da lista para a seguinte assunto:
"teoria geral da física e química".

Fonte: http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/artigos/colaboracoes/josecarlos/

Obs: no fim da página, está disponível a "teoria" do autor.

Desculpas antecipadas caso esse assunto por ventura tenha sido já
mencionado.

[ ]'s
---
Emiliano Chemello
chemelloe@hotmail.com
www.chemello.kit.net



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 08:18

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
> Eu sou um dos rapazes. O japonês bonitão na frente, provavelmente
> pensando em solucionar algum sério problema da humanidade.

Alto la', eu vejo um niponico na foto. Mas um japones bonitao?
Adriana, vc poderia identificar o meliante?

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 08:27

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
> Basta notar que não há mais adoradores de Zeus ou Odin, mas

Epa! Fale por vc. Sou o lidimo representante do zeísmo. Zeus q. na
forma moderna e' conhecido como Ze'. Tbm sou um representante da
religiao neo-babilonica dos adoradores de Marduc.

E se nao ha' mais adoradores de Odin, conheco alguns adoradores de
Thor. E uns do Incrivel Hulk.

[]s,

Roberto Takata





SUBJECT: Re: Fotos!!
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 08:30

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Ligia Amorese"
> Pois bem, o passo a passo de como enviar fotos para os arquivos da
> lista:

[Zeresimo Passo:
Verifique se vc tem dois cromossomos X ou um X e outro Y. Se vc for
um ser heterozigotico *NAO* prossiga.]

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 08:32

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> Poligamina fenimina gera prole mais saudável

Ainda bem q. e' a poligamina. Se fosse a poligamia -- dilapidacao!

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 08:58

Oi Oráculo,

Oráculo: Sem esse mecanismo o meme religião tende a desaparecer...

Manel: Sei não, mas algo me diz que o meme "Ciência" tomou de assalto
o cérebro do Homero e que, tal como um vírus numa bactéria, está se
valendo agora de todas as funções vitais do hospedeiro - i.e., do
Homero - para se reproduzir. Com efeito, de uns dias pra cá venho
percebendo que não é o Homero que fala de ciência, mas a Ciência que
fala através de um Oráculo.

Trata-se de um caso inusitado e muito interessante de taratomemelogia.

Um abraço,
Manuel Bulcão
PS.: Homero, é brincadeirinha! Mas se vc se ofendeu, pode me
esculhambar! :-)



SUBJECT: Psicoralise outra vez
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 09:34

Aproveitando o retorno parcial de nosso colega Bulcao, nao resisto a
espicaca'-lo um pouco mais. Re re... Chato eu?

--------------
A Gênese Sexual no Micromundo, ou Quando Comer era Praticar Sexo [o
texto é um excerto de um livro traduzido do inglês -- em português
comer ainda é praticar sexo... fim da observação impertinente.]

[...]
A meiose é uma variação sobre o tema da mitose. É provável que tenha
evoluído em células duplicadas que já se haviam dividido por mitose.
O primeiro evento de fertilização, provavelmente, satisfez a ânsia
não de fundir-se, mas de comer. Isso poderia acontecer se protistas
canibalescos comessem uns aos outros. Os microscopistas às vezes
assistem a brigas microbianas em que uma célula faminta devora uma
vizinha. Mas as células nem sempre digerem aquilo que engolem.

O biólogo Lemuel Roscoe Cleveland (1898-1971), da Universidade de
Harvard, viu protistas canibalizados continuarem vivos, apesar de
terem sido parcialmente devorados. Os protistas estudados por
Cleveland, revestidos de undulipódios de arranjo 9(2)+2 são chamados
de hipermastigotos. Os hipermastigotos normais, que contêm apenas um
conjunto de cromossomos, vivem no intestino edemaciado dos cupins que
se alimentam de madeira e das baratas. Cleveland viu hipermastigotos
devorarem uns aos outros. Percebeu que, depois disso, suas membranas
se fundiam, transformando-se em células duplas. A maioria dessas
duplicações morria. Mas Cleveland também viu alguns desses seres
duplicados se reproduzirem. Embora de maneira desleixada, os monstros
microbianos duplicados passavam pela divisão celular e davam origem a
outros monstros microbianos duplicados.
[...]
Houve época, segundo acreditamos, em que a alimentação e o
acasalamento eram a mesma coisa. A indigestÃo microbiana terminal
talvez pareça bem pouco romântica como fonte do impulso sexual
humano. Mas a imagem captada por Cleveland, de hipermastigotos
famintos tendo um acasalamento fortuito, apresenta uma mescla de
cométia e terror que é apropriada como origem da sexualidade. [...]

Margulis, L & Sagan, D 2002 - O que é vida? - Jorge Zahar Editor, Rio
de Janeiro. pp. 149-50.

-------------

(Claro q. ainda continua sendo uma piada e nao uma tentativa real de
teorizacao da psique humana.)

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Psicoralise outra vez
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 11:05

Prezado Roberto M. Takata,

Neste exato momento estou sainda para trabalhar. Mas fotocopiei o seu
e-mail. No banheiro, irei lê-lo.

Na madrugada de hoje ou na alvorada de amanhã, responderei à sua
mensagem.

Cordiais saudações
Manuel Soares Bulcão Neto,
Analista Judiciário do TRT da 7a. Região



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: Hélio Ricardo Carvalho <hrc@fis.puc-rio.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 11:09


Então quem é aquele com um charuto na boca ???

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu
> Olá Hélio!
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Hélio Ricardo Carvalho
> <hrc@f...> escreveu
> > Oi Narumi,
> >
> > Se vc está usando um programa de e-mail para conectar ao C-list,
> tlv
> > não verá a foto.
> > Entre na página da C-list, vá em "Entrar" no canto dir. sup.
> (depois
> > da propaganda) e depois em "Fotos" no menu aqui a esquerda. Mas se
> for
> > só pela foto do Silvio, posso adiantar que não vale a pena.
>
>
> Sim, eu sei disso. Quem pode responder é o Silvio, mas eu acho que
> ele atachou mesmo e enviou uma cópia pra Maria, pois não há nada na
> área de fotos.
> De qualquer modo, vale a pena dar uma conferida, pois tem o álbum da
> Ligia como Deusa. :)
>
> --
> Narumi Abe



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 11:18

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Hélio Ricardo Carvalho
<hrc@f...> escreveu
>
> Então quem é aquele com um charuto na boca ???


E' o Jose' Avena Neto. Mas mantenho a minha opiniao -- tirante as
garotas (e senhoras) da lista -- o mais bonito e' o King Kong.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] tgfq
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 11:29

Os links não funcionam!
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Emiliano Chemello - BOL" <chemello.e@bol.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quarta-feira, 12 de novembro de 2003 08:16
Assunto: [ciencialist] tgfq


Saudações Amigos da Ciencialist,
Gostaria da apreciação dos integrantes da lista para a seguinte assunto:
"teoria geral da física e química".

Fonte: http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/artigos/colaboracoes/josecarlos/

Obs: no fim da página, está disponível a "teoria" do autor.

Desculpas antecipadas caso esse assunto por ventura tenha sido já
mencionado.

[ ]'s
---
Emiliano Chemello
chemelloe@hotmail.com
www.chemello.kit.net


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: Re: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 12:18

Como não há adoradores de Odin? Apenas fazem algum apócope --- O din heiro! Outros citam apenas O dim dim!
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quarta-feira, 12 de novembro de 2003 08:27
Assunto: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
> Basta notar que não há mais adoradores de Zeus ou Odin, mas

Epa! Fale por vc. Sou o lidimo representante do zeísmo. Zeus q. na
forma moderna e' conhecido como Ze'. Tbm sou um representante da
religiao neo-babilonica dos adoradores de Marduc.

E se nao ha' mais adoradores de Odin, conheco alguns adoradores de
Thor. E uns do Incrivel Hulk.

[]s,

Roberto Takata




##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: bobagens
FROM: "Emiliano Chemello - BOL" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 12:36

para descontrair...

INFORMAÇÕES SOBRE ETILISMO !
SEGUEM ALGUMAS INFORMACOES IMPORTANTES E INTERESSANTES SOBRE O ETILISMO,
QUE TEM POR OBJETIVO DESMENTIR ALGUNS CONCEITOS DUVIDOSOS EM NOSSAS
CABECAS...

O USO CONTINUO DO ÁLCOOL PODE LEVAR AO USO DE DROGAS MAIS PESADAS?
Não, o álcool é a mais pesada das drogas, apenas uma garrafa de cerveja,
pesa cerca de 900 gramas.

A CERVEJA CAUSA DEPENDÊNCIA PSICOLÓGICA?
Não. 89,7% dos psicólogos e psicanalistas entrevistados afirmam que preferem
whisky.

MULHERES GRAVIDAS PODEM BEBER SEM RISCO?
Sim. Esta provado que nas blitz da policia, eles nunca pedem pra fazer o
teste nas gestantes... E quando elas tem que andar em linha reta, os guardas
acham que ela esta torta pelo peso da barriga.

CERVEJA PODE DIMINUIR OS REFLEXOS DOS MOTORISTAS?
Não. Uma experiência foi feita c/ mais de 500 motoristas: foi dada 1 caixa
de cerveja para cada um, e, em seguida, colocaram um por um diante de um
espelho. em nenhum dos casos, os reflexos foram alterados.

EXISTE ALGUMA RELAÇÃO ENTRE BEBIDA E ENVELHECIMENTO?
Sim. A bebida envelhece muito rápido. Para se ter uma idéia, se vc deixar a
cerveja aberta em cima da mesa por muito tempo sem um acondicionamento
special, ela perde o seu sabor em aproximadamente quinze minutos.

A CERVEJA ATRAPALHA NO RENDIMENTO ESCOLAR?
Não, pelo contrario. Alguns donos de faculdade estão aumentando suas rendas
com a venda de cerveja nas proximidades de bares universitários.

BEBIDA MATA?
Sim. Anos atras, soube-se que um rapaz, ao passear pelas ruas, foi atingido
por 1 caixa de cerveja que caiu de um caminhão, levando-o a morte
instantânea. alem disso, casos de infarto do miocardio em idosos tem sido
associados as propagandas de cervejas com modelos gostosas.

O QUE FAZ COM QUE A BEBIDA CHEGUE AOS ADOLESCENTES?
Inumeras pesquisas vem sendo feitas por laboratorios de renome. Todas
indicam que em primeiro lugar estaria o garçom.

A CERVEJA CAUSA DIMINUICAO DA MEMORIA?
Que eu me lembre nao!



[ ]'s
---
Emiliano Chemello
chemelloe@hotmail.com
www.chemello.kit.net



SUBJECT: [ciencialist] Re: (no subject) p/ Takata
FROM: "Avena" <jose@avena.eng.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 12:40


" E' o Jose' Avena Neto. Mas mantenho a minha opiniao -- tirante as
garotas (e senhoras) da lista -- o mais bonito e' o King Kong."


Avena:
Obrigado pela apresentação e bela comparação.... :-))

Fico feliz que tenha preferencia pelas senhoras.

Por isso, inseri uma foto de com estes requisitos...:-)

Grande Abraço

Avena

---

Checked by AVG anti-virus system (http://www.grisoft.com).
Version: 6.0.538 / Virus Database: 333 - Release Date: 10/11/2003




SUBJECT: Re: [ciencialist] tgfq
FROM: "Emiliano Chemello - BOL" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 12:41

ops... tiraram do ar... pena que na lista não dá para enviar anexo. Tentarei
disponibilizar o material em meu site.

desculpe-me pelo equívoco.

[ ]'s
---
Emiliano Chemello
chemelloe@hotmail.com
www.chemello.kit.net

----- Original Message -----
From: Luiz Ferraz Netto
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Wednesday, November 12, 2003 11:29 AM
Subject: Re: [ciencialist] tgfq


Os links não funcionam!
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Emiliano Chemello - BOL" <chemello.e@bol.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quarta-feira, 12 de novembro de 2003 08:16
Assunto: [ciencialist] tgfq


Saudações Amigos da Ciencialist,
Gostaria da apreciação dos integrantes da lista para a seguinte assunto:
"teoria geral da física e química".

Fonte: http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/artigos/colaboracoes/josecarlos/

Obs: no fim da página, está disponível a "teoria" do autor.

Desculpas antecipadas caso esse assunto por ventura tenha sido já
mencionado.

[ ]'s
---
Emiliano Chemello
chemelloe@hotmail.com
www.chemello.kit.net


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html



Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 12:58

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> Alto la', eu vejo um niponico na foto. Mas um japones bonitao?
> Adriana, vc poderia identificar o meliante?

É ele mesmo. Mas, ai ai, não me comprometa. :)
Aliás, estranho essa mudança. Sempre brigou quando alguém o chamava
de japonês.

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: tgfq
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 13:03

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Emiliano Chemello - BOL"
<chemello.e@b...> escreveu
> Saudações Amigos da Ciencialist,
> Gostaria da apreciação dos integrantes da lista para a seguinte
assunto:
> "teoria geral da física e química".
> Fonte:
http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/artigos/colaboracoes/josecarlos/
> Obs: no fim da página, está disponível a "teoria" do autor.
> Desculpas antecipadas caso esse assunto por ventura tenha sido já
> mencionado.
> Emiliano Chemello
> chemelloe@h...
> www.chemello.kit.net


Jah vi uma vez esse texto... ateh imprimi algumas paginas. Achei
muito delirante. Se nao me engano o autor dessas ´teorias´ jah
inventou outros ´delirios´.

Sinto cheiro forte de ´crackpot´
http://www.strbrasil.com/Humor/crackpot.htm

:-)

Ateh
Luis Brudna




SUBJECT: Re: [ciencialist] Correcao de prova
FROM: Álvaro Antpack <sci@eletro.ufrgs.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 13:13

realmente, eu ouvi esta história aqui na Elétrica da UFRGS, será que é o mesmo professor?

Álvaro
----- Original Message -----
From: brudna
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Tuesday, November 11, 2003 4:25 PM
Subject: [ciencialist] Correcao de prova


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Erich Weick"
<erich_weick@y...> escreveu
> O fato narrado abaixo é real(pelo menos dizem...) e aconteceu em um
> curso de Engenharia da USJT (Univ. São Judas Tadeu),tornando-se
logo
> uma das "lendas" da faculdade...

Achei que isso era mais uma das piadas que o pessoal simplesmente
coloca um ´local´ para dar mais veracidade. Procurei no Google e pelo
menos o meme parece constante.

Lembrei de uma historia estranha que dizem ter acontecido com um
professor da engenharia quimica da Ufrgs. Eu cheguei a ter aula com
ele... ele realmente era perdido, tem grandes possibilidades de ser
verdade. :-)

Teve uma prova que toda a turma foi mal, ninguem tirou nota acima
de 6 e os alunos comecaram a reclamar que a prova tava muito dificil.
O professor disse que nao, que alguem da turma tinha tirado a nota
8,5! Os alunos perguntaram quem era a pessoa, o professor foi
procurar nas provas corrigidas e disse "Aaah... eu corrigi o
gabarito!"

Hahahaha... se o professor consegue tirar 8,5 na propria prova..
alguma coisa estah errada. :-)

De tao estranha que eh essa historia... eu jah comeco achar que
aumentaram ou inventaram. Mas que o professor era limitado... era.


Ateh
Luis Brudna


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: (no subject)
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 13:13

> Adriana,
É ele mesmo. Mas, ai ai, não me comprometa. :)
Aliás, estranho essa mudança. Sempre brigou quando alguém o chamava
de japonês.

Léo: OK. Vamos abrasileirar a 'coisa' e chama-lo de Joãoponês.


SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 13:41

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Léo: OK. Vamos abrasileirar a 'coisa' e chama-lo de Joãoponês.

Tive uma idéia melhor. Vamos não falar de mim.
Sugestões de assuntos:
conteúdo do seu site, ciencialist-women e ciências.

--
Narumi Abe (Made in Brazil)



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina ...Poliandria...gera prole mais saudável
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 14:44

O que será a poliandria?
É que poligamia feminina...j'ai mes doutes.
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> > Poligamina fenimina gera prole mais saudável
>
> Ainda bem q. e' a poligamina. Se fosse a poligamia -- dilapidacao!
>
> []s,
>
> Roberto Takata



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 14:46

Ah! Está falando de pássaras e de pássaros?
Pensei que era dos humanos...
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
escreveu
> Poligamina fenimina gera prole mais saudável
>
> As fêmeas da espécie Parus caeruleus podem se orgulhar de
> serem 'infiéis'. A cópula indiscriminada com diversos machos
durante
> o período fértil contribui para a gênese de uma prole mais
saudável,
> indica estudo de uma equipe de ornitólogos alemães e noruegueses.
>
> Publicada na Nature de 16 de outubro de 2003, a pesquisa foi
> desenvolvida com dados colhidos durante o acompanhamento dos
hábitos
> de um grupo de chapins-azuis e se utilizou de técnicas de
mapeamento
> genético. Foram avaliados o parentesco genético, o sucesso dos
> cruzamentos e o índice de sobrevivência das populações jovens e
> adultas. Os pesquisadores foram coordenados por Bart Kempenaers,
do
> Centro de Pesquisa em Ornitologia Max Planck (Alemanha).
>
> Os cientistas concluíram que, ao aumentar o número de parceiros,
as
> fêmeas promovem uma maior combinação genética e geram filhotes com
> maior probabilidade de serem heterozigotos. Com pares de alelos
> diferentes, esses indivíduos terão uma maior diversidade em seus
> genes. O grupo constatou que essa variedade tem efeitos positivos
em
> aspectos como a longevidade, a capacidade de sobreviver ao inverno
ou
> o desenvolvimento de sinais sexuais secundários.
>
>
>
> Os filhotes de P. caeruleus na foto acima dividem o mesmo
> ninho, mas não têm o mesmo pai genético (fotos: Centro
> de Pesquisa em Ornitologia Max Planck/Kaspar Delhey)
> Segundo o estudo, garantir a heterozigose por um 'comportamento
> promíscuo' é apenas uma das maneiras encontradas pelas pássaras
para
> gerar uma prole mais saudável e longeva. O outro mecanismo de
seleção
> adotado por elas tem aspecto mais qualitativo: dentro de um
universo
> reduzido de machos, elas privilegiariam a cópula com os de
aparência
> mais saudável e atraente -- mais resistentes a fungos e patógenos.
>
> E entre esses, ainda é importante a seleção de machos de biótipos
> diferenciados, o que evitaria o acasalamento com indivíduos de
> parentesco próximo (endogamia). Esse tipo de relacionamento é
> comumente associado a deformações genéticas por favorecer a
formação
> de indivíduos homozigóticos, o que favorece a manifestação de
genes
> recessivos ligados a doenças. Isso explicaria por que, nas regiões
> mais próximas do hábitat de origem, as fêmeas são
mais 'comportadas'.
>
> Uma estratégia é alternativa à outra: para garantir a 'qualidade
> genética' de seus filhotes, as fêmeas ora promovem a fertilização
> quantitativamente rica -- diversas cópulas com machos distantes --
,
> ora promovem uma seleção qualitativa -- ao escolher companheiros
de
> características complementares às suas.
>
> Fonte http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n961.htm
>
>
>
> Julio Lobato
> Ciência Hoje On-line
> 10/11/03



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: (no subject)
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 14:53

OK. Falemos do Imperdível:

1) A Lígia tá me devendo uns 10 ".gif" do micro laboratório de eletrônica. Vamos ver se ela para um pouco de ajudar o maridão e se dedica um pouco mais à Ciência.

2) Está on-line o Minigerador de Van de Graaff:
http://www.feiradeciencias.com.br/sala11/11_49.asp

3) Está on-line 8 novos trabalhos de divulgação de química:
http://www.feiradeciencias.com.br/sala21/index21.asp

4) Está on-line os "Primeiros Passos", Sala 19, aguardando comentários:
55- Primeiros Passos da Ciência (Geral)
56- Primeiros Passos da Física (Parte 1)
57- Primeiros Passos da Física (Parte 2)
58- Primeiros Passos da Física (Parte 3)
59- Primeiros Passos da Física (Parte 4)
60- Primeiros Passos da Física Clássica (Parte 1)
61- Primeiros Passos da Física Clássica (Parte 2)
62- Primeiros Passos da Física Moderna
63- Primeiros Passos da Mecânica Quântica (Parte 1)
64- Primeiros Passos da Mecânica Quântica (Parte 2)
65- Primeiros Passos da Mecânica Quântica (Parte 3)
66- Métodos dos Passos da Física (Parte 1)
67- Métodos dos Passos da Física (Parte 2)
68- Métodos da Teoria da Relatividade (Parte 1)

5) Preciso atualizar minha 'listageral.asp' e gostaria de saber como fazer isso automaticamente, ou seja, quando escrever novo artigo, algum misterioso programa atualiza a lista geral. Algo ectoplasmático.

6) Preciso colocar banner de propaganda de firmas ligadas ao ramo (educação, equipamento científico etc.) nos rodapés do Imperdível. Takata está dando um enorme mão nessa tentativa. Por que não aderem a essa saudável busca?

7) Preciso achar uma editora que imprima uns 15 "Cadernos de Feira de Ciências e Trabalhos Escolares" com o material (selecionado) do Imperdível (um só livro com o material do Imperdível dará cerca de 6500 páginas! --- e vai ficar mais grosso que livro de Direito, o que poderá causar algum tumulto nessa entidade corporativista). Quem pode mexer essa maionese?

8) Preciso gravar o site em cd-rom ... mas não sei fazer isso e nem gravar o programa de abertura. Quem quer mexer esse doce? Quem quer ser sócio na produção e venda do material contido no Imperdível? Em outras palavras, quem quer cultuar Odin; O dim dim?

Tem muito mais ........

aquele abraço,
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quarta-feira, 12 de novembro de 2003 13:41
Assunto: [ciencialist] Re: (no subject)


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Léo: OK. Vamos abrasileirar a 'coisa' e chama-lo de Joãoponês.

Tive uma idéia melhor. Vamos não falar de mim.
Sugestões de assuntos:
conteúdo do seu site, ciencialist-women e ciências.

--
Narumi Abe (Made in Brazil)


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: tgfq
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 15:07

Emiliano:
É o autor do escrito?
É que esse site está nos meus favoritos e tem servido para muitos
alunos meu trabalharem .Havia uma newsletter...Mas a coisa estava
parada. Posso concluir que o qmcw vai a apartir de agora estar vivo?
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Emiliano Chemello - BOL"
<chemello.e@b...> escreveu
> Saudações Amigos da Ciencialist,
> Gostaria da apreciação dos integrantes da lista para a
seguinte assunto:
> "teoria geral da física e química".
>
> Fonte:
http://www.qmc.ufsc.br/qmcweb/artigos/colaboracoes/josecarlos/
>
> Obs: no fim da página, está disponível a "teoria" do autor.
>
> Desculpas antecipadas caso esse assunto por ventura tenha sido já
> mencionado.
>
> [ ]'s
> ---
> Emiliano Chemello
> chemelloe@h...
> www.chemello.kit.net



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 15:10

Catos,

Takapa, Natákia e demais lispeiros
Despulpe-me o erro de digipaçao, prometeu que da prossima vex tomarei
cuidados com os erros de digipaçao e de portuquês(com trema)

O correto seria polimania

PS: E por que nao poderia funcionar com os humanos?

Saupaçoes,
Jumbor(vulgo Bratock)



--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Ah! Está falando de pássaras e de pássaros?
> Pensei que era dos humanos...
> Maria Natália







SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 15:12

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> 5) Preciso atualizar minha 'listageral.asp' e gostaria de saber
> como fazer isso automaticamente, ou seja, quando escrever novo
> artigo, algum misterioso programa atualiza a lista geral. Algo
> ectoplasmático.

Professor Luiz, isso é muito simples. No entanto, não posso ajudar
pois tenha uma pequena aversão a ASP.


> 8) Preciso gravar o site em cd-rom ... mas não sei fazer isso e nem
> gravar o programa de abertura. Quem quer mexer esse doce? Quem quer
> ser sócio na produção e venda do material contido no Imperdível? Em
> outras palavras, quem quer cultuar Odin; O dim dim?

Nisso eu posso ajudar. E gratuitamente, pois não sou uma fiel do
Odin. :)

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 15:39

Teacher:
Vou ver a parte da Química. Estou até ao sotão cheiinha de trabalho.
Nem lhe conto mas para o nosso padroeiro ponha o escadote e vou lá
acima.
Astrosaudações mestre
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> OK. Falemos do Imperdível:
>
> 1) A Lígia tá me devendo uns 10 ".gif" do micro laboratório de
eletrônica. Vamos ver se ela para um pouco de ajudar o maridão e se
dedica um pouco mais à Ciência.
>
> 2) Está on-line o Minigerador de Van de Graaff:
> http://www.feiradeciencias.com.br/sala11/11_49.asp
>
> 3) Está on-line 8 novos trabalhos de divulgação de química:
> http://www.feiradeciencias.com.br/sala21/index21.asp
>
> 4) Está on-line os "Primeiros Passos", Sala 19, aguardando
comentários:
> 55- Primeiros Passos da Ciência (Geral)
> 56- Primeiros Passos da Física (Parte 1)
> 57- Primeiros Passos da Física (Parte 2)
> 58- Primeiros Passos da Física (Parte 3)
> 59- Primeiros Passos da Física (Parte 4)
> 60- Primeiros Passos da Física Clássica (Parte 1)
> 61- Primeiros Passos da Física Clássica (Parte 2)
> 62- Primeiros Passos da Física Moderna
> 63- Primeiros Passos da Mecânica Quântica (Parte 1)
> 64- Primeiros Passos da Mecânica Quântica (Parte 2)
> 65- Primeiros Passos da Mecânica Quântica (Parte 3)
> 66- Métodos dos Passos da Física (Parte 1)
> 67- Métodos dos Passos da Física (Parte 2)
> 68- Métodos da Teoria da Relatividade (Parte 1)
>
> 5) Preciso atualizar minha 'listageral.asp' e gostaria de saber
como fazer isso automaticamente, ou seja, quando escrever novo
artigo, algum misterioso programa atualiza a lista geral. Algo
ectoplasmático.
>
> 6) Preciso colocar banner de propaganda de firmas ligadas ao ramo
(educação, equipamento científico etc.) nos rodapés do Imperdível.
Takata está dando um enorme mão nessa tentativa. Por que não aderem
a essa saudável busca?
>
> 7) Preciso achar uma editora que imprima uns 15 "Cadernos de Feira
de Ciências e Trabalhos Escolares" com o material (selecionado) do
Imperdível (um só livro com o material do Imperdível dará cerca de
6500 páginas! --- e vai ficar mais grosso que livro de Direito, o
que poderá causar algum tumulto nessa entidade corporativista). Quem
pode mexer essa maionese?
>
> 8) Preciso gravar o site em cd-rom ... mas não sei fazer isso e
nem gravar o programa de abertura. Quem quer mexer esse doce? Quem
quer ser sócio na produção e venda do material contido no
Imperdível? Em outras palavras, quem quer cultuar Odin; O dim dim?
>
> Tem muito mais ........
>
> aquele abraço,
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: "Narumi Abe" <aben@a...>
> Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Enviada em: quarta-feira, 12 de novembro de 2003 13:41
> Assunto: [ciencialist] Re: (no subject)
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
> <leobarretos@u...> escreveu
> > Léo: OK. Vamos abrasileirar a 'coisa' e chama-lo de Joãoponês.
>
> Tive uma idéia melhor. Vamos não falar de mim.
> Sugestões de assuntos:
> conteúdo do seu site, ciencialist-women e ciências.
>
> --
> Narumi Abe (Made in Brazil)
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 15:43

Olá Manuel..:-)

Não se preocupe, manter o bom humor é sempre importante..:-) Eu nào levo à sério as brincadeiras, pode me esculachar a vontade..:-)

Um abraço.

Homero

PS: Acho que é tEratomemelogia, de teratos, monstro..:-)

----- Original Message -----
From: Manuel Bulcão
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Wednesday, November 12, 2003 8:58 AM
Subject: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)


Oi Oráculo,

Oráculo: Sem esse mecanismo o meme religião tende a desaparecer...

Manel: Sei não, mas algo me diz que o meme "Ciência" tomou de assalto
o cérebro do Homero e que, tal como um vírus numa bactéria, está se
valendo agora de todas as funções vitais do hospedeiro - i.e., do
Homero - para se reproduzir. Com efeito, de uns dias pra cá venho
percebendo que não é o Homero que fala de ciência, mas a Ciência que
fala através de um Oráculo.

Trata-se de um caso inusitado e muito interessante de taratomemelogia.

Um abraço,
Manuel Bulcão
PS.: Homero, é brincadeirinha! Mas se vc se ofendeu, pode me
esculhambar! :-)


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: (no subject)
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 15:46

De: "Adriana Rohatsko"
> 5) Preciso atualizar minha 'listageral.asp' e gostaria de saber
> como fazer isso automaticamente, ou seja, quando escrever novo
> artigo, algum misterioso programa atualiza a lista geral. Algo
> ectoplasmático.

Professor Luiz, isso é muito simples. No entanto, não posso ajudar
pois tenha uma pequena aversão a ASP.

Léo: E eu que estava ASPerançoso. Paciência.


> 8) Preciso gravar o site em cd-rom ... mas não sei fazer isso e nem
> gravar o programa de abertura. Quem quer mexer esse doce? Quem quer
> ser sócio na produção e venda do material contido no Imperdível? Em
> outras palavras, quem quer cultuar Odin; O dim dim?

Nisso eu posso ajudar. E gratuitamente, pois não sou uma fiel do
Odin. :)

Léo: Pode começar a enviar as instruções. Não esqueça que estará escrevendo para um professor do terceiro mundo, pouca cultura, com mentalidade e recursos incompatível com os prendados gringos do primeiro mundo.

[]'
Léo


SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 15:55

Pensei que o estudo era sobre uma comunidade existente numa das
ilhas do Pacífico onde há falta de homens. Eles praticam a
poliandria.
Poligamia feminina deve se clahar ser válido entre passaros. Nos
humanos é poliandria.
E é só pois sou apenas química
Maria Natália
--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
escreveu
> Catos,
>
> Takapa, Natákia e demais lispeiros
> Despulpe-me o erro de digipaçao, prometeu que da prossima vex
tomarei
> cuidados com os erros de digipaçao e de portuquês(com trema)
>
> O correto seria polimania
>
> PS: E por que nao poderia funcionar com os humanos?
>
> Saupaçoes,
> Jumbor(vulgo Bratock)
>
>
>
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
> escreveu
> > Ah! Está falando de pássaras e de pássaros?
> > Pensei que era dos humanos...
> > Maria Natália



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 15:58

Qual é o preço de cada ajuda?
É que eu tb tenho um problema. Claro iria pelo mail pessoal...
Maria Natália, trocando por géneros

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
> <leobarretos@u...> escreveu
> > 5) Preciso atualizar minha 'listageral.asp' e gostaria de saber
> > como fazer isso automaticamente, ou seja, quando escrever novo
> > artigo, algum misterioso programa atualiza a lista geral. Algo
> > ectoplasmático.
>
> Professor Luiz, isso é muito simples. No entanto, não posso ajudar
> pois tenha uma pequena aversão a ASP.
>
>
> > 8) Preciso gravar o site em cd-rom ... mas não sei fazer isso e
nem
> > gravar o programa de abertura. Quem quer mexer esse doce? Quem
quer
> > ser sócio na produção e venda do material contido no Imperdível?
Em
> > outras palavras, quem quer cultuar Odin; O dim dim?
>
> Nisso eu posso ajudar. E gratuitamente, pois não sou uma fiel do
> Odin. :)
>
> Beijos,
> Adriana



SUBJECT: Para espantar mosquito da dengue...
FROM: João R. Bonomo <joao_bonomo@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:01

Minha foto é a 32 no album de fotos da c-list. Pode usar para
espantar mosquitos da dengue. Tanto funciona que aqui no sul a dengue
não incomoda muito...

[]'s
jrb




SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:03

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> PS: E por que nao poderia funcionar com os humanos?

Se quiser partilhar a sua, fique 'a vontade. Re re...

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:09

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> > PS: E por que nao poderia funcionar com os humanos?
>
> Se quiser partilhar a sua, fique 'a vontade. Re re...
>
> []s,
>
> Roberto Takata


JUNIOR: Takata. Basta fazer uma viagem as arábias!!! Lembrando de
quem tem muitas, nao tem nenhuma, elas serao apenas de todos.

Abraços,
Junior



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:11

Bem, tem uma historia real de uma mulher casada com varios homens q.
virou filme.

Tem uma historia q. nunca consegui confirmar q. contam sobre os
inuits (esquimos). Q. se parece alias com algumas narrativas de Marco
Polo sobre populacoes lendarias em q. os homens ofereciam suas
mulheres aos visitantes (sem serem os cafetoes). Embora parec,a q. a
poliandria (como a poliginia) ocorra -- sem ser a regra -- entre os
inuits.

Mas sem ser poliandria (ou poliginia), a pulada de cerca deve ser
muito comum entre os humanos. Um levantamento sistematico do ADN dos
casais e de sua prole deveria revelar algo nao muito longe dessas
aves canoras. Mas com certeza causaria muita dor de cabeca para os/as
adulteros/as e adulterados/as.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:12

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> JUNIOR: Takata. Basta fazer uma viagem as arábias!!! Lembrando de
> quem tem muitas, nao tem nenhuma, elas serao apenas de todos.

Mas nas arabias pratica-se a poliginia e nao a poliandria.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Energia!!!!
FROM: "Vagner" <vagchaga@terra.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 16:16

Alguem tem alguma matéria que fala sobre tipos de energia e onde sao empregadas?

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:18

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> > JUNIOR: Takata. Basta fazer uma viagem as arábias!!! Lembrando de
> > quem tem muitas, nao tem nenhuma, elas serao apenas de todos.
>
> Mas nas arabias pratica-se a poliginia e nao a poliandria.
>
> []s,
>
> Roberto Takata

JUNIOR: Mas a poligenia nao seria uma forma de poligamia? Visto que
poligamia é a uniao de alguém, com mais de um conjugue.

saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:20

Desculpe, mas poliandria na Arábia!? Onde viu uma mulher possuir
vários homens? Ai que devemos estar a falar de outras coisas...
Um muçulmano admitir que uma mulher tenha vários homens oficialmente?
me esclareça por favor. Não vejo o corão autorizar tal. E já há
assim tanta falta de mulheres? Eu sei de aréns...agora...Há erro
aqui e deve ser de comunicação
Hug
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> > JUNIOR: Takata. Basta fazer uma viagem as arábias!!! Lembrando
de
> > quem tem muitas, nao tem nenhuma, elas serao apenas de todos.
>
> Mas nas arabias pratica-se a poliginia e nao a poliandria.
>
> []s,
>
> Roberto Takata



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:22

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
Um levantamento sistematico do ADN dos
> casais e de sua prole deveria revelar algo nao muito longe dessas
> aves canoras. Mas com certeza causaria muita dor de cabeca para
os/as
> adulteros/as e adulterados/as.
>


JUNIOR: Biologicamente falando pouco importa se somos monogamicos ou
poligamicos, desde que o fator reprodutivo satisfaça um roteiro de
perpetuaçao de nossa espécie e de seleçao natural.
As normas da sociedade, e a complexa máquina humana de pensar é
que intervém, e diz que é eticamente tal coisa seria um costume
imoral. Daqui para frente, é com os psicólogos, religiosos e
sociólogos de plantao.

Saudaçoes,
Junior



SUBJECT: O que é poliandria, please?
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:22

Há qualquer coisa que me ensinaram nos bancos de escola e que deve
estar errada:
Poliandria é um termo que não existe?
E se existe o que significa?
É tudo
Maria Natália



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:25

É também uma questão política. De quem faz as leis...
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
> escreveu
> Um levantamento sistematico do ADN dos
> > casais e de sua prole deveria revelar algo nao muito longe
dessas
> > aves canoras. Mas com certeza causaria muita dor de cabeca para
> os/as
> > adulteros/as e adulterados/as.
> >
>
>
> JUNIOR: Biologicamente falando pouco importa se somos monogamicos
ou
> poligamicos, desde que o fator reprodutivo satisfaça um roteiro de
> perpetuaçao de nossa espécie e de seleçao natural.
> As normas da sociedade, e a complexa máquina humana de pensar
é
> que intervém, e diz que é eticamente tal coisa seria um costume
> imoral. Daqui para frente, é com os psicólogos, religiosos e
> sociólogos de plantao.
>
> Saudaçoes,
> Junior



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:25

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> JUNIOR: Mas a poligenia nao seria uma forma de poligamia? Visto que
> poligamia é a uniao de alguém, com mais de um conjugue.

Sim, a poliginia e' uma forma de poligamia. Mas nao estava a se falar
exatamente da poligamia feminina?

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: O que é poliandria, please?
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:26

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Há qualquer coisa que me ensinaram nos bancos de escola e que deve
> estar errada:
> Poliandria é um termo que não existe?
> E se existe o que significa?
> É tudo
> Maria Natália



JUNIOR: Relaçao conjugal em que a mulher tem mais de um marido, é uma
forma de poligamia. Ou estou errado?


saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:28

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> > JUNIOR: Mas a poligenia nao seria uma forma de poligamia? Visto
que
> > poligamia é a uniao de alguém, com mais de um conjugue.
>
> Sim, a poliginia e' uma forma de poligamia. Mas nao estava a se
falar
> exatamente da poligamia feminina?
>



JUNIOR: Sim, neste caso sim.



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:29

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> JUNIOR: Biologicamente falando pouco importa se somos monogamicos
> ou poligamicos, desde que o fator reprodutivo satisfaça um roteiro
> de perpetuaçao de nossa espécie e de seleçao natural.

A rigor nao existe um roteiro. Mas de todo modo nao tanto faz, nao.
Cada caso aponta para consequencias diferentes.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:31

> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
> > Mas nao estava a se falar
> > exatamente da poligamia feminina?

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> JUNIOR: Sim, neste caso sim.

Pois entao. As Arabias nao servem para registro da poligamia feminina
(= poliandria).

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: tgfq
FROM: "Emiliano Chemello - BOL" <chemello.e@bol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 16:32

Prezada Maria Natália,
Respondendo a sua indagação: Não, não sou autor do site QMCWEB. Conheço
o autor (Edson Minatti) mas ele não está mais na UFSC onde ele desenvolvia o
site. Como ele saiu da UFSC, o site ficou sem ser mais atualizado. Porém,
tem muitas matérias super interessantes e recomento para todos os
integrantes da lista acessarem o site:
http://qmc.ufsc.br/qmcweb/arquivo.html
Aproveitando o ensejo :-) ... gostaria de divulgar também o Site do
NAEQ - Núcleo de Apoio ao Ensino da Química da Universidade de Caxias do Sul
do qual faço parte: www.ucs.br/ccet/defq/naeq


[ ]'s
---
Emiliano Chemello
chemelloe@hotmail.com
www.chemello.kit.net

----- Original Message -----
From: Maria Natália
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Wednesday, November 12, 2003 3:07 PM
Subject: [ciencialist] Re: tgfq


Emiliano:
É o autor do escrito?
É que esse site está nos meus favoritos e tem servido para muitos
alunos meu trabalharem .Havia uma newsletter...Mas a coisa estava
parada. Posso concluir que o qmcw vai a apartir de agora estar vivo?
Maria Natália



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:34

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> > JUNIOR: Biologicamente falando pouco importa se somos monogamicos
> > ou poligamicos, desde que o fator reprodutivo satisfaça um
roteiro
> > de perpetuaçao de nossa espécie e de seleçao natural.
>
> A rigor nao existe um roteiro. Mas de todo modo nao tanto faz, nao.
> Cada caso aponta para consequencias diferentes.
>


JUNIOR: Isso pode representar uma afronta para determinadas espécies,
mas nao que seja uma regra. Logicamente nao há um roteiro, nem nenhum
planejamento.
O que eu argumento é, que biologicamente isso nao é nenhum
impecilho para os humanos, pois a reproduçao e a seleçao seguiriam
seu curso naturalmente.
O problema é que somos animais gragários, territorialistas,
criamos regras, culturas, etc... e isso pode representar um problema.
Mas esse problema nao seria de modo algum biológico.

Saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re: tgfq
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:54

Obrigada.
Que pena.Eu perdi de vista Minatti desde que ele regressou de França
para o Brasil.
Irei ver e farei avaliação...Eu sou lixada. Espere pela
classificação e em segurança nem se fala.
hug
Maria Natália
--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Emiliano Chemello - BOL"
<chemello.e@b...> escreveu
> Prezada Maria Natália,
> Respondendo a sua indagação: Não, não sou autor do site
QMCWEB. Conheço
> o autor (Edson Minatti) mas ele não está mais na UFSC onde ele
desenvolvia o
> site. Como ele saiu da UFSC, o site ficou sem ser mais atualizado.
Porém,
> tem muitas matérias super interessantes e recomento para todos os
> integrantes da lista acessarem o site:
> http://qmc.ufsc.br/qmcweb/arquivo.html
> Aproveitando o ensejo :-) ... gostaria de divulgar também o
Site do
> NAEQ - Núcleo de Apoio ao Ensino da Química da Universidade de
Caxias do Sul
> do qual faço parte: www.ucs.br/ccet/defq/naeq
>
>
> [ ]'s
> ---
> Emiliano Chemello
> chemelloe@h...
> www.chemello.kit.net
>
> ----- Original Message -----
> From: Maria Natália
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Wednesday, November 12, 2003 3:07 PM
> Subject: [ciencialist] Re: tgfq
>
>
> Emiliano:
> É o autor do escrito?
> É que esse site está nos meus favoritos e tem servido para muitos
> alunos meu trabalharem .Havia uma newsletter...Mas a coisa estava
> parada. Posso concluir que o qmcw vai a apartir de agora estar
vivo?
> Maria Natália



SUBJECT: Re: Para espantar mosquito da dengue...
FROM: João R. Bonomo <joao_bonomo@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 16:57

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, João R. Bonomo
<joao_bonomo@y...> escreveu
> Minha foto é a 32 no album de fotos da c-list. Pode usar para
> espantar mosquitos da dengue. Tanto funciona que aqui no sul a
dengue
> não incomoda muito...
>

EPA! Eu mexi na foto e ela passou a ser a 33 no album. Aquele
monstrinho eu acho que é coisa do Avena.

[]'s
jrb




SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 17:04

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> O que eu argumento é, que biologicamente isso nao é nenhum
> impecilho para os humanos, pois a reproduçao e a seleçao seguiriam
> seu curso naturalmente.
> O problema é que somos animais gragários, territorialistas,
> criamos regras, culturas, etc... e isso pode representar um
> problema.
> Mas esse problema nao seria de modo algum biológico.

Hmmmm...

O fato de uma caracteristica ter evoluido por selecao natural nao
garante q. siga o curso naturalmente -- bem, a menos q. aceitemos
entre o naturalmente a extincao, o q. alias e' um visao perfeitamente
defensavel. Embora a selecao natural leve a uma adaptacao, nem sempre
essa adaptacao significa a melhor adaptacao possivel. E alem disso
existe o fator filogenetico -- isto e', a heranca de caracteristicas
q. surgiram em nossos ancestrais q. viviam em um ambiente
substancialmente diferente. Essas coisas levam a certas gambiarras
como o 'polegar' do panda. Como nao existe nenhum objetivo
predeterminado, nao existe um curso natural propriamente dito.

O fato de sermos gregarios e territorialistas sao caracteristicas
quase certamente de fundo genetico. Mas mesmo q. nao fossem, nao se
tira a questao da esfera biologica. E' um erro achar q. a biologia
lida apenas com questoes de cunho genetico. A biologia nao e'
indiferente 'a cultura. A biologia refere-se 'a interacao entre os
genes e o ambiente -- e a cultura faz parte do ambiente (e parte dela
aparenta ser geneticamente condicionada). E' sim um problema
totalmente biologico -- q., sim, interessa tbm a outras areas.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Para espantar mosquito da dengue...
FROM: "Avena" <jose@avena.eng.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 12/11/2003 17:21

Eu mexi na foto e ela passou a ser a 33 no album. Aquele
monstrinho eu acho que é coisa do Avena.


Estou montando um book para o Takata.
Essa aí é a primeira...:-))


Avena

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 17:25

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu

> O fato de sermos gregarios e territorialistas sao caracteristicas
> quase certamente de fundo genetico. Mas mesmo q. nao fossem, nao se
> tira a questao da esfera biologica. E' um erro achar q. a biologia
> lida apenas com questoes de cunho genetico. A biologia nao e'
> indiferente 'a cultura. A biologia refere-se 'a interacao entre os
> genes e o ambiente -- e a cultura faz parte do ambiente (e parte
dela
> aparenta ser geneticamente condicionada). E' sim um problema
> totalmente biologico -- q., sim, interessa tbm a outras areas.




JUNIOR: Mas existe um porém, apesar de os genes e o ambiente
interagirem, nao siginifica que as característica adquiridas no meio
ambiente gere uma modificaçao genética. Se criamos uma cultura
condicionada, mesmo que apenas por erros conceituais, isso nao
siginifica que por seleçao natural essas coisas venham caracterizar
uma espécie geneticamente falando.
Se por uma razao seletiva, o homem se torne mais inteligente ou
menos, isso nao significa que a cultura seja uma caracteristica do
bom uso dessa inteligencia, podendo até siginificar o contrário, como
um péssimo uso dela, pelas divergentes idéias e manifestaçoes
conceituiais, que nem sempre sao verdadeiras.
Ocorre no caso apenas uma seleçao cultural(mesmo que seja pra pior
ou melhor), que nada tem haver com seleçao biológica.

saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re:FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "matheusraszl" <matheusraszl@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 17:30

Ola Manuel!

JUNIOR:.. O budismo por exemplo nao incute a infantilidade de
adoraçao de um deus pessoal (se é que tal fato é realmente
algo
infantil)...


Manuel: E qual o problema em ser infantil? Não acho que a
retençao,
na idade adulta, de caracteres infantis (comportamentos,
inclusive)
seja algo negativo. Não é.

Um macho adulto é um bicho encharcado de testosterona. Por
isso que é
violento, altamente competitivo, chegado a uma tática-de-
engodo da
qual nem os melhores amigos escapam. É a vida. Vida besta!

MATHEUS: É ai que o senhor se engana toda a competitividade
já é uma caracteristica genetica herdada dos genes, eu sempre
vejo crianças brigando sendo que ainda nem possuem la tanta
testoterona, esses dias mesmo meus primos se acabaram por uma
besteira, e o melhor os dois achavam que deus estava com eles
por que eles estavam certos e que deus os iria protejer do
mundo cruel...Existe outro ponto alem da infantilidade em
QUERER acreditar nessas besteiras de deus, que é o sentido da
vida, digamos assim, para pessoas como o manuel DEVE existir
algo mais senão tudo pareceria sem sentido...Bom se eles não
conseguem ser maduros o suficiente para acreditar nisso, é
bom procurar a sua chupeta mais proxima.

“... [a religião é] um sistema de doutrinas e promessas que,
por um lado, lhe explicam os enigmas deste mundo com
perfeição invejável e que, por outro lado, lhe garantem que
uma Providência cuidadosa velará por sua vida e o compensará,
numa existência futura, de quaisquer frustrações que tenha
experimentado aqui. O homem comum só pode imaginar essa
Providência sob a figura de um pai ilimitadamente
engrandecido. Apenas um ser desse tipo pode compreender as
necessidades dos filhos dos homens, enternecer-se com suas
preces e aplacar-se com os sinais de seu remorso. Tudo é tão
patentemente infantil, tão estranho à realidade, que, para
qualquer pessoa que manifeste uma atitude amistosa em relação
à humanidade, é penoso pensar que a grande maioria dos
mortais nunca será capaz de superar essa visão da vida. Mais
humilhante ainda é descobrir como é vasto o número de pessoas
de hoje que não podem deixar de perceber que essa religião é
insustentável e, não obstante isso, tentam defendê-la, item
por item, numa série de lamentáveis atos retrógrados.”
Sigmund Freud
Matheus


---
Acabe com aquelas janelinhas que pulam na sua tela.
AntiPop-up UOL - É grátis!
http://antipopup.uol.com.br



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 18:00

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> JUNIOR: Mas existe um porém, apesar de os genes e o ambiente
> interagirem, nao siginifica que as característica adquiridas no
> meio ambiente gere uma modificaçao genética.

Uai, eu nao vejo nenhum porem nisso. A biologia como eu disse nao se
refere apenas ao q. e' genetico. Se a alteracao fenotipica nao e'
herdavel importa do mesmo modo para a biologia.

> Ocorre no caso apenas uma seleçao cultural(mesmo que seja pra
> pior ou melhor), que nada tem haver com seleçao biológica.

Selecao cultural e' uma forma de selecao biologica. Apenas pode nao
se refletir em termos evolutivos. Qual o problema? E' assunto
biologico do mesmo modo -- e nem precisamos tratar essas mudancas
culturais em termos de memes (embora tal abordagem seja possivel).

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: (no subject)
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 18:21

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Maria Natália <gogul@m...>
escreveu
> Qual é o preço de cada ajuda?
> É que eu tb tenho um problema. Claro iria pelo mail pessoal...
> Maria Natália, trocando por géneros

Pra você é de graça professora. Eu sou bem boazinha. :)
Pode me mandar um email.

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: Energia!!!!
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 18:23

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Vagner" <vagchaga@t...>
> Alguem tem alguma matéria que fala sobre tipos de energia e onde
> sao empregadas?

http://www.feiradeciencias.com.br/sala21/21_12_01.asp

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 18:54

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
> Selecao cultural e' uma forma de selecao biologica. Apenas pode nao
> se refletir em termos evolutivos. Qual o problema? E' assunto
> biologico do mesmo modo -- e nem precisamos tratar essas mudancas
> culturais em termos de memes (embora tal abordagem seja possivel).

Mas tbm conforme eu dizia no outro email, nao quer dizer q. importe
apenas para a biologia. Nem q. outros campos nao tenham contribuicoes
importantes a fazer. Os campos muitas vezes se sobrepoem e isso nao
e' necessariamente ruim: pode ser muito produtivo. (Claro, tbm pode
ser desastroso se conflitos de interesses e de abordagem nao forem
bem administrados.)

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Filme "Cientistas Brasileiros" na TV dias 14 e 15 de novembro
FROM: Roberto Belisário <belistas2@terra.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 19:50


Caros,

O filme "Cientistas Brasileiros", do cineasta José Mariani, um documentário
sobre a vida dos
físicos brasileiros César Lattes e José Leite Lopes, será exibido na TV
novamente, no canal STV, nos dias 14/11 (sexta) às 20 horas e no dia 15/11
(sábado) às 21 horas.

Canais STV:
São Paulo e Brasília - NET canal 3
Rio de Janeiro - NET Canal 54
Em todo Brasil - Sky canal 3, Directv canal 211 e Tecsat canal 10

Há uma matéria no Estado de S. Paulo sobre esse filme em:
http://www.estadao.com.br/divirtase/noticias/2002/abr/03/63.htm

Abraços,
Roberto Belisário
rbdiniz@terra.com.br
Labjor - Laboratório de Estudos Avançados em Jornalismo
www.labjor.unicamp.br




SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 12/11/2003 20:52

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> Uai, eu nao vejo nenhum porem nisso. A biologia como eu disse nao
se
> refere apenas ao q. e' genetico. Se a alteracao fenotipica nao e'
> herdavel importa do mesmo modo para a biologia.

JUNIOR: Takata voce é mineiro?(UAI???)
Bem voce tem uma certa razao se analizarmos sem uma perpectiva nao-
evolucionária. Mas sendo a poligamia e monogamias formas culturais,
elas bem podem servir para perpetuaçao e a bem da espécie, formando
proles saudáveis e mais adaptadas na espécie humana. Só que no caso,
o problema é mais dependente de cultura do que da biologia, sendo que
a cultura neste caso, favoreça a espécie biologicamente,numa açao
conjunta. E se tal fato ocorra em culturas contrárias da mesma forma
a espécie é beneficiada de qualquer maneira. Nao há um indicativo de
que a espécie humana pertencente a culturas diferentes sejam
biologicamente melhores que outras de culturas contrárias, ou há?
Apesar de se diversificarem sociologica- economicamente. É aí que
encontro a irrelevancia da cultura para biologia em certos casos,
embora em muitos casos ela favoreça a perpetuaçao da espécie. Nao há
como se bater o martelo arbitrariamente.

>
> Selecao cultural e' uma forma de selecao biologica. Apenas pode nao
> se refletir em termos evolutivos. Qual o problema? E' assunto
> biologico do mesmo modo -- e nem precisamos tratar essas mudancas
> culturais em termos de memes (embora tal abordagem seja possivel).

JUNIOR: Vamos analisar mais claramente a questao. Eu diria que a
inteligencia e a aptidao é uma caracteristica seletiva da espécie, e
genotipicamente falando ela é responsável pela manifestaçao da
cultura fenotipicamente. Sendo que a cultura é extremamente mutável,
depende de circunstancias, crenças, adaptaçoes ocasioes, época e
modismos. Sendo a cultura um produto da manifestaçao da inteligencia
ou aptidao humana, como ela poderá ser um processo seletivo
biológico? Apesar de fenoticamente e biologicamente nos utizarmos
dela para determinados fins? Os seres humanos de mesma raça e espécie
pode ter uma gama variável de culturas, e portando donde isso pode
servir como um processo seletivo? Sendo que a qualquer momento eles
podem mudar de uma cultura, e geneticamente e fenotipicamente
permanecerem as mesmas criaturas? De qualquer maneira nao há qualquer
mal em as espécies se manterem como estao(talvez seja isso um mero
produto da seleçao e adaptaçao) Se a interpretaçao biológica de
cultura , seja algo bem temporário mesmo,a curto prazo, sem se servir
de propósitos evolutivos, talvez seja até possível. Mas acho meio
complicado

PS: De qualquer maneira, mesmo que eu esteja errado, é sempre bom
enveredarmos neste tipo de discussao

saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Galáxias
FROM: "Carlos AR" <cfrued@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 00:12

As galáxias mais velhas do cosmo, são elipticas ou são espirais ou de outras formas?


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Galxias
FROM: Phoenix Myth <phoenixclever@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 00:24

Olá...
Eu não tenho certeza... mas acho que o formato de uma
galáxia não tem a ver com a sua evolução!
Se estiver errado, alguém me corrija.
[]s



--- Carlos AR <cfrued@uol.com.br> escreveu: > As
galáxias mais velhas do cosmo, são elipticas ou
> são espirais ou de outras formas?
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto
> foram removidas]
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras
> descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>

______________________________________________________________________

Yahoo! Mail: 6MB, anti-spam e antivírus gratuito! Crie sua conta agora:
http://mail.yahoo.com.br


SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 00:36

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
> Mas tbm conforme eu dizia no outro email, nao quer dizer q. importe
> apenas para a biologia. Nem q. outros campos nao tenham
contribuicoes
> importantes a fazer. Os campos muitas vezes se sobrepoem e isso nao
> e' necessariamente ruim: pode ser muito produtivo. (Claro, tbm pode
> ser desastroso se conflitos de interesses e de abordagem nao forem
> bem administrados.)


JUNIOR: Passei o dia todo pensando neste assunto. A cultura foi
consequencia do desenvolvimento da fala moderna, e mesmo que ela vá
obviamente além da biologia, como voce descreve acima, ela surge a
partir desta e está inscrustada nela. O nosso pensamento e a
expressao física do mesmo sao refreados e moldados pela engenharia
biológica, que participa da formaçao de um ser humano operante, sem
planejamentos, e vinculados à seleçao natural. A linguagem , o
raciocínio e o intelecto criadores de culturas sao o que torna os
seres humanos diferentes de outros animais. Mas tem uma diferença EX:
nao somos programados para falar ingles, como ocorre com alguns
pássaros, que inatamente sabem o canto de sua espécie.
Refletindo sobre tudo que debatemos sou levado ao seguinte
tipo de raciocínio: De acordo com as linhas gerais debatidas por nós
anteriormente, me coloca numa posiçao de centro entre dois extremos:
um, onde a biologia tem importancia no contexto cultural, outro onde
ela nao vale absolutamente nada.
Os seres humanos sao capazes de aprender virtualmente
qualquer coisa, a atuar sobre elas, independente de seu valor
adaptativo. E a seleçao entra em jogo depois que as idéias culturais
foram adotadas, eliminando aquelas mais infortunadas que defendem
noçoes mal-adaptativas. Será que é neste sentido que o seu argumento
se torna válido, em achar que a cultura é tb um aspecto biológico?

saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re: [ciencialist] Galáxias
FROM: "Prof. Alberto Ricardo Präss" <arprass@fisica.net>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 01:01

O formato está muito relacionado com a evolução e a idade sim.


abs,


Prof. Alberto Ricardo Präss
Diretor de Informática - Grupo Universitário

R. Dr. Flores, 330/50
90020-123 - Porto Alegre, RS
(51) 3225-0966 R. 267
www.universitario.com.br
E-mail: "alberto at universitario dot net"
Web Site Pessoal: www.fisica.net
MSN: arprass@hotmail.com
AIM: asp21alberto
ICQ: 4730660


Se alguma coisa pode dar errado, dará.
E mais, dará errado da pior maneira, no
pior momento e de modo que cause o
maior dano possível.

The Winner Takes It All

----- Original Message -----
From: "Phoenix Myth" <phoenixclever@yahoo.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Thursday, November 13, 2003 12:24 AM
Subject: Re: [ciencialist] Galáxias


Olá...
Eu não tenho certeza... mas acho que o formato de uma
galáxia não tem a ver com a sua evolução!
Se estiver errado, alguém me corrija.
[]s



--- Carlos AR <cfrued@uol.com.br> escreveu: > As
galáxias mais velhas do cosmo, são elipticas ou
> são espirais ou de outras formas?
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto
> foram removidas]
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras
> descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>

______________________________________________________________________

Yahoo! Mail: 6MB, anti-spam e antivírus gratuito! Crie sua conta agora:
http://mail.yahoo.com.br

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: [STR] Encontros Regionais em Novembro (RJ e SP)
FROM: "Leo Vines" <str@strbrasil.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 02:17

Prezados,

Em novembro a STR promoverá dois encontros regionais. Um churrasco
de confraternização no Rio de Janeiro e um encontro em São Paulo.

O de setembro, no Rio de Janeiro, foi um sucesso, com mais de 25
participantes. Neste encontro do Rio de Janeiro teremos várias
atrações, como exibições de vídeos relacionados à STR, palestra,
piscina, videokê e jogos. Até agora sete participantes já confirmaram
presença efetuando o depósito na conta bancária da STR.

Para obter informações adicionais e atualizações sobre as
atrações, visite http://www.strbrasil.com/principal.php#encontro .
Compareça, traga seus amigos e faça novos!

Atenciosamente,
Leo Vines, Presidente
Vines@strbrasil.com
Sociedade da Terra Redonda
http://www.strbrasil.com
"Porque concluir é melhor que acreditar"

===

* Eventos:

- Churrasco de Confraternização da STR no Rio de Janeiro
- Encontro da STR em São Paulo

* Datas (sábados):

RJ - 29 de novembro de 2003
SP - 22 de novembro de 2003 (e não 15 de novembro como anunciado
previamente!)

* Horários:

RJ - 12h (meio-dia)
SP - 19h

* Atrações (Apenas para o RJ):

- Churrasco completo (Alcatra, lombinho de porco, lingüiça, asa de
frango, drumete, pão de alho, arroz, farofa, molho à campanha, batata
frita, salada de maionese, salada verde, salada de feijão fradinho,
refrigerantes e sorvete.)
- Vídeos (Cosmos de Carl Sagan, Documentários do Discovery Channel,
documentários da BBC e documentários em IMAX.)
- Palestra (Astronomia vs. Astrologia, ministrada pelo astrônomo
Alberto Delerue)
- Piscina, videokê e jogos de mesa (Dominó, baralho, damas, xadrez
etc.)

* Locais:

RJ - Av. Sargento Carlos Argemiro de Camargo, 36 - Anil -
Jacarepaguán (Próximo à entrada na Estrada de Jacarepaguá, 6381)
SP - Boulevard Ana Rosa (Mister Sheik), à Rua Vergueiro, n.º 2287 -
Tel.: 5549-3767. Em frente ao terminal Ana Rosa e bem próximo ao
Metrô (de mesmo nome).

* Como Chegar (Apenas para o RJ):

- De carro: Use o link http://www.apontador.com.br/mail/ver_mapa.php?
np=1&navegador=1&endereco=%2523-22.952802%2523-43.338203%2523RJ%
2523RIO%2BDE%2BJANEIRO%2523ANIL%2B%2523RIO%2BDE%2BJANEIRO%2523ESTR%
2BDE%2BJACAREPAGUA%25236381%252322753808%2523 para o mapa interativo
do local.
- De ônibus: As linhas 268, 636 e quaisquer outras cujos itinerários
passem pela Estrada de Jacarepaguá podem ser usadas. Em
http://www.rioonibus.com/guia_de_itinerarios/index.asp há um sistema
interativo de busca de linhas de ônibus, onde pode-se conseguir
informações sobre outras linhas.
- De carona: Em http://www.strbrasil.com/principal.php#encontro há
uma lista de participantes que oferecem carona para moradores de suas
proximidades. Se você pretende ir no encontro e pode dar carona envie
seus dados pelo endereço Str@strbrasil.com , publicaremos seu
telefone e e-mail para que os interessados entrem em contato. Em
http://www.strbrasil.com/Forum/viewtopic.php?t=4132 há um tópico para
troca de informações sobre caronas e caravanas.

* Preços:

SP - Há rodízio de pizza à R$ 7,90, churrasco por quilo a R$ 15,90,
lanches, bebidas etc.
RJ - R$ 15,00 por pessoa, com desconto para Membros Associados
proporcional à categoria de associação.
IMPORTANTE: Os participantes devem efetuar um depósito na conta
corrente da STR até o dia 26/11 e enviar para Str@strbrasil.com um e-
mail com a data e valor do depósito, telefone para contato e nome dos
participantes beneficiados pelo depósito. Os dados bancários da STR
são:

= Banco: Bradesco Agência: 0026-4 Conta Corrente: 307480-3
Correntista: Ulysses da Silva =

* Informações:

RJ - Leo Vines no (21) 9116-8427 ou pelo e-mail Vines@strbrasil.com .
SP - Daniel Sottomaior no (11) 9388-4746 ou pelo e-mail
Sottomaior@strbrasil.com .



SUBJECT: Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 02:27

Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
Data storage made easy
12 November 2003

Researchers in the US have invented a new type of electronic memory
device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University and
Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic with
silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
storing data that is faster and simpler to use than a conventional
compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
Researchers use polymers to make electronic devices such as diodes
and transistors, but they have paid little attention to exploiting
polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil. The
data can only be written once because the write process causes
permanent physical changes in the material. However, the data can be
read and re-read indefinitely.

WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a legenda:
Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
Also shown is the chemical structure of the two-component
electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
Princeton University


The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
coating for photographic film and in video displays - conducts
electricity at low voltages but becomes permanently non-conducting
at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
circuit breaker.
In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
and '0's. The new memory element would consist of a grid of circuits
in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large applied
voltage would result in the fuse being blown and would close the
circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
The researchers say that their technique could be used to make
memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable of
storing 1 megabit of information. Although this is 100 times lower
than the best magnetic memories, the device could find applications
in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would contain
no moving parts - such as the laser and motor drives found in
conventional magnetic and optical writers.
The team now hopes to turn their invention into a commercially
viable product. "This could take as little as five years," says
Forrest.

Author
Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb

Hug
Maria Natália






SUBJECT: Novo arquivo carregado em ciencialist
FROM: ciencialist@yahoogrupos.com.br
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 02:29


Olá,

Esta mensagem é uma notificação para informá-lo que um novo arquivo foi adicionado no grupo ciencialist.

Arquivo : /wormdevice.jpg
Carregado por : grasdic2 <gogul@megamail.pt>
Descrição : WORM memory # 30085

Você pode acessar o arquivo pela URL:

http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/files/wormdevice.jpg

Para saber mais sobre compartilhamento de arquivos no grupo, leia:

http://help.yahoo.com/help/br/groups/files

Atenciosamente,

grasdic2 <gogul@megamail.pt>







SUBJECT: Re: Poligamina fenimina gera prole mais saudável
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 08:48

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> Bem voce tem uma certa razao se analizarmos sem uma perpectiva nao-
> evolucionária.

Como assim?

> Mas sendo a poligamia e monogamias formas culturais,
> elas bem podem servir para perpetuaçao e a bem da espécie, formando
> proles saudáveis e mais adaptadas na espécie humana. Só que no
> caso, o problema é mais dependente de cultura do que da biologia,

A cultura faz parte da biologia. Mais uma vez chamo a atencao para
nao se confundir: a biologia nao se refere apenas 'a genetica.
Aparentemente vc quer dizer q. o sistema de casamento nas populacoes
humanas e' ditado mais pela cultura do q. pelos genes. Tto em um caso
como em outro e' ditado pela biologia humana.

> JUNIOR: Vamos analisar mais claramente a questao. Eu diria que a
> inteligencia e a aptidao é uma caracteristica seletiva da espécie,
> e genotipicamente falando ela é responsável pela manifestaçao da
> cultura fenotipicamente.

Genotipicamente ou geneticamente?

> Sendo que a cultura é extremamente mutável, depende de
> circunstancias, crenças, adaptaçoes ocasioes, época e
> modismos.

Nao tao mutavel assim. Embora se admita q. alteracoes culturais, em
geral, tenham um potencial maior do q. alteracoes geneticas. (Sempre
sem se esquecer q. provavelmente muitos aspectos basicos da cultura
possuem raizes geneticas tbm.)

> Sendo a cultura um produto da manifestaçao da inteligencia
> ou aptidao humana, como ela poderá ser um processo seletivo
> biológico?

Peguemos um exemplo extremo: digamos uma cultura q. incentive a
perfeicao fisica -- talvez ate' com interdicao de reproducao de
individuos q. nao sao aptos sob o ponto de vista dessa cultura --
isso leva a uma selecao dos q. sao fisicamente mais perfeitos.
Conquanto tais caracteristicas tenham componentes geneticos, tal
cultura determina a evolucao das caracteristicas consideradas.

Um possivel exemplo. Mudancas culturais determinaram uma reducao da
quantidade de fibras ingeridas em nossa dieta. Alimentos menos
fibrosos sao, em geral, menos resistentes mecanicamente -- isso exige
um esforco muscular menor no processamento durante a mastigacao. A
estrutura bucal dos dentes e dos ossos da mandibula e maxila superior
tbm sao menos exigidas. Com o passar das geracoes um sistema buco-
maxilar osteo-muscular menos desenvolvido pode surgir -- ha' um
alivio da pressao seletiva em direcao a um sistema masticatorio mais
robusto. Pode-se imaginar q. seria apenas uma resposta plastica
fisiologica -- como o musculo q. pode se desenvolver ou atrofiar-se
dependendo da carga de exercicio. Sim, e' verdade. Mas uma vez
aliviada a pressao, em surgindo mutacoes q. nao permitam o
desenvolvimento maior do sistema masticatorio, elas nao mais serao
tao fortemente extirpadas pela selecao.

Supoem-se q. as mulheres rechonchudas eram mais atraentes sexualmente
na pre-historia. Indicava saude e capacidade de geracao de prole. Em
um ambiente com escassez relativa de alimentos, alguem q. conseguisse
ser gordo deveria ter bons atributos para obter recursos. No ambiente
atual -- apesar das diferencas regionais -- o acesso ao alimento e'
bem mais facil: ha' um grande aumento no indice de obesos em muitos
locais. A gordura passa a ser sinal nao de saude e fertilidade, mas
de morbidez. A cultura aparentemente esta' intimamente ligada a
questoes ambientais (alem de geneticas).

> Os seres humanos de mesma raça e espécie
> pode ter uma gama variável de culturas, e portando donde isso pode
> servir como um processo seletivo?

O processo seletivo se refere a uma dada populacao. Se uma populacao
tem uma cultura xis -- essa cultura xis pode determinar um processo
seletivo ipsolon. Se a outra populacao tem uma cultura diferente, a
selecao pode ser diferente. Nenhum problema nisso. O processo
seletivo nao precisa ser universal (e nem estou falando de
vestibular).

Mas, novamente, a cultura nem precisaria ser um agente de selecao. Um
cara q. vai do Rio de Janeiro ate' Lima sofrera' alteracoes
fisiologicas em seu sistema circular e respiratorio devido a mudancas
no teor de oxigenio. A mudanca e' reversivel em curtissimo prazo --
algumas semanas. Esta' perfeitamente no ambito do interesse da
biologia estudar. (Claro, a perspectiva evolutiva acrescenta
informacoes e ajuda a contextualizar -- mas uma visao de curto prazo
tbm e' contemplada pelo estudo da biologia: e isso e' um prazo muito
mais curto do q mudancas culturais.)

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Galáxias
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 09:37


> --- Carlos AR <cfrued@u...> escreveu: > As
> galáxias mais velhas do cosmo, são elipticas ou
> > são espirais ou de outras formas?

Oi Carlos,

Para início de conversa, quais galáxias você está considerando como
as mais "velhas": aquelas que são visíveis nos limites de
visibilidade do universo, ou aquelas que realmente já chegaram aos
estágios finais de evolução?

Bem, depois de sua longa jornada evolutiva, quando a maior parte do
estoque de gás e poeira interestelar já foi consumido, quando seu
buraco negro interior torna-se ativo novamente, as galáxias tendem a
assumirem o formato elíptico. Pelo menos isso é o que tem sido
observado.

Beijos, Lígia



SUBJECT: Re: Galáxias
FROM: João R. Bonomo <joao_bonomo@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 11:02

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Carlos AR" <cfrued@u...>
escreveu
> As galáxias mais velhas do cosmo, são elipticas ou são espirais ou
de outras formas?
>
>
[jrb]: Uma ótima referência sobre esse assunto está em:

http://astro.if.ufrgs.br/galax/index.htm

Bom proveito.

[]'s
jrb



SUBJECT: Fw: Lancha pop Pop
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 11:29

Oi Roberto,

quero outro exemplar desse barquinho. O meu já está gasto de tanto tirar fotografias! Vc mora por perto desse endereço? Tem alguém pela C-list que mora por perto da Av. Antártica?

aquele abraço,
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: Antonio Justino Zanatta
Para: leobarretos@uol.com.br
Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 10:23
Assunto: Lancha pop Pop


Professor Luiz Bom dia,

Ha algum tempo atrás, teclamos sobre o barquinho, muito bem em minhas andanças pelas ruas eis que passo por uma loja e lá estava ela, linda maravilhosa a lanchinha pop pop. E o que é mais importante o preço somente r$ 15,00. Talvez o senhor não se lembre, mas no ultimo e-mail que lhe envie escrevi que se encontrasse mandaria as informações.
Sendo assim minha missão terminou, ai vai o endereço.

OLYMPUS, ESPORT HOBBY E LAZER

Av. Antartica,408 = Bloco B Térreo L. 1203 fones 11 - 3673-1546 3673-9871 Shopping West Plaza.

Tenha um Bom dia
[]
Zanatta

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 11:39

O que está escrito nesse texto em língua alienígena?
Não dá para usar o Latim? Ou Sânscrito?
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Maria Natália" <gogul@megamail.pt>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 02:27
Assunto: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui


Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
Data storage made easy
12 November 2003

Researchers in the US have invented a new type of electronic memory
device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University and
Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic with
silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
storing data that is faster and simpler to use than a conventional
compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
Researchers use polymers to make electronic devices such as diodes
and transistors, but they have paid little attention to exploiting
polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil. The
data can only be written once because the write process causes
permanent physical changes in the material. However, the data can be
read and re-read indefinitely.

WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a legenda:
Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
Also shown is the chemical structure of the two-component
electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
Princeton University


The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
coating for photographic film and in video displays - conducts
electricity at low voltages but becomes permanently non-conducting
at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
circuit breaker.
In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
and '0's. The new memory element would consist of a grid of circuits
in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large applied
voltage would result in the fuse being blown and would close the
circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
The researchers say that their technique could be used to make
memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable of
storing 1 megabit of information. Although this is 100 times lower
than the best magnetic memories, the device could find applications
in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would contain
no moving parts - such as the laser and motor drives found in
conventional magnetic and optical writers.
The team now hopes to turn their invention into a commercially
viable product. "This could take as little as five years," says
Forrest.

Author
Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb

Hug
Maria Natália





##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Galáxias
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 11:42

De: "Ligia Amorese"

> --- Carlos AR <cfrued@u...> escreveu: > As
> galáxias mais velhas do cosmo, são elipticas ou
> > são espirais ou de outras formas?

Oi Carlos,

Para início de conversa, quais galáxias você está considerando como
as mais "velhas": aquelas que são visíveis nos limites de
visibilidade do universo, ou aquelas que realmente já chegaram aos
estágios finais de evolução?

Bem, depois de sua longa jornada evolutiva, quando a maior parte do
estoque de gás e poeira interestelar já foi consumido, quando seu
buraco negro interior torna-se ativo novamente, as galáxias tendem a
assumirem o formato elíptico. Pelo menos isso é o que tem sido
observado.

Léo: estoque de gás e poeira estelar foi consumido e virou o quê? O formato elíptico final é conseqüência única da gravitação?
[]'


SUBJECT: p/ Brudna
FROM: Hélio Ricardo Carvalho <hrc@fis.puc-rio.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 12:07

Brudna,
Parabéns

Eu visitei o nosso site:
http://www.ciencialist.hpg.ig.com.br

Está excelente.
Gostei principalmente da relação dos debates já ocorridos aqui.
Foi ótimo para mim que entrei agora em agosto poder conhecer debates
do passado (Alguns debates antigos eu já tinha visto no site do
Alberto Mesquita). Deve ter dado bastante trabalho.
Parabéns.

Hélio



SUBJECT: Ai ai, agora eu to ficando doidão...
FROM: "Paulo Henrique Lerbach Rodrigues" <phatleta@yahoo.com.br>
TO: "Rafael Boaventura" <rafael_boaventura@hotmail.com>, "Nolan Seabra" <nsseabra@hotmail.com>, "Matheus Lago" <matheus.lago@terra.com.br>, "Jadson Soares" <jadsonsoares@hotmail.com>, <david.branco@embraer.com.br>, <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 12:08

To mandando duas fotos agora, uma é o dc dez voando reto e nivelado com um angulo de ataque do estabilizador horizontal negativo ( Razão pela qual eu imaginei o perfil ser assimétrico ), mas na outra foto onde eu desenhei a corda do perfil não dá para ter certeza se o perfil é simétrico ou não.

Alguém sabe me dizer também se o conjunto do estabilizador, profundor é móvel???

Se for muda todas as minha idéias...

Por favor, preciso com urgência destas informações, toda ajuda é válida...

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: As fotos não foram, mas quem se interessar em solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...
FROM: "Paulo Henrique Lerbach Rodrigues" <phatleta@yahoo.com.br>
TO: <david.branco@embraer.com.br>, <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 12:19

As fotos não foram, mas quem se interessar em solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...

Outra coisa, alguem sabe me dizer porque que ganhamos sustentação quando aumentamos o angulo de ataque da aeronave?

Sem ser aquela velha resposta que é porque nós modificamos o coeficiente de sustentação, mas sim porque que nós modificamos o coeficiente de sustentação quando aumentamos o angulo de ataque...

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: As fotos não foram, mas quem se interessar em solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 12:49

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Paulo Henrique Lerbach
> Outra coisa, alguem sabe me dizer porque que ganhamos sustentação
> quando aumentamos o angulo de ataque da aeronave?

E' o principio da acao e reacao. Com o aumento do angulo de ataque,
aumenta a componente vertical da forca de contato entre o ar (a
particula do ar) e a asa. O ar e' empurrado para baixo e a nave para
cima. Claro q. nao se pode aumentar muito o angulo, ja' q. se de um
lado a 90o o ar e' empurrado para a frente (e a nave para tras - puro
arrasto), angulos grandes criam um fluxo turbulento.

Isso em uma explicacao bem rasa e incompleta.

(Eu compro a tese de q. o angulo de ataque da asa tem muito mais a
ver com a sustentacao do aviao do q. o efeito Bernoulli.)

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: As fotos não foram, mas quem se interessar em solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...
FROM: "Paulo Henrique Lerbach Rodrigues" <phatleta@yahoo.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 12:59

quanto À tese que você compra, nós sabemos que Bernoulli funciona muito bem
na asa do avião, se não era melhor serem feitos os perfis todos simétricos,
não sei aonde que ele viu, mas um professor meu na faculdade falou que
estudos comprovam a o acrescimo por causa de ação e reação é cerca de 25% do
total quando muito...

Mas eu particularmente não vejo até agora outra explicação para provar
porque variamos a sustentação quando mudamos o angulo de ataque senão por
ação e reação...

Por favor gente, vamos botar as caixolas para funcionar, quero ver o bicho
pegar fogo...

----- Original Message -----
From: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Thursday, November 13, 2003 12:49 PM
Subject: [ciencialist] Re: As fotos não foram, mas quem se interessar em
solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Paulo Henrique Lerbach
> Outra coisa, alguem sabe me dizer porque que ganhamos sustentação
> quando aumentamos o angulo de ataque da aeronave?

E' o principio da acao e reacao. Com o aumento do angulo de ataque,
aumenta a componente vertical da forca de contato entre o ar (a
particula do ar) e a asa. O ar e' empurrado para baixo e a nave para
cima. Claro q. nao se pode aumentar muito o angulo, ja' q. se de um
lado a 90o o ar e' empurrado para a frente (e a nave para tras - puro
arrasto), angulos grandes criam um fluxo turbulento.

Isso em uma explicacao bem rasa e incompleta.

(Eu compro a tese de q. o angulo de ataque da asa tem muito mais a
ver com a sustentacao do aviao do q. o efeito Bernoulli.)

[]s,

Roberto Takata


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html



SUBJECT: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 13:05

Olá

Traduzindo:
Desenvolvedores nos USA inventaram um novo tipo de dispositivo de memoria eletronica. Stephen Forrest e colaboradores na Universidade de Princeton e da HP criaram um dispositivo combinando plástico comum com silicio (um breve aparte, o filme sobre a Macintosh e a Microsoft passou na TV com o singelo titulo de Piratas do Silicone, ao inves de Piratas do Silicio, parecia um filme sobre Drag Queens e travestis..:-). Esta conquista pode se tornar um modo barato de armazenar informação e dados que é mais rápida e simples de usar do que o convecional CD-W (s moller et al. 2003 Nature 426 166).
Os desenvolvedores usam polimeros para criar dispositivos eletronicos como diodos e transistores, mas tem prestado pouca atenção em explorar os polimeros como dispositivos memória. Agora, Forrest e seus colegas criaram um 'escreva uma vez leia várias' (WORM) dispositivo aplicando camadas de plástico condutivo chamado PEDOT sobre uma superfície de um fino filme de diodo de silicio que são depositados sobre uma folha de metal flexivel. Os dados só podem ser escritos uma vez porque o processo de escrita causa mudanças fisicas permanentes no material. entretanto, a os dados podem ser lidos e relidos indefinidamente.

Um abraço.

Homero

----- Original Message -----
From: Luiz Ferraz Netto
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Thursday, November 13, 2003 11:39 AM
Subject: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui


O que está escrito nesse texto em língua alienígena?
Não dá para usar o Latim? Ou Sânscrito?
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Maria Natália" <gogul@megamail.pt>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 02:27
Assunto: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui


Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
Data storage made easy
12 November 2003

Researchers in the US have invented a new type of electronic memory
device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University and
Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic with
silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
storing data that is faster and simpler to use than a conventional
compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
Researchers use polymers to make electronic devices such as diodes
and transistors, but they have paid little attention to exploiting
polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil. The
data can only be written once because the write process causes
permanent physical changes in the material. However, the data can be
read and re-read indefinitely.

WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a legenda:
Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
Also shown is the chemical structure of the two-component
electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
Princeton University


The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
coating for photographic film and in video displays - conducts
electricity at low voltages but becomes permanently non-conducting
at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
circuit breaker.
In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
and '0's. The new memory element would consist of a grid of circuits
in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large applied
voltage would result in the fuse being blown and would close the
circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
The researchers say that their technique could be used to make
memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable of
storing 1 megabit of information. Although this is 100 times lower
than the best magnetic memories, the device could find applications
in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would contain
no moving parts - such as the laser and motor drives found in
conventional magnetic and optical writers.
The team now hopes to turn their invention into a commercially
viable product. "This could take as little as five years," says
Forrest.

Author
Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb

Hug
Maria Natália





##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html



Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: Álvaro Antpack <sci@eletro.ufrgs.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 13:26

pelo menos não está em francês.........
----- Original Message -----
From: Luiz Ferraz Netto
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Thursday, November 13, 2003 11:39 AM
Subject: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui


O que está escrito nesse texto em língua alienígena?
Não dá para usar o Latim? Ou Sânscrito?
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Maria Natália" <gogul@megamail.pt>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 02:27
Assunto: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui


Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
Data storage made easy
12 November 2003

Researchers in the US have invented a new type of electronic memory
device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University and
Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic with
silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
storing data that is faster and simpler to use than a conventional
compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
Researchers use polymers to make electronic devices such as diodes
and transistors, but they have paid little attention to exploiting
polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil. The
data can only be written once because the write process causes
permanent physical changes in the material. However, the data can be
read and re-read indefinitely.

WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a legenda:
Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
Also shown is the chemical structure of the two-component
electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
Princeton University


The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
coating for photographic film and in video displays - conducts
electricity at low voltages but becomes permanently non-conducting
at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
circuit breaker.
In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
and '0's. The new memory element would consist of a grid of circuits
in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large applied
voltage would result in the fuse being blown and would close the
circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
The researchers say that their technique could be used to make
memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable of
storing 1 megabit of information. Although this is 100 times lower
than the best magnetic memories, the device could find applications
in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would contain
no moving parts - such as the laser and motor drives found in
conventional magnetic and optical writers.
The team now hopes to turn their invention into a commercially
viable product. "This could take as little as five years," says
Forrest.

Author
Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb

Hug
Maria Natália





##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html



Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: As fotos não foram, mas quem se interessar em solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 13:53

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Paulo Henrique Lerbach
> quanto À tese que você compra, nós sabemos que Bernoulli funciona
> muito bem na asa do avião, se não era melhor serem feitos os perfis
> todos simétricos,

Nao necessariamente. Pode ate' haver talvez algum ganho pelo efeito
de Bernoulli. Mas eu nao compro a historia de q. ele seja o principal
componente de sustentacao. Perfis assimetricos podem ser importantes
para a questao da turbulencia.

Avioes sao capazes de voar de cabeca para baixo -- bem, nem todos,
mas pelo menos alguns (tendo bons pilotos ao comando). Certamente tal
capacidade nao se deve a Bernoulli.

http://wright.nasa.gov/airplane/lift1.html

> Por favor gente, vamos botar as caixolas para funcionar, quero ver
> o bicho pegar fogo...

Alto la', vc quer q. a gente faca o servico por vc?

http://wright.nasa.gov/airplane/incline.html

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 14:28

Gratíssimo!
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 13:05
Assunto: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui


Olá

Traduzindo:
Desenvolvedores nos USA inventaram um novo tipo de dispositivo de memoria eletronica. Stephen Forrest e colaboradores na Universidade de Princeton e da HP criaram um dispositivo combinando plástico comum com silicio (um breve aparte, o filme sobre a Macintosh e a Microsoft passou na TV com o singelo titulo de Piratas do Silicone, ao inves de Piratas do Silicio, parecia um filme sobre Drag Queens e travestis..:-). Esta conquista pode se tornar um modo barato de armazenar informação e dados que é mais rápida e simples de usar do que o convecional CD-W (s moller et al. 2003 Nature 426 166).
Os desenvolvedores usam polimeros para criar dispositivos eletronicos como diodos e transistores, mas tem prestado pouca atenção em explorar os polimeros como dispositivos memória. Agora, Forrest e seus colegas criaram um 'escreva uma vez leia várias' (WORM) dispositivo aplicando camadas de plástico condutivo chamado PEDOT sobre uma superfície de um fino filme de diodo de silicio que são depositados sobre uma folha de metal flexivel. Os dados só podem ser escritos uma vez porque o processo de escrita causa mudanças fisicas permanentes no material. entretanto, a os dados podem ser lidos e relidos indefinidamente.

Um abraço.

Homero

----- Original Message -----
From: Luiz Ferraz Netto
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Thursday, November 13, 2003 11:39 AM
Subject: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui


O que está escrito nesse texto em língua alienígena?
Não dá para usar o Latim? Ou Sânscrito?
[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: "Maria Natália" <gogul@megamail.pt>
Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 02:27
Assunto: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui


Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
Data storage made easy
12 November 2003

Researchers in the US have invented a new type of electronic memory
device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University and
Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic with
silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
storing data that is faster and simpler to use than a conventional
compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
Researchers use polymers to make electronic devices such as diodes
and transistors, but they have paid little attention to exploiting
polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil. The
data can only be written once because the write process causes
permanent physical changes in the material. However, the data can be
read and re-read indefinitely.

WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a legenda:
Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
Also shown is the chemical structure of the two-component
electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
Princeton University


The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
coating for photographic film and in video displays - conducts
electricity at low voltages but becomes permanently non-conducting
at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
circuit breaker.
In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
and '0's. The new memory element would consist of a grid of circuits
in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large applied
voltage would result in the fuse being blown and would close the
circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
The researchers say that their technique could be used to make
memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable of
storing 1 megabit of information. Although this is 100 times lower
than the best magnetic memories, the device could find applications
in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would contain
no moving parts - such as the laser and motor drives found in
conventional magnetic and optical writers.
The team now hopes to turn their invention into a commercially
viable product. "This could take as little as five years," says
Forrest.

Author
Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb

Hug
Maria Natália





##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html



Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em: http://br.yahoo.com/info/utos.html




SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: As fotos não foram, mas quem se interessar em solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...
FROM: "Paulo Henrique Lerbach Rodrigues" <phatleta@yahoo.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 15:15

Verdade...

Na realidade bernouli faz é atrapalhar o voo de dorso, tanto é que quando
uma aeronave vai voar de cabeça para baixo e tem sua asa assimétrica ela tem
que voar com o bico mais alto que um avião com a asa de perfil simétrico (
Existe = Extra 300 )...

----- Original Message -----
From: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Thursday, November 13, 2003 1:53 PM
Subject: [ciencialist] Re: As fotos não foram, mas quem se interessar em
solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Paulo Henrique Lerbach
> quanto À tese que você compra, nós sabemos que Bernoulli funciona
> muito bem na asa do avião, se não era melhor serem feitos os perfis
> todos simétricos,

Nao necessariamente. Pode ate' haver talvez algum ganho pelo efeito
de Bernoulli. Mas eu nao compro a historia de q. ele seja o principal
componente de sustentacao. Perfis assimetricos podem ser importantes
para a questao da turbulencia.

Avioes sao capazes de voar de cabeca para baixo -- bem, nem todos,
mas pelo menos alguns (tendo bons pilotos ao comando). Certamente tal
capacidade nao se deve a Bernoulli.

http://wright.nasa.gov/airplane/lift1.html

> Por favor gente, vamos botar as caixolas para funcionar, quero ver
> o bicho pegar fogo...

Alto la', vc quer q. a gente faca o servico por vc?

http://wright.nasa.gov/airplane/incline.html

[]s,

Roberto Takata


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html



SUBJECT: Re: Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 15:44

Peço desculpa Mestre:
Mas entre não colocar e perder actaulidade e por e cda um que se
desenrasque, prefiro a 1ª. Mas vale esta in do que ficar às escuras
LOLLLLLLLLLLLLLL
Lampião apagado não fornece energia.
E com a falta de tempo que tenho...só dá assim.
Oa alunos que traduzam. Eles não são universitários?
Traduzir dá trabalho e ainda deve ser feita por técnico, expert na
área. E traduzir mal, não. Cada um que traduza de acordo com a sua
prática. Eu pessoalmente leio in english e porque só leio livros em
Fr e em UK nas minhas áreas de interesse, fica tudo nos conformes.
De qualquer modo acho de bom tom que quem traduz deve indicar o
original sempre.
Não é de propósito que o faço ou para me armar. Veio assim e assim
vos dou.PURA FALTA DE TEMPO.
Tratem-me bem se não desapareço!!
E bons dicionários
Maria Natália



--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> O que está escrito nesse texto em língua alienígena?
> Não dá para usar o Latim? Ou Sânscrito?
> []'
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: "Maria Natália" <gogul@m...>
> Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 02:27
> Assunto: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
> Data storage made easy
> 12 November 2003
>
> Researchers in the US have invented a new type of electronic memory
> device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University and
> Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic with
> silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
> storing data that is faster and simpler to use than a conventional
> compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
> Researchers use polymers to make electronic devices such as diodes
> and transistors, but they have paid little attention to exploiting
> polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
> a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
> conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
> silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil. The
> data can only be written once because the write process causes
> permanent physical changes in the material. However, the data can
be
> read and re-read indefinitely.
>
> WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a
legenda:
> Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
> Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
> Also shown is the chemical structure of the two-component
> electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
> polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
> Princeton University
>
>
> The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
> coating for photographic film and in video displays - conducts
> electricity at low voltages but becomes permanently non-conducting
> at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
> circuit breaker.
> In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
> and '0's. The new memory element would consist of a grid of
circuits
> in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large
applied
> voltage would result in the fuse being blown and would close the
> circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
> remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
> The researchers say that their technique could be used to make
> memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable of
> storing 1 megabit of information. Although this is 100 times lower
> than the best magnetic memories, the device could find applications
> in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would
contain
> no moving parts - such as the laser and motor drives found in
> conventional magnetic and optical writers.
> The team now hopes to turn their invention into a commercially
> viable product. "This could take as little as five years," says
> Forrest.
>
> Author
> Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb
>
> Hug
> Maria Natália
>
>
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html



SUBJECT: Re: Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 15:47

Amanhã enviarei em Francès e para o galáxias da lista
Já que pediram terão
Maria Natália


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Álvaro Antpack <sci@e...>
escreveu
> pelo menos não está em francês.........
> ----- Original Message -----
> From: Luiz Ferraz Netto
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Thursday, November 13, 2003 11:39 AM
> Subject: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> O que está escrito nesse texto em língua alienígena?
> Não dá para usar o Latim? Ou Sânscrito?
> []'
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: "Maria Natália" <gogul@m...>
> Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 02:27
> Assunto: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
> Data storage made easy
> 12 November 2003
>
> Researchers in the US have invented a new type of electronic
memory
> device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University
and
> Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic
with
> silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
> storing data that is faster and simpler to use than a
conventional
> compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
> Researchers use polymers to make electronic devices such as
diodes
> and transistors, but they have paid little attention to
exploiting
> polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
> a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
> conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
> silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil.
The
> data can only be written once because the write process causes
> permanent physical changes in the material. However, the data
can be
> read and re-read indefinitely.
>
> WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a
legenda:
> Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
> Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
> Also shown is the chemical structure of the two-component
> electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
> polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
> Princeton University
>
>
> The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
> coating for photographic film and in video displays - conducts
> electricity at low voltages but becomes permanently non-
conducting
> at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
> circuit breaker.
> In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
> and '0's. The new memory element would consist of a grid of
circuits
> in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large
applied
> voltage would result in the fuse being blown and would close the
> circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
> remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
> The researchers say that their technique could be used to make
> memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable
of
> storing 1 megabit of information. Although this is 100 times
lower
> than the best magnetic memories, the device could find
applications
> in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would
contain
> no moving parts - such as the laser and motor drives found in
> conventional magnetic and optical writers.
> The team now hopes to turn their invention into a commercially
> viable product. "This could take as little as five years," says
> Forrest.
>
> Author
> Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb
>
> Hug
> Maria Natália
>
>
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
> Yahoo! Groups Sponsor
> PUBLICIDADE
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.
>
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 15:50

Em vez de desenvolvedores eu diria investigadores ou técnicos.
E não se esqueça professor a figura que vem nos arquivos e que é
bastante completa para se perceber todo o texto. E até a equação
química do composto resultante na pastilha.
Hug
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Gratíssimo!
> []'
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: "Oraculo" <oraculo@a...>
> Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 13:05
> Assunto: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> Olá
>
> Traduzindo:
> Desenvolvedores nos USA inventaram um novo tipo de dispositivo de
memoria eletronica. Stephen Forrest e colaboradores na Universidade
de Princeton e da HP criaram um dispositivo combinando plástico
comum com silicio (um breve aparte, o filme sobre a Macintosh e a
Microsoft passou na TV com o singelo titulo de Piratas do Silicone,
ao inves de Piratas do Silicio, parecia um filme sobre Drag Queens e
travestis..:-). Esta conquista pode se tornar um modo barato de
armazenar informação e dados que é mais rápida e simples de usar do
que o convecional CD-W (s moller et al. 2003 Nature 426 166).
> Os desenvolvedores usam polimeros para criar dispositivos
eletronicos como diodos e transistores, mas tem prestado pouca
atenção em explorar os polimeros como dispositivos memória. Agora,
Forrest e seus colegas criaram um 'escreva uma vez leia várias'
(WORM) dispositivo aplicando camadas de plástico condutivo chamado
PEDOT sobre uma superfície de um fino filme de diodo de silicio que
são depositados sobre uma folha de metal flexivel. Os dados só podem
ser escritos uma vez porque o processo de escrita causa mudanças
fisicas permanentes no material. entretanto, a os dados podem ser
lidos e relidos indefinidamente.
>
> Um abraço.
>
> Homero
>
> ----- Original Message -----
> From: Luiz Ferraz Netto
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Thursday, November 13, 2003 11:39 AM
> Subject: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> O que está escrito nesse texto em língua alienígena?
> Não dá para usar o Latim? Ou Sânscrito?
> []'
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: "Maria Natália" <gogul@m...>
> Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 02:27
> Assunto: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
> Data storage made easy
> 12 November 2003
>
> Researchers in the US have invented a new type of electronic
memory
> device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University
and
> Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic
with
> silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
> storing data that is faster and simpler to use than a
conventional
> compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
> Researchers use polymers to make electronic devices such as
diodes
> and transistors, but they have paid little attention to
exploiting
> polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
> a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
> conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
> silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil.
The
> data can only be written once because the write process causes
> permanent physical changes in the material. However, the data
can be
> read and re-read indefinitely.
>
> WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a
legenda:
> Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
> Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
> Also shown is the chemical structure of the two-component
> electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
> polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
> Princeton University
>
>
> The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
> coating for photographic film and in video displays - conducts
> electricity at low voltages but becomes permanently non-
conducting
> at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
> circuit breaker.
> In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
> and '0's. The new memory element would consist of a grid of
circuits
> in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large
applied
> voltage would result in the fuse being blown and would close the
> circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
> remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
> The researchers say that their technique could be used to make
> memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable
of
> storing 1 megabit of information. Although this is 100 times
lower
> than the best magnetic memories, the device could find
applications
> in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would
contain
> no moving parts - such as the laser and motor drives found in
> conventional magnetic and optical writers.
> The team now hopes to turn their invention into a commercially
> viable product. "This could take as little as five years," says
> Forrest.
>
> Author
> Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb
>
> Hug
> Maria Natália
>
>
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
> Yahoo! Groups Sponsor
> PUBLICIDADE
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Pessoal de Informática, novidades aqui
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 16:05

Olá Maria

E eu, com mais tempo e cuidado, usaria pesquisadores no lugar de desenvolvedores..:-) E lembre-se que o portugues daqui, difere um tanto do portugues de além mar..:-)

Um abraço.

Homero

----- Original Message -----
From: Maria Natália
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Thursday, November 13, 2003 3:50 PM
Subject: [ciencialist] Re: Pessoal de Informática, novidades aqui


Em vez de desenvolvedores eu diria investigadores ou técnicos.
E não se esqueça professor a figura que vem nos arquivos e que é
bastante completa para se perceber todo o texto. E até a equação
química do composto resultante na pastilha.
Hug
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Gratíssimo!
> []'
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: "Oraculo" <oraculo@a...>
> Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 13:05
> Assunto: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> Olá
>
> Traduzindo:
> Desenvolvedores nos USA inventaram um novo tipo de dispositivo de
memoria eletronica. Stephen Forrest e colaboradores na Universidade
de Princeton e da HP criaram um dispositivo combinando plástico
comum com silicio (um breve aparte, o filme sobre a Macintosh e a
Microsoft passou na TV com o singelo titulo de Piratas do Silicone,
ao inves de Piratas do Silicio, parecia um filme sobre Drag Queens e
travestis..:-). Esta conquista pode se tornar um modo barato de
armazenar informação e dados que é mais rápida e simples de usar do
que o convecional CD-W (s moller et al. 2003 Nature 426 166).
> Os desenvolvedores usam polimeros para criar dispositivos
eletronicos como diodos e transistores, mas tem prestado pouca
atenção em explorar os polimeros como dispositivos memória. Agora,
Forrest e seus colegas criaram um 'escreva uma vez leia várias'
(WORM) dispositivo aplicando camadas de plástico condutivo chamado
PEDOT sobre uma superfície de um fino filme de diodo de silicio que
são depositados sobre uma folha de metal flexivel. Os dados só podem
ser escritos uma vez porque o processo de escrita causa mudanças
fisicas permanentes no material. entretanto, a os dados podem ser
lidos e relidos indefinidamente.
>
> Um abraço.
>
> Homero
>
> ----- Original Message -----
> From: Luiz Ferraz Netto
> To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
> Sent: Thursday, November 13, 2003 11:39 AM
> Subject: Re: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> O que está escrito nesse texto em língua alienígena?
> Não dá para usar o Latim? Ou Sânscrito?
> []'
> ======================
> Luiz Ferraz Netto [Léo]
> leobarretos@u...
> www.feiradeciencias.com.br
> ======================
> -----Mensagem Original-----
> De: "Maria Natália" <gogul@m...>
> Para: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
> Enviada em: quinta-feira, 13 de novembro de 2003 02:27
> Assunto: [ciencialist] Pessoal de Informática, novidades aqui
>
>
> Mais uma vez a química e inorgânica a ajudar-nos no dia a dia:
> Data storage made easy
> 12 November 2003
>
> Researchers in the US have invented a new type of electronic
memory
> device. Stephen Forrest and colleagues at Princeton University
and
> Hewlett-Packard made the device by combining a common plastic
with
> silicon. The breakthrough could lead to an inexpensive way of
> storing data that is faster and simpler to use than a
conventional
> compact disk writer (S Moller et al. 2003 Nature 426 166)
> Researchers use polymers to make electronic devices such as
diodes
> and transistors, but they have paid little attention to
exploiting
> polymers as memory devices. Now, Forrest and colleagues have made
> a 'write-once read-many-times' (WORM) device by layering a
> conductive plastic called 'PEDOT' onto the surface of a thin-film
> silicon diode that has been deposited on a flexible metal foil.
The
> data can only be written once because the write process causes
> permanent physical changes in the material. However, the data
can be
> read and re-read indefinitely.
>
> WORM device nos arquivos vou tentar por a imagem e que tem a
legenda:
> Top: the hybrid organic/inorganic semiconductor WORM memory
> Bottom: Diagram of the WORM memory element used in this study
> Also shown is the chemical structure of the two-component
> electrochromic polymer PEDOT (polyethylenedioxythiophene (PEDT):
> polystyrene sulphonic acid (PSS) Photo courtesy: Steven Schultz
> Princeton University
>
>
> The Princeton-HP team discovered that PEDOT - which is used as a
> coating for photographic film and in video displays - conducts
> electricity at low voltages but becomes permanently non-
conducting
> at higher voltages (of around 10 volts). It thus acts a fuse or
> circuit breaker.
> In a memory device, data needs to be written as a string of '1s'
> and '0's. The new memory element would consist of a grid of
circuits
> in which all the connections contained a PEDOT fuse. A large
applied
> voltage would result in the fuse being blown and would close the
> circuit. This would be a '0'. At lower voltages, the fuse would
> remain intact, leaving the circuit open and would act as a '1'.
> The researchers say that their technique could be used to make
> memory blocks as small as 1 square millimetre that were capable
of
> storing 1 megabit of information. Although this is 100 times
lower
> than the best magnetic memories, the device could find
applications
> in ultra-low cost data archiving. Moreover, the memory would
contain
> no moving parts - such as the laser and motor drives found in
> conventional magnetic and optical writers.
> The team now hopes to turn their invention into a commercially
> viable product. "This could take as little as five years," says
> Forrest.
>
> Author
> Belle Dumé is Science Writer at PhysicsWeb
>
> Hug
> Maria Natália
>
>
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html
>
>
>
> Yahoo! Groups Sponsor
> PUBLICIDADE
>
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.
>
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]
>
>
> ##### ##### #####
> Para saber mais visite
> http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
> Para sair da lista envie um mail para
> ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
> ##### ##### ##### ##### #####
>
> Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 16:06

Acresci uma figura escaneada de uma edicao da SciAm Brasil com uma
pesquisa do instituto Gallup sobre alguns indicadores do evangelismo
nos EUA (fundamentalismo cristao neopentecostal).

Esta' nos arquivos de fotos da lista, figura 33 - nome gallup.jpg.

http://br.photos.groups.yahoo.com/group/ciencialist/vwp?.dir=/&.dnm=ga
llup.jpg

Cruzando com os outros dados, acho q. o cenario de uma tendencia de
abrandamento pode ser sustentado. (Mas, sim, acho q. e' um quadro q.
pode ser revertido -- ate' com certa facilidade -- dependendo da
situacao.)

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: Galáxias
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 16:14

Oi Léo,

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Luiz Ferraz Netto"
<leobarretos@u...> escreveu
> Léo: estoque de gás e poeira estelar foi consumido e virou o quê?

- Estrelas

> O formato elíptico final é conseqüência única da gravitação?

- Ao que tudo indica sim.


Um jeito de encarar galáxias é imaginá-las como "ralos" onde a
matéria é tragada em direção ao centro. De acordo com as pesquisas
atuais, existem buracos negros supermassivos no interior do centro de
cada uma delas, o que explicaria de certa forma o início e o fim de
vida dessas formações. De acordo com as observaçòes do Hubble
colhendo dados sobre as primeiras proto galáxias nos limites de
visibilidade, essas formações teriam início com nuvens de matéria
circundando o centro de massa, e acredita-se que tais centros seriam
buracos negros resultantes da "morte" de estrelas supermassivas que
se sucederam ao "início" do universo. Nessa fase proto-galática, as
formações ainda bem próximas umas das outras, tenderiam a sofrer
muito mais com a influência gravitacional (umas das outras),
propiciando encontros e fusões, resultando dessa forma em objetos
maiores e com maior poder de atração gravitacional. Assim teriam
tido início as galáxias como conhecemos hoje.

A maioria das galáxias elípticas são tidas como resultado de colisões
galáticas onde núcleos galáticos se unem e há perda de material para
o espaço. Permanecem assim apenas os núcleos que se fundem em um só,
aumentando com isso a massa e a força atrativa em relação a outras
galáxias próximas. Uma forma de entender isso é lendo
sobre "canibalismo galático".

O estoque de gás e poeira das galáxias é consumido para/pela criação
de estrelas. Os braços espirais galáticos são lugares onde existem
mais estrelas novas dentro de uma galáxia, justamente pela maior
concentração de "matéria prima". O centro galático por ser a parte
que se forma primeiro nas galáxias, normalmente é constituído por
estrelas mais "velhas", em sua maioria gigantes vermelhas, anãs
brancas...

Assim, um jeito de medir a idade das galáxias é verificar quantas
estrelas nos estágios finais de existência podem ser encontradas nas
periferias do centro... Como em galáxias elípticas há maior
incidência de estrelas em seus estágios finais de formação, elas são
normalmente consideradas mais "velhas".


Beijos, Lígia




SUBJECT: Re: p/ Brudna
FROM: "brudna" <lrb@iq.ufrgs.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 16:16

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Hélio Ricardo Carvalho
<hrc@f...> escreveu
> Brudna,
> Parabéns

Muito obrigado! :-)


> Eu visitei o nosso site:
> http://www.ciencialist.hpg.ig.com.br
>
> Está excelente.
> Gostei principalmente da relação dos debates já ocorridos aqui.
> Foi ótimo para mim que entrei agora em agosto poder conhecer
debates
> do passado (Alguns debates antigos eu já tinha visto no site do
> Alberto Mesquita). Deve ter dado bastante trabalho.
> Parabéns.> Hélio

Trabalho eu tive... tanto que decidi parar e nao coletei todos
debates interessantes, sao muitos. Quem sabe no futuro as coisas nao
melhoram. ;-) Estou trabalhando pra isso.

Ateh
Luis Brudna



SUBJECT: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 21:17

Vejam um teste sobre os olhares e a dica de um livro no final.
Eu errei todas as respostas. :(

http://istoe.terra.com.br/istoedinamica/testes/olhos/olhos_01.asp

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: [ciencialist] Os olhos dizem tudo?
FROM: Álvaro Antpack <sci@eletro.ufrgs.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 13/11/2003 21:41

eu acertei 5/6... :-)))
----- Original Message -----
From: Adriana Rohatsko
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Thursday, November 13, 2003 9:17 PM
Subject: [ciencialist] Os olhos dizem tudo?


Vejam um teste sobre os olhares e a dica de um livro no final.
Eu errei todas as respostas. :(

http://istoe.terra.com.br/istoedinamica/testes/olhos/olhos_01.asp

Beijos,
Adriana


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.



[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 22:22

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Vejam um teste sobre os olhares e a dica de um livro no final.
> Eu errei todas as respostas. :(
>
> http://istoe.terra.com.br/istoedinamica/testes/olhos/olhos_01.asp


É? Eu acertei 6... é só prestar atenção.

ACERTOS: 6
Você tem facilidade em lidar com emoções, um tipo de inteligência
que, segundo o psicólogo Simon Baron-Cohen, ajuda a entender as
pessoas. As mulheres desenvolvem essa habilidade naturalmente e, por
isso, costumam se sair bem em testes desse tipo. A maioria dos homens
tem dificuldade em decifrar expressões e olhares mas eles também
podem adquirir a capacidade de decifrar sinais não-verbais.

Beijos, Lígia



SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 22:39

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Ligia Amorese"
<ligia5555@y...> escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
> <adriana_rohatsko@y...> escreveu
> > Vejam um teste sobre os olhares e a dica de um livro no final.
> > Eu errei todas as respostas. :(
> >
> > http://istoe.terra.com.br/istoedinamica/testes/olhos/olhos_01.asp
>
>
> É? Eu acertei 6... é só prestar atenção.

Eu acertei 4 por eliminação e chute. A dica de livro só aparece para
quem erra bastante. Simon Baron-Cohen, Essential Difference.

--
Narumi Abe



SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 23:00

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu
> Eu acertei 4 por eliminação e chute. A dica de livro só aparece para
> quem erra bastante. Simon Baron-Cohen, Essential Difference.
>



JUNIOR: Eu acertei 4 tb, e a recomendaçao do psicólogo foi a mesma da
Lígia

saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Cultura e seleçao(p/Takata e outros)
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 23:19

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
>
> Como assim?

É que voce disse que biologia nao é so genética. E que a manifestaçao
cultural a nível dos fenótipos somente nao a contradiz. Nao há como
discordar disso. Só que como "darwinista" guloso que sou, eu talvez
esteja enxergando a longo prazo numa perpectiva evolucionista.

>
> A cultura faz parte da biologia. Mais uma vez chamo a atencao para
> nao se confundir: a biologia nao se refere apenas 'a genetica.
> Aparentemente vc quer dizer q. o sistema de casamento nas
populacoes
> humanas e' ditado mais pela cultura do q. pelos genes. Tto em um
caso
> como em outro e' ditado pela biologia humana.

JUNIOR: Sim mais eu queria ir mais longe, nao só vendo o casamento a
nível das populaçoes humanas, mas que se a partir disso haja uma
seleçao a nível de evoluçao

consideradas.
>
> Um possivel exemplo. Mudancas culturais determinaram uma reducao da
> quantidade de fibras ingeridas em nossa dieta. Alimentos menos
> fibrosos sao, em geral, menos resistentes mecanicamente -- isso
exige
> um esforco muscular menor no processamento durante a mastigacao.

JUNIOR: Acho pouco provável que isto ocorra devido ao mundo
globalizado, culturas sendo destiladas em outras culturas, novas
técnicas agrícolas e de cultivo em outras regioes,uma ampla e
eficiente distribuiçao de alimentos, empresas e franquias do mundo
todo se instalando em áreas rurais e pouco povoadas. Isso
dificultaria um pouco a seleçao, a nao ser áreas e culturas muito
isoladas praticamente sem acesso humano, como de alguns silvícolas.
Nao seria mais provável um efeito seletivo produzido a partir
das pressoes do meio ambiente? Por EX: efeitos climáticos e
radioativos, carencia do solo para determinados tipos de alimentos,
extinçao de determinados alimentos devido a pragas, desiquilibrios no
ecossistemas.
Logicamente que numa cultura como máquina de guerra, violencia,
utilizaçao indevida da energia atomica podem propiciar um ambiente
desse tipo. Daí um efeito cultural que pode propiciar uma seleçao a
nível genético mutacional. Mas ainda acho que a cultura é apenas um
subproduto. Talvez a violencia que há no homem é que utilize a
cultura a seu bel prazer. Eu ainda continuo achando a cultura um
subproduto, uma consequencia biológica oriunda de outros fatores
genéticos.

Saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Cultura e seleçao(p/Takata e outros)
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 23:20

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "rmtakata" <rmtakata@a...>
escreveu
>
> Como assim?

É que voce disse que biologia nao é so genética. E que a manifestaçao
cultural a nível dos fenótipos somente nao a contradiz. Nao há como
discordar disso. Só que como "darwinista" guloso que sou, eu talvez
esteja enxergando a longo prazo numa perpectiva evolucionista.

>
> A cultura faz parte da biologia. Mais uma vez chamo a atencao para
> nao se confundir: a biologia nao se refere apenas 'a genetica.
> Aparentemente vc quer dizer q. o sistema de casamento nas
populacoes
> humanas e' ditado mais pela cultura do q. pelos genes. Tto em um
caso
> como em outro e' ditado pela biologia humana.

JUNIOR: Sim mais eu queria ir mais longe, nao só vendo o casamento a
nível das populaçoes humanas, mas que se a partir disso haja uma
seleçao a nível de evoluçao

consideradas.
>
> Um possivel exemplo. Mudancas culturais determinaram uma reducao da
> quantidade de fibras ingeridas em nossa dieta. Alimentos menos
> fibrosos sao, em geral, menos resistentes mecanicamente -- isso
exige
> um esforco muscular menor no processamento durante a mastigacao.

JUNIOR: Acho pouco provável que isto ocorra devido ao mundo
globalizado, culturas sendo destiladas em outras culturas, novas
técnicas agrícolas e de cultivo em outras regioes,uma ampla e
eficiente distribuiçao de alimentos, empresas e franquias do mundo
todo se instalando em áreas rurais e pouco povoadas. Isso
dificultaria um pouco a seleçao, a nao ser áreas e culturas muito
isoladas praticamente sem acesso humano, como de alguns silvícolas.
Nao seria mais provável um efeito seletivo produzido a partir
das pressoes do meio ambiente? Por EX: efeitos climáticos e
radioativos, carencia do solo para determinados tipos de alimentos,
extinçao de determinados alimentos devido a pragas, desiquilibrios no
ecossistemas.
Logicamente que numa cultura como máquina de guerra, violencia,
utilizaçao indevida da energia atomica podem propiciar um ambiente
desse tipo. Daí um efeito cultural que pode propiciar uma seleçao a
nível genético mutacional. Mas ainda acho que a cultura é apenas um
subproduto. Talvez a violencia que há no homem é que utilize a
cultura a seu bel prazer. Eu ainda continuo achando a cultura um
subproduto, uma consequencia biológica oriunda de outros fatores
genéticos.

Saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Narumi Abe" <aben@acm.org>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 23:22

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
escreveu
> --- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
> escreveu
> > Eu acertei 4 por eliminação e chute. A dica de livro só aparece
> > para quem erra bastante. Simon Baron-Cohen, Essential Difference.
> >
>
> JUNIOR: Eu acertei 4 tb, e a recomendaçao do psicólogo foi a mesma
> da Lígia

4 é um bom resultado. Para pegar o nome do livro depois, eu errei
deliberadamente nas respostas. :)

--
Narumi Abe



SUBJECT: James Hutton, avô da seleção natural
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 23:38

James Hutton, avô da seleção natural

FONTE http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n959.htm

Geólogo escocês quase formulou teoria 60 anos antes de Darwin e
Wallace
Se a crença popular diz que filho feio não tem pai, por outro lado,
todo mundo quer carregar criança bonita no colo. Não é diferente com
a teoria da seleção natural, segundo a qual o ambiente seleciona os
indivíduos mais bem adaptados, que tendem a sobreviver e perpetuar a
espécie. Há mais de cem anos, um dos mais importantes postulados da
ciência convive com uma certa crise de paternidade ideológica.

Embora os britânicos Charles Darwin (1809-1882) e Alfred Wallace
(1823-1913) tenham sido os primeiros a publicarem trabalhos que
apresentavam a hipótese de forma consistente e reconhecida pela
comunidade científica, de vez em quando surgem nomes que teriam
supostamente pensado aspectos da seleção natural antes dos 'pais
oficiais'.



O tabuleiro de nomes que põem em xeque a condição de Darwin e Wallace
acaba de ganhar mais um 'candidato': o geólogo James Hutton (1726-
1797), autor de Elementos da Agricultura, interrompido no ano de sua
morte. Esse trabalho surpreende por alguns de seus fragmentos, em que
o autor mostra conhecimento de variabilidade e interação espécie-
ambiente, conceitos que embasam a argumentação de Darwin em prol de
sua teoria.

Foi o também geólogo Paul Pearson, da Universidade de Cardiff (País
de Gales), quem trouxe a público o 'novo' trabalho de Hutton, em
artigo publicado na revista Nature de 16 de outubro. Não fosse a data
do manuscrito, provavelmente não mereceria tanta atenção. No entanto,
ele foi publicado 62 anos antes de A Origem das espécies, trabalho
que notabilizou Darwin como um dos pais dos estudos sobre seleção
natural. Em outras palavras, podemos estar diante do avô mais velho
da consagrada teoria.

Isso porque Hutton menciona em alguns trechos de sua obra que as
espécies variam entre si e que essas modificações, se vantajosas para
a adaptação da espécie ao ambiente, tendem a ser transmitidas aos
descendentes. São proposições que chegam muito perto da idéia de
seleção aleatória pelo ambiente, que diferenciou as teorias de Darwin
e Wallace das publicadas até então.

Segundo o químico Ricardo Ferreira, pesquisador emérito da
Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e do Centro Brasileiro de
Pesquisas Físicas (CBPF), essas idéias representaram de fato uma
novidade no pensamento da época, marcado pela imutabilidade
professada na teoria criacionista e pelos erros da idéia lamarckiana.

"Hutton só não conseguiu enxergar que a variação ocorrida dentro de
uma espécie, dando lugar a diferentes variedades, é da mesma natureza
da que origina novas espécies. E aí reside o mérito de Wallace e
Darwin", diz o professor. "Isso porque, quando há separação
geográfica ou de hábitat por muito tempo, pode haver uma
diferenciação tal que não permita a produção de descendentes
férteis."

Se a geografia contribui mesmo para a diferenciação, talvez esteja aí
a explicação para tantas idéias semelhantes saírem do mesmo lugar.
Tanto Hutton e Darwin como William Wells e Patrick Matthew -- outros
com idéias anteriores a Darwin -- viveram grande parte de sua vida em
Edimburgo, na Escócia. Pelo visto, uma cidade que fala o idioma da
seleção natural.

continua...

Rafael Barros
Ciência Hoje On-line
13/11/03




SUBJECT: James Hutton(Parte II)
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 13/11/2003 23:43

Da origem da Terra à formação das espécies (Parte II)

Fonte http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n959b.htm

Apesar de seu trabalho na área do evolucionismo ter sido recém-
descoberto por Paul Pearson, Hutton é um velho conhecido da geologia
por seus estudos sobre a formação da Terra. Segundo ele, a composição
das rochas do planeta é uma das muitas provas de que ele foi formado
bem antes do que relata a Bíblia (somente 6 mil anos). Por isso, suas
idéias foram consideradas bastante revolucionárias na época -- século
18 --, quando abriram um importante campo de estudo para a geologia
moderna.

Enquanto isso, um outro campo da ciência tentava explicar como as
espécies evoluíam, em uma tentativa de quebrar o dogma bíblico de que
as espécies eram perfeitas e imutáveis.

O francês Jean-Baptiste Lamarck (1744-1829) acreditava que os
indivíduos modificavam suas características para se adaptarem ao
ambiente em que viviam. Era uma idéia que já se aproximava bastante
da de Darwin e Wallace, mas que se diferenciava em um ponto
fundamental: a interação ambiente-espécie.

Lamarck pensava que as girafas, uma vez impossibilitadas de alcançar
o alimento nas copas das árvores, começavam, com o tempo, a esticar o
pescoço cada vez mais. Isso provocava o aumento de seu tamanho,
característica passada para os descendentes, que já
nasciam 'adaptados' ao que o ambiente exigia.

Foi nessa mesma época -- passagem do século 18 para o 19 -- que
Hutton também resolveu se aventurar pelo evolucionismo e escreveu
Elementos da Agricultura. No entanto, algum motivo levou o escocês a
não publicar seu trabalho, que acabou, anos mais tarde, indo parar na
biblioteca de Edimburgo. Não se sabe que motivo foi esse, mas
especula-se que tenha sido o tamanho da obra: um conjunto de 1045
páginas divididas em dois volumes e dois anexos.

Elementos da Agricultura mostra como a natureza é capaz de originar
indivíduos de uma mesma espécie com características diferentes entre
si. Hutton se apropria dessa diferenciação para argumentar que a
natureza é perfeita em seus desígnios e, a partir daí, sugerir que os
criadores de animais e plantas tirem proveito dessa variabilidade.
Para Hutton, eles poderiam promover cruzamentos entre as espécies com
as melhores características e terem, assim, uma prole que preencha os
requisitos desejados.

É nesse momento que Hutton apresenta seu pensamento mais ousado. Ele
propõe que, dentre as muitas habilidades de um cão, tanto pode haver
uma raça especialista em farejar objetos quanto uma outra dotada de
maior agilidade. Segundo Hutton, o cruzamento desses dois indivíduos
com características diferentes pode originar um descendente tanto de
bom faro como de grande agilidade. Se o mesmo fosse feito com a
prole, a tendência seria a perpetuação dessa raça híbrida.

Para ele, a natureza age do mesmo modo, ao selecionar os indivíduos
que se adaptam melhor ao ambiente em que vivem, promovendo, assim, o
melhoramento natural daquela espécie. "As formas mais bem adaptadas
serão as mais certas de permanecerem, enquanto as menos adaptadas
serão as primeiras a desaparecerem", afirma em seu manuscrito.

Rafael Barros
Ciência Hoje On-line
13/11/03




SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 00:07

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Narumi Abe" <aben@a...>
escreveu
> > > Eu acertei 4 por eliminação e chute. A dica de livro só aparece
> > > para quem erra bastante. Simon Baron-Cohen, Essential
Difference.



JUNIOR: Quanto ao livro nao tem uma versao Tupiniquim? Fiz a pesquisa
em livrarias e nada

Saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Re: [ciencialist] Os olhos dizem tudo?
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 00:12

Olá

Interessante..:-) Eu acertei 5 em 6. Mas seria bom saber mais sobre a metodologia e se tem algum valor como conclusão psicologica..:-) Afirmar que "Voce tem facilidade de lidar com emoções.." etc, parece muito um mapa astral..:-)

Um abraço.

Homero
----- Original Message -----
From: Adriana Rohatsko
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Thursday, November 13, 2003 9:17 PM
Subject: [ciencialist] Os olhos dizem tudo?


Vejam um teste sobre os olhares e a dica de um livro no final.
Eu errei todas as respostas. :(

http://istoe.terra.com.br/istoedinamica/testes/olhos/olhos_01.asp

Beijos,
Adriana


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 00:19

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá
>
> Interessante..:-) Eu acertei 5 em 6. Mas seria bom saber mais sobre
a metodologia e se tem algum valor como conclusão psicologica..:-)
Afirmar que "Voce tem facilidade de lidar com emoções.." etc, parece
muito um mapa astral..:-)


JUNIOR: Tanto nao é que voce acertou 5 ou 6(heheh), se voce der as
respostas erradas, voce vai tirar 0 mesmo como um péssimo observador,
depois eu tentei e deu certinho.
Relmente nao sei o método e a perspectiva do psicólogo. Mas
Charles darwin escreveu um livro muito interessante sobre as
expressoes e emoçoes nos animais. Claro que é um livro que diz
respeito a várias expressoes e nao só os olhos, com base em
observaçoes. Nós temos como instinto tb saber interpretar essas
emoçoes, sem nenhuma magia. Um processo natural decorrente do bom uso
de nossas faculdades cognitivas e sensoriais, um empirismo
observacional . Recomendo esse livro do Charles Darwin, muito bom.

saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Amor, paixão...ai...suspiro
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 00:25

1--Vos queria falar sobre Sexualidade e que pode unir ou
separar. Na Super Interessante de Novembro de 2003 nº 67 pode ler-se
um artigo interessante sobre "Sexo com siso" e onde se pode aprender
o que é o quociente de inteligência erótica (páginas 31 a 36) Livro e
Site de consulta: Sexual inteligence de Sheree Conrad e Michael
Millburn Editora Objectiva Rio de Janeiro;
http://www.sexuallintelligence. com onde é relatado este trabalho de
investigação. Claro, Universidade de Massachusetts
2--Ainda sobre a Paixão: Na superInteressante de Setembro de 2002,
nº 53 vem um artigo "As doenças da paixão Males de Amor" (páginas 31
a 37) " A psicologia descobriu inúmeras perturbações quetêm a ver
com a paixão. As pessoas que delas sofrem ultrapassam a subtil
fronteira que as separado amor louco." As perturbações focadas são:
ciúme patológico;amor maníaco;Sindroma amor /ódio; Bovarismo;
sindroma de Wendy;narcissismo mórbido;amor impossível;sindroma de
Cyrano;fobia do sexo;Amor fóbico;amor dissociado;A. deslocado, a.
delirante;a. perverso; a. conflituoso;a. escravo e a.fusional.
Enfim isto de ter de se saber umas coisas para educação sexual...é
estafante LOLLLLLLLLLLLLL
E depois temos os abraços, a amizade...Será que consigo fazer uma
tese?
E com as discussões desta lista a minha obra só enriquece a olhos
vistos.
Bem meninos quem quiser algum dos textos pode contactar-me em gogul
arroba megamail ponto pt que farei no scanner da escola para lhes
fazer chegar textos a que tive acesso.
E boas e doces recordações de ausentes...
Estou a ouvir suspiros? Românticos incuráveis da lista...
Sonhos de noites de fim de ano e programinha estão na altura de
serem combinados etc e tal
Um abraço
Maria Natália
PS renovem esse amor cachopos/as (ragazzi)






SUBJECT: Buracos Negros
FROM: Phoenix Myth <phoenixclever@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 00:27

Caros amigos...
Já que estávamos falando de Galáxias... Vou pedir um
favorzinho...

Estou fazendo uma monografia sobre os buracos negros
(do nascimento de uma estrela à morte). E gostaria de
obter sites que contenham informações de qualidade
para colocar no meu trabalho. Alguém sabem dizer algum
link (de preferência em português) que contenha
informações sobre os buracos negros.

Alías... alguém pode me dizer a formula do desvio
gravitacional para o vermelho (redshift) que relaciona
o raio de Schwarzschild? Os livros que eu tenhão não
deixa muito claro, e na intenet as informações estão
desencontradas.

Muito obrigado a todos!
[]s


______________________________________________________________________

Yahoo! Mail: 6MB, anti-spam e antivírus gratuito! Crie sua conta agora:
http://mail.yahoo.com.br


SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Adriana Rohatsko" <adriana_rohatsko@yahoo.com>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 00:39

Olá Homero, :)

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá
>
> Interessante..:-) Eu acertei 5 em 6. Mas seria bom saber mais sobre
> a metodologia e se tem algum valor como conclusão psicologica..:-)
> Afirmar que "Voce tem facilidade de lidar com emoções.." etc,
> parece muito um mapa astral..:-)

Você está certo. Aliás, não dá pra tirar conclusão nenhuma com 6
fotos. Este teste foi feito por uma revista brasileira que banalizou
o teste verdadeiro, mas dá para dar uma idéia sobre o assunto tratado
que afirma que é possível analisar sentimentos exclusivamente pelos
olhos, ignorando o conjunto das expressões faciais (em termos porque
é possível ver a testa, que é bastante expressiva). O verdadeiro
teste é feito utilizando um programa com 400 imagens. Mas isso é
apenas uma pequena parte do livro. O autor fala essencialmente sobre
a diferença entre o cérebro do homem e da mulher.

Aqui é a resposta para o Bradock:
Tem uma reportagem na Folha de São Paulo (12/10/2003), mas não diz
se o livro foi lançado no Brasil.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u2905.sht
ml

MIT Press e Amazon:
http://www-mitpress.mit.edu/catalog/author/default.asp?aid=2589
http://www.amazon.co.uk/exec/obidos/search-handle-url/index%3Dbooks-
uk%26field-author%3DBaron-Cohen%2C%20Simon/026-8026496-1034847

Beijos,
Adriana



SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 00:42

Uau!!!! Tive cinco! Sou muita boa. Isto é um perigo!!!
Furo, trespasso os indivíduos que comigo cruzam...olhares. LOLLLLLLLL
Adriana, OBRIGADA!!!!
Maria Natália
PS Faz bem ao EGO!!!!!

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Vejam um teste sobre os olhares e a dica de um livro no final.
> Eu errei todas as respostas. :(
>
> http://istoe.terra.com.br/istoedinamica/testes/olhos/olhos_01.asp
>
> Beijos,
> Adriana



SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 00:43

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Aqui é a resposta para o Bradock:
> Tem uma reportagem na Folha de São Paulo (12/10/2003), mas não diz
> se o livro foi lançado no Brasil.
>
>
http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u2905.sht



JUNIOR: Valeu adriana. É, só em ingles mesmo, que pena!!! Deve ser um
livro interessante pela abordagem

saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Texto sem sentido - Off Topic brabo..:-)
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 00:45

Olá

Volta e meia temos dificuldades para compreender o sentido de algumas mensagens nas listas (nesta menos que nas outras, claro..:-). As vezes porque quem escreve não foi claro, as vezes porque o assunto é complexo e as vezes porque não faz sentido mesmo.:-)

Mas nunca encontrei um exemplo tão impressionante da ultima categoria, como nesta opinião emitida em um forum da Revista Isto É..:-) O assunto era "qual seu efeito especial favorito nos filmes que exploram esses efeitos, como Matrix?"

Antes que eu pudesse escolher meu preferido (as transformações do Exterminador 2..:-), eu tive de ler esta pérola da falta de sentido:

"O cinema é sempre um explendor para a raça humana indistintamente. Evidente que muitos encontram em determinada cenas, passagens, loucuras, extrapolações literárias, violência sem qualquer virulência, a sua própria angústia e a sua paz - a sua identidade.O sol não tem limites e o caráter de cada um é o seu próprio destino."

Talvez eu tenha perdido alguma coisa, talvez eu não tenha capacidade de compreender, mas me parece que a frase não faz nenhum sentido..:-) Uma tentativa de "falar dificil" ou "falar bonito", onde nem o significado das palavras escolhidas deve estar claro para o autor...:-)

É meio "off topic" (muito off topic, eu sei..:-), mas achei tão engraçado e tão eficiente para mostrar como as vezes é dificil comprender o que a pessoa que escreve pretende dizer, que vale a leitura..:-)

Um abraço.

Homero

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: [ciencialist] Buracos Negros
FROM: "Prof. Alberto Ricardo Präss" <arprass@fisica.net>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 00:49





http://www.if.ufrgs.br/~thaisa/




Prof. Alberto Ricardo Präss
Diretor de Informática - Grupo Universitário

R. Dr. Flores, 330/50
90020-123 - Porto Alegre, RS
(51) 3225-0966 R. 267
www.universitario.com.br
E-mail: "alberto at universitario dot net"
Web Site Pessoal: www.fisica.net
MSN: arprass@hotmail.com
AIM: asp21alberto
ICQ: 4730660


Se alguma coisa pode dar errado, dará.
E mais, dará errado da pior maneira, no
pior momento e de modo que cause o
maior dano possível.

The Winner Takes It All







----- Original Message -----
From: "Phoenix Myth" <phoenixclever@yahoo.com.br>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Friday, November 14, 2003 12:27 AM
Subject: [ciencialist] Buracos Negros


Caros amigos...
Já que estávamos falando de Galáxias... Vou pedir um
favorzinho...

Estou fazendo uma monografia sobre os buracos negros
(do nascimento de uma estrela à morte). E gostaria de
obter sites que contenham informações de qualidade
para colocar no meu trabalho. Alguém sabem dizer algum
link (de preferência em português) que contenha
informações sobre os buracos negros.

Alías... alguém pode me dizer a formula do desvio
gravitacional para o vermelho (redshift) que relaciona
o raio de Schwarzschild? Os livros que eu tenhão não
deixa muito claro, e na intenet as informações estão
desencontradas.

Muito obrigado a todos!
[]s


______________________________________________________________________

Yahoo! Mail: 6MB, anti-spam e antivírus gratuito! Crie sua conta agora:
http://mail.yahoo.com.br

##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html






SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 00:49

Olá Adriana

Imaginei que fosse algo assim, a midia e em especial, revistas de variedades adoram dar uma super-simplificada em assuntos complexos e transforma-los em "testes de revista"..:-)

E voce está certa, muito das informações destas fotos vem da composição testa, sombrancelhas, palpebras e olhos, e isto é um bocado do rosto. Imagino que no fundo continue sendo a velha e boa habilidade de ler padrões, pareidolia, seja em rostos, seja em partes de rostos ou seja a capacidade de encontrar o rosto de Isaac Asimov em biscoitos de nata..:-)

Um abraço.

Homero



----- Original Message -----
From: Adriana Rohatsko
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 14, 2003 12:39 AM
Subject: [ciencialist] Re: Os olhos dizem tudo?


Olá Homero, :)

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá
>
> Interessante..:-) Eu acertei 5 em 6. Mas seria bom saber mais sobre
> a metodologia e se tem algum valor como conclusão psicologica..:-)
> Afirmar que "Voce tem facilidade de lidar com emoções.." etc,
> parece muito um mapa astral..:-)

Você está certo. Aliás, não dá pra tirar conclusão nenhuma com 6
fotos. Este teste foi feito por uma revista brasileira que banalizou
o teste verdadeiro, mas dá para dar uma idéia sobre o assunto tratado
que afirma que é possível analisar sentimentos exclusivamente pelos
olhos, ignorando o conjunto das expressões faciais (em termos porque
é possível ver a testa, que é bastante expressiva). O verdadeiro
teste é feito utilizando um programa com 400 imagens. Mas isso é
apenas uma pequena parte do livro. O autor fala essencialmente sobre
a diferença entre o cérebro do homem e da mulher.

Aqui é a resposta para o Bradock:
Tem uma reportagem na Folha de São Paulo (12/10/2003), mas não diz
se o livro foi lançado no Brasil.

http://www1.folha.uol.com.br/folha/equilibrio/noticias/ult263u2905.sht
ml

MIT Press e Amazon:
http://www-mitpress.mit.edu/catalog/author/default.asp?aid=2589
http://www.amazon.co.uk/exec/obidos/search-handle-url/index%3Dbooks-
uk%26field-author%3DBaron-Cohen%2C%20Simon/026-8026496-1034847

Beijos,
Adriana


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Texto sem sentido - Off Topic brabo..:-)
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 01:00

Vá lá que esse é pior do que eu.
Até apanhei um susto.
Meu aluno não é.
Bem isso já me sucedeu por duas vese e saí dessas listas.
Mas tb se pode contactar o sujeito pela morada. Se optiver esposta
igual problema não do computador.
[]'
Maria Natália
--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu
> Olá
>
> Volta e meia temos dificuldades para compreender o sentido de
algumas mensagens nas listas (nesta menos que nas outras, claro..:-
). As vezes porque quem escreve não foi claro, as vezes porque o
assunto é complexo e as vezes porque não faz sentido mesmo.:-)
>
> Mas nunca encontrei um exemplo tão impressionante da ultima
categoria, como nesta opinião emitida em um forum da Revista Isto
É..:-) O assunto era "qual seu efeito especial favorito nos filmes
que exploram esses efeitos, como Matrix?"
>
> Antes que eu pudesse escolher meu preferido (as transformações do
Exterminador 2..:-), eu tive de ler esta pérola da falta de sentido:
>
> "O cinema é sempre um explendor para a raça humana
indistintamente. Evidente que muitos encontram em determinada cenas,
passagens, loucuras, extrapolações literárias, violência sem
qualquer virulência, a sua própria angústia e a sua paz - a sua
identidade.O sol não tem limites e o caráter de cada um é o seu
próprio destino."
>
> Talvez eu tenha perdido alguma coisa, talvez eu não tenha
capacidade de compreender, mas me parece que a frase não faz nenhum
sentido..:-) Uma tentativa de "falar dificil" ou "falar bonito",
onde nem o significado das palavras escolhidas deve estar claro para
o autor...:-)
>
> É meio "off topic" (muito off topic, eu sei..:-), mas achei tão
engraçado e tão eficiente para mostrar como as vezes é dificil
comprender o que a pessoa que escreve pretende dizer, que vale a
leitura..:-)
>
> Um abraço.
>
> Homero
>
> [As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Comer à noite não engorda 'mais', diz estudo
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 01:03

Comer à noite não engorda 'mais', diz estudo

FONTE
http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/story/2003/11/031113_nightg.sh
tml

Comer tarde da noite não torna a pessoa particularmente gorda, de
acordo com estudo feito por cientistas da Universidade de Ciências e
Saúde de Oregon, nos Estados Unidos.

Eles realizaram testes com 47 macacas num laboratório e não
encontraram nenhuma ligação entre a hora em que os animais comiam e
quantos quilos engordavam.

Em palestra na Sociedade de Neurociência na cidade de Nova Orleans,
nos Estados Unidos, os cientistas disseram que a idéia de que comer
tarde da noite leve a um aumento de peso maior do que o normal é um
mito.

Judy Cameron e sua equipe fizeram a descoberta quase por acidente.
Seu estudo tinha o objetivo de descobrir mais sobre as relações entre
os hormônios femininos e o aumento de peso.

Calorias

"Em resumo, calorias são calorias quando quer que sejam consumidas",
disse Nigel Denby, da Associação Dietética Britânica, referindo-se à
descoberta de que comer tarde da noite não leva a um aumento
particular de peso.

"O corpo não reconhece realmente que horas são", conclui Denby.

"Eu acho que (esse mito) data da época em que as pessoas começaram a
se interessar por dietas. É mais provável que as pessoas consumam
comidas mais gordurosas à noite, quando estão sentadas diante da
televisão. Para evitar isso, elas restringem o horário de comer",
afirmou Denby.

E conclui: "Se você precisar comer depois das seis da tarde ou oito
da noite, provavelmente é mais saudável sentar e fazer uma refeição.
De outra forma, há o risco de que você belisque comidinhas calóricas."

Ovários

Como parte do estudo, os pesquisadores removeram os ovários de 19 das
47 macacas.

A remoção dos ovários provoca uma queda nos níveis dos hormônios
femininos estrógeno e progesterona, da mesma forma como ocorre na
menopausa.

Os cientistas constataram que as macacas que tiveram seus ovários
removidos começaram a comer mais e engordar.

"A falta desses hormônios resultou em um aumento de 67% no consumo de
alimentos e 5% no peso em poucas semanas", disse Cameron.

Eles também constataram que os níveis de um hormônio chamado leptina
aumentaram nessas macacas. A leptina é produzida pelas células
adiposas e sabe-se que influencia o consumo de alimentos.

Estudos anteriores mostraram que muitas mulheres começam a engordar
durante a menopausa. Os cientistas acreditam que suas descobertas
podem levar à formulação de tratamentos para ajudar a resolver o
problema.





SUBJECT: Re: Comer à noite não engorda 'mais', diz estudo
FROM: "Bradock" <rtjunior@bol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 01:11

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
escreveu
> Comer à noite não engorda 'mais', diz estudo
>
> FONTE
>
http://www.bbc.co.uk/portuguese/ciencia/story/2003/11/031113_nightg.sh
> tml



JUNIOR: Bem, eu particularmente suspeito desses estudos. Uma pessoa
que come muito a noite, pode ingerir calorias iguais as que comem
durante o dia. Mas existe um porém, comer perto do horário de dormir,
implica que durante o sono seu metabolismo vai cair, as funçoes
digestivas tb devem cair de produçao, dificultando a metabolizaçao
dos alimentos. Nao sei se isso sugere um aumento de peso. Mas seria
necessário ainda fazerem mais experimentos a respeito.

saudaçoes,
Junior



SUBJECT: Não gramo...átomo grama
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 01:26

Special delivery para quem não é químico (do coração):
Fiquei de falar sobre átomo grama que era e é do tempo da outra
senhora e de não ser correcto escrever massa molecular de NaCl.
Porque o composto NaCl apresenta ligação iónica ou electrovalente,
as entidades presentes numa amostra deste sal são iões e recordem
que este se apresenta em agregados cristalinos...(malhas, sistema de
cristalização, índice de coordenação etc.)
"Qual o número de unidades formulares de NaF presentes em 253,6g?"
e "1 mole de NaCl é constituída por 6,022 X 10^23 unidades
formulares".
A massa molar de um composto iónico é parecida com a massa molar de
um composto molecular.Porque a massa do electrão é muito pequena se
toma A relativa aproximadamente igaual a ião A. As unidades
estruturais são diferentes.
Também queria acrescentar que o químico usa indistintamente Massa
molar e peso molecular "molecular weight" e "formula weight" porque
o laboratório está, enquanto decorre a experiência, à mesma latitude
e altitude...E no mesmo local da Terra a massa é numericamente igual
ao peso desde que expressas em, respectivamente, kg e kgf. ( e aqui
entra a física mas até já foi falado aqui).Aliás no laboratório se
usam balanças dinamómetro (não vá entrar um físico de rompante).
Mais uma vez os químicos demonstram ser pessoas práticas e saberem
que a vida é curta.
Sobre este tema podem consultar: o Chang, 5ª edição pág 43 a 49 e 57
a 59.; no Chemistry and Chemical Reactivity do Kotz e Treichel
edição internacional, pág 132 a 135.
E nada mais havendo a tratar vou para vale de lençóis sonhar com
galáxias e BN, buracos negros, acompanhada de uma branas.
Hug
Maria Natália
pensamentos de fim de semana:
Ser mulher é um negócio muito difícil, porque consiste
principalmente em lidar com homens.
O único aspecto da mulhere em que o homem espera ver profundidade é
o seu decote.
amem



SUBJECT: Re: Buracos Negros
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 01:39

Oi Phoenix

Tá na mão... :))

http://www.if.ufrgs.br/~thaisa/bn/

http://www.astronomiahoje.com/Pesquisas/buracosnegros.doc

http://educar.sc.usp.br/ciencias/astro/cda/sessao-
astronomia/seculoxx/textos/a-evolucao-estelar.htm

http://arturmarques.com/Apaa/htm/documents/etc/evolucao-estelar.htm

http://www.asterope.hpg.ig.com.br/estrela3.htm

Beijos, Lígia

********************************************








--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, Phoenix Myth
<phoenixclever@y...> escreveu
> Caros amigos...
> Já que estávamos falando de Galáxias... Vou pedir um
> favorzinho...
>
> Estou fazendo uma monografia sobre os buracos negros
> (do nascimento de uma estrela à morte). E gostaria de
> obter sites que contenham informações de qualidade
> para colocar no meu trabalho. Alguém sabem dizer algum
> link (de preferência em português) que contenha
> informações sobre os buracos negros.
>
> Alías... alguém pode me dizer a formula do desvio
> gravitacional para o vermelho (redshift) que relaciona
> o raio de Schwarzschild? Os livros que eu tenhão não
> deixa muito claro, e na intenet as informações estão
> desencontradas.
>
> Muito obrigado a todos!
> []s
>
>
>
______________________________________________________________________
>
> Yahoo! Mail: 6MB, anti-spam e antivírus gratuito! Crie sua conta
agora:
> http://mail.yahoo.com.br



SUBJECT: Re: [ciencialist] Buracos Negros
FROM: "Artur Varanda" <artur.varanda@netvisao.pt>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 07:58

Olá,

"Alguém pode me dizer a formula do desvio gravitacional para o vermelho
(redshift) que relaciona
o raio de Schwarzschild?"

Vê aqui: http://www.if.ufrgs.br/~thaisa/bn/radiacao.htm

"E gostaria de obter sites que contenham informações de qualidade para
colocar no meu trabalho."

Em português:

Buracos Negros
http://www.if.ufrgs.br/~thaisa/bn/index.htm

Buracos Negros
http://www.oal.ul.pt/caaul/astronovas/buracos/

Em inglês:

News Topics: Black Holes
http://www.universetoday.com/html/topics/blackholes.html

No Escape: The Truth Abaut Black Holes
http://amazing-space.stsci.edu/resources/explorations/blackholes/lesson/index.html
http://amazing-space.stsci.edu/resources/explorations/blackholes/teacher/sciencebackground.html

Virtual Trips to Black Holes and Neutron Stars
http://antwrp.gsfc.nasa.gov/htmltest/rjn_bht.html

Black Holes and Quasars
http://curious.astro.cornell.edu/blackholes.php

Jillian's Guide to Black Holes
http://www.gothosenterprises.com/black_holes/

Um abraço,
Artur




SUBJECT: Re: Cultura e seleçao(p/Takata e outros)
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 09:16

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> É que voce disse que biologia nao é so genética. E que a
> manifestaçao cultural a nível dos fenótipos somente nao a
> contradiz. Nao há como discordar disso. Só que como "darwinista"
> guloso que sou, eu talvez esteja enxergando a longo prazo numa
> perpectiva evolucionista.

Nao ha' nada de errado em se pensar em termos evolutivos. Mas como vc
disse isso e' uma visao a longo prazo -- q. pode sim ajudar a
entender o imediato, mas e' preciso cautela.

Digamos, em uma tentativa de sermos didaticos, q. existem tres
grandes abordagens complementares dentro da biologia: a de curto, a
de medio e a de longo prazo (o intervalo de tempo aqui deve ser
entendido em termos relativos -- ao tempo de vida do individuo e ao
numero de geracoes consideradas).

Ao curto prazo corresponde uma perspectiva mais descritiva. Por
exemplo, a morfologia pura ou a etologia.
Ao medio prazo corresponde uma perspectiva mais funcional. Como a
fisiologia e a ecologia.
Ao longo prazo corresponde uma perspectiva evolucionista, de relacoes
causais.

Os dados da morfologia sao importantes para se inferir tto a questao
do funcionamento -- a relacao forma e funcao -- qto para se inferir
as relacoes evolutivas -- na analise das distribuicoes dos padroes
morfologicos. Por outro lado, a perspectiva evolutiva ajuda a
entender a ocorrencia de tais padroes. De inicio isso parece uma
circularidade: inferencia da evolucao a partir da morfologia e depois
explicacao da morfologia a partir da evolucao. Mas nao e' exatamente
um circulo, pois primeiro: a morfologia nao e' a unica fonte de dados
para o estudo da evolucao - e segundo: as informacoes nao recaem
sobre seus proprios pe's, o conhecimento da morfologia modifica o
conhecimento anterior da evolucao, o novo conhecimento da evolucao
ajuda a (juntamente com outras informacoes) observar novos detalhes
da morfologia ou sob nova perspectiva -- bem mais uma espiral (q. e'
aberta ao final de contas) do q um circulo (fechado).

A investigacao cultural pode e deve ser jogada tbm em uma perspectiva
evolutiva. Mas para tto nao se pode fazer uma transposicao direta:
estamos saindo do curto prazo -- analise dos individuos ao longo de
sua vida -- para o longo prazo -- analise da modificacao das
caracteristicas da populacao ao longo das geracoes.

> JUNIOR: Acho pouco provável que isto ocorra devido ao mundo
> globalizado, culturas sendo destiladas em outras culturas, novas
> técnicas agrícolas e de cultivo em outras regioes,uma ampla e
> eficiente distribuiçao de alimentos, empresas e franquias do mundo
> todo se instalando em áreas rurais e pouco povoadas. Isso
> dificultaria um pouco a seleçao, a nao ser áreas e culturas muito
> isoladas praticamente sem acesso humano, como de alguns silvícolas.
> Nao seria mais provável um efeito seletivo produzido a partir
> das pressoes do meio ambiente?

Nao. Primeiro q. a cultura e' uma pressao do ambiente -- nao
exatamente do meio ambiente (entendido como a paisagem fisica ao
redor). Para uma selecao de mesma intensidade nao-nula nos dois
casos, sim, o tamanho da populacao pode afetar a taxa de
espalhamento/eliminicacao de caracteristica. Mas no caso aqui estamos
falando de selecao neutra. O espalhamento/eliminacao de uma
caracteristica por selecao neutra independe grosso modo do tamanho da
populacao. Isso porq. se de um lado uma maior populacao demandaria
mais tempo para a fixacao de uma mutacao, uma maior populacao
significa uma maior qtdade de alelos mutantes nao-funcionais
surgindo -- um fator compensa o outro.

> Eu ainda continuo achando a cultura um
> subproduto, uma consequencia biológica oriunda de outros fatores
> genéticos.

A cultura e' uma consequencia biologia oriunda tbm de fatores
geneticos. Mas isso nao significa nem q. ela nao possa estar sujeita
a pressoes evolutivas: desde q. haja mesmo tais fatores geneticos --
muito menos q. ela nao possa influir na evolucao.

Nao chega exatamente a ser uma cultura, mas pense na selecao sexual:
o comportamento da femea do pavao de dar preferencia a machos mais
vistosos levou ao desenvolvimento das penas costais do macho em uma
grande estrutura colorida -- um trambolho aparentemente sem outra
funcao q. nao impressionar a femea, ainda q. lhe torne um alvo mais
facil para os predadores.

As relacoes intra-especificas como competicao sao agentes poderosos
de selecao. E a questao cultural pode sim entrar como um mediador das
relacoes entre os individuos (alem de poder mediar a relacao do
individuo com o meio).

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: James Hutton, avô da seleção natural
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 09:21

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>

> James Hutton, avô da seleção natural
> FONTE http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n959.htm
[...]
> São proposições que chegam muito perto da idéia de
> seleção aleatória pelo ambiente, que diferenciou as teorias de
> Darwin e Wallace das publicadas até então.

Passam longe, muito longe da ideia de selecao aleatoria. A selecao
*nao* e' aleatoria. E' selecao. E se dirige pela interacao entre uma
caracteristica e o ambiente -- q. se reflete na maior ou menor
probabilidade do individuo portador da caracteristica de se
reproduzir.

Se fosse aleatoria *nao* seria possivel explicar a adaptacao -- salvo
por uma intervencao consciente ou por uma sorte muito, muito, muito,
muito grande.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: James Hutton, avô da seleção natural
FROM: "Geraldo M. Barcelos" <gemaba@veloxmail.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 09:33

Olá Takata !!!

Pelo que percebo falas mais dentro daquilo
que discutimos a tempos e parece que o
discurso mudou algunha coisa? Takata,
você poderia me reposicionar dentro do
que eu e você discutimos?

Continuo insistindo ok, o ADN é uma
espécie de linguagem algoritimeica e segue
uma ordem casual bem definida e orientada
pela natureza, a seleção natural não é somente
aleatória e segue princpípios básicos do
ser enquanto ser interagirador com a natureza
que ele pertence.

Se possível gostaria de comentários e você
prometeu que ia rever seus conceitos
acerca do que falamos, é isso mesmo?

Um abraço !!!
Saudações !!!
gemaba
www.gemaba.cjb.net


----- Original Message -----
From: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
To: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
Sent: Friday, November 14, 2003 9:21 AM
Subject: [ciencialist] Re: James Hutton, avô da seleção natural


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>

> James Hutton, avô da seleção natural
> FONTE http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n959.htm
[...]
> São proposições que chegam muito perto da idéia de
> seleção aleatória pelo ambiente, que diferenciou as teorias de
> Darwin e Wallace das publicadas até então.

Passam longe, muito longe da ideia de selecao aleatoria. A selecao
*nao* e' aleatoria. E' selecao. E se dirige pela interacao entre uma
caracteristica e o ambiente -- q. se reflete na maior ou menor
probabilidade do individuo portador da caracteristica de se
reproduzir.

Se fosse aleatoria *nao* seria possivel explicar a adaptacao -- salvo
por uma intervencao consciente ou por uma sorte muito, muito, muito,
muito grande.

[]s,

Roberto Takata


##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito às regras descritas em:
http://br.yahoo.com/info/utos.html





SUBJECT: Re: Os olhos dizem tudo?
FROM: Hélio Ricardo Carvalho <hrc@fis.puc-rio.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 09:41

Oi Adriana,

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Adriana Rohatsko"
<adriana_rohatsko@y...> escreveu
> Vejam um teste sobre os olhares e a dica de um livro no final.
> Eu errei todas as respostas. :(
>
> http://istoe.terra.com.br/istoedinamica/testes/olhos/olhos_01.asp
>
> Beijos,
> Adriana

Acertei 4 em 6. Oba! :-)

Hélio



SUBJECT: Re: Comer à noite não engorda 'mais', diz estudo
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 09:48

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>
> JUNIOR: Bem, eu particularmente suspeito desses estudos. Uma pessoa
> que come muito a noite, pode ingerir calorias iguais as que comem
> durante o dia. Mas existe um porém, comer perto do horário de
> dormir, implica que durante o sono seu metabolismo vai cair, as
> funçoes digestivas tb devem cair de produçao, dificultando a
> metabolizaçao dos alimentos.

Mas qual o problema? E de dia a pessoa nao torna a ter atividade?

O q. importa aqui sao duas variaveis na equacao: qtdade de energia
ingerida, qtdade de energia gasta.

Vamos simplificar a dizer q. um dia se divide em apenas dois
periodos: diurno e noturno. E q. o metabolismo da pessoa acompanhe
essa divisao: alto (diurno) e baixo (noturno).

A relacao diurno/noturno em horas -- 12:12

Metabolismo diurno: 100 kcal/h -- 1.200 kcal no periodo
Metabolismo noturno: 50 kcal/h -- 600 kcal no periodo

Ingestao de alimento: 1.800 kcal -- uma refeicao diaria.

Digamos q. a pessoa coma no inicio do periodo diurno. Ao final do
periodo serao: 1.800 - 1.200 = 600 kcal. Ao final do periodo noturno -
- antes da proxima refeicao -- sera': 600 - 600 = 0 kcal.

Digamos q. a pessoa coma no inicio do periodo noturno. Ao final do
periodo serao: 1.800 - 600 = 1.200 kcal. Ao final do periodo diurno -
antes da proxima refeicao -- sera': 1.200 - 1.200 = 0 kcal.

Considerando-se um intervalo de um dia com uma unica refeicao, sendo
Md a taxa metabolica diurna, Mn a noturna; tda - tempo do periodo
diurno anterior 'a refeicao; tdd - tempo do periodo diurno
posterior 'a refeicao; tna - tempo noturno anterior 'a refeicao e
tnd - depois da refeicao. Sendo Ec - o conteudo energetico da
refeicao. O ganho liquido de energia durante o dia Et sera':

Et = Ec - Md.tda - Md.tdd - Mn.tna - Mn.tnd = Ec - Md(tda + tdd) - Mn
(tna + tnd)

Matematicamente nao ha' razao para se esperar q. o horario de
ingestao de alimento afete a massa corporea. Nao e' o fato do
metabolismo ser menor de noite do q. dia q. afeta tbm. A unica
possibilidade do horario da refeicao afetar seria se ela interferisse
com o metabolismo normal do periodo -- comer 'a noite abaixar o
metabolismo normal do periodo noturno, por exemplo.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re: James Hutton, avô da seleção natural
FROM: "rmtakata" <rmtakata@altavista.net>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 10:04

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Geraldo M. Barcelos"
> Pelo que percebo falas mais dentro daquilo
> que discutimos a tempos e parece que o
> discurso mudou algunha coisa?

A mim nao parece. O q. vc acha q. mudou?

> Takata, você poderia me reposicionar dentro do
> que eu e você discutimos?

Continuo achando q. nao existe uma ligacao obvia entre musica e
evolucao. E continuo achando q. a vontade do individuo nao dirige as
mutacoes q. ocorrem em seu material genetico (salvo a possibilidade
de engenharia genetica).

> a seleção natural não é somente aleatória

Barcelos, eu *nunca* disse q. a selecao natural fosse aleatoria.

Muito pelo contrario:

"Bem, as consequencias desse postulado: replicacao, alteracoes
aleatorias e selecao -- podem ser demonstradas. Como o acaso pode
levar 'a "ordem"? Bem, dificilmente o acaso levaria 'a "ordem". Mas
embora o processo de mutacao -- tto qto se sabe -- seja aleatorio
(ao menos nao seja especificamente direcionado), o processo de
*selecao* nao e' aleatorio. A selecao e' causalmente ligada 'a
interacao entre o gene (ou a caracteristica conferida pela presenca
do gene) e o ambiente."
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist/message/26973

> Se possível gostaria de comentários e você
> prometeu que ia rever seus conceitos
> acerca do que falamos, é isso mesmo?

Eu prometi? Acho q. eu disse q. reveria os conceitos se aparecesse
algo em contrario.

[]s,

Roberto Takata



SUBJECT: Re:FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 10:28

Olá Matheus,

> MATHEUS: É ai que o senhor se engana toda a competitividade
> já é uma caracteristica genetica herdada dos genes, eu sempre
> vejo crianças brigando sendo que ainda nem possuem la tanta
> testoterona...

Manuel: Não, Matheus. As espécies neotênicas (em que os adultos retêm
na idade adulta muitas características da infância de seus
ancestrais) são reconhecidamente menos agressivas e mais gregárias
que as demais. Compare os bonobos ou chimpanzés-pigmeus, que são uma
subespécie de chimpanzés com alto grau de neotenia, com os chimpanzés
propriamente ditos. Os bonobos são mais dóceis, mais gregários, menos
violentos, mais inteligentes e se caracterizam pela ausência de uma
relação de dominância dos machos sobre as fêmeas, ou seja, nas hordas
desses primatas, o que se verifica é uma co-dominância de ambos os
sexos. Abaixo, transcrevo um trecho de um texto meu sobre esse
fenômeno biológico, a neotenia.

Matheus: QUERER acreditar nessas besteiras de deus, que é o sentido
da vida, digamos assim, para pessoas como o manuel DEVE existir algo
mais senão tudo pareceria sem sentido...Bom se eles não conseguem ser
maduros o suficiente para acreditar nisso, é bom procurar a sua
chupeta mais proxima.

Manuel: Que é isso, Matheus? Essa sua "santa" agressividade dirigida
aos crentes me parece ser da mesma natureza da de um irado pastor
luterano em seus vitupérios contra os "malignos" ateus.

Para o seu conhecimento, sou ateu. Sim, não creio em deuses. Creio na
razão crítica, isto é, sou um racionalista cético, razão pela qual,
para ser coerente com o meu próprio ceticismo, questiono inclusive a
mim mesmo, as idéias que defendo. Como cético, não considero minhas
idéias inquestionáveis, acima de qualquer dúvida. E, por ser cético,
é meu dever conceder a quem discorda de mim o "benefício da dúvida".

Quem é racionalista o é porque "crê" na razão, tem "fé" nos
princípios da razão. O racionalismo é uma "fé", como o deísmo também
é uma "fé". E por ser uma "fé", o racionalismo também é uma religião,
num sentido mais amplo do termo.

<<(...) quem quer que adote a atitude racionalista o faz por haver
adotado, sem raciocinar, alguma proposta, decisão, ou crença, ou
hábito, ou comportamento que, portanto, por sua vez, pode ser chamado
irracional. Seja como for, podemos descrevê-lo como uma irracional fé
na razão. O racionalismo está necessariamente longe de ser
compreensivo ou auto-restrito. (...) O racionalismo crítico reconhece
o fato de que a atitude racionalista fundamental se baseia numa
decisão irracional, ou numa fé na razão. Em conseqüência, nossa
escolha está aberta. Somos livres de escolher alguma forma de
irracionalismo, mesmo alguma forma radical e compreensiva. Mas também
somos livres de escolher uma forma crítica de racionalismo, que
francamente admita suas limitações e sua base numa decisão irracional
(admitindo, até essa extensão, certa prioridade do irracionalismo).>>
(Karl Popper; A Sociedade Aberta e Seus Inimigos; Tomo 2; Ed.
Itatiaia Ltda., Ed. Da Universidade de São Paulo; terceira edição;
pp. 231 e 237/240.)

Matheus, citando Freud:
"... [a religião é] um sistema de doutrinas e promessas que, por um
lado, lhe explicam os enigmas deste mundo com perfeição invejável e
que, por outro lado, lhe garantem que uma Providência cuidadosa
velará por sua vida e o compensará, numa existência futura, de
quaisquer frustrações que tenha experimentado aqui. O homem comum só
pode imaginar essa Providência sob a figura de um pai ilimitadamente
engrandecido. Apenas um ser desse tipo pode compreender as
necessidades dos filhos dos homens, enternecer-se com suas preces e
aplacar-se com os sinais de seu remorso. Tudo é tão patentemente
infantil, tão estranho à realidade, que, para qualquer pessoa que
manifeste uma atitude amistosa em relação à humanidade, é penoso
pensar que a grande maioria dos mortais nunca será capaz de superar
essa visão da vida. Mais humilhante ainda é descobrir como é vasto o
número de pessoas de hoje que não podem deixar de perceber que essa
religião é insustentável e, não obstante isso, tentam defendê-la,
item por item, numa série de lamentáveis atos retrógrados."

Manuel: Mesmo na sociedade mais afluente e racional, os homens
lamentarão a sua morte, o seu sofrimento, bem como a morte e o
sofrimento dos seus entes queridos. Mesmo na sociedade mais avançada
a necrofilia, os instintos sadomasoquistas, a pulsão da morte da qual
nos fala Freud pairará sobre nossas cabeças, e existirão pessoas cuja
vida consistirá tão-somente em dor sem esperança. Haverá indivíduos
fortes capazes de suportar toda e qualquer dor e manter a razão, como
o Matheus, o Homero, o Colucci, o Takata; algums outros não tão
fortes, como eu; e muitos outros com nervos fracos, que sucumbem com
mais facilidade e que, por isso, precisarão de muletas metafísicas,
religiosas.

Não serei eu que irá chutar a muleta desses infelizes.

Abraços,
Manuel Bulcão

SOBRE NEOTENIA: Existe um fenômeno biológico denominado "neotenia",
que é a retenção na idade adulta de caracteres infanto-juvenis. Esse
fenômeno se deve a um tipo de mutação nos genes que regulam a
ontogênese, isto é, o desenvolvimento que começa na fecundação e
termina quando o organismo atinge a plena capacidade reprodutiva. Por
conta dessa mutação genética, o processo de amadurecimento individual
torna-se em geral lento, vagaroso, com algumas características
apresentando um desenvolvimento ainda mais retardatário relativamente
às demais. Em razão disso, quando o indivíduo alcança a maturidade
sexual, o completo amadurecimento das funções reprodutivas, muito dos
seus traços fenotípicos, incluindo-se os comportamentais, ainda se
apresentam imaturos, num estágio infantil em maior ou menor grau. Se
essas características infantis são de alguma maneira úteis, se são
elas capazes de conferir vantagem adaptativa a quem as possuem, então
elas poderão ser selecionadas e, por conseguinte, mantidas pelas
gerações futuras como caracteres permanentes do indivíduo adulto.

Estudiosos do comportamento animal, entre eles o etólogo austríaco
Konrad Lorenz, constataram a existência de tal fenômeno em muitos
animais que foram domesticados pelo homem, como porcos, ovelhas e
bovinos. Ao analisarem a seleção artificial no processo de
domesticação desses animais, observaram eles que um dos critérios que
os criadores se valem para escolher os espécimes que irão figurar
como reprodutores é a docilidade e a capacidade maior de se submeter
a um comando externo. Ora, sabe-se que a cria é em geral mais dócil,
isto é, menos arisca e mais fácil de ser conduzida do que um
indivíduo adulto. Esses pesquisadores também notaram que,
diferentemente do espécime selvagem, a "rês" domesticada apresenta,
quando em idade de plena maturidade sexual, alguns traços do filhote:
olhos grandes, crânios bulbosos, maxilares mais retraídos.
Concluíram, então, que o processo de domesticação implica
a "infantilização" da espécie a ser domesticada.

Mas o fenômeno da neotenia também ocorre na natureza, isto é, pode
surgir de uma forma espontânea e como resultado da seleção natural.
Quanto aos seus benefícios evolutivos, alguns deles consistem nas
vantagens que uma existência gregária – em que há hierarquia e,
também, cooperação entre os indivíduos – apresenta em relação ao
isolamento. Vale dizer, a neotenia seria uma das vias de evolução
(não a única, pelo menos não entre os insetos) para o gregarismo. Com
efeito, até os animais de hábitos solitários, quando filhotes, são
gregários, dependentes uns dos outros e sobretudo da genitora. As
crias são também mais dóceis e capazes de atender a um comando
externo. Ora, o conjunto dessas características representa a condição
de possibilidade para o estabelecimento de relações ao mesmo tempo de
cooperação e de hierarquia social, e os adultos que apresentam esses
traços infantis são, obviamente, os mais adaptáveis a uma vida em
comunidade. Logo, a comunidade animal surge e evolui selecionando os
indivíduos que apresentam essas características neotênicas.

São animais gregários que retém na idade adulta uma grande quantidade
de caracteres juvenis: os cães (mesmo os selvagens), os chimpanzés-
pigmeus ou bonobos, os macacos de Gibraltar e os homens. Com efeito,
são impressionantes as semelhanças entre um babuíno jovem e um macaco
de Gibraltar plenamente maduro. E um feto desenvolvido de chimpanzé
assemelha-se muito mais a um homem adulto do que a um chimpanzé
crescido. Ambos – o feto e o homem – possuem poucos pêlos no corpo, o
semblante reto, uma maior caixa craniana relativamente à face, etc.

Entre os caracteres infantis da espécie humana, destacam-se a
manutenção da capacidade de aprender e o gosto pelo jogo (o ludismo,
as brincadeiras). Mas, conquanto muitas características do homem
adulto, úteis a uma vida em sociedade, sejam traços juvenis
conservados, não é correta a afirmação de que somos animais
inteiramente neotênicos. Nossas pernas compridas, por exemplo, não é
um traço que pertence a esse conjunto de caracteres. Também nosso
neocórtex, uma estrutura neural altamente complexa, longe está de ser
uma característica neotênica ou a retenção de um retardo no
desenvolvimento do cérebro de nossos ancestrais. Ao contrário, na
evolução do neocórtex humano o que houve foi um aceleramento e não um
retardamento, ou seja, não se trata ele de um subdesenvolvimento, mas
de um desenvolvimento acelerado. Entretanto, é de se observar que o
neocórtex só se desenvolveu de tal maneira porque havia espaço
craniano disponível, ou melhor, porque nós, seres humanos, dispomos
dessa característica neotênica que já apontei e que podemos verificar
não só em bebês chimpanzés, mas em quase todos os mamíferos recém-
nascidos, a saber: um maior volume do crânio em relação à face. Sem
isso, a evolução de cérebros grandes e, conseqüentemente, da
consciência, dar-se-ia de uma forma muito mais lenta e complicada.

Por outro lado, se o neocórtex é um de nossos traços acelerados,
creio que o mesmo não se possa dizer das nossas duas outras camadas
cerebrais: o complexo reptiliano, base neural dos comportamentos
agonísticos, territorialistas e ritualísticos, e o sistema límbico,
que é a sede de nossas emoções, mormente aquelas relacionadas à nossa
condição de mamíferos. É possível que uma das características
infantis que o homem retêm na idade adulta seja aquela emoção
presente em todos os jovens mamíferos: a dependência psíquica na
relação com seus genitores. Importante notar que também entre os
chimpanzés comuns e os bonobos a relação genitora-progênie permanece
por toda a vida, havendo inclusive registros de chimpanzés adultos
que, não suportando o falecimento da mãe, tornam-se melancólicos,
adoecem e em pouco tempo morrem. Nos bonobos, uma espécie de símio em
cuja hierarquia social os sexos são co-dominantes – diferentemente
dos chimpanzés comuns, em que todas as fêmeas são subalternas até
mesmo do macho pária –, esse vínculo íntimo e perpétuo entre mãe e
filho é o fator que determina o status deste último dentro da
comunidade, vale dizer, o status do filho adulto depende do status da
mãe, e quando a mãe de um bonobo macho morre, este cai na hierarquia
do grupo.

A vantagem do homem é que, devido ao seu alto poder de abstração, ele
pode transferir essa relação de dependência ou de simbiose para algo
que sirva como substituto simbólico dos pais: um determinado sistema
de valores ou algum ente abstrato fonte de uma ética como, por
exemplo, um totem, uma divindade, a Pátria-mãe, a Raça, a Humanidade,
a Razão, etc.

O homem metafísico em busca da sua origem (de onde vim?) e sem saber
o que fazer com a sua vida (para onde vou?) é como uma criança que se
perdeu dos pais e que precisa do juízo deles para saber como proceder
nesta e naquela situação. A ansiedade que alguns experimentam (a
angústia do ser-no-mundo, `Angst der Kreatur') é homóloga à ansiedade
de um órfão. É essa angústia e esse alheamento o que faz os homens
buscarem um novo vínculo com o mundo, um substituto daquele elo
perdido: o cordão umbilical, o seio materno, o falo do pequeno
Édipo. A propósito, a palavra "religião" deriva do termo
latino "religare", que quer dizer "ligar novamente".

Até a busca dos filósofos pela "substância" e a dos físicos teóricos
pelos constituintes últimos da matéria tem algo de infantil. Lembra-
me o choramingo "cadê mamãe? Cadê mamãe?" – Afinal, assim como a mãe,
os tijolos da matéria e as leis fundamentais da física são "algo que
veio antes e que nos deu origem". Lembre-se que "matéria" vem
de "mater", que significa "mãe". Seria isso mera coincidência?
(Manuel Bulcão)



SUBJECT: OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: Manuel Bulcão <manuelbulcao@uol.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 11:01

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Oraculo" <oraculo@a...>
escreveu

> PS: Acho que é tEratomemelogia, de teratos, monstro..:-)

Manuel: Monstro no bom sentido (esse Homero é um monstro!). Gosto
muito dos seus argumentos.

Abração,
Manuel Bulcão



SUBJECT: Fw: Pio
FROM: "Luiz Ferraz Netto" <leobarretos@uol.com.br>
TO: "ciencialist" <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 12:08

Oi Colucci,

vamos começar a importar Levitron e vender por aqui? Já cansei de avisar aos consulentes que no Brasil não há recursos (leia-se, material) para a construção do dito cujo.

[]'
======================
Luiz Ferraz Netto [Léo]
leobarretos@uol.com.br
www.feiradeciencias.com.br
======================
-----Mensagem Original-----
De: Fabrício de Souza Fernandes
Para: leobarretos@uol.com.br
Enviada em: sexta-feira, 14 de novembro de 2003 10:22
Assunto: Pião


Saudações!

adoro seu site!

Simplismente Fantástico!

Hoje tenho uma dúvida. Como faço para construir o levitron?

É possível comprar os imãs especiais?

Aguardo resposta.

Muito obrigado e PARABENS pelo execente trabalho!





--------------------------------------------------------------------------------
Yahoo! Mail - 6MB, anti-spam e antivírus gratuito. Crie sua conta agora!

[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: RE: Fw: Pião
FROM: "Jose Colucci Jr." <j.colucci@rcn.com>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 13:24

>LÉO: vamos começar a importar Levitron e vender por aqui? Já cansei de
avisar aos consulentes que no Brasil não há recursos (leia-se, material)
para a construção do dito cujo.<

É propaganda enganosa. Até hoje você diz que não conseguiu fazer o bicho
funcionar... É verdade?

Colucci



SUBJECT: Re: As fotos não foram, mas quem se interessar em solucionar o mistério eu mando (É fisica pura)...
FROM: "Fernando Watson" <watson@con.ufrj.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 14:43

Takata:

> E' o principio da acao e reacao. Com o aumento do angulo de ataque,
> aumenta a componente vertical da forca de contato entre o ar (a
> particula do ar) e a asa. O ar e' empurrado para baixo e a nave para
> cima.

Watson:

Já ouvi falar que a sustentação do avião é devida ao vácuo que se forma na
parte *superior* da asa. Um engenheiro aeronáutico poderia esclarecer essa
dúvida.

[]s


SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: James Hutton, avô da seleção natural
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 15:20

Olá

E tem mais um ponto importante, não se pode comparar o cuidadoso trabalho de pesquisa e coleta de dados de uma vida, um consciente e firme trabalho de desenvolvimento de hipoteses e estudos de confirmação, que resultaram no livro A Origem das Especies de Darwin, com "insigts" brilhantes mas limitados de outros pesquisadores.

Já se disse uma vez, que uma idéia amadurece e que na época certa, com todos os dados acumulados de forma correta, ela surge e mais de uma vez ao mesmo tempo. A idéia estava madura, os dados e evidencias se acumularam, mas foi o gigantesco e profundo trabalho de Darwin que a tornou sólida e consistente o suficiente para suportar todos os ataques. Sem isso, uma ideia tão polemica, teria sido esmagada rapidamente e talvez levasse decadas para que alguem se atrevesse a revive-la, com todo o dano ao conhecimento humano decorrente desse atraso.

Mesmo Wallace reconheceu que seu breve ensaio, quase um esboço de ideias, não se podia comparar com o volume e precisão do trabalho de Darwin. Wallace "achava" que sua idéia de adaptação poderia estar correta, mas Darwim "sabia" que era, embasado no enorme volume de estudos e provas coletados e analisados.

Hutton teve também grandes sacadas, e fez um trabalho importante. Mas estava bem longe de chegar a teoria da evolução como proposta por Darwin. Modificações que se ajustam ao ambiente em curtos periodos de tempo são apenas um momento da idéia completa (até hoje tem quem aceite essa modificação mas não compreenda o que isso representa na especiação em periodos de tempo geologicos).

É preciso ler os livros de Darwin para compreender seu trabalho e o conjunto de sua teoria, sua solidez e sua precisão. Um trabalho de genio e de uma grande mente cientifica.

Um abraço.

Homero

----- Original Message -----
From: rmtakata
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 14, 2003 9:21 AM
Subject: [ciencialist] Re: James Hutton, avô da seleção natural


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>

> James Hutton, avô da seleção natural
> FONTE http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n959.htm
[...]
> São proposições que chegam muito perto da idéia de
> seleção aleatória pelo ambiente, que diferenciou as teorias de
> Darwin e Wallace das publicadas até então.

Passam longe, muito longe da ideia de selecao aleatoria. A selecao
*nao* e' aleatoria. E' selecao. E se dirige pela interacao entre uma
caracteristica e o ambiente -- q. se reflete na maior ou menor
probabilidade do individuo portador da caracteristica de se
reproduzir.

Se fosse aleatoria *nao* seria possivel explicar a adaptacao -- salvo
por uma intervencao consciente ou por uma sorte muito, muito, muito,
muito grande.

[]s,

Roberto Takata


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Re:FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 15:44

Olá Manuel

De um modo geral, sua resposta ao Matheus me parece correta, mas existe um ponto que pode ser discutido. Veja sua afirmação:

Manuel<#Quem é racionalista o é porque "crê" na razão, tem "fé" nos
princípios da razão. O racionalismo é uma "fé", como o deísmo também é uma "fé". E por ser uma "fé", o racionalismo também é uma religião, num sentido mais amplo do termo.#>

Não há um sentido mais amplo do termo que englobe a razão e o ceticismo dentro da categria fé. Fé, conceitualmente e por definição é "acreditar sem ter motivo para tanto". Significa que, se tem um motivo para acreditar, não é mais fé. Céticos e racionalistas, ao concluirem por algo, tem motivo para faze-lo, e portanto não tem fé, qualquer que seja o alcance que de ao termo..:-)

Escolher o ceticismo e a razão não envolve fé, mesmo que envolva uma decisão. Você o faz por verificar que as evidencias de cada afirmação dentro dessa postura possuem validade, efeitos, eficácia. Ao escolher uma religião, nada disso se apresenta e a maior prova de fé é escolher o mais improvável possível já que "misteriosos são os motivos da divindade" etc..:-)

Observe que a diferença é total, até mesmo em questões de fé..:-) Se uma evidencia de uma divindade surgir, digamos, Deus apareça amanhã, pare o Sol, faça desaparecer as estrelas, e diga, "bem, vocês não entenderam nada, vou começar tudo de novo e explicar melhor.." isso muda a conclusão de céticos, mas não muda a fé dos que tem fé..:-) Se for o Deus cristão que surgir, os islamicos, budistas, taoistas, bramanistas, etc, etc, etc, não mudarão uma virgula de suas crenças..:-) Se for Alah, tods os evangelicos o recusarão como falso, nào importa as provas e evidencias que surjam..:-) (um dos problemas dos eveangelicos radicasi nos USA é o conceito de que todos os judeus estão condenados ao inferno perpetuo, por melhores pessoas que sejam). Um milagre espirita é apenas uma manifestação do demonio para um cristão..:-)

Quando se usa a gravitação universal para encontrar outro planeta em um sistema solar distantes anos luz da Terra, não existe nenhuma fé envolvida..:-) Existem evidencias e provas empiricas que a matematica e a física da coisa (que não compreendo..:-) esteja correta. E o que acontece se o cientista, ao usar essa matematica, descobre outra coisa, um engano ou erro? Nada, ele aprende, muda a matematica, ganha um Nobel e continuamos sem nenhuma fé envolvida..:-)

Talvez possa chamar o racionalismo e o ceticismo de uma filosofia de vida. Escolher coisas que possuam evidencias concretas de serem reais como norteadoras de decisões pessoais e como base para conclusões é uma escolha filosofica. Mas não religiosa e certamente não uma forma de fé..:-) Não preciso "crer" nos principios da razão, posso apenas avaliar seus acertos e tirar a conclusão, que é, a razão acerta mais que a fé em suas afirmações..:-) Isso me basta..:-)

Um abraço.

Homero


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Ligia Amorese" <ligia5555@yahoo.com.br>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 15:52

Oi Colucci,

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Jose Colucci"
<j.colucci@r...> escreveu

> Crianças como o filho da Lígia e a minha filha podem ser bons
cartões de visita do ateísmo, mas o que dizer de adolescentes mais
problemáticos. Não há viciado em drogas que, internado pela família,
não tenha sido submetido a uma lavagem cerebral religiosa. A lógica
dos religiosos é sempre a mesma: se algo deu errado é porque faltou
fé em Deus. Como se a religião fosse garantia de qualidade.<


Bem, essa é uma das coisas que mais me incomoda e ao mesmo tempo
mais "fascina": a necessidade humana de sentir que está sendo
amparado. E aí nessa questão do ex-drogado virar pastor entra a
carência afetiva, a falta de conversas, o desejo de ser "bom", o medo
do "inferno"... Eu encaro a recuperação de ex-viciados com Deus como
um "recurso" porque com "Deus" vem a atenção do grupo religioso, da
comunidade, o carinho das pessoas e em decorrência disso, o desejo
de "fazer parte" de algo maior, de ser introduzido em alguma
coisa "boa". Assim, a tal "lavagem cerebral" parece ser muito mais
uma consequência da própria mentalidade já distorcida de quem tenha
ído prá marginalidade pelo uso das drogas - aquela compulsividade -
da mesma forma como penso que Amor incondicional sem o patrocínio
divino teria o mesmo resultado na recuperação. Mas parece que amor
não é algo que se dê assim a torto e a direito a não ser sob
o "patrocínio" divino... daí que esse povo caia nas malhas
religiosas.



> Infelizmente, ter que "evangelizar" os crentes no catecismo da
racionalidade faz parte da nossa "missão". Nesses casos descobri que
a melhor maneira é mostrar-se aberto e disposto a mudar diante de
evidências. Diga que aceitará examinar qualquer evidência que o
interlocutor apresente e criticá-la desde que ele faça o mesmo. É a
melhor maneira de levá-los a questionar a própria fé. Quem a tem, e é
capaz de pensar sobre ela, tem que admitir conviver com a duplicidade
de critérios.<


Sabe Colucci, eu até gosto de falar com as pessoas e, acredite, eu
até converso com a turma do "Despertai", tenho bíblia em casa,
consigo falar com eles... mas discutir eu não gosto. Se a pessoa
mostra que aquela fé é tudo prá ela eu sinto até dor física de tirar
a ilusão da pessoa. Agora... se eu vejo que existe curiosidade na
pessoa, se eu percebo que a fé é só superficial, aí eu não me
intimido em plantar umas pulgas gordas e feias atrás das orelhas, nem
minhoca na cabeça... :)) E outra coisa que eu faço ou pelo menos
tento, é treinar o amor incondicional desvinculado da imagem de Deus
ou de alguma religião. Converso com bêbados, com mendigos, com gente
que vem pedir esmola. Essa gente só quer atenção e se algum dia
surgirem grupos altruístas que sejam compostos por pessoas
desvinculadas de quaisquer movimentos religiosos, eu sei que muita
coisa vai mudar. "Deus" e seus representantes só têm uma razão de
ser prá suprir a carência humana em ser "aceito", seja lá do jeito
que for numa "família" com laços de afeto, do tipo "irmandade"... E
se nós conseguirmos suprir isso, vai sobrar pouco pros vendedores de
ilusão. O vínculo do estado com a religião vem se perpetuando pela
imagem de "imparcialidade" e moral "ilibada" que a igreja vende, do
tipo: "é em nome de Deus" com todos os atributos divinos imantados
no nome... prá tirar isso tem que mostrar que nós é que fazemos
alguma coisa e não Deus na figura de "seus representantes". Por isso
que eu já falei em outra ocasião: atiirar ovo choco em cima da
cabeça dos crédulos não adianta. Tem é que mostrar serviço, do jeito
que o povo precisa.

Beijos, Lígia




SUBJECT: Re: Buracos Negros
FROM: Maria Natália <gogul@megamail.pt>
TO: ciencialist@yahoogrupos.com.br
DATE: 14/11/2003 16:39

Que bom!
Te agradecemos a resposta ao nosso SOS.
Bom ter papinha feita
Te dou um pedaço de Pudim de Lua:
http://www.puddinmoon.com/
Cheia de trabalho mas sempre convosco
Maria Natália

--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Artur Varanda"
<artur.varanda@n...> escreveu
> Olá,
>
> "Alguém pode me dizer a formula do desvio gravitacional para o
vermelho
> (redshift) que relaciona
> o raio de Schwarzschild?"
>
> Vê aqui: http://www.if.ufrgs.br/~thaisa/bn/radiacao.htm
>
> "E gostaria de obter sites que contenham informações de qualidade
para
> colocar no meu trabalho."
>
> Em português:
>
> Buracos Negros
> http://www.if.ufrgs.br/~thaisa/bn/index.htm
>
> Buracos Negros
> http://www.oal.ul.pt/caaul/astronovas/buracos/
>
> Em inglês:
>
> News Topics: Black Holes
> http://www.universetoday.com/html/topics/blackholes.html
>
> No Escape: The Truth Abaut Black Holes
> http://amazing-
space.stsci.edu/resources/explorations/blackholes/lesson/index.html
> http://amazing-
space.stsci.edu/resources/explorations/blackholes/teacher/scienceback
ground.html
>
> Virtual Trips to Black Holes and Neutron Stars
> http://antwrp.gsfc.nasa.gov/htmltest/rjn_bht.html
>
> Black Holes and Quasars
> http://curious.astro.cornell.edu/blackholes.php
>
> Jillian's Guide to Black Holes
> http://www.gothosenterprises.com/black_holes/
>
> Um abraço,
> Artur



SUBJECT: Re: [ciencialist] Re: James Hutton, avô da seleção natural
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 16:50

Olá

E tem mais um ponto importante, não se pode comparar o cuidadoso trabalho de pesquisa e coleta de dados de uma vida, um consciente e firme trabalho de desenvolvimento de hipoteses e estudos de confirmação, que resultaram no livro A Origem das Especies de Darwin, com "insigts" brilhantes mas limitados de outros pesquisadores.

Já se disse uma vez, que uma idéia amadurece e que na época certa, com todos os dados acumulados de forma correta, ela surge e mais de uma vez ao mesmo tempo. A idéia estava madura, os dados e evidencias se acumularam, mas foi o gigantesco e profundo trabalho de Darwin que a tornou sólida e consistente o suficiente para suportar todos os ataques. Sem isso, uma ideia tão polemica, teria sido esmagada rapidamente e talvez levasse decadas para que alguem se atrevesse a revive-la, com todo o dano ao conhecimento humano decorrente desse atraso.

Mesmo Wallace reconheceu que seu breve ensaio, quase um esboço de ideias, não se podia comparar com o volume e precisão do trabalho de Darwin. Wallace "achava" que sua idéia de adaptação poderia estar correta, mas Darwim "sabia" que era, embasado no enorme volume de estudos e provas coletados e analisados.

Hutton teve também grandes sacadas, e fez um trabalho importante. Mas estava bem longe de chegar a teoria da evolução como proposta por Darwin. Modificações que se ajustam ao ambiente em curtos periodos de tempo são apenas um momento da idéia completa (até hoje tem quem aceite essa modificação mas não compreenda o que isso representa na especiação em periodos de tempo geologicos).

É preciso ler os livros de Darwin para compreender seu trabalho e o conjunto de sua teoria, sua solidez e sua precisão. Um trabalho de genio e de uma grande mente cientifica.

Um abraço.

Homero
----- Original Message -----
From: rmtakata
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 14, 2003 9:21 AM
Subject: [ciencialist] Re: James Hutton, avô da seleção natural


--- Em ciencialist@yahoogrupos.com.br, "Bradock" <rtjunior@b...>

> James Hutton, avô da seleção natural
> FONTE http://www2.uol.com.br/cienciahoje/chdia/n959.htm
[...]
> São proposições que chegam muito perto da idéia de
> seleção aleatória pelo ambiente, que diferenciou as teorias de
> Darwin e Wallace das publicadas até então.

Passam longe, muito longe da ideia de selecao aleatoria. A selecao
*nao* e' aleatoria. E' selecao. E se dirige pela interacao entre uma
caracteristica e o ambiente -- q. se reflete na maior ou menor
probabilidade do individuo portador da caracteristica de se
reproduzir.

Se fosse aleatoria *nao* seria possivel explicar a adaptacao -- salvo
por uma intervencao consciente ou por uma sorte muito, muito, muito,
muito grande.

[]s,

Roberto Takata


Yahoo! Groups Sponsor
PUBLICIDADE



##### ##### #####
Para saber mais visite
http://br.groups.yahoo.com/group/ciencialist
Para sair da lista envie um mail para
ciencialist-unsubscribe@yahoogroups.com
##### ##### ##### ##### #####

Seu uso do Yahoo! Grupos é sujeito aos Termos do Serviço Yahoo!.


[As partes desta mensagem que não continham texto foram removidas]



SUBJECT: Re: Re:FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)
FROM: "Oraculo" <oraculo@atibaia.com.br>
TO: <ciencialist@yahoogrupos.com.br>
DATE: 14/11/2003 16:51

Olá Manuel

De um modo geral, sua resposta ao Matheus me parece correta, mas existe um ponto que pode ser discutido. Veja sua afirmação:

Manuel<#Quem é racionalista o é porque "crê" na razão, tem "fé" nos
princípios da razão. O racionalismo é uma "fé", como o deísmo também é uma "fé". E por ser uma "fé", o racionalismo também é uma religião, num sentido mais amplo do termo.#>

Não há um sentido mais amplo do termo que englobe a razão e o ceticismo dentro da categria fé. Fé, conceitualmente e por definição é "acreditar sem ter motivo para tanto". Significa que, se tem um motivo para acreditar, não é mais fé. Céticos e racionalistas, ao concluirem por algo, tem motivo para faze-lo, e portanto não tem fé, qualquer que seja o alcance que de ao termo..:-)

Escolher o ceticismo e a razão não envolve fé, mesmo que envolva uma decisão. Você o faz por verificar que as evidencias de cada afirmação dentro dessa postura possuem validade, efeitos, eficácia. Ao escolher uma religião, nada disso se apresenta e a maior prova de fé é escolher o mais improvável possível já que "misteriosos são os motivos da divindade" etc..:-)

Observe que a diferença é total, até mesmo em questões de fé..:-) Se uma evidencia de uma divindade surgir, digamos, Deus apareça amanhã, pare o Sol, faça desaparecer as estrelas, e diga, "bem, vocês não entenderam nada, vou começar tudo de novo e explicar melhor.." isso muda a conclusão de céticos, mas não muda a fé dos que tem fé..:-) Se for o Deus cristão que surgir, os islamicos, budistas, taoistas, bramanistas, etc, etc, etc, não mudarão uma virgula de suas crenças..:-) Se for Alah, tods os evangelicos o recusarão como falso, nào importa as provas e evidencias que surjam..:-) (um dos problemas dos eveangelicos radicasi nos USA é o conceito de que todos os judeus estão condenados ao inferno perpetuo, por melhores pessoas que sejam). Um milagre espirita é apenas uma manifestação do demonio para um cristão..:-)

Quando se usa a gravitação universal para encontrar outro planeta em um sistema solar distantes anos luz da Terra, não existe nenhuma fé envolvida..:-) Existem evidencias e provas empiricas que a matematica e a física da coisa (que não compreendo..:-) esteja correta. E o que acontece se o cientista, ao usar essa matematica, descobre outra coisa, um engano ou erro? Nada, ele aprende, muda a matematica, ganha um Nobel e continuamos sem nenhuma fé envolvida..:-)

Talvez possa chamar o racionalismo e o ceticismo de uma filosofia de vida. Escolher coisas que possuam evidencias concretas de serem reais como norteadoras de decisões pessoais e como base para conclusões é uma escolha filosofica. Mas não religiosa e certamente não uma forma de fé..:-) Não preciso "crer" nos principios da razão, posso apenas avaliar seus acertos e tirar a conclusão, que é, a razão acerta mais que a fé em suas afirmações..:-) Isso me basta..:-)

Um abraço.

Homero

----- Original Message -----
From: Manuel Bulcão
To: ciencialist@yahoogrupos.com.br
Sent: Friday, November 14, 2003 10:28 AM
Subject: Re:FW: [ciencialist] OFF TOPIC: Ateus x Religiosos (ERA: Re: [STR] Rachel de Queiroz...)


Olá Matheus,

> MATHEUS: É ai que o senhor se engana toda a competitividade
> já é uma caracteristica genetica herdada dos genes, eu sempre
> vejo crianças brigando sendo que ainda nem possuem la tanta
> testoterona...

Manuel: Não, Matheus. As espécies neotênicas (em que os adultos retêm
na idade adulta muitas características da infância de seus
ancestrais) são reconhecidamente menos agressivas e mais gregárias
que as demais. Compare os bonobos ou chimpanzés-pigmeus, que são uma
subespécie de chimpanzés com alto grau de neotenia, com os chimpanzés
propriamente ditos. Os bonobos são mais dóceis, mais gregários, menos
violentos, mais inteligentes e se caracterizam pela ausência de uma
relação de dominância dos machos sobre as fêmeas, ou seja, nas hordas
desses primatas, o que se verifica é uma co-dominância de ambos os
sexos. Abaixo, transcrevo um trecho de um texto meu sobre esse
fenômeno biológico, a neotenia.

Matheus: QUERER acreditar nessas besteiras de deus, que é o sentido
da vida, digamos assim, para pessoas como o manuel DEVE existir algo
mais senão tudo pareceria sem sentido...Bom se eles não conseguem ser
maduros o suficiente para acreditar nisso, é bom procurar a sua
chupeta mais proxima.

Manuel: Que é isso, Matheus? Essa sua "santa" agressividade dirigida
aos crentes me parece ser da mesma natureza da de um irado pastor
luterano em seus vitupérios contra os "malignos" ateus.

Para o seu conhecimento, sou ateu. Sim, não creio em deuses. Creio na
razão crítica, isto é, sou um racionalista cético, razão pela qual,
para ser coerente com o meu próprio ceticismo, questiono inclusive a
mim mesmo, as idéias que defendo. Como cético, não considero minhas
idéias inquestionáveis, acima de qualquer dúvida. E, por ser cético,
é meu dever conceder a quem discorda de mim o "benefício da dúvida".

Quem é racionalista o é porque "crê" na razão, tem "fé" nos
princípios da razão. O racionalismo é uma "fé", como o deísmo também
é uma "fé". E por ser uma "fé", o racionalismo também é uma religião,
num sentido mais amplo do termo.

<<(...) quem quer que adote a atitude racionalista o faz por haver
adotado, sem raciocinar, alguma proposta, decisão, ou crença, ou
hábito, ou comportamento que, portanto, por sua vez, pode ser chamado
irracional. Seja como for, podemos descrevê-lo como uma irracional fé
na razão. O racionalismo está necessariamente longe de ser
compreensivo ou auto-restrito. (...) O racionalismo crítico reconhece
o fato de que a atitude racionalista fundamental se baseia numa
decisão irracional, ou numa fé na razão. Em conseqüência, nossa
escolha está aberta. Somos livres de escolher alguma forma de
irracionalismo, mesmo alguma forma radical e compreensiva. Mas também
somos livres de escolher uma forma crítica de racionalismo, que
francamente admita suas limitações e sua base numa decisão irracional
(admitindo, até essa extensão, certa prioridade do irracionalismo).>>
(Karl Popper; A Sociedade Aberta e Seus Inimigos; Tomo 2; Ed.
Itatiaia Ltda., Ed. Da Universidade de São Paulo; terceira edição;
pp. 231 e 237/240.)

Matheus, citando Freud:
"... [a religião é] um sistema de doutrinas e promessas que, por um
lado, lhe explicam os enigmas deste mundo com perfeição invejável e
que, por outro lado, lhe garantem que uma Providência cuidadosa
velará por sua vida e o compensará, numa existência futura, de
quaisquer frustrações que tenha experimentado aqui. O homem comum só
pode imaginar essa Providência sob a figura de um pai ilim